SlideShare uma empresa Scribd logo
BIBLIOTECAS E CENTROS DE INFORMAÇÃO
Profº Alexsandro Menezes da Silva
Especialista em Planejamento e Gerenciamento de Sistemas de Informação
Bacharel em Biblioteconomia
Curso Técnico em Biblioteca
Biblioteca Escolar
EDUCAÇÃO
 Aprender a conhecer;
 Aprender a fazer;
 Aprender a Viver;
 Aprender a ser;
O que também significa: aprender a
aprender, para beneficiar-se das
oportunidades oferecidas pela educação ao
longo de toda a vida.” (DELORS, 1998 p. 101)
Biblioteca Escolar
“A fim de adquirir de maneira ampla,
competências que tornem a pessoa apta a
enfrentar numerosas situações e a trabalhar
em equipe, além de aprender a fazer, no
âmbito das diversas experiências sociais ou
de trabalho, sejam estas espontaneamente ou
o meio do ensino aliado ao trabalho.
(DELORS, 1998)
Biblioteca Escolar
“desenvolvendo a compreensão do outro e
a percepção das interdependências — realizar
projetos comuns e preparar-se para gerir
conflitos — no respeito pelos valores do
pluralismo, da compreensão mútua e da paz.”
(DELORS, 1998 P. 102)
Biblioteca Escolar
“Para melhor desenvolver a sua
personalidade e estar à altura de agir com
cada vez maior capacidade de autonomia, de
discernimento e de responsabilidade pessoal”
(DELORS, 1998 P. 102)
Biblioteca Escolar
Biblioteca Escolar
A Biblioteca Escolar é um espaço democrático,
conquistado e construído através do fazer coletivo (alunos
professores e demais grupos sociais). Sua função básica é
a transmissão da herança cultural às novas gerações de
modo que elas tenham condições de reapropriar-se do
passado enfrentar os desafios do presente e projetar-se
no futuro. (SILVA, 1995 p. 7 apud LANZI; VIDOTTI;
FERNEDA, 2013, p. 29)
 Promover serviços de apoio à aprendizagem aos alunos;
 Proporcionar o contato dos estudantes com os recursos
informacionais diversos;
 Promover o pensamento crítico e autônomo;
 Estimular a leitura e a pesquisa como práticas comuns no
entre os membros da Comunidade Escolar.
 Formação de leitores;
 Formação da Competência Informacional;
 Análise do perfil de usuários;
 Desenvolvimento de coleções apropriadas;
 Interação com a comunidade escolar;
 “Dessacralização” do Livro;
 “Dessacralização” da Biblioteca.
“ De resto, se eles repelem os livros e, além disso, a
escrita, algumas vezes com raiva, uma parte desses meninos
pensa que existe nesses objetos um segredo do qual estão
privados – isso resulta em sofrimento, mesmo se eles dão o
troco. Como este jovem motorista de táxi recorda:”
(Trecho da Obra A arte de ler de Michèle Petit, 2009 p. 268)
“Na escola, malhávamos àqueles
que gostavam de ler. Acho que no
fundo era inveja: perguntávamo-nos o
que podia haver de bom no livros?”
(Trecho da Obra A arte de ler de Michèle Petit, 2009 p. 268)
“ Quando os excluídos não tem uma
cultura-revolta, entendida como consciência
crítica dos povos, quando eles têm que se
contentar com ideologias retrógradas, com
shows...que estão longe de satisfazer sua
demanda de prazer, eles se tornam
baderneiros” (PUYELO, apud PETIT, 2009 p.
267)
 Desigualdades;
 Apoio teórico emocional;
 Pouca demanda pelos serviços;
 Desatualização Profissional;
 Pouca familiaridade com processos gerenciais;
 Não considera a formação de leitores como objetivo máximo
de seu trabalho;
 Desacordo com Professores.
“Quando o Bibliotecário desenvolve uma proposta de
trabalho em parceria com o professor, com um plano
de pesquisa previamente definido, ela deixará de ser
um trabalho de cópia para se tornar conhecimento a
partir de práticas de leitura (oral e textual) e escrita
promovidas pela Biblioteca.” (LANZI; VIDOTTI;
FERNEDA, 2013, p. 98)
Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
Biblioteca Escolar
Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
Biblioteca Escolar
“A Biblioteca e qualquer Unidade de Informação, é um tipo
de organização e, como tal, necessita ser estruturada,
administrada, organizada e/ou recriada, visando atingir os
objetivos que se propôs a alcançar” (LANZI; VIDOTTI;
FERNEDA, 2013, p. 73)
 Reorganizar suas práticas;
 Falar na mesma Linguagem que os alunos;
 Incentivar o protagonismo juvenil;
 Relacionar e trabalhar com suportes diversos.
Biblioteca Escolar
Biblioteca Escolar
Biblioteca Escolar
https://www.youtube.com/watch?v=Gmk3cBh2Wgw
Disposição em lugares
estratégicos, estantes expositoras,
novidades em evidencia.
Projetos de leitura em família,
