SlideShare uma empresa Scribd logo
MOP - Modelo Operacional Parceiros
COMPETÊNCIAS E INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL
“COMPETÊNCIAS E INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL”

                                APRESENTAÇÃO
                       DEFINITIVAMENTE, UNIPESSOAL LDA.

A Definitivamente, Unipessoal Lda. nasceu com o propósito, de querer ser a empresa de
serviços que mais impulsiona a Certificação das empresas Portuguesas na norma NP EN
ISO 9001:2008 contribuindo por isso, para a melhoria organizacional.

Política da Qualidade:
- Planear e Identificar com precisão os requisitos exigidos e esperados pelo Cliente.
- Fornecer os produtos e serviços contratados com a total satisfação dos Clientes.
- Obtenção da eficácia em todas as actividades e melhorar continuamente os processos
empresariais e as soluções encontradas.
APRESENTAÇÃO
                 DEFINITIVAMENTE, UNIPESSOAL LDA.

VISÃO
Ser a melhor Empresa de Serviços de Consultoria, reconhecida como Inovadora, Ética
e de Confiança, pretendendo proporcionar ao mercado, produtos e serviços de
Excelência obtidos pela sinergia entre as empresas


MISSÃO
Promover     adequadas   soluções    de   Gestão     Organizacional   e   Tecnológica,
correspondendo integralmente aos requisitos e necessidades das empresas PME`s
suas clientes.
Curriculum Paulo Machado Fernandes

•10 Anos como Director Comercial e de Marketing em Empresa de
 Tecnologia de Software. (1993-2003)
•6 Anos como Director da Gestão da Qualidade. (2003-2009)
•4 Anos como Responsável de Internacionalização Ibérica de
 Tecnologia ERP (Madrid e Barcelona).(2005-2009)
•Licenciado em Gestão de Marketing.
•Mestrando em Marketing de Serviços. (2011)
•Formação Auditor Coordenador IRCA (Líder) NP EN ISO 9001:2008
MODELO DE COLABORAÇÃO
                Criar e captar valor!


                            OPÇÃO 1
                            Inovação
                            Organizacional
Parceiro
                            ou
   +
                            OPÇÃO 2
           Cliente          Certificação
OPÇÃO 1
“Considerando que tudo na empresa é serviços.”
Proporciona-se organização interna documentada
   1º Passo para a Certificação da Qualidade
ESTRUTURA DE IMPLEMENTAÇÃO – Opção 1

    ETAPA 1           Reunião com Parceiro para dimensionar projecto e
 Planeamento          Definição dos Objectivos do Projecto

                      Análise Interna, Planeamento e Calendarização


    ETAPA 2           Reuniões de Trabalho com Departamentos.
 Levantamento
                      Apresentações de Sensibilização com Marketing Serviços.


    ETAPA 3           Controlo de Documentos e Automatização de Processos.
Implementação e
                      Controlo dos Registos (Modelos, Listagens e Relatórios)
 Documentação
                      Controlo de objectivos e análise de risco



    ETAPA 4           Avaliação de Satisfação de Clientes
Acompanhamento
                      Manual de Procedimentos e Relatório de controlo da
                      eficácia.
ESTRUTURA DE IMPLEMENTAÇÃO
                           DA OPÇÃO 1
                     INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL
                       Procedimentos
                                            Manual de
     Início            Operacionais e
                      Plano de controlo   Procedimentos
                        de objectivos.


                                          Controlo de
  Controlo de                             desempenho
                      Automatização de
documentos e de                           operacional e
                         Processos
   Registos.                               eficácia dos
                                           processos.



  Processo de             Processo
                                               Fim
    Clientes             Financeiro
OPÇÃO 2
Objectivo: Certificação APCER
   NP EN ISO 9001:2008
ESTRUTURA DE IMPLEMENTAÇÃO – Opção 2
    ETAPA 1                 Definição dos Objectivos do Projecto
 Planeamento
                            Análise Interna, Planeamento e Calendarização

    ETAPA 2                 Reuniões de Trabalho com Departamentos.
 Levantamento
                            Reuniões de Sensibilização á Qualidade com MKT de Serviços

    ETAPA 3                 Descrição de Procedimentos e Instruções
 Documentação
                            Levantamento de Registos (Modelos, Relatórios)


    ETAPA 4                 Controlo e Melhorias ao Sistema Implementado
Acompanhamento
                            Formação Interna e Avaliação de Satisfação

    ETAPA 5                 Auditorias, Planos de Acção melhoria e Eficácia.
  Concessão á
 Certificação do            Apoio na Auditoria Prévia e na de Concessão.
       SGQ
ETAPA 1                        Definição dos Objectivos do Projecto
    Planeamento
                                      Análise Interna, Planeamento e Calendarização



Nomeação do Representante da Gestão da Qualidade e Definição de Objectivos da Qualidade.

