SlideShare uma empresa Scribd logo
MANEJO DA ICTERÍCIA NEONATAL EM RN ≥ 35
SEMANAS E RN < 35 SEMANAS
Eduardo Judene da Silva Pereira,¹ Gabriella Caldas Leonardo Oliveira¹, Guilherme Britto de Souza¹, Ingrid Ohara Targino de Almeida¹, Lorena Caroline Vieira Barbosa¹,
Cláudia Rodrigues de Souza Maia².
1 Graduandos de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte;
2 Professora do departamento de pediatria.
REFERÊNCIAS
1-MJ Maisels, JF Watchko, VK Bhutani, DK Stevenson. An approach to the management of hyperbilirubinemia in the preterm infant less than 35 weeks of gestation Journal of Perinatology (2012) 32, 660–664r 2012 Nature America;
2-American Academy of Pediatrics, Management of Hyperbilirubinemia in the Newborn Infant 35 or More Weeks of Gestation Pediatrics 2004;114;297 DOI: 10.1542/peds.114.1.297;
3-American Academy of Pediatrics Phototherapy to Prevent Severe Neonatal Hyperbilirubinemia in the Newborn Infant 35 or More Weeks of Gestation PEDIATRICS Volume 128, Number 4, October 2011;
4-Almeida MFB; Draque CM. ICTERÍCIA NO RECÉM-NASCIDO COM IDADE GESTACIONAL > 35 SEMANAS. Sociedade Brasileira de Pediatria, nov/2011;;
5-De Carvalho M. Tratamento da icterícia neonatal. Jornal de Pediatria - Vol. 77, Supl.1, 2001.
MANEJO DA ICTERÍCIA NEONATAL EM RN < 35 SEMANAS
MANEJO DA ICTERÍCIA NEONATAL EM RN ≥ 35 SEMANAS
Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. RN > 35s E PN > 2.000 g. Orientam na
determinação do risco de hiperbilirrubinemia significante (Bhutani et al., 1999).
GRÁFICO 1: Risco de Hiperbilirrubinemia TABELA 1: Indicação de fototerapia e exsanguíneotransfusão
Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. Nível de BT (mg/dL) para indicação de fototerapia e
exsanguíneotransfusão em RN ≤ 35 s. (Journal of Perinatology 2012; 32; 660–664)
GRÁFICO 2: Indicação de Fototerapia
Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. RN > 35s E PN > 2.000 g. Orientam a indicação de
fototerapia. (Subcommittee on Hyperbilirubinemia Pediatrics 2004;114:297-316)
GRÁFICO 3: Indicação de exsanguíneotransfusão
Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. RN > 35s E PN > 2.000 g. Orientam na indicação
de exsanguíneotransfusão. (Subcommittee on Hyperbilirubinemia Pediatrics
2004;114:297-316)
TABELA 1: Indicação de fototerapia e exsanguíneotransfusão
Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. Indicação de fototerapia e exsanguíneotransfusão em RN ≥ 35s.
Adaptado de AAP, 2004.
A fototerapia pode ser suspensa, em geral, quando BT < 8-10 mg/dL, sendo reavaliada 12-24 horas após
suspensão para detectar rebote
Zonas de Kramer
Zonas dérmicas de
progressão da icterícia:
1) Cabeça e pescoço;
2) Do tronco ao
umbigo;
3) Do hipogástrio até
as coxas;
4) Membros
(Cotovelos e punhos,
joelhos e tornozelos)
5) Mãos e pés
(palmas e plantas)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
Edna Rúbia Paulino de Oliveira
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
Amanda Corrêa
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda GástricaCuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Recém nascido
Recém nascido Recém nascido
Recém nascido
Regiane Ribeiro
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Jesiele Spindler
 
PREMATURIDADE - prevenção através da ações de assistência e gestão
PREMATURIDADE -  prevenção através da ações de assistência e gestãoPREMATURIDADE -  prevenção através da ações de assistência e gestão
PREMATURIDADE - prevenção através da ações de assistência e gestão
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Pediatria Aula Emergencias Pediatricas[ Revisado]
Pediatria Aula Emergencias Pediatricas[ Revisado]Pediatria Aula Emergencias Pediatricas[ Revisado]
Pediatria Aula Emergencias Pediatricas[ Revisado]
Eduardo Gomes da Silva
 
Exame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoExame do Recém-Nascido
Exame do Recém-Nascido
Enayad
 
Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.
Tuanny Sampaio - Estética Avançada
 
Hiperbilirrubinemia
HiperbilirrubinemiaHiperbilirrubinemia
Hiperbilirrubinemia
André Francelino
 
Queimaduras
QueimadurasQueimaduras
Queimaduras
Alexandre Donha
 
Reanimacao Neonatal
Reanimacao NeonatalReanimacao Neonatal
Reanimacao Neonatal
Mercia Lisieux
 
