SlideShare uma empresa Scribd logo
Minicurso 2: Catalogação em RDA
Conteúdo:
Introdução à RDA;
Objetivos, características e desenvolvimento;
Novos Princípios da Catalogação
Modelos Conceituais;
Estrutura da RDA;
Exemplos.
Prof. Fernando Modesto
fmodesto@usp.br
1. Final anos 1990, IFLA coordena a revisão do novo marco da
catalogação.
2. Requisitos Funcionais para Registros Bibliográficos (FRBR,
1998);
3. Descrição Bibliográfica Internacional Normalizada (ISBD,
2007);
4. Requisitos Funcionais para Dados de Autoridade (FRAD,
2009);
5. Princípios Internacionais de Catalogação (PIC, 2009);
6. Requisitos Funcionais para Dados de Autoridade de Assunto
(FRSAD, 2011).
http://www.ifla.org/
Documentos Básicos
Enquanto responsáveis pela organização
da informação temos a obrigação de
conhecer o atual contexto internacional
da catalogação.
Utilizar a nova terminologia
incluída nos PIC, FRBR e seus
documentos derivados.
Para implementar RDA:
estrutura e conteúdo responde
ao modelo do FRBR e as
diretrizes do PIC.
Por que revisar e conhecer estes documentos?
Resource Description and Access
Recursos: Descrição e Acesso
Conjunto de normas que orientam a
descrição, considerando os atributos
que o usuário necessita (identificar e
relacionar).
Não é só nova arrumação das regras
catalográficas, mas a reconceituação dos
processos catalográficos e do catálogo à
luz do universo bibliográfico.
RDA orientada às
necessidades do Usuário
Encontrar
Identificar
Selecionar
Obter
Os Recursos
1997 – Na Conferência Internacional sobre os Princípios e Futuro do
Desenvolvimento do AACR2, Toronto – Canadá.
2004 – Início do desenvolvimento do AACR3, Joint Steering
Committee for the revision of AACR.
2005 – Mudança da AACR3 para RDA.
2010 – Publicação da RDA.
Surgimento
Características
❖ Padrão de conteúdo e não de apresentação.
❖ Descrição de dados é independente da apresentação dos dados.
❖ Não é necessário utilizar a pontuação ISBD, nem o formato MARC.
❖ Não estruturada com as áreas da ISBD.
❖ Não se organiza por tipo de material.
❖ Ênfase no juízo e experiência do catalogador (política escrita de
catalogação).
❖ Abrange todos os tipos de recursos (digitais e analógicos).
❖ Cobertura para todos os tipos de formatos e conteúdos.
❖ Inclusão de outras comunidades:
▪ Arquivologia, Museologia, Editores, Livrarias, Provedores de serviço de
informação;
▪ Comunidade de metadados (Dublin Core).
Desenvolvimento
Impacto da aplicação
o Diagnóstico local;
o Política de catalogação;
o Modificação da documentação de
trabalho;
o Projeto de Implantação;
o Desenvolver ou Compartilhar
Controle de Autoridades;
o Atualização do Software.
Projeto de Implementação
Definir o objetivo e finalidade;
Assinalar etapas:
1 – Sensibilizar a importância e
capacitação dos catalogadores;
2 – Elaborar revisão de políticas de
catalogação adotadas;
3 – Redesenho do OPAC e evolução de
sua aplicação.
Recomendações de Implementação
▪ Conhecer os conceitos FRBR e FRAD
▪ Reconhecer os termos da RDA e as diferenças
com o AACR2
▪ Conhecer as instruções RDA
▪ Familiarizar-se com RDA Toolkit
▪ Ajustar documentação local (procedimentos,
políticas, modelos etc.)
▪ Mudança de hábito dos catalogadores
▪ Programa de educação continuada
▪ Custo de capacitação dos catalogadores
▪ Compartilhar mudanças com outras áreas da
biblioteca
▪ Gerenciar a produção durante o processo de
implantação.
O catálogo bibliográfico
▪ Não altera a classificação.
▪ Usado com MARC 21 ou outros
formatos.
▪ Registro de autoridade modifica-se
com novos campos.
▪ Registros bibliográficos mais
extensos, pela exclusão de
abreviaturas e da restrição do
número de autores; e pela inclusão
de novos campos MARC 21.
▪ Sistemas de bibliotecas têm que
considerar novos conceitos do
universo bibliográfico descrito com
a RDA.
Princípios de
catalogação
Princípios Internacionais de Catalogação – PIC, 2009
• São orientações sob os quais se baseiam os códigos de catalogação.
• Princípios de Paris – 1961  orientado os catálogos em fichas.
• Avanços tecnológicos desde período foram grandes, com os
catálogos tendo outro aspecto e organização, apesar das funções
básicas seguirem as mesmas.
• IFLA revisa os Princípios para adaptar a catalogação à realidade
atual.
• 2003 – revisão do Princípios, por meio da Divisão IV do Controle
Bibliográfico da IFLA, Seção de Catalogação.
• Por meio de Reuniões de Especialistas em Catalogação (IFLA
Meeting of Experts on an International Cataloguing Code) organizadas
por áreas regionais no mundo.
IFLA MEETING OF EXPERTS ON AN INTERNATIONAL CATALOGUING CODE - IME ICC
IME ICC 1 – Europa - 2003 Berlim
IME ICC 2 – América Latina - 2004 Buenos Aires
IME ICC 3 – Oriente Médio - 2005 Egito
IME ICC 4 – Ásia - 2006 Coreia do Sul
IME ICC5 – África - 2007 África do Sul
Princípios Internacionais de Catalogação – PIC, 2009
Baseado nos seguintes princípios:
Conveniência do usuário do catálogo.
Uso comum.
Representação.
Precisão.
Suficiência e necessidade.
Significância.
Economia.
Consistência e padronização.
Integração.
Princípios Internacionais de Catalogação – PIC, 2009
Conveniência do usuário.
Uso comum.
Representação.
Precisão.
Suficiência e necessidade.
Significância.
Economia.
Consistência e padronização.
Integração.
A criação das descrições e controle de autoridade
para os acessos, devem levar em conta os usuários.
Vocabulários adotado nas
descrições e acesso deve estar em
concordância com a maioria dos
usuários.
Descrição e formas de controle
de autoridade baseados na
maneira em que estas
entidades se descrevem a si
mesmas.
Entidade descrita deve ser
fiel à representação.
Descrição e controle de autoridade
para acesso devem incluir os elementos
necessários para satisfazer as tarefas
dos usuários e são essenciais para
identificar uma entidade.
Elementos de dados devem ser
significativos bibliograficamente.
Preferência ao
favorecimento da economia
em conjunto (isto é, o menor
custo ou o planejamento mais
simples.
Normalizar as descrições e a
criação de pontos de acesso o
máximo possível.
Descrição de todo tipo de material e formas de
controle de autoridade de todo tipo de entidade
deve se basear em um conjunto comum de regras.
Princípios Internacionais de Catalogação – PIC, 2009
Comprende:
❖ Alcance: códigos, catálogos de bibliotecas, datos bibliográficos e
de autoridades, bibliografias e outros arquivos de dados
❖ Principios Gerais
❖ Entidades, Atributos e Relações de acordo com os modelos
conceituais: FRBR, FRAD e FRSAD
Objetivos e Funções do Catálogo: ser instrumento eficaz e
efetivo que permita ao usuário:
➢ encontrar
➢ identificar
➢ selecionar
➢ adquirir ou obter
➢ navegar
Também compreende:
Princípios de catalogação
Objetivos do Catálogo
PANIZZI (Séc. XIX)
Reunir recursos iguais e diferenciá-los
dos parecidos.
CUTTER (1876)
Buscar
Reunir
Selecionar
Ranganathan
(The five laws of Library Science, 1931)
Os libros são para uso.
A cada leitor o seu livro.
A cada livro o seu leitor.
Poupar o tempo do leitor.
A biblioteca é um organismo em crescimento.
PRINCIPIOS DE PARIS (IFLA,1961)
Catálogo como instrumento para determinar:
➢ Se a biblioteca tem um determinado livro,
segundo seu autor e título (próprio ou indicado).
➢ Quais as obras de um determinado autor e
quais das edições de uma determinada obra
tem na biblioteca.
Modelos conceituais
Frbr
Frad
Edição em inglês publicada em 1998; a tradução ao español em 2004; tradução ao
portugués (Portugal) em 2008.
FRBR: modelo conceitual que representa o universo bibliográfico,
com suas diferentes entidades que se relacionam entre si e que
podem ser descritas através de distintos elementos ou atributos.
O modelo inclui:
o Tarefas do usuário (localizar, identificar, selecionar, obter)
o Três grupos de entidades (as coisas que compõem o universo)
o Características das entidades (atributos / elementos)
o Relações entre as entidades
Prover um marco estrutural, claramente definido, para relacionar os dados
incluídos nos registros bibliográficos com as necessidades dos usuários.
FRBR - Tarefas de Usuários
ENCONTRAR Entidades que correspondem aos critérios de busca
formulados.
IDENTIFICAR Confirmar que a entidade descrita corresponde à
entidade procurada ou distinguir entre entidades com
características comuns.
SELECIONAR Entidade apropriada às necessidades do usuário (no
que se refere a conteúdo, formato físico, etc., ou
recursar inadequadas).
OBTER Acesso à entidade descrita
Três palavras-chave do FRBR
ENTIDADE
ENTIDADE
Relações
ATRIBUTOS
Título: O alienista
Data: 1998
Entidade: as coisas ou objetos que devemos representar.
Atributos são as características, é o que nos permite
descrevê-las.
Relações são os vínculos ou as interações que se produzem
entre duas ou mais entidades.
Entidades do FRBR
Entidades do Grupo 1:
Obra, Expressão, Manifestação, Item
Entidades do Grupo 3:
Grupos 1 e 2
Conceito, Objeto, Evento, Lugar
Entidades do Grupo 2:
Pessoa, Entidade corporativa
Obra
Expressão
Manifestação
Item
é realizada por
é incorporada em
é exemplificada por
Nível conceitual
Nível físico
FRBR – Entidades do Grupo 1
É percebida por meio da
Ganha existência na
No contexto de “quem escreveu o texto”, significa alto nível de abstração, o conteúdo
conceitual implícito a todas as versões linguísticas, a história contada no texto, as ideias na
cabeça do autor para o texto. FRBR chama isso de Obra.
O texto no contexto idioma original como o autor o escreveu
ou no contexto de quem traduziu (texto em uma língua
específica). FRBR chama de expressão.
Ao comprar o livro (suporte), sabemos ISBN, quem
editou e data, se está em boas condições ou faltar
páginas. FRBR chama de manifestação
Livro descrito como objeto físico de posse da biblioteca, os FRBR
chamam objeto de item
Entidades do Grupo 1
Obra: Criação intelectual ou artística diferenciada
Expressão: Realização intelectual ou artística de uma
obra em diferentes formas (texto, imagem, som, etc.)
Manifestação: Materialização física da expressão de uma obra
Porto Alegre : LPM, 1998.
Item: Um exemplar determinado de uma manifestação
Biblioteca Nacional Biblioteca Mario de Andrade
Atributos das entidades do Grupo 1
Obra:
Título
Forma
Data
Outras características distintivas
Finalização prevista
Tipo de público
Manifestação:
Título
Indicação de responsabilidade
Edição
Imprenta (distribuição, publicação etc.)
Tipo suporte/extensão do suporte
Condições de disponibilidade
Modo de acesso
etc.
Expressão:
Título
Forma do conteúdo
Data
Língua
etc.
Item:
Identificador
Procedência
Localização
etc.
Atributos das obras e expressão na RDA
Atributos das manifestações na RDA
Entidades do Grupo 2
Pessoa Entidade
Corporativa
Representam os responsáveis pelo conteúdo intelectual ou
artístico, a produção física e difusão ou a custódia das
Entidades do Grupo 1.
24
Obra
Expressão
Manifestação
Item
Pessoa
Entidade
Coletiva
é criada por
é percebida por meio da
é produzida por
é propriedade de
Entidades do Grupo 2 - FRBR
Entidades (pessoas e organizações) relacionadas
às entidades do Grupo 1.
Refletem o papel do Grupo 2 com o Grupo 1
Destaca a importância dos termos relacionados
(relator terms)
Responsáveis por
Atributos das entidades do Grupo 2
Entidades do Grupo 3
• Conceito
• Objeto
• Acontecimento
• Lugar
• Grupos 1 e 2
Apresentam um conjunto adicional de entidades que se
utilizam como assuntos das obras.
Entidades do Grupo 3
Lugar, direção com o mais amplo alcance
Conceito, faz referência a uma idea ou noção abstracta.
Objeto, a uma coisa material, incluí tanto objetos
animados como inanimados.
Acontecimento, concebido como um evento ou uma
ação ou ocorrência.
Biblioteconomia Arquivologia
Estante Granito
Jogos Olímpicos, 2016
Manaus Rio de Janeiro
Grupo 3: entidades e relações
de asuntos.
Obra
Expressão
Manifestação
Item
Pessoa
Entidade Coletiva
Conceito
Objeto
Evento
Lugar
Obra
tem como assunto
tem como assunto
tem como assunto
São os assuntos da obra.
Ex. pode se ter uma obra sobre
outra obra ou uma obra sobre
pessoa ou organização.
Relacionamentos bibliográficos
Relacionamentos:
de conteúdo
todo/parte
parte/parte
Obra x Assunto
Atributos das entidades do Grupo 3
Usuário: Tento encontrar Harry Potter e o Enigma do Príncipe ...
Ao buscar uma ficção resulta
em um grupo de registros de
Obra com autor, título e
assunto
Fiction Finder é um produto da OCLC Research Alison Hitchens, 2011
Usuário: Eu quero ler Harry Potter e o Enigma do Príncipe em espanhol
Há mais de uma opção
de idioma
Há mais de um
formato
Ao encontrar uma Ficção permite que o usuário
escolha uma expressão Hitchens, 2011
Usuário: eu quero lê-lo em brochura
Estes atributos
pertencem à
manifestação e
permite que o
usuário selecione o
recurso.
Hitchens, 2011
Usuário: Onde posso obter uma cópia?
Esta informação
refere-se ao item, a
cópia física que o
usuário vai ler. Ela
permite ao usuário
obter o recurso.
Fonte da imagem: OCLC WorldCat Hitchens, 2011
Relações gerais
ENTIDADE – G1
ENTIDADE – G2
RELAÇÕES
Atributos
Título: Gabriela
cravo e canela
Data: 2012
Atributos
Nome: Jorge Leal Amado de
Faria
Data Nasc. :1912-2001
Ocupação: Escritor
De característica ampla e que se estabelece entre
as entidades dos diferentes grupos, por exemplo:
entre a entidade obra do grupo 1 e a pessoa do
grupo 2 que se relacionam porque a pessoa do
grupo 2 é a criadora da obra.
Relações específicas
Entidad-G1
Entidad-G1
Atributos
Título: La casa verde
Idioma: Espanhol
Data: 1975
Atributos
Título: The green house
Idioma: Inglês
Data: 1978
Relações
Se apresentam entre as entidades de um mesmo grupo.
Por exemplo entre duas expressões de uma mesma
obra, a partir da tradução de uma obra, ou entre as
distintas manifestações de uma mesma obra, como é o
caso das distintas edições.
Relações FRBR: Obra – Obra
Novela da TV, 1975. Filme, 1983
Obra de teatro, 2016
Romance, 1958
Derivado
de
020 $a 0521361834 Identificador de manifestação
100 1# $a Montesquieu, Charles-Louis de
Secondat, $c Baron de La Brède et de,
$d 1689-1755 $e autor
Pessoa física ‘criado por’ relação
com a obra
240 10 $a De l’esprit des lois. $l Inglês $a = Obra $l = Expressão
245 14 $a The spirit of the laws / $c Montesquieu ;
traduzido e editado por Anne M.
Cohler, Basia Carolyn Miller, Harold
Samuel Stone
Manifestação
260 ## $a Cambridge ; $a New York : $b
Cambridge University Press, $c 1989
Manifestação
300 ## $a xlvii, 757 p. : $b ill, ; $c 22 cm. Manifestação
500 ## $a Tradução de: De l’espirit des lois. Expressão
650 0# $a Ciência política
650 0# $a Direito $x Filosofia
Conceito
Relação “de assunto’ com a obra
700 1# $a Cohler, Anne M. $e tradutor
700 1# $a Miller, Basia Carolyn $e tradutor
700 1# $a Stone, Harold Samuel, $d 1949 $e tradutor
Pessoa física
Relação de ‘realizado por’ com
esta expressão
OLIVER, C.(2011)
Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD -
2009
Tarefas do Usuário
Encontrar (uma entidade)
Identificar (uma entidade)
Contextualizar (esclarecer a relação entre as entidades)
Justificar (razão pela escolha dos dados)
O que é?
• IFLA Working Group on Functional Requirements
and Numbering of Authority Records (FRANAR)
• Extensão e expansão do modelo FRBR para o
conjunto de dados que suportam o controle de
autoridade.
Tarefas do Usuário
Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD
Para criadores de dados de autoridade e usuários que utilizam a informação de
autoridade.
Encontrar: entidade ou conjunto de entidades correspondente a determinado
critério (encontrar uma entidade única ou um conjunto delas utilizando como critério de busca, um dos
seus atributos ou combinação de atributos ou relações de entidade).
Identificar: confirmar que a entidade representada corresponde a entidade
buscada. Distinguir entre duas ou mais entidades que têm características similares; ou validar a forma do
nome que pode ser usada como ponto de acesso controlado
Contextualizar: indicar uma pessoa, entidade corporativa, obra etc., no seu
contexto; esclarecer a relação entre duas ou mais pessoas, entidades corporativas,
etc, e o nome pelo qual estas entidades são conhecidas.
Justificar: documentar o motivo pelo qual o criador dos dados de autoridade tenha
escolhido o nome ou a forma do nome no qual se baseia um ponto de acesso
controlado.
Modelo FRAD
Entidades:
• Entidades FRBR
• Nome
• Identificador
• Ponto de Acesso
Controlado
• Regras
• Agências
Entidades bibliográficas
São conhecidas por
Nomes e/ou identificadores
Pontos de acesso controlados
Entidade nome: nomes de pessoas, de entidades coletivas, de família, nomes comerciais, e os títulos de obras e de
suas manifestações.
Entidade identificador: um código ou outra designação que indica o tipo de identificador. Inclui uma cadeia
alfanumérica ou numérica que designa o sistema aplicado (ISBN, ISSN, ISRC etc.).
No processo de catalogação os nomes e os identificadores são usados como base para a construção de pontos
de acesso controlado.
Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD
Preve elementos de identificação específica para descrever pessoas, famílias e
entidades corporativas.
Nem todos estes atributos são utilizados nos pontos de acesso autorizados,
porém auxiliam a identificar as entidades e podem ser usados em futuras
visualizações de maneiras novas e criativas.
Datas associadas à pessoa
Título da pessoa
Gênero *
Lugar de nascimento *
Lugar de falecimento *
País *
Lugar de residência *
Afiliação *
Endereço *
Língua da pessoa *
Área de atividade
Profissão (ocupação)
Biografia *
Outra informação associada com a pessoa
Atributos dos dados de Autoridade: Pessoa
Alguns atributos são considerados do FRBR e outros
são dados próprios de autoridade, provêm da
análise dos dados identificados e definidos nos
documentos, como: FRBR, GARR, MARC, UNIMARC.
Nem todos são obrigatórios.
Relações entre Pessoas, Famílias e Entidades Corporativas
Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD
Tipos de Entidades Exemplo de Tipos de Relação
Pessoa = Pessoa
Relação de pseudônimo
Relação Religiosa
Relação de Cargo
Relação de Atribuição
Relação de Colaboração
Relação de Irmandade
Relação de Pai e Filho
Pessoa = Família
Pessoa = Entidade Corporativa
Pessoa = Família
Família = Entidade Corporativa
Entidade Corporativa = Entidade Corporativa
Relação de Filiação
Relação de Filiação/pertencimento
Relação genealógica
Relação de Fundação
Relação de Propriedade
Relação hierárquica
Relação sequencial
Usando Atributos para Aprimorar a Apresentação
AACR2
Tremblay, Michel, 1942-
Occupation: writer
Tremblay, Michel, 1947-
Field of Activity: pin collector
Tremblay, Michel, 1953-
Occupation: photographer
Tremblay, Michel, 1954-
Affiliation: HEC Montréal
Tremblay, Michel, 1964-
