SlideShare uma empresa Scribd logo
Jornal de Pediatria - Vol. 75, Nº5, 1999 357
ARTIGO ORIGINAL
357
0021-7557/99/75-05/357
Jornal de Pediatria
Copyright © 1999 by Sociedade Brasileira de Pediatria
1. Professora Assistente de Dermatologia da UFMG.
2. Professor Adjunto de Dermatologia da UFMG.
Serviço de Dermatologia do Hospital das Clínicas da UFMG.
Este artigo é parte da dissertação de Mestrado apresentada ao Curso
de Pós-graduação em Dermatologia da Universidade Federal de Minas
Gerais (UFMG).
Resumo
Objetivo: Verificar a notificação de dermatoses de importância
médica (nevo melanocítico congênito, nevo sebáceo, manchas café
com leite, mancha em vinho do Porto e máculas despigmentadas em
folha) no prontuário do recém-nascido.
Métodos: Foi realizado um estudo transversal em dois hospitais
de Belo Horizonte, nos quais todas as crianças nascidas durante 4
meses consecutivos foram examinadas, nas primeiras 36 horas de
vida. A presença das dermatoses de importante significado clínico
consideradas como padrão de notificação (nevo melanocítico con-
gênito, nevo sebáceo, manchas café com leite, mancha em vinho do
Porto e máculas despigmentadas em folha) foi avaliada por uma
dermatologista. Simultaneamente, verificou-se a notificação dessas
mesmas dermatoses pelo pediatra no prontuário do recém-nascido.
Resultados: As dermatoses neonatais de importante significa-
do clínico foram encontradas em 42 (5,6%) das 752 crianças
examinadas neste período. A notificação no prontuário ocorreu em
apenas 5 dos 42 casos (11,9%).
Conclusões: As dermatoses neonatais de importância clínica
foram subnotificadas no prontuário do recém-nascido, no período
e locais estudados. Há uma necessidade de se estimular o reconhe-
cimento e notificação das dermatoses de importância médica no
período neonatal para que as orientações adequadas aos pais da
criança e tratamento e/ou aconselhamento genético precoces pos-
sam ser realizados, quando indicados.
J. pediatr. (Rio J.). 1999; 75(5):357-360: dermatopatias,
recém-nascido, nevo, manchas café-com-leite.
Abstract
Objective: To check the report of neonatal dermatoses of
medical relevance (congenital melanocytic nevus, sebaceous ne-
vus, cafe-au-lait spots, Port-wine stain, ash leaf maculas) in the
newborn’s file.
Methods: The authors carried out a cross-sectional study in two
hospitals in the city of Belo Horizonte. All children born during a
consecutive period of 4 months were examined within their 36 first
hours of life by a dermatologist who reported all clinically relevant
dermatoses (congenital melanocytic nevus, sebaceous nevus, cafe-
au-lait spots, Port-wine stain, ash leaf macules). Simultaneously,
the dermatologist’s report was cross checked with the pediatrician’s.
Results: Neonatal dermatoses of clinical relevance were found
in 42 (5.6%) out of 752 children examined during this period.
However, the report in the neonate’s file could be detected only in
5 (11,9%) out of 42 children.
Conclusions: Clinicallyrelevantdermatoseswereunderreported
in the neonate’s file in this study. There is a clear need to stimulate
the detection and report of these skin disorders so that parental
advice, treatment and genetic counseling can be adequately indi-
cated.
J. pediatr. (Rio J.). 1999; 75(5):357-360: skin diseases,
newborn, nevus, cafe-au-lait spots.
Dermatoses neonatais de importância clínica:
notificação no prontuário do recém-nascido
Neonatal dermatoses of relevant medical significance: their report in the newborn’s file
Luciana B. Pereira1, Bernardo Gontijo2
Introdução
As dermatoses neonatais são muito freqüentes, estando
presentes em quase todos os recém-nascidos (RN). A
incidência relatada chega a 99,3% quando se realiza o
exame da mucosa oral e se consideram achados como
descamação, hiperplasia sebácea ou mílio1. Quando não
são incluídas as lesões mais simples e se enfocam princi-
palmente as lesões vasculares e pigmentadas, a incidência
cai a 57%2.
As lesões cutâneas são muito variáveis, podendo ser
temporárias, inocentes, resultantes de uma reação fisioló-
gica, ou podem indicar uma desordem séria e potencial-
mente fatal. A mancha salmão, a mancha mongólica e o
eritema tóxico, por exemplo, são alterações comuns, bem
conhecidas e benignas, não causando maior preocupação
do ponto de vista clínico. A importância do reconhecimen-
to dessas lesões está na orientação adequada a ser feita aos
pais das crianças, que muitas vezes ficam apreensivos por
358 Jornal de Pediatria - Vol. 75, Nº5, 1999
esperarem que seus filhos não apresentem nenhuma im-
perfeição ao nascimento.
Outro grupo de dermatoses como as ictioses e a
epidermólise bolhosa, por serem extensas, desfigurantes
e representarem uma ameaça imediata à vida do RN (risco
de infecções e distúrbios hidroeletrolíticos), chamam a
atenção do pediatra e dos pais da criança e, assim, a
conduta adequada é rapidamente estabelecida.
Por outro lado, várias dermatoses encontradas nos RN,
apesar de geralmente passarem despercebidas, são consi-
deradas como de importante significado clínico, mesmo
não representando uma ameaça imediata à vida do RN,
como por exemplo: (1) o nevo melanocítico congênito,
com potencial de transformação maligna3,4; (2) o nevo
sebáceo, com o risco de desenvolvimento de tumores
benignos ou malignos5,6; (3) as manchas café com leite,
que podem ser o primeiro sinal de uma neurofibromatose
ou outra afecção com envolvimento sistêmico7-9; (4) a
mancha em vinho do Porto, um componente da síndrome
de Sturge-Weber ou da síndrome de Klippel-Trenaunay-
Weber10,11; (5) as máculas despigmentadas em folha,
como manifestação inicial da esclerose tuberosa12,13.
O reconhecimento precoce dessas lesões dermatológi-
cas é de grande importância para que sejam estabelecidas
orientações terapêuticas e prognósticas adequadas e se
