SlideShare uma empresa Scribd logo
em busca da certificação !
Sergio Massao Kanazava
Gestão de qualidade
1/51
ISO 9001:2008
Roteiro da Apresentação
Introdução
Certificação ISO 9001
Estrutura da ISO 9001
Requisitos da Norma
Implantação e Auditorias do Sistema de
Gestão da Qualidade
Pesquisa ISO 9001
Referências Bibliográficas
2/51
Introdução
ISO
Organização Internacional (não-governamental) para
Normalização
Fundada em 23/02/1947
Sede em Genebra, Suíça
Com o propósito de desenvolver e promover normas e
padrões mundiais que traduzam o consenso dos
diferentes países do mundo de forma a facilitar o
comércio internacional e uniformizar a qualidade.
Tem mais de 130 países membros.
3/51
4/51
Introdução
Histórico
1947: formação da ISO e início de suas atividades.
Meados dos anos 70: surgimento das primeiras normas, motivadas pela
baixa produtividade e qualidade na indústria européia.
1987: lançamento da primeira compilação das normas ISO 9001 e adesão
da comunidade internacional.
1994: primeira revisão, com o objetivo de melhorar os requisitos e
enfatizar a prevenção de ações para a garantia da qualidade.
2000: segunda revisão, detendo mais o foco no cliente e mais adequada
aos princípios do TQC.
2008: terceira revisão da norma, alterações para melhorar a clareza,
facilitar as traduções, melhorar a consistência com a família 9000
(principalmente a 9004), facilitar a utilização e melhorar a
compatibilidade com a ISO 14001 (gestão ambiental).
5/51
Introdução
Norma ISO 9001
ISO 9001:2008
É um padrão internacional que “especifica requisitos para um sistema
gerencial de qualidade de uma organização”.
6/51
Certificação ISO 9001
Relação com o TQC
Qualquer empresa que tenha implantado o TQC satisfará a qualquer
auditoria visando a certificação pela norma ISO 9001. No entanto o
inverso não é sempre verdadeiro.
O fato de uma empresa estar certificada pela ISO 9001 não atrapalha um
programa de TQC.
Certificação ISO 9001
7/51
O que significa obter a certificação ISO 9001?
Significa que o Sistema de Qualidade da Organização foi avaliado por uma
entidade independente reconhecida por um organismo nacional de
acreditação, e considerado de acordo com os requisitos da norma ISO
9001.
O certificado tem validade de 3 anos. Após esse prazo ele precisa ser
renovado. Além disso a cada 6 meses o sistema é auditado para verificar
se ele continua a atender aos requisitos da norma. O certificado poderá
não ser revalidado se a organização deixar de cumprir os requisitos.
Certificação ISO 9001
Pode ser usada quando a organização:
Necessita demonstrar sua capacidade para
fornecer de forma coerente produtos que
atendam aos requisitos do cliente e requisitos
regulamentares aplicáveis;
Aumentar a satisfação do cliente por meio da
efetiva aplicação do sistema e da garantia da
conformidade com os requisitos do cliente e
requisitos regulamentares aplicáveis.
8/51
Certificação ISO 9001
Pontos exigidos para conceder o certificado de
qualidade
Diga o que faz
Defina a estrutura do sistema de gestão da qualidade, a política da
qualidade apropriada aos objetivos da organização e os procedimentos
para assegurar a qualidade do produto/serviço e a satisfação do cliente.
Faça o que diz
Trabalhe de acordo com a sua política e objetivos da qualidade
estabelecidos.
Mostre o que faz
Mantenha registros eficientes.
Verifique como está o sistema
Realize auditorias internas da qualidade e tome as ações necessárias.
9/51
Certificação ISO 9001
Benefícios da implantação
Para a organização:
Maior participação no mercado.
Maior satisfação dos clientes.
Redução de custos.
Maior produtividade.
Maior competitividade.
Maior lucro.
Para os clientes:
Maior confiança nos produtos da organização.
Redução de custos.
Satisfação em relação aos produtos adquiridos.
Melhor atendimento dos requisitos. 10/51
Certificação ISO 9001
Riscos da implantação
Excesso de burocracia
Documentação e Controles excessivos
Falta de conhecimento
Capacitação e Treinamentos Inadequados
Desperdício (tempo, recursos, dinheiro)
Atividades que não agregam valor
Desmotivação
Não envolvimento de todos no processo de implantação
11/51
Certificação ISO 9001
ISO 9001 e Prêmios de Qualidade
A ISO 9001 deve ser considerada como requisito mínimo para um
Sistema da Qualidade. Implantar a ISO 9001 não significa
automaticamente ter um padrão elevado de qualidade. Depende da
forma como foi implantado.
Os Prêmios Nacionais de Qualidade, como por exemplo, o brasileiro
(Prêmio Nacional da Qualidade - PNQ), o americano (Prêmio
Malcolm Baldrige) e o japonês (Prêmio Deming) têm requisitos de
avaliação muito mais exigentes do que as cláusulas da ISO9001.
Organizações que têm sistema de qualidade certificado pela norma
ISO 9001 têm de 30 a 50% dos pontos requeridos por esses
prêmios.
12/51
13 / 51
Estrutura da ISO 9001
Elementos Chave
Satisfação do Cliente
Atendimento, Produto, Serviço, Projeto, Produção e Entrega.
Abordagem de processo
Controle contínuo sobre a ligação entre os processos individuais
dentro do sistema de processos, bem como sua combinação e
interação.
Indicadores de desempenho
Análise das informações para saber se as metas e objetivos da
qualidade estão sendo atingidos.
Melhoria Contínua
Pode ser aplicado o ciclo PDCA.
14/51
Estrutura da ISO 9001
Formada por 8 elementos:
Objetivo
Referência Normativa
Termos e Definições
Sistema de Gestão da Qualidade
Responsabilidade da Direção
Gestão de Recursos
Realização do produto
Medição, Análise e Melhoria
15/51
Modelo de Abordagem por
Processos
16/51
Sistema de Gestão de Qualidade
Requisitos gerais
Identificar os processos para o SGQ;
Processos para Desenvolvimento, operação ou manutenção de
Software
Determinar a seqüência e interação desses processos;
Modelos de ciclo de vida para desenvolvimento
Planejamento da qualidade e do desenvolvimento
Determinar critérios e métodos;
Assegurar a disponibilidade de recursos e informação;
Monitorar, medir e analisar esses processos;
Implementar ações necessárias para atingir os resultados e a melhoria
contínua;
17/51
90003
90003
Sistema de Gestão de Qualidade
Requisitos de documentação
Manual da qualidade;
