SlideShare uma empresa Scribd logo
26-02-2014

MÓDULO - 0387
Profissional de vendas - funções e competências
DIA 1

26-02-2014

1

Profissional de vendas funções e competências
Ação 13116
DIA 1

26-02-2014

2

1
26-02-2014

APRESENTAÇÕES
E
EXPECTATIVAS

26-02-2014

3

PLANEAMENTO
DO
MÓDULO DA FORMAÇÃO

26-02-2014

4

2
26-02-2014

26-02-2014

5

PROGRAMA
DA
FORMAÇÃO

26-02-2014

6

3
26-02-2014

PROGRAMA DA FORMAÇÃO

26-02-2014

7

OBJECTIVOS
DA FORMAÇÃO

26-02-2014

8

4

Recomendado para você

Aula 2 tipos de varejo e atacado
Aula 2  tipos de varejo e atacadoAula 2  tipos de varejo e atacado
Aula 2 tipos de varejo e atacado

O documento discute os tipos de varejo e os serviços prestados pelos atacadistas aos varejistas, incluindo desenvolvimento de novos produtos, controle de estoque, planejamento de merchandising, sugestões de preços, modernização das lojas e treinamento de equipes.

Planograma
PlanogramaPlanograma
Planograma

O documento apresenta um planograma para a exposição de produtos de uma empresa, dividido em três canais principais (Farma, Especializado e Alimentar). É detalhada a metodologia de disposição dos produtos por categoria, zona da loja e sequência, visando maximizar as vendas segundo fatores como fluxo de consumidores e necessidades do shopper.

Briefing
BriefingBriefing
Briefing

Este documento fornece informações sobre o conceito e importância de briefings. Ele explica que um briefing é um resumo de informações essenciais sobre um projeto e deve fornecer detalhes sobre objetivos, público-alvo e referências para a criação. Um briefing bem elaborado é fundamental para orientar o trabalho criativo de forma eficaz.

modelopublicidadeatendimento
26-02-2014

OBJETIVOS GERAIS
•Identificar tendências da comunicação com o cliente.
•Relacionar os avanços tecnológicos com as opções de gestão.

•Reconhecer a importância do Marketing.

26-02-2014

9

OBJECTIVOS
ESPECÍFICOS

26-02-2014

10

5
26-02-2014

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS

No fim da formação os formandos deverão ser capazes de:

•Interpretar o papel e as funções do vendedor.
•Identificar os diferentes “tipos” de comunicação com o cliente.

26-02-2014

11

COMPETÊNCIAS

26-02-2014

12

6
26-02-2014

COMPETÊNCIAS GERAIS

O trabalho desenvolvido junto dos formandos pretende
desenvolver competências.
O século XXI está em mutação em todas as suas vertentes, devido à emergência do
meio digital, que está modificar desde o comportamento do consumidor, aos meios
disponíveis para chegar ao mercado.

O impacto da Economia Digital é por de mais evidente no Marketing Mix, pelo que
urge preparar recursos humanos na área das vendas com novas competências que
serão a breve trecho imprescindíveis.
26-02-2014

13

COMPETÊNCIAS GERAIS

Podemos mesmo dizer que o vendedor que não dominar minimamente os novos
instrumentos disponibilizados pelo Marketing, será, a breve trecho, obsoleto e sua
empregabilidade impossível.

Igualmente as metodologias de ensino a utilizar serão ativas, com recurso a estudos
de casos, exercícios práticos e dinâmicas de grupo baseadas nas realidades
profissionais dos alunos.

26-02-2014

14

7
26-02-2014

BIBLIOGRAFIA BASE (OPCIONAL)

26-02-2014

15

1

2
Editor: Edições Sílabo
Ano de edição: 2012
ISBN: 9789726186397
Número de páginas: 216
Local edição: Lisboa
Idioma: Português
Preço: 17,90 €

OBVIAMENTE OPCIONAIS
26-02-2014

16

8

Recomendado para você

Merchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e HerondinaMerchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e Herondina

O documento discute o conceito de merchandising e suas principais características. Três verbos definem merchandising: informar, destacar e vender. O objetivo do merchandising é informar sobre um produto e destacá-lo na loja para acelerar suas vendas. O documento também discute técnicas de merchandising como organização do espaço de venda, tipos de exposição de produtos e importância da embalagem.

merchandising marketing embalagens
Merchandising em Supermercados
Merchandising em SupermercadosMerchandising em Supermercados
Merchandising em Supermercados

O documento discute tipos de consumidores, conceitos de merchandising, técnicas de exposição e ambientação de lojas para influenciar as decisões de compra. Ele descreve estratégias como destacar produtos em promoção, usar sinalização clara, manter a loja limpa e organizada para diferentes perfis de compradores como os apressados, exploradores, planejados e caçadores de ofertas.

merchandising retail supermercado varejo marketing
Acolhimento e encaminhamento. 1
Acolhimento e encaminhamento. 1Acolhimento e encaminhamento. 1
Acolhimento e encaminhamento. 1

O documento discute a importância da qualidade no atendimento ao cliente. Ele explica que a qualidade leva a (1) maior satisfação do cliente, (2) mais vendas para a empresa, e (3) maior orgulho e satisfação dos funcionários no trabalho. Além disso, o documento descreve as quatro fases do atendimento presencial: cumprimento inicial, exploração da necessidade, satisfação da necessidade e cumprimento final.

atendimento a clientes
26-02-2014

VAI COMEÇAR FINALMENTE
A NOSSA AÇÃO DE FORMAÇÃO

26-02-2014

17

Comportamento do consumidor
através das gerações
..FilmesMarketing DigitalComportamento de consumo das gerações.mp4

26-02-2014

18

9
26-02-2014

26-02-2014

19

Há factos que não
podemos mudar e há
outros, que só
dependem de nós.

QUAL É A VOSSA PERCEPÇÃO SOBRE O
ESTADO ACTUAL DAS EMPRESAS?

TROCA DE IMPRESSÕES.
26-02-2014

20

10
26-02-2014

MARKETING PESSOAL
EMPREGABILIDADE NA
NOVA ECONOMIA
“A VIDA É DIFICIL”
..FilmesMarketing DigitalFernando Neves de Almeida Employability in the New Economy_ Crisis or Opportunity_.mp4

26-02-2014

21

QUAL FOI A ÚLTIMA VEZ,
QUE FEZ UMA COISA PELA
PRIMEIRA VEZ?
Seth Godín
26-02-2014

22

11
26-02-2014

PELOS VISTOS AS EMPRESAS E O MUNDO

26-02-2014

23

MERCADO?

26-02-2014

24

12

Recomendado para você

Atendimento Telefonico
Atendimento TelefonicoAtendimento Telefonico
Atendimento Telefonico

O documento discute a importância do atendimento telefônico no ambiente de trabalho e fatores críticos para o sucesso, como a voz, escolha de palavras, educação e eficiência. Ele fornece dicas sobre como ter um tom de voz agradável, ritmo do discurso e boas maneiras durante as ligações.

Atendimento e Comunicação
Atendimento e ComunicaçãoAtendimento e Comunicação
Atendimento e Comunicação

1) O documento discute o perfil e função do atendedor, incluindo melhorar a comunicação com clientes difíceis e transmitir decisões superiores. 2) Ele também aborda a importância de satisfazer as necessidades do cliente, como segurança, pertencimento e auto-realização, para garantir sua lealdade. 3) Além disso, destaca competências como assertividade, escuta ativa e linguagem apropriada que permitem um atendimento de qualidade e geram satisfação do cliente.

relao com o clienteatendimentomelhoria da comunicao
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)Força de Vendas - Apresentação (Marketing)
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)

O documento descreve os principais aspectos da força de vendas de uma empresa, incluindo sua composição, o processo de vendas, a atitude dos vendedores, suas funções, e a gestão da força de vendas, cobrindo tópicos como recrutamento, formação, remuneração, animação e avaliação.

26-02-2014

1. INTRODUÇÃO

26-02-2014

25

O QUE É UMA EMPRESA?

26-02-2014

26

13
26-02-2014

O QUE É UMA EMPRESA?

EMPRESA É …
As pessoas terem de forma geral uma noção péssima dos Comerciais e
… isso é mau.

Temos de ver, até que ponto
esta opinião, não tem a ver
com as nossas decisões
para o contacto com o
cliente.

26-02-2014

27

O QUE É UMA EMPRESA?

EMPRESA É …
…um centro de energia de pessoas e grupos.
…uma entidade, sob o ponto de vista funcional
que controla um determinado processo para um
determinado objetivo.
…controlar um conjunto de recursos, para
conseguir determinado objetivo.
26-02-2014

28

14
26-02-2014

O QUE É UMA EMPRESA?

EMPRESA
Qual é o objetivo da empresa?

Rentabilizar e remunerar o capital investido!

26-02-2014

29

O QUE É UMA EMPRESA?

EMPRESA
Como é que uma empresa tem sucesso e crescer?

Dar a resposta certa para o meio envolvente com
informação, ou seja processa e envia informação para
o exterior!

26-02-2014

30

15
26-02-2014

O QUE É UMA EMPRESA?

EMPRESA
Uma empresa também é ….

o somatório dos RECURSOS (Marca, pessoas e
financeiros), mais o CONHECIMENTO!

26-02-2014

31

2 - PRINCIPIOS GERAIS

O QUE É MARKETING?
26-02-2014

32

16

Recomendado para você

Trade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandisingTrade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandising

1) O documento discute trade marketing e merchandising, explicando que trade marketing é a ponte entre marketing e vendas, traduzindo objetivos em estratégias comerciais focadas em categorias, canais e clientes. 2) Merchandising é qualquer técnica que proporcione visibilidade a produtos no ponto de venda para influenciar decisões de compra, como displays e disposições de gôndolas. 3) Neuromarketing começa a ser aplicado em produtos para atrair os sentidos e associar produtos a sentimentos.

aula do reinaldo cirilotrade marketingmerchandising
Manual de marketing mix
Manual de marketing mixManual de marketing mix
Manual de marketing mix

Este documento fornece informações sobre o marketing mix, apresentando seus principais elementos: produto, preço, distribuição e comunicação. O objetivo é identificar e analisar as diferentes variáveis do marketing mix.

Ficha de trabalho nº10 exercicios atendimento - imagem
Ficha de trabalho nº10    exercicios atendimento - imagemFicha de trabalho nº10    exercicios atendimento - imagem
Ficha de trabalho nº10 exercicios atendimento - imagem

Este documento fornece informações sobre o cargo de atendedor e a formação necessária para ocupá-lo. Resume que um atendedor executa atividades de atendimento ao cliente como esclarecer dúvidas, registrar reclamações e oferecer serviços. A formação mínima necessária é o ensino básico completo, com habilidades como boa comunicação, relacionamento interpessoal e conhecimentos de informática. O documento também discute a importância de autoanálise e atendimento personalizado.

ftnº10
26-02-2014

O QUE É MARKETING?

Pois bem, Marketing é …
… a função que gere a relação
(receção e envio de informação)
entre o meio envolvente (stakeholders) e a empresa.

26-02-2014

33

O QUE É MARKETING?

Então se é a função, não é o departamento de marketing ou
departamento comercial!
Ou seja, a empresa pode viver sem um departamento de
Marketing ou comercial, mas não pode viver sem a
função de marketing ou comercial.

Esta função quer dizer, que a responsabilidade não é exclusiva
de uma pessoa ou grupo de pessoas, mas sim de todos os
colaboradores da empresa em que na sua definição de funções
deveria incluir estas suas responsabilidades na empresa.
26-02-2014

34

17
26-02-2014

Clientes = Emoções

26-02-2014

35

Clientes = Emoções

26-02-2014

36

18
26-02-2014

Clientes = Emoções
Fonte: Paulo B. Guerra

A simpatia e a disponibilidade são os

dois primeiros fatores de sucesso de um
serviço, a antipatia e a indisponibilidade,
são os fatores principais de insucesso
26-02-2014

37

Clientes = Emoções
Fonte: Paulo B. Guerra

O conhecimento do serviço, só aparece
depois da simpatia e disponibilidade.

26-02-2014

38

19
26-02-2014

Clientes = Emoções
Fonte: Paulo B. Guerra

Questiona-se: Será justo? Como é que um Cliente que tem
dezenas ou centenas de contactos com um Banco que sempre
correram bem, passa a julgá-lo de forma negativa apenas
porque um ou dois contactos foram negativos? De facto com
critérios de razoabilidade o saldo continuaria positivo. Mas na
realidade não é assim; os critérios emocionais parecem
“rebentar” com toda a lógica racional.
26-02-2014

39

Clientes = Emoções
Fonte: Paulo B. Guerra

Esta subversão da lógica não tem que ser entendida como um
fator incontrolável, mas como um elemento-chave na relação
como o Cliente.

O Cliente não tem sempre

razão, mas tem sempre emoção.
26-02-2014

40

20

Recomendado para você

Tecnicas de Vendas
Tecnicas de VendasTecnicas de Vendas
Tecnicas de Vendas

Este documento fornece orientações sobre técnicas de vendas. Ele discute conceitos como vendas, persuasão e envolvimento do cliente, além de estratégias, dimensões, competências e habilidades necessárias para vendedores. Também descreve as etapas do processo de venda, incluindo contato, entrevista, argumentação e fechamento, fornecendo dicas para cada uma.

Comunicação Integrada de Marketing
Comunicação Integrada de MarketingComunicação Integrada de Marketing
Comunicação Integrada de Marketing

Pensando cada vez mais no mercado consumidor, seus desejos e necessidades, os primeiros executivos de marketing começam a procurar meios de levar sua mensagem ao seu público-alvo da maneira mais eficaz. Enviar uma mensagem clara, concisa, e com pontos relevantes que motivem consumidor a concretizar a compra já é um desafio por si só. Se levarmos em conta a multiplicidade de meios de comunicação e pontos de contato com o cliente à nossa disposição - desde meios de massa como televisão ou rádio até as redes sociais e mesmo o próprio ponto de venda - a tarefa torna-se muito mais complexa.

universidade ibirapuerabranding
Ficha de trabalho nº20 5 truques para fidelizar clientes
Ficha de trabalho nº20   5 truques para fidelizar clientesFicha de trabalho nº20   5 truques para fidelizar clientes
Ficha de trabalho nº20 5 truques para fidelizar clientes

Este documento resume 5 truques essenciais para fidelizar clientes: 1) atender o cliente da maneira como ele gostaria de ser atendido; 2) direcionar o foco para o cliente certo; 3) aplicar a teoria da pirâmide invertida com o cliente no topo; 4) dar tratamento VIP para clientes fiéis; 5) monitorar sempre as ações de fidelização.

26-02-2014

Clientes = Emoções
Fonte: Paulo B. Guerra

Quando o cliente está satisfeito, entusiasmado (com

emoções positivas) com a transação que está a ter, nas
zonas cerebrais da emoção e da razão apresentam um fluxo
intenso e o cérebro funciona na sua plenitude.

26-02-2014

41

Clientes = Emoções
Fonte: Paulo B. Guerra

Assim, para conseguir manter os clientes nas suas fileiras, a
atividade de uma empresa tem que se pautar, não pelo
exercício do que é exigível, mas por desenvolver transacções
que superem as expectativas dos Clientes gerando assim um

Crédito Emocional.
26-02-2014

42

21
26-02-2014

Clientes = Emoções
Fonte: Paulo B. Guerra

Assim, para conseguir manter os clientes nas suas fileiras, a
atividade de uma empresa tem que se pautar, não pelo
exercício do que é exigível, mas por desenvolver transações
que superem as expectativas dos Clientes gerando assim um

Crédito Emocional.
26-02-2014

43

3 - TENDÊNCIAS

26-02-2014

44

22
26-02-2014

TENDÊNCIAS

MERCADO
TENDÊNCIAS – Processo de mudança, probabilidade,
previsão, que produto é que vamos precisar? e

que

serviço é que vamos necessitar?

26-02-2014

45

TENDÊNCIAS

MERCADO

TENDÊNCIAS – Os consumidores / clientes cada vez mais
qualitativos, em vez de quantitativos.

26-02-2014

46

23
26-02-2014

TENDÊNCIAS

MERCADO

TENDÊNCIAS – Da cultura nacional para a cultura global e
mudança dos padrões de consumo!

26-02-2014

47

TENDÊNCIAS

MERCADO
TENDÊNCIAS – Modelo de Diamante das tendências.
Criadores - Inovadores e criativos
Ajuda a tendência a fixar-se!
Inovadores criativos

Aquilo que toda a gente consome ou usa.

26-02-2014

Adversos à mudança.

48

24

Recomendado para você

Apresentação Merchandising
Apresentação MerchandisingApresentação Merchandising
Apresentação Merchandising

O documento discute conceitos fundamentais de marketing, como planejamento, execução, preço e comunicação. Também aborda o marketing de varejo, merchandising e promoção de vendas, destacando suas diferenças e objetivos de proporcionar melhor visibilidade aos produtos e influenciar decisões de compra.

Publicidade e promoção
Publicidade e promoçãoPublicidade e promoção
Publicidade e promoção

Este documento discute objetivos, tipos e conceitos de publicidade e promoção. Ele explica que o objetivo do módulo é capacitar os alunos a aplicar técnicas de publicidade como forma de comunicação, divulgação e promoção de produtos e serviços de uma empresa. Além disso, aborda conceitos como briefing publicitário, elaboração de mensagens, escolha de canais e avaliação de campanhas publicitárias.

Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedorasFormaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras

Este documento descreve os objetivos, programa e atividades de uma ação de formação sobre competências empreendedoras. O documento detalha a agenda do curso, incluindo apresentações, discussões em grupo, vídeos e exercícios práticos sobre empreendedorismo e marketing.

estágioiefptransversal
26-02-2014

TENDÊNCIAS

As 3 tendências para comportamentos sociais:

1º Centralização na pessoa - futura Web 3.0.
2º Uso do produto versus posse.
3º Ética e responsabilidade social.

26-02-2014

49

TENDÊNCIAS

Estamos no mundo do bem estar:
•Aumento das exigências do cliente.
•Ambiente.
•Alimentação nutritiva e saudável.
•Vegetarianos.
•Ginásio.
•Astrologia.
•Corrente das coisas naturais (ex: biológico).
26-02-2014

50

25
26-02-2014

TENDÊNCIAS

Questões em que as empresas necessitam
de estar atentas:
•Fazer recolha de informação.
•Melhorar constantemente a oferta.
•Flexibilidade.
•Comunidades.
•Cadeia de valor virtual.

•Participação dos clientes na criação do produto.
•Começa-se a ter problemas com o frente-a-frente.
26-02-2014

51

TENDÊNCIAS 2013
https://www.facebook.com/#!/wot.pt/photos

26-02-2014

52

26
26-02-2014

ENTÃO VAMOS LÁ “DESMONTAR” AS
TENDÊNCIAS

26-02-2014

53

TENDÊNCIAS

26-02-2014

54

27
26-02-2014

Com base em opiniões de vários especialistas em redes sociais e pela HubSpot, a WOT
vai mostrar-vos quais as principais tendências de marketing nos Social Media para 2013.
Podem seguir estas pistas em todas as nossas plataformas sociais.
Tendências para o Social Media em 2013 #1:
..."Campanhas em fade out (desdobrar), marketing em tempo real na moda."
Em 2013 vamos assistir a uma maior percentagem de marketeers a tirarem vantagem
do poder das comunicações em tempo real para fazer crescer os seus negócios. Os
consumidores estarão mais ligados às marcas através dos seus sites, comunicam com
elas através de redes sociais como o Facebook e Twitter, e apenas seguem as notícias
que lhes interessam. O sucesso das empresas será tanto maior quanto o poder de
engagement que se conseguir com o consumidor final.
Por David Meerman Scott, Best-selling.
26-02-2014

55

Tendências para o Social Media em 2013 #2
"O Inbound Marketing (é o marketing focado em gerar tráfego de visitantes que
procuram assuntos relacionados) fará crescer as empresas."
Em 2012, o departamento de marketing será transversal a toda a empresa.
O gabinete responsável pelas vendas, recursos humanos, serviço de apoio a
clientes, desenvolvimento e equipas executivas passarão a estar com mais atenção
ao online para promover as suas marcas, produtos e serviços. Como resultado
desta profunda transformação, todos os colaboradores de uma empresa terão
participação ativa no marketing.
Por Brian Halligan, CEO da HubSpot
26-02-2014

56

28

Recomendado para você

Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012

O documento apresenta o plano de formação de um módulo sobre perfil e potencial do empreendedor. Inclui os objetivos, programa, plano de formação detalhado por fases e contactos do formador.

estágioefaoportunidades
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...

1) O documento discute técnicas de prospecção comercial, incluindo a importância do conhecimento do produto e do mercado, a segmentação do mercado, e métodos de coleta de dados sobre potenciais clientes como a internet, indicações, diretórios e bases de dados. 2) É destacada a importância da prospecção para identificar novos clientes e substituir os perdidos, de modo a manter o crescimento da empresa. 3) Várias etapas do processo de prospecção são delineadas, como traçar o perfil do

comércio e vendas
Merchandising - PROMOTT
Merchandising - PROMOTTMerchandising - PROMOTT
Merchandising - PROMOTT

O documento discute técnicas de merchandising e ações promocionais para melhorar a visibilidade de produtos e marcas nos pontos de venda. Ele fornece dicas sobre como analisar o público-alvo, criar materiais promocionais atraentes e equipar os pontos de venda para impulsionar as vendas.

merchan
26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #3
"Conheça os seus clientes."
Um novo tipo de marketing, mais inteligente, tentará perceber os consumidores para
além da sua informação demográfica. Os sistemas de CRM (próximo módulo)
conseguirão obter informação mais consistente no que aos hábitos de consumo diz
respeito. Neste sentido, a análise ao consumo será uma das ferramentas mais
poderosas ao alcance dos marketeers.
Por David Raab, analista na Gleanster

26-02-2014

57

Tendências para o Social Media em 2013 #4
"O marketing será o mais responsável pelo aumento das receitas."
Um estudo recente da Fournaise Marketing Group indica que 73% dos executivos não
"acreditam" no poder do marketing. Em 2013 esta situação mudará uma vez que os
marketeers terão um papel determinante no aumento das receitas das empresas
onde colaboram. Além de continuarem a utilizar as habituais ferramentas para medir
o tráfego e aumentar o número de "leads", começarão a otimizar processos que terão
grande impacto nas vendas. Para tal, os atuais KPIs (Key Performance Indicators) irão
mudar obrigatoriamente (Processos vs. objetivos vs. planeamento).
Por Greg Alexander, CEO, Sales Benchmark Index (SBI)Gosto · · Partilhar
26-02-2014

58

29
26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #5
" O Social Media integrado."
Em 2013, os marketeers vão começar a utilizar os dados recolhidos nas redes sociais
como parte da sua estratégia de marketing. A sincronização entre a atividade dos
utilizadores no Social Media com as suas bases de dados internas permitirão um
maior conhecimento do comportamento do consumidor, de forma a melhorar a
segmentação de mensagens. Da mesma forma, também os conteúdos serão mais
personalizados, indo ao encontro dos interesses de cada utilizador.
Por Kipp Bodnar, author of The B2B Social Media Book
26-02-2014

59

Tendências para o Social Media em 2013 #6
"Apostar no móvel ou ficar para trás?"
Em 2012, a venda de smartphones foi superior à dos PCs. Claramente, a área da
mobilidade é um setor onde os marketeers também deverão apostar na definição da
sua estratégia no ano de 2013. Não só os sites, mas as aplicações deverão ser
otimizadas para funcionarem bem neste tipo de dispositivos, como também se deverão
começar a verificar campanhas idealizadas especificamente para estas plataformas
móveis.

26-02-2014

60

30
26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #7
"Search Engine Otimization (SEO - é um conjunto de técnicas que têm como principal
objetivo tornar os sites mais amigáveis para os sites de busca- Ex: aprenda a melhorar
o posicionamento de seu site no Google) terão mais impacto com os conteúdos sociais."
Nos últimos 15 anos, os marketeers tratavam o SEO, o Social Media e os conteúdos de
forma separada, em canais distintos e segmentados. Só nos últimos 24 meses assistimos
a uma grande sobreposição entre a pesquisa e o social, bastante impulsionado pelas
inovações dos motores de busca e pelas correlações de partilha social nas várias
plataformas. Em 2013 espera-se que os marketeers desenvolvam as suas estratégias não
como canais distintos, mas como elementos otimizáveis em um todo.
Por Rand Fishkin CEO, SEOmoz
26-02-2014

61

Tendências para o Social Media em 2013 #8
"As empresas vão preocupar-se mais em encontrar talentos no Inbound Marketing."
Os atuais marketeers são bons em criatividade, mas em 2013 terão de ser mais
experientes na criação de conteúdos e na condução de análises de otimização e gestão
de dados.
Com o aumento da importância dos conteúdos e dos dados, as empresas vão contratar
mais profissionais de marketing no próximo ano. De acordo com as tendências medidas
pela SimplyHired, desde outubro de 2011 o número de empregos em "Inbound
Marketing" aumentou 52% e os de "conteúdos de marketing" cerca de 26%.
26-02-2014

62

31
26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #9
"A importância da informação irá aumentar substancialmente: quanto mais dados
melhor."

A Gartner prevê gastar-se 232 mil milhões de dólares em IT até ao ano de 2016, mas
até agora o investimento em informação tem apenas servido engenheiros e não
marketeers. Em 2013 vamos assistir a um aumento de start-ups dedicadas à gestão
de informação em massa, mais acessível para quem está ligado às vendas, ao
desenvolvimento de negócio e aos profissionais de marketing.