malas de livros, etc.
Sempre estar atento às novidades e buscar
meios de captação de recursos para viabilizar a
renovação e atualização do acervo, objetos
digitais também são boas opções.
 ;
Quando o aluno vê sua produção incorporada ao
acervo ele se vê como produtor de Cultura.
(PERROT, 2011)
Paredes e tetos claros, com contrastes
de cores alegres, frases de autores
conhecidos murais ou mosaicos
produzidos por alunos etc.
 Liberdade para visitar a Biblioteca;
 Acesso livre ao acervo;
 Locais de convivência;
 Sentimento de pertencimento.
Planejamento de dinâmicas e
interações direcionadas para
momentos vagos.
Histórias transmitem valores e
podem dar “vida” ao acervo, mexem
com a imaginação e podem ser
excepcionais ferramentas para
incentivar a leitura.
Debates auxiliam no desenvolvimento do senso
crítico, formulam relações e transcende o
simplismo dado aos assuntos pelos meios de
comunicação em massa, governo, escola etc.
Saraus são momentos descontraídos e
uma excelente maneira de apresentar a
leitura de uma forma menos ortodoxa.
Biblioteca Escolar
 15 milhões de alunos estudam em escolas sem
Bibliotecas;
 Em 2010 35% das UE de E.F e 72% de E.M não
possuíam Bibliotecas;
 99 U.E precisam ser criadas (cerca de 34 por dia).
 Programa Nacional Biblioteca da Escola:
Programa em nível Federal que prevê a Distribuição de
acervos para alunos e Professores das escolas públicas ou
particulares sem fins lucrativos
 Programa Nacional Biblioteca Escolar Indígena:
Programa em nível Federal que prevê a Distribuição de
acervos para alunos e Professores de comunidades indígenas.
 LEI 12.244 de 24 de maio de 2010
Ementa: Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País;
 Resolução Secretaria Estadual de Educação nº 15 de fevereiro de 2009.
Ementa: Dispõe sobre a criação e organização de Salas de Leitura nas escolas da rede
estadual de ensino;
 RIO GRANDE DO SUL. Lei 8.744 de 9 de novembro de 1988.
Ementa: Cria o Plano de Expansão da Rede de Bibliotecas de Escolas Públicas, estabelece o
horário semanal de leitura nas escolas do Sistema Estadual de ensino e dá outras
providências;
 RIO GRANDE DO SUL. (Constituição)
Art. 218 - O Estado manterá um sistema de bibliotecas escolares na rede pública estadual e
exigirá a existência de bibliotecas na rede escolar privada, cabendo-lhe fiscalizá-las.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Disponível em: <
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 20
jan. 2014;
BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial [da] República
Federativa do Brasil, Brasília, DF, 9 jan. 1991. Disponível em: <
http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf >. Acesso em: 20 fev. 2014;
BRASIL. Lei nº 12.244, de 24 de maio de 2010. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 24
maio 2010. Disponível em: <
http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/823116/lei-da-biblioteca-escolar-lei-
12244-10 > . Acesso em: 15 mar. 2014.
BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO/ MINISTÉRIO DA CULTURA. Plano Nacional do Livro e
Leitura. Brasília: Câmara Setorial do Livro, Leitura e Literatura, 2006. Disponível em:
<http://www.pnll.gov.br/>. Acesso em: 27 out. 2008.
DELORS, J. Educação um tesouro a descobrir: relatório para UNESCO da Comissão
Internacional Sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 1998;
FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES E INSTITUIÇÕES BIBLIOTECÁRIAS.
Diretrizes da IFLA/UNESCO para bibliotecas escolares. [S.l]. Disponível em: <
http://www.ifla.org/files/assets/school-libraries-resource-
centers/publications/school-library-guidelines/school-library-guidelines-pt.pdf>
Acesso em: 16 mar. 2014.
LANZI, L. A. C; VIDOTTI, S. B. G.; FERNEDA, E. A biblioteca escolar e a geração de nativos
digitais: construindo relações. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.
SÃO PAULO. Secretaria de Estado da Educação. Resolução 15, de 18 de fevereiro de
2009. Diário Oficial do Estado de São Paulo. São Paulo, 18 fev. 2009. Disponível em: <
http://www.crmariocovas.sp.gov.br/Downloads/SL/Resolucao_SEE_18.02.09.pdf> .
Acesso em: 15 mar. 2014.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Interdisciplinaridade no ciclo de alfabetização
Interdisciplinaridade no ciclo de alfabetizaçãoInterdisciplinaridade no ciclo de alfabetização
Interdisciplinaridade no ciclo de alfabetização
Ana Maria Louzada
 