Comprometimento da Gestão e Política da Qualidade

Exclusões Permitidas aplicadas e âmbito do sistema da gestão da qualidade.

Identificação e Mapeamento dos Processos da Organização: Processos Chave e de Suporte.

Elaboração do Plano de Controlo das Medidas de Desempenho e Indicadores da Gestão

Gestão de Recursos necessários para Focalização no cliente.

Plano de trabalhos segundo a norma NP EN ISO 9001:2008.

Planeamento/Controlo do SGQ e estabelecimento dos objectivos da Qualidade.
ETAPA 2                       Reuniões de Trabalho com Departamentos.
   Levantamento
                                    Apresentações de Sensibilização á Qualidade



Reuniões com os colaboradores e chefias de departamento para levantamento de dados.

Sessões de sensibilização e comunicação com os colaboradores

Ponto de Situação dos trabalhos quando necessário.

Apresentação do plano de implementação.

Conclusão da Fase de Diagnóstico, revisão do controlo

Formação aos Colaboradores – Visão Geral da norma NP EN ISO 9001:2008

Resultados do Diagnóstico e estrutura da documentação a adoptar.

Apresentação dos Resultados alcançados.
ETAPA 3                        Descrição de Manual da Qualidade e Procedimentos
   Documentação
                                     Levantamento de Registos (Modelos, Relatórios)



Documentação do Sistema: Estrutura do Manual da Qualidade.

Procedimentos Operacionais, Procedimentos Documentados Instruções de Trabalho e Modelos.

Especificações, planos, listagens, documentação externa e Registos.

Documentos: Preparação e alteração, aprovação, revisão e edição, distribuição e remoção.

Documentos: Arquivo, Controlo de cópias, destruição documentação e períodos de conservação

Identificação da Infra-estrutura tecnológica utilizada, para dar suporte ao SGQ

Modelo de aplicação dos meios informáticos para agilizar os Processos do SGQ.

Propostas de melhorias dos processos da empresa de forma a enquadrá-lo na norma ISO.
ETAPA 4                         Controlo e Melhorias ao Sistema Implementado
 Acompanhamento
                                     Formação Interna em Auditoria e Avaliação de Satisfação



Acompanhamento da implementação do SGQ, com reuniões mensais.

Validação da documentação para verificação da sua conformidade com a norma.

Identificação de Indicadores das medidas de desempenho dos processos chave e de suporte.

Identificação dos inputs e outputs dos Macro processos.

Definição de Responsabilidades e Autoridades.

Preparação do plano de formação e conteúdo das respectivas acções.

Realização das acções de formação, avaliação e avaliação da eficácia.

Entradas para a Revisão ao SGQ pela Gestão.
ETAPA 5                        Auditorias, Planos de Acção melhoria e Eficácia.
    Concessão á
   Certificação do                   Apoio na Auditoria Prévia e na de Concessão.
         SGQ



Registos mínimos de três meses até á Auditoria Prévia.

Definição do Programa Anual de Auditorias e Lista de Auditores Internos

Execução de Auditorias Internas, planos de Acção, implementação de melhorias e aval. Eficácia.

Análise de dados.

Solicitação de processo de candidaturas e regulamentos á Entidade Certificadora.

Colaboração no processo de candidatura e envio á entidade Certificadora

Colaboração na visita prévia da Entidade Certificadora e nas melhorias com vista a Concessão.

Colaboração na Auditoria de Concessão á Certificação pela Entidade Certificadora.