Procedimentos requeridos devem ser documentados;
Documentos para assegurar o planejamento, a operação e o
controle de seus processos
Descrições dos processos, tais como os identificados na
implementação;
Descrições de instruções, procedimentos e/ou templates
Descrições de modelos de ciclo de vida
Descrições de ferramentas, técnicas, tecnologias e métodos
Tópicos técnicos (procedimentos de codificação, projeto e
desenvolvimento, testes)
18/51
90003
Sistema de Gestão de Qualidade
Requisitos de documentação
Controle de registros da qualidade
Resultados de teste documentados;
Relatórios de problemas;
Requisições de mudança;
Relatórios de auditorias e avaliações;
Registros de revisões e inspeções;
Mudanças (e o motivo);
Estimativas;
Como e por que ferramentas, metodologias e fornecedores;
Acordos de licença de software;
Atas de reuniões;
Registros de liberação de software.
19/51
90003
Responsabilidade da Direção
Comprometimento da Direção
Comunicação da importância do atendimento aos requisitos do
cliente
Estabelecimento da Política de Qualidade
Estabelecimento dos Objetivos da qualidade
Análise crítica
Disponibilização de recursos
Foco no cliente
Os requisitos dos clientes são determinados e atendidos
Aumentar a satisfação do cliente
20/51
Responsabilidade da Direção
Política da qualidade
Apropriada ao propósito da organização
Comprometimento em atender requisitos e melhoria contínua
Proporciona estrutura para estabelecer e analisar os objetivos da
qualidade
Comunicada e entendida por toda a organização
Analisada para a manutenção de sua adequação
Planejamento
Objetivos da Qualidade
Estabelecidos nas funções e níveis pertinentes
Mensuráveis e consistentes com a política da Qualidade
21/51
Responsabilidade da Direção
Planejamento
Planejamento do SGQ
Assegurar PLANEJAMENTO e INTEGRIDADE do
SGQ
Planejamento da qualidade no Nível Organizacional
Definição de modelos de ciclo de vida
Definição dos artefatos de desenvolvimento
Definição do conteúdo dos planos de gerência de software
Identificação das ferramentas e do ambiente
Identificação de reuso de software
22/51
90003
Responsabilidade da Direção
Responsabilidade, Autoridade e
Comunicação
Responsabilidade e autoridade - definidas e
comunicadas
Representante da Direção
Assegurar que os processos estão estabelecidos,
implementados e mantidos
Relatar o desempenho do SGQ
Assegurar a promoção da conscientização
Comunicação Interna
Assegurar canais de comunicação apropriados
23/51
Responsabilidade da Direção
Análise Crítica pela Direção
Generalidades:
Analisar o SGQ para assegurar adequação e eficácia;
Manter registros das análises.
Entradas para Análise Crítica
Resultados de auditorias;
Realimentação do cliente;
Desempenho de processo e conformidade de produto;
Situação das ações preventivas;
Acompanhamento das ações oriundas de análises anteriores;
Mudanças que possam afetar o SGQ;
Recomendações para melhoria.
24/51
Responsabilidade da Direção
Análise Crítica pela Direção
Saídas da Análise Crítica
Melhoria da eficácia do SGQ e de seus processos;
Melhoria do produto em relação aos requisitos do cliente;
Necessidade de recursos.
25/51
Gestão de Recursos
Provisão de recursos
Implementar, manter e melhorar o SGQ
Aumentar a satisfação do cliente
Ex. pessoas, infraestrutura, ambiente de trabalho, informação,
fornecedor e parceiros, recursos naturais e recursos financeiros
Recursos humanos
Determinar as competências necessárias para grupo da qualidade
Fornecer treinamento
Avaliar a eficácia das ações executadas
Assegurar conscientização da importância das atividades
Manter registros de treinamentos, educação, habilidade e
experiência
26/51
Gestão de Recursos
Infraestrutura
Edifícios, área de trabalho e instalações associadas
Serviços de Apoio (transporte e comunicação)
Processo, hardware e software
Ferramentas (análise, projeto e desenvolvimento, gerência de configuração e
de projeto,documentação, criação ou geração de código);
Ferramentas para gestão do conhecimento, intranet, extranet;
Ferramentas de rede, back-up, proteção, firewalls;
Ferramentas para help desk e manutenção;
• Ambiente de Trabalho
Identificar e gerenciar as condições do ambiente de trabalho, necessárias para
alcançar a conformidade com os requisitos do produto
27/51
90003
Realização do Produto
Planejamento da realização
Determinar objetivos da qualidade e requisitos para o
produto
Estabelecimento de processos, documentação e
recursos específicos
Verificação, validação, monitoramento e inspeção
(critérios de aceitabilidade)
Manutenção de Registros evidenciando que o processo
de realização e o produto atendem aos requisitos
28/51
Realização do Produto
Processos relacionados a clientes
Determinação dos requisitos relacionados ao produto
Requisitos especificados pelo cliente
Requisitos não especificados, mas necessários para o uso especificado
Requisitos estatutários e regulamentares
Qualquer requisito adicional determinado pela organização
Análise crítica dos requisitos
Assegurar que os requisitos estão definidos
Assegurar que requisitos não fornecidos por escrito foram confirmados
Assegurar que diferenças entre Contrato ou pedidos foram resolvidos
Assegurar que a organização é capaz de atender os requisitos
29/51
Realização do Produto
Processos relacionados a clientes
Comunicação com o cliente
Informações sobre o produto
Consulta, contratos, manuseio de pedidos (emendas)
Realimentação do Cliente (reclamações)
30/51
Realização do Produto
Projeto e desenvolvimento
Planejamento
Determinar os estágios do projeto e desenvolvimento
Análise crítica, verificação e validação de cada estágio
Responsabilidades e autoridades para projeto e
desenvolvimento
Gerenciar interfaces entre grupos para garantir:
Comunicação efetiva
Clareza das responsabilidades
31/51
Realização do Produto
Projeto e desenvolvimento
Entradas
Requisitos Funcionais e de desempenho
Requisitos estatutários e regulamentares
Informações de projetos similares anteriores
Outros requisitos
Saídas
Atender aos requisitos de entrada
Prover informações para aquisição, produção e fornecimento do serviço
Conter ou mencionar critérios de aceitação do produto