proceda, quando indicado, o aconselhamento genético.
O objetivo do presente estudo é verificar se há um
reconhecimento precoce dessas dermatoses de importân-
cia médica, mas que muitas vezes passam despercebidas,
em nosso meio. Para tanto, recorreu-se ao estudo da
freqüência do relato pelo pediatra no prontuário do RN,
das seguintes dermatoses: nevo melanocítico congênito,
nevo sebáceo, manchas café com leite, mancha em vinho
do Porto e máculas despigmentadas em folha, em dois
hospitais de Belo Horizonte, Brasil.
Métodos
Foi realizado um estudo de prevalência, isto é, um
estudo transversal, em dois hospitais de Belo Horizonte:
o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas
Gerais (HC-UFMG) e o Hospital Mater Dei (MD). Todas
as crianças nascidas em um período de 4 meses consecu-
tivos foram examinadas, com exceção dos natimortos, dos
RN que faleceram nas primeiras horas de vida ou aqueles
que necessitavam de cuidados em um Centro de Tratamen-
to Intensivo, pela impossibilidade do exame ou pela
gravidade do quadro clínico da criança. Nos RN interna-
dos em um Centro de Tratamento Intensivo o exame
dermatológico poderia causar uma manipulação excessiva
da criança e, conseqüentemente, uma piora de seu quadro
clínico. Portanto, essas crianças foram excluídas deste
estudo.
A avaliação dos prontuários e o exame dermatológico
eram diários, no período da manhã. Foi realizado apenas
um exame em cada RN em suas primeiras 36 horas de vida
Tabela 1 – Idade dos RN quando examinados, considerando o
total dos dois hospitais (MD e HC)
Idade (horas) Número %
< 12 212 28,19
12  24 451 59,97
24  36 89 11,84
e uma única leitura da papeleta, no mesmo momento da
realização do exame dermatológico. O exame foi precoce
para que todas as crianças nascidas no período do estudo
fossem avaliadas, antes da alta hospitalar.
O exame dermatológico de todos os RN foi exclusiva-
mente clínico, conduzido pela pesquisadora principal
(uma dermatologista), não se recorrendo às biópsias para
o diagnóstico das dermatoses. Todas as lesões dermatoló-
gicas encontradas foram descritas no protocolo de pesqui-
sa, mas neste trabalho serão apresentadas apenas as
dermatoses de importante significado clínico, escolhidas
como parâmetro de notificação14. O critério utilizado foi
o relato na papeleta das seguintes dermatoses: nevo
melanocítico, nevo sebáceo, mancha café com leite,
mancha em vinho do Porto e máculas despigmentadas em
forma de folha. Essas dermatoses foram escolhidas por
apresentarem um potencial de transformação maligna ou
serem um sinal precoce de uma doença com acometimento
sistêmico e que, muitas vezes, passam despercebidas aos
profissionais de saúde que examinam precocemente a
criança.
Neste trabalho será mostrada a freqüência das derma-
toses escolhidas como parâmetro de notificação detectada
pela dermatologista e pelos pediatras, nos dois hospitais
estudados.
Este estudo foi aprovado pelo Conselho Técnico Cien-
tífico do Hospital das Clínicas da UFMG e pelos chefes
dos berçários do HC e MD. O exame dermatológico
seguiu a rotina dos exames físicos do RN nas Unidades
Neonatais dos dois hospitais (Berçário ou Alojamento
Conjunto), não tendo sido realizado nenhum procedimen-
to invasivo nas crianças constantes neste estudo.
Resultados
Foram examinadas 752 das 766 crianças nascidas no
período do estudo. Houve 14 RN em que não foi possível
a realização do exame dermatológico, pelos seguintes
motivos: 6 óbitos antes do exame; 2 natimortos e 6 RN
internados no CTI neonatal. A distribuição entre os dois
hospitais em estudo foi a seguinte: 455 RN (60,51%) no
MD e 297 RN (39,49%) no HC.
O exame dermatológico e a avaliação dos prontuários
foi precoce, ocorrendo nas primeiras 24 horas de vida do
RN em 88,16% dos casos (Tabela 1).
Dermatoses neonatais de importância clínica... - Pereira LB et alii
Jornal de Pediatria - Vol. 75, Nº5, 1999 359
Lesão dermatológica MD MD HC HC
Casos presentes Casos relatados Casos presentes Casos relatados
Mancha em vinho do Porto 2 0 5 1
Mancha café com leite 7 1 14 1
Nevo melanocítico 9 2 4 0
Nevo sebáceo 1 0 0 0
Mácula em forma de folha 0 0 0 0
Total 19 3 (15,79%) 23 2 (8,70%)
Tabela 2 – Correlação entre as dermatoses de significado clínico encontradas e o relato no prontuário
pelo pediatra
Pelo menos uma dermatose foi encontrada em 99,34%
dos RN examinados (99,12% no MD e 99,66% no HC),
quando levadas em consideração todas as alterações na
pele, mucosa oral ou fâneros presentes à época do exame.
As dermatoses de importante significado clínico con-
sideradas como parâmetro de notificação (mancha em
vinho do Porto, mancha café com leite, nevo melanocítico,
nevo sebáceo) estavam presentes em 42 RN, correspon-
dendo a 5,6 % das 752 crianças examinadas. As máculas
despigmentadas em forma de folha não foram verificadas
na época do exame em nenhum RN do estudo. Todas essas
dermatoses foram subnotificadas na época da avaliação do
prontuário da criança. A notificação ocorreu em apenas 5
casos (11,9%) dos 42 RN que apresentaram as dermatoses
em questão (Tabela 2).
Discussão
Na revisão da literatura realizada não foram encontra-
dos outros trabalhos semelhantes realizados em hospitais
brasileiros.
Em um estudo sobre dermatoses neonatais realizado
em Boston, Estados Unidos da América, foi dado um
enfoque especial às marcas de nascimento consideradas
possuidoras de um significado médico importante como o
nevo melanocítico, o nevo sebáceo e as manchas café com
leite. Os autores constataram que essas dermatoses não
eram relatadas no prontuário da criança com uma grande
freqüência, sendo que o nevo melanocítico havia sido
notificado em 40% das vezes15. Em outro trabalho reali-
zado nos Estados Unidos, os autores também concluíram
que as anormalidades cutâneas são subnotificadas no
período neonatal apesar de não citarem dados numéricos2.