Associated Place: Saskatchewan
Affiliation: Saskatchewan Agriculture and Food
RDA/FRAD
Tremblay, Michel, 1942-
Ocupação: escritor
Tremblay, Michel, 1947-
Campo de atividade: decorador
Tremblay, Michel, 1953-
Ocupação: fotográfo
Tremblay, Michel, 1954-
Afiliação: HEC Montréal
Tremblay, Michel, 1964-
Local Associado: Saskatchewan
Afiliação: Saskatchewan Agriculture and Food
Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD
046: Data especial codificada
370: Lugar associado
371: Endereço
372: Campo de atividade
373: Filiação
374: Ocupação
375: Gênero
377: Língua associada
378: Nome completo
MARC21 de Autoridades
Pessoa Amado, Jorge
Data associada à Pessoa 1912-2001
Título da Pessoa --
Gênero. Masculino
Lugar de Nascimento. Fazenda Auricídia, em Ferradas, distrito de Itabuna, Bahia
Lugar de Falecimento Salvador, Bahia
País Bahia, Brasil
Lugar de Residência Salvador, Bahia, Brasil
Afiliação Grupo Literário Academia dos Rebeldes;
Partido Comunista Brasileiro
Endereço Rua Alagoinha, n. 33, Rio Vermelho,
CEP: 41940-620, Salvador, Bahia, Brasil.
http://goo.gl/ESQ2xp ; http://goo.gl/uUDeIH
Língua da Pessoa Português
Campo de Atividade Literatura
Profissão Escritor; Jornalista, Político
Bibliografia http://www.releituras.com/jorgeamado_bio.asp
Outras informações associada
com a pessoa
Autor entre outras obras de:
Capitães da areia, romance (1937)
Gabriela, cravo e canela, romance (1958)
Dona Flor e Seus Dois Maridos, romance (1966)
Tieta do Agreste, romance (1977)
Atributos Pessoa, controle de autoridade mais trabalhoso e detalhista.
LC control no.: n 80002329
LCCN Permalink: https://lccn.loc.gov/n80002329
HEADING: Machado de Assis, 1839-1908
000 01842cz a2200337n 450
001 1433184
005 20130917160156.0
008 800625n| azannaabn |a aaa
010 __ |a n 80002329
035 __ |a (OCoLC)oca00385024
040 __ |a DLC |b eng |e rda |c DLC |d DLC |d OCoLC |d MnU |d UPB |d NNC |d DLC
046 __ |f 18390621 |g 19080929
053 _0 |a PQ9697.M18
100 1_ |a Machado de Assis, |d 1839-1908
370 __ |a Rio de Janeiro (Brazil) |b Rio de Janeiro (Brazil) |2 naf
374 __ |a Novelists |a Poets |a Dramatists |2 lcsh
375 __ |a male
377 __ |a por
400 1_ |a Assis, Joaquim Maria Machado de, |d 1839-1908
400 1_ |a Assis, Machado de, |d 1839-1908
400 1_ |a De Assis, Joaquim Maria Machado, |d 1839-1908
400 1_ |a De Assis, Machado, |d 1839-1908
400 1_ |a Machado de Assis, Joaquim Maria, |d 1839-1908
667 __ |a Pseudonym not found on published works: Le̕lio, Manasse̕s, Bruxo do Cosme Velho.
670 __ |a Balas de estalo, 1998: |b t.p. (Machado de Assis) p. 19 (pseudonym Le̕lio)
670 __ |a História de quinze dias, 2009: |b t.p. (Machado de Assis) p. 16 (ManasseÌ•s, pseudônimo que
Machado assumiria em todas as crônicas de se̕rie.) p. 65 (Manasse̕s)
670 __ |a Wikipedia, Sept. 17, 2013 |b (Joaquim Maria Machado de Assis; known as Machado de Assis, Machado, or
Bruxo do Cosme Velho; born June 21, 1839 in Rio de Janeiro; died September 29, 1908, Rio de Janeiro;
Brazilian novelist, poet, playwright, short story writer, and advocate of monarchism. Widely regarded as the
greatest writer of Brazilian literature)
952 __ |a RETRO
http://goo.gl/2WxuPF
CASLIS | Hitchens | March 2011 48
MODELOS DE
CATÁLOGOS - EXEMPLO
BN Espanha
Tradicional: http://goo.gl/bTWLBJ
FRBR: http://datos.bne.es/inicio.html
The club of angels / Luis Fernando Verissimo ;
traduzido do português por Margaret Jull Costa.
Autor: Veríssimo, Luís Fernando, 1936-
Idioma(s): English ; Portuguese
Distribuição: London : Harvill, 2001.
Descrição física: 135 p. ; 21 cm.
ISBN: 1860468675
Exercício
Obra
Expressão
Manifestação
Item
é realizada por
é incorporada em
é exemplificada por
Nível conceitual
Nível físico
Obra
Expressão
Manifestação
Item
é realizada por
é incorporada em
é exemplificada por
Nível conceitual
Nível físico
FRBR – Entidades do Grupo 1
The club of angels /
Luis Fernando Verissimo ; traduzido do
português por Margaret Jull Costa.
Autor: Veríssimo, Luís Fernando, 1936-
Distribuição:London : Harvill, 2001.
Do original: O clube dos anjos
Descrição física: 135 p. ; 21 cm.
ISBN: 1860468675
O clube dos anjos
Língua: Português
The club of angels
Inglês
Texto
Tradução de Margaret Jull Costa
O Clube dos Anjos
Obra
Veríssimo, Luís Fernando, 1936 -
O Clube dos Anjos
Português
Literatura
Brasileira
Veríssimo, Luís Fernando, 1936 -
Expressão
Inglês
Manifestação
Costa, Margaret Jull, 1949-
The Club of angels
Veríssimo, Luís Fernando, 1936 -
O Clube dos Anjos
The Club of angels
First edition, Harvil
Harvil
London
2001
ISBN 0811215008
(ISBN13: 9780811215008)
[CONCEITO]
Tem ponto de acesso
autorizado
Na língua
É realizada
Tem Tradução
Tradução de
Tem tradutor
Traduzido por
Na língua
[PESSOA]
[Conceito]
Tem etiqueta
[Ponto de Acesso
Autorizado]
Tem autor
[PESSOA]
Ponto de Aceso
Autorizado
Ocupação
Gênero
Residência
Afiliação
Tem título
Tem ponto de acesso
autorizado
Está incorporada em 
incorpora
Tem título principal
Tem edição
Tem Data de
publicação
Tem local de
publicação
É editado por
Tem editor
[Entidade
Coletiva]
Tem identificador
Literatura
Brasileira
[TERMO
CONTROLADO DE
GÊNERO]
Tem etiqueta
[CONCEITO]
Tem gênero
é do gênero
Texto
Tipo de conteúdo
Tem assunto
É assunto
Tem título
[Ponto de Acesso
Autorizado]
Literatura Brasileira
Poesia Brasileira
É incorporada
FRAD
FRAD
FRSADFRSAD
http://viaf.org/
Virtual International Authority File
Arquivo Virtual Internacional de Autoridade
O objetivo é reduzir o custo e aumentar a utilidade dos
arquivos de autoridade das bibliotecas.
Estrutura da
RDA
Minicurso 2: Catalogação em RDA
Conteúdo:
Introdução à RDA;
Objetivos, características e
desenvolvimento;
Modelos Conceituais;
Estrutura da RDA;
Fernando Modesto
fmodesto@usp.br
Manaus, AM
out. 2016
Estrutura da RDA
Estrutura
• Diferente da AACR2.
• Ferramenta para Web.
• Organizada entorno das
tarefas do usuario.
• Contém instruções para
elaborar registros
bibliográficos e criar
pontos de acesso.
• Norma sobre Recursos:
descrição e acesso para
registros bibliográficos
que substitui a AACR2r.
• Melhorar a descrição de
Metadados no apoio à
descoberta de recursos no
ambiente digital.
• Toma como base o FRBR,
e PIC.
O que é?
Resource Description and Access
Descrição de Recurso e Acesso (2009-2010): Prospecto (2008)
Quadro síntese
Estrutura
➢ Corresponde a uma estrutura relacional.
➢ Projetada para o universo digital.
➢ Desenhada para bibliotecas, mas pode ser usadas por outras
comunidades (arquivos, museus, editoras, etc.)
➢ Objetivo de ser compatível com outras formas de metadados.
➢ Sem ligação com nenhuma estrutura ou síntaxe específica.
➢ Usada segundo nível de exaustividade determinado pela
entidade catalogadora.
➢ Compatibilidade com a AACR2 até onde seja possível.
➢ Recomenda a criação de um registro bibliográfico para cada
manifestação.
■ American Library Association
■ Australian Committee on Cataloguing
■ British Library
■ Canadian Committee on Cataloguing
■ Chartered Institute of Library and Information Professionals (CILIP)
■ Library of Congress
Committee of Principals (CoP) supervisiona o projeto como um todo. Membros do CoP:
■ American Library Association
■ Canadian Library Association
■ Chartered Institute of Library and Information Professionals (CILIP)
■ Library of Congress
■ Library and Archives Canada
■ British Library
■ National Library of Australia
Entidades Co-Editoras fornecem suporte financeiro e de produção para o RDA.
■ American Library Association
■ Canadian Library Association
■ CILIP, whose publishing imprint is Facet Publishing (www.facetpublishing.co.uk)
RDA desenvolvida pelo JSC com representantes:
Estrutura
Assinatura anual: $380 dólares (básico para dois ou mais usuários). Assinatura anual por
usuário: $195 dólares. Edição impressa: $150
http://access.rdatoolkit.org/
Estrutura
http://access.rdatoolkit.org/ Estrutura
AACR2 é propriedade conjunta da Associação
Americana de Bibliotecas (American Library
Association), Associação Canadense de Bibliotecas
(Canadian Library Association), e do Instituto Integrado
de Bibliotecas e Profissionais da Profissionais
(Chartered Institute of Library and Information Professionals).
Copyright © 2005 pela ALA, CLA, e CILIP
Ao se inscrever na RDA Toolkit, haveria acesso à AACR2.
Aliviar o impacto da transição da mudança de normas.
O número da regra AACR2 relacionadas à regra RDA.
Estrutura
AACR2 X RDA
• Todo tipo de material
impresso.
• Inapto para recursos
digitais.
• Todos os tipos de
conteúdo e de suporte.
• Recursos digitais (e
impressos).
Parte I organizado pelas
áreas da ISBD
Organizado segundo FRBR
(entidades e relacionamentos)
Estrutura
Estrutura AACR2
20 capítulos e 5 apêndices
Parte I - Descrição
1. Regras Gerais de Descrição
2. Livros, Folhetos e Folhas Impressas
3. Materiais Cartográficos
4. Manuscritos
5. Música
6. Gravações de sons
7. Filmes Cinematográficos e Gravações de Vídeos
8. Materiais Gráficos
9. Recursos Eletrônicos
10. Artefatos Tridimensionais e Realia
11. Microformas
12. Recursos Contínuos
13. Análise
Part II – Pontos de Acesso,
Títulos Uniformes, Remissivas
21. Escolha dos Pontos de Acesso
22. Cabeçalhos para Pessoas
23. Nomes Geográficos
24. Cabeçalhos para Entidades
25. Títulos Uniformes
26. Remissivas
1. Atributos de Manifestação e Item
2. Atributos do Obra e da Expressão
3. Atributos de Pessoa, Família e Entidade Coletiva
4. Atributos de Conceito, Objeto, Evento e Lugar
Registro do Atributos (FRBR/FRAD)
Registro do Relacionamentos (FRBR / FRAD)
5. Relacionamentos primários
6. Relacionamento com Pessoas, Famílias e Entidades
Coletivas associados a um recurso
7. Relacionamentos de Assunto
8. As relações entre obras, expressões, manifestações e
itens
9. As relacionamentos entre Pessoas, Famílias e Entidades
10. Relacionamentos entre Conceitos, Objetos, Eventos e
Lugares
Estrutura RDA – 10 Seções, 37 capítulos e 13 apêndices
http://www.rda-jsc.org/rdafaq.html#4
Estrutura do RDA13 Apêndices
Appendix A. (Maiúscula)
Appendix B. (Abreviações)
Appendix C. (Artigos iniciais)
Appendix D. (Sintaxes de registros para dados descritivos)
Appendix E. (Sintaxes do registro para controle de ponto de acesso)
Appendix F. (Instruções adicionais para nome de pessoas)
Appendix G. (Títulos de nobreza, termos hierárquicos [títulos
honoríficos] )
Appendix H. (Datas no calendário cristão)
Appendix I. (Designadores de relação: relações entre um recurso e pessoas,
famílias e entidades coletivas associadas ao recurso)
Appendix J. (Designadores de relação: relações entre obras, epressões,
manifestações e itens)
Appendix K. (Designadores de relação: relações entre pessoas, famílias e
entidades coletivas)
Appendix L. (Designadores de relação: relações entre conceitos, objetos,
eventos e lugares [não elaborados])
Appendix M. Exemplos completos – registros bibliográficos
http://www.rda-jsc.org/rdaprospectus.html
A Maiúsculas e Minúsculas
B Abreviaturas
C Numerais
D Glossário
E Artigos Iniciais
F Apêndice à Tradução Brasileira
ÍNDICE
Apêndices
Os princípios da RDA
Estrutura do RDA
o Diferenciação: os dados devem diferenciar um recurso de outro.
o Suficiência: os dados devem ser suficientes para que o usuário
possa selecionar o recurso apropriado às suas necessidades.
o Relações: os dados devem mostrar as relações bibliográficas
significativas que existem entre os recursos.
o Representatividade: os dados devem refletir o recurso descrito.
o Precisão: os dados devem ser inequívocos.
o Uso comum: os dados usados, fora do previsto pelo próprio
recurso, devem refletir o uso comum.
Grupo1: Obra, expressão, manifestação, e Item
Seção 1: Atributos de Manifestação e item
Cap. 1 – Registro de Atributos de Manifestação e Itens;
Cap. 2 – Identificação de Manifestação e Item;
Cap. 3 – Descrição de Suporte;
Cap. 4 – Prover Informação sobre Aquisição e Acervo.
Seção 2: Atributos de Obras e expressão
Cap. 5 – Registro de Atributos de Obras e Expressão;
Cap. 6 – Identificação Obras e Expressão;
Cap. 7 – Descrição de Conteúdo.
Seção 5: Registro de Relações Principais entre Obras,
Expressão, Manifestação e Itens.
Seção 8: Registro de Relações entre obras, expressões,
manifestações e Itens.
Estrutura de Organização da RDA  FRBR
Atributo
Entidade
Relações
Estrutura de Organização da RDA  FRAD
Grupo 2: Pessoas, famílias, entidades corporativas
Seção 3: Atributos de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas
Cap. 8 – Diretrizes de Registro de Atributos de Pessoas,
Famílias e Entidades Coletivas;
Cap. 9 – Identificação de Pessoas;
Cap. 10 – Identificação de Família;
Cap. 11 – Identificação de Entidades Coletivas.
Seção 6: Registro de Relações de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas.
Cap. 17 – Orientações Gerais sobre o registro das relações básicas entre obra,
expressão, manifestação e item.
Cap. 18 – Registro de relações de pessoas, famílias e entidades associadas a um
recurso.
Cap. 19 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Obra.
Cap. 20 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Expressão.
Cap. 21 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Manifestação.
Cap. 22 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com um Item.
Seção 9: Registro de relações entre Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas.
Cap. 30 – Pessoas relacionadas.
Cap. 31 – Famílias relacionadas.
Cap. 32 – Entidades Corporativas relacionadas.
Entidade
Atributo
Relações
FRBR/FRAD
Estrutura de Organização da RDA  FRSAD
Grupo 3: Conceitos, Objetos, Eventos, Lugares
Seção 4: Atributos de Conceito, Objeto, Evento e Lugar.
Cap. 12 – Orientações gerais sobre o registro dos atributos conceito,
objeto, eventos, e lugares;
Cap. 13 – Identificação de conceitos;
Cap. 14 – Identificação de objetos;
Cap. 15 – Identificação de Eventos.
(Nenhum capítulo desenvolvido na RDA)
Cap. 16 – Identificação de Lugares [não completa]
Seção 7: Registro de Relações de Conceitos, Objetos, Eventos e Lugares.
Cap. 23 – Diretrizes sobre registro de Assuntos de uma Obra
[Não desenvolvida na RDA]
Seção 10: Registro de relações entre Conceitos, Objetos, Eventos e Lugares.
Cap. 33 – Orientações gerais sobre o registro das relações entre conceito,
objetos, acontecimentos e lugares;
Cap. 34 – Conceitos relacionados;
Cap. 35 – Objetos relacionados;
Cap. 36 – Acontecimentos relacionados;
Cap. 37 – Lugares relacionados.
[Nenhum capítulo desenvolvida na RDA]
Entidade
Atributo
Relações
FRBR/FRSAD
EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item
Tarefas do Usuário
Registro de dados que auxiliam usuário identificar o recurso
Seção 1: Registro dos atributos de manifestação e item
Capítulo 1. Instruções gerais para registrar os atributos de manifestação e item
Capítulo 2. Identificação da manifestação e item
Título principal;
Títulos variantes;
Outras informações sobre o título
Indicação da Edição;
Data de Copyright;
Indicação da Série;
Identificador para Manifestação (ISBN);
Indicação de Publicação (lugar, Editora, Data de publicação)
Notas relacionadas
Registro das características físicas que auxiliam usuário na seleção do recurso
Seção 1: Registro dos atributos de manifestação e item
Capítulo 1. Instruções gerais para registrar os atributos de manifestação e item
Capítulo 3. Descrição de suportes (antes, descrição física)
Tipo de mídia;
Tipo de suporte;
Extensão
Dimensão;
Outros detalhes físicos;
Notas relacionadas
EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item
Tarefas do Usuário
Registro de dados que auxiliam usuário obter o recurso
Seção 1: Registro dos atributos de manifestação e item
Capítulo 1. Instruções gerais para registrar os atributos de manifestação e item
Capítulo 4. Proporcionar informações sobre aquisição e acesso
Termos de disponibilidade (preço);
Informação de contato;
Restrições de acesso
Seção 2: Registrar atributos de obra e expressão
Capítulo 5. Instruções gerais para registrar os atributos de obras e expressões
Capítulo 6. Identificar obras e expressões
Título preferido para a Obra;
Forma da Obra;
Data da Obra;
Tipo de conteúdo;
Linguagem de expressão;
Identificadores (para obra e expressão);
Pontos de acesso autorizado
Restrições de uso;
URL
Registro de dados que auxiliam usuário a identificar o recurso
EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item
Tarefas do Usuário
Registro das características de conteúdo que auxiliam o usuário a selecionar o recurso
Tipo de Público;
Linguagem do conteúdo;
Conteúdo suplementar (índice, bibliográfica)
Seção 2: Registrar atributos de obra e expressão
Capítulo 5. Instruções gerais para registrar os atributos de obras e expressões
Capítulo 7. Descrever o conteúdo
Nome preferido para pessoa;
Data de nascimento;
Sexo;
Lugar de residência;
Nome variante para pessoa;
Profissão ou ocupação;
Identificador para pessoa;
Forma completa do nome;
Cobertura do conteúdo;
Resumo do conteúdo;
Ilustração;
Conteúdo colorido.
Registro de dados que auxiliam o usuário a identificar uma pessoa, família, entidade corporativa
Seção 3: Atributos de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas
Cap. 8 – Diretrizes de Registro de Atributos de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas;
Cap. 9 – Identificação de Pessoas;
Cap. 10 – Identificação de Família;
Cap. 11 – Identificação de Entidades Coletivas.
Língua da pessoa;
Ponto de Acesso Autorizado
EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item
Tarefas do Usuário
Auxiliar as pessoas a encontrar todos os recursos que incorporam as obras específicas
e expressões no recurso, e todos os itens exemplificados pela manifestação.
Seção 6: Registro de Relações de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas.
Cap. 17 – Orientações Gerais sobre o registro das relações básicas entre obra, expressão,
manifestação e item.
▪ Métodos para mostrar as
relações principais.
▪ Identificadores (obra, expressão,
manifestação, item)
▪ Pontos de Acesso Autorizado
(obra, expressão)
▪ Elaboração da Descrição (obra,
expressão, manifestação, item)
100 1_ $a Tolkien, J. R. R. $q (John Ronald Reuel), $d 1892-1973 ,
$e autor
245 14 $a The hobbit / $c J.R.R. Tolkien ; adaptado por Bob Lewis.
260 __ $a St. Paul, Minnesota : $b HighBridge Company,
$c [2001], ℗2001.
300 __ $a 4 audio discos (4 hr., 30 min.) : $b digital ;
$c 4 3/4 in.
336 __ $a spoken word $2 rdacontent
337 __ $a audio $2 rdamedia
338 __ $a audio disc $2 rdacarrier
Tolkien, J.R.R. (John Ronald Reuel), 1892-1973. The hobbit
é a “obra manifestada”
EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item
Tarefas do Usuário
Auxiliar os usuários a encontrar todos os recursos associados a uma determinada
pessoa, família ou entidade coletiva relacionada com o recurso, pelo registro dessas