Definir características essenciais do produto (segurança e uso
apropriado)
32/51
Realização do Produto
Projeto e desenvolvimento
Análise Crítica
Avaliar a capacidade em atender requisitos
Identificar problemas e propor ações necessárias
Resultados devem ser registrados
Verificação
Assegurar que as saídas atendam os requisitos de entrada
Resultados devem ser registrados
Validação
Assegurar que o produto é capaz de atender os requisitos especificados
Deve ser realizada antes da entrega ou da implementação do produto
Controle das alterações
Alterações devem ser identificadas, documentadas e controladas enquanto que
os efeitos nos produtos devem ser verificados, validados e aprovados.
33/51
Realização do Produto
Aquisição
Processo de Aquisição
Assegurar a conformidade do produto adquirido
Avaliar e selecionar fornecedores com base na capacidade de fornecimento
Resultados de ações e avaliações devem ser registrados
Critérios para seleção, avaliação e reavaliação devem ser mantidos
Informações de Aquisição
Aprovação de produto, procedimento, processos e equipamentos;
Qualificação de pessoal
Sistema de Gestão de Qualidade
Verificação do Produto Adquirido
Implementar inspeções para garantir requisitos de aquisição
Verificar instalações do fornecedor
34/51
Realização do Produto
Produção e Fornecimento de Serviço
Planejar e realizar a produção e fornecimento de serviço:
Disponibilidade de informações sobre o produto
Disponibilidade de Instruções de Trabalho
Uso de equipamentos adequados
Disponibilidade e uso de dispositivos para monitoramento e medição
Implementação de medição e monitoramento
Implementação de processos de liberação, entrega e pós entrega
35/51
Realização do Produto
Produção e Fornecimento de Serviço
Validação
Validar processos onde a saída resultante não possa ser verificada por
monitoramento ou medição subseqüente.
Identificação e Rastreabilidade
Identificar o produto ao longo da sua realização
Identificar a situação de inspeção
Rastreabilidade - controlar e registrar a identificação única do produto.
Propriedade do Cliente
A organização deve ter permissão para utilizar dados do cliente para teste e
operação, hardware,...
Preservação de Produto
Deve ser pensado na proteção contra vírus, efeitos da aplicação de criptografia,
compressão e descompressão de dados,...
36/51
Realização do Produto
Controle de dispositivos de Medição e
Monitoramento
Calibrados ou verificados periodicamente ou antes do
uso
Ajustado ou reajustado quando necessário
Identificação da situação da calibração
Protegidos contra ajuste que invalidem a calibração
Protegidos contra danos e deterioração
37/51
Medição, Análise e Melhoria
Generalidades
Implementar processos de medição, análise e melhoria para:
Demonstrar a conformidade do produto
Assegurar a conformidade do SGQ
Melhorar continuamente a eficácia do SGQ
Incluir métodos (técnicas estatísticas)
Medição e Monitoramento
Satisfação do Cliente
Monitorar informações da percepção do cliente, sobre os requisitos atendidos
Determinação de métodos para obtenção e uso destas informações.
Auditoria Interna
Medição e Monitoramento de Processo
Medição e Monitoramento de Produto
38/51
Medição, Análise e Melhoria
Controle de Produto não conforme
Esses produtos devem ser identificados e controlados para evitar
seu uso ou entrega não intencional.
Ações para eliminar as não conformidades detectadas.
Autorização de uso sob concessão (autoridade ou cliente)
Tomada de ações para impedir uso.
39/51
Medição, Análise e Melhoria
Análise de Dados
Organização deve coletar e analisar dados para melhoria
do sistema sobre:
Satisfação dos clientes
Conformidade com os requisitos dos produtos
Características do processo, produto e suas tendências
Fornecedores
40/51
Medição, Análise e Melhoria
Melhorias
Melhoria Contínua
Estabelecer um processo de melhoria
Ação Corretiva
Implementação de ações corretivas
Eliminação das causas da não conformidade
Evitar a repetição das não conformidades
Ação Preventiva
Avaliação de não conformidades potenciais e suas causas
Prevenir sua ocorrência
41/51
08/10/2012
www.aticdobrasil.com.brISO 9001:2000 / ISO 90003
Pesquisa ISO 9001 até 2004
42/51
Fonte: http://www.abntcb25.com.br/cert9000.html
Pesquisa ISO 9001
Principais motivos que levaram a obtenção da
certificação:
43/51
Pesquisa ISO 9001
Principais dificuldades para obtenção da certificação:
44/51
Pesquisa ISO 9001
Avaliação do desempenho e competitividade após a
certificação:
45/51
Pesquisa ISO 9001
Principais aspectos vantajosos para a empresa com a certificação:
46/51
Pesquisa ISO 9001
Aspectos considerados para a escolha do organismo de certificação:
47/51
Pesquisa ISO 9001
Meio através do qual o sistema de gestão da
qualidade foi implantado:
48/51
Pesquisa ISO 9001
Pretensão da empresa em renovar a
certificação:
49/51
Pesquisa ISO 9001
Exportação após a certificação (para quem já exportava antes):
50/51
Referências Bibliográficas
GOMES, N. S. Qualidade de Software – Uma necessidade. UCP/PNAFM/MF
SPINOLA, M. M. ISO 9000 para Software. Textos Acadêmicos. UFLA – Universidade federal de Lavras,
Lavras, MG. 2003.
TSUKUMO, A.N.; REGO, C.M.; SALVIANO, C.F.; AZEVEDO, L.K.M.; COSTA, M.C.C.; CARVALHO,
M.B.;COLOMBO, R.M.T. Qualidade de Software: Visões de Produto e Processo de Software.
ATAQS – Área de Tecnologia para Avaliação de Qualidade de Software. Junho, 1997, Campinas,
São Paulo.
LOBO, J.E. Experiência de Avaliação de Processos e Desenvolvimento de uma Ferramenta para Apoio
Baseado na ISO/IEC TR 15504. VI Simpósio Internacional de Melhoria de Processos de Software.
São Paulo, São Paulo.
VOLPE, R.L.D.; SPINOLA, M.M.; PESSOA, M.S.P. A Gestão da Qualidade e a Gestão da Qualidade
Total - A experiência da NEC do Brasil S.A.
CAMFIELD, C.E.R.; GODOY, L.P. Análise do cenário das certificações da ISO 9000 no Brasil: um
estudo de caso em empresas da construção civil em Santa Maria – RS
CÔRTES, M.L. Modelos de Qualidade de SW, C-UNICAMP, 1998.
http://www.iso.org/iso/en/iso9000-14000/iso9000/9001supchain.html
http://www.abntcb25.com.br/cert9000.html
http://www.inmetro.gov.br
http://www.lrqa.com.br/index.asp
51/51