Portanto, a subnotificação nos dois hospitais avaliados
neste estudo não se diferencia dos achados da literatura. O
fato de os RN e os seus prontuários terem sido examinados
precocemente neste estudo, a grande maioria nas primei-
ras 24 horas de vida, pode ter sido um fator que dimimuiu
a notificação das dermatoses aqui avaliadas, já que um
exame físico mais detalhado é geralmente realizado pos-
teriormente, no momento em que o RN já possui suas
condições vitais asseguradas. Mas o ideal seria que essas
dermatoses fossem notadas e notificadas antes da alta
hospitalar do RN.
Quando o RN apresenta lesões cutâneas extensas,
desfigurantes ou que provocam uma ameaça imediata à
vida, é dada a elas a importância devida e os tratamentos
e condutas adequados são realizados. O problema existe
quando as lesões são pequenas e aparentemente inofensi-
vas, pois muitas vezes apresentam um potencial de trans-
formação maligna posterior ou são um sinal precoce de
uma doença com acometimento sistêmico, como ocorre
com as lesões aqui avaliadas. A atenção para esses sinais
cutâneos pode propiciar um diagnóstico precoce de várias
facomatoses como a neurofibromatose, a síndrome de
Sturge-Weber e a esclerose tuberosa, ou os pais podem ser
orientados a manter a criança sob observação mais caute-
losa. Outro aspecto que sempre deve ser considerado é que
o fato de não haver dados escritos no prontuário não
significa necessariamente que não houve o reconhecimen-
to da dermatose pelo pediatra e a orientação adequada aos
pais da criança. A tendência natural também é de se
notificar apenas aquelas lesões extensas ou desfigurantes.
Um outro problema ocasionado pela falta da notifica-
ção dessas dermatoses no prontuário ou cartão do berçário
do RN é que, posteriormente, os pais não sabem informar,
com precisão, se a lesão é ou não congênita. A falta dessa
precisão dificulta a conduta adequada e a definição do
risco de certas dermatoses como, por exemplo, os nevos
melanocíticos.
As dermatoses no período neonatal, quando considera-
das de uma maneira geral, são muito freqüentes, com
relatos próximos de 100%, como já citados anteriormente,
e na grande maioria são benignas, temporárias, fisiológi-
cas e sem um significado clínico importante1,14. Isso torna
impossível e desnecessário desejar a notificação de todas
as dermatoses presentes no RN pelo pediatra, já que este
Dermatoses neonatais de importância clínica... - Pereira LB et alii
360 Jornal de Pediatria - Vol. 75, Nº5, 1999
tem como principal objetivo verificar as condições clínicas
gerais e evitar as inúmeras complicações e ameaças
imediatas à vida do RN no período neonatal. Por outro
lado, os pediatras são os profissionais que primeiramente
examinam a pele da criança, já que os dermatologistas
estão geralmente ausentes da Unidade Neonatal. O conhe-
cimento das dermatoses de importante significado clínico
e a preocupação em notificá-las no prontuário e/ou relató-
rio de alta da unidade neonatal permitem a realização de
uma história dermatológica precoce do RN, com orienta-
ções adequadas aos pais da criança e tratamento e/ou
aconselhamentos genéticos precoces quando indicados.
Um fator facilitador dessa notificação é que as dermatoses
de importante significado clínico não são tão freqüentes,
como demonstrado neste estudo.
Agradecimentos
Agradecimentos especiais às equipes médicas das
Unidades Neonatais do Hospital das Clínicas da UFMG e
do Hospital Mater Dei que permitiram, sem restrições, o
acesso a essas unidades, para a realização deste trabalho.
Endereço para correspondência:
Dra. Luciana B. Pereira
Rua Domingos Vieira, 300 - sala 505
Santa Efigênia - Belo Horizonte – MG
Fone: (31) 241.118 - Fax: (31) 241.2279
E-mail: dermato@mkm.com.br
Referências bibliográficas
1. Rivers JK, Frederiksen PC, Dibdin C. A prevalence survey
of dermatoses in the Australian neonate. J Am Acad Derma-
tol 1990;23:77-81.
2. Osburn K, Schosser RH, Everett MA. Congenital pigmented
and vascular lesions in newborn infants. J Am Acad Derma-
tol 1987;16:788-92.
3. Schleicher SM, Lim SJM. Congenital nevi. Int J Dermatol
1995;34:825-9.
4. Marghoob AA, Schoenbach SP, Kopf AW, Orlow SJ, Nossa
R, Bart RS. Large congenital melanocytic nevi and the risk
for the development of malignant melanoma: a prospective
study. Arch Dermatol 1996;132:170-5.
5. Jones EW, Heyl T. Naevus sebaceus: a report of 140 cases
with special regard to the development of secondary malig-
nant tumours. Br J Derm 1970;82:99-117.
6. Chun K, Vázquez M, Sánchez JL. Nevus sebaceus: clinical
outcome and considerations for prophylactic excision. Int J
Dermatol 1995;34:538-41.
7. Whitehouse D. Diagnostic value of the café-au-lait spot in
children. Arch Dis Childh 1966;41:316-9.
8. Arnsmeier SL, Riccardi VM, Paller AS. Familial multiple
café au lait spots. Arch Dermatol 1994;130:1425-6.
9. Zvulunov A, Esterly NB. Neurocutaneous syndromes asso-
ciated with pigmentary skin lesions. J Am Acad Dermatol
1995;32:915-35.
10. Enjolras O, Riche MC, Merland JJ. Facial port-wine stains
and Sturge-Weber syndrome. Pediatrics 1985;76:48-51.
11. Meine JG, Schwartz RA, Janniger CK. Klippel-Trenaunay-
Weber syndrome. Cutis 1997;60:127-132.
12. Bolognia JL, Pawelek JM. Biology of hypopigmentation. J
Am Acad Dermatol 1988;19:217-55.
13. Pinto FJ, Bolognia JL. Disorders of hipopigmentation in
children. Pediatr Clin North Am 1991;38:991-1017.
14. Pereira LB. Prevalência de dermatoses no recém-nascido:
estudo comparativo entre dois hospitais de Belo Horizonte,
Brasil. Belo Horizonte, 1997. Dissertação de Mestrado.
Universidade Federal de Minas Gerais.
15. Alper J, Holmes LB, Mihm MC. Birthmarks with serious
medical significance: nevocellular nevi, sebaceous nevi, and
multiple café au lait spots. J Pediatr 1979;95:696-700.
Dermatoses neonatais de importância clínica... - Pereira LB et alii