Apoio na construção do Plano de Acção de Melhoria após Relatório da Auditoria de Concessão
CONDIÇÕES FINANCEIRAS
CONDIÇÕES FINANCEIRAS
            Mero exemplo opção 1
          (empresa com 20 colaboradores e 1 local)


Etapas           Nº horas                        Valor s/IVA

Etapa 1          20 horas

Etapa 2         40 horas

Etapa 3         80 horas

Etapa 4         50 horas

Total:          190 horas
CONDIÇÕES FINANCEIRAS
                   Mero exemplo opção 2
               (empresa com 50 colaboradores e 2 locais
          Com contrato com entidade certificadora não incluído)


Etapas                  Nº horas                        Valor s/IVA

Etapa 1                 60 horas

Etapa 2                120 horas

Etapa 3                300 horas

Etapa 4                120 horas

Etapa 5                 90 horas

Total:                 690 horas
CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO



Condições de pagamento:
OPÇÃO 1
   –   15 % em cada um dos primeiros cinco meses desde o início dos trabalhos
   –   25 % com a entrega do Relatório de Controlo da Eficácia.
OPÇÃO 2
   –   5 % em cada um dos primeiros dezassete meses desde o início dos trabalhos
   –   15 % com a certificação.


Margem para parceiro:
OPÇÃO 1 e 2 – ( Facturação efectuada pelo parceiro ou pela Definitivamente, Unipessoal Lda.
   –   25 % sobre o valor contratual.
CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO




Termo de Responsabilidade e Confidencialidade:
   – Todos os Colaboradores da Definitivamente, Unipessoal Lda. são obrigados a manter absoluto sigilo profissional
     sobre todos os assuntos tratados com os Clientes . A informação fornecida pelos clientes constitui matéria
     confidencial, devendo como tal apenas ser tratada como elemento de trabalho, não devendo sobre a mesma ser
     feito qualquer comentário ou utilização indevida, dentro ou fora da empresa. Não se pode usar como objecto de
     conversa qualquer assunto ou dado relacionado com qualquer Cliente, a não ser na esfera profissional e quando
     tal se justifique.
Modelo Operacional de Parceiros

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
José Alberto Bezerra da Silva
 
Não Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Não Conformidade, Ação Corretiva e PreventivaNão Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Não Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Templum Consultoria Online
 
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
Amanda Fraga
 
Cronograma de Atividades para Implantação do QSB
Cronograma de Atividades para Implantação do QSBCronograma de Atividades para Implantação do QSB
Cronograma de Atividades para Implantação do QSB
Rogério Souza
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
Valeria Carneiro
 
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Cesar Gonçalves
 
Rjv cursos
Rjv cursosRjv cursos
Rjv cursos
Richard Vasques
 
Check list 9001 adq
Check list 9001 adqCheck list 9001 adq
Check list 9001 adq
Adqualiti Treinamento
 
Formação de Auditores Internos
Formação de Auditores InternosFormação de Auditores Internos
Formação de Auditores Internos
Rogério Souza
 
Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
Valeria Carneiro
 
Cronograma de atividades da gestão da qualidade
Cronograma de atividades da gestão da qualidadeCronograma de atividades da gestão da qualidade
Cronograma de atividades da gestão da qualidade
Ythia Karla
 
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
Copia di iso 9001   2000 - slides - cursoCopia di iso 9001   2000 - slides - curso
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
paolo grosso
 
G9 check list para ai da iso 9001 2000 - generico
G9   check list para ai da  iso 9001 2000 - genericoG9   check list para ai da  iso 9001 2000 - generico
G9 check list para ai da iso 9001 2000 - generico
Ana Paula Valente Da Silva
 
Gestão da qualidade e ambiental
Gestão da qualidade e ambientalGestão da qualidade e ambiental
Gestão da qualidade e ambiental
Sérgio Rocha
 
Evolução da qualidade
Evolução da qualidadeEvolução da qualidade
Evolução da qualidade
Bruno Lagarto
 
Entendendo a iso 9001 aula 08
Entendendo a iso 9001   aula 08Entendendo a iso 9001   aula 08
Entendendo a iso 9001 aula 08
Rodrigues Bomfim
 
Apoio á qualidade
Apoio á qualidadeApoio á qualidade
Apoio á qualidade
Bruno Lagarto
 
Check list auditoria
Check list auditoriaCheck list auditoria
Check list auditoria
Ana Paula Valente Da Silva
 
Check list para auditoria interna
Check list para auditoria internaCheck list para auditoria interna
Check list para auditoria interna
Miguel
 