relações.
Cap. 18 – Registro de relações de pessoas, famílias e entidades associadas a um recurso.
Cap. 19 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Obra.
Cap. 20 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Expressão.
Cap. 21 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Manifestação.
Cap. 22 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com um Item
Pontos de Acesso AutorizadoIdentificadores
Indicadores de Relacionamento
Grupo 2 e Grupo 1 do FRBR.
ENCONTRAR "todos os recursos“, não é apenas localizar o recurso por saber o nome do autor. O maior significado de
ENCONTRAR é a pesquisa e recolha. Palavra-chave de busca – ENCONTRAR é aplicado a tudo na RDA.
ENCONTRAR é a tarefa principal do usuário RDA, isso significa encontrar coisas.
EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item
Tarefas do Usuário
Auxiliar usuários a buscar obras, expressões, manifestações e itens relacionados com o
recurso, registrando essas relações. Ajudar usuários a entender as relações entre duas
ou mais obras, expressões, manifestações, ou itens.
Cap. 24 – Orientações Gerais sobre o registro das relações de Obras, Expressões,
Manifestações e Itens.
Cap. 25 – Obras relacionadas.
Cap. 26 – Expressões relacionadas.
Cap. 27 – Manifestações relacionadas.
Cap. 28 – Itens relacionados.
Pontos de Acesso AutorizadoIdentificadores Indicadores de Relacionamento
Relações entre entidades do Grupo 1; taxonomia de Barbara Tillett - derivada, todo-parte, sequencial, etc.
BUSCAR - pesquisa e escolher ENTENDER - elementos que são mais descritivos.
CONVENÇÕES - identificadores, pontos de acesso autorizado (aqui é onde pode-se usá-los); descrições estruturadas (utiliza a mesma ordem
dos elementos para descrever o recurso); desestruturado (frase ou parágrafo)
Indicadores de relacionamento; Numeração da parte (numeração de Série); outros (alguns em registros bibliográficos, alguns em registros de
autoridade)
Descrição estruturada e não estruturadaNotas de fontes consultadas
Notas do catalogador Explicação dos relacionamentos
Convenções para as relações entre obras e
entre expressões
• Obra
relacionada:
Tolkien, J.R.R. (John Ronald Reuel), 1892-1974. Lord of the rings
• Indicação de
Relacionamento Parodia de (Obra)
700 1_ $i parodia de (obra) $a Tolkien, J. R. R. $q (John Ronald Reuel), $d 1892-1974. $t Lord of the rings
Ponto de Acesso Autorizado:
• Expressão
relacionada:
The concise Oxford companion to Irish literature / editado por Robert
Welch
• Indicaçãorela
• cionamento: resumido como (expressão)
500 __ $a Resumido como: The concise Oxford companion to Irish literature / editado por Robert Welch.
Descrição estruturada:
• Obra
relacionada:
Encontrada ajuda disponível no repositório e on-line.
555 __ $a Encontrada ajuda disponível no repositório e on-line.
• Expressão
relacionada: Também disponível em versão resumida de 45 min.
500 __ $a Também disponível em versão resumida de 45 min.
.
• Manifestação
relacionada: Também produzida em format de Disco Blu-Ray.
530 __ $a Também produzida em format de Disco Blu-Ray.
• Item
relacionado:
Biblioteca possui cópia encadernada com outras 11 canções.
500 __ $a Biblioteca possui cópia encadernada com outras 11 canções.
Convenções para as relações entre obras e
entre expressões
▪ Registros compatíveis com AACR2.
▪ Na maioria dos casos, catalogador não
recatalogar registros antigos.
▪ Instruções da RDA para escolha e forma de
entrada originária do AACR2.
▪ A forma dos cabeçalhos mudam com o RDA,
facilitada pelos sistemas online.
Características
Cabeçalho  Ponto de acesso autorizado
Autor, compositor, artista, etc.  Criador
Entrada principal  Título preferido ou ponto de acesso
autorizado para criador se
apropriado.
Título uniforme  1) Título preferido e alguma
informação diferenciadora;
2) Um título coletivo convencional,
ex: Obras, Simfonias; Poemas
Remissiva ver  Ponto de acesso variante
Remissiva ver também  Ponto de acesso autorizado para
entrada relacionada
Descrição Física  Descrição de suporte
DGM  Três elementos: conteúdo, mídia e suporte.
Fonte principal  Fontes preferidas.
Terminologia
Não prescreve nenhum tipo de
apresentação (entende-se que a
maioria das bibliotecas continuará a
usar as ISBDs).
Apêndice D estabelece diretrizes da
ISBD.
ISBD – pontuação
AACR2 prescreve o uso
de pontuação da ISBD.
Recomendações sugerem que catalogadores busquem especificidade e diferenciação ao
invés de generalização ao descrever um recurso.
RDA e a Estrutura Descritiva
De acordo com FRBR, a RDA 0.6.1 estipula:
No mínimo, um registro que descreva um recurso
deve incluir todos os elementos essenciais
aplicáveis para esse recurso. A descrição também
deve incluir elementos adicionais necessários para
diferenciar o recurso de qualquer outro
semelhante.
0.6.2 Seção 1: Registrando
Atributos da Manifestação e o Item
Título
Indicação de Responsabilidade.
Indicação da Edição:
Numeração da Série
Indicação de Produção
Indicação de Publicação
Indicação de Distribuição
Indicação de Manufatura
Data de Copyright
Indicação de Série
Identificador para manifestação
Tipo de Suporte
Elementos essenciais no RDA
Transcrição de certas pontuações
AACR2 manda substituir "..." e "[ ]" com “–" e "( )"
RDA transcreve essa pontuação como aparece na
manifestação.
AACR2
Ein spatz in der Hand – : Sachgeschichten / Jeanette
Lander.
RDA
Ein spatz in der Hand ... : Sachgeschichten / Jeanette
Lander.
1.1B1
2.3.1.4 – Registro de títulos
1.7.3 Pontuação
Pontuação – Uso de Colchetes
AACR2 1.0C1 : Quando os elementos contiguos dentro de uma área
são postos em colchetes, use apenas um par de colchetes.
260 $a[Manaus :$bUFAM, $c2001]
260 $a[S.l. : $bs.n. ,$c2008]
RDA D.1.2.1: Cada elemento que requer colchete irá com seu
colchete e só será usado quando o dado for de uma fonte externa
ao recurso.
260 $a[São Paulo] :$bEditora Saraiva, $c[2010]
260 $a[Lugar de publicação não identificado] : $b[editor não
identificado] , $c2002.
Sempre se deve incluir a data
Incorreções
AACR2 1.0F1: Assinalar um erro ou incorreção usar [sic] ou a
abreviatura [i.e.] após palavra incorreta, seguida de correção entre
colchete.
245 13 $a La casa sonada [sic]
245 13 $a La casa sonada [i.e. soñada]
RDA 1.7.9; 2.3.1.4
Transcreva os dados tal como aparecem na fonte. Pode esclarecer
no campo 246 (título variante) e se necessá fazer uma nota.
245 13 $a La casa sonada
246 13 $i Título deveria dizer: $a La casa soñada
500 $a O título contém um erro tipográfico.
Abreviações
AACR2 – Apêndice B: Use as abreviaturas para entradas catalográficas de
acordo com as instruções de B.2 – B.8. Use as abreviaturas prescritas em B.9 – B.15.
100 1 $a Cipriani, Juan Luis, $c Arc.
130 0 $a Biblia. $p A.T.
250 $a Ed. rev.
260 $b Springer Pub. Co.
260 $a [S.l. : $b s.n.]
RDA 1.7.8: Aplique as instruções sobre o uso de abreviaturas nos elementos
transcritos no apêndice B (B.4).
100 1 $a Cipriani, Juan Luis, $c Arcebispo
130 0 $a Biblia. $p Antiguo Testamento
250 $a Edição revisada.
260 $b Springer Publishing Company
260 $a [Lugar de publicação não identificado] : $b [editor não identificado]
Abreviações/Pontuação
AACR2 1.0C1: indique uma interpolação (i.e. dados obtidos fora das fontes de
informação prescritas colocando entre colchetes)...
260 $a Manaus, $c 2012 [i.e. 2013]
300 $a 150 p. :$b il. col.,$c 20 cm.
300 $a 2 v. ;$c 23 cm.
300 $a 1 DVD (aprox. 140 min.)
300 $a 1 DVD (ca. 86 min.)
490 $a Documento de trabalho ;$v no. 23
504 $a Inclui referências bibliográficas (p. 124-128) e índice.
RDA D.1.2.1: Instruções Gerais de pontuação...
260 $a Manaus, $c 2012 [isto é 2013]
300 $a150 páginas :$b ilustrações coloridas,$c 20 cm
300 $a 2 volumes ;$c 23 cm
300 $a1 DVD (aproximadamente 140 min.)
300 $a1 DVD (aproximadamente 86 min.)
490 $a Documento de trabalho ;$v número 23
504 $a Inclui referências bibliográficas (páginas 124-128) e índice.
Maiúscula
AACR2 Apêndice A – transcrição de maiúsculas.
245 04 $a O Almanaque Mundial
250 $a1a ed.
490 0 $a Coleção do viajante ; $vv.1, no. 4
RDA 1.7.2 – Transcreva as maiúsculas tal como aparece no recurso que está sendo
catalogado.
245 04 $a O Almanaque mundial (na fonte “mundial” esta sem maiúscula)
250 $a Primera Edição.
490 0 $a Coleção do viajante ; $vVol.1, No. 4
Criação de um Novo Registro
AACR2 21.2 (mudanças no título principal) e 21.3 (mudanças de pessoas ou
entidades responsáveis por uma obra). Havendo mudanças maiores no título ou de
responsabilidades ou de partes das responsabilidades de uma monografia. Também
especifica instruções quando é necessário criar uma nova discrição para publicações
seriadas.
RDA 1.6: Mudanças que Necessitam de uma nova Descrição. Se ocorrer:
o Mudança no tipo de mídia
o Mudança maior no título principal de uma publicação seriada.
o Mudança na responsabilidade de uma publicação seriada.
o Nova base para um recurso integrado.
Níveis de Descrição
AACR2 1.0D – Níveis de detalhamento na descrição. Os elementos da descrição
estipulados nas regras deste capítulo e dos seguintes constituem um conjunto máximo
de informações.
• Primeiro nivel de descrição – 1.0D1
• Segundo nivel de descrição – 1.0D2
• Terceiro nivel de descrição – 1.0D3 –inclui todos os elementos especificadas na
regras.
RDA 0.6 – Elementos Essenciais; 1.3 – Elementos Básicos. A RDA tem elementos
essenciais e elementos básicos.
Elementos essenciais se devem registrar para ser minimamente compatível com a
RDA.
Agregar outros elementos se for necessário para criar diferenciações.
O uso de outros elementos segundo a política da agencia catalogadora.
Níveis de Descrição
AACR2 – 1º nível de descrição – 1.0D1
Título principal
primeira indicação de responsabilidade
Indicação de edição
Detalhes específicos do material
Primeiro editor etc.
Data de publicação etc.
Extensão do item
Notas
Número normalizado
RDA – Elementos Essenciais – 0.6.2 –
Atributos de manifestação e item
Título
Indicação de Responsabilidade.
Indicação da Edição:
Numeração da Série
Indicação de Produção
Indicação de Publicação
Indicação de Distribuição
Indicação de Manufatura
Data de Copyright
Indicação de Série
Identificador para manifestação
Tipo de Suporte
Níveis de Descrição
AACR2 – 2º nível de descrição – 1.0D2
Título principal
[DGM]
Título equivalente
O outras informações sobre o título
Primeira indicação de responsabilidade
Indicações subsequente de responsabilidade
Indicação de edição
Indicação de responsabilidade da edição
Detalhes específicos do material
Primeiro lugar de publicação etc.,
Primeiro editor etc.
Data de publicação etc.
Extensão do item
Outros detalhes físicos
Dimensões
Título da série
Notas
Número normalizado
RDA – Elementos Essenciais – 0.6.2
Título principal é o elemento
esencial
Título equivalente e
outras informações sobre o título
são opcionais.
Fonte de informação
AACR2 1.0A – Fontes de Informação
Cada capítulo da parte I contém a
especificação da fonte principal de
informação para cada material ou
tipo de publicação nele incluído.
A fonte de informação pode ser de
natureza unitária (ex. página de rosto)
ou coletiva (ex. Sequência de créditos
de um filme).
Prefirir a informação encontrada na
fonte principal àquela encontrada em
qualquer outro local.
RDA 2.2.2 – Fontes de Informação
Aplicar instruções dadas em 2.2.2 –2.2.4
para escolha da fonte de informação.
Aplicar igualmente para todos os elementos
incluídos no Capítulo 2 a menos que as
instruções
sobre fontes para o elemento especifiquem
outra forma.
As fontes de informação foram
condensadas em três categorias:
• Recursos que consistem de uma ou mais
páginas, ou cartão) – 2.2.2.2;
• Recursos que consistem de Imagens em
Movimentos (tangíveis, online, outros
recursos) – 2.2.2.3;
• Outros recursos – 2.2.2.4
Elementos do Título
AACR2 nível 2
O mínimo para você se sentir o máximo : pequeno
guia dos alimentos / Soni [triângulo com inscrição]
Hirsch.
O mínimo para você se sentir o máximo / Soni [triângulo
com inscrição] Hirsch.
RDA
Diferenças na descrição
0.6.2; 1.3 Títulos paralelo não são essenciais. Eles
podem ser registrados, mas não são necessários.
Título Equivalente/ Paralelo
1.1D1 Transcreva títulos paralelos na ordem
indicada pela sua sequência de, ou pela
apresentação na principal fonte de informação.
2.3.3.1 define título paralelo como o título
próprio em outra língua e / ou texto, mas
não há nenhuma restrição sobre as fontes de
informações.
2.3.3.2 títulos paralelos a partir de
qualquer fonte de dentro do recurso.
Diferenças na descrição
245 00 $a Equipes Zapp! = $b Empowered teams / $c Richard S. Wellins,
William C. Byham, Jeanne M. Wilson.
245 00 $a Equipes Zapp! / $c Richard S. Wellins, William C. Byham, Jeanne M.
Wilson.
246 01 $a Empowered teams
AACR2
RDA
Título equivalente/paralelo
1.1D1 Transcreva títulos paralelos na ordem indicada pela sua
sequência de, ou pela apresentação na principal fonte de informação.
2.3.3.1 define título paralelo como o título próprio em outra língua e / ou
texto, mas não há nenhuma restrição sobre as fontes de informações.
2.3.3.2 títulos paralelos a partir de qualquer fonte de dentro do recurso.
Diferenças na descrição
• AACR2 1.1D
245 10 $a Modern English-Lao,
Lao-English dictionary / $c
by Bounmy Soukbandith.
246 1_ $i Título paralelo na
capa : $a Vatchanānukom
samai mai ‘Angkit-Lāo, Lāo-
’Angkit
• RDA 2.3.3
245 10 $a Modern English-Lao,
Lao-English dictionary = $b
Vatchanānukom samai mai
‘Angkit-Lāo, Lāo-’Angkit / $c
by Bounmy Soukbandith.
246 31 $a Vatchanānukom
samai mai ‘Angkit-Lāo, Lāo-
’Angkit
1.1D1 Transcreva títulos paralelos na ordem
indicada pela sua sequência de, ou pela
apresentação na principal fonte de
informação.
2.3.3.1 define título paralelo como o título
próprio em outra língua e / ou texto, mas não há
nenhuma restrição sobre as fontes de
informações.
2.3.3.2 títulos paralelos a partir de qualquer
fonte de dentro do recurso.
Título equivalente/paralelo
1.1D1 (AACR) Registre títulos equivalentes na
ordem indicada por sua sequência ou por seu
leiaute na fonte principal de informação.
RDA (2.3.3.2) tome os títulos equivalentes
de qualquer fonte de dentro do recurso.
Os títulos equivalentes na RDA não
precisam vir da fonte principal como no
AACR2.
Título equivalente/paralelo
Outras informações sobre o Título
AACR2
245 10 $a Ed Mort : Todas as histórias / $c Luís Fernando
Veríssimo.
RDA
245 10 $a Ed Mort / $c Luís Fernando Veríssimo.
No segundo nível de descrição do AACR2, fornecemos
todas as outras informações sobre título (1.0D2).
1.3: Na RDA, outras informações sobre o título não são
essenciais. Podem ser registradas, mas não são obrigatórias.
Instruções em 2.3.4 – Outras informações sobre o título.
DGM X Tipos
AACR2 – 1.1C
Panorama da catalogação no Brasil [recurso eletrônico] : da
década de 1930 aos primeiros anos do Século XXI / Fernando
Modesto. --
1 recurso online
RDA
Panorama da catalogação no Brasil / Fernando Modesto. --
1 recurso online
texto (conteúdo / content)
computador (mídia / media)
recurso online (suporte / carrier) 3.3 Tipo de Suporte
3.2 Tipo de Mídia
6.9 Tipo de Conteúdo
Indicação de Responsabilidade
AACR2 1.1A2 – Fonte de Informação.
Coloque entre colchetes a informação obtida em qualquer outra fonte.
245 10 $a Gestão tributária das organizações na economia brasileira /
$c[por Carlos José Caetano Bacha]
Autor retirado da capa
RDA 2.2.4 – Outras fontes de informação. A fonte preferida para a indicação de
responsabilidade é todo o recurso. Quando as instruções especificam a transcrição,
indique que a informação foi retirada de uma fonte externa ao recurso: por meio de
uma nota ou por outro meio (por ex. mediante um código ou o uso de colchetes).
245 10 $a Principios de economía /$c Robert H. Frank.
Autor retirado da apresentação.
Indicação de Responsabilidade
No segundo nível de descrição do AACR2,
fornecemos todas as indicações de responsabilidade.
A indicação de responsabilidade relativa ao título principal é essencial
(1.3 – elementos essenciais).
Havendo mais de uma responsabilidade, só a primeira é obrigatória.
Outras indicações de responsabilidade podem ser registradas, mas não são
essenciais. Dar preferência aos criadores do conteúdo intelectual ou artístico,
identificados (2.4.2.3).
Indicação de Responsabilidade e
Colaboradores
AACR
Diary, 1901 – 1969 / Kornei Chukovsky ;
editado por Victor Erich ; traduzido por
Michael Henry Heim.
RDA
Diary, 1901 – 1969 / Kornei Chukovsky.
1.1F7 – AACR2: transcrição de títulos de nobreza, de tratamento,
honorífico e de distinção, qualificações etc.
Geralmente são omitidos.
2.4.1.4 – RDA: transcrever uma indicação de responsabilidade na
forma em que aparece na fonte de informação
Regra dos três
21.6B (Responsabilidade principal indicada);
21.C1(Responsabilidade principal não indicada);
1.1F (Indicação de Responsabilidade)
1.1F5 – Quando uma única indicação de responsabilidade mencionar mais de
três pessoas ou entidades exercendo a mesma função ou com o mesmo grau de
responsabilidade, omita todos os nomes exceto o primeiro de cada grupo
dessas pessoas ou entidades. Indique a omissão por meio de reticências (...) e
acrescente, entre colchetes, et al. (ou seu equivalente em alfabeto não latino).
A inflação recente no Brasil e na América
Latina / Aníbal Pinto ... [et al.].
Indicação de Responsabilidade e
Colaboradores
Regra dos três abolida
A inflação recente no Brasil e na América Latina /
Aníbal Pinto, Héctor Assael, Arturo Núñez del
Prado, Luiz Claúdio Marinho.
2.4.1.4 – Omissão opcional
A inflação recente no Brasil e na América Latina /
Aníbal Pinto [e outros três].
2.4.1.5 – Se uma indicação de responsabilidade para mais de três pessoas, famílias ou
entidades executando a mesma função, ou com o mesmo grau de responsabilidade, omitir
todos, menos o primeiro de cada grupo de pessoas, famílias, ou entidades.
Indicar a omissão do que foi omitido por nota, no idioma adotado pela agência
responsável da descrição. Inserir a anotação da omissão entre colchetes.
Indicação de Responsabilidade e
Colaboradores
AACR• 2 1.1F5
245 00 $a Second growth : $b community economic development in rural British
Columbia / $c Sean Markey ... [et al.].
• RDA 2.4.1.5
245 10 $a Second growth : $b community economic development in rural British
Columbia / $c Sean Markey, John T. Pierce, Kelly Vodden, e Mark Roseland.
1.1F5. Se uma única indicação de nomes de responsabilidade mais de três pessoas ou organismos
coletivos executando a mesma função, ou com o mesmo grau de responsabilidade, omitir todos, mas
o primeiro de cada grupo de pessoas ou organismos. Indicar a omissão da marca de omissão (...) e
adicionar et al. (Ou seu equivalente em um texto não romano) entre colchetes.