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Medicamentos na gravidez
Medicamentos na gravidezMedicamentos na gravidez
Medicamentos na gravidez
Alinebrauna Brauna
 
Doenças exantemáticas
 Doenças exantemáticas Doenças exantemáticas
Doenças exantemáticas
Karina Pereira
 
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Doenças comuns em crianças.
Doenças comuns em crianças.Doenças comuns em crianças.
Doenças comuns em crianças.
Cintia da Cruz Silva
 
Amamentação
AmamentaçãoAmamentação
Amamentação
Cleidenisia Daiana
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMONUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Vacinas: mitos e verdades
Vacinas: mitos e verdadesVacinas: mitos e verdades
Prescrição Médica Hospitalar
Prescrição Médica HospitalarPrescrição Médica Hospitalar
Prescrição Médica Hospitalar
Francismar Prestes Leal
 
Aleitamento
AleitamentoAleitamento
Aleitamento
Solange Broggine
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
Messias Miranda
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
Ricardo Portela
 
Desconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório NeonatalDesconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório Neonatal
blogped1
 
Promoção do Aleitamento Materno no Pré-natal
Promoção do Aleitamento Materno no Pré-natalPromoção do Aleitamento Materno no Pré-natal
Hospitalização infantil de 0 a 17 anos
Hospitalização infantil de  0 a 17 anosHospitalização infantil de  0 a 17 anos
Hospitalização infantil de 0 a 17 anos
Michelle Santos
 
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
Natasha Louise
 
ICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - HipersensibilidadesICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - Hipersensibilidades
Ricardo Portela
 
Aleitamento Materno
Aleitamento MaternoAleitamento Materno
Aleitamento Materno
Laped Ufrn
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
NadjadBarros
 
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da MulherDescolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Enfº Ícaro Araújo
 

Mais procurados (20)

Medicamentos na gravidez
Medicamentos na gravidezMedicamentos na gravidez
Medicamentos na gravidez
 
Doenças exantemáticas
 Doenças exantemáticas Doenças exantemáticas
Doenças exantemáticas
 
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
 
Doenças comuns em crianças.
Doenças comuns em crianças.Doenças comuns em crianças.
Doenças comuns em crianças.
 
Amamentação
AmamentaçãoAmamentação
Amamentação
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
 
NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMONUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
 
Vacinas: mitos e verdades
Vacinas: mitos e verdadesVacinas: mitos e verdades
Vacinas: mitos e verdades
 
Prescrição Médica Hospitalar
Prescrição Médica HospitalarPrescrição Médica Hospitalar
Prescrição Médica Hospitalar
 
Aleitamento
AleitamentoAleitamento
Aleitamento
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
 
Desconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório NeonatalDesconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório Neonatal
 
Promoção do Aleitamento Materno no Pré-natal
Promoção do Aleitamento Materno no Pré-natalPromoção do Aleitamento Materno no Pré-natal
Promoção do Aleitamento Materno no Pré-natal
 
Hospitalização infantil de 0 a 17 anos
Hospitalização infantil de  0 a 17 anosHospitalização infantil de  0 a 17 anos
Hospitalização infantil de 0 a 17 anos
 
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
 
ICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - HipersensibilidadesICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - Hipersensibilidades
 
Aleitamento Materno
Aleitamento MaternoAleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da MulherDescolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
 

Destaque

Roteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de PuericulturaRoteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de Puericultura
blogped1
 
Picnodisostose
PicnodisostosePicnodisostose
Picnodisostose
blogped1
 
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - NascidoManual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
blogped1
 
Doenças+exantemática
Doenças+exantemáticaDoenças+exantemática
Doenças+exantemática
blogped1
 
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
blogped1
 
Desnutrição
DesnutriçãoDesnutrição
Desnutrição
Gladyanny Veras
 
Infecciones cutáneas-Impétigo y ectima
Infecciones cutáneas-Impétigo y ectimaInfecciones cutáneas-Impétigo y ectima
Infecciones cutáneas-Impétigo y ectima
Jonathan Stephany
 
Puericultura- Roteiro Prático
Puericultura-  Roteiro PráticoPuericultura-  Roteiro Prático
Puericultura- Roteiro Prático
blogped1
 

Destaque (8)

Roteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de PuericulturaRoteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de Puericultura
 
Picnodisostose
PicnodisostosePicnodisostose
Picnodisostose
 
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - NascidoManual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
 
Doenças+exantemática
Doenças+exantemáticaDoenças+exantemática
Doenças+exantemática
 
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
 
Desnutrição
DesnutriçãoDesnutrição
Desnutrição
 
Infecciones cutáneas-Impétigo y ectima
Infecciones cutáneas-Impétigo y ectimaInfecciones cutáneas-Impétigo y ectima
Infecciones cutáneas-Impétigo y ectima
 
Puericultura- Roteiro Prático
Puericultura-  Roteiro PráticoPuericultura-  Roteiro Prático
Puericultura- Roteiro Prático
 

Semelhante a Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do recém-nascido

Anais - I SPEED
Anais - I SPEEDAnais - I SPEED
Microbiologia trabalho final
Microbiologia   trabalho finalMicrobiologia   trabalho final
Microbiologia trabalho final
Marina Sousa
 
Erisipela
ErisipelaErisipela
Erisipela
Nathanael Amparo
 
Eim
EimEim
Oftalmia neonatal
Oftalmia neonatalOftalmia neonatal
03
0303
Surta,+estima v14n1 21-28
Surta,+estima v14n1 21-28Surta,+estima v14n1 21-28
Surta,+estima v14n1 21-28
kratos8
 
Artigo mequinol
Artigo mequinolArtigo mequinol
Artigo mequinol
Tiberio Medeiros
 
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
chirlei ferreira
 
SBP Recomendações para os cuidados com o recém-nascido e o aleitamento matern...
SBP Recomendações para os cuidados com o recém-nascido e o aleitamento matern...SBP Recomendações para os cuidados com o recém-nascido e o aleitamento matern...
SBP Recomendações para os cuidados com o recém-nascido e o aleitamento matern...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Malformações do Sistema Nervoso Central
Malformações do Sistema Nervoso CentralMalformações do Sistema Nervoso Central
Malformações do Sistema Nervoso Central
João Antônio Granzotti
 
Detecção Precoce do Câncer Infantil
Detecção Precoce do Câncer InfantilDetecção Precoce do Câncer Infantil
V79s1a11
V79s1a11V79s1a11
V79s1a11
Maria Muniz
 