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O que é ISO
O que é ISOO que é ISO
O que é ISO
elliando dias
 
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
QUALIENG Consultoria, Auditoria e Treinamento
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Claudio Bernardi Stringari
 
Apresentação qualidade
Apresentação qualidadeApresentação qualidade
Apresentação qualidade
Guilmour Rossi
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Pricila Yessayan
 
Iso 9001 palestra power point
Iso  9001 palestra   power pointIso  9001 palestra   power point
Iso 9001 palestra power point
Fabiano Mesquita
 
Introdução à norma iso 9001 estrategica
Introdução à norma iso 9001   estrategicaIntrodução à norma iso 9001   estrategica
Introdução à norma iso 9001 estrategica
Meire Yumi Yamada
 
Aula de fundamentos da qualidade 1 e 2
Aula de fundamentos da qualidade   1 e 2Aula de fundamentos da qualidade   1 e 2
Aula de fundamentos da qualidade 1 e 2
Mauro Sobrenome
 
Sistemas de gestao integrados
Sistemas de gestao integradosSistemas de gestao integrados
Sistemas de gestao integrados
SERGIO DE MELLO QUEIROZ
 
Interpretação da Norma ISO 9001:2008
Interpretação da Norma ISO 9001:2008Interpretação da Norma ISO 9001:2008
Interpretação da Norma ISO 9001:2008
Jean Israel B. Feijó
 
Semana da qualidade
Semana da qualidadeSemana da qualidade
Semana da qualidade
kaueprata
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
Eduardo Cardoso
 
Apresentação qualidade 2
Apresentação qualidade 2Apresentação qualidade 2
Apresentação qualidade 2
Paulo Soares
 
Introdução a iso 9001 iso 20000 e iso 27001
Introdução a iso 9001 iso 20000 e iso 27001Introdução a iso 9001 iso 20000 e iso 27001
Introdução a iso 9001 iso 20000 e iso 27001
Fernando Palma
 
Iso9000..
Iso9000..Iso9000..
Iso9000..
rehcah
 
Gestao qualidade
Gestao qualidadeGestao qualidade
Gestao qualidade
Isabel Gil
 
ISO 9001:2015 - O que vem por aí?
ISO 9001:2015 - O que vem por aí?ISO 9001:2015 - O que vem por aí?
ISO 9001:2015 - O que vem por aí?
Q2 Management
 
Modelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidadeModelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidade
Sandra Silva
 
Aula 1 sistema de gestão integrada
Aula 1 sistema de gestão integradaAula 1 sistema de gestão integrada
Aula 1 sistema de gestão integrada
frank encarnacão
 
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da QualidadeConceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Rogério Souza
 

Mais procurados (20)

O que é ISO
O que é ISOO que é ISO
O que é ISO
 
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
 
Apresentação qualidade
Apresentação qualidadeApresentação qualidade
Apresentação qualidade
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Iso 9001 palestra power point
Iso  9001 palestra   power pointIso  9001 palestra   power point
Iso 9001 palestra power point
 
Introdução à norma iso 9001 estrategica
Introdução à norma iso 9001   estrategicaIntrodução à norma iso 9001   estrategica
Introdução à norma iso 9001 estrategica
 
Aula de fundamentos da qualidade 1 e 2
Aula de fundamentos da qualidade   1 e 2Aula de fundamentos da qualidade   1 e 2
Aula de fundamentos da qualidade 1 e 2
 
Sistemas de gestao integrados
Sistemas de gestao integradosSistemas de gestao integrados
Sistemas de gestao integrados
 
Interpretação da Norma ISO 9001:2008
Interpretação da Norma ISO 9001:2008Interpretação da Norma ISO 9001:2008
Interpretação da Norma ISO 9001:2008
 
Semana da qualidade
Semana da qualidadeSemana da qualidade
Semana da qualidade
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
 
Apresentação qualidade 2
Apresentação qualidade 2Apresentação qualidade 2
Apresentação qualidade 2
 
Introdução a iso 9001 iso 20000 e iso 27001
Introdução a iso 9001 iso 20000 e iso 27001Introdução a iso 9001 iso 20000 e iso 27001
Introdução a iso 9001 iso 20000 e iso 27001
 
Iso9000..
Iso9000..Iso9000..
Iso9000..
 
Gestao qualidade
Gestao qualidadeGestao qualidade
Gestao qualidade
 
ISO 9001:2015 - O que vem por aí?
ISO 9001:2015 - O que vem por aí?ISO 9001:2015 - O que vem por aí?
ISO 9001:2015 - O que vem por aí?
 
Modelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidadeModelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidade
 
Aula 1 sistema de gestão integrada
Aula 1 sistema de gestão integradaAula 1 sistema de gestão integrada
Aula 1 sistema de gestão integrada
 
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da QualidadeConceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
 

Destaque

ISO 22000
ISO 22000ISO 22000
ISO 22000
HenRy JaRa
 
REDUÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DE RNC´S EM UMA EMPRESA ...
REDUÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DE RNC´S EM UMA EMPRESA ...REDUÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DE RNC´S EM UMA EMPRESA ...
REDUÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DE RNC´S EM UMA EMPRESA ...
Carlos Fernando Jung
 
Iso22000
Iso22000Iso22000
Iso22000
llillianna
 
Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015
Denyse Evany Silveira Marquini
 
Metrologia 1
Metrologia 1Metrologia 1
Metrologia 1
Dirk Henning
 
Introduccion a-iso22000
Introduccion a-iso22000Introduccion a-iso22000
Introduccion a-iso22000
Eduardomeza1970
 
Acao corretiva
Acao corretivaAcao corretiva
Acao corretiva
Philipe Andrews
 
Rjv cursos
Rjv cursosRjv cursos
Rjv cursos
Richard Vasques
 
Relatório de acompanhamento de não conformidades
Relatório de acompanhamento de não conformidadesRelatório de acompanhamento de não conformidades
Relatório de acompanhamento de não conformidades
Universidade Federal Fluminense
 
Iso 22000 revisado
Iso 22000 revisadoIso 22000 revisado
Iso 22000 revisado
Helberth Tirado Hernández
 
O 5 por quês e a causa raiz
O 5 por quês e a causa raizO 5 por quês e a causa raiz
O 5 por quês e a causa raiz
Renato Cardoso
 
Framework de Inovação para Organizações Modernas - Free Model - para usar e c...
Framework de Inovação para Organizações Modernas - Free Model - para usar e c...Framework de Inovação para Organizações Modernas - Free Model - para usar e c...
Framework de Inovação para Organizações Modernas - Free Model - para usar e c...
PROF YOGUI, R
 
Redação de Não Conformidades
Redação de Não ConformidadesRedação de Não Conformidades
Redação de Não Conformidades
Templum Consultoria Online
 
Exposición ISO 22000
Exposición ISO 22000Exposición ISO 22000
Exposición ISO 22000
Santio29
 
Valle inclan (4ºB)
Valle inclan (4ºB)Valle inclan (4ºB)
Valle inclan (4ºB)
kafir14
 
Norma iso 22000
Norma iso 22000Norma iso 22000
Norma iso 22000
oscarreyesnova
 
Conceitos Não Conformidade
Conceitos Não ConformidadeConceitos Não Conformidade
Conceitos Não Conformidade
andrescaranti
 