Infecção do Trato Urinário durante a Gestação
Infecção do Trato Urinário durante a GestaçãoInfecção do Trato Urinário durante a Gestação
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Erivaldo Rosendo
 
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método CanguruGarantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Ictericia neonata l
Ictericia  neonata lIctericia  neonata l
Ictericia neonata l
Allany Anjos
 
AULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
AULA 1 - Neonatologia aplicada a EnfermagemAULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
AULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
Beatriz Cordeiro
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Juliana Maciel
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
resenfe2013
 

Mais procurados (20)

02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
 
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda GástricaCuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
 
Recém nascido
Recém nascido Recém nascido
Recém nascido
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
 
PREMATURIDADE - prevenção através da ações de assistência e gestão
PREMATURIDADE -  prevenção através da ações de assistência e gestãoPREMATURIDADE -  prevenção através da ações de assistência e gestão
PREMATURIDADE - prevenção através da ações de assistência e gestão
 
Pediatria Aula Emergencias Pediatricas[ Revisado]
Pediatria Aula Emergencias Pediatricas[ Revisado]Pediatria Aula Emergencias Pediatricas[ Revisado]
Pediatria Aula Emergencias Pediatricas[ Revisado]
 
Exame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoExame do Recém-Nascido
Exame do Recém-Nascido
 
Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.
 
Hiperbilirrubinemia
HiperbilirrubinemiaHiperbilirrubinemia
Hiperbilirrubinemia
 
Queimaduras
QueimadurasQueimaduras
Queimaduras
 
Reanimacao Neonatal
Reanimacao NeonatalReanimacao Neonatal
Reanimacao Neonatal
 
Infecção do Trato Urinário durante a Gestação
Infecção do Trato Urinário durante a GestaçãoInfecção do Trato Urinário durante a Gestação
Infecção do Trato Urinário durante a Gestação
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de Imunizacao
 
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método CanguruGarantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
 
Ictericia neonata l
Ictericia  neonata lIctericia  neonata l
Ictericia neonata l
 
AULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
AULA 1 - Neonatologia aplicada a EnfermagemAULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
AULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
 

Semelhante a Icterícia neonatal

Infecção do Trato Urinário e Icterícia em Recém- Nascidos
Infecção do Trato Urinário e Icterícia em Recém- NascidosInfecção do Trato Urinário e Icterícia em Recém- Nascidos
Infecção do Trato Urinário e Icterícia em Recém- Nascidos
blogped1
 
25gestacao alto risco
25gestacao alto risco25gestacao alto risco
25gestacao alto risco
Mabel Salas
 
Sindrome metabolica
Sindrome metabolicaSindrome metabolica
Sindrome metabolica
washington carlos vieira
 
DiretrizesSBPReanimacaoPrematuroMenor34semanas26jan2016.pdf
DiretrizesSBPReanimacaoPrematuroMenor34semanas26jan2016.pdfDiretrizesSBPReanimacaoPrematuroMenor34semanas26jan2016.pdf
DiretrizesSBPReanimacaoPrematuroMenor34semanas26jan2016.pdf
Glaucya Markus
 
Doenca inflamatoria-e-nutricao
Doenca inflamatoria-e-nutricaoDoenca inflamatoria-e-nutricao
Doenca inflamatoria-e-nutricao
Mab Davilla
 
4.-Aula-Pré-natal.pdf
4.-Aula-Pré-natal.pdf4.-Aula-Pré-natal.pdf
4.-Aula-Pré-natal.pdf
Livia Santana
 
III Jornada de Perinatologia de Joinville
III Jornada de Perinatologia de JoinvilleIII Jornada de Perinatologia de Joinville
III Jornada de Perinatologia de Joinville
Marcio Fossari
 
Rastreamento e Diagnóstico DMG Megale 10 10 2008
Rastreamento e  Diagnóstico DMG Megale 10 10 2008Rastreamento e  Diagnóstico DMG Megale 10 10 2008
Rastreamento e Diagnóstico DMG Megale 10 10 2008
Alexandre Megale
 
Artigo dmg
Artigo dmgArtigo dmg
Artigo dmg
Helton Everton
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
chirlei ferreira
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
chirlei ferreira
 
prematuridade apresentacao upload sgorg1
prematuridade apresentacao upload sgorg1prematuridade apresentacao upload sgorg1
prematuridade apresentacao upload sgorg1
LuccasSantiago
 
Consenso Nacional de Nutrição Oncológica
Consenso Nacional de Nutrição OncológicaConsenso Nacional de Nutrição Oncológica
Consenso Nacional de Nutrição Oncológica
Cíntia Costa
 
1.anamnese, exame físico e classificações do rn
1.anamnese, exame físico e classificações do rn1.anamnese, exame físico e classificações do rn
1.anamnese, exame físico e classificações do rn
Mickael Gomes
 