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnicoANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
O PAPEL DO TÉCNICO DE SAÚDE NA UNIDADE DE SAÚDE BÁSICA
O PAPEL DO TÉCNICO DE SAÚDE NA UNIDADE DE SAÚDE BÁSICAO PAPEL DO TÉCNICO DE SAÚDE NA UNIDADE DE SAÚDE BÁSICA
O PAPEL DO TÉCNICO DE SAÚDE NA UNIDADE DE SAÚDE BÁSICA
Caio Rafael Correa
 
linha_de_cuidado_esporiotricose_.ppt
linha_de_cuidado_esporiotricose_.pptlinha_de_cuidado_esporiotricose_.ppt
linha_de_cuidado_esporiotricose_.ppt
leandrodeffae
 
Características, freqüência e fatores presentes na ocorrência de lesão de mam...
Características, freqüência e fatores presentes na ocorrência de lesão de mam...Características, freqüência e fatores presentes na ocorrência de lesão de mam...
Características, freqüência e fatores presentes na ocorrência de lesão de mam...
Rebeca - Doula
 
Artigo sobre toxoplasmose em bm
Artigo sobre toxoplasmose em bmArtigo sobre toxoplasmose em bm
Artigo sobre toxoplasmose em bm
Lucas Almeida Sá
 
14757 45935-1-sm
14757 45935-1-sm14757 45935-1-sm
14757 45935-1-sm
Michelle Nina Troncoso
 
MICROCEFALIA protocolo clínico e epidemiológico - Pernambuco
MICROCEFALIA protocolo clínico e epidemiológico - PernambucoMICROCEFALIA protocolo clínico e epidemiológico - Pernambuco
MICROCEFALIA protocolo clínico e epidemiológico - Pernambuco
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Semelhante a Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do recém-nascido (20)

Anais - I SPEED
Anais - I SPEEDAnais - I SPEED
Anais - I SPEED
 
Microbiologia trabalho final
Microbiologia   trabalho finalMicrobiologia   trabalho final
Microbiologia trabalho final
 
Erisipela
ErisipelaErisipela
Erisipela
 
Eim
EimEim
Eim
 
Oftalmia neonatal
Oftalmia neonatalOftalmia neonatal
Oftalmia neonatal
 
03
0303
03
 
Surta,+estima v14n1 21-28
Surta,+estima v14n1 21-28Surta,+estima v14n1 21-28
Surta,+estima v14n1 21-28
 
Artigo mequinol
Artigo mequinolArtigo mequinol
Artigo mequinol
 
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
 
SBP Recomendações para os cuidados com o recém-nascido e o aleitamento matern...
SBP Recomendações para os cuidados com o recém-nascido e o aleitamento matern...SBP Recomendações para os cuidados com o recém-nascido e o aleitamento matern...
SBP Recomendações para os cuidados com o recém-nascido e o aleitamento matern...
 
Malformações do Sistema Nervoso Central
Malformações do Sistema Nervoso CentralMalformações do Sistema Nervoso Central
Malformações do Sistema Nervoso Central
 
Detecção Precoce do Câncer Infantil
Detecção Precoce do Câncer InfantilDetecção Precoce do Câncer Infantil
Detecção Precoce do Câncer Infantil
 
V79s1a11
V79s1a11V79s1a11
V79s1a11
 
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnicoANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
 
O PAPEL DO TÉCNICO DE SAÚDE NA UNIDADE DE SAÚDE BÁSICA
O PAPEL DO TÉCNICO DE SAÚDE NA UNIDADE DE SAÚDE BÁSICAO PAPEL DO TÉCNICO DE SAÚDE NA UNIDADE DE SAÚDE BÁSICA
O PAPEL DO TÉCNICO DE SAÚDE NA UNIDADE DE SAÚDE BÁSICA
 
linha_de_cuidado_esporiotricose_.ppt
linha_de_cuidado_esporiotricose_.pptlinha_de_cuidado_esporiotricose_.ppt
linha_de_cuidado_esporiotricose_.ppt
 
Características, freqüência e fatores presentes na ocorrência de lesão de mam...
Características, freqüência e fatores presentes na ocorrência de lesão de mam...Características, freqüência e fatores presentes na ocorrência de lesão de mam...
Características, freqüência e fatores presentes na ocorrência de lesão de mam...
 
Artigo sobre toxoplasmose em bm
Artigo sobre toxoplasmose em bmArtigo sobre toxoplasmose em bm
Artigo sobre toxoplasmose em bm
 
14757 45935-1-sm
14757 45935-1-sm14757 45935-1-sm
14757 45935-1-sm
 
MICROCEFALIA protocolo clínico e epidemiológico - Pernambuco
MICROCEFALIA protocolo clínico e epidemiológico - PernambucoMICROCEFALIA protocolo clínico e epidemiológico - Pernambuco
MICROCEFALIA protocolo clínico e epidemiológico - Pernambuco
 

Mais de blogped1

Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner
Estadiamento Puberal : Critérios de TannerEstadiamento Puberal : Critérios de Tanner
Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner
blogped1
 
Febre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota InformativaFebre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota Informativa
blogped1
 
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
blogped1
 
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de VidaABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
blogped1
 
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infânciaDiagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
blogped1
 
Psoríase na infância
Psoríase na infânciaPsoríase na infância
Psoríase na infância
blogped1
 
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilitiesRevised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
blogped1
 
Sinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana AgudaSinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana Aguda
blogped1
 
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites MediaOtite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
blogped1
 
Paralisia Facial
Paralisia FacialParalisia Facial
Paralisia Facial
blogped1
 
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
blogped1
 
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranulomaGiant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
blogped1
 
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
blogped1
 
Hipoglicemia Neonatal
Hipoglicemia  Neonatal Hipoglicemia  Neonatal
Hipoglicemia Neonatal
blogped1
 
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura ConceitualSíndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
blogped1
 
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
blogped1
 
Icterícia neonatal
 Icterícia neonatal  Icterícia neonatal
Icterícia neonatal
blogped1
 
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica DiscenteInternato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
blogped1
 
Management of Kawasaki disease
Management of  Kawasaki diseaseManagement of  Kawasaki disease
Management of Kawasaki disease
blogped1
 
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
blogped1
 

Mais de blogped1 (20)

Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner
Estadiamento Puberal : Critérios de TannerEstadiamento Puberal : Critérios de Tanner
Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner
 