O Mapa da Causa Raiz - A ferramenta que alia eficácia e simplicidade na soluç...
O Mapa da Causa Raiz - A ferramenta que alia eficácia e simplicidade na soluç...O Mapa da Causa Raiz - A ferramenta que alia eficácia e simplicidade na soluç...
O Mapa da Causa Raiz - A ferramenta que alia eficácia e simplicidade na soluç...
Rogério Campos Meira
 
Slides para apresentação de Investigação Causa Raiz
Slides para apresentação de Investigação Causa RaizSlides para apresentação de Investigação Causa Raiz
Slides para apresentação de Investigação Causa Raiz
RafaelBorges3
 
Valle-Inclán (4ºB)
Valle-Inclán (4ºB)Valle-Inclán (4ºB)
Valle-Inclán (4ºB)
kafir14
 

Destaque (20)

ISO 22000
ISO 22000ISO 22000
ISO 22000
 
REDUÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DE RNC´S EM UMA EMPRESA ...
REDUÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DE RNC´S EM UMA EMPRESA ...REDUÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DE RNC´S EM UMA EMPRESA ...
REDUÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DE RNC´S EM UMA EMPRESA ...
 
Iso22000
Iso22000Iso22000
Iso22000
 
Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015
 
Metrologia 1
Metrologia 1Metrologia 1
Metrologia 1
 
Introduccion a-iso22000
Introduccion a-iso22000Introduccion a-iso22000
Introduccion a-iso22000
 
Acao corretiva
Acao corretivaAcao corretiva
Acao corretiva
 
Rjv cursos
Rjv cursosRjv cursos
Rjv cursos
 
Relatório de acompanhamento de não conformidades
Relatório de acompanhamento de não conformidadesRelatório de acompanhamento de não conformidades
Relatório de acompanhamento de não conformidades
 
Iso 22000 revisado
Iso 22000 revisadoIso 22000 revisado
Iso 22000 revisado
 
O 5 por quês e a causa raiz
O 5 por quês e a causa raizO 5 por quês e a causa raiz
O 5 por quês e a causa raiz
 
Framework de Inovação para Organizações Modernas - Free Model - para usar e c...
Framework de Inovação para Organizações Modernas - Free Model - para usar e c...Framework de Inovação para Organizações Modernas - Free Model - para usar e c...
Framework de Inovação para Organizações Modernas - Free Model - para usar e c...
 
Redação de Não Conformidades
Redação de Não ConformidadesRedação de Não Conformidades
Redação de Não Conformidades
 
Exposición ISO 22000
Exposición ISO 22000Exposición ISO 22000
Exposición ISO 22000
 
Valle inclan (4ºB)
Valle inclan (4ºB)Valle inclan (4ºB)
Valle inclan (4ºB)
 
Norma iso 22000
Norma iso 22000Norma iso 22000
Norma iso 22000
 
Conceitos Não Conformidade
Conceitos Não ConformidadeConceitos Não Conformidade
Conceitos Não Conformidade
 
O Mapa da Causa Raiz - A ferramenta que alia eficácia e simplicidade na soluç...
O Mapa da Causa Raiz - A ferramenta que alia eficácia e simplicidade na soluç...O Mapa da Causa Raiz - A ferramenta que alia eficácia e simplicidade na soluç...
O Mapa da Causa Raiz - A ferramenta que alia eficácia e simplicidade na soluç...
 
Slides para apresentação de Investigação Causa Raiz
Slides para apresentação de Investigação Causa RaizSlides para apresentação de Investigação Causa Raiz
Slides para apresentação de Investigação Causa Raiz
 
Valle-Inclán (4ºB)
Valle-Inclán (4ºB)Valle-Inclán (4ºB)
Valle-Inclán (4ºB)
 

Semelhante a ISO 9001

Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
Valeria Carneiro
 
Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
Valeria Carneiro
 
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Leidiane Amaral
 
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Márcio Oliveira
 
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01-130205044752-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01-130205044752-phpapp01Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01-130205044752-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01-130205044752-phpapp01
Vanessa Cristina Dos Santos
 
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
Adriano Pereira
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
elliando dias
 
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
Copia di iso 9001   2000 - slides - cursoCopia di iso 9001   2000 - slides - curso
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
paolo grosso
 
SGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptxSGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptx
miguel498486
 
Gestão da qualidade- Me.Whellisson
Gestão da qualidade- Me.WhellissonGestão da qualidade- Me.Whellisson
Gestão da qualidade- Me.Whellisson
Whellisson Dias
 
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Cesar Gonçalves
 
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidadeCit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
sobrinhop
 
Sistemas de Qualidade em Radioterapia
Sistemas de Qualidade em RadioterapiaSistemas de Qualidade em Radioterapia
Sistemas de Qualidade em Radioterapia
Rui P Rodrigues
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
albelio
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
João Rafael Lopes
 
Normas iso de qualidade laboratório
Normas iso de qualidade   laboratórioNormas iso de qualidade   laboratório
Normas iso de qualidade laboratório
Luiz Messano
 
A iso 9001 para iniciantes formatado
A iso 9001 para iniciantes formatadoA iso 9001 para iniciantes formatado
A iso 9001 para iniciantes formatado
RB4 Consulting & Auditing
 
Modulo gestão da qualidade
Modulo   gestão da qualidadeModulo   gestão da qualidade
Modulo gestão da qualidade
Tiberio Soares
 
Gestão da Qualidade e Inovação
Gestão da Qualidade e InovaçãoGestão da Qualidade e Inovação
Gestão da Qualidade e Inovação
Sergio Pinto
 
Introdução a ISO 9001 ISO 20000 e ISO 27001
Introdução a ISO 9001 ISO 20000 e ISO 27001Introdução a ISO 9001 ISO 20000 e ISO 27001
Introdução a ISO 9001 ISO 20000 e ISO 27001
Fernando Palma
 

Semelhante a ISO 9001 (20)

Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
 
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
 
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01
 
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01-130205044752-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01-130205044752-phpapp01Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01-130205044752-phpapp01
Interpretaoiso90012008 12619284536064-phpapp01-130205044752-phpapp01
 
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
 
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
Copia di iso 9001   2000 - slides - cursoCopia di iso 9001   2000 - slides - curso
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
 
SGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptxSGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptx
 
Gestão da qualidade- Me.Whellisson
Gestão da qualidade- Me.WhellissonGestão da qualidade- Me.Whellisson
Gestão da qualidade- Me.Whellisson
 
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)
 
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidadeCit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
 
Sistemas de Qualidade em Radioterapia
Sistemas de Qualidade em RadioterapiaSistemas de Qualidade em Radioterapia
Sistemas de Qualidade em Radioterapia
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
 