RDA não existe limitação:
2.4.1.5.Registrar indicação de responsabilidade para mais de uma pessoa, etc, como uma única indicação,
independente das pessoas, famílias ou pessoas jurídicas nele mencionadas desempenham a mesma função ou funções
diferentes.
Nota: a regra de três não se aplica à indicação de obras. Esta Obra seria nomeada usando o ponto de acesso para o
criador do primeiro nome, seguido do título propriamente dito da obra, porque não há nenhuma indicação de
responsabilidade principal. Em vez de uma entrada para 700 acrescentado Markey, no AACR2.
O ponto de acesso: Markey seria dado em um campo de 100 na RDA, uma vez que ele é o criador na primeira
nomeação, e nenhuma responsabilidade principal é indicada na declaração de responsabilidade.
Indicação de Responsabilidade e
Colaboradores
245 $a … /$c por Miriam Flores, Melanie Cardoza,
Wilmer Moyano, Catalina Zavala, e Felipe Martínez.
Ou se aplica a opção:
245 $a … /$c por Miriam Flores [e outros quatro]
Omissão é opcional RDA 2.4.1.5
2.4.1.5 Registrar a indicação de responsabilidade para mais de uma pessoa, etc., como uma única
indicação, independente de as pessoas, famílias ou entidades corporativas mencionadas
desempenharem a mesma função ou funções diferentes. Se uma única indicação de nomes de
responsabilidade para mais de três pessoas, famílias ou entidades coletivas realizando a mesma
função, ou com o mesmo grau de responsabilidade, omitir todos, mas manter o primeiro nome de
cada grupo de pessoas, famílias, entidades coletivas. Indicar a omissão resumindo o que foi omitido
no idioma da agência que preparou a descrição.
Indicação de Responsabilidade e
Colaboradores
Identificando obras em colaboração
Eliminação da “regra dos 3”, ponto de acesso da obra pelo
indicado em primeiro lugar. Alternativa: todos
Pontos de acesso adicionais  a critério do catalogador
100 $a Brown, Susan $e autor
245 $a Architecture / $c por Susan Brown, Melanie Carlson,
Stephen Lindell e Janet Wilson.
700 $a Carlson, Melanie $e autor
700 $a Lindell, Stephen $e autor
700 $a Ott, Kevin $e autor
RDA  Responsabilidade - Principais diferenças com AACR2
RDA – 2.4.1.5
Função de responsabilidade
Indicação de Edição
AACR
1.2B1 – Transcreva a indicação de edição
da maneira encontrada no item. Use
abreviaturas de acordo com as instruções
do apêndice B e numerais de acordo com
o apêndice C.
B.5A1 – Use abreviaturas para palavras
ou substitua uma forma de abreviatura
pela abreviatura prescrita na indicação
de edição, de acordo com B.9-B.12,
B.14-B15.
C.2B1 – substitua algarismos
romanos por algarismos arábicos......
Na indicação da edição.
2.5.1.4 – Transcreva a indicação de
uma edição como aparece na fonte de
da informação.
RDA
B.4 – Para os elementos transcritos,
use apenas as abreviaturas
encontradas nas fontes de informações
prescritas para o elemento.
1.8.1 – Quando os números
registrados, expressos em numerais ou
palavras no elemento transcrito,
transcreva na forma em que aparecem
na fonte de informação.
Apêndice B:Abreviaturas e Símbolos
AACR
4 ed. / revisada pelo autor.
RDA
quarta edição / revisada pelo autor.
Obs: A indicação de edição e de revisão são essenciais.
Outros elementos da indicação de edição são opcionais.
RDA 2.5.1.4 – Transcreva a indicação de uma edição
como aparece na fonte de da informação.
Indicação de Edição
Abrevia•
Adiciona informações entre•
colchetes
Regras complexas para•
vários lugares e editores
Usar abreviaturas• “s.l.”
(sine loco) e quando o lugar
ou editor é desconhecido
“s.n.” (sine nomine)
• Não abrevia
• Transcreve como parece, não
acrescenta informações
• Registra nomes na ordem
encontrada na fonte
• Usa frases para indicar uma
informação desconhecida
Informações da Publicação
Lugar não identificado
Editor não identificado
Elementos essenciais no RDA  1.3
Lugar de publicação
Nome de editor
Data de publicação (se desconhecida) data copyright
Primeiro
Lugar de distribuição
Nome de distribuidor
Data de distribuição
Lugar de manufatura
Nome de fabricante
Data de manufatura
Informações da Publicação
Lugar de Publicação
AACR2 1.4B4 – Registrar os nomes
de lugares como aparecem para
abreviaturas usar o apêndice B.
260 $a Lima :$b
260 $a Buenos ;$a Brasília, D.F. ; $a
Santiago :$b
260 $a London, UK :$b
260 $a [s.l.] :$b
AACR2: 1.4C6 – Se nenhum lugar,
provável ou não, puder ser
determinado, registre a abreviatura
s.l (sine loco) ou seu equivalente em
alfaneto não latino.
RDA 2.8.1.4, 2.8.2.4 – Transcrever o
lugar de publicação sem abreviaturas.
Opcional quando apresentado mais de
um lugar pode-se registrar somente
um.
260 $a Brasília, D.F. :$b
(agência catalogadora em Brasília)
260 $a London, United Kingdom
260 $a [Lugar de publicação não
identificado] :$b
RDA:
2.7.2.6 – Lugar de Produção não Identificado no Recurso;
2.8.2.6 – Lugar de Publicação Não Indentificado na Fonte;
2.9.2.6 – Lugar de Distribuição Não Identifcado no Recurso;
2.10.2.6 - Lugar de Fabricação não Identificado no Recurso.
Lugar de Publicação não identificado
2.8.2.6 – Se o local de publicação não é identificado no recurso, fornecer um local
de publicação provável de publicação.... Se nem um lugar provável conhecido ou
país, estado, província, etc. da publicação pode ser determinado, registre o lugar
de publicação como não identificado.
AACR2 [s.l. : s.n.], 1909
[Lugar de publicação não identificado] :
[Editor não identificado], 1909
RDA
Lugar de Publicação
2.8.1.4 – Transcreva locais
de publicação e os nomes
dos editores, na forma em
que eles aparecem na fonte
de informação.
2.8.2.3 – Registre o local de publicação aplicando as
instruções básicas sobre o registro de indicação de
publicação segundo regra :
2.8.1 – Incluir tanto o nome do lugar (cidade, vila, etc.) e
o nome da jurisdição ou jurisdições (província, estado
Etc., e /ou país), se presentes na fonte de informação.
Princeton, N.J. : Princeton University Press,
c1999.
Princeton, New Jersey : Princeton University
Press, copyright 1999.
AACR
RDA
Lugar de Publicação
AACR2 1.4B6, 1.4C4
260 $a Stockholm [i.e. Paris] : $b
Knižnice lyriky, $c 1954.
260 $a Bs. As. [i.e. Buenos Aires] :
$b Ed. del Mediodia, $c [1966]
RDA 2.8.1.4, 2.20.7.3
260 $a Stockholm : $b Knižnice lyriky,
$c 1954.
500 $a Atualmente publicado em
Paris.
260 $a Bs. As. : $b Ed. del Mediodia,
$c [1966]
500 $a Publicado em Buenos Aires.
Abreviação de nomes de editor
transcrever com base na página de
título.
1.4B6, 1.4C2, 1.4C3, 1.4C4
Especificar a adição de informações entre colchetes. Na RDA, o elemento é transcrito
como aparece, e as notas são usadas para registro / informação adicional diferente se
consideradas importantes (RDA 2.20.6-2.20.9).
Lugar de Publicação
Lugar ou Editor Desconhecido
AACR2 1.4C6, 1.4D6
260 $a [S.l.] : $b Poote Press,
$c 1987.
260 $a Vancouver, B.C. : $b [s.n.],
$c 1951.
260 $a [Seattle? : $b s.n., $c 1966]
260 $a [S.l. : $b s.n.], $c 1962.
RDA 2.8.2.6, 2.8.4.7
260 $a [lugar de publicação não
identificado] : $b Poote Press, $c
1987.
260 $a Vancouver, B. C., Canada :
$b [Editor não identificado], $c 1951.
260 $a [Seattle?] : $b [Editor não
identificado], $c [1966]
260 $a [Lugar de publicação não
identificado] : $b [Editor não
identificado], $c 1962.
Sine loco ou sine nomine)
Data de Publicação e Distribuição.
AACR2 1.4F7, 2.16G – estabelece
os formatos para registro da data
[1971 ou 1972]
[1969?]
[entre 1906 e 1912]
[ca. 1960]
[197-]
[197-?]
[18--]
[18--?]
[Não após 21 Ago., 1492]
RDA 1.9.2 – inclui diferentes formatos
específicos para data e datas
prováveis.
[1971 ou 1972]
[1969?]
[entre 1906 e 1912] (só para datas separadas por menos de 20 anos)
[1960?] (não há data equivalente a cerca de)
[entre 1970 e 1979]
[entre 1970 e 1979?]
[entre 1800 e 1899]
[entre 1800 e 1899?]
[Não após 21 de Agosto, 1492]
[Não depois de 22 de Abril, 2010]
Local▪ de publicação, nome da editora, e a
data de publicação são elementos essenciais
para recursos publicados.
▪ A data da publicação ou da data provável da
publicação ou da data de publicação não
identificada deve ser sempre registrada na
RDA.
▪ 2.11: Data de Copyright é elemento separado
na RDA. Não substitui a data de publicação. É
um elemento essencial, se nem a data de
publicação ou a data de distribuição é
identificada.
Se▪ mais de um local de publicação e nome de
editora aparece na fonte de informação,
apenas o primeiro registro é necessário.
Informação de:
Produção
Publicação
Distribuição
Manufatura
2.7 – 2.8 – 2.9 – 2.10
Indicador 1 (ativo) apresenta informações sobre publicadores ou sua inexistência, a
saber: # = não aplicável, não há informações, disponível publicador mais antigo.
Indicador 2 (ativo) indica as funções do item codificado, com as seguintes opções: 0 =
produção; 1 = publicação; 2 = distribuição; 3 = manufatura; 4 = data de informação de
Copyright. Apresenta como principais etiquetas de subcampo:
Campo 264 – Produção, publicação, distribuição, manufatura, e informação de copyright (R),
contempla informações relativas às categorias de publicadores. As informações cadastradas
são semelhantes às do campo 260. O campo é útil para distinguir as funções. Difere do
campo 260 nos procedimentos e estrutura.
$a Lugar de produção, publicação, distribuição, manufatura/fabricação (R)
$b Nome do produtor, editor, distribuidor, manufatureiro/fabricante (R)
$c Data de produção, publicação, distribuição, manufatura/fabricação, ou informação
de copyright (R)
$3 Materiais especificados (NR)
MARC21 - RDA
http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=992
Exemplo de monografia, com diferentes funções registradas,
incluindo data de copyright:
264 #1 $a Syracuse, New York : $b [Editor não identificado],
$c 2010.
264 #2 $a [Lugar de distribuição não identificada] :
$b Adirondack Distributors, $c 2012.
264 #4 $c ©2009
Informações da Publicação MARC21 - RDA
Observação RDA não recomenda o registro da data de
copyright sozinho, sem registrar uma data de publicação:
264 #1 $a Eugene, Oregon : $b Pickwick Publications,
$c [Data de publicação não identificada]
264 #4 $c ©2014
Descrição do Suporte
Antiga Área da Descrição Física
AACR2 1.5B1, 1.5B2 –
Registre a extensão do ítem
em números arábicos.
300 $a 232 p.
300 $a 234 p., [10] f. de lâms. :$b il. col. ;$c 26 cm.
300 $a [232] p.
300 $a ca. 400 p.
RDA 3.4 – Não use abreviaturas, registre no singular ou plural de acordo com a quantidade;
ca. = aproximadamente; i.e . = ou seja / isto é.
300 $a 232 páginas
300 $a 234 páginas, 10 folhas de lâminas sem numeração :
$b ilustrações coloridas ;$c26 cm
300 $a 232 páginas sem numeração
300 $a Aproximadamente 400 páginas
Extensão – Exemplos:
Extensão – Exemplo para texto
xvi, 323 p.
[93] p.
ca. 500 p.
3 v. (1457 p.)
45, [40] f.
257 [i.e. 257] p.
180 p., 30 v. folhas de
lâminas [série incompleta]
xvi, 323 páginas
93 páginas não numeradas
cerca de 500 páginas
3 volumes (1457 páginas)
45 folhas, 40 folhas não numeradas
257, ou seja, 257 páginas
180 páginas, 30 volumes de folhas
de lâminas.
Descrição do Suporte
Antiga Área da Descrição Física
300 $a v, 199 páginas : $b ilustrações (algumas coloridas), mapas, retratos em cores;
$c 30 cm
300 $a 86 páginas, 21 páginas sem numeração : $b ilustrações, 1 mapa anexado ;
$c 24 cm + $e 1 manual (5 páginas ; 20 cm).
300 $a volumes : $b ilustrações ; $c 26 cm
300 $a 1 CD-ROM ; $c 4 3/4 pol
300 $a 1 recurso em linha ou recurso online
Descrição do Suporte
Descrição do suporte para sites da web que se atualizam: optar por omitir
elementos referentes ao tipo de arquivo, formato de codificação e tamanho do
arquivo, devido às frequentes mudanças de um recurso integrado.
Antiga Área da Descrição Física
Extensão – Exemplos:
Os elementos da descrição física do suportes dos recursos são tratados no
Capítulo 3 da RDA  Describing Carriers / Descrição de Suportes
Parte da descrição física agrega Tipo de Mídia (Media Type) e Tipo de Suporte
(Carrier Type)
Fornecem informações sobre as características físicas do suporte;
Formatação do conteúdo armazenada no mesmo.
Usuário também se vale das características do suporte para identificar um
recurso (por exemplo, distinguir recursos com características semelhantes).
Descrição do Suporte
Antiga Área da Descrição Física
Extensão
3.4.1.3
informa o número de unidades e um termo apropriado para o tipo
de suporte, constantes da lista  3.3.1.3
Recurso composto por mais de um tipo de suporte, registre o
número de cada tipo.
1 microfilm cassette
100 slides
2 audiotape reels
1 audio disc
1 video cassette
1 computer disc
1 online resource
Nota: Na AACR2 as denominações começando com sound/som , na RDA inicia começa com audio/áudio.
Exceções
Recursos Cartográficos (impresso, manuscrito, gráfico, recurso ou
tridimensional )  3.4.2
Música notada (manuscrito ou impresso)  3.4.3
Imagens fixas (desenhos, pinturas, gravuras, fotografias, etc.) 3.4.4
Texto (impressos ou manuscrito)  3.4.5
Formato tri-dimensional (recurso com uma ou mais formas
tridimensionais)3.4.6
Descrição do Suporte
Antiga Área da Descrição Física
Especificar o número de subunidades instruções 3.4.1.7.1 – 3.4.1.7.8, se
importantes para a identificação ou seleção.
Anote o número de subunidades, entre parênteses, após o termo que
indica o tipo de unidade.
3.4.1.7 Número de Subunidades
Descrição do Suporte
1 DVD-ROM (184 imagens por sensoriamento remoto)
1 microficha (120 frames)
1 disco do computador (15 páginas, 150 mapas)
1 recurso online (68 páginas)
1 disco do computador (1 arquivo de audio, 3 arquivo de vídeo)
1 recurso online (36 fotografias)
1 recurso online (2 arquivos de vídeo)
Antiga Área da Descrição Física
Dimensão
o Prescreve o uso de métricas, mas a
opção de registro da dimensão é o
sistema adotado pela agência.
o Uunidade métrica considerada como
símbolo (cm).
o Abreviatura limitado às dimensões e à
duração.
o Trata como símbolos e não são
seguidas de ponto (exemplo: cm)
Sistema de medição prescrita,•
dependendo do material.
Abreviação considerada para•
unidades métricas (cm.).
Uso intenso de abreviaturas.•
Abreviaturas seguidas por um•
ponto (exemplo, cm.).
3.5.1.3 Registro das Dimensões
O registro das dimensões em centímetros por centímetro inteiro, use o
símbolo métrico centímetros (por exemplo, se a altura medidas é 17,2
centímetros, registre 18 cm).
Descrição do Suporte
Registra-se ilustração ou ilustrações, conforme o caso. As tabelas contendo
apenas palavras e/ou números não são consideradas como conteúdo
ilustrativo. Desconsidere páginas de títulos ilustradas, etc., e ilustrações de menor
importância.
Alternativa
Registre o tipo da ilustração no lugar de ou na adição do termo ilustração ou
ilustrações, se for considerado importante para a identificação ou seleção, usando
um ou mais termos apropriados a partir da lista
7.15 Recursos com Conteúdo Ilustrativo
Descrição de Conteúdo
diagramas
escudos de armas
facsimiles
formulários
quadros
genealógicos
gráficos
Iluminuras
mapas
música
fotografias
planos
retratos
amostras
Descrição do Suporte
Acréscimo Opcional
Registre o número de ilustrações, se seu número puder ser
verificado facilmente (por exemplo, quando as ilustrações são
listadas e seus números declarados).
7.15.1.3 Registro de conteúdo ilustrativo
Descrição de Conteúdo
48 ilustrações
100 mapas
1 forma, 2 mapas, 10 fotografias
Descrição do Suporte
Exemplos
Extensão - Conteúdo
• AACR2
xxiii, 554 p. : il. ; 24 cm.
xv, 453 p., [16] p. de lâminas : il.
(algumas col.), mapas (alguns
col.) ; 24 cm.
ix, 120 p. : ill. (alguns col.),
digital, PDF file.
• RDA – Cap. 3 e 7
xxiii, 554 páginas : ilustração ; 24
cm
xv, 453 páginas, 16 páginas de
lâminas não numeradas :
ilustrações (algumas coloridas),
mapas (alguns coloridos) ; 24
cm
1 recurso online (ix, 120 páginas) :
ilustrações (algumas coloridas),
digital, Arquivo PDF.
Descrição do Suporte
Série
Título principal e numeração da série  elementos essências RDA.
Diferença substancial AACR2 X RDA  não são usadas abreviações.
RDA não tem equivalentes para as regras do AACR2 de substituir
números arábicos para romanos.
Transcrever a numeração da Série tal como aparece:
volume 32 – não mudar para “v. 32”
tomo 4 – não mudar para “t. 4”
Band LXXXVIII – não mudar para “Bd. 88”
Indicação da Série  2.12
2.12.1.4 Registro da indicação da Série
1.7 - Transcrição
Não há seção especial sobre as notas.
Orientações sobre notas por toda a RDA.
Pontos de acesso da RDA não precisam ser
justificados no corpo do registro,
Notas dos catalogadores compostas segundo a
AACR2 simplesmente para justificar uma
entrada adicional não precisa ser feita na RDA.
Notas
Pontos de Acesso
Diferenças
Ponto de Acesso: Pessoas e Entidades
AACR2 21.6B e 21.6C –
Quando são mais de três
autores, entre pelo título e
registre o primeiro a
expressão [et al.] e
recupere como entrada
secundária.
245 00 $a Direito econômico do planejamento /
$c Anchises Bretas … [et al.]
700 1 $a Bretas, Anchises
RDA 6.27.1.3, 19.2.1.3
Se a responsabilidade da
obra tem duas ou mais
pessoas, represente o ponto
de acesso pelo primero que
aparece, descreva os demais
na indicação de
responsabilidade e recupere
os outros autores no campo
700.
100 1 $a Bretas, Anchises, $e autor
245 00 $a Direito econômico do planejamento /
$c Anchises Bretas, Wander Paulo Marotta Moreira,
João Bosco Leopoldino da Fonseca, Angêla Silva
700 1 $a Moreira, Wander Paulo Marotta, $e autor
700 1 $a Fonseca, João Bosco Leopoldino da, $e autor
700 1 $a Silva, Angêla, $e autor
Relacionamento das Indicações de Funções
AACR2 21.0D
Acrescente ao cabeçalho da
entrada secundária de uma
pessoa, a indicação abreviada
da função por ela exercída.
Compilador comp.
Coordenador coord.
Ilustrador il.
Editor ed.
Traductor trad.
700 1 $a Mello, Fernanda, $e trad.
RDA Apêndice I
Fornece uma lista de designações de
funções para o relacionamento do recurso
com a pessoa, familia ou entidade.
700 1 $a Braga, Roberto Carlos, $e compositor
700 1 $a Ramos, Carlos, $e editor
700 1 $a Mairelles, Francisco, $e tradutor
Títulos Coletivos - Descrição
COMPILAÇÃO DE DUAS OU MAIS OBRAS DE UM MESMO AUTOR
AACR2 25.7
Se um ítem que consiste de duas
ou mais obras tiver entrada por
um cabeçalho de pessoa ou
entidade, use o título uniforme da
obra que aparece em primeiro
lugr no ítem. Faça uma entrada
secundária de nome-título, usando
o título uniforme da secunda obra.
100 1 $a Lopate, Philip, $d 1943-
240 10 $a Stoic’s marriage
245 10 $a Two marriages :$b novellas /$c Phillip
Lopate.
505 0 $a The stoic’s marriage – Eleanor, ou, The
second marriage
700 1 $a Lopate, Philip, $d 1943-. $t Eleanor
RDA 6.2.2.10.3
Para uma compilação de
duas ou mais obras, registrar
os títulos como pontos de