Febre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota InformativaFebre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota Informativa
 
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
 
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de VidaABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
 
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infânciaDiagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
 
Psoríase na infância
Psoríase na infânciaPsoríase na infância
Psoríase na infância
 
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilitiesRevised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
 
Sinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana AgudaSinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana Aguda
 
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites MediaOtite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
 
Paralisia Facial
Paralisia FacialParalisia Facial
Paralisia Facial
 
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
 
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranulomaGiant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
 
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
 
Hipoglicemia Neonatal
Hipoglicemia  Neonatal Hipoglicemia  Neonatal
Hipoglicemia Neonatal
 
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura ConceitualSíndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
 
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
 
Icterícia neonatal
 Icterícia neonatal  Icterícia neonatal
Icterícia neonatal
 
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica DiscenteInternato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
 
Management of Kawasaki disease
Management of  Kawasaki diseaseManagement of  Kawasaki disease
Management of Kawasaki disease
 
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
 

Último

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (6)

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 

Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do recém-nascido

  • 1. Jornal de Pediatria - Vol. 75, Nº5, 1999 357 ARTIGO ORIGINAL 357 0021-7557/99/75-05/357 Jornal de Pediatria Copyright © 1999 by Sociedade Brasileira de Pediatria 1. Professora Assistente de Dermatologia da UFMG. 2. Professor Adjunto de Dermatologia da UFMG. Serviço de Dermatologia do Hospital das Clínicas da UFMG. Este artigo é parte da dissertação de Mestrado apresentada ao Curso de Pós-graduação em Dermatologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Resumo Objetivo: Verificar a notificação de dermatoses de importância médica (nevo melanocítico congênito, nevo sebáceo, manchas café com leite, mancha em vinho do Porto e máculas despigmentadas em folha) no prontuário do recém-nascido. Métodos: Foi realizado um estudo transversal em dois hospitais de Belo Horizonte, nos quais todas as crianças nascidas durante 4 meses consecutivos foram examinadas, nas primeiras 36 horas de vida. A presença das dermatoses de importante significado clínico consideradas como padrão de notificação (nevo melanocítico con- gênito, nevo sebáceo, manchas café com leite, mancha em vinho do Porto e máculas despigmentadas em folha) foi avaliada por uma dermatologista. Simultaneamente, verificou-se a notificação dessas mesmas dermatoses pelo pediatra no prontuário do recém-nascido. Resultados: As dermatoses neonatais de importante significa- do clínico foram encontradas em 42 (5,6%) das 752 crianças examinadas neste período. A notificação no prontuário ocorreu em apenas 5 dos 42 casos (11,9%). Conclusões: As dermatoses neonatais de importância clínica foram subnotificadas no prontuário do recém-nascido, no período e locais estudados. Há uma necessidade de se estimular o reconhe- cimento e notificação das dermatoses de importância médica no período neonatal para que as orientações adequadas aos pais da criança e tratamento e/ou aconselhamento genético precoces pos- sam ser realizados, quando indicados. J. pediatr. (Rio J.). 1999; 75(5):357-360: dermatopatias, recém-nascido, nevo, manchas café-com-leite. Abstract Objective: To check the report of neonatal dermatoses of medical relevance (congenital melanocytic nevus, sebaceous ne- vus, cafe-au-lait spots, Port-wine stain, ash leaf maculas) in the newborn’s file. Methods: The authors carried out a cross-sectional study in two hospitals in the city of Belo Horizonte. All children born during a consecutive period of 4 months were examined within their 36 first hours of life by a dermatologist who reported all clinically relevant dermatoses (congenital melanocytic nevus, sebaceous nevus, cafe- au-lait spots, Port-wine stain, ash leaf macules). Simultaneously, the dermatologist’s report was cross checked with the pediatrician’s. Results: Neonatal dermatoses of clinical relevance were found in 42 (5.6%) out of 752 children examined during this period. However, the report in the neonate’s file could be detected only in 5 (11,9%) out of 42 children. Conclusions: Clinicallyrelevantdermatoseswereunderreported in the neonate’s file in this study. There is a clear need to stimulate the detection and report of these skin disorders so that parental advice, treatment and genetic counseling can be adequately indi- cated. J. pediatr. (Rio J.). 1999; 75(5):357-360: skin diseases, newborn, nevus, cafe-au-lait spots. Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do recém-nascido Neonatal dermatoses of relevant medical significance: their report in the newborn’s file Luciana B. Pereira1, Bernardo Gontijo2 Introdução As dermatoses neonatais são muito freqüentes, estando presentes em quase todos os recém-nascidos (RN). A incidência relatada chega a 99,3% quando se realiza o exame da mucosa oral e se consideram achados como descamação, hiperplasia sebácea ou mílio1. Quando não são incluídas as lesões mais simples e se enfocam princi- palmente as lesões vasculares e pigmentadas, a incidência cai a 57%2. As lesões cutâneas são muito variáveis, podendo ser temporárias, inocentes, resultantes de uma reação fisioló- gica, ou podem indicar uma desordem séria e potencial- mente fatal. A mancha salmão, a mancha mongólica e o eritema tóxico, por exemplo, são alterações comuns, bem conhecidas e benignas, não causando maior preocupação do ponto de vista clínico. A importância do reconhecimen- to dessas lesões está na orientação adequada a ser feita aos pais das crianças, que muitas vezes ficam apreensivos por