Normas iso de qualidade laboratório
Normas iso de qualidade   laboratórioNormas iso de qualidade   laboratório
Normas iso de qualidade laboratório
 
A iso 9001 para iniciantes formatado
A iso 9001 para iniciantes formatadoA iso 9001 para iniciantes formatado
A iso 9001 para iniciantes formatado
 
Modulo gestão da qualidade
Modulo   gestão da qualidadeModulo   gestão da qualidade
Modulo gestão da qualidade
 
Gestão da Qualidade e Inovação
Gestão da Qualidade e InovaçãoGestão da Qualidade e Inovação
Gestão da Qualidade e Inovação
 
Introdução a ISO 9001 ISO 20000 e ISO 27001
Introdução a ISO 9001 ISO 20000 e ISO 27001Introdução a ISO 9001 ISO 20000 e ISO 27001
Introdução a ISO 9001 ISO 20000 e ISO 27001
 

ISO 9001

  • 1. em busca da certificação ! Sergio Massao Kanazava Gestão de qualidade 1/51 ISO 9001:2008
  • 2. Roteiro da Apresentação Introdução Certificação ISO 9001 Estrutura da ISO 9001 Requisitos da Norma Implantação e Auditorias do Sistema de Gestão da Qualidade Pesquisa ISO 9001 Referências Bibliográficas 2/51
  • 3. Introdução ISO Organização Internacional (não-governamental) para Normalização Fundada em 23/02/1947 Sede em Genebra, Suíça Com o propósito de desenvolver e promover normas e padrões mundiais que traduzam o consenso dos diferentes países do mundo de forma a facilitar o comércio internacional e uniformizar a qualidade. Tem mais de 130 países membros. 3/51
  • 4. 4/51 Introdução Histórico 1947: formação da ISO e início de suas atividades. Meados dos anos 70: surgimento das primeiras normas, motivadas pela baixa produtividade e qualidade na indústria européia. 1987: lançamento da primeira compilação das normas ISO 9001 e adesão da comunidade internacional. 1994: primeira revisão, com o objetivo de melhorar os requisitos e enfatizar a prevenção de ações para a garantia da qualidade. 2000: segunda revisão, detendo mais o foco no cliente e mais adequada aos princípios do TQC. 2008: terceira revisão da norma, alterações para melhorar a clareza, facilitar as traduções, melhorar a consistência com a família 9000 (principalmente a 9004), facilitar a utilização e melhorar a compatibilidade com a ISO 14001 (gestão ambiental).
  • 5. 5/51 Introdução Norma ISO 9001 ISO 9001:2008 É um padrão internacional que “especifica requisitos para um sistema gerencial de qualidade de uma organização”.
  • 6. 6/51 Certificação ISO 9001 Relação com o TQC Qualquer empresa que tenha implantado o TQC satisfará a qualquer auditoria visando a certificação pela norma ISO 9001. No entanto o inverso não é sempre verdadeiro. O fato de uma empresa estar certificada pela ISO 9001 não atrapalha um programa de TQC.
  • 7. Certificação ISO 9001 7/51 O que significa obter a certificação ISO 9001? Significa que o Sistema de Qualidade da Organização foi avaliado por uma entidade independente reconhecida por um organismo nacional de acreditação, e considerado de acordo com os requisitos da norma ISO 9001. O certificado tem validade de 3 anos. Após esse prazo ele precisa ser renovado. Além disso a cada 6 meses o sistema é auditado para verificar se ele continua a atender aos requisitos da norma. O certificado poderá não ser revalidado se a organização deixar de cumprir os requisitos.
  • 8. Certificação ISO 9001 Pode ser usada quando a organização: Necessita demonstrar sua capacidade para fornecer de forma coerente produtos que atendam aos requisitos do cliente e requisitos regulamentares aplicáveis; Aumentar a satisfação do cliente por meio da efetiva aplicação do sistema e da garantia da conformidade com os requisitos do cliente e requisitos regulamentares aplicáveis. 8/51
  • 9. Certificação ISO 9001 Pontos exigidos para conceder o certificado de qualidade Diga o que faz Defina a estrutura do sistema de gestão da qualidade, a política da qualidade apropriada aos objetivos da organização e os procedimentos para assegurar a qualidade do produto/serviço e a satisfação do cliente. Faça o que diz Trabalhe de acordo com a sua política e objetivos da qualidade estabelecidos. Mostre o que faz Mantenha registros eficientes. Verifique como está o sistema Realize auditorias internas da qualidade e tome as ações necessárias. 9/51
  • 10. Certificação ISO 9001 Benefícios da implantação Para a organização: Maior participação no mercado. Maior satisfação dos clientes. Redução de custos. Maior produtividade. Maior competitividade. Maior lucro. Para os clientes: Maior confiança nos produtos da organização. Redução de custos. Satisfação em relação aos produtos adquiridos. Melhor atendimento dos requisitos. 10/51
  • 11. Certificação ISO 9001 Riscos da implantação Excesso de burocracia Documentação e Controles excessivos Falta de conhecimento Capacitação e Treinamentos Inadequados Desperdício (tempo, recursos, dinheiro) Atividades que não agregam valor Desmotivação Não envolvimento de todos no processo de implantação 11/51
  • 12. Certificação ISO 9001 ISO 9001 e Prêmios de Qualidade A ISO 9001 deve ser considerada como requisito mínimo para um Sistema da Qualidade. Implantar a ISO 9001 não significa automaticamente ter um padrão elevado de qualidade. Depende da forma como foi implantado. Os Prêmios Nacionais de Qualidade, como por exemplo, o brasileiro (Prêmio Nacional da Qualidade - PNQ), o americano (Prêmio Malcolm Baldrige) e o japonês (Prêmio Deming) têm requisitos de avaliação muito mais exigentes do que as cláusulas da ISO9001. Organizações que têm sistema de qualidade certificado pela norma ISO 9001 têm de 30 a 50% dos pontos requeridos por esses prêmios. 12/51
  • 14. Estrutura da ISO 9001 Elementos Chave Satisfação do Cliente Atendimento, Produto, Serviço, Projeto, Produção e Entrega. Abordagem de processo Controle contínuo sobre a ligação entre os processos individuais dentro do sistema de processos, bem como sua combinação e interação. Indicadores de desempenho Análise das informações para saber se as metas e objetivos da qualidade estão sendo atingidos. Melhoria Contínua Pode ser aplicado o ciclo PDCA. 14/51
  • 15. Estrutura da ISO 9001 Formada por 8 elementos: Objetivo Referência Normativa Termos e Definições Sistema de Gestão da Qualidade Responsabilidade da Direção Gestão de Recursos Realização do produto Medição, Análise e Melhoria 15/51
  • 16. Modelo de Abordagem por Processos 16/51
