SlideShare uma empresa Scribd logo
Lista de Exercícios - 48 - Coeficiente de Solubilidade
Classificação das Soluções Aquosas e Coeficiente de Solubilidade

1. (UERJ) O gráfico a seguir, que mostra a variação da solubilidade do dicromato de potássio

na água em função da temperatura, foi apresentado em uma aula prática sobre misturas e suas
classificações. Em seguida, foram preparadas seis misturas sob agitação enérgica, utilizando
dicromato de potássio sólido e água pura em diferentes temperaturas, conforme o esquema:

Após a estabilização dessas misturas, o número de sistemas homogêneos e o número de
sistemas heterogêneos formados correspondem, respectivamente,
(A) 5 - 1
(B) 4 - 2
(C) 3 - 3
(D) 1 - 5
(E) 3 - 4
2. (FATEC) A partir do gráfico a seguir são feitas as afirmações de I a IV.

I. Se acrescentarmos 250 g de NH4NO3 a 50 g de água a 60 °C, obteremos uma solução
saturada com corpo de chão.
II. A dissolução, em água, do NH4NO3 e do NaI ocorre com liberação e absorção de calor,
respectivamente.
III. A 40 °C, o NaI é mais solúvel que o NaBr e menos solúvel que o NH4NO3.
IV. Quando uma solução aquosa saturada de NH4NO3, inicialmente preparada a 60 °C, for
resfriada a 10 °C, obteremos uma solução insaturada.
Está correto apenas o que se afirma em
(A) I e II.
(B) I e III.
(C) I e IV.
(D) II e III.
(E) III e IV.
3. (UFRGS) Observe o gráfico a seguir, que representa a variação da solubilidade de sais com

a temperatura.
Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as seguintes afirmações, feitas por um estudante ao
tentar interpretar esse gráfico.

(
) O cloreto de sódio e o sulfato de lítio apresentam solubilidade constante no intervalo
considerado.
( ) No intervalo de O °C a 100 °C, a solubilidade do iodeto de potássio é aproximadamente
duas vezes maior que a do nitrato de sódio.
( ) O nitrato de prata é o sal que apresenta o maior valor de solubilidade a O °C.
( ) A solubilidade do iodeto de potássio a 100 °C é aproximadamente igual a 200 g/L.
(
) Quatro dos sais mostrados no gráfico apresentam aumento da solubilidade com a
temperatura no intervalo de O °C a 35 °C.
( ) A 20 °C, as solubilidades do cloreto de sódio e só sulfato de sódios são iguais.
A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é
(A) V - F- V - F - F - F.
(B) F - V - F - V - F - F.
(C) F - F - F - F - V - V.
(D) V - F - F - V - F - V.
(E) F- V - V - F - V - F.
4. (PUCRIO) Observe o gráfico a seguir.
A quantidade de clorato de sódio capaz de atingir a saturação em 500 g de água na
temperatura de 60 °C, em grama, é aproximadamente igual a
(A) 70
(B) 140
(C) 210
(D) 480
(E) 700
5. (UFMG) Numa aula no Laboratório de Química, os alunos prepararam, sob supervisão do

professor, duas soluções aquosas, uma de cloreto de potássio, KCℓ, e uma de cloreto de cálcio,
CaCℓ2. Após observarem a variação da temperatura em função do tempo, durante o preparo de
cada uma dessas soluções, os alunos elaboraram este gráfico:

Considerando-se as informações fornecidas por esse gráfico e outros conhecimentos sobre o
assunto, é CORRETO afirmar que
(A) a dissolução do CaCℓ2 diminui a energia cinética média das moléculas de água.
(B) a dissolução do KCℓ é um processo exotérmico.
(C) a entalpia de dissolução do CaCℓ2 é maior que zero.
(D) a solubilidade do KCℓ aumenta com o aumento da temperatura.
6. (UFAL) Considere os seguintes dados:

- Solubilidade em água à temperatura ambiente.
- NaNO3 ... 90 g/100 g de H2O; massa molar (g/mol) = 85.

Sua solubilidade aumenta quando aumenta a temperatura.
- NaCℓ ... 38 g/100 g de H2O; massa molar (g/mol) = 58.
Sua solubilidade é praticamente constante quando aumenta a temperatura.
- Ce2(SO4)3 ... 5 g/100 g de H2O
Sua solubilidade diminui quando aumenta a temperatura.
Com esses dados, afirma-se que
(A) À temperatura ambiente, quando a solubilidade é expressa em mol do soluto/100 g H2O, o
NaCℓ é mais solúvel do que o NaNO3.
(B) À temperatura ambiente, uma solução saturada de NaCℓ contém mais mols de íons Na+ do
que uma solução saturada de NaNO3.
(C) A dissolução de NaNO3 em água é um processo endotérmico.
(D) A dissolução do NaCℓ em água deve ocorrer com pequeno efeito térmico.
(E) A dissolução do Ce2(SO4)3 em água deve ocorrer com liberação de energia.
7. (PUCMG) O gráfico representa as curvas de solubilidade de alguns sais em água.