26-02-2014

63

Tendências para o Social Media em 2013 #10
"A importância dos conteúdos - inteligentes - como nova ferramenta de marketing."
A primeira vez que a Amazon começou a recomendar livros através do seu mecanismo
baseado nas anteriores visitas online dos utilizadores, a ideia com que se ficou foi de
que um site não pode reconhecer apenas um visitante, mas também deve discernir os
seus interesses e alterar a sua experiência "on site". Desde então, os conteúdos
dinâmicos tornaram-se mais comuns, embora não totalmente difundidos no espaço de
marketing. Em 2013, vamos começar a ouvir mais sobre a adaptabilidade de conteúdos
"inteligentes". Torna-se cada vez mais importante, em toda a estratégia de marketing,
personalizar mensagens para o público certo, na hora certa.
26-02-2014

64

32

Recomendado para você

eBook - A Jornada do Cliente - SAP
eBook - A Jornada do Cliente - SAPeBook - A Jornada do Cliente - SAP
eBook - A Jornada do Cliente - SAP

O documento discute as diferentes fases da jornada do cliente, desde a conscientização até a recomendação. Cada fase é explicada, incluindo o que o cliente está fazendo, como as empresas devem se engajar e quais técnicas devem ser usadas. O objetivo é fornecer às empresas um guia para melhor entenderem e se engajarem com os clientes ao longo de toda a jornada de compra.

Transforme Clientes em Fãs
Transforme Clientes em FãsTransforme Clientes em Fãs
Transforme Clientes em Fãs

Transforme clientes em fãs através de lucros bons, métricas de satisfação do cliente, surpreendendo-os positivamente e usando ferramentas tecnológicas.

satisfação de clientessurpreender clientesencantar clientes
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...

Este documento descreve a estratégia de marketing digital da empresa UWU Solutions, incluindo: 1) A definição de objetivos focados em aumentar a notoriedade da marca; 2) A criação de conteúdos relevantes para o público-alvo, como pequenas e médias empresas; 3) A implementação de táticas como otimização para mecanismos de busca, publicação de conteúdos no website e redes sociais, e promoção baseada em conteúdo de qualidade.

designmarketingmarketing and advertising
26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #11
"Teremos um marketing mais humano."
Vamos começar a ver as organizações a tornarem-se mais "humanas" através das
interações sociais e dos conteúdos fornecidos nos Social Media. As empresas vão
continuar a desenvolver personalidades através da divulgação de dados e informações
que a si dizem respeito, mantendo a confiança entre elas e os consumidores. Serão
criadas estruturas externas unificadas de forma a que todos os departamentos
comuniquem da mesma forma e no mesmo sentido, o humano.
Por Nick Johnson, Founder da Useful
Social Media
26-02-2014

65

Tendências para o Social Media em 2013 #12
"O e-mail não morreu."
O ano de 2013 vai ter campanhas de e-mail mais segmentadas, destinadas apenas a
destinatários cujo conteúdo seja mais relevante. A capacidade de exportar listas de email segmentadas e a personalização dos seus conteúdos vai ajudar a maximizar o efeito
final de cada e-mail, resultando em mais leads qualificados.
Por John Bonini, Content Marketing Manager na IMPACT
Branding & Design

26-02-2014

66

33
26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #13
"O Inbound vai tornar-se prioritário... e não a automatização."
Em 2013, os CMOs (Chief Marketing Officer) e os executivos seniores irão alocar mais
recursos na criação de um motor de Inbound mais forte, capaz de gerar mais
interesse, tráfego, leads e conversações, suportando desta forma os hábitos de
pesquisa de uma nova geração.
Os marketeers vão começar a procurar melhores soluções de Inbound Marketing, ao
detrimento da tradicional automatização de marketing.
26-02-2014

67

Tendências para o Social Media em 2013 #14
"A tecnologia de marketing evoluirá."
Em 2013 vamos ver duas grandes mudanças no cenário tecnológico:
1 - um maior investimento em soluções de marketing para gestão de redes sociais,
medição e atribuição de ROI (retorno do investimento) e software integrado e unificado
com grande destaque para as bases de dados;
2 - melhorias na forma de utilização de cada plataforma, nomeadamente em dispositivos
móveis. Os serviços LBS (Location Based Services), Sistemas Baseados em Localização, que
vem ganhando cada vez mais força no mundo e que mostraram sua cara na rede social
Foursquare, serão de extrema importância nesta área.
http://www.youtube.com/watch?v=Rp2SfOvKUGQ
26-02-2014

68

34
26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #15

"O conteúdo é o Rei, quer queiramos ou não."
Criar mais e mais conteúdos estará entre as prioridades para as equipas de marketing
em 2013. Além do aumento na alocação de orçamento para a criação de conteúdos,
vamos encontrar serviços de curadoria e cada vez mais empresas fornecedoras dos
mesmos, de forma a ajudarem os marketeers a difundirem a mensagem mais
eficientemente.

26-02-2014

69

Tendências para o Social Media em 2013 #16
"Os conteúdos partilhados na Internet vão gerar novos conteúdos."
Tudo o que colocamos nas plataformas sociais poderá ser utilizado para gerar novos
conteúdos, nomeadamente para empresas. Além disso, poderá ainda proporcionar novas
ideias para planos de marketing. O desenvolvimento de novas estratégias, onde os
conteúdos partilhados são o núcleo central, aproximará ainda mais os fãs/seguidores das
marcas que, cada vez mais, se tornarão importantes no meio das comunidades sociais.

26-02-2014

70

35
26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #17
" O marketing e o mercado dos jogos vão convergir."
É expectável que as estratégias de marketing e o mercado dos jogos estejam em sintonia no
próximo ano. E não nos referimos apenas a "product placement“ (Marketing indireto ou
publicidade indireta) em jogos online como o Farmville, por exemplo. O marketing será mais
interativo na forma como é apresentado e "consumido". Através do entretenimento e ...de
prémios haverá um aumento de conteúdos que apelem a este tipo de interação. Desta forma,
as estratégias de marketing terão mais influência para agradar do que para serem evitáveis.
Em 2013, até pequenas e médias empresas perceberão e utilizarão este tipo de novos
conceitos.
Por Dan Zarrella, Social Media Scientist
26-02-2014

71

Tendências para o Social Media em 2013 #18
"Uma imagem vale mais do que mil palavras."
Com todas as atenções viradas para os conteúdos como o Santo Graal do marketing,
não quer dizer que os conteúdos escritos sejam a única fórmula de trabalho.
Plataformas sociais como o Pinterest e Instagram provaram que os conteúdos visuais
valem mais do que mil palavras ou, no caso do Instagram, mil milhões de dólares.
Infográficos, fotografias, vídeos e outros meios multimédia irão aumentar
exponencialmente nos próximos anos.
26-02-2014

72

36

Recomendado para você

Marketing Digital Imobiliário - Agência
Marketing Digital Imobiliário - AgênciaMarketing Digital Imobiliário - Agência
Marketing Digital Imobiliário - Agência

A P10 Web Brasil é a primeira Agência de Marketing Digital totalmente especializada no mercado imobiliário.

marketingdigital marketingreal estate
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu StudartGestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart

A especialista em marketing Céu Studart discute como as empresas devem se posicionar durante a crise, enfatizando a importância de manter a gestão da marca atuante de forma empática e solidária, e não focada em vendas. Ela também destaca a necessidade de refletir sobre o propósito da marca e se reinventar neste momento.

marketingbrandingpandemia
Premio abevd 2grupo
Premio abevd 2grupoPremio abevd 2grupo
Premio abevd 2grupo

1. O documento discute abordagens e técnicas de vendas diretas, descrevendo as principais etapas do processo de vendas e o modelo de Grid para Excelência em Vendas de Blake e Mouton. 2. A venda direta representa um volume de negócios significativo globalmente e no Brasil, justificando a pesquisa sobre as abordagens mais eficazes utilizadas. 3. As etapas do processo de vendas incluem prospecção, pré-abordagem, apresentação, demonstração, superação de objeções e fechamento da

26-02-2014

Tendências para o Social Media em 2013 #19

"O contexto é o novo melhor amigo dos conteúdos.“
Para executar estratégias de marketing mais eficientes em 2013, os marketeers terão de
ir mais além do que apenas criar conteúdos de forma a gerar experiências
personalizadas para os seus públicos. O contexto em que se inserem será igualmente
importante e deverá andar de mãos dadas: é necessário perceber o que é que os
consumidores fazem, o que dizem, os sites que visitam e os produtos que compram.
Tudo para que se consigam estreitar relações mais próximas e consequentemente, obter
melhores resultados.
26-02-2014

73

Tendências para o Social Media em 2013 #20
"Outbound Marketing perde tração (marketing tradicional - o foco das empresas é
encontrar consumidores. Para isso, usam técnicas pouco direcionadas tais como em:
anúncios nos mass media, cold telemarketing, direct mail, email spam, etc.)."
O marketing de massas, se tiver sorte, tem uma taxa de resposta de 2%. Já o Inbound Marketing permite produzir
taxas de conversão 10 vezes mais elevadas, ou mais. Mais do que nunca, os orçamentos em marketing externo
serão transferidos para o Inbound Marketing, sendo que um terço dos CMOs afirma que mais de metade do seu
budget já foi utilizado para campanhas de marketing online no ano de 2012.
No Inbound a estratégia é diferente. Começa logo pelo objetivo que reside no facto de fazer com que as marcas
sejam encontradas pelos clientes e não ao contrário. Ao invés de utilizar publicidade interruptiva, as empresas que
praticam inbound marketing, apostam em técnicas que contextualizam o conteúdo, tais como: SEO, blogs com
textos relevantes, Social Media, SEA… ou seja, disponibilizam várias formas de contacto para as pessoas
encontrarem a empresa.
26-02-2014

74

37
26-02-2014

Em suma, em vez
de anda disparar a
mensagem
repetidamente para
uma multidão, o
inbound marketing
atrai clientes
altamente
qualificados para a
empresa através de
conteúdo
contextualizado.
26-02-2014

75

TENDÊNCIAS

… e ainda, quiça!

26-02-2014

76

38
26-02-2014

Vendedor

26-02-2014

77

… o futuro é Digital!

26-02-2014

78

39
26-02-2014

TENDÊNCIAS

http://trendwatching.com/pt/trends/10trends2013/

Video com Seth Godin
FilmesMarketing DigitalTEDTalks_ Seth Godin - Sobre as tribos que líderamos.mp4

26-02-2014

79

Momento de transformação em
que vivemos …

26-02-2014

80

40

Recomendado para você

Como fazer o número em 2014.
Como fazer o número em 2014. Como fazer o número em 2014.
Como fazer o número em 2014.

O documento discute como os vendedores podem ter sucesso em um mercado onde os clientes conduzem mais o próprio processo de compra. Sugere que os vendedores foquem em fornecer valor e insights ao cliente ao invés de apenas tirar pedidos, e que usem mídias sociais para construir relacionamentos e gerar leads. Também aborda a importância de gerenciar bem as oportunidades de vendas.

ricardo jordao magalhaesbizrevolutioncomo fazer o número em 2014
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)

O documento discute estratégias de marketing digital para o mercado atacadista, abordando três pontos principais: 1) motivos para investir em marketing digital, como alcance maior e segmentação; 2) formas de se diferenciar da concorrência, como entender os concorrentes digitais e melhorar a presença online; 3) divulgação e relacionamento com clientes por meio de canais digitais.

marketing digitalatacadistadistribuidores
Campanha de Incentivo
Campanha de IncentivoCampanha de Incentivo
Campanha de Incentivo

O documento descreve uma campanha de incentivo para lojas parceiras de uma empresa de cimento. A campanha terá duas fases, com o objetivo de incentivar as lojas a venderem mais produtos da marca. Na primeira fase, as lojas serão avaliadas em três pilares: metas de vendas, vendas realizadas e avaliação misteriosa. Na segunda fase, as lojas serão ranqueadas e as duas melhores em cada região ganharão a visita de um caminhão com prêmios.

26-02-2014

O NOVO PARADIGMA:
vender relacionamentos
“Hoje, o principal é manter os atuais clientes e desenvolver cada vez mais
o relacionamento existente. As empresas gastam muito dinheiro para
conseguir cada um dos seus atuais clientes e os concorrentes estão

sempre a tentar ficar com eles. Um cliente perdido representa mais do
que a perda da próxima venda; a empresa perde o lucro de todas as
compras futuras daquele cliente, e para sempre.” (Philip Kotler)
26-02-2014

81

NOVO PARADIGMA DE VENDER
Relacionamentos de longo prazo (soft sell)

versus venda única (hard sell)

26-02-2014

82

41
26-02-2014

NOVO PARADIGMA DE VENDER
Belmiro de Azevedo no Prefácio de Jack Welsh
“Já não há empresas com um futuro garantido; já não há emprego para a vida,
sobretudo no mesmo local; já não há acomodação a um estilo de vida; e já não
existem sucessões monárquicas.
A consequência das mudanças resultantes da globalização, da inovação e do
aumento do comércio internacional forçaram a uma nova leitura do que deve ser a
educação e a formação permanente de todos os colaboradores de uma empresa
(...).”
26-02-2014

83

NOVO PARADIGMA DE VENDER
Faith Popcorn (citada por Carlos Alberto Júlio

em “A magia dos grandes negociadores”)
elegeu como um dos seus temas prediletos a necessidade de se estar consciente e
alerta para aproveitar as oportunidades que surjam. Ela traduz esse estado de
espírito numa palavra, que também constitui uma sigla: CLICK. Cada letra
corresponde a um atributo:

26-02-2014

84

42
26-02-2014

NOVO PARADIGMA DE VENDER
A Venda:
Processo de venda:
Venda é um processo de negociação que visa satisfazer
as necessidades do comprador e do vendedor.
O COMPRADOR

O VENDEDOR

Visa ganha o máximo
de benefícios com a
compra

Visa ganha o máximo
de benefícios com a
venda,

OBJETIVOS
ANTAGÓNICOS
26-02-2014

Que o processo de
venda procura
conciliar

85

NOVO PARADIGMA DE VENDER
CLICK
C – courage (coragem), para abandonar os conceitos tradicionais e reconhecer que
as coisas estão a mudar; L – letting go (abrir mão), o que significa libertar-se de
velhas ideias e desenvolver novas ideias; I – insight (olhar para dentro), uma
atitude introspetiva para descobrir o que fazemos bem e o que podemos melhorar;
C – commitment (compromisso), que se refere ao compromisso de se ser fiel a uma
ideia; K – know-how, saber como fazer as coisas.
26-02-2014

86

43
26-02-2014

NOVO PARADIGMA DE VENDER
Estas são, sem dúvida, algumas das características que um
profissional que está aberto às mudanças possui. O
essencial é ter flexibilidade mental e comportamental para
operar transformações sem perder de vista os valores
individuais.

26-02-2014

87

NOVO PARADIGMA DE VENDER
Numa parábola, diz-se que um aluno, diante do exame,
comentou com Albert Einstein: “Professor, estas perguntas
são as mesmas do exame que o senhor fez no ano
passado!”. Einstein respondeu: “Eu sei. As perguntas são as
mesmas, mas as respostas mudaram”.

26-02-2014

88

44

Recomendado para você

Os fatores chave de sucesso
Os fatores chave de sucessoOs fatores chave de sucesso
Os fatores chave de sucesso

O documento descreve os 5Rs como fatores chave de sucesso nos negócios: Relevância, Reconhecimento, Receptividade, Responsividade e Relacionamento. A Relevância e o Reconhecimento são considerados fatores críticos porque é necessário oferecer serviços que atendam às necessidades dos clientes e se diferenciar da concorrência.

Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012
Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012
Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012

O documento resume um curso de Trade Marketing oferecido pelo INVENT®. O curso abordará conceitos e tendências da área, com foco em desenvolver uma visão estratégica. Serão 16 horas de duração com discussões de casos reais e palestrantes experientes. O público-alvo são profissionais de marketing e vendas interessados em aprimorar conhecimentos sobre o tema.

trade marketingadriano amui
Torne-e Irresistível Para Quem Decide
Torne-e Irresistível Para Quem DecideTorne-e Irresistível Para Quem Decide
Torne-e Irresistível Para Quem Decide

O documento discute princípios para quebrar paradigmas em vendas, como questionar tudo, não defender territórios, não culpar outros e respeitar todas as ideias. Também destaca características de um verdadeiro vendedor, como ajudar o cliente, trabalhar dentro dele, ter credibilidade e fazer recomendações além do que vende. Por fim, discute desafios atuais como excesso de empresas similares e pressão sobre clientes para entregar resultados.

26-02-2014

NOVO PARADIGMA DE VENDER
Precisamos, então, de criar uma cultura de mudança constante e
adaptação, dentro das nossas empresas, para que possamos reagir
em tempo útil às mudanças nos paradigmas sociais e empresariais.
Precisamos de preferência, de estimular a crítica construtiva aos
sistemas instaurados, para termos agilidade e anteciparmos ou até
sermos responsáveis por novos padrões de mudança. E este é um
esforço que toda a equipa deve realizar.
26-02-2014

89

O CONCEITO CONSULTOR DE
CLIENTES
A questão “o que é vender” possui hoje um significado muito
diferente, resultante da transformação natural dos conceitos e da
sociedade.
Jorge Gonçalves, no seu último livro “Academia na era do
conhecimento”, afirma: “É fundamental que a sua equipa de vendas
atue como consultora de negócios. …..
26-02-2014

90

45
26-02-2014

O CONCEITO CONSULTOR DE
CLIENTES
….. (A sua receção) precisa ser vista como profissionais que irão
fazer o primeiro contacto com os futuros clientes e que,
dependendo de sua atuação, os demais podem nem ter a chance de

conhecê-los. (...) Manter o cliente ou, como venho dizendo, torná-lo
leal por longo tempo é, sem dúvida, o grande desafio do empresário
moderno tanto na área de serviços como na de consumo”.
26-02-2014

91

Karen D. Woodard
A excelência em vendas não é a memorização de técnicas
estereotipadas ou de manipulação.
Excelência em vendas é a habilidade em criar uma conexão entre o
vendedor, o potencial cliente e o negócio, que resulte numa troca
de valores para todas as partes envolvidas. Alcançar a excelência em
vendas é ter a habilidade de comunicar consistentemente de uma
forma profissional e de nos comportarmos de maneira adequada
com o cliente, da forma que o conquistamos e que o movemos na
direção dos objetivos desejados.”
26-02-2014

92

46
26-02-2014

Smart Selling

26-02-2014

93

Evidências
Num passado não muito distante, com muito menos opções
os clientes tinham diversas posturas quando pretendiam

adquirir produtos ou serviços.
Com menos escolha o processo de compra dos clientes era
menos complexo e menos sujeito a receios, tal como hoje.

26-02-2014

94

47
26-02-2014

Evidências
Quem hoje adquire algo, tem sempre o receio de fazer um mau
negócio, ou pelo menos de tomar uma decisão pior do que se
tivesse analisado melhor uma outra opção. Isto conjugado com
o momento económico que atravessamos, aliado às estratégias

de corte e redução do investimento, cria uma verdadeira
tempestade para quem está na área comercial, essencialmente
para os vendedores B2B.
26-02-2014

95

Evidências
Se não se alterarem as estratégias e os métodos, poderemos
ser em breve os dinossauros de um mercado perfeitamente

impiedoso. Mas se existem os problemas, existem seguramente
também as oportunidades e agora trata-se do momento para
pensar no negócio e reestruturar os conceitos, as técnicas e os
meios.

26-02-2014

96

48

Recomendado para você

Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas
Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas EmpresasDicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas
Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas

Crie uma estratégia de Marketing Fantástica para seu negócio Aprenda a planejar e executar Além de conhecer os principais conceitos de Marketing que se aplicam para Micro e Pequenas Empresas, aprenda a executá-los em seu negócio. Entenda seu consumidor Descubra como seus consumidores se comportam e como isso será essencial para sua estratégia de Marketing. Crie uma Marca Forte Saiba como construir uma marca forte e veja a diferença que isso fará em suas vendas.

dicas de marketingmarketing para pequenos negóciosmarketing para pequenas empresas
Branding Trilhos Publicidade & Marketing
Branding Trilhos Publicidade & MarketingBranding Trilhos Publicidade & Marketing
Branding Trilhos Publicidade & Marketing

1) O documento discute branding, marketing digital e publicidade para empresas. 2) Ele fornece informações sobre como construir uma marca forte através de estratégias de marketing e comunicação. 3) Também dá dicas sobre como se destacar no mercado, como vender experiências, alinhar a missão da empresa e engajar funcionários.

#trilhospublicidade #business #marketing #midiadig
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-clienteE book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente

O documento descreve as 5 etapas fundamentais do funil de vendas para aumentar o relacionamento com o cliente: 1) Atrair possíveis clientes interessados no produto ou serviço; 2) Qualificar para manter apenas os interessados verdadeiros e afastar os curiosos; 3) Remodelar crenças para organizar os conceitos que o cliente deve ter sobre a empresa; 4) Converter por meio de uma chamada à ação para efetivar a transação; 5) Encantar para tornar a experiência inesquecível.

marketing
26-02-2014

26-02-2014

97

SMART Selling mais em detalhe
SMART Selling significa uma vontade de mudar a atitude nas vendas e evoluir num
mundo dominado pela internet, pela super-competição, pela falta de tempo e

impaciência dos (potenciais) clientes para ouvir comerciais e as suas
apresentações .

26-02-2014

98

49
26-02-2014

SMART Selling
Este método nasce para corrigir as más práticas que os métodos HARD e SOFT Selling
introduziram nos comerciais ao longo do tempo. Nomeadamente com o foco excessivo
apenas ao ciclo de venda, sem olhar com mais cuidado para o modelo de como os clientes
compram.
SMART Selling contém ainda os modelos de venda consultiva e de venda de soluções
adaptados aos novos tempos, numa altura em que as empresas reformulam os seus
métodos de compra. O SMART Selling inclui ainda a vertente de Marketing de conteúdos
para melhorar as abordagens das equipas comerciais.
26-02-2014

99

SMART Selling
O SMART Selling aumenta a compreensão por parte do comercial da metodologia de
compra utilizada pelo (potencial) cliente e com quem está a falar ou interagir. Desta forma
poderá decidir e avaliar ainda melhor se deve continuar no negócio ou se é melhor
abandonar e focar-se noutros com mais possibilidade de sucesso. Assim poderá melhorar a
sua taxa de sucesso. O SMART Selling afina e modifica ainda as abordagens aos (potenciais)
clientes, dando aos comerciais ferramentas e processos para que tenham mais impacto na
interação e obterem uma maior credibilidade.

26-02-2014

100

50
26-02-2014

Funções do vendedor
na ótica do Marketing

26-02-2014

101

PARA PENSAR …
Porque é que numa empresa com atendimento ao cliente via internet
(página web) ou correio eletrónico (E-mail) a capacidade de resposta é
três dias e se o cliente telefonar para a empresa a resposta é imediata?

26-02-2014

102

51
26-02-2014

O NOVO CONCEITO DE

VENDAS?
• Passar de uma atitude reativa para uma atitude ativa
• Ter conhecimento das mudanças no mercado
 Concorrência Crescente
 Avanços Tecnológicos
 Cenários Mutáveis e Turbulentos
• Aumentar a liderança na sua área e no seu mercado ( segmentos,
nichos, etc.)
26-02-2014

103

Características Específicas do Gestor de Relacionamento

Boas

Más

“Detestáveis”

Honestidade

Atitude arrogante.

Atitude simpática ao perder
uma venda.

Aparece sem ter hora
marcada.

Chama de “querida” (a uma
cliente mulher).

Admite seus erros

Começa a reunião a dizer
graçolas.

Ficar muito íntimo.

Capacidade de resolver
problemas.

Deprecia os produto da
concorrência.

Age como se o cliente fosse
ignorante.

Simpático, mas profissional.

Não ouve o que o cliente diz.

Choraminguice.

Digno da confiança.

Telefona demasiado.

Diz muita asneira.

Adaptável.

Má apresentação.

Faz de tudo para agradar
(execessivo !)

Conhece a área de atividade
do cliente.

Não se preocupa com as
necessidades do cliente.

Mistura uma empresa com a
outra.

Bem preparado.

Pouco conhecimento do
produto.

Insistente.

Paciente.

26-02-2014

Não persistente

Faz com que o cliente perca
tempo.

Fuma no escritório do
cliente.
104

52

Recomendado para você

Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016
Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016
Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016

O documento descreve um workshop sobre jornada do usuário organizado pelo Coletivo Mola. A agenda inclui introdução ao design thinking, por que mapear a jornada do usuário é importante e uma atividade prática sobre jornada do usuário aplicada a donos de food trucks. O documento também fornece detalhes sobre formas de fomento para empreendedores em diferentes estágios.

consumer journeydesign thinking
Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018

Para estágio de Licenciatura da Universidade Lusófona em Fotografia. Por favor contacte: mldmfernandes171295@hotmail.com

estágiofotografialicenciatura
Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.