  • 17. Sistema de Gestão de Qualidade Requisitos gerais Identificar os processos para o SGQ; Processos para Desenvolvimento, operação ou manutenção de Software Determinar a seqüência e interação desses processos; Modelos de ciclo de vida para desenvolvimento Planejamento da qualidade e do desenvolvimento Determinar critérios e métodos; Assegurar a disponibilidade de recursos e informação; Monitorar, medir e analisar esses processos; Implementar ações necessárias para atingir os resultados e a melhoria contínua; 17/51 90003 90003
  • 18. Sistema de Gestão de Qualidade Requisitos de documentação Manual da qualidade; Procedimentos requeridos devem ser documentados; Documentos para assegurar o planejamento, a operação e o controle de seus processos Descrições dos processos, tais como os identificados na implementação; Descrições de instruções, procedimentos e/ou templates Descrições de modelos de ciclo de vida Descrições de ferramentas, técnicas, tecnologias e métodos Tópicos técnicos (procedimentos de codificação, projeto e desenvolvimento, testes) 18/51 90003
  • 19. Sistema de Gestão de Qualidade Requisitos de documentação Controle de registros da qualidade Resultados de teste documentados; Relatórios de problemas; Requisições de mudança; Relatórios de auditorias e avaliações; Registros de revisões e inspeções; Mudanças (e o motivo); Estimativas; Como e por que ferramentas, metodologias e fornecedores; Acordos de licença de software; Atas de reuniões; Registros de liberação de software. 19/51 90003
  • 20. Responsabilidade da Direção Comprometimento da Direção Comunicação da importância do atendimento aos requisitos do cliente Estabelecimento da Política de Qualidade Estabelecimento dos Objetivos da qualidade Análise crítica Disponibilização de recursos Foco no cliente Os requisitos dos clientes são determinados e atendidos Aumentar a satisfação do cliente 20/51
  • 21. Responsabilidade da Direção Política da qualidade Apropriada ao propósito da organização Comprometimento em atender requisitos e melhoria contínua Proporciona estrutura para estabelecer e analisar os objetivos da qualidade Comunicada e entendida por toda a organização Analisada para a manutenção de sua adequação Planejamento Objetivos da Qualidade Estabelecidos nas funções e níveis pertinentes Mensuráveis e consistentes com a política da Qualidade 21/51
  • 22. Responsabilidade da Direção Planejamento Planejamento do SGQ Assegurar PLANEJAMENTO e INTEGRIDADE do SGQ Planejamento da qualidade no Nível Organizacional Definição de modelos de ciclo de vida Definição dos artefatos de desenvolvimento Definição do conteúdo dos planos de gerência de software Identificação das ferramentas e do ambiente Identificação de reuso de software 22/51 90003
  • 23. Responsabilidade da Direção Responsabilidade, Autoridade e Comunicação Responsabilidade e autoridade - definidas e comunicadas Representante da Direção Assegurar que os processos estão estabelecidos, implementados e mantidos Relatar o desempenho do SGQ Assegurar a promoção da conscientização Comunicação Interna Assegurar canais de comunicação apropriados 23/51
  • 24. Responsabilidade da Direção Análise Crítica pela Direção Generalidades: Analisar o SGQ para assegurar adequação e eficácia; Manter registros das análises. Entradas para Análise Crítica Resultados de auditorias; Realimentação do cliente; Desempenho de processo e conformidade de produto; Situação das ações preventivas; Acompanhamento das ações oriundas de análises anteriores; Mudanças que possam afetar o SGQ; Recomendações para melhoria. 24/51
  • 25. Responsabilidade da Direção Análise Crítica pela Direção Saídas da Análise Crítica Melhoria da eficácia do SGQ e de seus processos; Melhoria do produto em relação aos requisitos do cliente; Necessidade de recursos. 25/51
  • 26. Gestão de Recursos Provisão de recursos Implementar, manter e melhorar o SGQ Aumentar a satisfação do cliente Ex. pessoas, infraestrutura, ambiente de trabalho, informação, fornecedor e parceiros, recursos naturais e recursos financeiros Recursos humanos Determinar as competências necessárias para grupo da qualidade Fornecer treinamento Avaliar a eficácia das ações executadas Assegurar conscientização da importância das atividades Manter registros de treinamentos, educação, habilidade e experiência 26/51
  • 27. Gestão de Recursos Infraestrutura Edifícios, área de trabalho e instalações associadas Serviços de Apoio (transporte e comunicação) Processo, hardware e software Ferramentas (análise, projeto e desenvolvimento, gerência de configuração e de projeto,documentação, criação ou geração de código); Ferramentas para gestão do conhecimento, intranet, extranet; Ferramentas de rede, back-up, proteção, firewalls; Ferramentas para help desk e manutenção; • Ambiente de Trabalho Identificar e gerenciar as condições do ambiente de trabalho, necessárias para alcançar a conformidade com os requisitos do produto 27/51 90003
  • 28. Realização do Produto Planejamento da realização Determinar objetivos da qualidade e requisitos para o produto Estabelecimento de processos, documentação e recursos específicos Verificação, validação, monitoramento e inspeção (critérios de aceitabilidade) Manutenção de Registros evidenciando que o processo de realização e o produto atendem aos requisitos 28/51
  • 29. Realização do Produto Processos relacionados a clientes Determinação dos requisitos relacionados ao produto Requisitos especificados pelo cliente Requisitos não especificados, mas necessários para o uso especificado Requisitos estatutários e regulamentares Qualquer requisito adicional determinado pela organização Análise crítica dos requisitos Assegurar que os requisitos estão definidos Assegurar que requisitos não fornecidos por escrito foram confirmados Assegurar que diferenças entre Contrato ou pedidos foram resolvidos Assegurar que a organização é capaz de atender os requisitos 29/51
  • 30. Realização do Produto Processos relacionados a clientes Comunicação com o cliente Informações sobre o produto Consulta, contratos, manuseio de pedidos (emendas) Realimentação do Cliente (reclamações) 30/51
  • 31. Realização do Produto Projeto e desenvolvimento Planejamento Determinar os estágios do projeto e desenvolvimento Análise crítica, verificação e validação de cada estágio Responsabilidades e autoridades para projeto e desenvolvimento Gerenciar interfaces entre grupos para garantir: Comunicação efetiva Clareza das responsabilidades 31/51