De acordo com o gráfico, podemos concluir que
(A) a substância mais solúvel em água a 40 °C é o nitrito de sódio.
(B) a temperatura não afeta a solubilidade do cloreto de sódio.
(C) o cloreto de potássio é mais solúvel que o cloreto de sódio à temperatura ambiente.
(D) a massa de clorato de potássio capaz de saturar 200 mL de água, a 30 °C, é de 20 g.
8. (PUCSP) O gráfico a seguir representa a curva de solubilidade do nitrato de potássio (KNO3)

em água.
A 70 °C, foram preparadas duas soluções, cada uma contendo 70 g de nitrato de potássio
(KNO3) e 200 g de água. A primeira solução foi mantida a 70 °C e, após a evaporação de uma
certa massa de água (m), houve início de precipitação do sólido. A outra solução foi resfriada a
uma temperatura (t) em que se percebeu o início da precipitação do sal.

A análise do gráfico permite inferir que os valores aproximados da massa m e da temperatura t
são, respectivamente,
(A) m = 50 g e t = 45 °C
(B) m = 150 g e t = 22 °C
(C) m = 100 g e t = 22 °C
(D) m = 150 g e t = 35 °C
(E) m = 100 g e t = 45 °C
9. (CPS) Em uma das Etecs, após uma partida de basquete sob sol forte, um dos alunos passou

mal e foi levado ao pronto-socorro.
O médico diagnosticou desidratação e por isso o aluno ficou em observação, recebendo soro
na veia.
No dia seguinte, a professora de Química usou o fato para ensinar aos alunos a preparação do
soro caseiro, que é um bom recurso para evitar a desidratação.
Soro Caseiro
Um litro de água fervida
Uma colher (de café) de sal
Uma colher (de sopa) de açúcar
Após a explicação, os alunos estudaram a solubilidade dos dois compostos em água, usados
na preparação do soro, realizando dois experimentos:
I. Pesar 50 g de açúcar (sacarose) e adicionar em um béquer que continha 100 g de água sob
agitação.
II. Pesar 50 g de sal (cloreto de sódio) e adicionar em um béquer que continha 100 g de água sob
agitação.
Após deixar os sistemas em repouso, eles deveriam observar se houve formação de corpo de
chão (depósito de substância que não se dissolveu). Em caso positivo, eles deveriam filtrar,
secar, pesar o material em excesso e ilustrar o procedimento.
Um grupo elaborou os seguintes esquemas:

Analisando os esquemas elaborados, é possível afirmar que, nas condições em que foram
realizados os experimentos,
(A) o sistema I é homogêneo e bifásico.
(B) o sistema II é uma solução homogênea.
(C) o sal é mais solúvel em água que a sacarose.
(d) a solubilidade da sacarose em água é 50 g por 100 g de água.
(E) a solubilidade do cloreto de sódio (NaCℓ) em água é de 36 g por 100 g de água.
10. (ENEM) Devido ao seu alto teor de sais, a água do mar é imprópria para o consumo

humano e para a maioria dos usos da água doce. No entanto, para a indústria, a água do mar é
de grande interesse, uma vez que os sais presentes podem servir de matérias-primas
importantes para diversos processos. Nesse contexto, devido a sua simplicidade e ao seu
baixo potencial de impacto ambiental, o método da precipitação fracionada tem sido utilizado
para a obtenção dos sais presentes na água do mar.
Tabela 1: Solubilidade em água de alguns compostos presentes na água do mar a 25 ºC
SOLUTO
Brometo de sódio
Carbonato de cálcio

FÓRMULA
NaBr
CaCO3

SOLUBILIDADE
g/kg de H2O
1,20 x 103
1,30 x 10-2
Cloreto de sódio
Cloreto de magnésio

NaCℓ

3,60 x 102
5,41 x 102

MgCℒ2

Sulfato de magnésio
Sulfato de cálcio

MgSO4
CaSO4

3,60 x 102
6,80 x 10-1

Suponha que uma indústria objetiva separar determinados sais de uma amostra de água do
mar a
25 °C, por meio da precipitação fracionada. Se essa amostra contiver somente os sais
destacados na tabela, a seguinte ordem de precipitação será verificada.
(A) Carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio, cloreto de
magnésio e, por último, brometo de sódio.
(B) Brometo de sódio, cloreto de magnésio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio, sulfato de
cálcio e, por último, carbonato de cálcio.
(C) Cloreto de magnésio, sulfato de magnésio e cloreto de sódio, sulfato de cálcio, carbonato de
cálcio e, por último, brometo de sódio.
(D) Brometo de sódio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de sódio e sulfato de
magnésio e, por último, cloreto de magnésio.
(E) Cloreto de sódio, sulfato de magnésio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de
magnésio e, por último, brometo de sódio.
Gabarito
1[B] 2[B] 3[C] 4[E] 5[D] 6 FFVVV 7[D] 8[B] 9[E] 10[A]
Cloreto de sódio
Cloreto de magnésio