25gestacao alto risco
25gestacao alto risco25gestacao alto risco
25gestacao alto risco
Drmaxaurelio
 
Hipertireodismo na gravidez repercussões materno-fetais
Hipertireodismo na gravidez   repercussões materno-fetaisHipertireodismo na gravidez   repercussões materno-fetais
Hipertireodismo na gravidez repercussões materno-fetais
adrianomedico
 
Método dos 2 Dias [palestra]
Método dos 2 Dias [palestra]Método dos 2 Dias [palestra]
Método dos 2 Dias [palestra]
Francisco Vilaça Lopes
 
Recém-nascido de mãe diabética
Recém-nascido de mãe diabéticaRecém-nascido de mãe diabética
Recém-nascido de mãe diabética
Centro Universitário Ages
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
MARY SOUSA
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
MARY SOUSA
 

Semelhante a Icterícia neonatal (20)

Infecção do Trato Urinário e Icterícia em Recém- Nascidos
Infecção do Trato Urinário e Icterícia em Recém- NascidosInfecção do Trato Urinário e Icterícia em Recém- Nascidos
Infecção do Trato Urinário e Icterícia em Recém- Nascidos
 
25gestacao alto risco
25gestacao alto risco25gestacao alto risco
25gestacao alto risco
 
Sindrome metabolica
Sindrome metabolicaSindrome metabolica
Sindrome metabolica
 
DiretrizesSBPReanimacaoPrematuroMenor34semanas26jan2016.pdf
DiretrizesSBPReanimacaoPrematuroMenor34semanas26jan2016.pdfDiretrizesSBPReanimacaoPrematuroMenor34semanas26jan2016.pdf
DiretrizesSBPReanimacaoPrematuroMenor34semanas26jan2016.pdf
 
Doenca inflamatoria-e-nutricao
Doenca inflamatoria-e-nutricaoDoenca inflamatoria-e-nutricao
Doenca inflamatoria-e-nutricao
 
4.-Aula-Pré-natal.pdf
4.-Aula-Pré-natal.pdf4.-Aula-Pré-natal.pdf
4.-Aula-Pré-natal.pdf
 
III Jornada de Perinatologia de Joinville
III Jornada de Perinatologia de JoinvilleIII Jornada de Perinatologia de Joinville
III Jornada de Perinatologia de Joinville
 
Rastreamento e Diagnóstico DMG Megale 10 10 2008
Rastreamento e  Diagnóstico DMG Megale 10 10 2008Rastreamento e  Diagnóstico DMG Megale 10 10 2008
Rastreamento e Diagnóstico DMG Megale 10 10 2008
 
Artigo dmg
Artigo dmgArtigo dmg
Artigo dmg
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
 
prematuridade apresentacao upload sgorg1
prematuridade apresentacao upload sgorg1prematuridade apresentacao upload sgorg1
prematuridade apresentacao upload sgorg1
 
Consenso Nacional de Nutrição Oncológica
Consenso Nacional de Nutrição OncológicaConsenso Nacional de Nutrição Oncológica
Consenso Nacional de Nutrição Oncológica
 
1.anamnese, exame físico e classificações do rn
1.anamnese, exame físico e classificações do rn1.anamnese, exame físico e classificações do rn
1.anamnese, exame físico e classificações do rn
 
25gestacao alto risco
25gestacao alto risco25gestacao alto risco
25gestacao alto risco
 
Hipertireodismo na gravidez repercussões materno-fetais
Hipertireodismo na gravidez   repercussões materno-fetaisHipertireodismo na gravidez   repercussões materno-fetais
Hipertireodismo na gravidez repercussões materno-fetais
 
Método dos 2 Dias [palestra]
Método dos 2 Dias [palestra]Método dos 2 Dias [palestra]
Método dos 2 Dias [palestra]
 
Recém-nascido de mãe diabética
Recém-nascido de mãe diabéticaRecém-nascido de mãe diabética
Recém-nascido de mãe diabética
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
 

Mais de blogped1

Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner
Estadiamento Puberal : Critérios de TannerEstadiamento Puberal : Critérios de Tanner
Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner
blogped1
 
Roteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de PuericulturaRoteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de Puericultura
blogped1
 
Febre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota InformativaFebre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota Informativa
blogped1
 
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
blogped1
 
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
blogped1
 
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de VidaABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
blogped1
 
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infânciaDiagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
blogped1
 
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
blogped1
 
Psoríase na infância
Psoríase na infânciaPsoríase na infância
Psoríase na infância
blogped1
 
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilitiesRevised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
blogped1
 
Sinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana AgudaSinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana Aguda
blogped1
 
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites MediaOtite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
blogped1
 
Paralisia Facial
Paralisia FacialParalisia Facial
Paralisia Facial
blogped1
 
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
blogped1
 
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranulomaGiant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
blogped1
 