acesso diferentes no campo
700.
100 1 $a Lopate, Philip, $d1943-, $e autor
240 10 $a Novellas. $k Selections
245 10 $a Two marriages :$b novellas /$c Phillip
Lopate.
505 0 $a The stoic’s marriage – Eleanor, ou, The
second marriage
700 1 $a Lopate, Philip, $d 1943-. $t Eleanor.
700 1 $a Lopate, Philip, $d 1943-. $t Stoic’s marriage.
COMPILAÇÃO SEM TÍTULO COLETIVO
AACR2, 21.7C1
Faça entrada sob o
cabeçalho apropriado à
primeira obra que figure na
fonte principal de
informação do ítem
catalogado.
100 1 $a Mejía, Luis.
245 10 $a Habilidades infantiles /$c Luis Mejía. Rimas y
juegos / Sofía Ávila.
700 1 $a Ávila, Sofía. $t Rimas y juegos.
RDA 6.27.1.4, alternativa
24.5.1.3
Elaboração de pontos de
acesso separados para
cada obra da
compilação.
245 00 $a Habilidades infantiles /$c Luis Mejía. Rimas y
juegos / Sofía Ávila.
700 12 $i Contêm (obra): $a Mejía, Luis. $t Habilidades
infantiles.
700 12 $i Contêm (obra): $a Ávila, Sofía. $t Rimas y juegos.
http://www.loc.gov/marc/
Novos campos MARC substitui o DGM
(Designação Geral de Material)
245 $h Meio Físico (NR) AACR2  1.1C1
Escolha de uma lista de designadores gerais do material
recomendada abaixo e use o termos da lista escolhida
em todas as descrições para as quais as designações
gerais do material forem consideradas necessárias.
245 10 $a Panorama da catalogação no Brasil $h [recurso eletrônico] : da
década de 1930 aos primeiros anos do Século XXI / $c Fernando
Modesto.
300 $a 1 recurso em linha
Diferenciar informação sobre:
expressão e manifestação
Estrutura em Três elementos
336 – Content type /Tipo de Conteúdo (RDA 6.9)
MARC
A forma de comunicação através de uma Obra que se
expressa. Exemplos: música executada; texto;
movimento bidimensional da imagem.
337 - Media Type / Tipo de Mídia (RDA 3.2)
O tipo geral de um dispositivo de intermediação
necessário para ver, operar, rodar, etc, o conteúdo de
um recurso.
Exemplos: computador, áudio; microforma; vídeo
338 - Carrier Type / Tipo de Suporte (RDA 3.3)
O formato do suporte de
armazenamento. Exemplos: disco de áudio; recurso
on-line; microfichas, videocassete, volume
Expressão
Manifestação
Categorização que reflete a forma fundamental de comunicação em que o conteúdo é
expresso, bem como o sentido humano por meio do qual se pretende que ele seja aprendido.
Códigos de Subcampo
$ a - tipo de conteúdo (R)
$ b - código do tipo de Conteúdo (R)
$ 2 – Fonte do código (NR): Gênero / Forma.
$ 3 - Materiais especificados (NR)
$ 6 - Ligação (NR): descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle .
$ 8 - Campo de ligação e número de sequência: descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle .
http://www.loc.gov/marc/bibliographic/concise/bd336.html
http://www.loc.gov/standards/sourcelist/genre-form.html
http://www.loc.gov/marc/bibliographic/ecbdcntf.html
336# # $ a música executada $ 2 rdacontent
336# # $ a imagem bidimensional em movimento $ b tdi $ 2 rdacontent
Exemplo
two-dimensional moving image
MARC336 – Content type (R) /Tipo de conteúdo (RDA 6.9)
Conjunto de dados cartográficos•
Conjunto de dados informáticos•
Formato cartográfico tátil•
Formato cartográfico tridimensional•
Formato cartográfico tridimensional•
Formato tátil tridimensional•
Formato tridimensional•
Imagem cartográfica•
Imagem cartográfica em movimento•
Imagem cartográfica tátil•
Imagem em movimento•
bidimensional
• Imagem em movimento
tridimensional
• Imagem fixa
• Imagem tátil
• Movimento notado
• Movimento notado tátil
• Música executada
• Música notada
• Música notada tátil
• Palavra falada
• Programa de computador
• Sons
• Texto
• Texto tátil
• Outro
• Não-especificado/sem mediação
336  termos usados
http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdacontent.html
336 – Content type (R) /Tipo de conteúdo (RDA 6.9)
Categorização da forma de comunicação pela qual o
conteúdo é expresso e através da qual é percebido
pelo sentido humano (RDA 6.9.1). O tipo de
conteúdo é um elemento essencial.
Uma categorização que reflete o tipo geral de dispositivo de intermediação necessário para
ver, tocar, exibir, etc. o conteúdo de um recurso.
Atributo do suporte e que diferencia as manifestações.
Códigos de Subcampo
$ a – Tipo de mídia (R)
$ b – Código do tipo de mídia (R)
$ 2 – Código da Fonte (NR): Gênero / Forma .
$ 3 - Materiais especificados (NR)
$ 6 - Ligação (NR): descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle .
$ 8 - Ligação e número de sequência (R): descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle .
http://www.loc.gov/marc/bibliographic/concise/bd337.html
http://www.loc.gov/marc/bibliographic/ecbdcntf.html
337# # $ a áudio $ 2 rdamedia
337# # $ a vídeo $ b v $ 2 rdamedia
http://www.loc.gov/standards/sourcelist/genre-form.html
http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdamedia.html
v - videorecording
MARC337 - Media Type (R) / Tipo de Mídia (RDA 3.2)
Áudio•
Computador•
Estereográfico•
Microforma•
Microscópico•
• Não-mediado
• Projetado
• Vídeo
• Outro
• Não-especificado
Tipo de Mídia (R)  vocabulário empregado
http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdamedia.html
Reflete a categorização geral do tipo de dispositivo de intermediação requerido para
visualizar, jogar, rodar, etc., o conteúdo de um recurso (RDA 3.2.1). O tipo de mídia não é
um elemento essencial.
337 - Media Type (R) / Tipo de Mídia (RDA 3.2)
Categorização que reflete o formato do meio de armazenamento e invólucro de um
suporte em relação com o tipo de dispositivo de intermediação necessário para ver, tocar,
exibir, etc., o conteúdo do recurso.
Códigos de Subcampo
$ a – Tipo de Suporte (R) (categoria de suporte usada para a transmissão do conteúdo
do recurso)
$ b - código do tipo de suporte (R)
$ 2 – Código da Fonte (NR): Gênero / Forma.
$ 3 - Materiais especificados (NR)
$ 6 - Ligação (NR): descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle
$ 8 - Campo de ligação e número de sequência (R): descrição no Apêndice A:
Subcampos de controle
http://www.loc.gov/marc/bibliographic/concise/bd338.html
http://www.loc.gov/standards/sourcelist/genre-form.html
http://www.loc.gov/marc/bibliographic/ecbdcntf.html
http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdacarrier.html
338# # $ a disco de áudio $ 2 rdacarrier
338# # $ a videodisco $ b vd $ 2 rdacarrier
exemplos
MARC
Atenção: não confundir tipo de suporte com extensão (300 $a)
338 - Carrier Type (R)/ Tipo de Suporte (RDA 3.3)
338  lista de termos segundo tipo de mídia
Suporte de áudio
Audiocassete
Carretel de fita de áudio
Carretel de trilha sonora
Cartucho de áudio
Cilindro de áudio
Disco de áudio
Rolo de áudio
Suporte de dados
Cartão de memória
Cartucho de memória
Disco de computador
Carretel de fita de computador
Cartucho de disco de computador
Cartucho de fita de computador
Cassete de fita de computador
Recurso em linha
Suportes de imagens projetadas
Carretel de filme
Cartucho de diafilme
Cartucho de filme
Cassete de filme
Diafilme
Diapositivo
Rolo de filme
Tira de filme
Transparência de retroprojetor
Suportes de Microforma
Cartão-janela
Microficha
Carretel de microfilme
Cartucho de microfilme
Cassete de microficha
Microopacos
Rolo de microfilme
Tira de microfilme
Suportes de microscopia
Lâmina microscópica
Suportes de vídeo
Carretel de fita de vídeo
Videocartucho
Videocassete
Videodisco
Suportes estereográficos
Cartão estereográfico
Disco estereográfico
Suportes não-mediados
Álbum seriado
Ficha
Objeto
Rolo
Folha
Volume
Outro
Não-especificado
http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdacarrier.html
338 - Carrier Type (R)/ Tipo de Suporte (RDA 3.3)
245 10 $a Panorama da catalogação no Brasil $h [recurso eletrônico] : da
década de 1930 aos primeiros anos do Século XXI /
$c Fernando Modesto.
300 $a 1 recurso em linha
AACR -- MARC
245 10 $a Panorama da catalogação no Brasil / $c Fernando Modesto.
300 $a 1 recurso em linha
336 $a Texto $2 rdacontent
337 $a Computador $2 rdamedia
338 $a Recurso em linha $2 rdacarrier
RDA -- MARC
http://www.eca.usp.br/prof/fmodesto/textos/2007PanoramaCatalogacao.pdf
Exemplo
DGM
• AACR2 1.1C
245 00 $a The sweet hereafter $h
[videorecording] / $c Alliance
Communications presents an Ego
Film Arts production ; a film by
Atom Egoyan ; screenplay by
Atom Egoyan ; produced by
Camelia Frieberg and Atom
Egoyan ; directed by Atom
Egoyan.
• RDA 3.2, 3.3, 6.9
245 00 $a The sweet hereafter / $c
Alliance Communications presents an
Ego Film Arts production ; a film by
Atom Egoyan ; screenplay by Atom
Egoyan ; produced by Camelia
Frieberg and Atom Egoyan ; directed
by Atom Egoyan.
336 $a two-dimensional moving image
$b tdi $2 rdacontent
337 $a video $b v $2 rdamedia
338 $a videodisc $b vd $2 rdacarrier
300 $a 238 páginas : $b …
336 $a texto $2 rdacontent
337 $a sem mediação $2 rdamedia
338 $a volume $2 rdacarrier
Livro:
300 $a volumes : $b …
336 $a texto $2 rdacontent
337 $a sem mediação $2 rdamedia
338 $a volume $2 rdacarrier
Seriado impresso
300 $a 1 recurso em linha (39 páginas): $b…
336 $a texto $2 rdacontent
337 $a computador $2 rdamedia
338 $a recurso em linha $2 rdacarrier
Arquivo PDF em linha
300 $a 1 recurso em linha
336 $a texto $2 rdacontent
336 $a imagem cartográfica $2 rdacontent
336 $a imagem fixa $2 rdacontent
337 $a computador $2 rdamedia
338 $a recurso em linha $2 rdacarrier
Site web (com mapas, texto e fotografias):
RDA 6.9 Tipo de conteúdo  336 MARC
RDA 3.2 Tipo de mídia  337 MARC
RDA 3.3 Tipo de suporte  338 MARC
CD de música:
300 $a 1 disco de áudio ou 1 CD
336 $a música interpretada $2 rdacontent
337 $a áudio $2 rdamedia
338 $a disco de áudio $2 rdacarrier
Indicador 1 (ativo) apresenta informações sobre publicadores ou sua inexistência, a
saber: # = não aplicável, não há informações, disponível publicador mais antigo.
Indicador 2 (ativo) indica as funções do item codificado, com as seguintes opções: 0 =
produção; 1 = publicação; 2 = distribuição; 3 = manufatura; 4 = data de informação de
Copyright. Apresenta como principais etiquetas de subcampo:
Campo 264 – Produção, publicação, distribuição, manufatura, e informação de copyright (R),
contempla informações relativas às categorias de publicadores. As informações cadastradas
são semelhantes às do campo 260. O campo é útil para distinguir as funções. Difere do
campo 260 nos procedimentos e estrutura.
$a Lugar de produção, publicação, distribuição, manufatura/fabricação (R)
$b Nome do produtor, editor, distribuidor, manufatureiro/fabricante (R)
$c Data de produção, publicação, distribuição, manufatura/fabricação, ou informação
de copyright (R)
$3 Materiais especificados (NR)
MARC21 - RDA
http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=992
Relembrar
Exemplo de utilização da
Library of Congress – Catálogo
híbrído
http://catalog.loc.gov/index.html
Tulchinsky, Theodore H.Brown, Kerry
Laruelle, Marlène
Handbook of human and social conditions in assessment
Brown, Gavin T. L.
Jorge Amado
The intersectional Internet
The Most Dangerous Town On The Internet / Cinetic Media (Firm)
https://tripod.brynmawr.edu/find/Combined/Home
Internet governance after ICANN 53
Exemplo de utilização –
Catálogo híbrído
Observações
Principio da “Representação” – ICP
Princípios Internacionais de Catalogação
Tome o que vê
Aceite o que recebe
– Exemplo: Não abreviar palavras em campos transcritos
250: $aTerceira edição revisada
– não trocar para: 3a rev. ed.
260: $a ABC Publishing Company
– não trocar para: ABC Pub. Co.
Nas incorreções não se utiliza [sic] ou [i.e.]
245 $a Matemática recreadiva para jovens
246 $i Título incorreto: $a Matemática recretiva para jovens
Creator / Criador
• Pessoa, família ou entidade responsável pela a criação da obra.
• Pessoas, famílias, ou entidades co-responsáveis pela criação de uma obra
que podem desempenhar o mesmo papel (por exemplo, como na
colaboração entre dois escritores), ou podem desempenhar papéis
diferentes (por exemplo, como na colaboração entre um compositor
musical e letrista).
Criador é elemento essencial. Se houver mais de um criador, só o primeiro criador
mencionado é necessário.
Não há exigências para fornecer outros pontos de acesso, nem existe
qualquer restrição.
É a critério da política da agência ou da decisão do catalogador. Não há
correspondência necessária entre os nomes registrados na indicação de
responsabilidade e os pontos de acesso. O catalogador pode adicionar
qualquer um ou todos os outros pontos de acesso como no exemplo.
Implementação
• Considerar o impacto financeiro
– Da licença
– Da formação continuada
– Da produtividade no período
de implementação
• Considerar as capacidades do
sistema de gestão
• Considerar o impacto na
visualização dos dados nos
serviços ao público nos usuários
finais
Recomendações (LC, PCC…)
Estabelecer• uma data de
implementação
Estabelecer• as decisões e política da
Agência
Selecionar– o tipo de catalogação:
analítica, integral, etc.
Como– transcrever os dados: igual
ou não
Fixar– a aplicação das regras ou
alternativas, seguidas das omissões
opcionais, adições opcionais,
exceções
Implementar os• novos campos MARC
21
• Familiarizar com os conceitos e
principios do FRBR e FRAD.
• Familiarizar com RDA Toolkit (assinatura
em dólar).
• Explorar as possibilidades: criação do
fluxo de trabalho próprios e consulta aos
de outras instituições, limitações nas
buscas.
• Preparação do treinamento.
Criar um grupo de treinados que irão
treinar aos demais grupos  Se utiliza o
AACR2 será simples, embora a estrutura
é diferente. NÃO segue as áreas ISBD,
nem se baseia nos formatos.
• Começar catalogando livros.
Implementação
• Análise de compatibilidade dos registros antigos,
com ou sem mudanças. Decisão é da Agência.
• Pode-se criar “registros híbridos”: não criados
conforme RDA mas que agrega dados da RDA
– Funções dos pontos de acceso
– Desenvolvimento da abreviação
– Anexar indicações completas de
responsabilidade
– Anexar os campos 336/337/338 (DGM)
Informe do Grupo sobre Pautas para Registros
Híbridos do PCC - http://goo.gl/xJKGRX
• Se atualizado por completo, campo líder e 040$e
rda
Implementação
040 – Fonte da Catalogação (NR)
$e – Convenções da Catalogação - para título da regra de catalogação.
Implementação
Registro AACR2 antes de recodificado
008 020513n| acannaabn |n aaa
010 $a n 2002102150
040 $a DLC $b eng $c DLC
100 1_ $a Jackson, Margaret, $c Dra.
670 $a Hughes sobre proteção de
dados na Austrália, 2001: $b tp
(Dra. Margaret Jackson;.. Profa de
Informática Jurídica, RMIT Univ)
Registro AACR2 após recodificação
008 020513n| acannaabn |n aaa
010 $a n 2002102150
040 $a DLC $b eng $c DLC
100 1_ $a Jackson, Margaret, $c Dra.
667 $a Esta posição não pode ser
usado sob RDA até que tenha sido
revisados individualmente.
670 $a Hughes sobre protecção de
dados na Austrália, 2001: $b tp (Dr.
Margaret Jackson;.. Prof de
Informática Jurídica, RMIT Univ)
Autoridade
RDA Registro
2.3.2 The organization of information
2.4.2 Arlene G. Taylor
2.5.2 Segunda edição
2.8.2 Westport, Connecticut
2.8.2 Londres
2.8.4 Libraries Unlimited, um membro do Greenwood Publishing Group
2.8.6 2004
2.12.2 Library and information science text series
2.13 Unidade única
2.15 ISBN 1-56308-976-9
2.15 ISBN 1-56308-969-6 (paperback)
3.2 Sem mediação
3.3 volume
3.4 xxvii, 417 páginas
3.5 26 cm
4.3 http://www.lu.com
6.9 texto
7.16 Inclui bibliografia e índice
17.8 Taylor, Arlene G., 1941- . Organization of information
19.2 Taylor, Arlene G., 1941-
18.5 autor
25.1 Library and information science text series
24.5 Na série (obra)
livro
Exercícios  RDA
Leader/06 a
Leader/07 m
Leader/18 i
Leader/19 #
007/00 t
008/35-37 eng
020 ## $a 1563089769
020 ## $a 1563089696 (paperback)
037 ## $b http://www.lu.com
040 $e rda
100 1# $a Taylor, Arlene G., $d 1941- $e autor
245 14 $a The organization of information / $c Arlene G. Taylor.
250 ## $a Segunda edição.
264#1 $a Westport, Connecticut ; $a Londres : $b Libraries Unlimited, um membro do
Greenwood Publishing Group, $c 2004
300 ## $a xxvii, 417 páginas ; $c 26 cm.
336 ## $a texto $b txt $2 rdacontent
337 ## $a sem mediação $b n $2 rdamedia
338 ## $a volume $b nc $2 rdacarrier
490 1# $a Library and information science text series
504 ## $a Inclui bibliografia e índice.
830 #0 $a Library and information science text series.
Exercícios  RDA
Fonte de aquisição
Convenção da descrição
Exercícios do MARC – AACR2/ISBD
041 |1| | $aPOR $cFRE
082 | | | $a 303.33 $b19. ed.
100 |1|0| $a $d
245 |1|2| $a O que é poder. / $c Gerard Lebrun ; Tradução de Renato Janine Ribeiro e
Silva Lara Ribeiro ; Caricaturas de Emilio Damiani.
250 | | | $a 3. ed.
260 |0| | $a São Paulo : $b Brasiliense, $c 1981.
300 | | | $a 122p. : $b il. ; $c 16 cm.
440 |1|0| $a Coleção Primeiros Passos, $v n.24
500 | | | $a Contém dados biográficos
504 | | | $a Bibliografia: p. 120-22
650 | | | $a Poder $x Ciências Sociais
700 |1|1| $a Ribeiro, Renato Janine
700 |1|1| $a Ribeiro, Silvia Lara
700 |1|1| $a Damiani, Emilio
Lebrun, Gerard, 1930-
041 |1| | $aPOR $cFRE
082 | | | $a 303.33 $b19. ed.
100 |1|0| $a Lebrun, Gerard $d 1930- $e autor
245 |1|2| $a O que é poder. / $c Gerard Lebrun ; Tradução de Renato Janine Ribeiro
e Silva Lara Ribeiro ; Caricaturas de Emilio Damiani.
250 | | | $a 3. ed.
260 |0| | $a São Paulo : $b Brasiliense, $c 1981.
300 | | | $a 122 páginas : $b ilustrado ; $c 16 cm.
336 | | | $a texto $2 rdacontent
337 | | | $a sem mediação $2 rdamedia
338 | | | $a volume $2 rdacarrier
440 |1|0| $a Coleção Primeiros Passos, $v número 24
500 | | | $a Contém dados biográficos
504 | | | $a Bibliografia: páginas 120-22
650 | | | $a Poder $x Ciências Sociais
700 |1|1| $a Ribeiro, Renato Janine $e tradutor
700 |1|1| $a Ribeiro, Silvia Lara $e tradutor
700 |1|1| $a Damiani, Emilio $e tradutor
Exercícios do MARC – AACR2/ISBD  RDA
857302481X
Poesia numa hora dessas?!
Luís Fernando Veríssimo.
Rio de Janeiro
Objetiva
c2002.
105 p.
Ilustrada
18 cm.
020 # # $a
100 1 # $a
245 1 0 $a $c
260 # # $a $b $c
300 # # $a $b $c
336 ## $a $2
337 ## $a $2
338 ## $a $2
Exercícios do MARC – AACR2/ISBD  RDA
Exercícios do MARC – AACR2/ISBD  RDA
020 # # $a 857302481X
100 1 # $a Veríssimo, Luís Fernando $e autor
245 1 0 $a Poesia numa hora dessas?! / $c Luís Fernando Veríssimo.
260 # # $a Rio de Janeiro : $b Objetiva, $c c2002.
300 # # $a 105 páginas : $b ilustrado ; $c 18 cm.
336 ## $a texto $2 rdacontent
337 ## $a sem mediação $2 rdamedia
338 ## $a volume $2 rdacarrier
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 3
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 3Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 3
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 3
Thalita Gama
 
Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)
Raquel Prado Leite de Sousa
 
1ª aula indexacao 2013
1ª aula indexacao 20131ª aula indexacao 2013
1ª aula indexacao 2013
Gisele Dziekaniak
 
CDD
CDDCDD
Catalogação
CatalogaçãoCatalogação
Catalogação
António Cachopas
 
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuaisBibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Rita De Cássia Figueredo
 
Exaustividade, precisão e consistência em indexação: sistematização conceitual
Exaustividade, precisão e consistência em indexação: sistematização conceitualExaustividade, precisão e consistência em indexação: sistematização conceitual
Exaustividade, precisão e consistência em indexação: sistematização conceitual
Luciana Piovezan
 
2 Desenvolvimento de coleções: política
2 Desenvolvimento de coleções: política2 Desenvolvimento de coleções: política
2 Desenvolvimento de coleções: política
Leticia Strehl
 
Glossário de Biblioteconomia
Glossário de BiblioteconomiaGlossário de Biblioteconomia
Glossário de Biblioteconomia
Rodrigo Rocha
 
O controle bibliografico
O controle bibliograficoO controle bibliografico
O controle bibliografico
Andrielle Marques
 
Aula De Cdd
Aula De CddAula De Cdd
Aula De Cdd
Jonathas Carvalho
 
A questão de Referência - Denis Grogan
A questão de Referência - Denis GroganA questão de Referência - Denis Grogan
A questão de Referência - Denis Grogan
Patricia Neubert
 
Classificação e Catalogação em Bibliotecas
Classificação e Catalogação em BibliotecasClassificação e Catalogação em Bibliotecas
Classificação e Catalogação em Bibliotecas
Lygia Canelas
 
Classificação Decimal de Dewey - CDD
Classificação Decimal de Dewey - CDDClassificação Decimal de Dewey - CDD
Classificação Decimal de Dewey - CDD
Dayanne Araújo
 
Atualidades da pesquisa juridica: fontes de informação e organização
Atualidades da pesquisa juridica: fontes de informação e organizaçãoAtualidades da pesquisa juridica: fontes de informação e organização
Atualidades da pesquisa juridica: fontes de informação e organização
Paula Carina De Araújo
 
Rede Bibliodata
Rede BibliodataRede Bibliodata
Rede Bibliodata
Klicia Mendonca
 
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografiasHistórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Natallie Alcantara
 
A Classificação Decimal de Dewey - CDD
A Classificação Decimal de Dewey - CDDA Classificação Decimal de Dewey - CDD
A Classificação Decimal de Dewey - CDD
Carla Façanha de Brito
 
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
Universidade de São Paulo
 
Classificações bibliográficas
Classificações bibliográficasClassificações bibliográficas
Classificações bibliográficas
Igor Falce
 

Mais procurados (20)

Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 3
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 3Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 3
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 3
 
Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)
 
1ª aula indexacao 2013
1ª aula indexacao 20131ª aula indexacao 2013
1ª aula indexacao 2013
 
CDD
CDDCDD
CDD
 
Catalogação
CatalogaçãoCatalogação
Catalogação
 
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuaisBibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
 
Exaustividade, precisão e consistência em indexação: sistematização conceitual
Exaustividade, precisão e consistência em indexação: sistematização conceitualExaustividade, precisão e consistência em indexação: sistematização conceitual
Exaustividade, precisão e consistência em indexação: sistematização conceitual
 
2 Desenvolvimento de coleções: política
2 Desenvolvimento de coleções: política2 Desenvolvimento de coleções: política
2 Desenvolvimento de coleções: política
 
Glossário de Biblioteconomia
Glossário de BiblioteconomiaGlossário de Biblioteconomia
Glossário de Biblioteconomia
 
O controle bibliografico
O controle bibliograficoO controle bibliografico
O controle bibliografico
 
Aula De Cdd
Aula De CddAula De Cdd
Aula De Cdd
 
A questão de Referência - Denis Grogan
A questão de Referência - Denis GroganA questão de Referência - Denis Grogan
A questão de Referência - Denis Grogan
 
Classificação e Catalogação em Bibliotecas
Classificação e Catalogação em BibliotecasClassificação e Catalogação em Bibliotecas
Classificação e Catalogação em Bibliotecas
 
Classificação Decimal de Dewey - CDD
Classificação Decimal de Dewey - CDDClassificação Decimal de Dewey - CDD
Classificação Decimal de Dewey - CDD
 
Atualidades da pesquisa juridica: fontes de informação e organização
Atualidades da pesquisa juridica: fontes de informação e organizaçãoAtualidades da pesquisa juridica: fontes de informação e organização
Atualidades da pesquisa juridica: fontes de informação e organização
 
Rede Bibliodata
Rede BibliodataRede Bibliodata
Rede Bibliodata
 
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografiasHistórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
 
A Classificação Decimal de Dewey - CDD
A Classificação Decimal de Dewey - CDDA Classificação Decimal de Dewey - CDD
A Classificação Decimal de Dewey - CDD
 
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
 
Classificações bibliográficas
Classificações bibliográficasClassificações bibliográficas
Classificações bibliográficas
 

Semelhante a Minicurso - Catalogação em RDA

Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogaçãoFalando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
Fabrício Silva Assumpção
 
Rda
RdaRda
Resource Description and Access (RDA): objetivos, características e desenvolv...
Resource Description and Access (RDA): objetivos, características e desenvolv...Resource Description and Access (RDA): objetivos, características e desenvolv...
Resource Description and Access (RDA): objetivos, características e desenvolv...
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA – Recursos: Descrição e Acesso Caminhos da Catalogação
RDA – Recursos: Descrição e Acesso Caminhos da CatalogaçãoRDA – Recursos: Descrição e Acesso Caminhos da Catalogação
RDA – Recursos: Descrição e Acesso Caminhos da Catalogação
Universidade de São Paulo
 
FRBR_DESAFIANDO LIMITES
FRBR_DESAFIANDO LIMITESFRBR_DESAFIANDO LIMITES
FRBR_DESAFIANDO LIMITES
Rita Almeida
 
Serviços de Descoberta [Artigo - SNBU 2014]
Serviços de Descoberta [Artigo - SNBU 2014]Serviços de Descoberta [Artigo - SNBU 2014]
Serviços de Descoberta [Artigo - SNBU 2014]
Anderson Santana
 
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
Fabrício Silva Assumpção
 
Resource Description and Access (RDA)
Resource Description and Access (RDA)Resource Description and Access (RDA)
Resource Description and Access (RDA)
Fabrício Silva Assumpção
 
7 AULA_SRI.ppt
7 AULA_SRI.ppt7 AULA_SRI.ppt
7 AULA_SRI.ppt
OdeteMyraMesquita
 
Pensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDAPensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
Aula 1 Introdução a fontes, Recuperação e seleção de Informação
Aula 1   Introdução a fontes, Recuperação e seleção de InformaçãoAula 1   Introdução a fontes, Recuperação e seleção de Informação
Aula 1 Introdução a fontes, Recuperação e seleção de Informação
Filipe Reis
 
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Priscila Campos
 
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Fabrício Silva Assumpção
 
Como pesquisar: fundamentos, estratégias e fontes científicas em comunicação.
Como pesquisar: fundamentos, estratégias e fontes científicas em comunicação.Como pesquisar: fundamentos, estratégias e fontes científicas em comunicação.
Como pesquisar: fundamentos, estratégias e fontes científicas em comunicação.
Filipe Reis
 
Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicais
Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicaisPadroes descricao boas_praticas_recursos_musicais
Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicais
Rosana Lanzelotte
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Fabrício Silva Assumpção
 
Colecções Digitais
Colecções DigitaisColecções Digitais
Colecções Digitais
Paulo Leitao
 
Cap8 repositórios maio 2013
Cap8 repositórios maio 2013Cap8 repositórios maio 2013
Cap8 repositórios maio 2013
Anabela Mesquita
 
DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA e ARQUIVAMENTO.pptx
DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA e ARQUIVAMENTO.pptxDESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA e ARQUIVAMENTO.pptx
DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA e ARQUIVAMENTO.pptx
OdeteMyraMesquita
 

Semelhante a Minicurso - Catalogação em RDA (20)

Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogaçãoFalando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
 
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
 
Rda
RdaRda
Rda
 
Resource Description and Access (RDA): objetivos, características e desenvolv...
Resource Description and Access (RDA): objetivos, características e desenvolv...Resource Description and Access (RDA): objetivos, características e desenvolv...
Resource Description and Access (RDA): objetivos, características e desenvolv...
 
RDA – Recursos: Descrição e Acesso Caminhos da Catalogação
RDA – Recursos: Descrição e Acesso Caminhos da CatalogaçãoRDA – Recursos: Descrição e Acesso Caminhos da Catalogação
RDA – Recursos: Descrição e Acesso Caminhos da Catalogação
 
FRBR_DESAFIANDO LIMITES
FRBR_DESAFIANDO LIMITESFRBR_DESAFIANDO LIMITES
FRBR_DESAFIANDO LIMITES
 
Serviços de Descoberta [Artigo - SNBU 2014]
Serviços de Descoberta [Artigo - SNBU 2014]Serviços de Descoberta [Artigo - SNBU 2014]
Serviços de Descoberta [Artigo - SNBU 2014]
 
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
 
Resource Description and Access (RDA)
Resource Description and Access (RDA)Resource Description and Access (RDA)
Resource Description and Access (RDA)
 
7 AULA_SRI.ppt
7 AULA_SRI.ppt7 AULA_SRI.ppt
7 AULA_SRI.ppt
 
Pensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDAPensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDA
 
Aula 1 Introdução a fontes, Recuperação e seleção de Informação
Aula 1   Introdução a fontes, Recuperação e seleção de InformaçãoAula 1   Introdução a fontes, Recuperação e seleção de Informação
Aula 1 Introdução a fontes, Recuperação e seleção de Informação
 
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
 
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
 
Como pesquisar: fundamentos, estratégias e fontes científicas em comunicação.
Como pesquisar: fundamentos, estratégias e fontes científicas em comunicação.Como pesquisar: fundamentos, estratégias e fontes científicas em comunicação.
Como pesquisar: fundamentos, estratégias e fontes científicas em comunicação.
 
Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicais
Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicaisPadroes descricao boas_praticas_recursos_musicais
Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicais
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
 
Colecções Digitais
Colecções DigitaisColecções Digitais
Colecções Digitais
 
Cap8 repositórios maio 2013
Cap8 repositórios maio 2013Cap8 repositórios maio 2013
Cap8 repositórios maio 2013
 
DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA e ARQUIVAMENTO.pptx
DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA e ARQUIVAMENTO.pptxDESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA e ARQUIVAMENTO.pptx
DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA e ARQUIVAMENTO.pptx
 