NaCℓ

3,60 x 102
5,41 x 102

MgCℒ2

Sulfato de magnésio
Sulfato de cálcio

MgSO4
CaSO4

3,60 x 102
6,80 x 10-1

Suponha que uma indústria objetiva separar determinados sais de uma amostra de água do
mar a
25 °C, por meio da precipitação fracionada. Se essa amostra contiver somente os sais
destacados na tabela, a seguinte ordem de precipitação será verificada.
(A) Carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio, cloreto de
magnésio e, por último, brometo de sódio.
(B) Brometo de sódio, cloreto de magnésio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio, sulfato de
cálcio e, por último, carbonato de cálcio.
(C) Cloreto de magnésio, sulfato de magnésio e cloreto de sódio, sulfato de cálcio, carbonato de
cálcio e, por último, brometo de sódio.
(D) Brometo de sódio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de sódio e sulfato de
magnésio e, por último, cloreto de magnésio.
(E) Cloreto de sódio, sulfato de magnésio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de
magnésio e, por último, brometo de sódio.
Gabarito
1[B] 2[B] 3[C] 4[E] 5[D] 6 FFVVV 7[D] 8[B] 9[E] 10[A]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ciencias9.fisica
Ciencias9.fisicaCiencias9.fisica
Ciencias9.fisica
Nadia Sales Furtado
 
Lista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Lista de exercícios IX Cadeias CarbonicasLista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Lista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Carlos Priante
 
Exercícios listão - resolvidos
Exercícios listão - resolvidosExercícios listão - resolvidos
Exercícios listão - resolvidos
Gerson Coppes
 
Lista de exercícios expressões algébricas III - iii
Lista de exercícios   expressões algébricas III - iiiLista de exercícios   expressões algébricas III - iii
Lista de exercícios expressões algébricas III - iii
Cinthia Oliveira Brito da Silva
 
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
Vinny Silva
 
Avaliação 6º,7º e 8° ano 3º bimestre (2)
Avaliação 6º,7º e 8° ano 3º bimestre (2)Avaliação 6º,7º e 8° ano 3º bimestre (2)
Avaliação 6º,7º e 8° ano 3º bimestre (2)
Lucia Virginio
 
Indústria gabarito 05.02
Indústria gabarito 05.02Indústria gabarito 05.02
Indústria gabarito 05.02
Suely Takahashi
 
região Sudeste
região Sudesteregião Sudeste
região Sudeste
Elizangela Ramos
 
Urbanização e industrialização no Brasil
Urbanização e industrialização no Brasil Urbanização e industrialização no Brasil
Urbanização e industrialização no Brasil
ELTONDASILVARODRIGUE
 
Sabao
SabaoSabao
Atividade 4° bim 1°e quím
Atividade  4° bim 1°e químAtividade  4° bim 1°e quím
Atividade 4° bim 1°e quím
Regina de Castro
 
Aval arte 6 pip
Aval arte 6 pipAval arte 6 pip
As paisagens e o relevo
As paisagens e o relevoAs paisagens e o relevo
As paisagens e o relevo
Salageo Cristina
 
A Migração de Retorno no Brasil
A Migração de Retorno no BrasilA Migração de Retorno no Brasil
A Migração de Retorno no Brasil
Vitor Morais
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
flaviocosac
 
Cotidiano de ácidos, bases e sais.
Cotidiano de ácidos, bases e sais.Cotidiano de ácidos, bases e sais.
Cotidiano de ácidos, bases e sais.
José Marcelo Cangemi
 
Lista de exercicios óxidos
Lista de exercicios    óxidosLista de exercicios    óxidos
Lista de exercicios óxidos
Profª Alda Ernestina
 
Atividades diversas
Atividades diversasAtividades diversas
Atividades diversas
Paulo Alves de Araujo
 
Caça brasil pinte os estados brasileiros de lápis de cor verde e as capitais...
Caça brasil  pinte os estados brasileiros de lápis de cor verde e as capitais...Caça brasil  pinte os estados brasileiros de lápis de cor verde e as capitais...
Caça brasil pinte os estados brasileiros de lápis de cor verde e as capitais...
Edna Souza da Silva
 
Lista de questões - Professor Ferretto - Conjuntos
Lista de questões - Professor Ferretto - ConjuntosLista de questões - Professor Ferretto - Conjuntos
Lista de questões - Professor Ferretto - Conjuntos
Daniel Ferretto
 

Mais procurados (20)

Ciencias9.fisica
Ciencias9.fisicaCiencias9.fisica
Ciencias9.fisica
 
Lista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Lista de exercícios IX Cadeias CarbonicasLista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Lista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
 
Exercícios listão - resolvidos
Exercícios listão - resolvidosExercícios listão - resolvidos
Exercícios listão - resolvidos
 
Lista de exercícios expressões algébricas III - iii
Lista de exercícios   expressões algébricas III - iiiLista de exercícios   expressões algébricas III - iii
Lista de exercícios expressões algébricas III - iii
 
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
 
Avaliação 6º,7º e 8° ano 3º bimestre (2)
Avaliação 6º,7º e 8° ano 3º bimestre (2)Avaliação 6º,7º e 8° ano 3º bimestre (2)
Avaliação 6º,7º e 8° ano 3º bimestre (2)
 
Indústria gabarito 05.02
Indústria gabarito 05.02Indústria gabarito 05.02
Indústria gabarito 05.02
 
região Sudeste
região Sudesteregião Sudeste
região Sudeste
 
Urbanização e industrialização no Brasil
Urbanização e industrialização no Brasil Urbanização e industrialização no Brasil
Urbanização e industrialização no Brasil
 