Modelo De Gestao Por Processos Anatel
Modelo De Gestao Por Processos AnatelModelo De Gestao Por Processos Anatel
Modelo De Gestao Por Processos Anatel
Eduardo Rocha
 

Mais procurados (20)

Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
Não Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Não Conformidade, Ação Corretiva e PreventivaNão Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Não Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
 
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
 
Cronograma de Atividades para Implantação do QSB
Cronograma de Atividades para Implantação do QSBCronograma de Atividades para Implantação do QSB
Cronograma de Atividades para Implantação do QSB
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)
 
Rjv cursos
Rjv cursosRjv cursos
Rjv cursos
 
Check list 9001 adq
Check list 9001 adqCheck list 9001 adq
Check list 9001 adq
 
Formação de Auditores Internos
Formação de Auditores InternosFormação de Auditores Internos
Formação de Auditores Internos
 
Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
 
Cronograma de atividades da gestão da qualidade
Cronograma de atividades da gestão da qualidadeCronograma de atividades da gestão da qualidade
Cronograma de atividades da gestão da qualidade
 
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
Copia di iso 9001   2000 - slides - cursoCopia di iso 9001   2000 - slides - curso
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
 
G9 check list para ai da iso 9001 2000 - generico
G9   check list para ai da  iso 9001 2000 - genericoG9   check list para ai da  iso 9001 2000 - generico
G9 check list para ai da iso 9001 2000 - generico
 
Gestão da qualidade e ambiental
Gestão da qualidade e ambientalGestão da qualidade e ambiental
Gestão da qualidade e ambiental
 
Evolução da qualidade
Evolução da qualidadeEvolução da qualidade
Evolução da qualidade
 
Entendendo a iso 9001 aula 08
Entendendo a iso 9001   aula 08Entendendo a iso 9001   aula 08
Entendendo a iso 9001 aula 08
 
Apoio á qualidade
Apoio á qualidadeApoio á qualidade
Apoio á qualidade
 
Check list auditoria
Check list auditoriaCheck list auditoria
Check list auditoria
 
Check list para auditoria interna
Check list para auditoria internaCheck list para auditoria interna
Check list para auditoria interna
 
Modelo De Gestao Por Processos Anatel
Modelo De Gestao Por Processos AnatelModelo De Gestao Por Processos Anatel
Modelo De Gestao Por Processos Anatel
 

Semelhante a Modelo Operacional de Parceiros

Treinamento gestao processo
Treinamento gestao processoTreinamento gestao processo
Treinamento gestao processo
Josivan Rodrigues
 
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para ManufaturaISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
Rogério Souza
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
João Rafael Lopes
 
Solução de EQMS
Solução de EQMSSolução de EQMS
Solução de EQMS
Paulo Henrique Pinhão
 
Um novo olhar sobre a Gestão da Rotina: Ative a melhoria contínua na visão de...
Um novo olhar sobre a Gestão da Rotina: Ative a melhoria contínua na visão de...Um novo olhar sobre a Gestão da Rotina: Ative a melhoria contínua na visão de...
Um novo olhar sobre a Gestão da Rotina: Ative a melhoria contínua na visão de...
EloGroup
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
elliando dias
 
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Ujihara, Hélio M
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
Beto Briscese
 
Cap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.pptCap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.ppt
DanielCosta900514
 
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemploPlano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Rudileine Fonseca
 
Portfolio de treinamentos
Portfolio de treinamentosPortfolio de treinamentos
Portfolio de treinamentos
Mariah Souto Seguranca do Trabalho
 
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemploPlano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Rudileine Fonseca
 
Matriz ISO 9001:2015 x Documentação Guia PMBOK 5th - QualiStatus
Matriz ISO 9001:2015 x Documentação Guia PMBOK 5th - QualiStatusMatriz ISO 9001:2015 x Documentação Guia PMBOK 5th - QualiStatus
Matriz ISO 9001:2015 x Documentação Guia PMBOK 5th - QualiStatus
Marangoni, Paulo Cesar
 
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptxVisao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Antônio Lino
 
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Alisson Sena, MBA
 
Abnt iso9001
Abnt iso9001Abnt iso9001
Abnt iso9001
Giovani-Rosa
 
ISO9001
ISO9001ISO9001
Revisão geral ISO 9001
Revisão geral ISO 9001Revisão geral ISO 9001
Revisão geral ISO 9001
Rogério Souza
 