Este documento fornece instruções e requisitos para a certificação de entidades formadoras junto da DGERT em Portugal. Detalha os passos para registro na plataforma online, anexação de documentos comprobatórios, e separadores para informações sobre áreas de formação, recursos, atividades, resultados e melhoria contínua. A certificação visa garantir a qualidade da atividade formativa de acordo com a legislação aplicável.

formaçãodgertgestão formação
26-02-2014

O sucesso de um vendedor está diretamente
relacionado com estes três pilares:

Autoconhecimento

26-02-2014

Conhecimento do
produto, do mercado
e do cliente

Domínio da
técnica de
vendas

105

FUNÇÕES DO VENDEDOR…
A função de um Vendedor é a divulgação e a venda dos
produtos (ou serviços) de uma empresa junto a um
universo específico de Clientes (consumidores ou
Revendedores) desses produtos.
O desenvolvimento do trabalho inclui a pesquisa,
localização e o contrato com esses “Clientes potenciais”
para a compra e uso (ou revenda) dos produtos
oferecidos.
26-02-2014

106

53
26-02-2014

FUNÇÕES DO VENDEDOR…
•A realização da venda propriamente dita (obtenção de
pedidos) é a faceta mais importante e característica da
função do Vendedor.
•No entanto, existem muitos aspetos relevantes que
devem ser considerados e colocados em ação, para
que ela se torne mais efetiva.
26-02-2014

107

FUNÇÕES DO VENDEDOR…
1 – Efetuar vendas (obter Pedidos)
É a principal preocupação do Vendedor Profissional.
2 – Levar (novas) informações – novos fabricantes, com
produtos e promoções.
Se ocorrer em determinada visita, não obter nenhum
pedido, o Vendedor deverá pelo menos certificar-se
de que, como consequência de cada novo contacto, o
Cliente conhece e compreende melhor sua empresa e
todos os seus produtos e serviços.
26-02-2014
108

54
26-02-2014

FUNÇÕES DO VENDEDOR…
3 – Obter (novas) informações
Para poder planear novas visitas que propiciem obter
pedidos, o Vendedor dever também se certificar de
que deve conhecer melhor o Cliente e todas as suas
necessidades, assim como a atuação da concorrência
junto a ele.
Também conhecer todas as vantagens e a política dos
fabricantes ligado ao ramo de atividade dos Clientes.
109

26-02-2014

FUNÇÕES DO VENDEDOR…
4 – Melhorar o ambiente de relacionamento entre a sua empresas
e o Cliente
Precisa também de se certificar de que, a cada nova visita, o Cliente
aceita melhor e aprecia mais a sua empresa, os seus produtos e
serviços e o próprio Vendedor.
Esses quatro objetivos devem ser atingidos em conjunto. Um não
exclui o outro.
Mesmo quando o Vendedor obtém o Pedido ( primeiro objectivo da
sua função) ele deve passar (novas) informações ao Cliente, obter
(novas) informações e melhorar de uma forma abrangente o
relacionamento da sua empresa e o seu próprio relacionamento
com o Cliente.
26-02-2014

110

55
26-02-2014

FUNÇÕES DO VENDEDOR…
Se o Vendedor não consegue nem obter o Pedido, nem
melhorar o relacionamento com o Cliente, nem fixar
(novas) informações junto ao Cliente ele deve, na pior
das hipóteses, obter (novas) informações que lhe
permitam um melhor planeamento para o futuro.
Quando nenhum desses objetivos é atingido e se a única
coisa que o Vendedor pode anotar no seu Relatório é:
sem novidade ou visitar novamente, então estaremos
diante de:
Uma visita inútil, de alto custo e perda de tempo.
26-02-2014

111

FUNÇÕES DO VENDEDOR…
Para bem cumprir as tarefas, é essencial que o Vendedor
utilize as técnicas de vendas, faça o seu trabalho
completo e com a consequente administração dos
formulário correspondentes.
A simples acção de vender está implícita, na regra
universal:
Vende Melhor Quem Sabe Investir e Planear Melhor.
26-02-2014

112

56

Recomendado para você

Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012

O Facebook também é para estas causas. ... para a Responsabilidade Social. A todos os meus amigos que sejam empregadores ou empregados, que tenham conhecimento de que as vossas empresas estão abertas ou aptas a receber nos próximos tempos ao abrigo do protocolo com o IEFP, estagiários de cursos de Técnico comercial e Técnicos de Marketing, em formação ou recentemente formados em cursos de longa duração, agradecia que me contactassem. Ou então enviem-me os requisitos que pretendem, para o meu e-mail, pmachado.fernandes@gmail.com Atenção que há "malta" com talento e grande qualidade, que com os apoios que as empresas podem auferir hoje em dia, não devem ser desperdiçados. Há estágios possíveis de 45 dias até um ano, dependendo do tipo de curso e sem custos ou com custos muito reduzidos. As áreas que eu posso cooperar convosco, vão desde Torres Vedras, Alenquer, Arruda, Alverca, Lisboa, Sintra, Amadora.... e o etc. se for esse o caso também. Querer ser "bom" formador externo no IEFP dá muito trabalho, por isso preciso da vossa ajuda. Obrigado e um abraço, Para quem partilhar esta informação, dois abraços, ... um meu e outro do formando. http://cdp.portodigital.pt/estagios/programa-de-estagios-nacionais/programa-de-estagios-profissionais-do-iefp

qualidadeformaçãosatisfação de clientes
Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT

O documento apresenta um balanço da atividade formativa da empresa PMF em 2013. Resume que as áreas de educação e formação adequadas para a PMF são ciências da computação e informática para utilizadores. Além disso, mostra que a execução física dos projetos foi totalmente implementada e analisada, e que a avaliação geral da satisfação dos clientes e formandos foi acima da média, embora existam algumas áreas que necessitam de melhoria.

consultoriadgertbalanço atividades
Cv_Formador_Angola
Cv_Formador_AngolaCv_Formador_Angola
Cv_Formador_Angola

Paulo Machado Fernandes é um formador polivalente, persistente e criativo com 49 anos de idade. Ele tem experiência em empreendedorismo, formação de desempregados e explora mercados em Portugal para a NTT.com. Fernandes tem especialização em ciências empresariais e projetos de formação diferenciadores em gestão de processos, marketing digital e gestão da qualidade.

angolacompetênciaseducação
26-02-2014

POR ISSO HÁ QUE TOMAR
A INICIATIVA..

26-02-2014

113

SETH GODIN – Tomar a iniciativa.
Afinal de contas, a nossa sociedade adora festejar o

fracasso. (Já os triunfos não são festejados. Festejar
uma vitória é um ato de jactância (exagero). Mas o
regozijo (Manifestação de contentamento) pelo
fracasso dos outros – isso está bem.

26-02-2014

114

57
26-02-2014

Tomar a iniciativa.
A primeira regra para fazer um trabalho realmente
importante … Trabalhar com regularidade. A arte é
difícil, vender é difícil, escrever é difícil …
fazer a diferença é difícil!

26-02-2014

115

Tomar a iniciativa.
A maioria dos produtos da concorrência também está

isenta de defeitos – o que significa que a qualidade já
não é tão importante como era. Exigimos qualidade,
mas já não temos de andar à procura dela, Se o seu
produto tem qualidade e os outros também, e se é só
isso que me é oferecido, então o que está em causa é
só uma mercadoria e eu compro a que for mais
barata.
26-02-2014

116

58
26-02-2014

Tomar a iniciativa.

Não temos alternativa senão ir além da qualidade e
procurar o que é excecional, coerente e novo. Como

já percebeu, o que é excecional exige iniciativa.

26-02-2014

117

Tomar a iniciativa.

Você pode ter um produto fiável, previsível e barato,
mas se o mercado preferir uma coisa melhor você vêse obrigado a correr atrás dos outros.

26-02-2014

118

59
26-02-2014

Tomar a iniciativa.
Os serviços e os produtos medíocres são aquilo que
deles se espera, mas o grau de exigência é tão baixo
que quase não vale a pena atravessar a rua para os
comprar. A mediocridade está eivada (contaminada)
pela similaridade.

26-02-2014

119

Tomar a iniciativa.
… a melhor maneira de singrar num mundo em
constante mutação passa pela mudança, e essa só
ocorre quando existe alguém disposto a explorar
novas ideias para ver como resultam.

26-02-2014

120

60

Recomendado para você

Debate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em MafraDebate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em Mafra

1) A Old School Radio irá organizar um debate entre representantes de estudantes, governo, sociologia, economia e empreendedorismo sobre o futuro dos jovens em Portugal. 2) O debate será antecedido por uma conferência onde os alunos podem sugerir questões e ideias. 3) Vários cursos como Multimédia e Apoio à Infância ajudarão na gravação, edição e receção do evento.

empreendedor
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013

Paulo Machado Fernandes tem formação em gestão de marketing e serviços de clientes. Tem 26 anos de experiência na área de tecnologia, onde foi responsável comercial de uma empresa de software. Atualmente é empresário e membro de associações de empreendedorismo, apoiando a internacionalização de empresas de tecnologia em Portugal e Espanha.

empresaprojectocompetências
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial EmpreendedorFolhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial Empreendedor

Folhetos desenvolvidos numa ação de formação do IEFP no módulo Perfil e Potencial do empreendedor, para uma população com qualificações inferior ao 6º Ano e desempregados há mais de 3 anos.

empreendedor
26-02-2014

Tomar a iniciativa.

A iniciativa é uma coisa rara. Por isso tem tanto valor.

26-02-2014

121

Tomar a iniciativa.
Se não houver projeto, não há empresa. Navegar à
vista não é opção, pois os projetos não duram para
sempre. As pessoas são as mesmas, a atitude
persiste, mas os projetos têm de ser renovados.

26-02-2014

122

61
26-02-2014

Tomar a iniciativa.
Em muitas empresas existe um departamento
dedicado ao desenvolvimento dos negócios. Não se
trata propriamente de marketing, são pessoas
responsáveis por novas atividades, parcerias e
ideias transformativas.

26-02-2014

123

Tomar a iniciativa.

Todos têm medo de se aventurar demasiado, de ir
mais longe, de se erguer e criar coisas novas.

26-02-2014

124

62
26-02-2014

Tomar a iniciativa.
A curiosidade não é alérgica ao fracasso.
A curiosidade é capaz de nos indicar o caminho da
criatividade, de dar novas ideias ao mundo, de as
analisar, aperfeiçoar e de repetir o processo vezes
sem conta.

26-02-2014

125

Tomar a iniciativa.
Qual a diferença entre ter uma grande ideia, ser
imaginativo e desenrascado … e começar alguma
coisa?
Começar significa que tem de acabar. Se não
apresentar resultados, você falhou. A iniciativa não é
iniciativa, se não for consequente. Começar sem
acabar é gabarolice.
26-02-2014

126

63
26-02-2014

Tomar a iniciativa.

Infelizmente, são muitas as organizações paralisadas
por uma cultura de conformismo.

26-02-2014

127

Tomar a iniciativa.
Não é a dormir que se alcança a grandeza. Assim
não se consegue otimizar o caminho para um
crescimento surpreendente, nem alcançar objetivos
impecáveis.

26-02-2014

128

64

Recomendado para você

Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012

Este curso visa ensinar intra-empreendedorismo ou empreendedorismo dentro de empresas. O curso ensinará como reconhecer o potencial de inovação dentro de uma empresa, desenvolver novos negócios através de briefing estratégico e implementar e monitorar projetos de forma eficaz.

empresacompetênciasorganização
Programa Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced ScorecardPrograma Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced Scorecard

Este documento descreve um programa de formação sobre o Value Balanced Scorecard (VBSC). O objetivo geral é ensinar os participantes a implementar esta metodologia de gestão estratégica. Os objetivos específicos incluem relacionar conceitos estratégicos chave e implementar um sistema de gestão estratégica para alcançar altos níveis de desempenho. O programa dura 12 horas e abrange tópicos como o Balanced Scorecard tradicional, implementação da estratégia, evolução para o VBSC e aplicação prática do modelo.

empresaprojectocompetências
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processosPrograma formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos

O documento apresenta um plano de formação sobre gestão e mapeamento de processos para análise e otimização das operações. O plano inclui objetivos gerais e específicos da formação, bem como um cronograma detalhado com 12 módulos abordando tópicos como mapeamento e melhoria de processos.

empresaprojectocompetências
26-02-2014

Tomar a iniciativa.

As pessoas conseguiram bons empregos porque
deram nas vistas.

26-02-2014

129

Posto isto, é só tomar a iniciativa.
Não tem nada a perder …. AVANCE.
O nosso lugar no mundo é definido pelo modo como
instigamos,

provocamos

e

por

aquilo

que

aprendemos com os acontecimentos de que somos

causadores. Num mundo repleto de mudança, é isso
que conta - a sua capacidade para criar e aprender
com a mudança.
26-02-2014

130

65
26-02-2014

5 – COMPETÊNCIAS DO
PROFISSIONAL DE VENDAS

26-02-2014

131

COMPETÊNCIAS
Diversas capacidades que temos enquanto seres humanos,
mas que sabemos usar numa perspetiva específica, num
contexto único e singular e com objetivos particulares.
Josso, 2001
Uma aptidão individual e subjetiva que permite a
possibilidade de utilizar as suas qualificações, os seus saberes
fazer e os seus conhecimentos para realizar qualquer coisa.
Saber mobilizar os seus conhecimentos, capacidades e
qualidades para fazer face a um problema.
Suleman, 1999
26-02-2014

132

66
26-02-2014

Price Waterhouse Coopers
No relatório anual da Price Waterhouse Coopers, de
2008 (11th Annual Global: “Mais de dois terços dos
CEO’s inquiridos, afirmam que é difícil recrutar
pessoas com uma combinação de experiência técnica
e comercial. (...)

26-02-2014

133

Price Waterhouse Coopers
A vasta maioria dos CEO’s (94%) estão a investir no
treino e desenvolvimento, particularmente em áreas
que as universidades não cobrem tipicamente”.
Cabe-nos a nós, então, descobrir os skills necessários
e dar a formação e acompanhamento para suprir as
necessidades.
26-02-2014

134

67
26-02-2014

COMPETÊNCIAS
COMPORTAMENTAIS

26-02-2014

135

COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS
“Dificilmente vais conseguir mais, do que aquilo que acreditas”.
Acreditar é a pedra basilar na concretização dos objetivos, quer sejam
profissionais, pessoais, desportivos ou afetivos. Já imaginou um atleta do salto
em altura que não acredita que possa ultrapassar determinada marca ? ou
algum tenista que não acredite que consiga ganhar um jogo? ou algum
empresário que não acredite no seu projeto, ou algum vendedor que não
acredite que consiga determinado volume de vendas e depois consigam
superar todos estes desafios? …. Certamente que não, pois o facto de, ainda
que a um nível inconsciente, não acreditarem que conseguem determinado
desempenho, auto condicionam-se, boicotando logo à partida a hipótese de
atingirem tal desempenho.
26-02-2014

136

68

Recomendado para você

Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresasPrograma formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas

This 12-hour course aims to help participants develop an internationalization strategy and tactical plan for a target international market. It will teach them how to research the business environment, understand product/service consumption trends, identify competition/context, define a positioning analysis, and develop an internationalization strategy. The course is intended for professionals looking to participate in a company's internationalization project.

empresaorganizaçãoqualidade
Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012

Paulo Machado Fernandes enviou uma mensagem de Natal e Ano Novo para a empresa Definitivamente Ibérica desejando Feliz Natal e um próspero ano de 2013, e forneceu seus contatos de email e Skype.

natalnavidaddefinitivamente
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciemCv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem

Paulo Machado Fernandes tiene 25 años de experiencia en el mercado de tecnología en Portugal. Actualmente es el CEO de DEFINITIVAMENTE TI y ayuda a empresas ibéricas de tecnología a expandirse internacionalmente. Tiene una maestría en gestión de clientes y una licenciatura en marketing.

26-02-2014

COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS
Certifique-se que os objetivos são exequíveis e acredite que os pode atingir.
Se não tiver objetivos ou os objetivos estiverem mal definidos ou então no caso de ter
uma multiplicidade de objetivos que fazem o cérebro ficar “parado no tempo”, vai
perder eficácia e performance e não vai atingir os objetivos. Os objetivos têm de estar
muito bem definidos e se possível deveremos associar variáveis emocionais e valores ao
objetivo.
“Técnica da negociação com as partes do inconsciente” é uma técnica que ultrapassa as
incompatibilidades que possam existir entre valores e objetivos. Exemplo: tenho como
objetivo comprar o último modelo da carro X, mas a minha consciência diz-me que
tenho de poupar para pagar as futuras propinas na Universidade para os meus filhos. A
técnica é pensar o que teria de acontecer para tudo isto estar alinhado, provavelmente
investir metade do dinheiro numa conta poupança para os filhos e o restante na
aquisição da viatura. Além do compromisso tenho associado o objetivo a um sonho e a
um valor, pelo que imagine impacto que isto pode provocar na comunicação do
indivíduo, na sua Auto motivação, níveis de confiança, etc…
26-02-2014

137

COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS
Evite pensar mal de si próprio.
Algumas pessoas têm uma má auto imagem, ié, os “filmes mentais” que fazem de si
próprios são negativos a vários níveis, como:
a aparência física,
a inteligência,
a capacidade de interação social
espiritualidade
Estes “filmes” vão afetar diretamente a auto estima. Pense nas suas características
positivas e lembre-se que ninguém é perfeito. Com certeza que conhece casos de
sucesso que não reúnem uma ou várias das características atrás mencionadas. Rodeie-se
de pessoas que gostem de si, valorizem as suas melhores características, e que tenham
verdadeiro interesse em ajuda-lo(a). Não se esqueça de retribuir!

26-02-2014

138

69
26-02-2014

COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS
A gestão do “Não”
Eu quero muito este negócio! quero muito fechar esta venda, porque
tenho um sonho muito forte! … Vou ficar desanimado se não fechar a
venda, mas vou ficar por apenas 5 minutos! Cumpro o luto e volto
novamente à luta. O que é que eu tirei de bom desta recusa? que
conclusões poderei obter, no sentido de corrigir processos e contribuir
para que eu possa ganhar o próximo negócio? Cada não que recebo,
estatisticamente só me aproxima do próximo sim. Persistência !

26-02-2014

139

COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS
Linguagem não verbal (postura, gestos, expressões faciais)
A linguagem não verbal representa 55% da importância na
comunicação, 38% é devido ao tom de voz e apenas 7% diz respeito
ao conteúdo propriamente dito. O rapport é portanto fundamental na
comunicação com o prospeto. Nos próximos posts vamos partilhar
consigo algumas técnicas de rapport.

26-02-2014

140

70
26-02-2014

COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS
Celebre a conquista dos objetivos,
reforçando o elo emocional associado à
sua conquista.

26-02-2014

141

http://www.youtube.com/watch?v=xNYtmkxQ0F4

10 COMPETÊNCIAS ESTRATÉGICAS
COMPORTAMENTAIS
1. Produto do produto
Você acredita na sua solução mais do que é certo, que é o Sol é que aquece a Terra. Você conhece
as características, a aplicabilidade, os benefícios e resultados dela.
2. Mestre em relacionamentos
Todo o desconhecido se transforma num amigo quando o vendedor inicia o processo de vendas. A
sua rede de relacionamentos é seu maior património. Ajuda as pessoas e elas o ajudam. Sorri pra as
pessoas e elas vão-lhe sorrir também.
3. Têm potenciais clientes para ver todos os dias
Campeão de Vendas e baseia-se em todas as fontes de prospeção para ter potenciais clientes para
visitar sempre. Ele pede pelo menos quatro referências a cada cliente que visita.
4. Faz diagnósticos precisos
Vendedor de sucesso é um ouvinte esforçado, concentrado. É um campeão em perguntas que
permite ao cliente mergulhar nas suas necessidades.
26-02-2014

142

71
26-02-2014

10 COMPETÊNCIAS ESTRATÉGICAS
COMPORTAMENTAIS
5. Hábil Negociador
O vendedor profissional cria uma atmosfera que permite concessões mútuas e faz com que o cliente
tenha a sensação de que está a ganhar e de que está a fazer um excelente negócio.
6. Especialista em Fecho
Todos os vendedores com desempenho superior ajudam sutilmente o cliente decidir. Ele cria as
condições necessárias para os cliente pedirem para comprar.
7. Tem o espírito de serviço
Todo vendedor bem-sucedido tem o espírito de servir, de ajudar, de alegrar-se com a prosperidade de
seu cliente. Trata-se de um desejo genuíno, de uma atitude voluntária de ajudar de os clientes serem
melhores também.
8. Usa regularmente as seis palavras mágicas
Para encantar o cliente, gera afetividade e um clima amistoso, começa com as seis palavras mágicas: 1.
Olá (ou bom dia, boa tarde, boa noite); 2. Como está?; 3. Com licença; 4. Desculpe; 5. Obrigado 6. Até
logo.

26-02-2014

143

10 COMPETÊNCIAS ESTRATÉGICAS
COMPORTAMENTAIS
9. Tem excelente produtividade pessoal
Produtividade é essencial a um bom vendedor. O seu tempo é precioso. É o seu maior capital.
São atitudes de alto valor: 1. uma lista diária das atividades; 2. Agenda para calendarizar
entrevistas, visitar clientes, etc; 3. Concentra-se em atividades que aumentam as vendas (visitas,
telefonemas, pós-venda, “advogado” do cliente, etc.).
10. É entusiasta
Entusiasmado é aquele que tem o Deus dentro de si, segundo a origem grega da palavra. Todos
os vendedores têm orgulho no seu trabalho. Sem ele, a economia não anda e os negócios não
evoluem. Ele exala sua confiança e otimismo pelo sorriso, pelas atitudes positivas, pela alta
produtividade, pelo respeito ao cliente e pela crença nas suas solução.

26-02-2014

144

72

Recomendado para você

Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012

Definitivamente TI busca ser una empresa líder en la creación de sinergias entre compañías tecnológicas ibéricas. Su nuevo modelo de negocio se basa en el cross-selling internacional y la cooperación entre empresas tecnológicas de Portugal y España. Este enfoque estratégico responde a las demandas del mercado y las tendencias del siglo XXI mediante la creación de valor entre socios y el ofrecimiento de mejores productos y servicios como resultado de la colaboración empresarial ibérica.

startuptecnologiaibérica
Ciem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . PonenciaCiem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . Ponencia

Madrid 2012 - 2ª Conferência Ibérica

startuptecnologiaibérica
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento

Este documento presenta el programa de la 2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento organizada por la Facultad de Ciencias Económicas y Empresariales de la UAM y la Asociación Portuguesa para el Emprendimiento. El programa incluye conferencias, mesas redondas y presentaciones sobre temas relacionados con el emprendimiento como el apoyo a emprendedores, competencias emprendedoras, redes de emprendimiento y tendencias en investigación sobre emprendimiento. Los eventos se celebrarán durante dos días en las instalaciones de la Facultad de

startuptecnologiaibérica
26-02-2014

COMPETÊNCIAS TÉCNICAS

26-02-2014

145

COMPETÊNCIAS TÉCNICAS
A formação acadêmica e outras competências técnicas sempre foram

consideradas

importantes

numa

trajetória

de

sucesso.

Porém,

atualmente, ninguém nega que a personalidade também é determinante
ou até mais determinante para o sucesso. Apenas não se falava muito
disso, ou não se tinha consciência do tamanho da sua importância num
bom desempenho profissional. Hoje é indiscutível que cuidar da própria
empregabilidade vai muito além dos títulos académicos e experiência
profissional.

A

empregabilidade

passa,

principalmente,

pelas

competências comportamentais e pelo aprimoramento da própria

personalidade.
26-02-2014

146

73
26-02-2014

COMPETÊNCIAS TÉCNICAS
Uma boa decisão é sempre o resultado da combinação das
competências racionais (técnicas) e emocionais ou ainda, da

integração das funções que estão presentes no hemisfério
esquerdo (razão) e direito (emoção) do nosso cérebro. É um
engano pensar que não há sentimentos e emoções em qualquer
decisão que tomamos, por mais racional que pareça ser ou
queremos que ela seja.

26-02-2014

147

COMPETÊNCIAS TÉCNICAS
A competência emocional, neste momento e no mundo
corporativo, é de fundamental importância.
Hoje já se sabe, através de vários estudos, que o diferencial de
sucesso de muitos empreendedores, líderes mundiais e
benfeitores da humanidade está mais na sua personalidade do
que num pressuposto saber académico.

26-02-2014

148

74
26-02-2014

6 – COMPETÊNCIAS DE
COMUNICAÇÃO NA VENDA

26-02-2014

149

VENDA E O PROCESSO DE
COMUNICAÇÃO
“Esqueça a concorrência externa quando o seu pior inimigo é a
forma como a comunicação acontece internamente.” (Jack
Welch)
Uma boa comunicação entre (todos!) os membros da equipa,
para “compreender” o cliente e propor a melhor solução a longo
prazo.
26-02-2014

150

75
26-02-2014

VENDA E O PROCESSO DE
COMUNICAÇÃO

Comunicação não é o que tu dizes.
É o que o outro entende.

26-02-2014

151

VENDA E O PROCESSO DE
COMUNICAÇÃO
Comunicar é:
Partilhar informação;
Conversar;
Informar;
Alertar;
Dialogar;
Atender.
26-02-2014

152

76

Recomendado para você

Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)
Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)
Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)

Definitivamente TI tiene la intención de ser una empresa líder en la creación de sinergias entre empresas tecnológicas ibéricas. Su nuevo modelo de negocio se basa en el cross-selling internacional y la cooperación entre empresas tecnológicas de Portugal y España. Este enfoque estratégico responde a las demandas del mercado y las tendencias del siglo XXI. Definitivamente TI también apoya el emprendimiento proporcionando mentoría y acompañamiento a nuevos emprendedores hasta un año en el mercado real.

startuptecnologiaibérica
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012

Para os meus amigos, que não vão poder estar na próxima semana no CIEM 2012 em Madrid, apresento-vos em primeira mão a minha apresentação. Muito obrigado pela força que muita gente me tem dado. Quando regressar dou noticias e feedback sobre o mesmo. Abraço a todos. Paulo Machado

emprendimientostartuptecnologia
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de EmpreendedorismoFormulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo

Em anexo, está o formulário de inscrição para quem pretender participar e assistir á conferência ibérica de empreendedorismo. Para mais informações: http://www.empreend.pt/conferencia2012/

startuptecnologiaibérica
26-02-2014

VENDA E O PROCESSO DE
COMUNICAÇÃO
Mensagem
Emissor

→→→→→→→→→→ Receptor
Canal
Feedback
Barreira de Comunicação

26-02-2014

153

VENDA E O PROCESSO DE
COMUNICAÇÃO
- Feedback – é a resposta que o receptor dá ao de
uma mensagem/comunicação.
- Emissor – é quem emite a mensagem
- Receptor – e quem recebe a mensagem

26-02-2014

154

77
26-02-2014

VENDA E O PROCESSO DE
COMUNICAÇÃO
Só retemos:
20% do que ouvimos
30% do que vemos
50% do que vemos e ouvimos em simultâneo
70% do que vemos ouvimos e discutimos
26-02-2014

155

VENDA E O PROCESSO DE
COMUNICAÇÃO
Antes de comunicar, devemos planear a comunicação
tendo em conta:
A nossa relação com o interlocutores
A opinião sobre o assunto em causa
A forma mais adequada de comunicar
As características do interlocutor
26-02-2014

156

78
26-02-2014

O CLIENTE
A venda como elemento de comunicação de MKT.
Objetivo da força de vendas é:
Comunicar o que é o produto.
Colocar o produto no mercado satisfazendo o cliente.
Transmitir ao mercado uma imagem positiva do
produto e da empresa.
Ser uma fonte de informação sobre o mercado.