Sabao
SabaoSabao
Sabao
 
Atividade 4° bim 1°e quím
Atividade  4° bim 1°e químAtividade  4° bim 1°e quím
Atividade 4° bim 1°e quím
 
Aval arte 6 pip
Aval arte 6 pipAval arte 6 pip
Aval arte 6 pip
 
As paisagens e o relevo
As paisagens e o relevoAs paisagens e o relevo
As paisagens e o relevo
 
A Migração de Retorno no Brasil
A Migração de Retorno no BrasilA Migração de Retorno no Brasil
A Migração de Retorno no Brasil
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
 
Cotidiano de ácidos, bases e sais.
Cotidiano de ácidos, bases e sais.Cotidiano de ácidos, bases e sais.
Cotidiano de ácidos, bases e sais.
 
Lista de exercicios óxidos
Lista de exercicios    óxidosLista de exercicios    óxidos
Lista de exercicios óxidos
 
Atividades diversas
Atividades diversasAtividades diversas
Atividades diversas
 
Caça brasil pinte os estados brasileiros de lápis de cor verde e as capitais...
Caça brasil  pinte os estados brasileiros de lápis de cor verde e as capitais...Caça brasil  pinte os estados brasileiros de lápis de cor verde e as capitais...
Caça brasil pinte os estados brasileiros de lápis de cor verde e as capitais...
 
Lista de questões - Professor Ferretto - Conjuntos
Lista de questões - Professor Ferretto - ConjuntosLista de questões - Professor Ferretto - Conjuntos
Lista de questões - Professor Ferretto - Conjuntos
 

Destaque

Lista de exercicios solubilidade
Lista de exercicios solubilidadeLista de exercicios solubilidade
Lista de exercicios solubilidade
Rodrigo Sampaio
 
Exercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºbExercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºb
blogprofbento
 
Atividades avaliativa 2 srie
Atividades avaliativa 2 srieAtividades avaliativa 2 srie
Atividades avaliativa 2 srie
cristina kaczarouski
 
Atividade coeficiente de solubilidade
Atividade coeficiente de solubilidadeAtividade coeficiente de solubilidade
Atividade coeficiente de solubilidade
Escola Pública/Particular
 
Coeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidadeCoeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidade
Escola Pública/Particular
 
Revisão 3º ano (1 b) gabarito
Revisão 3º ano (1 b) gabaritoRevisão 3º ano (1 b) gabarito
Revisão 3º ano (1 b) gabarito
Danielle Teixeira
 
Exercicios soluções
Exercicios soluçõesExercicios soluções
Exercicios soluções
Leonardo Carneiro
 
Diagnóstica1
Diagnóstica1Diagnóstica1
Diagnóstica1
lyzandra de camargo
 
Gabarito lista de-exercicios - solucoes
Gabarito   lista de-exercicios - solucoesGabarito   lista de-exercicios - solucoes
Gabarito lista de-exercicios - solucoes
Savio Troglio
 
002 avaliação matemática 01
002 avaliação matemática 01002 avaliação matemática 01
002 avaliação matemática 01
Kamilla Oliveira
 
Lista plantão 07 - sexto ano
Lista plantão 07 - sexto anoLista plantão 07 - sexto ano
Lista plantão 07 - sexto ano
Prof. Materaldo
 
Coeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidadeCoeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidade
Escola Pública/Particular
 
Exercícios oração reduzida
Exercícios oração reduzidaExercícios oração reduzida
Exercícios oração reduzida
Andriane Cursino
 
Lista de exercicios - solucoes
Lista de exercicios - solucoesLista de exercicios - solucoes
Lista de exercicios - solucoes
Savio Troglio
 
Atividade coeficiente de solubilidade
Atividade coeficiente de solubilidadeAtividade coeficiente de solubilidade
Atividade coeficiente de solubilidade
Escola Pública/Particular
 
Cadernoexerciciosquiminorg2ano
Cadernoexerciciosquiminorg2anoCadernoexerciciosquiminorg2ano
Cadernoexerciciosquiminorg2ano
Monique Ayala
 
Concentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
Concentração de soluções - Resumo e Lista de ExercíciosConcentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
Concentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
rennan_ps
 
Sistema de Numeração: Babilónico, Egípcio, Chinês e Decimal
Sistema de Numeração: Babilónico, Egípcio, Chinês e DecimalSistema de Numeração: Babilónico, Egípcio, Chinês e Decimal
Sistema de Numeração: Babilónico, Egípcio, Chinês e Decimal
catcarvalho
 
Exercícios orações reduzidas - alub
Exercícios   orações reduzidas - alubExercícios   orações reduzidas - alub
Exercícios orações reduzidas - alub
Maria Guimarães
 
Aula solubilidade
Aula  solubilidadeAula  solubilidade
Aula solubilidade
Adrianne Mendonça
 

Destaque (20)

Lista de exercicios solubilidade
Lista de exercicios solubilidadeLista de exercicios solubilidade
Lista de exercicios solubilidade
 
Exercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºbExercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºb
 