Aula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolarAula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolar
Biblio 2010
 
Tutorial apresentação biblioteca
Tutorial apresentação bibliotecaTutorial apresentação biblioteca
Tutorial apresentação biblioteca
nataliacarias
 
Aula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolarAula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolar
Biblio 2010
 
Plano Anual de Ação da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Ação da Biblioteca Escolar Plano Anual de Ação da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Ação da Biblioteca Escolar
LOCIMAR MASSALAI
 
Estrategias de leitura 2
Estrategias de leitura 2Estrategias de leitura 2
Estrategias de leitura 2
alunosjdbritania
 
Estratégias de leitura
Estratégias de leituraEstratégias de leitura
Estratégias de leitura
Andréa Cristina Soares Costa
 
Bibliotecas Digitais
Bibliotecas DigitaisBibliotecas Digitais
Bibliotecas Digitais
Carlos Pinheiro
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
Gerdian Teixeira
 
Sequencia didática
Sequencia didáticaSequencia didática
Sequencia didática
Magda Marques
 
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmicaProposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Armanda Ribeiro
 
A importância do ato de ler
A importância do ato de lerA importância do ato de ler
A importância do ato de ler
susiesirius
 
Sequencia didatica
Sequencia didaticaSequencia didatica
Sequencia didatica
shs_oliveira
 
profuncionario biblioteca
profuncionario bibliotecaprofuncionario biblioteca
profuncionario biblioteca
Fatima Lima
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
Sandra Lourenco
 
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Planejamento da biblioteca
Planejamento da bibliotecaPlanejamento da biblioteca
Planejamento da biblioteca
Marcos Vasconcelos
 
O Pedagog Nos Hospitais[1]
O Pedagog Nos Hospitais[1]O Pedagog Nos Hospitais[1]
O Pedagog Nos Hospitais[1]
guest47da22
 
Pré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de PesquisaPré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de Pesquisa
Jose Arnaldo Silva
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
Susanne Messias
 

Mais procurados (20)

Interdisciplinaridade no ciclo de alfabetização
Interdisciplinaridade no ciclo de alfabetizaçãoInterdisciplinaridade no ciclo de alfabetização
Interdisciplinaridade no ciclo de alfabetização
 
Aula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolarAula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolar
 
Tutorial apresentação biblioteca
Tutorial apresentação bibliotecaTutorial apresentação biblioteca
Tutorial apresentação biblioteca
 
Aula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolarAula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolar
 
Plano Anual de Ação da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Ação da Biblioteca Escolar Plano Anual de Ação da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Ação da Biblioteca Escolar
 
Estrategias de leitura 2
Estrategias de leitura 2Estrategias de leitura 2
Estrategias de leitura 2
 
Estratégias de leitura
Estratégias de leituraEstratégias de leitura
Estratégias de leitura
 
Bibliotecas Digitais
Bibliotecas DigitaisBibliotecas Digitais
Bibliotecas Digitais
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Sequencia didática
Sequencia didáticaSequencia didática
Sequencia didática
 
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmicaProposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
 
A importância do ato de ler
A importância do ato de lerA importância do ato de ler
A importância do ato de ler
 
Sequencia didatica
Sequencia didaticaSequencia didatica
Sequencia didatica
 
profuncionario biblioteca
profuncionario bibliotecaprofuncionario biblioteca
profuncionario biblioteca
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
 
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar
 
Planejamento da biblioteca
Planejamento da bibliotecaPlanejamento da biblioteca
Planejamento da biblioteca
 
O Pedagog Nos Hospitais[1]
O Pedagog Nos Hospitais[1]O Pedagog Nos Hospitais[1]
O Pedagog Nos Hospitais[1]
 
Pré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de PesquisaPré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de Pesquisa
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
 

Destaque

Bibliotecas escolares: o bibliotecário, seu papel e as urgências do tema - Pa...
Bibliotecas escolares: o bibliotecário, seu papel e as urgências do tema - Pa...Bibliotecas escolares: o bibliotecário, seu papel e as urgências do tema - Pa...
Bibliotecas escolares: o bibliotecário, seu papel e as urgências do tema - Pa...
Semana Biblioteconomia
 
O que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
O que queremos para o futuro das Bibliotecas EscolaresO que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
O que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
Graça Rosa
 
Funções da biblioteca escolar
Funções da biblioteca escolarFunções da biblioteca escolar
Funções da biblioteca escolar
pirosario
 
Papel da biblioteca escolar no século xxi
Papel da biblioteca escolar no século xxiPapel da biblioteca escolar no século xxi
Papel da biblioteca escolar no século xxi
Elisa Delfini Correa
 