Último

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 

Minicurso - Catalogação em RDA

  • 1. Minicurso 2: Catalogação em RDA Conteúdo: Introdução à RDA; Objetivos, características e desenvolvimento; Novos Princípios da Catalogação Modelos Conceituais; Estrutura da RDA; Exemplos. Prof. Fernando Modesto fmodesto@usp.br
  • 2. 1. Final anos 1990, IFLA coordena a revisão do novo marco da catalogação. 2. Requisitos Funcionais para Registros Bibliográficos (FRBR, 1998); 3. Descrição Bibliográfica Internacional Normalizada (ISBD, 2007); 4. Requisitos Funcionais para Dados de Autoridade (FRAD, 2009); 5. Princípios Internacionais de Catalogação (PIC, 2009); 6. Requisitos Funcionais para Dados de Autoridade de Assunto (FRSAD, 2011). http://www.ifla.org/ Documentos Básicos
  • 3. Enquanto responsáveis pela organização da informação temos a obrigação de conhecer o atual contexto internacional da catalogação. Utilizar a nova terminologia incluída nos PIC, FRBR e seus documentos derivados. Para implementar RDA: estrutura e conteúdo responde ao modelo do FRBR e as diretrizes do PIC. Por que revisar e conhecer estes documentos?
  • 4. Resource Description and Access Recursos: Descrição e Acesso Conjunto de normas que orientam a descrição, considerando os atributos que o usuário necessita (identificar e relacionar). Não é só nova arrumação das regras catalográficas, mas a reconceituação dos processos catalográficos e do catálogo à luz do universo bibliográfico. RDA orientada às necessidades do Usuário Encontrar Identificar Selecionar Obter Os Recursos 1997 – Na Conferência Internacional sobre os Princípios e Futuro do Desenvolvimento do AACR2, Toronto – Canadá. 2004 – Início do desenvolvimento do AACR3, Joint Steering Committee for the revision of AACR. 2005 – Mudança da AACR3 para RDA. 2010 – Publicação da RDA. Surgimento
  • 5. Características ❖ Padrão de conteúdo e não de apresentação. ❖ Descrição de dados é independente da apresentação dos dados. ❖ Não é necessário utilizar a pontuação ISBD, nem o formato MARC. ❖ Não estruturada com as áreas da ISBD. ❖ Não se organiza por tipo de material. ❖ Ênfase no juízo e experiência do catalogador (política escrita de catalogação). ❖ Abrange todos os tipos de recursos (digitais e analógicos). ❖ Cobertura para todos os tipos de formatos e conteúdos. ❖ Inclusão de outras comunidades: ▪ Arquivologia, Museologia, Editores, Livrarias, Provedores de serviço de informação; ▪ Comunidade de metadados (Dublin Core).
  • 6. Desenvolvimento Impacto da aplicação o Diagnóstico local; o Política de catalogação; o Modificação da documentação de trabalho; o Projeto de Implantação; o Desenvolver ou Compartilhar Controle de Autoridades; o Atualização do Software. Projeto de Implementação Definir o objetivo e finalidade; Assinalar etapas: 1 – Sensibilizar a importância e capacitação dos catalogadores; 2 – Elaborar revisão de políticas de catalogação adotadas; 3 – Redesenho do OPAC e evolução de sua aplicação. Recomendações de Implementação ▪ Conhecer os conceitos FRBR e FRAD ▪ Reconhecer os termos da RDA e as diferenças com o AACR2 ▪ Conhecer as instruções RDA ▪ Familiarizar-se com RDA Toolkit ▪ Ajustar documentação local (procedimentos, políticas, modelos etc.) ▪ Mudança de hábito dos catalogadores ▪ Programa de educação continuada ▪ Custo de capacitação dos catalogadores ▪ Compartilhar mudanças com outras áreas da biblioteca ▪ Gerenciar a produção durante o processo de implantação.
  • 7. O catálogo bibliográfico ▪ Não altera a classificação. ▪ Usado com MARC 21 ou outros formatos. ▪ Registro de autoridade modifica-se com novos campos. ▪ Registros bibliográficos mais extensos, pela exclusão de abreviaturas e da restrição do número de autores; e pela inclusão de novos campos MARC 21. ▪ Sistemas de bibliotecas têm que considerar novos conceitos do universo bibliográfico descrito com a RDA.
  • 9. Princípios Internacionais de Catalogação – PIC, 2009 • São orientações sob os quais se baseiam os códigos de catalogação. • Princípios de Paris – 1961  orientado os catálogos em fichas. • Avanços tecnológicos desde período foram grandes, com os catálogos tendo outro aspecto e organização, apesar das funções básicas seguirem as mesmas. • IFLA revisa os Princípios para adaptar a catalogação à realidade atual. • 2003 – revisão do Princípios, por meio da Divisão IV do Controle Bibliográfico da IFLA, Seção de Catalogação. • Por meio de Reuniões de Especialistas em Catalogação (IFLA Meeting of Experts on an International Cataloguing Code) organizadas por áreas regionais no mundo.
  • 10. IFLA MEETING OF EXPERTS ON AN INTERNATIONAL CATALOGUING CODE - IME ICC IME ICC 1 – Europa - 2003 Berlim IME ICC 2 – América Latina - 2004 Buenos Aires IME ICC 3 – Oriente Médio - 2005 Egito IME ICC 4 – Ásia - 2006 Coreia do Sul IME ICC5 – África - 2007 África do Sul Princípios Internacionais de Catalogação – PIC, 2009 Baseado nos seguintes princípios: Conveniência do usuário do catálogo. Uso comum. Representação. Precisão. Suficiência e necessidade. Significância. Economia. Consistência e padronização. Integração.
  • 11. Princípios Internacionais de Catalogação – PIC, 2009 Conveniência do usuário. Uso comum. Representação. Precisão. Suficiência e necessidade. Significância. Economia. Consistência e padronização. Integração. A criação das descrições e controle de autoridade para os acessos, devem levar em conta os usuários. Vocabulários adotado nas descrições e acesso deve estar em concordância com a maioria dos usuários. Descrição e formas de controle de autoridade baseados na maneira em que estas entidades se descrevem a si mesmas. Entidade descrita deve ser fiel à representação. Descrição e controle de autoridade para acesso devem incluir os elementos necessários para satisfazer as tarefas dos usuários e são essenciais para identificar uma entidade. Elementos de dados devem ser significativos bibliograficamente. Preferência ao favorecimento da economia em conjunto (isto é, o menor custo ou o planejamento mais simples. Normalizar as descrições e a criação de pontos de acesso o máximo possível. Descrição de todo tipo de material e formas de controle de autoridade de todo tipo de entidade deve se basear em um conjunto comum de regras.
  • 12. Princípios Internacionais de Catalogação – PIC, 2009 Comprende: ❖ Alcance: códigos, catálogos de bibliotecas, datos bibliográficos e de autoridades, bibliografias e outros arquivos de dados ❖ Principios Gerais ❖ Entidades, Atributos e Relações de acordo com os modelos conceituais: FRBR, FRAD e FRSAD Objetivos e Funções do Catálogo: ser instrumento eficaz e efetivo que permita ao usuário: ➢ encontrar ➢ identificar ➢ selecionar ➢ adquirir ou obter ➢ navegar Também compreende:
  • 13. Princípios de catalogação Objetivos do Catálogo PANIZZI (Séc. XIX) Reunir recursos iguais e diferenciá-los dos parecidos. CUTTER (1876) Buscar Reunir Selecionar Ranganathan (The five laws of Library Science, 1931) Os libros são para uso. A cada leitor o seu livro. A cada livro o seu leitor. Poupar o tempo do leitor. A biblioteca é um organismo em crescimento. PRINCIPIOS DE PARIS (IFLA,1961) Catálogo como instrumento para determinar: ➢ Se a biblioteca tem um determinado livro, segundo seu autor e título (próprio ou indicado). ➢ Quais as obras de um determinado autor e quais das edições de uma determinada obra tem na biblioteca.
  • 14. Modelos conceituais Frbr Frad Edição em inglês publicada em 1998; a tradução ao español em 2004; tradução ao portugués (Portugal) em 2008. FRBR: modelo conceitual que representa o universo bibliográfico, com suas diferentes entidades que se relacionam entre si e que podem ser descritas através de distintos elementos ou atributos. O modelo inclui: o Tarefas do usuário (localizar, identificar, selecionar, obter) o Três grupos de entidades (as coisas que compõem o universo) o Características das entidades (atributos / elementos) o Relações entre as entidades Prover um marco estrutural, claramente definido, para relacionar os dados incluídos nos registros bibliográficos com as necessidades dos usuários.
  • 15. FRBR - Tarefas de Usuários ENCONTRAR Entidades que correspondem aos critérios de busca formulados. IDENTIFICAR Confirmar que a entidade descrita corresponde à entidade procurada ou distinguir entre entidades com características comuns. SELECIONAR Entidade apropriada às necessidades do usuário (no que se refere a conteúdo, formato físico, etc., ou recursar inadequadas). OBTER Acesso à entidade descrita
  • 16. Três palavras-chave do FRBR ENTIDADE ENTIDADE Relações ATRIBUTOS Título: O alienista Data: 1998 Entidade: as coisas ou objetos que devemos representar. Atributos são as características, é o que nos permite descrevê-las. Relações são os vínculos ou as interações que se produzem entre duas ou mais entidades.
  • 17. Entidades do FRBR Entidades do Grupo 1: Obra, Expressão, Manifestação, Item Entidades do Grupo 3: Grupos 1 e 2 Conceito, Objeto, Evento, Lugar Entidades do Grupo 2: Pessoa, Entidade corporativa
  • 18. Obra Expressão Manifestação Item é realizada por é incorporada em é exemplificada por Nível conceitual Nível físico FRBR – Entidades do Grupo 1 É percebida por meio da Ganha existência na No contexto de “quem escreveu o texto”, significa alto nível de abstração, o conteúdo conceitual implícito a todas as versões linguísticas, a história contada no texto, as ideias na cabeça do autor para o texto. FRBR chama isso de Obra. O texto no contexto idioma original como o autor o escreveu ou no contexto de quem traduziu (texto em uma língua específica). FRBR chama de expressão. Ao comprar o livro (suporte), sabemos ISBN, quem editou e data, se está em boas condições ou faltar páginas. FRBR chama de manifestação Livro descrito como objeto físico de posse da biblioteca, os FRBR chamam objeto de item
  • 19. Entidades do Grupo 1 Obra: Criação intelectual ou artística diferenciada Expressão: Realização intelectual ou artística de uma obra em diferentes formas (texto, imagem, som, etc.) Manifestação: Materialização física da expressão de uma obra Porto Alegre : LPM, 1998. Item: Um exemplar determinado de uma manifestação Biblioteca Nacional Biblioteca Mario de Andrade
  • 20. Atributos das entidades do Grupo 1 Obra: Título Forma Data Outras características distintivas Finalização prevista Tipo de público Manifestação: Título Indicação de responsabilidade Edição Imprenta (distribuição, publicação etc.) Tipo suporte/extensão do suporte Condições de disponibilidade Modo de acesso etc. Expressão: Título Forma do conteúdo Data Língua etc. Item: Identificador Procedência Localização etc.
  • 21. Atributos das obras e expressão na RDA
  • 23. Entidades do Grupo 2 Pessoa Entidade Corporativa Representam os responsáveis pelo conteúdo intelectual ou artístico, a produção física e difusão ou a custódia das Entidades do Grupo 1.
  • 24. 24 Obra Expressão Manifestação Item Pessoa Entidade Coletiva é criada por é percebida por meio da é produzida por é propriedade de Entidades do Grupo 2 - FRBR Entidades (pessoas e organizações) relacionadas às entidades do Grupo 1. Refletem o papel do Grupo 2 com o Grupo 1 Destaca a importância dos termos relacionados (relator terms) Responsáveis por
  • 26. Entidades do Grupo 3 • Conceito • Objeto • Acontecimento • Lugar • Grupos 1 e 2 Apresentam um conjunto adicional de entidades que se utilizam como assuntos das obras.
  • 27. Entidades do Grupo 3 Lugar, direção com o mais amplo alcance Conceito, faz referência a uma idea ou noção abstracta. Objeto, a uma coisa material, incluí tanto objetos animados como inanimados. Acontecimento, concebido como um evento ou uma ação ou ocorrência. Biblioteconomia Arquivologia Estante Granito Jogos Olímpicos, 2016 Manaus Rio de Janeiro
  • 28. Grupo 3: entidades e relações de asuntos. Obra Expressão Manifestação Item Pessoa Entidade Coletiva Conceito Objeto Evento Lugar Obra tem como assunto tem como assunto tem como assunto São os assuntos da obra. Ex. pode se ter uma obra sobre outra obra ou uma obra sobre pessoa ou organização. Relacionamentos bibliográficos Relacionamentos: de conteúdo todo/parte parte/parte Obra x Assunto
  • 30. Usuário: Tento encontrar Harry Potter e o Enigma do Príncipe ... Ao buscar uma ficção resulta em um grupo de registros de Obra com autor, título e assunto Fiction Finder é um produto da OCLC Research Alison Hitchens, 2011
  • 31. Usuário: Eu quero ler Harry Potter e o Enigma do Príncipe em espanhol Há mais de uma opção de idioma Há mais de um formato Ao encontrar uma Ficção permite que o usuário escolha uma expressão Hitchens, 2011
  • 32. Usuário: eu quero lê-lo em brochura Estes atributos pertencem à manifestação e permite que o usuário selecione o recurso. Hitchens, 2011
  • 33. Usuário: Onde posso obter uma cópia? Esta informação refere-se ao item, a cópia física que o usuário vai ler. Ela permite ao usuário obter o recurso. Fonte da imagem: OCLC WorldCat Hitchens, 2011
  • 34. Relações gerais ENTIDADE – G1 ENTIDADE – G2 RELAÇÕES Atributos Título: Gabriela cravo e canela Data: 2012 Atributos Nome: Jorge Leal Amado de Faria Data Nasc. :1912-2001 Ocupação: Escritor De característica ampla e que se estabelece entre as entidades dos diferentes grupos, por exemplo: entre a entidade obra do grupo 1 e a pessoa do grupo 2 que se relacionam porque a pessoa do grupo 2 é a criadora da obra.
  • 35. Relações específicas Entidad-G1 Entidad-G1 Atributos Título: La casa verde Idioma: Espanhol Data: 1975 Atributos Título: The green house Idioma: Inglês Data: 1978 Relações Se apresentam entre as entidades de um mesmo grupo. Por exemplo entre duas expressões de uma mesma obra, a partir da tradução de uma obra, ou entre as distintas manifestações de uma mesma obra, como é o caso das distintas edições.
  • 36. Relações FRBR: Obra – Obra Novela da TV, 1975. Filme, 1983 Obra de teatro, 2016 Romance, 1958 Derivado de
  • 37. 020 $a 0521361834 Identificador de manifestação 100 1# $a Montesquieu, Charles-Louis de Secondat, $c Baron de La Brède et de, $d 1689-1755 $e autor Pessoa física ‘criado por’ relação com a obra 240 10 $a De l’esprit des lois. $l Inglês $a = Obra $l = Expressão 245 14 $a The spirit of the laws / $c Montesquieu ; traduzido e editado por Anne M. Cohler, Basia Carolyn Miller, Harold Samuel Stone Manifestação 260 ## $a Cambridge ; $a New York : $b Cambridge University Press, $c 1989 Manifestação 300 ## $a xlvii, 757 p. : $b ill, ; $c 22 cm. Manifestação 500 ## $a Tradução de: De l’espirit des lois. Expressão 650 0# $a Ciência política 650 0# $a Direito $x Filosofia Conceito Relação “de assunto’ com a obra 700 1# $a Cohler, Anne M. $e tradutor 700 1# $a Miller, Basia Carolyn $e tradutor 700 1# $a Stone, Harold Samuel, $d 1949 $e tradutor Pessoa física Relação de ‘realizado por’ com esta expressão OLIVER, C.(2011)
  • 38. Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD - 2009 Tarefas do Usuário Encontrar (uma entidade) Identificar (uma entidade) Contextualizar (esclarecer a relação entre as entidades) Justificar (razão pela escolha dos dados) O que é? • IFLA Working Group on Functional Requirements and Numbering of Authority Records (FRANAR) • Extensão e expansão do modelo FRBR para o conjunto de dados que suportam o controle de autoridade.
  • 39. Tarefas do Usuário Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD Para criadores de dados de autoridade e usuários que utilizam a informação de autoridade. Encontrar: entidade ou conjunto de entidades correspondente a determinado critério (encontrar uma entidade única ou um conjunto delas utilizando como critério de busca, um dos seus atributos ou combinação de atributos ou relações de entidade). Identificar: confirmar que a entidade representada corresponde a entidade buscada. Distinguir entre duas ou mais entidades que têm características similares; ou validar a forma do nome que pode ser usada como ponto de acesso controlado Contextualizar: indicar uma pessoa, entidade corporativa, obra etc., no seu contexto; esclarecer a relação entre duas ou mais pessoas, entidades corporativas, etc, e o nome pelo qual estas entidades são conhecidas. Justificar: documentar o motivo pelo qual o criador dos dados de autoridade tenha escolhido o nome ou a forma do nome no qual se baseia um ponto de acesso controlado.
  • 40. Modelo FRAD Entidades: • Entidades FRBR • Nome • Identificador • Ponto de Acesso Controlado • Regras • Agências Entidades bibliográficas São conhecidas por Nomes e/ou identificadores Pontos de acesso controlados Entidade nome: nomes de pessoas, de entidades coletivas, de família, nomes comerciais, e os títulos de obras e de suas manifestações. Entidade identificador: um código ou outra designação que indica o tipo de identificador. Inclui uma cadeia alfanumérica ou numérica que designa o sistema aplicado (ISBN, ISSN, ISRC etc.). No processo de catalogação os nomes e os identificadores são usados como base para a construção de pontos de acesso controlado.
  • 41. Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD Preve elementos de identificação específica para descrever pessoas, famílias e entidades corporativas. Nem todos estes atributos são utilizados nos pontos de acesso autorizados, porém auxiliam a identificar as entidades e podem ser usados em futuras visualizações de maneiras novas e criativas. Datas associadas à pessoa Título da pessoa Gênero * Lugar de nascimento * Lugar de falecimento * País * Lugar de residência * Afiliação * Endereço * Língua da pessoa * Área de atividade Profissão (ocupação) Biografia * Outra informação associada com a pessoa Atributos dos dados de Autoridade: Pessoa Alguns atributos são considerados do FRBR e outros são dados próprios de autoridade, provêm da análise dos dados identificados e definidos nos documentos, como: FRBR, GARR, MARC, UNIMARC. Nem todos são obrigatórios.
  • 42. Relações entre Pessoas, Famílias e Entidades Corporativas Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD Tipos de Entidades Exemplo de Tipos de Relação Pessoa = Pessoa Relação de pseudônimo Relação Religiosa Relação de Cargo Relação de Atribuição Relação de Colaboração Relação de Irmandade Relação de Pai e Filho Pessoa = Família Pessoa = Entidade Corporativa Pessoa = Família Família = Entidade Corporativa Entidade Corporativa = Entidade Corporativa Relação de Filiação Relação de Filiação/pertencimento Relação genealógica Relação de Fundação Relação de Propriedade Relação hierárquica Relação sequencial
  • 43. Usando Atributos para Aprimorar a Apresentação AACR2 Tremblay, Michel, 1942- Occupation: writer Tremblay, Michel, 1947- Field of Activity: pin collector Tremblay, Michel, 1953- Occupation: photographer Tremblay, Michel, 1954- Affiliation: HEC Montréal Tremblay, Michel, 1964- Associated Place: Saskatchewan Affiliation: Saskatchewan Agriculture and Food RDA/FRAD Tremblay, Michel, 1942- Ocupação: escritor Tremblay, Michel, 1947- Campo de atividade: decorador Tremblay, Michel, 1953- Ocupação: fotográfo Tremblay, Michel, 1954- Afiliação: HEC Montréal Tremblay, Michel, 1964- Local Associado: Saskatchewan Afiliação: Saskatchewan Agriculture and Food
  • 44. Requisitos Funcionais para Controle de Autoridade – FRAD 046: Data especial codificada 370: Lugar associado 371: Endereço 372: Campo de atividade 373: Filiação 374: Ocupação 375: Gênero 377: Língua associada 378: Nome completo MARC21 de Autoridades
  • 45.
  • 46. Pessoa Amado, Jorge Data associada à Pessoa 1912-2001 Título da Pessoa -- Gênero. Masculino Lugar de Nascimento. Fazenda Auricídia, em Ferradas, distrito de Itabuna, Bahia Lugar de Falecimento Salvador, Bahia País Bahia, Brasil Lugar de Residência Salvador, Bahia, Brasil Afiliação Grupo Literário Academia dos Rebeldes; Partido Comunista Brasileiro Endereço Rua Alagoinha, n. 33, Rio Vermelho, CEP: 41940-620, Salvador, Bahia, Brasil. http://goo.gl/ESQ2xp ; http://goo.gl/uUDeIH Língua da Pessoa Português Campo de Atividade Literatura Profissão Escritor; Jornalista, Político Bibliografia http://www.releituras.com/jorgeamado_bio.asp Outras informações associada com a pessoa Autor entre outras obras de: Capitães da areia, romance (1937) Gabriela, cravo e canela, romance (1958) Dona Flor e Seus Dois Maridos, romance (1966) Tieta do Agreste, romance (1977) Atributos Pessoa, controle de autoridade mais trabalhoso e detalhista.
  • 47. LC control no.: n 80002329 LCCN Permalink: https://lccn.loc.gov/n80002329 HEADING: Machado de Assis, 1839-1908 000 01842cz a2200337n 450 001 1433184 005 20130917160156.0 008 800625n| azannaabn |a aaa 010 __ |a n 80002329 035 __ |a (OCoLC)oca00385024 040 __ |a DLC |b eng |e rda |c DLC |d DLC |d OCoLC |d MnU |d UPB |d NNC |d DLC 046 __ |f 18390621 |g 19080929 053 _0 |a PQ9697.M18 100 1_ |a Machado de Assis, |d 1839-1908 370 __ |a Rio de Janeiro (Brazil) |b Rio de Janeiro (Brazil) |2 naf 374 __ |a Novelists |a Poets |a Dramatists |2 lcsh 375 __ |a male 377 __ |a por 400 1_ |a Assis, Joaquim Maria Machado de, |d 1839-1908 400 1_ |a Assis, Machado de, |d 1839-1908 400 1_ |a De Assis, Joaquim Maria Machado, |d 1839-1908 400 1_ |a De Assis, Machado, |d 1839-1908 400 1_ |a Machado de Assis, Joaquim Maria, |d 1839-1908 667 __ |a Pseudonym not found on published works: LeÌ•lio, ManasseÌ•s, Bruxo do Cosme Velho. 670 __ |a Balas de estalo, 1998: |b t.p. (Machado de Assis) p. 19 (pseudonym LeÌ•lio) 670 __ |a História de quinze dias, 2009: |b t.p. (Machado de Assis) p. 16 (ManasseÌ•s, pseudônimo que Machado assumiria em todas as croÌ‚nicas de seÌ•rie.) p. 65 (ManasseÌ•s) 670 __ |a Wikipedia, Sept. 17, 2013 |b (Joaquim Maria Machado de Assis; known as Machado de Assis, Machado, or Bruxo do Cosme Velho; born June 21, 1839 in Rio de Janeiro; died September 29, 1908, Rio de Janeiro; Brazilian novelist, poet, playwright, short story writer, and advocate of monarchism. Widely regarded as the greatest writer of Brazilian literature) 952 __ |a RETRO http://goo.gl/2WxuPF
  • 48. CASLIS | Hitchens | March 2011 48
  • 49. MODELOS DE CATÁLOGOS - EXEMPLO BN Espanha Tradicional: http://goo.gl/bTWLBJ FRBR: http://datos.bne.es/inicio.html
  • 50. The club of angels / Luis Fernando Verissimo ; traduzido do português por Margaret Jull Costa. Autor: Veríssimo, Luís Fernando, 1936- Idioma(s): English ; Portuguese Distribuição: London : Harvill, 2001. Descrição física: 135 p. ; 21 cm. ISBN: 1860468675 Exercício Obra Expressão Manifestação Item é realizada por é incorporada em é exemplificada por Nível conceitual Nível físico
  • 51. Obra Expressão Manifestação Item é realizada por é incorporada em é exemplificada por Nível conceitual Nível físico FRBR – Entidades do Grupo 1 The club of angels / Luis Fernando Verissimo ; traduzido do português por Margaret Jull Costa. Autor: Veríssimo, Luís Fernando, 1936- Distribuição:London : Harvill, 2001. Do original: O clube dos anjos Descrição física: 135 p. ; 21 cm. ISBN: 1860468675 O clube dos anjos Língua: Português The club of angels Inglês Texto Tradução de Margaret Jull Costa
  • 52. O Clube dos Anjos Obra Veríssimo, Luís Fernando, 1936 - O Clube dos Anjos Português Literatura Brasileira Veríssimo, Luís Fernando, 1936 - Expressão Inglês Manifestação Costa, Margaret Jull, 1949- The Club of angels Veríssimo, Luís Fernando, 1936 - O Clube dos Anjos The Club of angels First edition, Harvil Harvil London 2001 ISBN 0811215008 (ISBN13: 9780811215008) [CONCEITO] Tem ponto de acesso autorizado Na língua É realizada Tem Tradução Tradução de Tem tradutor Traduzido por Na língua [PESSOA] [Conceito] Tem etiqueta [Ponto de Acesso Autorizado] Tem autor [PESSOA] Ponto de Aceso Autorizado Ocupação Gênero Residência Afiliação Tem título Tem ponto de acesso autorizado Está incorporada em  incorpora Tem título principal Tem edição Tem Data de publicação Tem local de publicação É editado por Tem editor [Entidade Coletiva] Tem identificador Literatura Brasileira [TERMO CONTROLADO DE GÊNERO] Tem etiqueta [CONCEITO] Tem gênero é do gênero Texto Tipo de conteúdo Tem assunto É assunto Tem título [Ponto de Acesso Autorizado] Literatura Brasileira Poesia Brasileira É incorporada FRAD FRAD FRSADFRSAD
  • 53. http://viaf.org/ Virtual International Authority File Arquivo Virtual Internacional de Autoridade O objetivo é reduzir o custo e aumentar a utilidade dos arquivos de autoridade das bibliotecas.
  • 55. Minicurso 2: Catalogação em RDA Conteúdo: Introdução à RDA; Objetivos, características e desenvolvimento; Modelos Conceituais; Estrutura da RDA; Fernando Modesto fmodesto@usp.br Manaus, AM out. 2016 Estrutura da RDA
  • 56. Estrutura • Diferente da AACR2. • Ferramenta para Web. • Organizada entorno das tarefas do usuario. • Contém instruções para elaborar registros bibliográficos e criar pontos de acesso. • Norma sobre Recursos: descrição e acesso para registros bibliográficos que substitui a AACR2r. • Melhorar a descrição de Metadados no apoio à descoberta de recursos no ambiente digital. • Toma como base o FRBR, e PIC. O que é?