Atividades avaliativa 2 srie
Atividades avaliativa 2 srieAtividades avaliativa 2 srie
Atividades avaliativa 2 srie
 
Atividade coeficiente de solubilidade
Atividade coeficiente de solubilidadeAtividade coeficiente de solubilidade
Atividade coeficiente de solubilidade
 
Coeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidadeCoeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidade
 
Revisão 3º ano (1 b) gabarito
Revisão 3º ano (1 b) gabaritoRevisão 3º ano (1 b) gabarito
Revisão 3º ano (1 b) gabarito
 
Exercicios soluções
Exercicios soluçõesExercicios soluções
Exercicios soluções
 
Diagnóstica1
Diagnóstica1Diagnóstica1
Diagnóstica1
 
Gabarito lista de-exercicios - solucoes
Gabarito   lista de-exercicios - solucoesGabarito   lista de-exercicios - solucoes
Gabarito lista de-exercicios - solucoes
 
002 avaliação matemática 01
002 avaliação matemática 01002 avaliação matemática 01
002 avaliação matemática 01
 
Lista plantão 07 - sexto ano
Lista plantão 07 - sexto anoLista plantão 07 - sexto ano
Lista plantão 07 - sexto ano
 
Coeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidadeCoeficiente de solubilidade
Coeficiente de solubilidade
 
Exercícios oração reduzida
Exercícios oração reduzidaExercícios oração reduzida
Exercícios oração reduzida
 
Lista de exercicios - solucoes
Lista de exercicios - solucoesLista de exercicios - solucoes
Lista de exercicios - solucoes
 
Atividade coeficiente de solubilidade
Atividade coeficiente de solubilidadeAtividade coeficiente de solubilidade
Atividade coeficiente de solubilidade
 
Cadernoexerciciosquiminorg2ano
Cadernoexerciciosquiminorg2anoCadernoexerciciosquiminorg2ano
Cadernoexerciciosquiminorg2ano
 
Concentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
Concentração de soluções - Resumo e Lista de ExercíciosConcentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
Concentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
 
Sistema de Numeração: Babilónico, Egípcio, Chinês e Decimal
Sistema de Numeração: Babilónico, Egípcio, Chinês e DecimalSistema de Numeração: Babilónico, Egípcio, Chinês e Decimal
Sistema de Numeração: Babilónico, Egípcio, Chinês e Decimal
 
Exercícios orações reduzidas - alub
Exercícios   orações reduzidas - alubExercícios   orações reduzidas - alub
Exercícios orações reduzidas - alub
 
Aula solubilidade
Aula  solubilidadeAula  solubilidade
Aula solubilidade
 

Semelhante a Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade

Recuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bimRecuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bim
blogprofbento
 
Lista 2 de exercicios de solubilidade
Lista 2 de exercicios de solubilidadeLista 2 de exercicios de solubilidade
Lista 2 de exercicios de solubilidade
Estude Mais
 
Atividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 anoAtividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 ano
Escola Pública/Particular
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
Marcio Pereira
 
Exercícios eletrólise
Exercícios   eletróliseExercícios   eletrólise
Exercícios eletrólise
valdecirkelvin
 
Exercícios eletrólise
Exercícios   eletróliseExercícios   eletrólise
Exercícios eletrólise
valdecirkelvin
 
Alex 01
Alex 01Alex 01
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Puc02q
Puc02qPuc02q
Puc02q
Davi Duarte
 
2 exercicios físico química
2 exercicios físico química2 exercicios físico química
2 exercicios físico química
Biomedicina_
 
Progressão Parcial 3º Ano
Progressão Parcial 3º AnoProgressão Parcial 3º Ano
Progressão Parcial 3º Ano
Escola Pública/Particular
 
Puc verão 2014
Puc verão 2014Puc verão 2014
Puc verão 2014
Carol Oliveira
 
Eletrolise exercícios
Eletrolise exercíciosEletrolise exercícios
Eletrolise exercícios
Fábio Oisiovici
 
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
Atv   2º c (solubilidade e concentração)Atv   2º c (solubilidade e concentração)
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
Analynne Almeida
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
Clebson Ramos
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoesExerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Marcy Gomes
 

Semelhante a Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade (20)

Recuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bimRecuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bim
 
Lista 2 de exercicios de solubilidade
Lista 2 de exercicios de solubilidadeLista 2 de exercicios de solubilidade
Lista 2 de exercicios de solubilidade
 
Atividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 anoAtividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 ano
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Exercícios eletrólise
Exercícios   eletróliseExercícios   eletrólise
Exercícios eletrólise
 
Exercícios eletrólise
Exercícios   eletróliseExercícios   eletrólise
Exercícios eletrólise
 
Alex 01
Alex 01Alex 01
Alex 01
 
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
 
Puc02q
Puc02qPuc02q
Puc02q
 
2 exercicios físico química
2 exercicios físico química2 exercicios físico química
2 exercicios físico química
 
Progressão Parcial 3º Ano
Progressão Parcial 3º AnoProgressão Parcial 3º Ano
Progressão Parcial 3º Ano
 
Puc verão 2014
Puc verão 2014Puc verão 2014
Puc verão 2014
 
Eletrolise exercícios
Eletrolise exercíciosEletrolise exercícios
Eletrolise exercícios
 