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
EloGroup
 
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
EloGroup
 

Semelhante a Modelo Operacional de Parceiros (20)

Treinamento gestao processo
Treinamento gestao processoTreinamento gestao processo
Treinamento gestao processo
 
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para ManufaturaISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
 
Solução de EQMS
Solução de EQMSSolução de EQMS
Solução de EQMS
 
Um novo olhar sobre a Gestão da Rotina: Ative a melhoria contínua na visão de...
Um novo olhar sobre a Gestão da Rotina: Ative a melhoria contínua na visão de...Um novo olhar sobre a Gestão da Rotina: Ative a melhoria contínua na visão de...
Um novo olhar sobre a Gestão da Rotina: Ative a melhoria contínua na visão de...
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
 
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
Cap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.pptCap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.ppt
 
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemploPlano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
 
Portfolio de treinamentos
Portfolio de treinamentosPortfolio de treinamentos
Portfolio de treinamentos
 
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemploPlano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadev exemplo
 
Matriz ISO 9001:2015 x Documentação Guia PMBOK 5th - QualiStatus
Matriz ISO 9001:2015 x Documentação Guia PMBOK 5th - QualiStatusMatriz ISO 9001:2015 x Documentação Guia PMBOK 5th - QualiStatus
Matriz ISO 9001:2015 x Documentação Guia PMBOK 5th - QualiStatus
 
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptxVisao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
 
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
 
Abnt iso9001
Abnt iso9001Abnt iso9001
Abnt iso9001
 
ISO9001
ISO9001ISO9001
ISO9001
 
Revisão geral ISO 9001
Revisão geral ISO 9001Revisão geral ISO 9001
Revisão geral ISO 9001
 
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
 
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
 

Mais de CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS

Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedorasFormaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Profissional de vendas - funções e competências
Profissional de vendas - funções e competênciasProfissional de vendas - funções e competências
Profissional de vendas - funções e competências
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv_Formador_Angola
Cv_Formador_AngolaCv_Formador_Angola
Debate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em MafraDebate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em Mafra
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial EmpreendedorFolhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced ScorecardPrograma Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced Scorecard
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processosPrograma formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresasPrograma formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciemCv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Ciem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . PonenciaCiem 2012 . Ponencia
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 

Mais de CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS (20)

Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018
 
Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.
 
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedorasFormaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
 
Profissional de vendas - funções e competências
Profissional de vendas - funções e competênciasProfissional de vendas - funções e competências
Profissional de vendas - funções e competências
 
Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012
 
Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT
 
Cv_Formador_Angola
Cv_Formador_AngolaCv_Formador_Angola
Cv_Formador_Angola
 
Debate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em MafraDebate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em Mafra
 
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
 
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial EmpreendedorFolhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
 
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
 
Programa Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced ScorecardPrograma Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced Scorecard
 
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processosPrograma formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
 
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresasPrograma formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
 
Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012
 
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciemCv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
 
Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012
 
Ciem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . PonenciaCiem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . Ponencia
 