26-02-2014

157

COMPORTAMENTOS

26-02-2014

158

79
26-02-2014

• COMPORTAMENTOS NÃO ASSERTIVOS
• 1-Comportamento Passivo

É aquele em que a pessoa falha na expressão das suas
necessidades ou preferências, emoções e opiniões.
Na medida em que a pessoa que tem este
comportamento é a primeira a violar os seus próprios
direitos, acaba por dar ao outro a permissão para,

também ele, o fazer.
26-02-2014

159

• COMPORTAMENTOS NÃO ASSERTIVOS
• 2-Comportamento Agressivo
• É aquele em que a pessoa expressa as suas necessidades ou
preferências, emoções e opiniões, mas de uma forma que é
hostil, exigente, ameaçadora ou punitiva para com o
interlocutor. A pessoa que tem este comportamento defende os
seus direitos, mas fá-lo à custa da violação dos do outro

26-02-2014

160

80

Recomendado para você

A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx

Com objetivo de desenvolver potencialidades individuais e promover um ambiente escolar inclusivo, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) reorganiza e amplia o ensino colaborativo dentro do âmbito da Educação Especial no ensino regular. Professores especializados, aptos para promover metodologias inclusivas para o aprendizado de estudantes com deficiências, Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou altas habilidades e superdotação, vão estar presentes na rotina escolar, com atuações no turno, juntos aos professores regentes, responsáveis pelo aprendizado em sala de aula.

inclusãofacilitar o ensino.colaborativo
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf

O trabalho colaborativo consiste em estratégia pedagógica em que o professor do ensino comum e o professor especialista planejam, de forma articulada, procedimentos de ensino para o atendimento a estudantes público- alvo da educação especial, mediante ajustes por parte dos professores.

educacaoespecialtrabalho
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver

Em um livro que se tornou um clássico, Richard M. Weaver diagnostica impiedosamente as doenças de nossa época, oferecendo uma solução realista. Ele afirma que o mundo é inteligível e que o homem é livre. As catástrofes de nossa época não são produto da necessidade, mas de decisões pouco sábias. Uma cura, ele sugere, é possível. Ela encontra-se no uso correto da razão, na renovada aceitação de uma realidade absoluta e no reconhecimento de que as ideias – como as ações – têm consequências.

filosofiaideiasciencias socais
26-02-2014

• COMPORTAMENTOS NÃO ASSERTIVOS
• 3-Comportamento Manipulativo

• É aquele em que o cliente expressa as suas necessidades,
preferências, emoções e opiniões de uma forma implícita ou
indireta. Frequentemente utiliza «mensagens mistas», em que
existem contradições no conteúdo ou entre o conteúdo e o
comportamento não verbal.

• É o caso de mensagens cujo objetivo é levar o interlocutor a
adivinhar o que quer dizer, a sentir-se mal ou responsável, que
fará o que ele quer contra a sua vontade. O vendedor que tem
161
este comportamento procura a satisfação das suas necessidades

26-02-2014

violando os direitos dos outros, mas fá-lo de forma indireta.

• COMPORTAMENTO ASSERTIVO
• O comportamento assertivo pode ser definido como aquele
que envolve a expressão direta pelo cliente, das suas
necessidades ou preferências, emoções e opiniões sem que,
ao fazê-lo, ela tenha uma ansiedade indevida ou excessiva, e
sem ser hostil para o interlocutor.
• É por outras palavras, aquele que permite defender os
próprios direitos sem violar os direitos dos outros.
26-02-2014

162

81
26-02-2014

• COMPORTAMENTO ASSERTIVO
•

Um aspeto que é importante ter em conta é que NINGUÉM é 100% assertivo
com todas as pessoas e em todas as situações.

•

Para cada pessoa, a facilidade que tem em comportar-se de forma assertiva

depende muito da pessoa a quem esse comportamento se dirige (pais,
professores, amigos, namorado/a, crianças, etc) e da situação em que se
encontra (autoafirmação, expressão de sentimentos positivos, expressão de
sentimentos negativos, etc).
•

Quando muito, pode-se dizer que a pessoa assertiva é capaz de se comportar
com assertividade com muitas pessoas e em muitas situações.
26-02-2014

163

• COMPORTAMENTO ASSERTIVO
• A assertividade é uma escolha. Da mesma forma que
determinada pessoa aprendeu a comporta-se de forma não
assertiva, pode aprender um conjunto de competências que
lhe permitam comportar-se com maior assertividade.

26-02-2014

164

82
26-02-2014

PARA OS OBJETIVOS DA
COMUNICAÇÃO SEREM PLENAMENTE
ATINGIDOS, É IMPORTANTE:
•

O que se Diz - deve ter interesse para o cliente, ser coerente e trazer resultados

•

Como se Diz - a forma de dizer é tão importante quanto o conteúdo. Pode modificar o sentido das
palavras e da frase.

Exemplo: “Eu não disse que ele roubou o dinheiro!”
Leia-se agora a frase dando ênfase às palavras sublinhadas:

–
–
–
–
–

“Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (Então quem disse?)
“Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (Lembra-se de eu já ter dito isto?)
“Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (Então quem roubou?)
“Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (Então como conseguiu o dinheiro?)
“Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (O que é que ele roubou?)

Como se pode observar, a mesma frase tem 5 significados diferentes,
dependendo do elemento onde e coloca o ênfase
26-02-2014

165

Princípios Básicos da Comunicação
Interpessoal
•

A comunicação interpessoal envolve o envio de mensagens entre o comprador
e o vendedor. Cada um analisa as mensagens do outro, enviando de seguida a
mensagem de resposta, formando assim um ciclo.

•

Nesta comunicação existem regras (ex. não interromper quem está a falar).

•

Esperar pela nossa vez de falar. A comunicação é sequencial.

•

Deve existir coerência para que as pessoas se entendam. Cada afirmação do
vendedor deve estar relacionada com a do comprador.

•

Estamos sempre a comunicar, mesmo quando não proferimos uma única
palavra (através do tom de voz, a forma de vestir, o olhar, as expressões faciais –
linguagem não verbal).

26-02-2014

166

83
26-02-2014

PROCESSO DE VENDA
Perguntas podem ter a função de:
Despertar atenção.
Obter informação.
Dar informação.
Ativar o raciocínio.

Conduzir a uma conclusão.

26-02-2014

167

COMUNICAÇÃO
• Erros da comunicação

– Não entender e não perguntar
– Entender e não responder
– Falar rapidamente e não esperar pela resposta
– Não ser claro e objetivo

26-02-2014

168

84

Recomendado para você

Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf

libras do zero

idiomas
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia

arteterapia terapia ocupacional

escritacriativaeducacao
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx

Plano analítico

26-02-2014

COMUNICAÇÃO
• Bases da comunicação.
• As recompensas das boas comunicações são grandes, mas

difíceis são os meios de as obter, para isso é sempre preciso
estar atento às bases da boa comunicação, para que ocorra a
comunicação entre duas pessoas (transmissor/recetor) é vital
que se observe as seguintes regras:

26-02-2014

169

DICAS PARA UMA
BOA COMUNICAÇÃO
Dicas para uma boa Comunicação verbal
Uma boa comunicação verbal precisa de um estímulo inicial, boas
perguntas e um ouvido generoso para ser bem sucedida.
Estímulo Inicial
Quem desejar ser considerado um bom comunicador precisa de ter
em atenção para o quê especificamente atrai as pessoas e quais são
as palavras mágicas que ligam as “antenas” do interlocutor. A boa
notícia é que todos sabemos de fazer isso desde criança, mas
acabamos por nos limitar pelo excesso de regras que a sociedade cria
para se livrar das pessoas excessivamente persuasivas em comunicar.
26-02-2014

170

85
26-02-2014

DICAS PARA UMA
BOA COMUNICAÇÃO
Vejam a seguir como é interessante o efeito que algumas
palavras geram em nós e como elas nos atraem:
- Meu amigo, preciso de te contar uma coisa que não vais
acreditar....
- Já sabes a última?
- Tenho um segredo para te contar, conto agora ou mais tarde?
- Dá uma vista de olhos nisto, acho que nunca viste nada igual...
- Acabei de falar com o chefe, nem imaginas o que ele disse?
- Sabe quem perguntou por si?
- Informação importante, última hora, últimas notícias a
respeito...
26-02-2014

171

DICAS PARA UMA
BOA COMUNICAÇÃO
Boas Perguntas
Sabe qual é o impacto que as perguntas geram no nosso cérebro?
Você pode inclusive não responder, mas quando alguém lhe pergunta: Qual é
a praia mais bonita que conheces? Quais as imagens que aparecem na tua
mente? Tenta procurar escolher uma, entre todas as que conheces? Ou não
tens opinião formada sobre as praias?
Independente de responder verbalmente ou não, tenho a certeza que o seu
cérebro de uma forma voluntária começou a pensar no assunto.
Concorda que perguntas são a chave para fazer o nosso cérebro pensar sobre
o conteúdo da pergunta?
26-02-2014

172

86
26-02-2014

DICAS PARA UMA
BOA COMUNICAÇÃO
Antes de abandonar o trabalho e correr para a praia, vou-lhes colocar
algumas questões sobre a vossa vida profissional:
1) Como é que chegaste a esta profissão?
2) O que gostas mais no trabalho que realizas?
3) Quem são as pessoas que valorizam mais o teu trabalho?
4) Onde pretendes estar profissionalmente daqui a cinco anos?
5) Quando é que vai ser a próxima promoção?
6) Qual é o reconhecimento que queres obter na tua profissão?
7) Por que é que fazes, o que fazes hoje?
26-02-2014

173

PROCESSO DE VENDA
Perguntas no processo de venda:
Façam perguntas que ajudem a identificar as principais motivações
de compra.
Não façam perguntas que possam deixar o cliente em situação

difícil, ele pode oferecer uma resistência irreversível.
Perguntas sobre as regras de bom senso.
Não fazer perguntas iniciadas por NÃO.
Não utilizar diminutivos nas perguntas.
Pergunte e …. Cale-se.
26-02-2014

174

87
26-02-2014

TÉCNICAS DE CONTROLO DA
COMUNICAÇÃO

26-02-2014

175

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?

A assertividade é uma escolha. Da mesma forma que
determinada pessoa aprende a comporta-se de forma não
assertiva, pode aprender um conjunto de competências que lhe
permitem comportar-se com uma maior assertividade. Que
vantagens tem em fazê-lo?

26-02-2014
176

88

Recomendado para você

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...

Slideshare Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no culto, para edificação doutrinária da Igreja, 3Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV, 3° TRIMESTRE DE 2024, ADULTOS, EDITORA BETEL, TEMA, A RELEVÂNCIA DA IGREJA, SUA ESSÊNCIA E MISSÃO, Reafirmando os fundamentos, a importância do compromisso, com a Palavra de Deus, a Adoração sincera e, o serviço autêntico, segundo os preceitos, de Jesus Cristo, estudantes, professores, Ervália, MG, Imperatriz, MA, Cajamar, SP, estudos bíblicos, gospel, DEUS, ESPÍRITO SANTO, JESUS CRISTO, Comentários, Pr. Josué Rodrigues de Gouveia, Com. Extra Pr. Luiz Henrique, 99-99152-0454, Canal YouTube, Henriquelhas, @PrHenrique

slideshare lição 2betela
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf

Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM https://www.gov.br/censipam/pt-br

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.

A Escola Municipal Santa Maria, foi fundada em 05 de abril de 1987 com o objetivo de acolher as crianças em idade escolar, que se encontravam excluídas por falta de vagas nas escolas do Bairro Nova Imperatriz, preocupação de sua fundadora e professora Maria Vieira, que na época exercia a função de tesoureira da Associação São José, do Bairro Nova Imperatriz. O nome da escola foi escolhido pela associação do bairro.

escola santa mariafundação escola santa mariaminha escola tem história
26-02-2014

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
A resposta a esta questão pode ser dada, em primeiro lugar, pela análise das
consequências de cada tipo de comportamento. É importante não esquecer que
os comportamentos que temos não ocorrem num vácuo – eles repercutem
sobre a pessoa que os tem e sobre aquele que os recebe, quer de forma
imediata, quer a longo prazo. O que acontece é que, ainda que os
comportamentos não assertivos tenham, a curto-prazo algumas consequências
positivas para o próprio (que é, aliás, o que explica que se mantenham), as suas
consequências são, num balanço global, negativas; os comportamentos
assertivos são, por outro lado, quase sempre vantajosos
26-02-2014
177

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Se ainda não estás convencido, tem em atenção o seguinte: a
assertividade, depois de aprendida, poderá vir a ser mais uma
ferramenta, de entre um conjunto de que já dispões. Nada te
obriga a utilizá-la, mas caso ela se venha a revelar necessária, é
bom saber que lá está.
Conhecimento dos próprios direitos
A primeira mudança é interna, e passa por adquirir
conhecimento dos direitos que te assistem (e igualmente, a cada
uma das pessoas que te rodeiam). Uma amostra destes direitos
poderá ser a seguinte:
26-02-2014
178

89
26-02-2014

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Eu tenho o direito de ser respeitado e tratado de igual para igual,
qualquer que seja o papel que desempenho ou do meu estatuto
social.
Eu tenho o direito de manter os meus próprios valores, desde que
eles respeitem os direitos dos outros
Eu tenho o direito de expressar os meus sentimentos e opiniões.
Eu tenho o direito de expressar as minhas necessidades e de pedir o
que quero.
Eu tenho o direito de dizer não sem me sentir culpado por isso.
Eu tenho o direito de pedir ajuda e de escolher se quero prestar
26-02-2014
ajuda a alguém
179

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Eu tenho o direito de falar mal do formador.
Eu tenho o direito de me sentir bem comigo próprio sem sentir
necessidade de me justificar perante os outros.
Eu tenho o direito de mudar de opinião.
Eu tenho o direito de pensar antes de agir ou de tomar uma
decisão.
Eu tenho o direito de dizer «eu não estou a perceber» e pedir
que me esclareçam ou ajudem.
Eu tenho o direito de cometer erros sem me sentir culpado.
Eu tenho o direito de fixar os meus próprios objetivos de vida e
lutar para que as minhas expectativas sejam realizadas, desde
que respeite os direitos dos outros.
26-02-2014
180

90
26-02-2014

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Tem também em conta algumas coisas que podes estar a dizer a
ti próprio e que podem estar a tornar difícil comportares-te de
forma assertiva. Alguns exemplos destes «pensamentos
bloqueadores da assertividade» são os seguintes:
Pensamentos sobre direitos e responsabilidades
Não tenho o direito de recusar pedidos aos meus amigos.
Não tenho o direito de fazer pedidos às outras pessoas.
Não tenho o direito de discordar com os outros, particularmente
com a autoridade.
Não tenho o direito de ficar zangado, particularmente com as
pessoas de quem gosto.
26-02-2014
181

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Pensamentos sobre a imagem que quero dar de mim
Tenho que ser amado ou, pelo menos admirado por todos os
que me rodeiam.
Tenho que ser perfeito e nunca cometer erros.
Pensamentos sobre as consequências prováveis do meu
comportamento

Se eu criticar a pessoa X, coisas terríveis poderão acontecer.
26-02-2014
182

91
26-02-2014

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Se algum destes pensamentos reflete uma crença tua, submete-o a
uma análise racional. Isto pode ser feito quer invertendo as

perspetivas das pessoas envolvidas (aquilo que vale para ti
também vale para os outros?), quer procurando factos que o
sustentem ou não (que provas tenho de que isto é verdade?), quer
questionando o seu valor prático (em que é viver de acordo com
este pensamento me tem ajudado até aqui?). Se o pensamento
não sobreviver a esta análise, então, mais vale pô-lo de parte...
26-02-2014
183

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Em alguns casos contudo, a análise sugerida não chega para
neutralizar estes pensamentos, e eles continuam a surgir,
bloqueando o comportamento assertivo – nestes casos,
considera-se a possibilidade de interromper este pensamento e
agir (assertivamente) como se este não existisse – esta ação
pode parecer um tiro no escuro, mas os resultados vão

frequentemente demonstrar por si só, que afinal o pensamento
não se justificava.
26-02-2014
184

92

Recomendado para você

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24

Auxiliar escola sabatina

Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.

O esgoto que produzimos passa por um longo processo de tratamento nas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) até retornar ao meio ambiente. O primeiro passo começa dentro da própria residência ao interligar o sistema de esgoto à rede coletora .

tratamento de esgoto (ete)a água que usamoscoleta e tratamento de esgoto
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais

Temática – Projeto para Empreendedores Locais Objetivo ·Desenvolver a curricularização da extensão no curso da área de Negócios, proporcionando aos alunos a oportunidade de aplicar seus conhecimentos teóricos em situações práticas, ao mesmo tempo em que contribuem para o desenvolvimento da comunidade local. Público-alvo Estudantes de todas as idades e níveis de ensino da comunidade local. Descrição da Atividade Veja, a seguir, a descrição do projeto a ser desenvolvido. Todas essas ações devem ser consideradas, pois elas serão a evidência de toda a sua trajetória. Diagnóstico Inicial Você deve realizar um diagnóstico inicial da situação dos empreendimentos existentes na comunidade. Assim, faça uma análise de documentos existentes na empresa a ser orientada e uma avaliação do contexto econômico da comunidade. Elaboração de Propostas Apresente, com base no diagnóstico, propostas de melhorias para os empreendedores locais. Isso pode incluir orientações para a organização financeira, sugestões de redução de custos, elaboração de relatórios financeiros mais eficientes, entre outras ações. Avaliação do Impacto Detalhe, ao final do projeto, os resultados obtidos e uma avaliação do impacto das mudanças implementadas nos empreendimentos, para subsidiar o preenchimento do “Relatório de Extensão”. Poderão ser analisados indicadores contábeis, econômicos e sociais para mensurar o sucesso do projeto. Relatório final Você deverá preparar um relatório final que detalhará o processo de desenvolvimento e de aplicabilidade da atividade, os resultados e as lições aprendidas, de acordo com o template “Relatório das Atividades de Extensão”. Continuidade da atividade A ampliação da temática dessa atividade de extensão ocorrerá a cada semestre do curso e poderá contar com parcerias junto a organizações locais, criar grupos de voluntariado ou estender suas atividades para demais membros desta ou de outras comunidades.

temáticaprojetoempreendedores
26-02-2014

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?

O passo seguinte é o de defender os teus direitos de uma forma
a que seja eficaz.
Isto requer a aquisição e treino de um conjunto de aptidões.
De entre o conjunto de técnicas, escolhe aquelas que pensas que
te serão mais úteis e adapta-as ao teu estilo pessoal.

26-02-2014
185

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Aptidão : Ser Claro, conciso e específico
Como?:
Diz aquilo que queres realmente dizer, de uma forma o mais direta possível.
Se necessário, dá exemplos que ilustrem aquilo que queres dizer.
Não pressuponhas que a outra pessoa já sabe o que queres apenas porque tu
sugeriste ou deste umas pistas – ela não sabe ler o teu pensamento.
Não faças prefácios ás tuas frases ou pedidos com desculpas, justificações ou
coisas irrelevantes, falando muito para dizer pouco – o recetor recebe uma
mensagem pouco clara e pode interpretá-la mal ou interromper-te antes de
acabares.
Exemplo: Em vez de se dizer ao empregado do cliente:” Desculpe, eu e o seu
chefe falámos ao telefone. Ele não lhe disse nada?”
Dizer: ”Combinei com o seu chefe que passaria cá para buscar o cheque. Já
está pronto? “
26-02-2014
186

93
26-02-2014

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Aptidão : Usar frases na 1ª pessoa
Como?:Não há inicio sem o EU – dizeres «eu» significa que
assumes a responsabilidade pelos teus pensamentos,
sentimentos e ações e que não culpas os outros.
Exemplo: Em vez de «tu irritas-me», dizer «eu sinto-me irritado»
Em vez de «tem razão», dizer «eu concordo»
Em vez «sabe como é, ninguém consegue decidir sobre estes
pontos, não é?», dizer «eu estou a ter dificuldade em decidir»
26-02-2014
187

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Aptidão : Empatia
Como?: Reconhece o que o recetor diz sobre a sua situação, dificuldades,
sentimentos e opiniões – ele saberá que tu o estás a ouvir e a prestar
atenção ao que é importante para ele, e isto constrói a compreensão
entre os dois.
Exemplo:
A: Pode-me dizer se consegue entregar a mercadoria para a semana?
B: Tenho pena, mas as greves dos camionistas estão a dificultar-nos as
entregas e pode ser que haja um atraso.
A: Eu compreendo que lhe estejam a criar dificuldades (empatia), mas já
está atrasado uma semana e eu gostaria de colocar a mercadoria em
produção na Segunda Feira.
26-02-2014
188

94
26-02-2014

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Aptidão :Respeitar os outros
Como?: O outro, tal como tu, tem uma opinião e sentimentos sobre as
situações. Quando criticas alguém ou rejeitas um pedido, mostra que, longe
de ser um ataque pessoal a esse alguém como um todo, estás a dizer algo de
específico ao comportamento/pedido em questão.
Exemplo:
A: «Fico contente por me receber de uma forma tão simpática, mas será que
seria possível não me deixar tanto tempo à espera. È que a minha volta pelos
clientes é grande e aqui atraso-me sempre. (apreciação seguida de crítica
construtiva e pedido de mudança).
Ou
A: «Vamos tomar um copo depois das sete»
B: «Hoje não posso pois tenho um cliente na Covilhã, mas gostava de falar um
bocado consigo noutro dia. (rejeita o pedido e mostra apreço quando sugere
adiar para outro dia).
26-02-2014
189

TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO
O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais
assertiva?
Nota Final:
A assertividade não garante a não ocorrência de conflitos entre
duas pessoas; o que acontece é que, se duas pessoas em
desacordo comunicam de forma assertiva, é mais provável que
reconheçam que existe um desacordo e tentem chegar a um
compromisso ou, simplesmente, decidam manter a sua posição
respeitando a do outro.
Em todo o caso, tu só és responsável pelo teu próprio
comportamento – se a outra parte do conflito decidir comportarse de forma não assertiva, o problema é dela. Mas Lembrem-se:
Simpatia gera simpatia.
26-02-2014
190

95
26-02-2014

ESCUTA ATIVA

26-02-2014

191

Técnicas de expressão (oral)
A Expressão Oral é uma das formas pelas quais se opera a
transmissão de ideias, aliás sendo a mais comum, é também a
forma em que as pessoas mais erram em termos de eficiência da
comunicação. Trata-se da mensagem falada.

26-02-2014

192

96

Recomendado para você

Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf

Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM https://www.gov.br/censipam/pt-br

Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!

Também chamado de intimidação sistemática, é considerado bullying “todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima.

acróstico bullyingbullying na escolabullying não é brincadeira
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf

O Dia Mundial dos Avós é celebrado em 26 de julho, porque esse é o Dia de Santa Ana e de São Joaquim. São Joaquim e Santa Ana eram os pais da Virgem Maria. Portanto, eles eram os avós de Jesus Cristo, que por esse motivo são considerados pela Igreja Católica os padroeiros de todos os avós. O dia 26 de julho era uma data dedicada apenas aos santos, sem destacar a homenagem aos avós, até que a data foi instituída pela Assembleia da República Portuguesa em 2003, graças a uma senhora portuguesa. A senhora era Ana Elisa Couto (1926-2007), conhecida como Dona Aninhas. Ela tinha 6 netos e durante quase 20 anos reivindicou a instituição de uma data comemorativa para os avós

anaelisacouto
26-02-2014

Técnicas de expressão (oral)
• Podemos dividir a palavra falada, ou de
expressão oral, em alguns tópicos principais,
os quais estudaremos com mais detalhes de
seguida:
•
•
•
•
•
•
•
•
•

-Dicção.
- Respiração.
- Ressonância.
- Velocidade.
- Pausa.
- Volume.
- Tom.
- A alternância. Teoria do Gráfico.
- Vocabulário.

26-02-2014

193

Técnicas de expressão (oral)
• A questão é que enquanto cultural, é algo que pode levar
muito tempo para ser percebida (na convivência profissional,
política etc.), …. a má dicção leva apenas alguns segundos.
Ora, os ouvintes associam uma má expressão oral a uma
formação cultural ou intelectual deficiente.

26-02-2014

194

97
26-02-2014

Técnicas de expressão (oral)
• Portanto,

uma

pessoa

com

má

dicção

terá,

consequentemente, problemas no que respeita à sua

argumentação, pois encontrará barreiras à persuasão da
audiência a quem se dirige.
• E isto dá-se em razão de ter a sua autoridade diminuída em
face da associação que os ouvintes fazem entre o intelecto e a
expressão oral.
26-02-2014

195

Técnicas de expressão (oral)
• Erros Comuns
• a) troca de “pr” por “p + vogal + r”. Ex.: precisa por “percisa”
• b) omissão do “r” final ou vogal final. Ex.: Ao invés de vou
buscar, usar “Vô buscare”.
• c) supressão de vogais internas: Ex.: leiteiro por “letero”.
• d) erro de colocação de consoantes. Ex.: iogurte por “iorgute”.
• e) troca de consoantes. Ex.: Salsicha por “chalsicha” ou
“chalchicha”.

26-02-2014

196

98
26-02-2014

Técnicas de expressão (oral)
• VÍCIOS
• Existem diversos vícios relativos ao vocabulário, que se não
evitados, podem comprometer a mensagem do orador e até
da sua própria imagem. De entre os principais há a destacarse:
• 1- Uso de palavrão ou gíria: Um dos mais tolos enganos que
um orador pode cometer é imaginar que, ao usar gírias ou
palavrões irá se aproximar, ganhar intimidade com seus
ouvintes. Pelo contrário, a experiência demonstra que o uso
de tal “recurso” apenas diminui o respeito e a credibilidade
em relação ao orador.
26-02-2014

197

Técnicas de expressão (oral)
• 2- Obscuridade: Trata-se do uso inapropriado de termos
(geralmente por não se saber o real significado da palavra
empregada) ou má colocação das palavras.
• 3- Cacofonia: Diz respeito à construção frásica de má
sonoridade. Ex.: “...um por cada...”, “...na boca dela”, “...gosto
da cor vinho”, “...da vez passada”.
• Vejamos um belo exemplo: “O Sr. Vitor irritou-se por ver na
boca dela a cor vinho na vez passada”.
26-02-2014

198

99
26-02-2014

Técnicas de expressão (oral)
• 4- Pleonasmo: É a redundância dos termos. Ex.: “subir para
cima”, “descer para baixo”.