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
Atv   2º c (solubilidade e concentração)Atv   2º c (solubilidade e concentração)
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoesExerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
 

Mais de Colegio CMC

Lista 54 estequiometria
Lista 54   estequiometriaLista 54   estequiometria
Lista 54 estequiometria
Colegio CMC
 
Lista 50 estequiometria
Lista 50   estequiometriaLista 50   estequiometria
Lista 50 estequiometria
Colegio CMC
 
Lista 43 equilíbrio químico
Lista 43   equilíbrio químicoLista 43   equilíbrio químico
Lista 43 equilíbrio químico
Colegio CMC
 
Lista 38 forças intermoleculares
Lista 38   forças intermolecularesLista 38   forças intermoleculares
Lista 38 forças intermoleculares
Colegio CMC
 
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Lista 35   funções inorgânicas - difícilLista 35   funções inorgânicas - difícil
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Colegio CMC
 
Lista 25 cálculo estequiométrico
Lista 25   cálculo estequiométricoLista 25   cálculo estequiométrico
Lista 25 cálculo estequiométrico
Colegio CMC
 
Lista 16 estudo dos gases
Lista 16   estudo dos gasesLista 16   estudo dos gases
Lista 16 estudo dos gases
Colegio CMC
 
Lista 8 eletrólitos e não eletrólitos
Lista 8   eletrólitos e não eletrólitosLista 8   eletrólitos e não eletrólitos
Lista 8 eletrólitos e não eletrólitos
Colegio CMC
 
Lista 5 estequiometria
Lista 5   estequiometriaLista 5   estequiometria
Lista 5 estequiometria
Colegio CMC
 
Lista 2 funções inorgânicas
Lista 2   funções inorgânicasLista 2   funções inorgânicas
Lista 2 funções inorgânicas
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 35 eletrólise
Lista de exercícios 35   eletróliseLista de exercícios 35   eletrólise
Lista de exercícios 35 eletrólise
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticosLista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticosLista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Colegio CMC
 
Lista de exercícios alcanos
Lista de exercícios alcanosLista de exercícios alcanos
Lista de exercícios alcanos
Colegio CMC
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
Colegio CMC
 
Planejamento
Planejamento Planejamento
Planejamento
Colegio CMC
 
Plane1serie
Plane1seriePlane1serie
Plane1serie
Colegio CMC
 
Planejamento anual de quimica
Planejamento anual de quimicaPlanejamento anual de quimica
Planejamento anual de quimica
Colegio CMC
 

Mais de Colegio CMC (20)

Lista 54 estequiometria
Lista 54   estequiometriaLista 54   estequiometria
Lista 54 estequiometria
 
Lista 50 estequiometria
Lista 50   estequiometriaLista 50   estequiometria
Lista 50 estequiometria
 
Lista 43 equilíbrio químico
Lista 43   equilíbrio químicoLista 43   equilíbrio químico
Lista 43 equilíbrio químico
 
Lista 38 forças intermoleculares
Lista 38   forças intermolecularesLista 38   forças intermoleculares
Lista 38 forças intermoleculares
 
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Lista 35   funções inorgânicas - difícilLista 35   funções inorgânicas - difícil
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
 
Lista 25 cálculo estequiométrico
Lista 25   cálculo estequiométricoLista 25   cálculo estequiométrico
Lista 25 cálculo estequiométrico
 
Lista 16 estudo dos gases
Lista 16   estudo dos gasesLista 16   estudo dos gases
Lista 16 estudo dos gases
 
Lista 8 eletrólitos e não eletrólitos
Lista 8   eletrólitos e não eletrólitosLista 8   eletrólitos e não eletrólitos
Lista 8 eletrólitos e não eletrólitos
 
Lista 5 estequiometria
Lista 5   estequiometriaLista 5   estequiometria
Lista 5 estequiometria
 
Lista 2 funções inorgânicas
Lista 2   funções inorgânicasLista 2   funções inorgânicas
Lista 2 funções inorgânicas
 
Lista de exercícios 35 eletrólise
Lista de exercícios 35   eletróliseLista de exercícios 35   eletrólise
Lista de exercícios 35 eletrólise
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
 
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticosLista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
 
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticosLista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
 
Lista de exercícios alcanos
Lista de exercícios alcanosLista de exercícios alcanos
Lista de exercícios alcanos
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Planejamento
Planejamento Planejamento
Planejamento
 
Plane1serie
Plane1seriePlane1serie
Plane1serie
 
Planejamento anual de quimica
Planejamento anual de quimicaPlanejamento anual de quimica
Planejamento anual de quimica
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 

Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade

  • 1. Lista de Exercícios - 48 - Coeficiente de Solubilidade Classificação das Soluções Aquosas e Coeficiente de Solubilidade 1. (UERJ) O gráfico a seguir, que mostra a variação da solubilidade do dicromato de potássio na água em função da temperatura, foi apresentado em uma aula prática sobre misturas e suas classificações. Em seguida, foram preparadas seis misturas sob agitação enérgica, utilizando dicromato de potássio sólido e água pura em diferentes temperaturas, conforme o esquema: Após a estabilização dessas misturas, o número de sistemas homogêneos e o número de sistemas heterogêneos formados correspondem, respectivamente, (A) 5 - 1 (B) 4 - 2 (C) 3 - 3 (D) 1 - 5 (E) 3 - 4 2. (FATEC) A partir do gráfico a seguir são feitas as afirmações de I a IV. I. Se acrescentarmos 250 g de NH4NO3 a 50 g de água a 60 °C, obteremos uma solução saturada com corpo de chão. II. A dissolução, em água, do NH4NO3 e do NaI ocorre com liberação e absorção de calor, respectivamente. III. A 40 °C, o NaI é mais solúvel que o NaBr e menos solúvel que o NH4NO3.
  • 2. IV. Quando uma solução aquosa saturada de NH4NO3, inicialmente preparada a 60 °C, for resfriada a 10 °C, obteremos uma solução insaturada. Está correto apenas o que se afirma em (A) I e II. (B) I e III. (C) I e IV. (D) II e III. (E) III e IV. 3. (UFRGS) Observe o gráfico a seguir, que representa a variação da solubilidade de sais com a temperatura. Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as seguintes afirmações, feitas por um estudante ao tentar interpretar esse gráfico. ( ) O cloreto de sódio e o sulfato de lítio apresentam solubilidade constante no intervalo considerado. ( ) No intervalo de O °C a 100 °C, a solubilidade do iodeto de potássio é aproximadamente duas vezes maior que a do nitrato de sódio. ( ) O nitrato de prata é o sal que apresenta o maior valor de solubilidade a O °C. ( ) A solubilidade do iodeto de potássio a 100 °C é aproximadamente igual a 200 g/L. ( ) Quatro dos sais mostrados no gráfico apresentam aumento da solubilidade com a temperatura no intervalo de O °C a 35 °C. ( ) A 20 °C, as solubilidades do cloreto de sódio e só sulfato de sódios são iguais. A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é (A) V - F- V - F - F - F. (B) F - V - F - V - F - F. (C) F - F - F - F - V - V. (D) V - F - F - V - F - V. (E) F- V - V - F - V - F. 4. (PUCRIO) Observe o gráfico a seguir.
  • 3. A quantidade de clorato de sódio capaz de atingir a saturação em 500 g de água na temperatura de 60 °C, em grama, é aproximadamente igual a (A) 70 (B) 140 (C) 210 (D) 480 (E) 700 5. (UFMG) Numa aula no Laboratório de Química, os alunos prepararam, sob supervisão do professor, duas soluções aquosas, uma de cloreto de potássio, KCℓ, e uma de cloreto de cálcio, CaCℓ2. Após observarem a variação da temperatura em função do tempo, durante o preparo de cada uma dessas soluções, os alunos elaboraram este gráfico: Considerando-se as informações fornecidas por esse gráfico e outros conhecimentos sobre o assunto, é CORRETO afirmar que (A) a dissolução do CaCℓ2 diminui a energia cinética média das moléculas de água. (B) a dissolução do KCℓ é um processo exotérmico. (C) a entalpia de dissolução do CaCℓ2 é maior que zero. (D) a solubilidade do KCℓ aumenta com o aumento da temperatura. 6. (UFAL) Considere os seguintes dados: - Solubilidade em água à temperatura ambiente. - NaNO3 ... 90 g/100 g de H2O; massa molar (g/mol) = 85. Sua solubilidade aumenta quando aumenta a temperatura. - NaCℓ ... 38 g/100 g de H2O; massa molar (g/mol) = 58. Sua solubilidade é praticamente constante quando aumenta a temperatura. - Ce2(SO4)3 ... 5 g/100 g de H2O Sua solubilidade diminui quando aumenta a temperatura. Com esses dados, afirma-se que
  • 4. (A) À temperatura ambiente, quando a solubilidade é expressa em mol do soluto/100 g H2O, o NaCℓ é mais solúvel do que o NaNO3. (B) À temperatura ambiente, uma solução saturada de NaCℓ contém mais mols de íons Na+ do que uma solução saturada de NaNO3. (C) A dissolução de NaNO3 em água é um processo endotérmico. (D) A dissolução do NaCℓ em água deve ocorrer com pequeno efeito térmico. (E) A dissolução do Ce2(SO4)3 em água deve ocorrer com liberação de energia. 7. (PUCMG) O gráfico representa as curvas de solubilidade de alguns sais em água. De acordo com o gráfico, podemos concluir que (A) a substância mais solúvel em água a 40 °C é o nitrito de sódio. (B) a temperatura não afeta a solubilidade do cloreto de sódio. (C) o cloreto de potássio é mais solúvel que o cloreto de sódio à temperatura ambiente. (D) a massa de clorato de potássio capaz de saturar 200 mL de água, a 30 °C, é de 20 g. 8. (PUCSP) O gráfico a seguir representa a curva de solubilidade do nitrato de potássio (KNO3) em água. A 70 °C, foram preparadas duas soluções, cada uma contendo 70 g de nitrato de potássio (KNO3) e 200 g de água. A primeira solução foi mantida a 70 °C e, após a evaporação de uma certa massa de água (m), houve início de precipitação do sólido. A outra solução foi resfriada a uma temperatura (t) em que se percebeu o início da precipitação do sal. A análise do gráfico permite inferir que os valores aproximados da massa m e da temperatura t são, respectivamente, (A) m = 50 g e t = 45 °C (B) m = 150 g e t = 22 °C (C) m = 100 g e t = 22 °C (D) m = 150 g e t = 35 °C