Missão, Objectivos e Serviços da Biblioteca Escolar
Missão, Objectivos e Serviços da Biblioteca EscolarMissão, Objectivos e Serviços da Biblioteca Escolar
Missão, Objectivos e Serviços da Biblioteca Escolar
Ana Cristina Matias
 
Atividades desenvolvidas na biblioteca
Atividades desenvolvidas na bibliotecaAtividades desenvolvidas na biblioteca
Atividades desenvolvidas na biblioteca
Escola Municipal Irmã Irma Zorzi
 
Papel do Bibliotecário
Papel do BibliotecárioPapel do Bibliotecário
Papel do Bibliotecário
Maria Cristina Ferreira
 
Regras de funcionamento da biblioteca
Regras de funcionamento da bibliotecaRegras de funcionamento da biblioteca
Regras de funcionamento da biblioteca
cristina123425
 
O Livro e a Leitura
O Livro e a LeituraO Livro e a Leitura
O Livro e a Leitura
lucipicareta
 
A Importância do Livro e da Biblioteca
A Importância do Livro e da BibliotecaA Importância do Livro e da Biblioteca
A Importância do Livro e da Biblioteca
lucipicareta
 
O papel do gestor na incorporação das tic na escola
O papel do gestor na incorporação das tic na escolaO papel do gestor na incorporação das tic na escola
O papel do gestor na incorporação das tic na escola
NTEBalsas
 
Bibliotecas públicas vs bibliotecas escolares
Bibliotecas públicas vs bibliotecas escolaresBibliotecas públicas vs bibliotecas escolares
Bibliotecas públicas vs bibliotecas escolares
nataliacarias
 
Biblioteca power point
Biblioteca  power pointBiblioteca  power point
Biblioteca power point
totinhadno
 
A Biblioteca Escolar e o Trabalho de Projecto
A Biblioteca Escolar e o Trabalho de ProjectoA Biblioteca Escolar e o Trabalho de Projecto
A Biblioteca Escolar e o Trabalho de Projecto
Carlos Pinheiro
 
Orientação Técnica de Implantação do Sistema Inforprisma
Orientação Técnica de Implantação do Sistema InforprismaOrientação Técnica de Implantação do Sistema Inforprisma
Orientação Técnica de Implantação do Sistema Inforprisma
Alexsandro Menezes da Silva
 
Orientação técnica programa sala de leitura 2016 circuito de juventude
Orientação técnica  programa sala de leitura 2016 circuito de juventudeOrientação técnica  programa sala de leitura 2016 circuito de juventude
Orientação técnica programa sala de leitura 2016 circuito de juventude
Alexsandro Menezes da Silva
 
Mobilização Programa Sala de Leitura 2016 (Hangout)
Mobilização Programa Sala de Leitura 2016 (Hangout)Mobilização Programa Sala de Leitura 2016 (Hangout)
Mobilização Programa Sala de Leitura 2016 (Hangout)
Alexsandro Menezes da Silva
 
Aula Biblioteca Escolar
Aula Biblioteca EscolarAula Biblioteca Escolar
Aula Biblioteca Escolar
Alexsandro Menezes da Silva
 
Roteiro Circuito da Juventude 2016
Roteiro Circuito da Juventude 2016Roteiro Circuito da Juventude 2016
Roteiro Circuito da Juventude 2016
Alexsandro Menezes da Silva
 

Destaque (20)

Bibliotecas escolares: o bibliotecário, seu papel e as urgências do tema - Pa...
Bibliotecas escolares: o bibliotecário, seu papel e as urgências do tema - Pa...Bibliotecas escolares: o bibliotecário, seu papel e as urgências do tema - Pa...
Bibliotecas escolares: o bibliotecário, seu papel e as urgências do tema - Pa...
 
O que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
O que queremos para o futuro das Bibliotecas EscolaresO que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
O que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
 
Funções da biblioteca escolar
Funções da biblioteca escolarFunções da biblioteca escolar
Funções da biblioteca escolar
 
Papel da biblioteca escolar no século xxi
Papel da biblioteca escolar no século xxiPapel da biblioteca escolar no século xxi
Papel da biblioteca escolar no século xxi
 
Missão, Objectivos e Serviços da Biblioteca Escolar
Missão, Objectivos e Serviços da Biblioteca EscolarMissão, Objectivos e Serviços da Biblioteca Escolar
Missão, Objectivos e Serviços da Biblioteca Escolar
 
Doc1
Doc1Doc1
Doc1
 
Atividades desenvolvidas na biblioteca
Atividades desenvolvidas na bibliotecaAtividades desenvolvidas na biblioteca
Atividades desenvolvidas na biblioteca
 
Papel do Bibliotecário
Papel do BibliotecárioPapel do Bibliotecário
Papel do Bibliotecário
 
Regras de funcionamento da biblioteca
Regras de funcionamento da bibliotecaRegras de funcionamento da biblioteca
Regras de funcionamento da biblioteca
 