• 5- Chavões: O uso de chavões serve apenas como indicativo
da falta de preparação do orador. É necessário evitá-los ao
máximo. Ex.: “...o futebol é uma caixinha de surpresas...”

26-02-2014

199

Técnicas de expressão (oral)
• Como aprimorar o vocabulário e a gramática

• Existem diversos métodos que se poderiam aconselhar, de
entre eles a leitura acompanhada de um bom dicionário, é
claro. Mas, a melhor forma de se aumentar o vocabulário
ativo consiste na exteriorização das ideias, quer através da

escrita, quer da fala.
26-02-2014

200

100

Recomendado para você

LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf

Mensagem de férias

mensagem
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.

Resolver as operações de adição, subtração, multiplicação e divisão, seguindo as setas.

adição subtração multiplicação e divisãoresolver seguindo as setasjogando brincando e aprendendo matemática
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf

Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM https://www.gov.br/censipam/pt-br

26-02-2014

ESCUTA ATIVA

26-02-2014

201

DICAS PARA ESCUTA ATIVA
Ouvir com generosidade
Gostas de ser interrompido quando expões conteúdo?
Conheces alguém que goste de ser anulado nas suas opiniões?
Consegues manter-te um ouvinte ativo quando o assunto não é
do teu interesse?
Possuis autocontrole para ouvir quando alguém está a
questionar ou a criticar o teu serviço?
Tornar-se um bom ouvinte e ativo é um trabalho de
autodesenvolvimento fantástico, mas sabes quem são os nossos
melhores professores neste tema?
Pensa no seguinte: Porque é que procuras os teus AMIGO(A)S
do peito para contar os teus segredos ou as tuas mágoas?
26-02-2014

202

101
26-02-2014

DICAS PARA ESCUTA ATIVA

Quais foram os atributos que te levaram a escolher os teus
AMIGOS do peito?
De todos os atributos que eles possam ter, serem bons ouvintes
e sempre dispostos para te ouvir são os mais importantes para
uma boa amizade.
Percebeste?
Quanto melhor for a tua habilidade para comunicar, melhor será
as tuas hipóteses de alcançares boas vendas.
Pratica e o sucesso será apenas uma questão de tempo!

26-02-2014

203

DICAS PARA ESCUTA ATIVA

•
•
•
•
•
•
•
•
•
26-02-2014

Saber Ouvir.
Analisar o ponto critico.
Evitar termos técnicos .
Esclarecer as ideias.
Expressa o teu interesse.
Ações X Informações
As ações suportam o que dizes.
Tenta ser objetivo.
Que mensagem quero transmitir?
204

102
26-02-2014

LINGUAGEM COMERCIAL /
/ PALAVRAS NEGRAS

26-02-2014

205

PALAVRAS NEGRAS
Durante a relação com o cliente, o profissional de vendas deve utilizar
uma linguagem comercial adequada. Por exemplo, deve evitar usar:
Cacofonias (“é c’agora”; “é c’assim”; “memassim”; “sefaxavor”;
“colicença”; “tamém”; “cuméque”; “táqui”; “prontos”; etc.);
Diminutivos (“um minutinho”; “baratinho”; “jeitosinho”; “um bocadinho”;
“é bonitinho”; etc.);
Palavras

negativas

(“não”;

“difícil”;

“complicado”;

“nenhum”;

“ninguém“; “nunca”; “impossível“; “caro”; “mau”; “problema”; “custo”;
etc.).

26-02-2014

206

103
26-02-2014

PALAVRAS NEGRAS
1)

As palavras que geram desconfiança

Aquelas que destacam e reforçam o aspeto demasiado comercial da função.
Exemplos
a) Em vez de custo ou preço dizer investimento ou valor;
b) Em vez de contrato dizer proposta;
c) Em vez de comprar dizer adquirir.

Aquelas que apelam demasiado à confiança.
Exemplos
a) «Sinceramente Sr. Manuel, esta proposta é muito honesta!»
b) «Repare D. Maria, este produto foi feito à sua medida!»
26-02-2014

207

PALAVRAS NEGRAS
2)

As palavras que suscitam dúvidas
Palavras com carga negativa

Exemplos
a) Em vez de perguntar «Há algum problema em relação à nossa última proposta?», optar por dizer: «O
Sr. Joaquim recebeu a nossa proposta. Qual foi o ponto que mais lhe chamou a atenção?»
b) Em vez de perguntar «Não quer aproveitar esta promoção?», optar por dizer: «Pode aproveitar agora
esta promoção!»
Os condicionais (optar por falar no presente)
Exemplo
Em vez de dizer «Acredite! Estou seguro de que seria do seu agrado.», optar por dizer: «Estou seguro de
que será do seu agrado.»
Interrogações negativas que suscitam reações negativas
Exemplo
Em vez de perguntar «O Sr. João não pensa em comprar nos próximos meses?», optar por perguntar:
«Está a pensar em comprar brevemente?»; ou optar por uma abordagem mais assertiva (pressupondo a
compra), dizendo: «É durante este período que o Sr. João vai poder avaliar a eficácia do nosso produto.»
26-02-2014

208

104

Recomendado para você

Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf

Ideais do Ministério jovem Adventista

Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia

Fontes alternativas de energia são opções energéticas que causam menos impactos negativos ao meio ambiente, como energia solar, energia eólica e energia da biomassa.

fontes de energiaenergía solarenergia eolica
26-02-2014

PALAVRAS NEGRAS
3) As palavras agressivas
Termos que colocam em dúvida a palavra do cliente
Exemplo
Em vez de afirmar «De acordo com o que a D. Alice diz.» ou «Se o que a D. Alice diz for verdade.»,
optar por afirmar: «No que a D. Alice diz, há um ponto que atrai especialmente a minha atenção…»
Palavras que hostilizam o cliente, desvalorizando-o e colocando em causa o seu conhecimento
Exemplos
a) Em vez de dizer «O que o Sr. diz não faz o menor sentido!», optar por dizer: «Compreendo muito
bem o seu ponto de vista, mas podemos ver as coisas de uma outra forma…»
b) Em vez de dizer «Se o Sr. tivesse lido as instruções, saberia que…», optar por dizer: «Nas
instruções há uma chamada de atenção para esse caso em particular… Podemos dar uma vista de
olhos.»
c) Em vez de perguntar «Compreendeu?» ou «Está a perceber?», optar por perguntar: «Fui
claro?», «Fui compreensível?» ou «Fiz-me entender?»
26-02-2014

209

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL

26-02-2014

210

105
26-02-2014

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
Interpretação dos sinais corporais

26-02-2014

211

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
Interpretação dos sinais corporais

26-02-2014
212

106
26-02-2014

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
Interpretação dos sinais corporais

26-02-2014
213

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
Interpretação dos sinais corporais

26-02-2014
214

107
26-02-2014

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
Cerca de 70% daquilo que o recetor entende da
mensagem é fornecido através do comportamento não
verbal do emissor– a linguagem corporal adequada,
confirma e sublinha o que se diz, pelo que se deve ser
concordante com o conteúdo da mensagem. Inclui
aspetos como:

26-02-2014
215

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
Espaço Pessoal
“Distancia-te” da outras pessoas, para que seja confortável para
ti e para o outro, dependendo da situação e do grau de
familiaridade. Se sentes que a altura do outro te coloca em
desvantagem, sugere que ambos se sentem para falar.

26-02-2014
216

108

Recomendado para você

26-02-2014

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
GESTOS

Expressivos mas não excessivos, Evita os gestos que provocam
distração como bambolear, roer as unhas e os gestos que
perturbam a comunicação, como colocar a mão à frente da boca
ou cruzar os braços.

26-02-2014
217

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
EXPRESSÃO FACIAL

Concordante com aquilo que estás a dizer , particularmente,

com os sentimentos que estás a expressar – se estás
zangado, mostra-te zangado, se estás feliz, sorri.!!!

26-02-2014
218

109
26-02-2014

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
CONTACTO VISUAL

Directo mas não excessivo – evita fugir ao contacto
visual, mas não fiques a olhar fixamente, com um
ar «embasbacado» ou hostil para o outro.

26-02-2014
219

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
UTILIZAÇÃO DA VOZ
Discurso seguro e fluente, num ritmo adequado e estável e num
tom suficientemente alto para ser percetível mas não tão alto que
se torne irritante. Entoação consistente com o conteúdo verbal.
Procura responder à outra pessoa com rapidez, mas não
demasiada, ou seja, sem hesitar durante muito tempo mas também
sem a atropelar. Faz silêncios quando for adequado ou enquanto
pensas no que vais dizer, e não preenchas as pausas com nãopalavras como «hãããã», «pronto» (ou «prontos»), «`tás a ver», etc.
26-02-2014
220

110
26-02-2014

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
APRENDER A SER ASSERTIVO

A assertividade não é uma característica inata que se tem ou não. O que
acontece é que, as aprendizagens que uma pessoa faz ao longo da vida
conduzem a que, no momento atual, ela tenha ou não a capacidade de se
comportar de forma assertiva.
Embora seja difícil dizer quais os motivos que fizeram com que, no
presente, determinada pessoa tenha dificuldade em se comportar de forma
assertiva com determinadas pessoas e em determinadas situações, existe
um conjunto de fatores que podem ser considerados. Por exemplo:

26-02-2014
221

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
APRENDER A SER ASSERTIVO
Punição
Muitas vezes as pessoas têm dificuldade em comportar-se de
forma assertiva em determinados momentos porque, no passado,
foram repetidamente punidas (física ou verbalmente) por se
expressarem em momentos semelhantes.
Reforço
Muitas vezes as pessoas têm dificuldade em comportar-se de
forma assertiva em determinados momentos porque, no passado,
foram repetidamente recompensadas por se comportarem de
forma não assertiva em momentos semelhante.
26-02-2014
222

111
26-02-2014

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
APRENDER A SER ASSERTIVO
Modelagem
Muitas vezes as pessoas aprendem a comportar-se de modo não
assertivo por observação e imitação do comportamento não
assertivo de pessoas que sejam próximas e significativas, como
os pais.
Falta de oportunidade
Muitas vezes as pessoas comportam-se de forma não assertiva
porque, no passado, não tiveram oportunidade para aprender
formas de comportamento mais adequadas; quando
confrontadas com uma situação nova, não sabem como
responder (e adicionalmente, sentem-se desconfortáveis por
causa desta falta de conhecimento).
26-02-2014
223

COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
APRENDER A SER ASSERTIVO
Padrões culturais e crenças pessoais
Várias normas culturais ( por exemplo «é falta de educação
recusar pedidos») e crenças pessoais (por exemplo «quero que
todas as pessoas gostem de mim»), que aprendemos ao longo da
vida, podem funcionar como prescrições contra a assertividade,
resultando em respostas não assertivas.
Incerteza relativamente aos próprios direitos
As pessoas podem responder às situações de forma não
assertiva por não conhecerem os seus direitos nessas situação –
elas podem nunca ter aprendido quais são os seus direitos (e os
limites desses direitos) em situações sociais.
26-02-2014
224

112

Recomendado para você

26-02-2014

TRABALHO COM TEMAS À ESCOLHA:

21 e 28/03/2013

26-02-2014

225

EXERCICIO EM GRUPO

26-02-2014

226

113
26-02-2014

EXERCICIO EM GRUPO

VERIFICAÇÃO E CONTROLO
DO TRABALHO.

26-02-2014

227

CONCLUSÕES

26-02-2014

228

114
26-02-2014

SÍNTESE E REVISÃO DO MÒDULO

26-02-2014

229

SINTESE CONCLUSIVA

26-02-2014

230

115
26-02-2014

FORMAÇÃO TÉCNICAS DE MARKETING

Síntese conclusiva
•xxxxx

NÃO ESQUECER QUE:
xxxxxx

26-02-2014

231

116

Recomendado para você

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Comunicação de Marketing
Comunicação de MarketingComunicação de Marketing
Comunicação de Marketing
Danilo Freitas Souza
 
Os tipos de cliente
Os tipos de clienteOs tipos de cliente
Os tipos de cliente
Vasco Andorinha
 
Marketing Sensorial
Marketing SensorialMarketing Sensorial
Marketing Sensorial
José Barros
 
Aula 2 tipos de varejo e atacado
Aula 2  tipos de varejo e atacadoAula 2  tipos de varejo e atacado
Aula 2 tipos de varejo e atacado
Marta Figueiredo
 
Planograma
PlanogramaPlanograma
Planograma
Pedro Guilherme
 
Briefing
BriefingBriefing
Merchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e HerondinaMerchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e Herondina
Jorge Soares
 
Merchandising em Supermercados
Merchandising em SupermercadosMerchandising em Supermercados
Merchandising em Supermercados
Gisele Sá Rêgo
 
Acolhimento e encaminhamento. 1
Acolhimento e encaminhamento. 1Acolhimento e encaminhamento. 1
Acolhimento e encaminhamento. 1
Eduarda André Correia
 
Atendimento Telefonico
Atendimento TelefonicoAtendimento Telefonico
Atendimento Telefonico
Kavaisver
 
Atendimento e Comunicação
Atendimento e ComunicaçãoAtendimento e Comunicação
Atendimento e Comunicação
viloper
 
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)Força de Vendas - Apresentação (Marketing)
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)
David Quintino
 
Trade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandisingTrade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandising
Reinaldo Cirilo
 
Manual de marketing mix
Manual de marketing mixManual de marketing mix
Manual de marketing mix
NorbertoGuilherme
 
Ficha de trabalho nº10 exercicios atendimento - imagem
Ficha de trabalho nº10    exercicios atendimento - imagemFicha de trabalho nº10    exercicios atendimento - imagem
Ficha de trabalho nº10 exercicios atendimento - imagem
Leonor Alves
 
Tecnicas de Vendas
Tecnicas de VendasTecnicas de Vendas
Tecnicas de Vendas
Simone Chiaretto
 
Comunicação Integrada de Marketing
Comunicação Integrada de MarketingComunicação Integrada de Marketing
Comunicação Integrada de Marketing
Pablo Caldas
 
Ficha de trabalho nº20 5 truques para fidelizar clientes
Ficha de trabalho nº20   5 truques para fidelizar clientesFicha de trabalho nº20   5 truques para fidelizar clientes
Ficha de trabalho nº20 5 truques para fidelizar clientes
Leonor Alves
 
Apresentação Merchandising
Apresentação MerchandisingApresentação Merchandising
Apresentação Merchandising
Adriano Valadão
 
Publicidade e promoção
Publicidade e promoçãoPublicidade e promoção
Publicidade e promoção
Carla Marques
 

Mais procurados (20)

Comunicação de Marketing
Comunicação de MarketingComunicação de Marketing
Comunicação de Marketing
 
Os tipos de cliente
Os tipos de clienteOs tipos de cliente
Os tipos de cliente
 
Marketing Sensorial
Marketing SensorialMarketing Sensorial
Marketing Sensorial
 
Aula 2 tipos de varejo e atacado
Aula 2  tipos de varejo e atacadoAula 2  tipos de varejo e atacado
Aula 2 tipos de varejo e atacado
 
Planograma
PlanogramaPlanograma
Planograma
 
Briefing
BriefingBriefing
Briefing
 
Merchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e HerondinaMerchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e Herondina
 
Merchandising em Supermercados
Merchandising em SupermercadosMerchandising em Supermercados
Merchandising em Supermercados
 
Acolhimento e encaminhamento. 1
Acolhimento e encaminhamento. 1Acolhimento e encaminhamento. 1
Acolhimento e encaminhamento. 1
 
Atendimento Telefonico
Atendimento TelefonicoAtendimento Telefonico
Atendimento Telefonico
 
Atendimento e Comunicação
Atendimento e ComunicaçãoAtendimento e Comunicação
Atendimento e Comunicação
 
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)Força de Vendas - Apresentação (Marketing)
Força de Vendas - Apresentação (Marketing)
 
Trade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandisingTrade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandising
 
Manual de marketing mix
Manual de marketing mixManual de marketing mix
Manual de marketing mix
 
Ficha de trabalho nº10 exercicios atendimento - imagem
Ficha de trabalho nº10    exercicios atendimento - imagemFicha de trabalho nº10    exercicios atendimento - imagem
Ficha de trabalho nº10 exercicios atendimento - imagem
 
Tecnicas de Vendas
Tecnicas de VendasTecnicas de Vendas
Tecnicas de Vendas
 
Comunicação Integrada de Marketing
Comunicação Integrada de MarketingComunicação Integrada de Marketing
Comunicação Integrada de Marketing
 
Ficha de trabalho nº20 5 truques para fidelizar clientes
Ficha de trabalho nº20   5 truques para fidelizar clientesFicha de trabalho nº20   5 truques para fidelizar clientes
Ficha de trabalho nº20 5 truques para fidelizar clientes
 
Apresentação Merchandising
Apresentação MerchandisingApresentação Merchandising
Apresentação Merchandising
 
Publicidade e promoção
Publicidade e promoçãoPublicidade e promoção
Publicidade e promoção
 

Semelhante a Profissional de vendas - funções e competências

Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedorasFormaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...
Beacarol
 
Merchandising - PROMOTT
Merchandising - PROMOTTMerchandising - PROMOTT
Merchandising - PROMOTT
promott12
 
eBook - A Jornada do Cliente - SAP
eBook - A Jornada do Cliente - SAPeBook - A Jornada do Cliente - SAP
eBook - A Jornada do Cliente - SAP
Joel Gopfert
 
Transforme Clientes em Fãs
Transforme Clientes em FãsTransforme Clientes em Fãs
Transforme Clientes em Fãs
Tracksale
 
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...
UWU Solutions, Lda.
 
Marketing Digital Imobiliário - Agência
Marketing Digital Imobiliário - AgênciaMarketing Digital Imobiliário - Agência
Marketing Digital Imobiliário - Agência
Gabriel Portilho
 
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu StudartGestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart
Céu Studart
 
Premio abevd 2grupo
Premio abevd 2grupoPremio abevd 2grupo
Premio abevd 2grupo
412365
 
Como fazer o número em 2014.
Como fazer o número em 2014. Como fazer o número em 2014.
Como fazer o número em 2014.
Ricardo Jordão Magalhaes
 
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)
Raquel Camargo
 
Campanha de Incentivo
Campanha de IncentivoCampanha de Incentivo
Campanha de Incentivo
Lilian Melchert
 
Os fatores chave de sucesso
Os fatores chave de sucessoOs fatores chave de sucesso
Os fatores chave de sucesso
PRAGMA ACADEMY
 
Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012
Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012
Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012
INVENT® - Conhecimento Estratégico
 
Torne-e Irresistível Para Quem Decide
Torne-e Irresistível Para Quem DecideTorne-e Irresistível Para Quem Decide
Torne-e Irresistível Para Quem Decide
Ricardo Jordão Magalhaes
 
Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas
Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas EmpresasDicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas
Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas
We Do Logos
 
Branding Trilhos Publicidade & Marketing
Branding Trilhos Publicidade & MarketingBranding Trilhos Publicidade & Marketing
Branding Trilhos Publicidade & Marketing
Trilhospublicidade
 
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-clienteE book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente
Werlon Oliveira Campos
 
Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016
Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016
Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016
DTStartups
 

Semelhante a Profissional de vendas - funções e competências (20)

Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedorasFormaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
 
Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012
 
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...
Manual TV ufcd 0388 - Prospeção comercial, preparação e planeamento da venda ...
 
Merchandising - PROMOTT
Merchandising - PROMOTTMerchandising - PROMOTT
Merchandising - PROMOTT
 
eBook - A Jornada do Cliente - SAP
eBook - A Jornada do Cliente - SAPeBook - A Jornada do Cliente - SAP
eBook - A Jornada do Cliente - SAP
 
Transforme Clientes em Fãs
Transforme Clientes em FãsTransforme Clientes em Fãs
Transforme Clientes em Fãs
 
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...
UWU Solutions é case study do marketing digital – A nossa estratégia de Marke...
 
Marketing Digital Imobiliário - Agência
Marketing Digital Imobiliário - AgênciaMarketing Digital Imobiliário - Agência
Marketing Digital Imobiliário - Agência
 
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu StudartGestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart
Gestão de Marca: a melhor forma de superar a crise por Céu Studart
 
Premio abevd 2grupo
Premio abevd 2grupoPremio abevd 2grupo
Premio abevd 2grupo
 
Como fazer o número em 2014.
Como fazer o número em 2014. Como fazer o número em 2014.
Como fazer o número em 2014.
 
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)
Palestra SINCADES - Marketing digital para o mercado atacadista (1)
 
Campanha de Incentivo
Campanha de IncentivoCampanha de Incentivo
Campanha de Incentivo
 
Os fatores chave de sucesso
Os fatores chave de sucessoOs fatores chave de sucesso
Os fatores chave de sucesso
 
Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012
Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012
Curso Trade Marketing | 15a edição - 2012
 
Torne-e Irresistível Para Quem Decide
Torne-e Irresistível Para Quem DecideTorne-e Irresistível Para Quem Decide
Torne-e Irresistível Para Quem Decide
 
Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas
Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas EmpresasDicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas
Dicas Fantásticas de Marketing Para Micro e Pequenas Empresas
 
Branding Trilhos Publicidade & Marketing
Branding Trilhos Publicidade & MarketingBranding Trilhos Publicidade & Marketing
Branding Trilhos Publicidade & Marketing
 
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-clienteE book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente
E book -aumentando-o-relacionamento-com-o-seu-cliente
 
Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016
Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016
Workshop de Jornada do Usuário - The Developer's Conference São Paulo 2016
 

Mais de CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS

Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv_Formador_Angola
Cv_Formador_AngolaCv_Formador_Angola
Debate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em MafraDebate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em Mafra
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial EmpreendedorFolhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced ScorecardPrograma Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced Scorecard
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processosPrograma formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresasPrograma formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciemCv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Ciem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . PonenciaCiem 2012 . Ponencia
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)
Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)
Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de EmpreendedorismoFormulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 

Mais de CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS (20)

Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018
 
Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
 
Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT
 
Cv_Formador_Angola
Cv_Formador_AngolaCv_Formador_Angola
Cv_Formador_Angola
 
Debate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em MafraDebate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em Mafra
 
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
 
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial EmpreendedorFolhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
 
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
 
Programa Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced ScorecardPrograma Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced Scorecard
 
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processosPrograma formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
 
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresasPrograma formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
 
Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012
 
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciemCv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
 
Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012
 
Ciem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . PonenciaCiem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . Ponencia
 
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
 
Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)
Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)
Apresentação resumida para CIEM 2012 (Madrid)
 
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012
Conferência ibérica empreendedorismo CIEM 2012
 
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de EmpreendedorismoFormulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo
Formulario de incrição - 2ª Conferência Ibérica de Empreendedorismo
 

Último

A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 

Último (20)