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
 

Modelo Operacional de Parceiros

  • 1. MOP - Modelo Operacional Parceiros COMPETÊNCIAS E INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL
  • 2. “COMPETÊNCIAS E INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL” APRESENTAÇÃO DEFINITIVAMENTE, UNIPESSOAL LDA. A Definitivamente, Unipessoal Lda. nasceu com o propósito, de querer ser a empresa de serviços que mais impulsiona a Certificação das empresas Portuguesas na norma NP EN ISO 9001:2008 contribuindo por isso, para a melhoria organizacional. Política da Qualidade: - Planear e Identificar com precisão os requisitos exigidos e esperados pelo Cliente. - Fornecer os produtos e serviços contratados com a total satisfação dos Clientes. - Obtenção da eficácia em todas as actividades e melhorar continuamente os processos empresariais e as soluções encontradas.
  • 3. APRESENTAÇÃO DEFINITIVAMENTE, UNIPESSOAL LDA. VISÃO Ser a melhor Empresa de Serviços de Consultoria, reconhecida como Inovadora, Ética e de Confiança, pretendendo proporcionar ao mercado, produtos e serviços de Excelência obtidos pela sinergia entre as empresas MISSÃO Promover adequadas soluções de Gestão Organizacional e Tecnológica, correspondendo integralmente aos requisitos e necessidades das empresas PME`s suas clientes.
  • 4. Curriculum Paulo Machado Fernandes •10 Anos como Director Comercial e de Marketing em Empresa de Tecnologia de Software. (1993-2003) •6 Anos como Director da Gestão da Qualidade. (2003-2009) •4 Anos como Responsável de Internacionalização Ibérica de Tecnologia ERP (Madrid e Barcelona).(2005-2009) •Licenciado em Gestão de Marketing. •Mestrando em Marketing de Serviços. (2011) •Formação Auditor Coordenador IRCA (Líder) NP EN ISO 9001:2008
  • 5. MODELO DE COLABORAÇÃO Criar e captar valor! OPÇÃO 1 Inovação Organizacional Parceiro ou + OPÇÃO 2 Cliente Certificação
  • 6. OPÇÃO 1 “Considerando que tudo na empresa é serviços.” Proporciona-se organização interna documentada 1º Passo para a Certificação da Qualidade
  • 7. ESTRUTURA DE IMPLEMENTAÇÃO – Opção 1 ETAPA 1 Reunião com Parceiro para dimensionar projecto e Planeamento Definição dos Objectivos do Projecto Análise Interna, Planeamento e Calendarização ETAPA 2 Reuniões de Trabalho com Departamentos. Levantamento Apresentações de Sensibilização com Marketing Serviços. ETAPA 3 Controlo de Documentos e Automatização de Processos. Implementação e Controlo dos Registos (Modelos, Listagens e Relatórios) Documentação Controlo de objectivos e análise de risco ETAPA 4 Avaliação de Satisfação de Clientes Acompanhamento Manual de Procedimentos e Relatório de controlo da eficácia.
  • 8. ESTRUTURA DE IMPLEMENTAÇÃO DA OPÇÃO 1 INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL Procedimentos Manual de Início Operacionais e Plano de controlo Procedimentos de objectivos. Controlo de Controlo de desempenho Automatização de documentos e de operacional e Processos Registos. eficácia dos processos. Processo de Processo Fim Clientes Financeiro
  • 9. OPÇÃO 2 Objectivo: Certificação APCER NP EN ISO 9001:2008
  • 10. ESTRUTURA DE IMPLEMENTAÇÃO – Opção 2 ETAPA 1 Definição dos Objectivos do Projecto Planeamento Análise Interna, Planeamento e Calendarização ETAPA 2 Reuniões de Trabalho com Departamentos. Levantamento Reuniões de Sensibilização á Qualidade com MKT de Serviços ETAPA 3 Descrição de Procedimentos e Instruções Documentação Levantamento de Registos (Modelos, Relatórios) ETAPA 4 Controlo e Melhorias ao Sistema Implementado Acompanhamento Formação Interna e Avaliação de Satisfação ETAPA 5 Auditorias, Planos de Acção melhoria e Eficácia. Concessão á Certificação do Apoio na Auditoria Prévia e na de Concessão. SGQ
  • 11. ETAPA 1 Definição dos Objectivos do Projecto Planeamento Análise Interna, Planeamento e Calendarização Nomeação do Representante da Gestão da Qualidade e Definição de Objectivos da Qualidade. Comprometimento da Gestão e Política da Qualidade Exclusões Permitidas aplicadas e âmbito do sistema da gestão da qualidade. Identificação e Mapeamento dos Processos da Organização: Processos Chave e de Suporte. Elaboração do Plano de Controlo das Medidas de Desempenho e Indicadores da Gestão Gestão de Recursos necessários para Focalização no cliente. Plano de trabalhos segundo a norma NP EN ISO 9001:2008. Planeamento/Controlo do SGQ e estabelecimento dos objectivos da Qualidade.