O Livro e a Leitura
O Livro e a LeituraO Livro e a Leitura
O Livro e a Leitura
 
A Importância do Livro e da Biblioteca
A Importância do Livro e da BibliotecaA Importância do Livro e da Biblioteca
A Importância do Livro e da Biblioteca
 
O papel do gestor na incorporação das tic na escola
O papel do gestor na incorporação das tic na escolaO papel do gestor na incorporação das tic na escola
O papel do gestor na incorporação das tic na escola
 
Bibliotecas públicas vs bibliotecas escolares
Bibliotecas públicas vs bibliotecas escolaresBibliotecas públicas vs bibliotecas escolares
Bibliotecas públicas vs bibliotecas escolares
 
Biblioteca power point
Biblioteca  power pointBiblioteca  power point
Biblioteca power point
 
A Biblioteca Escolar e o Trabalho de Projecto
A Biblioteca Escolar e o Trabalho de ProjectoA Biblioteca Escolar e o Trabalho de Projecto
A Biblioteca Escolar e o Trabalho de Projecto
 
Orientação Técnica de Implantação do Sistema Inforprisma
Orientação Técnica de Implantação do Sistema InforprismaOrientação Técnica de Implantação do Sistema Inforprisma
Orientação Técnica de Implantação do Sistema Inforprisma
 
Orientação técnica programa sala de leitura 2016 circuito de juventude
Orientação técnica  programa sala de leitura 2016 circuito de juventudeOrientação técnica  programa sala de leitura 2016 circuito de juventude
Orientação técnica programa sala de leitura 2016 circuito de juventude
 
Mobilização Programa Sala de Leitura 2016 (Hangout)
Mobilização Programa Sala de Leitura 2016 (Hangout)Mobilização Programa Sala de Leitura 2016 (Hangout)
Mobilização Programa Sala de Leitura 2016 (Hangout)
 
Aula Biblioteca Escolar
Aula Biblioteca EscolarAula Biblioteca Escolar
Aula Biblioteca Escolar
 
Roteiro Circuito da Juventude 2016
Roteiro Circuito da Juventude 2016Roteiro Circuito da Juventude 2016
Roteiro Circuito da Juventude 2016
 

Semelhante a Biblioteca Escolar

Ações educativas da Biblioteca do Colégio de Aplicação da UFRJ
Ações educativas da Biblioteca do Colégio de Aplicação da UFRJ Ações educativas da Biblioteca do Colégio de Aplicação da UFRJ
Ações educativas da Biblioteca do Colégio de Aplicação da UFRJ
Tatyanne Valdez
 
Anais 4º seminário de pesquisa em linguagem, leitura e cultura
Anais 4º seminário de pesquisa em linguagem, leitura e culturaAnais 4º seminário de pesquisa em linguagem, leitura e cultura
Anais 4º seminário de pesquisa em linguagem, leitura e cultura
Proler Joinville
 
Letramento bibliotecas universitárias
Letramento bibliotecas universitáriasLetramento bibliotecas universitárias
Letramento bibliotecas universitárias
Leonardo Renault
 
Power ação
Power açãoPower ação
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBCEncontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
Abraão Antunes da Silva
 
Re leitura
Re leituraRe leitura
Manifesto em defesa_da_biblioteca_escolar
Manifesto em defesa_da_biblioteca_escolarManifesto em defesa_da_biblioteca_escolar
Manifesto em defesa_da_biblioteca_escolar
bcaceciliameireles
 
Cultura e artes
Cultura e artesCultura e artes
Cultura e artes
EducacaoIntegralPTC
 
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolaresReflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
mariacosta
 
Feira do livro e da literatura.compact
Feira do livro e da literatura.compactFeira do livro e da literatura.compact
Feira do livro e da literatura.compact
Ana Paula Cecato
 
Leitura@Tecnologia
Leitura@TecnologiaLeitura@Tecnologia
Leitura@Tecnologia
Maria Conceição Melo
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
Rafa El
 
Sociologia livro didático público
Sociologia   livro didático públicoSociologia   livro didático público
Sociologia livro didático público
Tiago Rodrigues
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
SociologiaSociologia
Bibliotecas escolares oei chile 2015
Bibliotecas escolares oei chile 2015Bibliotecas escolares oei chile 2015
Bibliotecas escolares oei chile 2015
Angelina Costa
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
Alexandre Albuquerque
 
Curso de eduacao fisica
Curso de eduacao fisicaCurso de eduacao fisica
Curso de eduacao fisica
Venicio Pontes
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
Marcelo Maia
 
Antologia de textos de Filosofia
Antologia de textos de FilosofiaAntologia de textos de Filosofia
Antologia de textos de Filosofia
Taitson Leal dos Santos
 

Semelhante a Biblioteca Escolar (20)