A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 

Profissional de vendas - funções e competências

  • 1. 26-02-2014 MÓDULO - 0387 Profissional de vendas - funções e competências DIA 1 26-02-2014 1 Profissional de vendas funções e competências Ação 13116 DIA 1 26-02-2014 2 1
  • 5. 26-02-2014 OBJETIVOS GERAIS •Identificar tendências da comunicação com o cliente. •Relacionar os avanços tecnológicos com as opções de gestão. •Reconhecer a importância do Marketing. 26-02-2014 9 OBJECTIVOS ESPECÍFICOS 26-02-2014 10 5
  • 6. 26-02-2014 OBJECTIVOS ESPECÍFICOS No fim da formação os formandos deverão ser capazes de: •Interpretar o papel e as funções do vendedor. •Identificar os diferentes “tipos” de comunicação com o cliente. 26-02-2014 11 COMPETÊNCIAS 26-02-2014 12 6
  • 7. 26-02-2014 COMPETÊNCIAS GERAIS O trabalho desenvolvido junto dos formandos pretende desenvolver competências. O século XXI está em mutação em todas as suas vertentes, devido à emergência do meio digital, que está modificar desde o comportamento do consumidor, aos meios disponíveis para chegar ao mercado. O impacto da Economia Digital é por de mais evidente no Marketing Mix, pelo que urge preparar recursos humanos na área das vendas com novas competências que serão a breve trecho imprescindíveis. 26-02-2014 13 COMPETÊNCIAS GERAIS Podemos mesmo dizer que o vendedor que não dominar minimamente os novos instrumentos disponibilizados pelo Marketing, será, a breve trecho, obsoleto e sua empregabilidade impossível. Igualmente as metodologias de ensino a utilizar serão ativas, com recurso a estudos de casos, exercícios práticos e dinâmicas de grupo baseadas nas realidades profissionais dos alunos. 26-02-2014 14 7
  • 8. 26-02-2014 BIBLIOGRAFIA BASE (OPCIONAL) 26-02-2014 15 1 2 Editor: Edições Sílabo Ano de edição: 2012 ISBN: 9789726186397 Número de páginas: 216 Local edição: Lisboa Idioma: Português Preço: 17,90 € OBVIAMENTE OPCIONAIS 26-02-2014 16 8
  • 9. 26-02-2014 VAI COMEÇAR FINALMENTE A NOSSA AÇÃO DE FORMAÇÃO 26-02-2014 17 Comportamento do consumidor através das gerações ..FilmesMarketing DigitalComportamento de consumo das gerações.mp4 26-02-2014 18 9
  • 10. 26-02-2014 26-02-2014 19 Há factos que não podemos mudar e há outros, que só dependem de nós. QUAL É A VOSSA PERCEPÇÃO SOBRE O ESTADO ACTUAL DAS EMPRESAS? TROCA DE IMPRESSÕES. 26-02-2014 20 10
  • 11. 26-02-2014 MARKETING PESSOAL EMPREGABILIDADE NA NOVA ECONOMIA “A VIDA É DIFICIL” ..FilmesMarketing DigitalFernando Neves de Almeida Employability in the New Economy_ Crisis or Opportunity_.mp4 26-02-2014 21 QUAL FOI A ÚLTIMA VEZ, QUE FEZ UMA COISA PELA PRIMEIRA VEZ? Seth Godín 26-02-2014 22 11
  • 12. 26-02-2014 PELOS VISTOS AS EMPRESAS E O MUNDO 26-02-2014 23 MERCADO? 26-02-2014 24 12
  • 13. 26-02-2014 1. INTRODUÇÃO 26-02-2014 25 O QUE É UMA EMPRESA? 26-02-2014 26 13
  • 14. 26-02-2014 O QUE É UMA EMPRESA? EMPRESA É … As pessoas terem de forma geral uma noção péssima dos Comerciais e … isso é mau. Temos de ver, até que ponto esta opinião, não tem a ver com as nossas decisões para o contacto com o cliente. 26-02-2014 27 O QUE É UMA EMPRESA? EMPRESA É … …um centro de energia de pessoas e grupos. …uma entidade, sob o ponto de vista funcional que controla um determinado processo para um determinado objetivo. …controlar um conjunto de recursos, para conseguir determinado objetivo. 26-02-2014 28 14
  • 15. 26-02-2014 O QUE É UMA EMPRESA? EMPRESA Qual é o objetivo da empresa? Rentabilizar e remunerar o capital investido! 26-02-2014 29 O QUE É UMA EMPRESA? EMPRESA Como é que uma empresa tem sucesso e crescer? Dar a resposta certa para o meio envolvente com informação, ou seja processa e envia informação para o exterior! 26-02-2014 30 15
  • 16. 26-02-2014 O QUE É UMA EMPRESA? EMPRESA Uma empresa também é …. o somatório dos RECURSOS (Marca, pessoas e financeiros), mais o CONHECIMENTO! 26-02-2014 31 2 - PRINCIPIOS GERAIS O QUE É MARKETING? 26-02-2014 32 16
  • 17. 26-02-2014 O QUE É MARKETING? Pois bem, Marketing é … … a função que gere a relação (receção e envio de informação) entre o meio envolvente (stakeholders) e a empresa. 26-02-2014 33 O QUE É MARKETING? Então se é a função, não é o departamento de marketing ou departamento comercial! Ou seja, a empresa pode viver sem um departamento de Marketing ou comercial, mas não pode viver sem a função de marketing ou comercial. Esta função quer dizer, que a responsabilidade não é exclusiva de uma pessoa ou grupo de pessoas, mas sim de todos os colaboradores da empresa em que na sua definição de funções deveria incluir estas suas responsabilidades na empresa. 26-02-2014 34 17
  • 19. 26-02-2014 Clientes = Emoções Fonte: Paulo B. Guerra A simpatia e a disponibilidade são os dois primeiros fatores de sucesso de um serviço, a antipatia e a indisponibilidade, são os fatores principais de insucesso 26-02-2014 37 Clientes = Emoções Fonte: Paulo B. Guerra O conhecimento do serviço, só aparece depois da simpatia e disponibilidade. 26-02-2014 38 19
  • 20. 26-02-2014 Clientes = Emoções Fonte: Paulo B. Guerra Questiona-se: Será justo? Como é que um Cliente que tem dezenas ou centenas de contactos com um Banco que sempre correram bem, passa a julgá-lo de forma negativa apenas porque um ou dois contactos foram negativos? De facto com critérios de razoabilidade o saldo continuaria positivo. Mas na realidade não é assim; os critérios emocionais parecem “rebentar” com toda a lógica racional. 26-02-2014 39 Clientes = Emoções Fonte: Paulo B. Guerra Esta subversão da lógica não tem que ser entendida como um fator incontrolável, mas como um elemento-chave na relação como o Cliente. O Cliente não tem sempre razão, mas tem sempre emoção. 26-02-2014 40 20
  • 21. 26-02-2014 Clientes = Emoções Fonte: Paulo B. Guerra Quando o cliente está satisfeito, entusiasmado (com emoções positivas) com a transação que está a ter, nas zonas cerebrais da emoção e da razão apresentam um fluxo intenso e o cérebro funciona na sua plenitude. 26-02-2014 41 Clientes = Emoções Fonte: Paulo B. Guerra Assim, para conseguir manter os clientes nas suas fileiras, a atividade de uma empresa tem que se pautar, não pelo exercício do que é exigível, mas por desenvolver transacções que superem as expectativas dos Clientes gerando assim um Crédito Emocional. 26-02-2014 42 21
  • 22. 26-02-2014 Clientes = Emoções Fonte: Paulo B. Guerra Assim, para conseguir manter os clientes nas suas fileiras, a atividade de uma empresa tem que se pautar, não pelo exercício do que é exigível, mas por desenvolver transações que superem as expectativas dos Clientes gerando assim um Crédito Emocional. 26-02-2014 43 3 - TENDÊNCIAS 26-02-2014 44 22
  • 23. 26-02-2014 TENDÊNCIAS MERCADO TENDÊNCIAS – Processo de mudança, probabilidade, previsão, que produto é que vamos precisar? e que serviço é que vamos necessitar? 26-02-2014 45 TENDÊNCIAS MERCADO TENDÊNCIAS – Os consumidores / clientes cada vez mais qualitativos, em vez de quantitativos. 26-02-2014 46 23
  • 24. 26-02-2014 TENDÊNCIAS MERCADO TENDÊNCIAS – Da cultura nacional para a cultura global e mudança dos padrões de consumo! 26-02-2014 47 TENDÊNCIAS MERCADO TENDÊNCIAS – Modelo de Diamante das tendências. Criadores - Inovadores e criativos Ajuda a tendência a fixar-se! Inovadores criativos Aquilo que toda a gente consome ou usa. 26-02-2014 Adversos à mudança. 48 24
  • 25. 26-02-2014 TENDÊNCIAS As 3 tendências para comportamentos sociais: 1º Centralização na pessoa - futura Web 3.0. 2º Uso do produto versus posse. 3º Ética e responsabilidade social. 26-02-2014 49 TENDÊNCIAS Estamos no mundo do bem estar: •Aumento das exigências do cliente. •Ambiente. •Alimentação nutritiva e saudável. •Vegetarianos. •Ginásio. •Astrologia. •Corrente das coisas naturais (ex: biológico). 26-02-2014 50 25
  • 26. 26-02-2014 TENDÊNCIAS Questões em que as empresas necessitam de estar atentas: •Fazer recolha de informação. •Melhorar constantemente a oferta. •Flexibilidade. •Comunidades. •Cadeia de valor virtual. •Participação dos clientes na criação do produto. •Começa-se a ter problemas com o frente-a-frente. 26-02-2014 51 TENDÊNCIAS 2013 https://www.facebook.com/#!/wot.pt/photos 26-02-2014 52 26
  • 27. 26-02-2014 ENTÃO VAMOS LÁ “DESMONTAR” AS TENDÊNCIAS 26-02-2014 53 TENDÊNCIAS 26-02-2014 54 27
  • 28. 26-02-2014 Com base em opiniões de vários especialistas em redes sociais e pela HubSpot, a WOT vai mostrar-vos quais as principais tendências de marketing nos Social Media para 2013. Podem seguir estas pistas em todas as nossas plataformas sociais. Tendências para o Social Media em 2013 #1: ..."Campanhas em fade out (desdobrar), marketing em tempo real na moda." Em 2013 vamos assistir a uma maior percentagem de marketeers a tirarem vantagem do poder das comunicações em tempo real para fazer crescer os seus negócios. Os consumidores estarão mais ligados às marcas através dos seus sites, comunicam com elas através de redes sociais como o Facebook e Twitter, e apenas seguem as notícias que lhes interessam. O sucesso das empresas será tanto maior quanto o poder de engagement que se conseguir com o consumidor final. Por David Meerman Scott, Best-selling. 26-02-2014 55 Tendências para o Social Media em 2013 #2 "O Inbound Marketing (é o marketing focado em gerar tráfego de visitantes que procuram assuntos relacionados) fará crescer as empresas." Em 2012, o departamento de marketing será transversal a toda a empresa. O gabinete responsável pelas vendas, recursos humanos, serviço de apoio a clientes, desenvolvimento e equipas executivas passarão a estar com mais atenção ao online para promover as suas marcas, produtos e serviços. Como resultado desta profunda transformação, todos os colaboradores de uma empresa terão participação ativa no marketing. Por Brian Halligan, CEO da HubSpot 26-02-2014 56 28
  • 29. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #3 "Conheça os seus clientes." Um novo tipo de marketing, mais inteligente, tentará perceber os consumidores para além da sua informação demográfica. Os sistemas de CRM (próximo módulo) conseguirão obter informação mais consistente no que aos hábitos de consumo diz respeito. Neste sentido, a análise ao consumo será uma das ferramentas mais poderosas ao alcance dos marketeers. Por David Raab, analista na Gleanster 26-02-2014 57 Tendências para o Social Media em 2013 #4 "O marketing será o mais responsável pelo aumento das receitas." Um estudo recente da Fournaise Marketing Group indica que 73% dos executivos não "acreditam" no poder do marketing. Em 2013 esta situação mudará uma vez que os marketeers terão um papel determinante no aumento das receitas das empresas onde colaboram. Além de continuarem a utilizar as habituais ferramentas para medir o tráfego e aumentar o número de "leads", começarão a otimizar processos que terão grande impacto nas vendas. Para tal, os atuais KPIs (Key Performance Indicators) irão mudar obrigatoriamente (Processos vs. objetivos vs. planeamento). Por Greg Alexander, CEO, Sales Benchmark Index (SBI)Gosto · · Partilhar 26-02-2014 58 29
  • 30. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #5 " O Social Media integrado." Em 2013, os marketeers vão começar a utilizar os dados recolhidos nas redes sociais como parte da sua estratégia de marketing. A sincronização entre a atividade dos utilizadores no Social Media com as suas bases de dados internas permitirão um maior conhecimento do comportamento do consumidor, de forma a melhorar a segmentação de mensagens. Da mesma forma, também os conteúdos serão mais personalizados, indo ao encontro dos interesses de cada utilizador. Por Kipp Bodnar, author of The B2B Social Media Book 26-02-2014 59 Tendências para o Social Media em 2013 #6 "Apostar no móvel ou ficar para trás?" Em 2012, a venda de smartphones foi superior à dos PCs. Claramente, a área da mobilidade é um setor onde os marketeers também deverão apostar na definição da sua estratégia no ano de 2013. Não só os sites, mas as aplicações deverão ser otimizadas para funcionarem bem neste tipo de dispositivos, como também se deverão começar a verificar campanhas idealizadas especificamente para estas plataformas móveis. 26-02-2014 60 30
  • 31. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #7 "Search Engine Otimization (SEO - é um conjunto de técnicas que têm como principal objetivo tornar os sites mais amigáveis para os sites de busca- Ex: aprenda a melhorar o posicionamento de seu site no Google) terão mais impacto com os conteúdos sociais." Nos últimos 15 anos, os marketeers tratavam o SEO, o Social Media e os conteúdos de forma separada, em canais distintos e segmentados. Só nos últimos 24 meses assistimos a uma grande sobreposição entre a pesquisa e o social, bastante impulsionado pelas inovações dos motores de busca e pelas correlações de partilha social nas várias plataformas. Em 2013 espera-se que os marketeers desenvolvam as suas estratégias não como canais distintos, mas como elementos otimizáveis em um todo. Por Rand Fishkin CEO, SEOmoz 26-02-2014 61 Tendências para o Social Media em 2013 #8 "As empresas vão preocupar-se mais em encontrar talentos no Inbound Marketing." Os atuais marketeers são bons em criatividade, mas em 2013 terão de ser mais experientes na criação de conteúdos e na condução de análises de otimização e gestão de dados. Com o aumento da importância dos conteúdos e dos dados, as empresas vão contratar mais profissionais de marketing no próximo ano. De acordo com as tendências medidas pela SimplyHired, desde outubro de 2011 o número de empregos em "Inbound Marketing" aumentou 52% e os de "conteúdos de marketing" cerca de 26%. 26-02-2014 62 31
  • 32. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #9 "A importância da informação irá aumentar substancialmente: quanto mais dados melhor." A Gartner prevê gastar-se 232 mil milhões de dólares em IT até ao ano de 2016, mas até agora o investimento em informação tem apenas servido engenheiros e não marketeers. Em 2013 vamos assistir a um aumento de start-ups dedicadas à gestão de informação em massa, mais acessível para quem está ligado às vendas, ao desenvolvimento de negócio e aos profissionais de marketing. 26-02-2014 63 Tendências para o Social Media em 2013 #10 "A importância dos conteúdos - inteligentes - como nova ferramenta de marketing." A primeira vez que a Amazon começou a recomendar livros através do seu mecanismo baseado nas anteriores visitas online dos utilizadores, a ideia com que se ficou foi de que um site não pode reconhecer apenas um visitante, mas também deve discernir os seus interesses e alterar a sua experiência "on site". Desde então, os conteúdos dinâmicos tornaram-se mais comuns, embora não totalmente difundidos no espaço de marketing. Em 2013, vamos começar a ouvir mais sobre a adaptabilidade de conteúdos "inteligentes". Torna-se cada vez mais importante, em toda a estratégia de marketing, personalizar mensagens para o público certo, na hora certa. 26-02-2014 64 32
  • 33. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #11 "Teremos um marketing mais humano." Vamos começar a ver as organizações a tornarem-se mais "humanas" através das interações sociais e dos conteúdos fornecidos nos Social Media. As empresas vão continuar a desenvolver personalidades através da divulgação de dados e informações que a si dizem respeito, mantendo a confiança entre elas e os consumidores. Serão criadas estruturas externas unificadas de forma a que todos os departamentos comuniquem da mesma forma e no mesmo sentido, o humano. Por Nick Johnson, Founder da Useful Social Media 26-02-2014 65 Tendências para o Social Media em 2013 #12 "O e-mail não morreu." O ano de 2013 vai ter campanhas de e-mail mais segmentadas, destinadas apenas a destinatários cujo conteúdo seja mais relevante. A capacidade de exportar listas de email segmentadas e a personalização dos seus conteúdos vai ajudar a maximizar o efeito final de cada e-mail, resultando em mais leads qualificados. Por John Bonini, Content Marketing Manager na IMPACT Branding & Design 26-02-2014 66 33
  • 34. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #13 "O Inbound vai tornar-se prioritário... e não a automatização." Em 2013, os CMOs (Chief Marketing Officer) e os executivos seniores irão alocar mais recursos na criação de um motor de Inbound mais forte, capaz de gerar mais interesse, tráfego, leads e conversações, suportando desta forma os hábitos de pesquisa de uma nova geração. Os marketeers vão começar a procurar melhores soluções de Inbound Marketing, ao detrimento da tradicional automatização de marketing. 26-02-2014 67 Tendências para o Social Media em 2013 #14 "A tecnologia de marketing evoluirá." Em 2013 vamos ver duas grandes mudanças no cenário tecnológico: 1 - um maior investimento em soluções de marketing para gestão de redes sociais, medição e atribuição de ROI (retorno do investimento) e software integrado e unificado com grande destaque para as bases de dados; 2 - melhorias na forma de utilização de cada plataforma, nomeadamente em dispositivos móveis. Os serviços LBS (Location Based Services), Sistemas Baseados em Localização, que vem ganhando cada vez mais força no mundo e que mostraram sua cara na rede social Foursquare, serão de extrema importância nesta área. http://www.youtube.com/watch?v=Rp2SfOvKUGQ 26-02-2014 68 34
  • 35. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #15 "O conteúdo é o Rei, quer queiramos ou não." Criar mais e mais conteúdos estará entre as prioridades para as equipas de marketing em 2013. Além do aumento na alocação de orçamento para a criação de conteúdos, vamos encontrar serviços de curadoria e cada vez mais empresas fornecedoras dos mesmos, de forma a ajudarem os marketeers a difundirem a mensagem mais eficientemente. 26-02-2014 69 Tendências para o Social Media em 2013 #16 "Os conteúdos partilhados na Internet vão gerar novos conteúdos." Tudo o que colocamos nas plataformas sociais poderá ser utilizado para gerar novos conteúdos, nomeadamente para empresas. Além disso, poderá ainda proporcionar novas ideias para planos de marketing. O desenvolvimento de novas estratégias, onde os conteúdos partilhados são o núcleo central, aproximará ainda mais os fãs/seguidores das marcas que, cada vez mais, se tornarão importantes no meio das comunidades sociais. 26-02-2014 70 35
  • 36. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #17 " O marketing e o mercado dos jogos vão convergir." É expectável que as estratégias de marketing e o mercado dos jogos estejam em sintonia no próximo ano. E não nos referimos apenas a "product placement“ (Marketing indireto ou publicidade indireta) em jogos online como o Farmville, por exemplo. O marketing será mais interativo na forma como é apresentado e "consumido". Através do entretenimento e ...de prémios haverá um aumento de conteúdos que apelem a este tipo de interação. Desta forma, as estratégias de marketing terão mais influência para agradar do que para serem evitáveis. Em 2013, até pequenas e médias empresas perceberão e utilizarão este tipo de novos conceitos. Por Dan Zarrella, Social Media Scientist 26-02-2014 71 Tendências para o Social Media em 2013 #18 "Uma imagem vale mais do que mil palavras." Com todas as atenções viradas para os conteúdos como o Santo Graal do marketing, não quer dizer que os conteúdos escritos sejam a única fórmula de trabalho. Plataformas sociais como o Pinterest e Instagram provaram que os conteúdos visuais valem mais do que mil palavras ou, no caso do Instagram, mil milhões de dólares. Infográficos, fotografias, vídeos e outros meios multimédia irão aumentar exponencialmente nos próximos anos. 26-02-2014 72 36
  • 37. 26-02-2014 Tendências para o Social Media em 2013 #19 "O contexto é o novo melhor amigo dos conteúdos.“ Para executar estratégias de marketing mais eficientes em 2013, os marketeers terão de ir mais além do que apenas criar conteúdos de forma a gerar experiências personalizadas para os seus públicos. O contexto em que se inserem será igualmente importante e deverá andar de mãos dadas: é necessário perceber o que é que os consumidores fazem, o que dizem, os sites que visitam e os produtos que compram. Tudo para que se consigam estreitar relações mais próximas e consequentemente, obter melhores resultados. 26-02-2014 73 Tendências para o Social Media em 2013 #20 "Outbound Marketing perde tração (marketing tradicional - o foco das empresas é encontrar consumidores. Para isso, usam técnicas pouco direcionadas tais como em: anúncios nos mass media, cold telemarketing, direct mail, email spam, etc.)." O marketing de massas, se tiver sorte, tem uma taxa de resposta de 2%. Já o Inbound Marketing permite produzir taxas de conversão 10 vezes mais elevadas, ou mais. Mais do que nunca, os orçamentos em marketing externo serão transferidos para o Inbound Marketing, sendo que um terço dos CMOs afirma que mais de metade do seu budget já foi utilizado para campanhas de marketing online no ano de 2012. No Inbound a estratégia é diferente. Começa logo pelo objetivo que reside no facto de fazer com que as marcas sejam encontradas pelos clientes e não ao contrário. Ao invés de utilizar publicidade interruptiva, as empresas que praticam inbound marketing, apostam em técnicas que contextualizam o conteúdo, tais como: SEO, blogs com textos relevantes, Social Media, SEA… ou seja, disponibilizam várias formas de contacto para as pessoas encontrarem a empresa. 26-02-2014 74 37
  • 38. 26-02-2014 Em suma, em vez de anda disparar a mensagem repetidamente para uma multidão, o inbound marketing atrai clientes altamente qualificados para a empresa através de conteúdo contextualizado. 26-02-2014 75 TENDÊNCIAS … e ainda, quiça! 26-02-2014 76 38
  • 39. 26-02-2014 Vendedor 26-02-2014 77 … o futuro é Digital! 26-02-2014 78 39
  • 40. 26-02-2014 TENDÊNCIAS http://trendwatching.com/pt/trends/10trends2013/ Video com Seth Godin FilmesMarketing DigitalTEDTalks_ Seth Godin - Sobre as tribos que líderamos.mp4 26-02-2014 79 Momento de transformação em que vivemos … 26-02-2014 80 40
  • 41. 26-02-2014 O NOVO PARADIGMA: vender relacionamentos “Hoje, o principal é manter os atuais clientes e desenvolver cada vez mais o relacionamento existente. As empresas gastam muito dinheiro para conseguir cada um dos seus atuais clientes e os concorrentes estão sempre a tentar ficar com eles. Um cliente perdido representa mais do que a perda da próxima venda; a empresa perde o lucro de todas as compras futuras daquele cliente, e para sempre.” (Philip Kotler) 26-02-2014 81 NOVO PARADIGMA DE VENDER Relacionamentos de longo prazo (soft sell) versus venda única (hard sell) 26-02-2014 82 41
  • 42. 26-02-2014 NOVO PARADIGMA DE VENDER Belmiro de Azevedo no Prefácio de Jack Welsh “Já não há empresas com um futuro garantido; já não há emprego para a vida, sobretudo no mesmo local; já não há acomodação a um estilo de vida; e já não existem sucessões monárquicas. A consequência das mudanças resultantes da globalização, da inovação e do aumento do comércio internacional forçaram a uma nova leitura do que deve ser a educação e a formação permanente de todos os colaboradores de uma empresa (...).” 26-02-2014 83 NOVO PARADIGMA DE VENDER Faith Popcorn (citada por Carlos Alberto Júlio em “A magia dos grandes negociadores”) elegeu como um dos seus temas prediletos a necessidade de se estar consciente e alerta para aproveitar as oportunidades que surjam. Ela traduz esse estado de espírito numa palavra, que também constitui uma sigla: CLICK. Cada letra corresponde a um atributo: 26-02-2014 84 42
  • 43. 26-02-2014 NOVO PARADIGMA DE VENDER A Venda: Processo de venda: Venda é um processo de negociação que visa satisfazer as necessidades do comprador e do vendedor. O COMPRADOR O VENDEDOR Visa ganha o máximo de benefícios com a compra Visa ganha o máximo de benefícios com a venda, OBJETIVOS ANTAGÓNICOS 26-02-2014 Que o processo de venda procura conciliar 85 NOVO PARADIGMA DE VENDER CLICK C – courage (coragem), para abandonar os conceitos tradicionais e reconhecer que as coisas estão a mudar; L – letting go (abrir mão), o que significa libertar-se de velhas ideias e desenvolver novas ideias; I – insight (olhar para dentro), uma atitude introspetiva para descobrir o que fazemos bem e o que podemos melhorar; C – commitment (compromisso), que se refere ao compromisso de se ser fiel a uma ideia; K – know-how, saber como fazer as coisas. 26-02-2014 86 43
  • 44. 26-02-2014 NOVO PARADIGMA DE VENDER Estas são, sem dúvida, algumas das características que um profissional que está aberto às mudanças possui. O essencial é ter flexibilidade mental e comportamental para operar transformações sem perder de vista os valores individuais. 26-02-2014 87 NOVO PARADIGMA DE VENDER Numa parábola, diz-se que um aluno, diante do exame, comentou com Albert Einstein: “Professor, estas perguntas são as mesmas do exame que o senhor fez no ano passado!”. Einstein respondeu: “Eu sei. As perguntas são as mesmas, mas as respostas mudaram”. 26-02-2014 88 44
  • 45. 26-02-2014 NOVO PARADIGMA DE VENDER Precisamos, então, de criar uma cultura de mudança constante e adaptação, dentro das nossas empresas, para que possamos reagir em tempo útil às mudanças nos paradigmas sociais e empresariais. Precisamos de preferência, de estimular a crítica construtiva aos sistemas instaurados, para termos agilidade e anteciparmos ou até sermos responsáveis por novos padrões de mudança. E este é um esforço que toda a equipa deve realizar. 26-02-2014 89 O CONCEITO CONSULTOR DE CLIENTES A questão “o que é vender” possui hoje um significado muito diferente, resultante da transformação natural dos conceitos e da sociedade. Jorge Gonçalves, no seu último livro “Academia na era do conhecimento”, afirma: “É fundamental que a sua equipa de vendas atue como consultora de negócios. ….. 26-02-2014 90 45
  • 46. 26-02-2014 O CONCEITO CONSULTOR DE CLIENTES ….. (A sua receção) precisa ser vista como profissionais que irão fazer o primeiro contacto com os futuros clientes e que, dependendo de sua atuação, os demais podem nem ter a chance de conhecê-los. (...) Manter o cliente ou, como venho dizendo, torná-lo leal por longo tempo é, sem dúvida, o grande desafio do empresário moderno tanto na área de serviços como na de consumo”. 26-02-2014 91 Karen D. Woodard A excelência em vendas não é a memorização de técnicas estereotipadas ou de manipulação. Excelência em vendas é a habilidade em criar uma conexão entre o vendedor, o potencial cliente e o negócio, que resulte numa troca de valores para todas as partes envolvidas. Alcançar a excelência em vendas é ter a habilidade de comunicar consistentemente de uma forma profissional e de nos comportarmos de maneira adequada com o cliente, da forma que o conquistamos e que o movemos na direção dos objetivos desejados.” 26-02-2014 92 46