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
blogped1
 
Hipoglicemia Neonatal
Hipoglicemia  Neonatal Hipoglicemia  Neonatal
Hipoglicemia Neonatal
blogped1
 
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura ConceitualSíndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
blogped1
 
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
blogped1
 
Picnodisostose
PicnodisostosePicnodisostose
Picnodisostose
blogped1
 

Mais de blogped1 (20)

Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner
Estadiamento Puberal : Critérios de TannerEstadiamento Puberal : Critérios de Tanner
Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner
 
Roteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de PuericulturaRoteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de Puericultura
 
Febre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota InformativaFebre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota Informativa
 
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
 
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
 
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de VidaABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
 
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infânciaDiagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
 
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
 
Psoríase na infância
Psoríase na infânciaPsoríase na infância
Psoríase na infância
 
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilitiesRevised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
 
Sinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana AgudaSinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana Aguda
 
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites MediaOtite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
 
Paralisia Facial
Paralisia FacialParalisia Facial
Paralisia Facial
 
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
 
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranulomaGiant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
 
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
 
Hipoglicemia Neonatal
Hipoglicemia  Neonatal Hipoglicemia  Neonatal
Hipoglicemia Neonatal
 
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura ConceitualSíndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
 
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
 
Picnodisostose
PicnodisostosePicnodisostose
Picnodisostose
 

Icterícia neonatal

  • 1. MANEJO DA ICTERÍCIA NEONATAL EM RN ≥ 35 SEMANAS E RN < 35 SEMANAS Eduardo Judene da Silva Pereira,¹ Gabriella Caldas Leonardo Oliveira¹, Guilherme Britto de Souza¹, Ingrid Ohara Targino de Almeida¹, Lorena Caroline Vieira Barbosa¹, Cláudia Rodrigues de Souza Maia². 1 Graduandos de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2 Professora do departamento de pediatria. REFERÊNCIAS 1-MJ Maisels, JF Watchko, VK Bhutani, DK Stevenson. An approach to the management of hyperbilirubinemia in the preterm infant less than 35 weeks of gestation Journal of Perinatology (2012) 32, 660–664r 2012 Nature America; 2-American Academy of Pediatrics, Management of Hyperbilirubinemia in the Newborn Infant 35 or More Weeks of Gestation Pediatrics 2004;114;297 DOI: 10.1542/peds.114.1.297; 3-American Academy of Pediatrics Phototherapy to Prevent Severe Neonatal Hyperbilirubinemia in the Newborn Infant 35 or More Weeks of Gestation PEDIATRICS Volume 128, Number 4, October 2011; 4-Almeida MFB; Draque CM. ICTERÍCIA NO RECÉM-NASCIDO COM IDADE GESTACIONAL > 35 SEMANAS. Sociedade Brasileira de Pediatria, nov/2011;; 5-De Carvalho M. Tratamento da icterícia neonatal. Jornal de Pediatria - Vol. 77, Supl.1, 2001. MANEJO DA ICTERÍCIA NEONATAL EM RN < 35 SEMANAS MANEJO DA ICTERÍCIA NEONATAL EM RN ≥ 35 SEMANAS Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. RN > 35s E PN > 2.000 g. Orientam na determinação do risco de hiperbilirrubinemia significante (Bhutani et al., 1999). GRÁFICO 1: Risco de Hiperbilirrubinemia TABELA 1: Indicação de fototerapia e exsanguíneotransfusão Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. Nível de BT (mg/dL) para indicação de fototerapia e exsanguíneotransfusão em RN ≤ 35 s. (Journal of Perinatology 2012; 32; 660–664) GRÁFICO 2: Indicação de Fototerapia Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. RN > 35s E PN > 2.000 g. Orientam a indicação de fototerapia. (Subcommittee on Hyperbilirubinemia Pediatrics 2004;114:297-316) GRÁFICO 3: Indicação de exsanguíneotransfusão Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. RN > 35s E PN > 2.000 g. Orientam na indicação de exsanguíneotransfusão. (Subcommittee on Hyperbilirubinemia Pediatrics 2004;114:297-316) TABELA 1: Indicação de fototerapia e exsanguíneotransfusão Bilirrubina sérica X Idade pós-natal. Indicação de fototerapia e exsanguíneotransfusão em RN ≥ 35s. Adaptado de AAP, 2004. A fototerapia pode ser suspensa, em geral, quando BT < 8-10 mg/dL, sendo reavaliada 12-24 horas após suspensão para detectar rebote Zonas de Kramer Zonas dérmicas de progressão da icterícia: 1) Cabeça e pescoço; 2) Do tronco ao umbigo; 3) Do hipogástrio até as coxas; 4) Membros (Cotovelos e punhos, joelhos e tornozelos) 5) Mãos e pés (palmas e plantas)