Ações educativas da Biblioteca do Colégio de Aplicação da UFRJ
Ações educativas da Biblioteca do Colégio de Aplicação da UFRJ Ações educativas da Biblioteca do Colégio de Aplicação da UFRJ
Ações educativas da Biblioteca do Colégio de Aplicação da UFRJ
 
Anais 4º seminário de pesquisa em linguagem, leitura e cultura
Anais 4º seminário de pesquisa em linguagem, leitura e culturaAnais 4º seminário de pesquisa em linguagem, leitura e cultura
Anais 4º seminário de pesquisa em linguagem, leitura e cultura
 
Letramento bibliotecas universitárias
Letramento bibliotecas universitáriasLetramento bibliotecas universitárias
Letramento bibliotecas universitárias
 
Power ação
Power açãoPower ação
Power ação
 
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBCEncontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
 
Re leitura
Re leituraRe leitura
Re leitura
 
Manifesto em defesa_da_biblioteca_escolar
Manifesto em defesa_da_biblioteca_escolarManifesto em defesa_da_biblioteca_escolar
Manifesto em defesa_da_biblioteca_escolar
 
Cultura e artes
Cultura e artesCultura e artes
Cultura e artes
 
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolaresReflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
 
Feira do livro e da literatura.compact
Feira do livro e da literatura.compactFeira do livro e da literatura.compact
Feira do livro e da literatura.compact
 
Leitura@Tecnologia
Leitura@TecnologiaLeitura@Tecnologia
Leitura@Tecnologia
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Sociologia livro didático público
Sociologia   livro didático públicoSociologia   livro didático público
Sociologia livro didático público
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
Bibliotecas escolares oei chile 2015
Bibliotecas escolares oei chile 2015Bibliotecas escolares oei chile 2015
Bibliotecas escolares oei chile 2015
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
 
Curso de eduacao fisica
Curso de eduacao fisicaCurso de eduacao fisica
Curso de eduacao fisica
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Antologia de textos de Filosofia
Antologia de textos de FilosofiaAntologia de textos de Filosofia
Antologia de textos de Filosofia
 

Mais de Alexsandro Menezes da Silva

Aula- Literatura branca e cinzenta e fontes confiáveis de pesquisa
Aula-   Literatura branca e cinzenta e fontes confiáveis de pesquisaAula-   Literatura branca e cinzenta e fontes confiáveis de pesquisa
Aula- Literatura branca e cinzenta e fontes confiáveis de pesquisa
Alexsandro Menezes da Silva
 
Aula - Fontes de informação na internet: periódicos eletrônicos e sites gove...
Aula -  Fontes de informação na internet: periódicos eletrônicos e sites gove...Aula -  Fontes de informação na internet: periódicos eletrônicos e sites gove...
Aula - Fontes de informação na internet: periódicos eletrônicos e sites gove...
Alexsandro Menezes da Silva
 
Aula- Fundamentos de avaliação, credibilidade e pertinência das fontes de inf...
Aula- Fundamentos de avaliação, credibilidade e pertinência das fontes de inf...Aula- Fundamentos de avaliação, credibilidade e pertinência das fontes de inf...
Aula- Fundamentos de avaliação, credibilidade e pertinência das fontes de inf...
Alexsandro Menezes da Silva
 
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Alexsandro Menezes da Silva
 
Tesauro uma análise terminológica das revoluções e movimentos revolucionários...
Tesauro uma análise terminológica das revoluções e movimentos revolucionários...Tesauro uma análise terminológica das revoluções e movimentos revolucionários...
Tesauro uma análise terminológica das revoluções e movimentos revolucionários...
Alexsandro Menezes da Silva
 
Memória escolar
Memória escolar Memória escolar
Memória escolar
Alexsandro Menezes da Silva
 

Mais de Alexsandro Menezes da Silva (6)

Aula- Literatura branca e cinzenta e fontes confiáveis de pesquisa
Aula-   Literatura branca e cinzenta e fontes confiáveis de pesquisaAula-   Literatura branca e cinzenta e fontes confiáveis de pesquisa
Aula- Literatura branca e cinzenta e fontes confiáveis de pesquisa
 
Aula - Fontes de informação na internet: periódicos eletrônicos e sites gove...
Aula -  Fontes de informação na internet: periódicos eletrônicos e sites gove...Aula -  Fontes de informação na internet: periódicos eletrônicos e sites gove...
Aula - Fontes de informação na internet: periódicos eletrônicos e sites gove...
 
Aula- Fundamentos de avaliação, credibilidade e pertinência das fontes de inf...
Aula- Fundamentos de avaliação, credibilidade e pertinência das fontes de inf...Aula- Fundamentos de avaliação, credibilidade e pertinência das fontes de inf...
Aula- Fundamentos de avaliação, credibilidade e pertinência das fontes de inf...
 