  • 47. 26-02-2014 Smart Selling 26-02-2014 93 Evidências Num passado não muito distante, com muito menos opções os clientes tinham diversas posturas quando pretendiam adquirir produtos ou serviços. Com menos escolha o processo de compra dos clientes era menos complexo e menos sujeito a receios, tal como hoje. 26-02-2014 94 47
  • 48. 26-02-2014 Evidências Quem hoje adquire algo, tem sempre o receio de fazer um mau negócio, ou pelo menos de tomar uma decisão pior do que se tivesse analisado melhor uma outra opção. Isto conjugado com o momento económico que atravessamos, aliado às estratégias de corte e redução do investimento, cria uma verdadeira tempestade para quem está na área comercial, essencialmente para os vendedores B2B. 26-02-2014 95 Evidências Se não se alterarem as estratégias e os métodos, poderemos ser em breve os dinossauros de um mercado perfeitamente impiedoso. Mas se existem os problemas, existem seguramente também as oportunidades e agora trata-se do momento para pensar no negócio e reestruturar os conceitos, as técnicas e os meios. 26-02-2014 96 48
  • 49. 26-02-2014 26-02-2014 97 SMART Selling mais em detalhe SMART Selling significa uma vontade de mudar a atitude nas vendas e evoluir num mundo dominado pela internet, pela super-competição, pela falta de tempo e impaciência dos (potenciais) clientes para ouvir comerciais e as suas apresentações . 26-02-2014 98 49
  • 50. 26-02-2014 SMART Selling Este método nasce para corrigir as más práticas que os métodos HARD e SOFT Selling introduziram nos comerciais ao longo do tempo. Nomeadamente com o foco excessivo apenas ao ciclo de venda, sem olhar com mais cuidado para o modelo de como os clientes compram. SMART Selling contém ainda os modelos de venda consultiva e de venda de soluções adaptados aos novos tempos, numa altura em que as empresas reformulam os seus métodos de compra. O SMART Selling inclui ainda a vertente de Marketing de conteúdos para melhorar as abordagens das equipas comerciais. 26-02-2014 99 SMART Selling O SMART Selling aumenta a compreensão por parte do comercial da metodologia de compra utilizada pelo (potencial) cliente e com quem está a falar ou interagir. Desta forma poderá decidir e avaliar ainda melhor se deve continuar no negócio ou se é melhor abandonar e focar-se noutros com mais possibilidade de sucesso. Assim poderá melhorar a sua taxa de sucesso. O SMART Selling afina e modifica ainda as abordagens aos (potenciais) clientes, dando aos comerciais ferramentas e processos para que tenham mais impacto na interação e obterem uma maior credibilidade. 26-02-2014 100 50
  • 51. 26-02-2014 Funções do vendedor na ótica do Marketing 26-02-2014 101 PARA PENSAR … Porque é que numa empresa com atendimento ao cliente via internet (página web) ou correio eletrónico (E-mail) a capacidade de resposta é três dias e se o cliente telefonar para a empresa a resposta é imediata? 26-02-2014 102 51
  • 52. 26-02-2014 O NOVO CONCEITO DE VENDAS? • Passar de uma atitude reativa para uma atitude ativa • Ter conhecimento das mudanças no mercado  Concorrência Crescente  Avanços Tecnológicos  Cenários Mutáveis e Turbulentos • Aumentar a liderança na sua área e no seu mercado ( segmentos, nichos, etc.) 26-02-2014 103 Características Específicas do Gestor de Relacionamento Boas Más “Detestáveis” Honestidade Atitude arrogante. Atitude simpática ao perder uma venda. Aparece sem ter hora marcada. Chama de “querida” (a uma cliente mulher). Admite seus erros Começa a reunião a dizer graçolas. Ficar muito íntimo. Capacidade de resolver problemas. Deprecia os produto da concorrência. Age como se o cliente fosse ignorante. Simpático, mas profissional. Não ouve o que o cliente diz. Choraminguice. Digno da confiança. Telefona demasiado. Diz muita asneira. Adaptável. Má apresentação. Faz de tudo para agradar (execessivo !) Conhece a área de atividade do cliente. Não se preocupa com as necessidades do cliente. Mistura uma empresa com a outra. Bem preparado. Pouco conhecimento do produto. Insistente. Paciente. 26-02-2014 Não persistente Faz com que o cliente perca tempo. Fuma no escritório do cliente. 104 52
  • 53. 26-02-2014 O sucesso de um vendedor está diretamente relacionado com estes três pilares: Autoconhecimento 26-02-2014 Conhecimento do produto, do mercado e do cliente Domínio da técnica de vendas 105 FUNÇÕES DO VENDEDOR… A função de um Vendedor é a divulgação e a venda dos produtos (ou serviços) de uma empresa junto a um universo específico de Clientes (consumidores ou Revendedores) desses produtos. O desenvolvimento do trabalho inclui a pesquisa, localização e o contrato com esses “Clientes potenciais” para a compra e uso (ou revenda) dos produtos oferecidos. 26-02-2014 106 53
  • 54. 26-02-2014 FUNÇÕES DO VENDEDOR… •A realização da venda propriamente dita (obtenção de pedidos) é a faceta mais importante e característica da função do Vendedor. •No entanto, existem muitos aspetos relevantes que devem ser considerados e colocados em ação, para que ela se torne mais efetiva. 26-02-2014 107 FUNÇÕES DO VENDEDOR… 1 – Efetuar vendas (obter Pedidos) É a principal preocupação do Vendedor Profissional. 2 – Levar (novas) informações – novos fabricantes, com produtos e promoções. Se ocorrer em determinada visita, não obter nenhum pedido, o Vendedor deverá pelo menos certificar-se de que, como consequência de cada novo contacto, o Cliente conhece e compreende melhor sua empresa e todos os seus produtos e serviços. 26-02-2014 108 54
  • 55. 26-02-2014 FUNÇÕES DO VENDEDOR… 3 – Obter (novas) informações Para poder planear novas visitas que propiciem obter pedidos, o Vendedor dever também se certificar de que deve conhecer melhor o Cliente e todas as suas necessidades, assim como a atuação da concorrência junto a ele. Também conhecer todas as vantagens e a política dos fabricantes ligado ao ramo de atividade dos Clientes. 109 26-02-2014 FUNÇÕES DO VENDEDOR… 4 – Melhorar o ambiente de relacionamento entre a sua empresas e o Cliente Precisa também de se certificar de que, a cada nova visita, o Cliente aceita melhor e aprecia mais a sua empresa, os seus produtos e serviços e o próprio Vendedor. Esses quatro objetivos devem ser atingidos em conjunto. Um não exclui o outro. Mesmo quando o Vendedor obtém o Pedido ( primeiro objectivo da sua função) ele deve passar (novas) informações ao Cliente, obter (novas) informações e melhorar de uma forma abrangente o relacionamento da sua empresa e o seu próprio relacionamento com o Cliente. 26-02-2014 110 55
  • 56. 26-02-2014 FUNÇÕES DO VENDEDOR… Se o Vendedor não consegue nem obter o Pedido, nem melhorar o relacionamento com o Cliente, nem fixar (novas) informações junto ao Cliente ele deve, na pior das hipóteses, obter (novas) informações que lhe permitam um melhor planeamento para o futuro. Quando nenhum desses objetivos é atingido e se a única coisa que o Vendedor pode anotar no seu Relatório é: sem novidade ou visitar novamente, então estaremos diante de: Uma visita inútil, de alto custo e perda de tempo. 26-02-2014 111 FUNÇÕES DO VENDEDOR… Para bem cumprir as tarefas, é essencial que o Vendedor utilize as técnicas de vendas, faça o seu trabalho completo e com a consequente administração dos formulário correspondentes. A simples acção de vender está implícita, na regra universal: Vende Melhor Quem Sabe Investir e Planear Melhor. 26-02-2014 112 56
  • 57. 26-02-2014 POR ISSO HÁ QUE TOMAR A INICIATIVA.. 26-02-2014 113 SETH GODIN – Tomar a iniciativa. Afinal de contas, a nossa sociedade adora festejar o fracasso. (Já os triunfos não são festejados. Festejar uma vitória é um ato de jactância (exagero). Mas o regozijo (Manifestação de contentamento) pelo fracasso dos outros – isso está bem. 26-02-2014 114 57
  • 58. 26-02-2014 Tomar a iniciativa. A primeira regra para fazer um trabalho realmente importante … Trabalhar com regularidade. A arte é difícil, vender é difícil, escrever é difícil … fazer a diferença é difícil! 26-02-2014 115 Tomar a iniciativa. A maioria dos produtos da concorrência também está isenta de defeitos – o que significa que a qualidade já não é tão importante como era. Exigimos qualidade, mas já não temos de andar à procura dela, Se o seu produto tem qualidade e os outros também, e se é só isso que me é oferecido, então o que está em causa é só uma mercadoria e eu compro a que for mais barata. 26-02-2014 116 58
  • 59. 26-02-2014 Tomar a iniciativa. Não temos alternativa senão ir além da qualidade e procurar o que é excecional, coerente e novo. Como já percebeu, o que é excecional exige iniciativa. 26-02-2014 117 Tomar a iniciativa. Você pode ter um produto fiável, previsível e barato, mas se o mercado preferir uma coisa melhor você vêse obrigado a correr atrás dos outros. 26-02-2014 118 59
  • 60. 26-02-2014 Tomar a iniciativa. Os serviços e os produtos medíocres são aquilo que deles se espera, mas o grau de exigência é tão baixo que quase não vale a pena atravessar a rua para os comprar. A mediocridade está eivada (contaminada) pela similaridade. 26-02-2014 119 Tomar a iniciativa. … a melhor maneira de singrar num mundo em constante mutação passa pela mudança, e essa só ocorre quando existe alguém disposto a explorar novas ideias para ver como resultam. 26-02-2014 120 60
  • 61. 26-02-2014 Tomar a iniciativa. A iniciativa é uma coisa rara. Por isso tem tanto valor. 26-02-2014 121 Tomar a iniciativa. Se não houver projeto, não há empresa. Navegar à vista não é opção, pois os projetos não duram para sempre. As pessoas são as mesmas, a atitude persiste, mas os projetos têm de ser renovados. 26-02-2014 122 61
  • 62. 26-02-2014 Tomar a iniciativa. Em muitas empresas existe um departamento dedicado ao desenvolvimento dos negócios. Não se trata propriamente de marketing, são pessoas responsáveis por novas atividades, parcerias e ideias transformativas. 26-02-2014 123 Tomar a iniciativa. Todos têm medo de se aventurar demasiado, de ir mais longe, de se erguer e criar coisas novas. 26-02-2014 124 62
  • 63. 26-02-2014 Tomar a iniciativa. A curiosidade não é alérgica ao fracasso. A curiosidade é capaz de nos indicar o caminho da criatividade, de dar novas ideias ao mundo, de as analisar, aperfeiçoar e de repetir o processo vezes sem conta. 26-02-2014 125 Tomar a iniciativa. Qual a diferença entre ter uma grande ideia, ser imaginativo e desenrascado … e começar alguma coisa? Começar significa que tem de acabar. Se não apresentar resultados, você falhou. A iniciativa não é iniciativa, se não for consequente. Começar sem acabar é gabarolice. 26-02-2014 126 63
  • 64. 26-02-2014 Tomar a iniciativa. Infelizmente, são muitas as organizações paralisadas por uma cultura de conformismo. 26-02-2014 127 Tomar a iniciativa. Não é a dormir que se alcança a grandeza. Assim não se consegue otimizar o caminho para um crescimento surpreendente, nem alcançar objetivos impecáveis. 26-02-2014 128 64
  • 65. 26-02-2014 Tomar a iniciativa. As pessoas conseguiram bons empregos porque deram nas vistas. 26-02-2014 129 Posto isto, é só tomar a iniciativa. Não tem nada a perder …. AVANCE. O nosso lugar no mundo é definido pelo modo como instigamos, provocamos e por aquilo que aprendemos com os acontecimentos de que somos causadores. Num mundo repleto de mudança, é isso que conta - a sua capacidade para criar e aprender com a mudança. 26-02-2014 130 65
  • 66. 26-02-2014 5 – COMPETÊNCIAS DO PROFISSIONAL DE VENDAS 26-02-2014 131 COMPETÊNCIAS Diversas capacidades que temos enquanto seres humanos, mas que sabemos usar numa perspetiva específica, num contexto único e singular e com objetivos particulares. Josso, 2001 Uma aptidão individual e subjetiva que permite a possibilidade de utilizar as suas qualificações, os seus saberes fazer e os seus conhecimentos para realizar qualquer coisa. Saber mobilizar os seus conhecimentos, capacidades e qualidades para fazer face a um problema. Suleman, 1999 26-02-2014 132 66
  • 67. 26-02-2014 Price Waterhouse Coopers No relatório anual da Price Waterhouse Coopers, de 2008 (11th Annual Global: “Mais de dois terços dos CEO’s inquiridos, afirmam que é difícil recrutar pessoas com uma combinação de experiência técnica e comercial. (...) 26-02-2014 133 Price Waterhouse Coopers A vasta maioria dos CEO’s (94%) estão a investir no treino e desenvolvimento, particularmente em áreas que as universidades não cobrem tipicamente”. Cabe-nos a nós, então, descobrir os skills necessários e dar a formação e acompanhamento para suprir as necessidades. 26-02-2014 134 67
  • 68. 26-02-2014 COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS 26-02-2014 135 COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS “Dificilmente vais conseguir mais, do que aquilo que acreditas”. Acreditar é a pedra basilar na concretização dos objetivos, quer sejam profissionais, pessoais, desportivos ou afetivos. Já imaginou um atleta do salto em altura que não acredita que possa ultrapassar determinada marca ? ou algum tenista que não acredite que consiga ganhar um jogo? ou algum empresário que não acredite no seu projeto, ou algum vendedor que não acredite que consiga determinado volume de vendas e depois consigam superar todos estes desafios? …. Certamente que não, pois o facto de, ainda que a um nível inconsciente, não acreditarem que conseguem determinado desempenho, auto condicionam-se, boicotando logo à partida a hipótese de atingirem tal desempenho. 26-02-2014 136 68
  • 69. 26-02-2014 COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS Certifique-se que os objetivos são exequíveis e acredite que os pode atingir. Se não tiver objetivos ou os objetivos estiverem mal definidos ou então no caso de ter uma multiplicidade de objetivos que fazem o cérebro ficar “parado no tempo”, vai perder eficácia e performance e não vai atingir os objetivos. Os objetivos têm de estar muito bem definidos e se possível deveremos associar variáveis emocionais e valores ao objetivo. “Técnica da negociação com as partes do inconsciente” é uma técnica que ultrapassa as incompatibilidades que possam existir entre valores e objetivos. Exemplo: tenho como objetivo comprar o último modelo da carro X, mas a minha consciência diz-me que tenho de poupar para pagar as futuras propinas na Universidade para os meus filhos. A técnica é pensar o que teria de acontecer para tudo isto estar alinhado, provavelmente investir metade do dinheiro numa conta poupança para os filhos e o restante na aquisição da viatura. Além do compromisso tenho associado o objetivo a um sonho e a um valor, pelo que imagine impacto que isto pode provocar na comunicação do indivíduo, na sua Auto motivação, níveis de confiança, etc… 26-02-2014 137 COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS Evite pensar mal de si próprio. Algumas pessoas têm uma má auto imagem, ié, os “filmes mentais” que fazem de si próprios são negativos a vários níveis, como: a aparência física, a inteligência, a capacidade de interação social espiritualidade Estes “filmes” vão afetar diretamente a auto estima. Pense nas suas características positivas e lembre-se que ninguém é perfeito. Com certeza que conhece casos de sucesso que não reúnem uma ou várias das características atrás mencionadas. Rodeie-se de pessoas que gostem de si, valorizem as suas melhores características, e que tenham verdadeiro interesse em ajuda-lo(a). Não se esqueça de retribuir! 26-02-2014 138 69
  • 70. 26-02-2014 COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS A gestão do “Não” Eu quero muito este negócio! quero muito fechar esta venda, porque tenho um sonho muito forte! … Vou ficar desanimado se não fechar a venda, mas vou ficar por apenas 5 minutos! Cumpro o luto e volto novamente à luta. O que é que eu tirei de bom desta recusa? que conclusões poderei obter, no sentido de corrigir processos e contribuir para que eu possa ganhar o próximo negócio? Cada não que recebo, estatisticamente só me aproxima do próximo sim. Persistência ! 26-02-2014 139 COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS Linguagem não verbal (postura, gestos, expressões faciais) A linguagem não verbal representa 55% da importância na comunicação, 38% é devido ao tom de voz e apenas 7% diz respeito ao conteúdo propriamente dito. O rapport é portanto fundamental na comunicação com o prospeto. Nos próximos posts vamos partilhar consigo algumas técnicas de rapport. 26-02-2014 140 70
  • 71. 26-02-2014 COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS Celebre a conquista dos objetivos, reforçando o elo emocional associado à sua conquista. 26-02-2014 141 http://www.youtube.com/watch?v=xNYtmkxQ0F4 10 COMPETÊNCIAS ESTRATÉGICAS COMPORTAMENTAIS 1. Produto do produto Você acredita na sua solução mais do que é certo, que é o Sol é que aquece a Terra. Você conhece as características, a aplicabilidade, os benefícios e resultados dela. 2. Mestre em relacionamentos Todo o desconhecido se transforma num amigo quando o vendedor inicia o processo de vendas. A sua rede de relacionamentos é seu maior património. Ajuda as pessoas e elas o ajudam. Sorri pra as pessoas e elas vão-lhe sorrir também. 3. Têm potenciais clientes para ver todos os dias Campeão de Vendas e baseia-se em todas as fontes de prospeção para ter potenciais clientes para visitar sempre. Ele pede pelo menos quatro referências a cada cliente que visita. 4. Faz diagnósticos precisos Vendedor de sucesso é um ouvinte esforçado, concentrado. É um campeão em perguntas que permite ao cliente mergulhar nas suas necessidades. 26-02-2014 142 71
  • 72. 26-02-2014 10 COMPETÊNCIAS ESTRATÉGICAS COMPORTAMENTAIS 5. Hábil Negociador O vendedor profissional cria uma atmosfera que permite concessões mútuas e faz com que o cliente tenha a sensação de que está a ganhar e de que está a fazer um excelente negócio. 6. Especialista em Fecho Todos os vendedores com desempenho superior ajudam sutilmente o cliente decidir. Ele cria as condições necessárias para os cliente pedirem para comprar. 7. Tem o espírito de serviço Todo vendedor bem-sucedido tem o espírito de servir, de ajudar, de alegrar-se com a prosperidade de seu cliente. Trata-se de um desejo genuíno, de uma atitude voluntária de ajudar de os clientes serem melhores também. 8. Usa regularmente as seis palavras mágicas Para encantar o cliente, gera afetividade e um clima amistoso, começa com as seis palavras mágicas: 1. Olá (ou bom dia, boa tarde, boa noite); 2. Como está?; 3. Com licença; 4. Desculpe; 5. Obrigado 6. Até logo. 26-02-2014 143 10 COMPETÊNCIAS ESTRATÉGICAS COMPORTAMENTAIS 9. Tem excelente produtividade pessoal Produtividade é essencial a um bom vendedor. O seu tempo é precioso. É o seu maior capital. São atitudes de alto valor: 1. uma lista diária das atividades; 2. Agenda para calendarizar entrevistas, visitar clientes, etc; 3. Concentra-se em atividades que aumentam as vendas (visitas, telefonemas, pós-venda, “advogado” do cliente, etc.). 10. É entusiasta Entusiasmado é aquele que tem o Deus dentro de si, segundo a origem grega da palavra. Todos os vendedores têm orgulho no seu trabalho. Sem ele, a economia não anda e os negócios não evoluem. Ele exala sua confiança e otimismo pelo sorriso, pelas atitudes positivas, pela alta produtividade, pelo respeito ao cliente e pela crença nas suas solução. 26-02-2014 144 72
  • 73. 26-02-2014 COMPETÊNCIAS TÉCNICAS 26-02-2014 145 COMPETÊNCIAS TÉCNICAS A formação acadêmica e outras competências técnicas sempre foram consideradas importantes numa trajetória de sucesso. Porém, atualmente, ninguém nega que a personalidade também é determinante ou até mais determinante para o sucesso. Apenas não se falava muito disso, ou não se tinha consciência do tamanho da sua importância num bom desempenho profissional. Hoje é indiscutível que cuidar da própria empregabilidade vai muito além dos títulos académicos e experiência profissional. A empregabilidade passa, principalmente, pelas competências comportamentais e pelo aprimoramento da própria personalidade. 26-02-2014 146 73
  • 74. 26-02-2014 COMPETÊNCIAS TÉCNICAS Uma boa decisão é sempre o resultado da combinação das competências racionais (técnicas) e emocionais ou ainda, da integração das funções que estão presentes no hemisfério esquerdo (razão) e direito (emoção) do nosso cérebro. É um engano pensar que não há sentimentos e emoções em qualquer decisão que tomamos, por mais racional que pareça ser ou queremos que ela seja. 26-02-2014 147 COMPETÊNCIAS TÉCNICAS A competência emocional, neste momento e no mundo corporativo, é de fundamental importância. Hoje já se sabe, através de vários estudos, que o diferencial de sucesso de muitos empreendedores, líderes mundiais e benfeitores da humanidade está mais na sua personalidade do que num pressuposto saber académico. 26-02-2014 148 74
  • 75. 26-02-2014 6 – COMPETÊNCIAS DE COMUNICAÇÃO NA VENDA 26-02-2014 149 VENDA E O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO “Esqueça a concorrência externa quando o seu pior inimigo é a forma como a comunicação acontece internamente.” (Jack Welch) Uma boa comunicação entre (todos!) os membros da equipa, para “compreender” o cliente e propor a melhor solução a longo prazo. 26-02-2014 150 75
  • 76. 26-02-2014 VENDA E O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO Comunicação não é o que tu dizes. É o que o outro entende. 26-02-2014 151 VENDA E O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO Comunicar é: Partilhar informação; Conversar; Informar; Alertar; Dialogar; Atender. 26-02-2014 152 76
  • 77. 26-02-2014 VENDA E O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO Mensagem Emissor →→→→→→→→→→ Receptor Canal Feedback Barreira de Comunicação 26-02-2014 153 VENDA E O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO - Feedback – é a resposta que o receptor dá ao de uma mensagem/comunicação. - Emissor – é quem emite a mensagem - Receptor – e quem recebe a mensagem 26-02-2014 154 77
  • 78. 26-02-2014 VENDA E O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO Só retemos: 20% do que ouvimos 30% do que vemos 50% do que vemos e ouvimos em simultâneo 70% do que vemos ouvimos e discutimos 26-02-2014 155 VENDA E O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO Antes de comunicar, devemos planear a comunicação tendo em conta: A nossa relação com o interlocutores A opinião sobre o assunto em causa A forma mais adequada de comunicar As características do interlocutor 26-02-2014 156 78
  • 79. 26-02-2014 O CLIENTE A venda como elemento de comunicação de MKT. Objetivo da força de vendas é: Comunicar o que é o produto. Colocar o produto no mercado satisfazendo o cliente. Transmitir ao mercado uma imagem positiva do produto e da empresa. Ser uma fonte de informação sobre o mercado. 26-02-2014 157 COMPORTAMENTOS 26-02-2014 158 79
  • 80. 26-02-2014 • COMPORTAMENTOS NÃO ASSERTIVOS • 1-Comportamento Passivo É aquele em que a pessoa falha na expressão das suas necessidades ou preferências, emoções e opiniões. Na medida em que a pessoa que tem este comportamento é a primeira a violar os seus próprios direitos, acaba por dar ao outro a permissão para, também ele, o fazer. 26-02-2014 159 • COMPORTAMENTOS NÃO ASSERTIVOS • 2-Comportamento Agressivo • É aquele em que a pessoa expressa as suas necessidades ou preferências, emoções e opiniões, mas de uma forma que é hostil, exigente, ameaçadora ou punitiva para com o interlocutor. A pessoa que tem este comportamento defende os seus direitos, mas fá-lo à custa da violação dos do outro 26-02-2014 160 80
  • 81. 26-02-2014 • COMPORTAMENTOS NÃO ASSERTIVOS • 3-Comportamento Manipulativo • É aquele em que o cliente expressa as suas necessidades, preferências, emoções e opiniões de uma forma implícita ou indireta. Frequentemente utiliza «mensagens mistas», em que existem contradições no conteúdo ou entre o conteúdo e o comportamento não verbal. • É o caso de mensagens cujo objetivo é levar o interlocutor a adivinhar o que quer dizer, a sentir-se mal ou responsável, que fará o que ele quer contra a sua vontade. O vendedor que tem 161 este comportamento procura a satisfação das suas necessidades 26-02-2014 violando os direitos dos outros, mas fá-lo de forma indireta. • COMPORTAMENTO ASSERTIVO • O comportamento assertivo pode ser definido como aquele que envolve a expressão direta pelo cliente, das suas necessidades ou preferências, emoções e opiniões sem que, ao fazê-lo, ela tenha uma ansiedade indevida ou excessiva, e sem ser hostil para o interlocutor. • É por outras palavras, aquele que permite defender os próprios direitos sem violar os direitos dos outros. 26-02-2014 162 81
  • 82. 26-02-2014 • COMPORTAMENTO ASSERTIVO • Um aspeto que é importante ter em conta é que NINGUÉM é 100% assertivo com todas as pessoas e em todas as situações. • Para cada pessoa, a facilidade que tem em comportar-se de forma assertiva depende muito da pessoa a quem esse comportamento se dirige (pais, professores, amigos, namorado/a, crianças, etc) e da situação em que se encontra (autoafirmação, expressão de sentimentos positivos, expressão de sentimentos negativos, etc). • Quando muito, pode-se dizer que a pessoa assertiva é capaz de se comportar com assertividade com muitas pessoas e em muitas situações. 26-02-2014 163 • COMPORTAMENTO ASSERTIVO • A assertividade é uma escolha. Da mesma forma que determinada pessoa aprendeu a comporta-se de forma não assertiva, pode aprender um conjunto de competências que lhe permitam comportar-se com maior assertividade. 26-02-2014 164 82
  • 83. 26-02-2014 PARA OS OBJETIVOS DA COMUNICAÇÃO SEREM PLENAMENTE ATINGIDOS, É IMPORTANTE: • O que se Diz - deve ter interesse para o cliente, ser coerente e trazer resultados • Como se Diz - a forma de dizer é tão importante quanto o conteúdo. Pode modificar o sentido das palavras e da frase. Exemplo: “Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” Leia-se agora a frase dando ênfase às palavras sublinhadas: – – – – – “Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (Então quem disse?) “Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (Lembra-se de eu já ter dito isto?) “Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (Então quem roubou?) “Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (Então como conseguiu o dinheiro?) “Eu não disse que ele roubou o dinheiro!” (O que é que ele roubou?) Como se pode observar, a mesma frase tem 5 significados diferentes, dependendo do elemento onde e coloca o ênfase 26-02-2014 165 Princípios Básicos da Comunicação Interpessoal • A comunicação interpessoal envolve o envio de mensagens entre o comprador e o vendedor. Cada um analisa as mensagens do outro, enviando de seguida a mensagem de resposta, formando assim um ciclo. • Nesta comunicação existem regras (ex. não interromper quem está a falar). • Esperar pela nossa vez de falar. A comunicação é sequencial. • Deve existir coerência para que as pessoas se entendam. Cada afirmação do vendedor deve estar relacionada com a do comprador. • Estamos sempre a comunicar, mesmo quando não proferimos uma única palavra (através do tom de voz, a forma de vestir, o olhar, as expressões faciais – linguagem não verbal). 26-02-2014 166 83