  • 2. 358 Jornal de Pediatria - Vol. 75, Nº5, 1999 esperarem que seus filhos não apresentem nenhuma im- perfeição ao nascimento. Outro grupo de dermatoses como as ictioses e a epidermólise bolhosa, por serem extensas, desfigurantes e representarem uma ameaça imediata à vida do RN (risco de infecções e distúrbios hidroeletrolíticos), chamam a atenção do pediatra e dos pais da criança e, assim, a conduta adequada é rapidamente estabelecida. Por outro lado, várias dermatoses encontradas nos RN, apesar de geralmente passarem despercebidas, são consi- deradas como de importante significado clínico, mesmo não representando uma ameaça imediata à vida do RN, como por exemplo: (1) o nevo melanocítico congênito, com potencial de transformação maligna3,4; (2) o nevo sebáceo, com o risco de desenvolvimento de tumores benignos ou malignos5,6; (3) as manchas café com leite, que podem ser o primeiro sinal de uma neurofibromatose ou outra afecção com envolvimento sistêmico7-9; (4) a mancha em vinho do Porto, um componente da síndrome de Sturge-Weber ou da síndrome de Klippel-Trenaunay- Weber10,11; (5) as máculas despigmentadas em folha, como manifestação inicial da esclerose tuberosa12,13. O reconhecimento precoce dessas lesões dermatológi- cas é de grande importância para que sejam estabelecidas orientações terapêuticas e prognósticas adequadas e se proceda, quando indicado, o aconselhamento genético. O objetivo do presente estudo é verificar se há um reconhecimento precoce dessas dermatoses de importân- cia médica, mas que muitas vezes passam despercebidas, em nosso meio. Para tanto, recorreu-se ao estudo da freqüência do relato pelo pediatra no prontuário do RN, das seguintes dermatoses: nevo melanocítico congênito, nevo sebáceo, manchas café com leite, mancha em vinho do Porto e máculas despigmentadas em folha, em dois hospitais de Belo Horizonte, Brasil. Métodos Foi realizado um estudo de prevalência, isto é, um estudo transversal, em dois hospitais de Belo Horizonte: o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC-UFMG) e o Hospital Mater Dei (MD). Todas as crianças nascidas em um período de 4 meses consecu- tivos foram examinadas, com exceção dos natimortos, dos RN que faleceram nas primeiras horas de vida ou aqueles que necessitavam de cuidados em um Centro de Tratamen- to Intensivo, pela impossibilidade do exame ou pela gravidade do quadro clínico da criança. Nos RN interna- dos em um Centro de Tratamento Intensivo o exame dermatológico poderia causar uma manipulação excessiva da criança e, conseqüentemente, uma piora de seu quadro clínico. Portanto, essas crianças foram excluídas deste estudo. A avaliação dos prontuários e o exame dermatológico eram diários, no período da manhã. Foi realizado apenas um exame em cada RN em suas primeiras 36 horas de vida Tabela 1 – Idade dos RN quando examinados, considerando o total dos dois hospitais (MD e HC) Idade (horas) Número % < 12 212 28,19 12  24 451 59,97 24  36 89 11,84 e uma única leitura da papeleta, no mesmo momento da realização do exame dermatológico. O exame foi precoce para que todas as crianças nascidas no período do estudo fossem avaliadas, antes da alta hospitalar. O exame dermatológico de todos os RN foi exclusiva- mente clínico, conduzido pela pesquisadora principal (uma dermatologista), não se recorrendo às biópsias para o diagnóstico das dermatoses. Todas as lesões dermatoló- gicas encontradas foram descritas no protocolo de pesqui- sa, mas neste trabalho serão apresentadas apenas as dermatoses de importante significado clínico, escolhidas como parâmetro de notificação14. O critério utilizado foi o relato na papeleta das seguintes dermatoses: nevo melanocítico, nevo sebáceo, mancha café com leite, mancha em vinho do Porto e máculas despigmentadas em forma de folha. Essas dermatoses foram escolhidas por apresentarem um potencial de transformação maligna ou serem um sinal precoce de uma doença com acometimento sistêmico e que, muitas vezes, passam despercebidas aos profissionais de saúde que examinam precocemente a criança. Neste trabalho será mostrada a freqüência das derma- toses escolhidas como parâmetro de notificação detectada pela dermatologista e pelos pediatras, nos dois hospitais estudados. Este estudo foi aprovado pelo Conselho Técnico Cien- tífico do Hospital das Clínicas da UFMG e pelos chefes dos berçários do HC e MD. O exame dermatológico seguiu a rotina dos exames físicos do RN nas Unidades Neonatais dos dois hospitais (Berçário ou Alojamento Conjunto), não tendo sido realizado nenhum procedimen- to invasivo nas crianças constantes neste estudo. Resultados Foram examinadas 752 das 766 crianças nascidas no período do estudo. Houve 14 RN em que não foi possível a realização do exame dermatológico, pelos seguintes motivos: 6 óbitos antes do exame; 2 natimortos e 6 RN internados no CTI neonatal. A distribuição entre os dois hospitais em estudo foi a seguinte: 455 RN (60,51%) no MD e 297 RN (39,49%) no HC. O exame dermatológico e a avaliação dos prontuários foi precoce, ocorrendo nas primeiras 24 horas de vida do RN em 88,16% dos casos (Tabela 1). Dermatoses neonatais de importância clínica... - Pereira LB et alii
  • 3. Jornal de Pediatria - Vol. 75, Nº5, 1999 359 Lesão dermatológica MD MD HC HC Casos presentes Casos relatados Casos presentes Casos relatados Mancha em vinho do Porto 2 0 5 1 Mancha café com leite 7 1 14 1 Nevo melanocítico 9 2 4 0 Nevo sebáceo 1 0 0 0 Mácula em forma de folha 0 0 0 0 Total 19 3 (15,79%) 23 2 (8,70%) Tabela 2 – Correlação entre as dermatoses de significado clínico encontradas e o relato no prontuário pelo pediatra Pelo menos uma dermatose foi encontrada em 99,34% dos RN examinados (99,12% no MD e 99,66% no HC), quando levadas em consideração todas as alterações na pele, mucosa oral ou fâneros presentes à época do exame. As dermatoses de importante significado clínico con- sideradas como parâmetro de notificação (mancha em vinho do Porto, mancha café com leite, nevo melanocítico, nevo sebáceo) estavam presentes em 42 RN, correspon- dendo a 5,6 % das 752 crianças examinadas. As máculas despigmentadas em forma de folha não foram verificadas na época do exame em nenhum RN do estudo. Todas essas dermatoses foram subnotificadas na época da avaliação do prontuário da criança. A notificação ocorreu em apenas 5 casos (11,9%) dos 42 RN que apresentaram as dermatoses em questão (Tabela 2). Discussão Na revisão da literatura realizada não foram encontra- dos outros trabalhos semelhantes realizados em hospitais