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
 
Tesauro uma análise terminológica das revoluções e movimentos revolucionários...
Tesauro uma análise terminológica das revoluções e movimentos revolucionários...Tesauro uma análise terminológica das revoluções e movimentos revolucionários...
Tesauro uma análise terminológica das revoluções e movimentos revolucionários...
 
Memória escolar
Memória escolar Memória escolar
Memória escolar
 

Último

EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 

Último (20)

EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 

Biblioteca Escolar

  • 1. BIBLIOTECAS E CENTROS DE INFORMAÇÃO Profº Alexsandro Menezes da Silva Especialista em Planejamento e Gerenciamento de Sistemas de Informação Bacharel em Biblioteconomia Curso Técnico em Biblioteca
  • 4.  Aprender a conhecer;  Aprender a fazer;  Aprender a Viver;  Aprender a ser;
  • 5. O que também significa: aprender a aprender, para beneficiar-se das oportunidades oferecidas pela educação ao longo de toda a vida.” (DELORS, 1998 p. 101)
  • 7. “A fim de adquirir de maneira ampla, competências que tornem a pessoa apta a enfrentar numerosas situações e a trabalhar em equipe, além de aprender a fazer, no âmbito das diversas experiências sociais ou de trabalho, sejam estas espontaneamente ou o meio do ensino aliado ao trabalho. (DELORS, 1998)
  • 9. “desenvolvendo a compreensão do outro e a percepção das interdependências — realizar projetos comuns e preparar-se para gerir conflitos — no respeito pelos valores do pluralismo, da compreensão mútua e da paz.” (DELORS, 1998 P. 102)
  • 11. “Para melhor desenvolver a sua personalidade e estar à altura de agir com cada vez maior capacidade de autonomia, de discernimento e de responsabilidade pessoal” (DELORS, 1998 P. 102)
  • 14. A Biblioteca Escolar é um espaço democrático, conquistado e construído através do fazer coletivo (alunos professores e demais grupos sociais). Sua função básica é a transmissão da herança cultural às novas gerações de modo que elas tenham condições de reapropriar-se do passado enfrentar os desafios do presente e projetar-se no futuro. (SILVA, 1995 p. 7 apud LANZI; VIDOTTI; FERNEDA, 2013, p. 29)
  • 15.  Promover serviços de apoio à aprendizagem aos alunos;  Proporcionar o contato dos estudantes com os recursos informacionais diversos;  Promover o pensamento crítico e autônomo;  Estimular a leitura e a pesquisa como práticas comuns no entre os membros da Comunidade Escolar.
  • 16.  Formação de leitores;  Formação da Competência Informacional;  Análise do perfil de usuários;  Desenvolvimento de coleções apropriadas;  Interação com a comunidade escolar;  “Dessacralização” do Livro;  “Dessacralização” da Biblioteca.
  • 17. “ De resto, se eles repelem os livros e, além disso, a escrita, algumas vezes com raiva, uma parte desses meninos pensa que existe nesses objetos um segredo do qual estão privados – isso resulta em sofrimento, mesmo se eles dão o troco. Como este jovem motorista de táxi recorda:” (Trecho da Obra A arte de ler de Michèle Petit, 2009 p. 268)
  • 18. “Na escola, malhávamos àqueles que gostavam de ler. Acho que no fundo era inveja: perguntávamo-nos o que podia haver de bom no livros?” (Trecho da Obra A arte de ler de Michèle Petit, 2009 p. 268)
  • 19. “ Quando os excluídos não tem uma cultura-revolta, entendida como consciência crítica dos povos, quando eles têm que se contentar com ideologias retrógradas, com shows...que estão longe de satisfazer sua demanda de prazer, eles se tornam baderneiros” (PUYELO, apud PETIT, 2009 p. 267)
  • 20.  Desigualdades;  Apoio teórico emocional;  Pouca demanda pelos serviços;  Desatualização Profissional;  Pouca familiaridade com processos gerenciais;  Não considera a formação de leitores como objetivo máximo de seu trabalho;  Desacordo com Professores.
  • 21. “Quando o Bibliotecário desenvolve uma proposta de trabalho em parceria com o professor, com um plano de pesquisa previamente definido, ela deixará de ser um trabalho de cópia para se tornar conhecimento a partir de práticas de leitura (oral e textual) e escrita promovidas pela Biblioteca.” (LANZI; VIDOTTI; FERNEDA, 2013, p. 98)
  • 22. Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
  • 23. Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
  • 24. Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
  • 25. Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
  • 26. Biblioteca Colégio Marista Arquidiocesano
  • 28. Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
  • 29. Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
  • 30. Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
  • 31. Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