  • 84. 26-02-2014 PROCESSO DE VENDA Perguntas podem ter a função de: Despertar atenção. Obter informação. Dar informação. Ativar o raciocínio. Conduzir a uma conclusão. 26-02-2014 167 COMUNICAÇÃO • Erros da comunicação – Não entender e não perguntar – Entender e não responder – Falar rapidamente e não esperar pela resposta – Não ser claro e objetivo 26-02-2014 168 84
  • 85. 26-02-2014 COMUNICAÇÃO • Bases da comunicação. • As recompensas das boas comunicações são grandes, mas difíceis são os meios de as obter, para isso é sempre preciso estar atento às bases da boa comunicação, para que ocorra a comunicação entre duas pessoas (transmissor/recetor) é vital que se observe as seguintes regras: 26-02-2014 169 DICAS PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO Dicas para uma boa Comunicação verbal Uma boa comunicação verbal precisa de um estímulo inicial, boas perguntas e um ouvido generoso para ser bem sucedida. Estímulo Inicial Quem desejar ser considerado um bom comunicador precisa de ter em atenção para o quê especificamente atrai as pessoas e quais são as palavras mágicas que ligam as “antenas” do interlocutor. A boa notícia é que todos sabemos de fazer isso desde criança, mas acabamos por nos limitar pelo excesso de regras que a sociedade cria para se livrar das pessoas excessivamente persuasivas em comunicar. 26-02-2014 170 85
  • 86. 26-02-2014 DICAS PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO Vejam a seguir como é interessante o efeito que algumas palavras geram em nós e como elas nos atraem: - Meu amigo, preciso de te contar uma coisa que não vais acreditar.... - Já sabes a última? - Tenho um segredo para te contar, conto agora ou mais tarde? - Dá uma vista de olhos nisto, acho que nunca viste nada igual... - Acabei de falar com o chefe, nem imaginas o que ele disse? - Sabe quem perguntou por si? - Informação importante, última hora, últimas notícias a respeito... 26-02-2014 171 DICAS PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO Boas Perguntas Sabe qual é o impacto que as perguntas geram no nosso cérebro? Você pode inclusive não responder, mas quando alguém lhe pergunta: Qual é a praia mais bonita que conheces? Quais as imagens que aparecem na tua mente? Tenta procurar escolher uma, entre todas as que conheces? Ou não tens opinião formada sobre as praias? Independente de responder verbalmente ou não, tenho a certeza que o seu cérebro de uma forma voluntária começou a pensar no assunto. Concorda que perguntas são a chave para fazer o nosso cérebro pensar sobre o conteúdo da pergunta? 26-02-2014 172 86
  • 87. 26-02-2014 DICAS PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO Antes de abandonar o trabalho e correr para a praia, vou-lhes colocar algumas questões sobre a vossa vida profissional: 1) Como é que chegaste a esta profissão? 2) O que gostas mais no trabalho que realizas? 3) Quem são as pessoas que valorizam mais o teu trabalho? 4) Onde pretendes estar profissionalmente daqui a cinco anos? 5) Quando é que vai ser a próxima promoção? 6) Qual é o reconhecimento que queres obter na tua profissão? 7) Por que é que fazes, o que fazes hoje? 26-02-2014 173 PROCESSO DE VENDA Perguntas no processo de venda: Façam perguntas que ajudem a identificar as principais motivações de compra. Não façam perguntas que possam deixar o cliente em situação difícil, ele pode oferecer uma resistência irreversível. Perguntas sobre as regras de bom senso. Não fazer perguntas iniciadas por NÃO. Não utilizar diminutivos nas perguntas. Pergunte e …. Cale-se. 26-02-2014 174 87
  • 88. 26-02-2014 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO 26-02-2014 175 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? A assertividade é uma escolha. Da mesma forma que determinada pessoa aprende a comporta-se de forma não assertiva, pode aprender um conjunto de competências que lhe permitem comportar-se com uma maior assertividade. Que vantagens tem em fazê-lo? 26-02-2014 176 88
  • 89. 26-02-2014 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? A resposta a esta questão pode ser dada, em primeiro lugar, pela análise das consequências de cada tipo de comportamento. É importante não esquecer que os comportamentos que temos não ocorrem num vácuo – eles repercutem sobre a pessoa que os tem e sobre aquele que os recebe, quer de forma imediata, quer a longo prazo. O que acontece é que, ainda que os comportamentos não assertivos tenham, a curto-prazo algumas consequências positivas para o próprio (que é, aliás, o que explica que se mantenham), as suas consequências são, num balanço global, negativas; os comportamentos assertivos são, por outro lado, quase sempre vantajosos 26-02-2014 177 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Se ainda não estás convencido, tem em atenção o seguinte: a assertividade, depois de aprendida, poderá vir a ser mais uma ferramenta, de entre um conjunto de que já dispões. Nada te obriga a utilizá-la, mas caso ela se venha a revelar necessária, é bom saber que lá está. Conhecimento dos próprios direitos A primeira mudança é interna, e passa por adquirir conhecimento dos direitos que te assistem (e igualmente, a cada uma das pessoas que te rodeiam). Uma amostra destes direitos poderá ser a seguinte: 26-02-2014 178 89
  • 90. 26-02-2014 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Eu tenho o direito de ser respeitado e tratado de igual para igual, qualquer que seja o papel que desempenho ou do meu estatuto social. Eu tenho o direito de manter os meus próprios valores, desde que eles respeitem os direitos dos outros Eu tenho o direito de expressar os meus sentimentos e opiniões. Eu tenho o direito de expressar as minhas necessidades e de pedir o que quero. Eu tenho o direito de dizer não sem me sentir culpado por isso. Eu tenho o direito de pedir ajuda e de escolher se quero prestar 26-02-2014 ajuda a alguém 179 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Eu tenho o direito de falar mal do formador. Eu tenho o direito de me sentir bem comigo próprio sem sentir necessidade de me justificar perante os outros. Eu tenho o direito de mudar de opinião. Eu tenho o direito de pensar antes de agir ou de tomar uma decisão. Eu tenho o direito de dizer «eu não estou a perceber» e pedir que me esclareçam ou ajudem. Eu tenho o direito de cometer erros sem me sentir culpado. Eu tenho o direito de fixar os meus próprios objetivos de vida e lutar para que as minhas expectativas sejam realizadas, desde que respeite os direitos dos outros. 26-02-2014 180 90
  • 91. 26-02-2014 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Tem também em conta algumas coisas que podes estar a dizer a ti próprio e que podem estar a tornar difícil comportares-te de forma assertiva. Alguns exemplos destes «pensamentos bloqueadores da assertividade» são os seguintes: Pensamentos sobre direitos e responsabilidades Não tenho o direito de recusar pedidos aos meus amigos. Não tenho o direito de fazer pedidos às outras pessoas. Não tenho o direito de discordar com os outros, particularmente com a autoridade. Não tenho o direito de ficar zangado, particularmente com as pessoas de quem gosto. 26-02-2014 181 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Pensamentos sobre a imagem que quero dar de mim Tenho que ser amado ou, pelo menos admirado por todos os que me rodeiam. Tenho que ser perfeito e nunca cometer erros. Pensamentos sobre as consequências prováveis do meu comportamento Se eu criticar a pessoa X, coisas terríveis poderão acontecer. 26-02-2014 182 91
  • 92. 26-02-2014 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Se algum destes pensamentos reflete uma crença tua, submete-o a uma análise racional. Isto pode ser feito quer invertendo as perspetivas das pessoas envolvidas (aquilo que vale para ti também vale para os outros?), quer procurando factos que o sustentem ou não (que provas tenho de que isto é verdade?), quer questionando o seu valor prático (em que é viver de acordo com este pensamento me tem ajudado até aqui?). Se o pensamento não sobreviver a esta análise, então, mais vale pô-lo de parte... 26-02-2014 183 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Em alguns casos contudo, a análise sugerida não chega para neutralizar estes pensamentos, e eles continuam a surgir, bloqueando o comportamento assertivo – nestes casos, considera-se a possibilidade de interromper este pensamento e agir (assertivamente) como se este não existisse – esta ação pode parecer um tiro no escuro, mas os resultados vão frequentemente demonstrar por si só, que afinal o pensamento não se justificava. 26-02-2014 184 92
  • 93. 26-02-2014 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? O passo seguinte é o de defender os teus direitos de uma forma a que seja eficaz. Isto requer a aquisição e treino de um conjunto de aptidões. De entre o conjunto de técnicas, escolhe aquelas que pensas que te serão mais úteis e adapta-as ao teu estilo pessoal. 26-02-2014 185 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Aptidão : Ser Claro, conciso e específico Como?: Diz aquilo que queres realmente dizer, de uma forma o mais direta possível. Se necessário, dá exemplos que ilustrem aquilo que queres dizer. Não pressuponhas que a outra pessoa já sabe o que queres apenas porque tu sugeriste ou deste umas pistas – ela não sabe ler o teu pensamento. Não faças prefácios ás tuas frases ou pedidos com desculpas, justificações ou coisas irrelevantes, falando muito para dizer pouco – o recetor recebe uma mensagem pouco clara e pode interpretá-la mal ou interromper-te antes de acabares. Exemplo: Em vez de se dizer ao empregado do cliente:” Desculpe, eu e o seu chefe falámos ao telefone. Ele não lhe disse nada?” Dizer: ”Combinei com o seu chefe que passaria cá para buscar o cheque. Já está pronto? “ 26-02-2014 186 93
  • 94. 26-02-2014 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Aptidão : Usar frases na 1ª pessoa Como?:Não há inicio sem o EU – dizeres «eu» significa que assumes a responsabilidade pelos teus pensamentos, sentimentos e ações e que não culpas os outros. Exemplo: Em vez de «tu irritas-me», dizer «eu sinto-me irritado» Em vez de «tem razão», dizer «eu concordo» Em vez «sabe como é, ninguém consegue decidir sobre estes pontos, não é?», dizer «eu estou a ter dificuldade em decidir» 26-02-2014 187 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Aptidão : Empatia Como?: Reconhece o que o recetor diz sobre a sua situação, dificuldades, sentimentos e opiniões – ele saberá que tu o estás a ouvir e a prestar atenção ao que é importante para ele, e isto constrói a compreensão entre os dois. Exemplo: A: Pode-me dizer se consegue entregar a mercadoria para a semana? B: Tenho pena, mas as greves dos camionistas estão a dificultar-nos as entregas e pode ser que haja um atraso. A: Eu compreendo que lhe estejam a criar dificuldades (empatia), mas já está atrasado uma semana e eu gostaria de colocar a mercadoria em produção na Segunda Feira. 26-02-2014 188 94
  • 95. 26-02-2014 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Aptidão :Respeitar os outros Como?: O outro, tal como tu, tem uma opinião e sentimentos sobre as situações. Quando criticas alguém ou rejeitas um pedido, mostra que, longe de ser um ataque pessoal a esse alguém como um todo, estás a dizer algo de específico ao comportamento/pedido em questão. Exemplo: A: «Fico contente por me receber de uma forma tão simpática, mas será que seria possível não me deixar tanto tempo à espera. È que a minha volta pelos clientes é grande e aqui atraso-me sempre. (apreciação seguida de crítica construtiva e pedido de mudança). Ou A: «Vamos tomar um copo depois das sete» B: «Hoje não posso pois tenho um cliente na Covilhã, mas gostava de falar um bocado consigo noutro dia. (rejeita o pedido e mostra apreço quando sugere adiar para outro dia). 26-02-2014 189 TÉCNICAS DE CONTROLO DA COMUNICAÇÃO O que é que ganharias em te comportares de uma forma mais assertiva? Nota Final: A assertividade não garante a não ocorrência de conflitos entre duas pessoas; o que acontece é que, se duas pessoas em desacordo comunicam de forma assertiva, é mais provável que reconheçam que existe um desacordo e tentem chegar a um compromisso ou, simplesmente, decidam manter a sua posição respeitando a do outro. Em todo o caso, tu só és responsável pelo teu próprio comportamento – se a outra parte do conflito decidir comportarse de forma não assertiva, o problema é dela. Mas Lembrem-se: Simpatia gera simpatia. 26-02-2014 190 95
  • 96. 26-02-2014 ESCUTA ATIVA 26-02-2014 191 Técnicas de expressão (oral) A Expressão Oral é uma das formas pelas quais se opera a transmissão de ideias, aliás sendo a mais comum, é também a forma em que as pessoas mais erram em termos de eficiência da comunicação. Trata-se da mensagem falada. 26-02-2014 192 96
  • 97. 26-02-2014 Técnicas de expressão (oral) • Podemos dividir a palavra falada, ou de expressão oral, em alguns tópicos principais, os quais estudaremos com mais detalhes de seguida: • • • • • • • • • -Dicção. - Respiração. - Ressonância. - Velocidade. - Pausa. - Volume. - Tom. - A alternância. Teoria do Gráfico. - Vocabulário. 26-02-2014 193 Técnicas de expressão (oral) • A questão é que enquanto cultural, é algo que pode levar muito tempo para ser percebida (na convivência profissional, política etc.), …. a má dicção leva apenas alguns segundos. Ora, os ouvintes associam uma má expressão oral a uma formação cultural ou intelectual deficiente. 26-02-2014 194 97
  • 98. 26-02-2014 Técnicas de expressão (oral) • Portanto, uma pessoa com má dicção terá, consequentemente, problemas no que respeita à sua argumentação, pois encontrará barreiras à persuasão da audiência a quem se dirige. • E isto dá-se em razão de ter a sua autoridade diminuída em face da associação que os ouvintes fazem entre o intelecto e a expressão oral. 26-02-2014 195 Técnicas de expressão (oral) • Erros Comuns • a) troca de “pr” por “p + vogal + r”. Ex.: precisa por “percisa” • b) omissão do “r” final ou vogal final. Ex.: Ao invés de vou buscar, usar “Vô buscare”. • c) supressão de vogais internas: Ex.: leiteiro por “letero”. • d) erro de colocação de consoantes. Ex.: iogurte por “iorgute”. • e) troca de consoantes. Ex.: Salsicha por “chalsicha” ou “chalchicha”. 26-02-2014 196 98
  • 99. 26-02-2014 Técnicas de expressão (oral) • VÍCIOS • Existem diversos vícios relativos ao vocabulário, que se não evitados, podem comprometer a mensagem do orador e até da sua própria imagem. De entre os principais há a destacarse: • 1- Uso de palavrão ou gíria: Um dos mais tolos enganos que um orador pode cometer é imaginar que, ao usar gírias ou palavrões irá se aproximar, ganhar intimidade com seus ouvintes. Pelo contrário, a experiência demonstra que o uso de tal “recurso” apenas diminui o respeito e a credibilidade em relação ao orador. 26-02-2014 197 Técnicas de expressão (oral) • 2- Obscuridade: Trata-se do uso inapropriado de termos (geralmente por não se saber o real significado da palavra empregada) ou má colocação das palavras. • 3- Cacofonia: Diz respeito à construção frásica de má sonoridade. Ex.: “...um por cada...”, “...na boca dela”, “...gosto da cor vinho”, “...da vez passada”. • Vejamos um belo exemplo: “O Sr. Vitor irritou-se por ver na boca dela a cor vinho na vez passada”. 26-02-2014 198 99
  • 100. 26-02-2014 Técnicas de expressão (oral) • 4- Pleonasmo: É a redundância dos termos. Ex.: “subir para cima”, “descer para baixo”. • 5- Chavões: O uso de chavões serve apenas como indicativo da falta de preparação do orador. É necessário evitá-los ao máximo. Ex.: “...o futebol é uma caixinha de surpresas...” 26-02-2014 199 Técnicas de expressão (oral) • Como aprimorar o vocabulário e a gramática • Existem diversos métodos que se poderiam aconselhar, de entre eles a leitura acompanhada de um bom dicionário, é claro. Mas, a melhor forma de se aumentar o vocabulário ativo consiste na exteriorização das ideias, quer através da escrita, quer da fala. 26-02-2014 200 100
  • 101. 26-02-2014 ESCUTA ATIVA 26-02-2014 201 DICAS PARA ESCUTA ATIVA Ouvir com generosidade Gostas de ser interrompido quando expões conteúdo? Conheces alguém que goste de ser anulado nas suas opiniões? Consegues manter-te um ouvinte ativo quando o assunto não é do teu interesse? Possuis autocontrole para ouvir quando alguém está a questionar ou a criticar o teu serviço? Tornar-se um bom ouvinte e ativo é um trabalho de autodesenvolvimento fantástico, mas sabes quem são os nossos melhores professores neste tema? Pensa no seguinte: Porque é que procuras os teus AMIGO(A)S do peito para contar os teus segredos ou as tuas mágoas? 26-02-2014 202 101
  • 102. 26-02-2014 DICAS PARA ESCUTA ATIVA Quais foram os atributos que te levaram a escolher os teus AMIGOS do peito? De todos os atributos que eles possam ter, serem bons ouvintes e sempre dispostos para te ouvir são os mais importantes para uma boa amizade. Percebeste? Quanto melhor for a tua habilidade para comunicar, melhor será as tuas hipóteses de alcançares boas vendas. Pratica e o sucesso será apenas uma questão de tempo! 26-02-2014 203 DICAS PARA ESCUTA ATIVA • • • • • • • • • 26-02-2014 Saber Ouvir. Analisar o ponto critico. Evitar termos técnicos . Esclarecer as ideias. Expressa o teu interesse. Ações X Informações As ações suportam o que dizes. Tenta ser objetivo. Que mensagem quero transmitir? 204 102
  • 103. 26-02-2014 LINGUAGEM COMERCIAL / / PALAVRAS NEGRAS 26-02-2014 205 PALAVRAS NEGRAS Durante a relação com o cliente, o profissional de vendas deve utilizar uma linguagem comercial adequada. Por exemplo, deve evitar usar: Cacofonias (“é c’agora”; “é c’assim”; “memassim”; “sefaxavor”; “colicença”; “tamém”; “cuméque”; “táqui”; “prontos”; etc.); Diminutivos (“um minutinho”; “baratinho”; “jeitosinho”; “um bocadinho”; “é bonitinho”; etc.); Palavras negativas (“não”; “difícil”; “complicado”; “nenhum”; “ninguém“; “nunca”; “impossível“; “caro”; “mau”; “problema”; “custo”; etc.). 26-02-2014 206 103
  • 104. 26-02-2014 PALAVRAS NEGRAS 1) As palavras que geram desconfiança Aquelas que destacam e reforçam o aspeto demasiado comercial da função. Exemplos a) Em vez de custo ou preço dizer investimento ou valor; b) Em vez de contrato dizer proposta; c) Em vez de comprar dizer adquirir. Aquelas que apelam demasiado à confiança. Exemplos a) «Sinceramente Sr. Manuel, esta proposta é muito honesta!» b) «Repare D. Maria, este produto foi feito à sua medida!» 26-02-2014 207 PALAVRAS NEGRAS 2) As palavras que suscitam dúvidas Palavras com carga negativa Exemplos a) Em vez de perguntar «Há algum problema em relação à nossa última proposta?», optar por dizer: «O Sr. Joaquim recebeu a nossa proposta. Qual foi o ponto que mais lhe chamou a atenção?» b) Em vez de perguntar «Não quer aproveitar esta promoção?», optar por dizer: «Pode aproveitar agora esta promoção!» Os condicionais (optar por falar no presente) Exemplo Em vez de dizer «Acredite! Estou seguro de que seria do seu agrado.», optar por dizer: «Estou seguro de que será do seu agrado.» Interrogações negativas que suscitam reações negativas Exemplo Em vez de perguntar «O Sr. João não pensa em comprar nos próximos meses?», optar por perguntar: «Está a pensar em comprar brevemente?»; ou optar por uma abordagem mais assertiva (pressupondo a compra), dizendo: «É durante este período que o Sr. João vai poder avaliar a eficácia do nosso produto.» 26-02-2014 208 104
  • 105. 26-02-2014 PALAVRAS NEGRAS 3) As palavras agressivas Termos que colocam em dúvida a palavra do cliente Exemplo Em vez de afirmar «De acordo com o que a D. Alice diz.» ou «Se o que a D. Alice diz for verdade.», optar por afirmar: «No que a D. Alice diz, há um ponto que atrai especialmente a minha atenção…» Palavras que hostilizam o cliente, desvalorizando-o e colocando em causa o seu conhecimento Exemplos a) Em vez de dizer «O que o Sr. diz não faz o menor sentido!», optar por dizer: «Compreendo muito bem o seu ponto de vista, mas podemos ver as coisas de uma outra forma…» b) Em vez de dizer «Se o Sr. tivesse lido as instruções, saberia que…», optar por dizer: «Nas instruções há uma chamada de atenção para esse caso em particular… Podemos dar uma vista de olhos.» c) Em vez de perguntar «Compreendeu?» ou «Está a perceber?», optar por perguntar: «Fui claro?», «Fui compreensível?» ou «Fiz-me entender?» 26-02-2014 209 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL 26-02-2014 210 105
  • 106. 26-02-2014 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL Interpretação dos sinais corporais 26-02-2014 211 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL Interpretação dos sinais corporais 26-02-2014 212 106
  • 107. 26-02-2014 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL Interpretação dos sinais corporais 26-02-2014 213 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL Interpretação dos sinais corporais 26-02-2014 214 107
  • 108. 26-02-2014 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL Cerca de 70% daquilo que o recetor entende da mensagem é fornecido através do comportamento não verbal do emissor– a linguagem corporal adequada, confirma e sublinha o que se diz, pelo que se deve ser concordante com o conteúdo da mensagem. Inclui aspetos como: 26-02-2014 215 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL Espaço Pessoal “Distancia-te” da outras pessoas, para que seja confortável para ti e para o outro, dependendo da situação e do grau de familiaridade. Se sentes que a altura do outro te coloca em desvantagem, sugere que ambos se sentem para falar. 26-02-2014 216 108
  • 109. 26-02-2014 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL GESTOS Expressivos mas não excessivos, Evita os gestos que provocam distração como bambolear, roer as unhas e os gestos que perturbam a comunicação, como colocar a mão à frente da boca ou cruzar os braços. 26-02-2014 217 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL EXPRESSÃO FACIAL Concordante com aquilo que estás a dizer , particularmente, com os sentimentos que estás a expressar – se estás zangado, mostra-te zangado, se estás feliz, sorri.!!! 26-02-2014 218 109
  • 110. 26-02-2014 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL CONTACTO VISUAL Directo mas não excessivo – evita fugir ao contacto visual, mas não fiques a olhar fixamente, com um ar «embasbacado» ou hostil para o outro. 26-02-2014 219 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL UTILIZAÇÃO DA VOZ Discurso seguro e fluente, num ritmo adequado e estável e num tom suficientemente alto para ser percetível mas não tão alto que se torne irritante. Entoação consistente com o conteúdo verbal. Procura responder à outra pessoa com rapidez, mas não demasiada, ou seja, sem hesitar durante muito tempo mas também sem a atropelar. Faz silêncios quando for adequado ou enquanto pensas no que vais dizer, e não preenchas as pausas com nãopalavras como «hãããã», «pronto» (ou «prontos»), «`tás a ver», etc. 26-02-2014 220 110
  • 111. 26-02-2014 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL APRENDER A SER ASSERTIVO A assertividade não é uma característica inata que se tem ou não. O que acontece é que, as aprendizagens que uma pessoa faz ao longo da vida conduzem a que, no momento atual, ela tenha ou não a capacidade de se comportar de forma assertiva. Embora seja difícil dizer quais os motivos que fizeram com que, no presente, determinada pessoa tenha dificuldade em se comportar de forma assertiva com determinadas pessoas e em determinadas situações, existe um conjunto de fatores que podem ser considerados. Por exemplo: 26-02-2014 221 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL APRENDER A SER ASSERTIVO Punição Muitas vezes as pessoas têm dificuldade em comportar-se de forma assertiva em determinados momentos porque, no passado, foram repetidamente punidas (física ou verbalmente) por se expressarem em momentos semelhantes. Reforço Muitas vezes as pessoas têm dificuldade em comportar-se de forma assertiva em determinados momentos porque, no passado, foram repetidamente recompensadas por se comportarem de forma não assertiva em momentos semelhante. 26-02-2014 222 111
  • 112. 26-02-2014 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL APRENDER A SER ASSERTIVO Modelagem Muitas vezes as pessoas aprendem a comportar-se de modo não assertivo por observação e imitação do comportamento não assertivo de pessoas que sejam próximas e significativas, como os pais. Falta de oportunidade Muitas vezes as pessoas comportam-se de forma não assertiva porque, no passado, não tiveram oportunidade para aprender formas de comportamento mais adequadas; quando confrontadas com uma situação nova, não sabem como responder (e adicionalmente, sentem-se desconfortáveis por causa desta falta de conhecimento). 26-02-2014 223 COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL APRENDER A SER ASSERTIVO Padrões culturais e crenças pessoais Várias normas culturais ( por exemplo «é falta de educação recusar pedidos») e crenças pessoais (por exemplo «quero que todas as pessoas gostem de mim»), que aprendemos ao longo da vida, podem funcionar como prescrições contra a assertividade, resultando em respostas não assertivas. Incerteza relativamente aos próprios direitos As pessoas podem responder às situações de forma não assertiva por não conhecerem os seus direitos nessas situação – elas podem nunca ter aprendido quais são os seus direitos (e os limites desses direitos) em situações sociais. 26-02-2014 224 112
  • 113. 26-02-2014 TRABALHO COM TEMAS À ESCOLHA: 21 e 28/03/2013 26-02-2014 225 EXERCICIO EM GRUPO 26-02-2014 226 113
  • 114. 26-02-2014 EXERCICIO EM GRUPO VERIFICAÇÃO E CONTROLO DO TRABALHO. 26-02-2014 227 CONCLUSÕES 26-02-2014 228 114
  • 115. 26-02-2014 SÍNTESE E REVISÃO DO MÒDULO 26-02-2014 229 SINTESE CONCLUSIVA 26-02-2014 230 115
  • 116. 26-02-2014 FORMAÇÃO TÉCNICAS DE MARKETING Síntese conclusiva •xxxxx NÃO ESQUECER QUE: xxxxxx 26-02-2014 231 116