brasileiros. Em um estudo sobre dermatoses neonatais realizado em Boston, Estados Unidos da América, foi dado um enfoque especial às marcas de nascimento consideradas possuidoras de um significado médico importante como o nevo melanocítico, o nevo sebáceo e as manchas café com leite. Os autores constataram que essas dermatoses não eram relatadas no prontuário da criança com uma grande freqüência, sendo que o nevo melanocítico havia sido notificado em 40% das vezes15. Em outro trabalho reali- zado nos Estados Unidos, os autores também concluíram que as anormalidades cutâneas são subnotificadas no período neonatal apesar de não citarem dados numéricos2. Portanto, a subnotificação nos dois hospitais avaliados neste estudo não se diferencia dos achados da literatura. O fato de os RN e os seus prontuários terem sido examinados precocemente neste estudo, a grande maioria nas primei- ras 24 horas de vida, pode ter sido um fator que dimimuiu a notificação das dermatoses aqui avaliadas, já que um exame físico mais detalhado é geralmente realizado pos- teriormente, no momento em que o RN já possui suas condições vitais asseguradas. Mas o ideal seria que essas dermatoses fossem notadas e notificadas antes da alta hospitalar do RN. Quando o RN apresenta lesões cutâneas extensas, desfigurantes ou que provocam uma ameaça imediata à vida, é dada a elas a importância devida e os tratamentos e condutas adequados são realizados. O problema existe quando as lesões são pequenas e aparentemente inofensi- vas, pois muitas vezes apresentam um potencial de trans- formação maligna posterior ou são um sinal precoce de uma doença com acometimento sistêmico, como ocorre com as lesões aqui avaliadas. A atenção para esses sinais cutâneos pode propiciar um diagnóstico precoce de várias facomatoses como a neurofibromatose, a síndrome de Sturge-Weber e a esclerose tuberosa, ou os pais podem ser orientados a manter a criança sob observação mais caute- losa. Outro aspecto que sempre deve ser considerado é que o fato de não haver dados escritos no prontuário não significa necessariamente que não houve o reconhecimen- to da dermatose pelo pediatra e a orientação adequada aos pais da criança. A tendência natural também é de se notificar apenas aquelas lesões extensas ou desfigurantes. Um outro problema ocasionado pela falta da notifica- ção dessas dermatoses no prontuário ou cartão do berçário do RN é que, posteriormente, os pais não sabem informar, com precisão, se a lesão é ou não congênita. A falta dessa precisão dificulta a conduta adequada e a definição do risco de certas dermatoses como, por exemplo, os nevos melanocíticos. As dermatoses no período neonatal, quando considera- das de uma maneira geral, são muito freqüentes, com relatos próximos de 100%, como já citados anteriormente, e na grande maioria são benignas, temporárias, fisiológi- cas e sem um significado clínico importante1,14. Isso torna impossível e desnecessário desejar a notificação de todas as dermatoses presentes no RN pelo pediatra, já que este Dermatoses neonatais de importância clínica... - Pereira LB et alii
  • 4. 360 Jornal de Pediatria - Vol. 75, Nº5, 1999 tem como principal objetivo verificar as condições clínicas gerais e evitar as inúmeras complicações e ameaças imediatas à vida do RN no período neonatal. Por outro lado, os pediatras são os profissionais que primeiramente examinam a pele da criança, já que os dermatologistas estão geralmente ausentes da Unidade Neonatal. O conhe- cimento das dermatoses de importante significado clínico e a preocupação em notificá-las no prontuário e/ou relató- rio de alta da unidade neonatal permitem a realização de uma história dermatológica precoce do RN, com orienta- ções adequadas aos pais da criança e tratamento e/ou aconselhamentos genéticos precoces quando indicados. Um fator facilitador dessa notificação é que as dermatoses de importante significado clínico não são tão freqüentes, como demonstrado neste estudo. Agradecimentos Agradecimentos especiais às equipes médicas das Unidades Neonatais do Hospital das Clínicas da UFMG e do Hospital Mater Dei que permitiram, sem restrições, o acesso a essas unidades, para a realização deste trabalho. Endereço para correspondência: Dra. Luciana B. Pereira Rua Domingos Vieira, 300 - sala 505 Santa Efigênia - Belo Horizonte – MG Fone: (31) 241.118 - Fax: (31) 241.2279 E-mail: dermato@mkm.com.br Referências bibliográficas 1. Rivers JK, Frederiksen PC, Dibdin C. A prevalence survey of dermatoses in the Australian neonate. J Am Acad Derma- tol 1990;23:77-81. 2. Osburn K, Schosser RH, Everett MA. Congenital pigmented and vascular lesions in newborn infants. J Am Acad Derma- tol 1987;16:788-92. 3. Schleicher SM, Lim SJM. Congenital nevi. Int J Dermatol 1995;34:825-9. 4. Marghoob AA, Schoenbach SP, Kopf AW, Orlow SJ, Nossa R, Bart RS. Large congenital melanocytic nevi and the risk for the development of malignant melanoma: a prospective study. Arch Dermatol 1996;132:170-5. 5. Jones EW, Heyl T. Naevus sebaceus: a report of 140 cases with special regard to the development of secondary malig- nant tumours. Br J Derm 1970;82:99-117. 6. Chun K, Vázquez M, Sánchez JL. Nevus sebaceus: clinical outcome and considerations for prophylactic excision. Int J Dermatol 1995;34:538-41. 7. Whitehouse D. Diagnostic value of the café-au-lait spot in children. Arch Dis Childh 1966;41:316-9. 8. Arnsmeier SL, Riccardi VM, Paller AS. Familial multiple café au lait spots. Arch Dermatol 1994;130:1425-6. 9. Zvulunov A, Esterly NB. Neurocutaneous syndromes asso- ciated with pigmentary skin lesions. J Am Acad Dermatol 1995;32:915-35. 10. Enjolras O, Riche MC, Merland JJ. Facial port-wine stains and Sturge-Weber syndrome. Pediatrics 1985;76:48-51. 11. Meine JG, Schwartz RA, Janniger CK. Klippel-Trenaunay- Weber syndrome. Cutis 1997;60:127-132. 12. Bolognia JL, Pawelek JM. Biology of hypopigmentation. J Am Acad Dermatol 1988;19:217-55. 13. Pinto FJ, Bolognia JL. Disorders of hipopigmentation in children. Pediatr Clin North Am 1991;38:991-1017. 14. Pereira LB. Prevalência de dermatoses no recém-nascido: estudo comparativo entre dois hospitais de Belo Horizonte, Brasil. Belo Horizonte, 1997. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Minas Gerais. 15. Alper J, Holmes LB, Mihm MC. Birthmarks with serious medical significance: nevocellular nevi, sebaceous nevi, and multiple café au lait spots. J Pediatr 1979;95:696-700. Dermatoses neonatais de importância clínica... - Pereira LB et alii