  • 32. Realização do Produto Projeto e desenvolvimento Entradas Requisitos Funcionais e de desempenho Requisitos estatutários e regulamentares Informações de projetos similares anteriores Outros requisitos Saídas Atender aos requisitos de entrada Prover informações para aquisição, produção e fornecimento do serviço Conter ou mencionar critérios de aceitação do produto Definir características essenciais do produto (segurança e uso apropriado) 32/51
  • 33. Realização do Produto Projeto e desenvolvimento Análise Crítica Avaliar a capacidade em atender requisitos Identificar problemas e propor ações necessárias Resultados devem ser registrados Verificação Assegurar que as saídas atendam os requisitos de entrada Resultados devem ser registrados Validação Assegurar que o produto é capaz de atender os requisitos especificados Deve ser realizada antes da entrega ou da implementação do produto Controle das alterações Alterações devem ser identificadas, documentadas e controladas enquanto que os efeitos nos produtos devem ser verificados, validados e aprovados. 33/51
  • 34. Realização do Produto Aquisição Processo de Aquisição Assegurar a conformidade do produto adquirido Avaliar e selecionar fornecedores com base na capacidade de fornecimento Resultados de ações e avaliações devem ser registrados Critérios para seleção, avaliação e reavaliação devem ser mantidos Informações de Aquisição Aprovação de produto, procedimento, processos e equipamentos; Qualificação de pessoal Sistema de Gestão de Qualidade Verificação do Produto Adquirido Implementar inspeções para garantir requisitos de aquisição Verificar instalações do fornecedor 34/51
  • 35. Realização do Produto Produção e Fornecimento de Serviço Planejar e realizar a produção e fornecimento de serviço: Disponibilidade de informações sobre o produto Disponibilidade de Instruções de Trabalho Uso de equipamentos adequados Disponibilidade e uso de dispositivos para monitoramento e medição Implementação de medição e monitoramento Implementação de processos de liberação, entrega e pós entrega 35/51
  • 36. Realização do Produto Produção e Fornecimento de Serviço Validação Validar processos onde a saída resultante não possa ser verificada por monitoramento ou medição subseqüente. Identificação e Rastreabilidade Identificar o produto ao longo da sua realização Identificar a situação de inspeção Rastreabilidade - controlar e registrar a identificação única do produto. Propriedade do Cliente A organização deve ter permissão para utilizar dados do cliente para teste e operação, hardware,... Preservação de Produto Deve ser pensado na proteção contra vírus, efeitos da aplicação de criptografia, compressão e descompressão de dados,... 36/51
  • 37. Realização do Produto Controle de dispositivos de Medição e Monitoramento Calibrados ou verificados periodicamente ou antes do uso Ajustado ou reajustado quando necessário Identificação da situação da calibração Protegidos contra ajuste que invalidem a calibração Protegidos contra danos e deterioração 37/51
  • 38. Medição, Análise e Melhoria Generalidades Implementar processos de medição, análise e melhoria para: Demonstrar a conformidade do produto Assegurar a conformidade do SGQ Melhorar continuamente a eficácia do SGQ Incluir métodos (técnicas estatísticas) Medição e Monitoramento Satisfação do Cliente Monitorar informações da percepção do cliente, sobre os requisitos atendidos Determinação de métodos para obtenção e uso destas informações. Auditoria Interna Medição e Monitoramento de Processo Medição e Monitoramento de Produto 38/51
  • 39. Medição, Análise e Melhoria Controle de Produto não conforme Esses produtos devem ser identificados e controlados para evitar seu uso ou entrega não intencional. Ações para eliminar as não conformidades detectadas. Autorização de uso sob concessão (autoridade ou cliente) Tomada de ações para impedir uso. 39/51
  • 40. Medição, Análise e Melhoria Análise de Dados Organização deve coletar e analisar dados para melhoria do sistema sobre: Satisfação dos clientes Conformidade com os requisitos dos produtos Características do processo, produto e suas tendências Fornecedores 40/51
  • 41. Medição, Análise e Melhoria Melhorias Melhoria Contínua Estabelecer um processo de melhoria Ação Corretiva Implementação de ações corretivas Eliminação das causas da não conformidade Evitar a repetição das não conformidades Ação Preventiva Avaliação de não conformidades potenciais e suas causas Prevenir sua ocorrência 41/51
  • 42. 08/10/2012 www.aticdobrasil.com.brISO 9001:2000 / ISO 90003 Pesquisa ISO 9001 até 2004 42/51 Fonte: http://www.abntcb25.com.br/cert9000.html
  • 43. Pesquisa ISO 9001 Principais motivos que levaram a obtenção da certificação: 43/51
  • 44. Pesquisa ISO 9001 Principais dificuldades para obtenção da certificação: 44/51
  • 45. Pesquisa ISO 9001 Avaliação do desempenho e competitividade após a certificação: 45/51
  • 46. Pesquisa ISO 9001 Principais aspectos vantajosos para a empresa com a certificação: 46/51
  • 47. Pesquisa ISO 9001 Aspectos considerados para a escolha do organismo de certificação: 47/51
  • 48. Pesquisa ISO 9001 Meio através do qual o sistema de gestão da qualidade foi implantado: 48/51
  • 49. Pesquisa ISO 9001 Pretensão da empresa em renovar a certificação: 49/51
  • 50. Pesquisa ISO 9001 Exportação após a certificação (para quem já exportava antes): 50/51
  • 51. Referências Bibliográficas GOMES, N. S. Qualidade de Software – Uma necessidade. UCP/PNAFM/MF SPINOLA, M. M. ISO 9000 para Software. Textos Acadêmicos. UFLA – Universidade federal de Lavras, Lavras, MG. 2003. TSUKUMO, A.N.; REGO, C.M.; SALVIANO, C.F.; AZEVEDO, L.K.M.; COSTA, M.C.C.; CARVALHO, M.B.;COLOMBO, R.M.T. Qualidade de Software: Visões de Produto e Processo de Software. ATAQS – Área de Tecnologia para Avaliação de Qualidade de Software. Junho, 1997, Campinas, São Paulo. LOBO, J.E. Experiência de Avaliação de Processos e Desenvolvimento de uma Ferramenta para Apoio Baseado na ISO/IEC TR 15504. VI Simpósio Internacional de Melhoria de Processos de Software. São Paulo, São Paulo. VOLPE, R.L.D.; SPINOLA, M.M.; PESSOA, M.S.P. A Gestão da Qualidade e a Gestão da Qualidade Total - A experiência da NEC do Brasil S.A. CAMFIELD, C.E.R.; GODOY, L.P. Análise do cenário das certificações da ISO 9000 no Brasil: um estudo de caso em empresas da construção civil em Santa Maria – RS CÔRTES, M.L. Modelos de Qualidade de SW, C-UNICAMP, 1998. http://www.iso.org/iso/en/iso9000-14000/iso9000/9001supchain.html http://www.abntcb25.com.br/cert9000.html http://www.inmetro.gov.br http://www.lrqa.com.br/index.asp 51/51