  • 5. (E) m = 100 g e t = 45 °C 9. (CPS) Em uma das Etecs, após uma partida de basquete sob sol forte, um dos alunos passou mal e foi levado ao pronto-socorro. O médico diagnosticou desidratação e por isso o aluno ficou em observação, recebendo soro na veia. No dia seguinte, a professora de Química usou o fato para ensinar aos alunos a preparação do soro caseiro, que é um bom recurso para evitar a desidratação. Soro Caseiro Um litro de água fervida Uma colher (de café) de sal Uma colher (de sopa) de açúcar Após a explicação, os alunos estudaram a solubilidade dos dois compostos em água, usados na preparação do soro, realizando dois experimentos: I. Pesar 50 g de açúcar (sacarose) e adicionar em um béquer que continha 100 g de água sob agitação. II. Pesar 50 g de sal (cloreto de sódio) e adicionar em um béquer que continha 100 g de água sob agitação. Após deixar os sistemas em repouso, eles deveriam observar se houve formação de corpo de chão (depósito de substância que não se dissolveu). Em caso positivo, eles deveriam filtrar, secar, pesar o material em excesso e ilustrar o procedimento. Um grupo elaborou os seguintes esquemas: Analisando os esquemas elaborados, é possível afirmar que, nas condições em que foram realizados os experimentos, (A) o sistema I é homogêneo e bifásico. (B) o sistema II é uma solução homogênea. (C) o sal é mais solúvel em água que a sacarose. (d) a solubilidade da sacarose em água é 50 g por 100 g de água. (E) a solubilidade do cloreto de sódio (NaCℓ) em água é de 36 g por 100 g de água. 10. (ENEM) Devido ao seu alto teor de sais, a água do mar é imprópria para o consumo humano e para a maioria dos usos da água doce. No entanto, para a indústria, a água do mar é de grande interesse, uma vez que os sais presentes podem servir de matérias-primas importantes para diversos processos. Nesse contexto, devido a sua simplicidade e ao seu baixo potencial de impacto ambiental, o método da precipitação fracionada tem sido utilizado para a obtenção dos sais presentes na água do mar. Tabela 1: Solubilidade em água de alguns compostos presentes na água do mar a 25 ºC SOLUTO Brometo de sódio Carbonato de cálcio FÓRMULA NaBr CaCO3 SOLUBILIDADE g/kg de H2O 1,20 x 103 1,30 x 10-2
  • 6. Cloreto de sódio Cloreto de magnésio NaCℓ 3,60 x 102 5,41 x 102 MgCℒ2 Sulfato de magnésio Sulfato de cálcio MgSO4 CaSO4 3,60 x 102 6,80 x 10-1 Suponha que uma indústria objetiva separar determinados sais de uma amostra de água do mar a 25 °C, por meio da precipitação fracionada. Se essa amostra contiver somente os sais destacados na tabela, a seguinte ordem de precipitação será verificada. (A) Carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio, cloreto de magnésio e, por último, brometo de sódio. (B) Brometo de sódio, cloreto de magnésio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio, sulfato de cálcio e, por último, carbonato de cálcio. (C) Cloreto de magnésio, sulfato de magnésio e cloreto de sódio, sulfato de cálcio, carbonato de cálcio e, por último, brometo de sódio. (D) Brometo de sódio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio e, por último, cloreto de magnésio. (E) Cloreto de sódio, sulfato de magnésio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de magnésio e, por último, brometo de sódio. Gabarito 1[B] 2[B] 3[C] 4[E] 5[D] 6 FFVVV 7[D] 8[B] 9[E] 10[A]
  • 7. Cloreto de sódio Cloreto de magnésio NaCℓ 3,60 x 102 5,41 x 102 MgCℒ2 Sulfato de magnésio Sulfato de cálcio MgSO4 CaSO4 3,60 x 102 6,80 x 10-1 Suponha que uma indústria objetiva separar determinados sais de uma amostra de água do mar a 25 °C, por meio da precipitação fracionada. Se essa amostra contiver somente os sais destacados na tabela, a seguinte ordem de precipitação será verificada. (A) Carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio, cloreto de magnésio e, por último, brometo de sódio. (B) Brometo de sódio, cloreto de magnésio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio, sulfato de cálcio e, por último, carbonato de cálcio. (C) Cloreto de magnésio, sulfato de magnésio e cloreto de sódio, sulfato de cálcio, carbonato de cálcio e, por último, brometo de sódio. (D) Brometo de sódio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de sódio e sulfato de magnésio e, por último, cloreto de magnésio. (E) Cloreto de sódio, sulfato de magnésio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio, cloreto de magnésio e, por último, brometo de sódio. Gabarito 1[B] 2[B] 3[C] 4[E] 5[D] 6 FFVVV 7[D] 8[B] 9[E] 10[A]