  • 12. ETAPA 2 Reuniões de Trabalho com Departamentos. Levantamento Apresentações de Sensibilização á Qualidade Reuniões com os colaboradores e chefias de departamento para levantamento de dados. Sessões de sensibilização e comunicação com os colaboradores Ponto de Situação dos trabalhos quando necessário. Apresentação do plano de implementação. Conclusão da Fase de Diagnóstico, revisão do controlo Formação aos Colaboradores – Visão Geral da norma NP EN ISO 9001:2008 Resultados do Diagnóstico e estrutura da documentação a adoptar. Apresentação dos Resultados alcançados.
  • 13. ETAPA 3 Descrição de Manual da Qualidade e Procedimentos Documentação Levantamento de Registos (Modelos, Relatórios) Documentação do Sistema: Estrutura do Manual da Qualidade. Procedimentos Operacionais, Procedimentos Documentados Instruções de Trabalho e Modelos. Especificações, planos, listagens, documentação externa e Registos. Documentos: Preparação e alteração, aprovação, revisão e edição, distribuição e remoção. Documentos: Arquivo, Controlo de cópias, destruição documentação e períodos de conservação Identificação da Infra-estrutura tecnológica utilizada, para dar suporte ao SGQ Modelo de aplicação dos meios informáticos para agilizar os Processos do SGQ. Propostas de melhorias dos processos da empresa de forma a enquadrá-lo na norma ISO.
  • 14. ETAPA 4 Controlo e Melhorias ao Sistema Implementado Acompanhamento Formação Interna em Auditoria e Avaliação de Satisfação Acompanhamento da implementação do SGQ, com reuniões mensais. Validação da documentação para verificação da sua conformidade com a norma. Identificação de Indicadores das medidas de desempenho dos processos chave e de suporte. Identificação dos inputs e outputs dos Macro processos. Definição de Responsabilidades e Autoridades. Preparação do plano de formação e conteúdo das respectivas acções. Realização das acções de formação, avaliação e avaliação da eficácia. Entradas para a Revisão ao SGQ pela Gestão.
  • 15. ETAPA 5 Auditorias, Planos de Acção melhoria e Eficácia. Concessão á Certificação do Apoio na Auditoria Prévia e na de Concessão. SGQ Registos mínimos de três meses até á Auditoria Prévia. Definição do Programa Anual de Auditorias e Lista de Auditores Internos Execução de Auditorias Internas, planos de Acção, implementação de melhorias e aval. Eficácia. Análise de dados. Solicitação de processo de candidaturas e regulamentos á Entidade Certificadora. Colaboração no processo de candidatura e envio á entidade Certificadora Colaboração na visita prévia da Entidade Certificadora e nas melhorias com vista a Concessão. Colaboração na Auditoria de Concessão á Certificação pela Entidade Certificadora. Apoio na construção do Plano de Acção de Melhoria após Relatório da Auditoria de Concessão
  • 17. CONDIÇÕES FINANCEIRAS Mero exemplo opção 1 (empresa com 20 colaboradores e 1 local) Etapas Nº horas Valor s/IVA Etapa 1 20 horas Etapa 2 40 horas Etapa 3 80 horas Etapa 4 50 horas Total: 190 horas
  • 18. CONDIÇÕES FINANCEIRAS Mero exemplo opção 2 (empresa com 50 colaboradores e 2 locais Com contrato com entidade certificadora não incluído) Etapas Nº horas Valor s/IVA Etapa 1 60 horas Etapa 2 120 horas Etapa 3 300 horas Etapa 4 120 horas Etapa 5 90 horas Total: 690 horas
  • 19. CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO Condições de pagamento: OPÇÃO 1 – 15 % em cada um dos primeiros cinco meses desde o início dos trabalhos – 25 % com a entrega do Relatório de Controlo da Eficácia. OPÇÃO 2 – 5 % em cada um dos primeiros dezassete meses desde o início dos trabalhos – 15 % com a certificação. Margem para parceiro: OPÇÃO 1 e 2 – ( Facturação efectuada pelo parceiro ou pela Definitivamente, Unipessoal Lda. – 25 % sobre o valor contratual.
  • 20. CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO Termo de Responsabilidade e Confidencialidade: – Todos os Colaboradores da Definitivamente, Unipessoal Lda. são obrigados a manter absoluto sigilo profissional sobre todos os assuntos tratados com os Clientes . A informação fornecida pelos clientes constitui matéria confidencial, devendo como tal apenas ser tratada como elemento de trabalho, não devendo sobre a mesma ser feito qualquer comentário ou utilização indevida, dentro ou fora da empresa. Não se pode usar como objecto de conversa qualquer assunto ou dado relacionado com qualquer Cliente, a não ser na esfera profissional e quando tal se justifique.