  • 32. Sala de Leitura Escola Estadual de São Paulo
  • 34. “A Biblioteca e qualquer Unidade de Informação, é um tipo de organização e, como tal, necessita ser estruturada, administrada, organizada e/ou recriada, visando atingir os objetivos que se propôs a alcançar” (LANZI; VIDOTTI; FERNEDA, 2013, p. 73)
  • 35.  Reorganizar suas práticas;  Falar na mesma Linguagem que os alunos;  Incentivar o protagonismo juvenil;  Relacionar e trabalhar com suportes diversos.
  • 40. Disposição em lugares estratégicos, estantes expositoras, novidades em evidencia.
  • 41. Projetos de leitura em família, malas de livros, etc.
  • 42. Sempre estar atento às novidades e buscar meios de captação de recursos para viabilizar a renovação e atualização do acervo, objetos digitais também são boas opções.
  • 43.  ; Quando o aluno vê sua produção incorporada ao acervo ele se vê como produtor de Cultura. (PERROT, 2011)
  • 44. Paredes e tetos claros, com contrastes de cores alegres, frases de autores conhecidos murais ou mosaicos produzidos por alunos etc.
  • 45.  Liberdade para visitar a Biblioteca;  Acesso livre ao acervo;  Locais de convivência;  Sentimento de pertencimento.
  • 46. Planejamento de dinâmicas e interações direcionadas para momentos vagos.
  • 47. Histórias transmitem valores e podem dar “vida” ao acervo, mexem com a imaginação e podem ser excepcionais ferramentas para incentivar a leitura.
  • 48. Debates auxiliam no desenvolvimento do senso crítico, formulam relações e transcende o simplismo dado aos assuntos pelos meios de comunicação em massa, governo, escola etc.
  • 49. Saraus são momentos descontraídos e uma excelente maneira de apresentar a leitura de uma forma menos ortodoxa.
  • 51.  15 milhões de alunos estudam em escolas sem Bibliotecas;  Em 2010 35% das UE de E.F e 72% de E.M não possuíam Bibliotecas;  99 U.E precisam ser criadas (cerca de 34 por dia).
  • 52.  Programa Nacional Biblioteca da Escola: Programa em nível Federal que prevê a Distribuição de acervos para alunos e Professores das escolas públicas ou particulares sem fins lucrativos  Programa Nacional Biblioteca Escolar Indígena: Programa em nível Federal que prevê a Distribuição de acervos para alunos e Professores de comunidades indígenas.
  • 53.  LEI 12.244 de 24 de maio de 2010 Ementa: Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País;  Resolução Secretaria Estadual de Educação nº 15 de fevereiro de 2009. Ementa: Dispõe sobre a criação e organização de Salas de Leitura nas escolas da rede estadual de ensino;  RIO GRANDE DO SUL. Lei 8.744 de 9 de novembro de 1988. Ementa: Cria o Plano de Expansão da Rede de Bibliotecas de Escolas Públicas, estabelece o horário semanal de leitura nas escolas do Sistema Estadual de ensino e dá outras providências;  RIO GRANDE DO SUL. (Constituição) Art. 218 - O Estado manterá um sistema de bibliotecas escolares na rede pública estadual e exigirá a existência de bibliotecas na rede escolar privada, cabendo-lhe fiscalizá-las.
  • 54. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 20 jan. 2014; BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 9 jan. 1991. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf >. Acesso em: 20 fev. 2014; BRASIL. Lei nº 12.244, de 24 de maio de 2010. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 24 maio 2010. Disponível em: < http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/823116/lei-da-biblioteca-escolar-lei- 12244-10 > . Acesso em: 15 mar. 2014. BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO/ MINISTÉRIO DA CULTURA. Plano Nacional do Livro e Leitura. Brasília: Câmara Setorial do Livro, Leitura e Literatura, 2006. Disponível em: <http://www.pnll.gov.br/>. Acesso em: 27 out. 2008. DELORS, J. Educação um tesouro a descobrir: relatório para UNESCO da Comissão Internacional Sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 1998;
  • 55. FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES E INSTITUIÇÕES BIBLIOTECÁRIAS. Diretrizes da IFLA/UNESCO para bibliotecas escolares. [S.l]. Disponível em: < http://www.ifla.org/files/assets/school-libraries-resource- centers/publications/school-library-guidelines/school-library-guidelines-pt.pdf> Acesso em: 16 mar. 2014. LANZI, L. A. C; VIDOTTI, S. B. G.; FERNEDA, E. A biblioteca escolar e a geração de nativos digitais: construindo relações. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013. SÃO PAULO. Secretaria de Estado da Educação. Resolução 15, de 18 de fevereiro de 2009. Diário Oficial do Estado de São Paulo. São Paulo, 18 fev. 2009. Disponível em: < http://www.crmariocovas.sp.gov.br/Downloads/SL/Resolucao_SEE_18.02.09.pdf> . Acesso em: 15 mar. 2014.