  • 57. Resource Description and Access Descrição de Recurso e Acesso (2009-2010): Prospecto (2008) Quadro síntese Estrutura ➢ Corresponde a uma estrutura relacional. ➢ Projetada para o universo digital. ➢ Desenhada para bibliotecas, mas pode ser usadas por outras comunidades (arquivos, museus, editoras, etc.) ➢ Objetivo de ser compatível com outras formas de metadados. ➢ Sem ligação com nenhuma estrutura ou síntaxe específica. ➢ Usada segundo nível de exaustividade determinado pela entidade catalogadora. ➢ Compatibilidade com a AACR2 até onde seja possível. ➢ Recomenda a criação de um registro bibliográfico para cada manifestação.
  • 58. ■ American Library Association ■ Australian Committee on Cataloguing ■ British Library ■ Canadian Committee on Cataloguing ■ Chartered Institute of Library and Information Professionals (CILIP) ■ Library of Congress Committee of Principals (CoP) supervisiona o projeto como um todo. Membros do CoP: ■ American Library Association ■ Canadian Library Association ■ Chartered Institute of Library and Information Professionals (CILIP) ■ Library of Congress ■ Library and Archives Canada ■ British Library ■ National Library of Australia Entidades Co-Editoras fornecem suporte financeiro e de produção para o RDA. ■ American Library Association ■ Canadian Library Association ■ CILIP, whose publishing imprint is Facet Publishing (www.facetpublishing.co.uk) RDA desenvolvida pelo JSC com representantes: Estrutura
  • 59. Assinatura anual: $380 dólares (básico para dois ou mais usuários). Assinatura anual por usuário: $195 dólares. Edição impressa: $150 http://access.rdatoolkit.org/ Estrutura
  • 60. http://access.rdatoolkit.org/ Estrutura AACR2 é propriedade conjunta da Associação Americana de Bibliotecas (American Library Association), Associação Canadense de Bibliotecas (Canadian Library Association), e do Instituto Integrado de Bibliotecas e Profissionais da Profissionais (Chartered Institute of Library and Information Professionals). Copyright © 2005 pela ALA, CLA, e CILIP Ao se inscrever na RDA Toolkit, haveria acesso à AACR2. Aliviar o impacto da transição da mudança de normas. O número da regra AACR2 relacionadas à regra RDA.
  • 62. AACR2 X RDA • Todo tipo de material impresso. • Inapto para recursos digitais. • Todos os tipos de conteúdo e de suporte. • Recursos digitais (e impressos). Parte I organizado pelas áreas da ISBD Organizado segundo FRBR (entidades e relacionamentos) Estrutura
  • 63. Estrutura AACR2 20 capítulos e 5 apêndices Parte I - Descrição 1. Regras Gerais de Descrição 2. Livros, Folhetos e Folhas Impressas 3. Materiais Cartográficos 4. Manuscritos 5. Música 6. Gravações de sons 7. Filmes Cinematográficos e Gravações de Vídeos 8. Materiais Gráficos 9. Recursos Eletrônicos 10. Artefatos Tridimensionais e Realia 11. Microformas 12. Recursos Contínuos 13. Análise Part II – Pontos de Acesso, Títulos Uniformes, Remissivas 21. Escolha dos Pontos de Acesso 22. Cabeçalhos para Pessoas 23. Nomes Geográficos 24. Cabeçalhos para Entidades 25. Títulos Uniformes 26. Remissivas 1. Atributos de Manifestação e Item 2. Atributos do Obra e da Expressão 3. Atributos de Pessoa, Família e Entidade Coletiva 4. Atributos de Conceito, Objeto, Evento e Lugar Registro do Atributos (FRBR/FRAD) Registro do Relacionamentos (FRBR / FRAD) 5. Relacionamentos primários 6. Relacionamento com Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas associados a um recurso 7. Relacionamentos de Assunto 8. As relações entre obras, expressões, manifestações e itens 9. As relacionamentos entre Pessoas, Famílias e Entidades 10. Relacionamentos entre Conceitos, Objetos, Eventos e Lugares Estrutura RDA – 10 Seções, 37 capítulos e 13 apêndices http://www.rda-jsc.org/rdafaq.html#4
  • 64. Estrutura do RDA13 Apêndices Appendix A. (Maiúscula) Appendix B. (Abreviações) Appendix C. (Artigos iniciais) Appendix D. (Sintaxes de registros para dados descritivos) Appendix E. (Sintaxes do registro para controle de ponto de acesso) Appendix F. (Instruções adicionais para nome de pessoas) Appendix G. (Títulos de nobreza, termos hierárquicos [títulos honoríficos] ) Appendix H. (Datas no calendário cristão) Appendix I. (Designadores de relação: relações entre um recurso e pessoas, famílias e entidades coletivas associadas ao recurso) Appendix J. (Designadores de relação: relações entre obras, epressões, manifestações e itens) Appendix K. (Designadores de relação: relações entre pessoas, famílias e entidades coletivas) Appendix L. (Designadores de relação: relações entre conceitos, objetos, eventos e lugares [não elaborados]) Appendix M. Exemplos completos – registros bibliográficos http://www.rda-jsc.org/rdaprospectus.html A Maiúsculas e Minúsculas B Abreviaturas C Numerais D Glossário E Artigos Iniciais F Apêndice à Tradução Brasileira ÍNDICE Apêndices
  • 65. Os princípios da RDA Estrutura do RDA o Diferenciação: os dados devem diferenciar um recurso de outro. o Suficiência: os dados devem ser suficientes para que o usuário possa selecionar o recurso apropriado às suas necessidades. o Relações: os dados devem mostrar as relações bibliográficas significativas que existem entre os recursos. o Representatividade: os dados devem refletir o recurso descrito. o Precisão: os dados devem ser inequívocos. o Uso comum: os dados usados, fora do previsto pelo próprio recurso, devem refletir o uso comum.
  • 66. Grupo1: Obra, expressão, manifestação, e Item Seção 1: Atributos de Manifestação e item Cap. 1 – Registro de Atributos de Manifestação e Itens; Cap. 2 – Identificação de Manifestação e Item; Cap. 3 – Descrição de Suporte; Cap. 4 – Prover Informação sobre Aquisição e Acervo. Seção 2: Atributos de Obras e expressão Cap. 5 – Registro de Atributos de Obras e Expressão; Cap. 6 – Identificação Obras e Expressão; Cap. 7 – Descrição de Conteúdo. Seção 5: Registro de Relações Principais entre Obras, Expressão, Manifestação e Itens. Seção 8: Registro de Relações entre obras, expressões, manifestações e Itens. Estrutura de Organização da RDA  FRBR Atributo Entidade Relações
  • 67. Estrutura de Organização da RDA  FRAD Grupo 2: Pessoas, famílias, entidades corporativas Seção 3: Atributos de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas Cap. 8 – Diretrizes de Registro de Atributos de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas; Cap. 9 – Identificação de Pessoas; Cap. 10 – Identificação de Família; Cap. 11 – Identificação de Entidades Coletivas. Seção 6: Registro de Relações de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas. Cap. 17 – Orientações Gerais sobre o registro das relações básicas entre obra, expressão, manifestação e item. Cap. 18 – Registro de relações de pessoas, famílias e entidades associadas a um recurso. Cap. 19 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Obra. Cap. 20 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Expressão. Cap. 21 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Manifestação. Cap. 22 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com um Item. Seção 9: Registro de relações entre Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas. Cap. 30 – Pessoas relacionadas. Cap. 31 – Famílias relacionadas. Cap. 32 – Entidades Corporativas relacionadas. Entidade Atributo Relações FRBR/FRAD
  • 68. Estrutura de Organização da RDA  FRSAD Grupo 3: Conceitos, Objetos, Eventos, Lugares Seção 4: Atributos de Conceito, Objeto, Evento e Lugar. Cap. 12 – Orientações gerais sobre o registro dos atributos conceito, objeto, eventos, e lugares; Cap. 13 – Identificação de conceitos; Cap. 14 – Identificação de objetos; Cap. 15 – Identificação de Eventos. (Nenhum capítulo desenvolvido na RDA) Cap. 16 – Identificação de Lugares [não completa] Seção 7: Registro de Relações de Conceitos, Objetos, Eventos e Lugares. Cap. 23 – Diretrizes sobre registro de Assuntos de uma Obra [Não desenvolvida na RDA] Seção 10: Registro de relações entre Conceitos, Objetos, Eventos e Lugares. Cap. 33 – Orientações gerais sobre o registro das relações entre conceito, objetos, acontecimentos e lugares; Cap. 34 – Conceitos relacionados; Cap. 35 – Objetos relacionados; Cap. 36 – Acontecimentos relacionados; Cap. 37 – Lugares relacionados. [Nenhum capítulo desenvolvida na RDA] Entidade Atributo Relações FRBR/FRSAD
  • 69. EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item Tarefas do Usuário Registro de dados que auxiliam usuário identificar o recurso Seção 1: Registro dos atributos de manifestação e item Capítulo 1. Instruções gerais para registrar os atributos de manifestação e item Capítulo 2. Identificação da manifestação e item Título principal; Títulos variantes; Outras informações sobre o título Indicação da Edição; Data de Copyright; Indicação da Série; Identificador para Manifestação (ISBN); Indicação de Publicação (lugar, Editora, Data de publicação) Notas relacionadas Registro das características físicas que auxiliam usuário na seleção do recurso Seção 1: Registro dos atributos de manifestação e item Capítulo 1. Instruções gerais para registrar os atributos de manifestação e item Capítulo 3. Descrição de suportes (antes, descrição física) Tipo de mídia; Tipo de suporte; Extensão Dimensão; Outros detalhes físicos; Notas relacionadas
  • 70. EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item Tarefas do Usuário Registro de dados que auxiliam usuário obter o recurso Seção 1: Registro dos atributos de manifestação e item Capítulo 1. Instruções gerais para registrar os atributos de manifestação e item Capítulo 4. Proporcionar informações sobre aquisição e acesso Termos de disponibilidade (preço); Informação de contato; Restrições de acesso Seção 2: Registrar atributos de obra e expressão Capítulo 5. Instruções gerais para registrar os atributos de obras e expressões Capítulo 6. Identificar obras e expressões Título preferido para a Obra; Forma da Obra; Data da Obra; Tipo de conteúdo; Linguagem de expressão; Identificadores (para obra e expressão); Pontos de acesso autorizado Restrições de uso; URL Registro de dados que auxiliam usuário a identificar o recurso
  • 71. EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item Tarefas do Usuário Registro das características de conteúdo que auxiliam o usuário a selecionar o recurso Tipo de Público; Linguagem do conteúdo; Conteúdo suplementar (índice, bibliográfica) Seção 2: Registrar atributos de obra e expressão Capítulo 5. Instruções gerais para registrar os atributos de obras e expressões Capítulo 7. Descrever o conteúdo Nome preferido para pessoa; Data de nascimento; Sexo; Lugar de residência; Nome variante para pessoa; Profissão ou ocupação; Identificador para pessoa; Forma completa do nome; Cobertura do conteúdo; Resumo do conteúdo; Ilustração; Conteúdo colorido. Registro de dados que auxiliam o usuário a identificar uma pessoa, família, entidade corporativa Seção 3: Atributos de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas Cap. 8 – Diretrizes de Registro de Atributos de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas; Cap. 9 – Identificação de Pessoas; Cap. 10 – Identificação de Família; Cap. 11 – Identificação de Entidades Coletivas. Língua da pessoa; Ponto de Acesso Autorizado
  • 72. EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item Tarefas do Usuário Auxiliar as pessoas a encontrar todos os recursos que incorporam as obras específicas e expressões no recurso, e todos os itens exemplificados pela manifestação. Seção 6: Registro de Relações de Pessoas, Famílias e Entidades Coletivas. Cap. 17 – Orientações Gerais sobre o registro das relações básicas entre obra, expressão, manifestação e item. ▪ Métodos para mostrar as relações principais. ▪ Identificadores (obra, expressão, manifestação, item) ▪ Pontos de Acesso Autorizado (obra, expressão) ▪ Elaboração da Descrição (obra, expressão, manifestação, item) 100 1_ $a Tolkien, J. R. R. $q (John Ronald Reuel), $d 1892-1973 , $e autor 245 14 $a The hobbit / $c J.R.R. Tolkien ; adaptado por Bob Lewis. 260 __ $a St. Paul, Minnesota : $b HighBridge Company, $c [2001], ℗2001. 300 __ $a 4 audio discos (4 hr., 30 min.) : $b digital ; $c 4 3/4 in. 336 __ $a spoken word $2 rdacontent 337 __ $a audio $2 rdamedia 338 __ $a audio disc $2 rdacarrier Tolkien, J.R.R. (John Ronald Reuel), 1892-1973. The hobbit é a “obra manifestada”
  • 73. EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item Tarefas do Usuário Auxiliar os usuários a encontrar todos os recursos associados a uma determinada pessoa, família ou entidade coletiva relacionada com o recurso, pelo registro dessas relações. Cap. 18 – Registro de relações de pessoas, famílias e entidades associadas a um recurso. Cap. 19 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Obra. Cap. 20 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Expressão. Cap. 21 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com uma Manifestação. Cap. 22 – Pessoas, Famílias e Entidades Associadas com um Item Pontos de Acesso AutorizadoIdentificadores Indicadores de Relacionamento Grupo 2 e Grupo 1 do FRBR. ENCONTRAR "todos os recursos“, não é apenas localizar o recurso por saber o nome do autor. O maior significado de ENCONTRAR é a pesquisa e recolha. Palavra-chave de busca – ENCONTRAR é aplicado a tudo na RDA. ENCONTRAR é a tarefa principal do usuário RDA, isso significa encontrar coisas.
  • 74. EstruturaGrupo 1 – Obra, Expressão, Manifestação e Item Tarefas do Usuário Auxiliar usuários a buscar obras, expressões, manifestações e itens relacionados com o recurso, registrando essas relações. Ajudar usuários a entender as relações entre duas ou mais obras, expressões, manifestações, ou itens. Cap. 24 – Orientações Gerais sobre o registro das relações de Obras, Expressões, Manifestações e Itens. Cap. 25 – Obras relacionadas. Cap. 26 – Expressões relacionadas. Cap. 27 – Manifestações relacionadas. Cap. 28 – Itens relacionados. Pontos de Acesso AutorizadoIdentificadores Indicadores de Relacionamento Relações entre entidades do Grupo 1; taxonomia de Barbara Tillett - derivada, todo-parte, sequencial, etc. BUSCAR - pesquisa e escolher ENTENDER - elementos que são mais descritivos. CONVENÇÕES - identificadores, pontos de acesso autorizado (aqui é onde pode-se usá-los); descrições estruturadas (utiliza a mesma ordem dos elementos para descrever o recurso); desestruturado (frase ou parágrafo) Indicadores de relacionamento; Numeração da parte (numeração de Série); outros (alguns em registros bibliográficos, alguns em registros de autoridade) Descrição estruturada e não estruturadaNotas de fontes consultadas Notas do catalogador Explicação dos relacionamentos
  • 75. Convenções para as relações entre obras e entre expressões • Obra relacionada: Tolkien, J.R.R. (John Ronald Reuel), 1892-1974. Lord of the rings • Indicação de Relacionamento Parodia de (Obra) 700 1_ $i parodia de (obra) $a Tolkien, J. R. R. $q (John Ronald Reuel), $d 1892-1974. $t Lord of the rings Ponto de Acesso Autorizado: • Expressão relacionada: The concise Oxford companion to Irish literature / editado por Robert Welch • Indicaçãorela • cionamento: resumido como (expressão) 500 __ $a Resumido como: The concise Oxford companion to Irish literature / editado por Robert Welch. Descrição estruturada:
  • 76. • Obra relacionada: Encontrada ajuda disponível no repositório e on-line. 555 __ $a Encontrada ajuda disponível no repositório e on-line. • Expressão relacionada: Também disponível em versão resumida de 45 min. 500 __ $a Também disponível em versão resumida de 45 min. . • Manifestação relacionada: Também produzida em format de Disco Blu-Ray. 530 __ $a Também produzida em format de Disco Blu-Ray. • Item relacionado: Biblioteca possui cópia encadernada com outras 11 canções. 500 __ $a Biblioteca possui cópia encadernada com outras 11 canções. Convenções para as relações entre obras e entre expressões
  • 77. ▪ Registros compatíveis com AACR2. ▪ Na maioria dos casos, catalogador não recatalogar registros antigos. ▪ Instruções da RDA para escolha e forma de entrada originária do AACR2. ▪ A forma dos cabeçalhos mudam com o RDA, facilitada pelos sistemas online. Características
  • 78. Cabeçalho  Ponto de acesso autorizado Autor, compositor, artista, etc.  Criador Entrada principal  Título preferido ou ponto de acesso autorizado para criador se apropriado. Título uniforme  1) Título preferido e alguma informação diferenciadora; 2) Um título coletivo convencional, ex: Obras, Simfonias; Poemas Remissiva ver  Ponto de acesso variante Remissiva ver também  Ponto de acesso autorizado para entrada relacionada Descrição Física  Descrição de suporte DGM  Três elementos: conteúdo, mídia e suporte. Fonte principal  Fontes preferidas. Terminologia
  • 79. Não prescreve nenhum tipo de apresentação (entende-se que a maioria das bibliotecas continuará a usar as ISBDs). Apêndice D estabelece diretrizes da ISBD. ISBD – pontuação AACR2 prescreve o uso de pontuação da ISBD.
  • 80. Recomendações sugerem que catalogadores busquem especificidade e diferenciação ao invés de generalização ao descrever um recurso. RDA e a Estrutura Descritiva De acordo com FRBR, a RDA 0.6.1 estipula: No mínimo, um registro que descreva um recurso deve incluir todos os elementos essenciais aplicáveis para esse recurso. A descrição também deve incluir elementos adicionais necessários para diferenciar o recurso de qualquer outro semelhante. 0.6.2 Seção 1: Registrando Atributos da Manifestação e o Item Título Indicação de Responsabilidade. Indicação da Edição: Numeração da Série Indicação de Produção Indicação de Publicação Indicação de Distribuição Indicação de Manufatura Data de Copyright Indicação de Série Identificador para manifestação Tipo de Suporte Elementos essenciais no RDA
  • 81. Transcrição de certas pontuações AACR2 manda substituir "..." e "[ ]" com “–" e "( )" RDA transcreve essa pontuação como aparece na manifestação. AACR2 Ein spatz in der Hand – : Sachgeschichten / Jeanette Lander. RDA Ein spatz in der Hand ... : Sachgeschichten / Jeanette Lander. 1.1B1 2.3.1.4 – Registro de títulos 1.7.3 Pontuação
  • 82. Pontuação – Uso de Colchetes AACR2 1.0C1 : Quando os elementos contiguos dentro de uma área são postos em colchetes, use apenas um par de colchetes. 260 $a[Manaus :$bUFAM, $c2001] 260 $a[S.l. : $bs.n. ,$c2008] RDA D.1.2.1: Cada elemento que requer colchete irá com seu colchete e só será usado quando o dado for de uma fonte externa ao recurso. 260 $a[São Paulo] :$bEditora Saraiva, $c[2010] 260 $a[Lugar de publicação não identificado] : $b[editor não identificado] , $c2002. Sempre se deve incluir a data
  • 83. Incorreções AACR2 1.0F1: Assinalar um erro ou incorreção usar [sic] ou a abreviatura [i.e.] após palavra incorreta, seguida de correção entre colchete. 245 13 $a La casa sonada [sic] 245 13 $a La casa sonada [i.e. soñada] RDA 1.7.9; 2.3.1.4 Transcreva os dados tal como aparecem na fonte. Pode esclarecer no campo 246 (título variante) e se necessá fazer uma nota. 245 13 $a La casa sonada 246 13 $i Título deveria dizer: $a La casa soñada 500 $a O título contém um erro tipográfico.
  • 84. Abreviações AACR2 – Apêndice B: Use as abreviaturas para entradas catalográficas de acordo com as instruções de B.2 – B.8. Use as abreviaturas prescritas em B.9 – B.15. 100 1 $a Cipriani, Juan Luis, $c Arc. 130 0 $a Biblia. $p A.T. 250 $a Ed. rev. 260 $b Springer Pub. Co. 260 $a [S.l. : $b s.n.] RDA 1.7.8: Aplique as instruções sobre o uso de abreviaturas nos elementos transcritos no apêndice B (B.4). 100 1 $a Cipriani, Juan Luis, $c Arcebispo 130 0 $a Biblia. $p Antiguo Testamento 250 $a Edição revisada. 260 $b Springer Publishing Company 260 $a [Lugar de publicação não identificado] : $b [editor não identificado]
  • 85. Abreviações/Pontuação AACR2 1.0C1: indique uma interpolação (i.e. dados obtidos fora das fontes de informação prescritas colocando entre colchetes)... 260 $a Manaus, $c 2012 [i.e. 2013] 300 $a 150 p. :$b il. col.,$c 20 cm. 300 $a 2 v. ;$c 23 cm. 300 $a 1 DVD (aprox. 140 min.) 300 $a 1 DVD (ca. 86 min.) 490 $a Documento de trabalho ;$v no. 23 504 $a Inclui referências bibliográficas (p. 124-128) e índice. RDA D.1.2.1: Instruções Gerais de pontuação... 260 $a Manaus, $c 2012 [isto é 2013] 300 $a150 páginas :$b ilustrações coloridas,$c 20 cm 300 $a 2 volumes ;$c 23 cm 300 $a1 DVD (aproximadamente 140 min.) 300 $a1 DVD (aproximadamente 86 min.) 490 $a Documento de trabalho ;$v número 23 504 $a Inclui referências bibliográficas (páginas 124-128) e índice.
  • 86. Maiúscula AACR2 Apêndice A – transcrição de maiúsculas. 245 04 $a O Almanaque Mundial 250 $a1a ed. 490 0 $a Coleção do viajante ; $vv.1, no. 4 RDA 1.7.2 – Transcreva as maiúsculas tal como aparece no recurso que está sendo catalogado. 245 04 $a O Almanaque mundial (na fonte “mundial” esta sem maiúscula) 250 $a Primera Edição. 490 0 $a Coleção do viajante ; $vVol.1, No. 4
  • 87. Criação de um Novo Registro AACR2 21.2 (mudanças no título principal) e 21.3 (mudanças de pessoas ou entidades responsáveis por uma obra). Havendo mudanças maiores no título ou de responsabilidades ou de partes das responsabilidades de uma monografia. Também especifica instruções quando é necessário criar uma nova discrição para publicações seriadas. RDA 1.6: Mudanças que Necessitam de uma nova Descrição. Se ocorrer: o Mudança no tipo de mídia o Mudança maior no título principal de uma publicação seriada. o Mudança na responsabilidade de uma publicação seriada. o Nova base para um recurso integrado.
  • 88. Níveis de Descrição AACR2 1.0D – Níveis de detalhamento na descrição. Os elementos da descrição estipulados nas regras deste capítulo e dos seguintes constituem um conjunto máximo de informações. • Primeiro nivel de descrição – 1.0D1 • Segundo nivel de descrição – 1.0D2 • Terceiro nivel de descrição – 1.0D3 –inclui todos os elementos especificadas na regras. RDA 0.6 – Elementos Essenciais; 1.3 – Elementos Básicos. A RDA tem elementos essenciais e elementos básicos. Elementos essenciais se devem registrar para ser minimamente compatível com a RDA. Agregar outros elementos se for necessário para criar diferenciações. O uso de outros elementos segundo a política da agencia catalogadora.
  • 89. Níveis de Descrição AACR2 – 1º nível de descrição – 1.0D1 Título principal primeira indicação de responsabilidade Indicação de edição Detalhes específicos do material Primeiro editor etc. Data de publicação etc. Extensão do item Notas Número normalizado RDA – Elementos Essenciais – 0.6.2 – Atributos de manifestação e item Título Indicação de Responsabilidade. Indicação da Edição: Numeração da Série Indicação de Produção Indicação de Publicação Indicação de Distribuição Indicação de Manufatura Data de Copyright Indicação de Série Identificador para manifestação Tipo de Suporte
  • 90. Níveis de Descrição AACR2 – 2º nível de descrição – 1.0D2 Título principal [DGM] Título equivalente O outras informações sobre o título Primeira indicação de responsabilidade Indicações subsequente de responsabilidade Indicação de edição Indicação de responsabilidade da edição Detalhes específicos do material Primeiro lugar de publicação etc., Primeiro editor etc. Data de publicação etc. Extensão do item Outros detalhes físicos Dimensões Título da série Notas Número normalizado RDA – Elementos Essenciais – 0.6.2 Título principal é o elemento esencial Título equivalente e outras informações sobre o título são opcionais.
  • 91. Fonte de informação AACR2 1.0A – Fontes de Informação Cada capítulo da parte I contém a especificação da fonte principal de informação para cada material ou tipo de publicação nele incluído. A fonte de informação pode ser de natureza unitária (ex. página de rosto) ou coletiva (ex. Sequência de créditos de um filme). Prefirir a informação encontrada na fonte principal àquela encontrada em qualquer outro local. RDA 2.2.2 – Fontes de Informação Aplicar instruções dadas em 2.2.2 –2.2.4 para escolha da fonte de informação. Aplicar igualmente para todos os elementos incluídos no Capítulo 2 a menos que as instruções sobre fontes para o elemento especifiquem outra forma. As fontes de informação foram condensadas em três categorias: • Recursos que consistem de uma ou mais páginas, ou cartão) – 2.2.2.2; • Recursos que consistem de Imagens em Movimentos (tangíveis, online, outros recursos) – 2.2.2.3; • Outros recursos – 2.2.2.4
  • 92. Elementos do Título AACR2 nível 2 O mínimo para você se sentir o máximo : pequeno guia dos alimentos / Soni [triângulo com inscrição] Hirsch. O mínimo para você se sentir o máximo / Soni [triângulo com inscrição] Hirsch. RDA Diferenças na descrição
  • 93. 0.6.2; 1.3 Títulos paralelo não são essenciais. Eles podem ser registrados, mas não são necessários. Título Equivalente/ Paralelo 1.1D1 Transcreva títulos paralelos na ordem indicada pela sua sequência de, ou pela apresentação na principal fonte de informação. 2.3.3.1 define título paralelo como o título próprio em outra língua e / ou texto, mas não há nenhuma restrição sobre as fontes de informações. 2.3.3.2 títulos paralelos a partir de qualquer fonte de dentro do recurso. Diferenças na descrição
  • 94. 245 00 $a Equipes Zapp! = $b Empowered teams / $c Richard S. Wellins, William C. Byham, Jeanne M. Wilson. 245 00 $a Equipes Zapp! / $c Richard S. Wellins, William C. Byham, Jeanne M. Wilson. 246 01 $a Empowered teams AACR2 RDA Título equivalente/paralelo 1.1D1 Transcreva títulos paralelos na ordem indicada pela sua sequência de, ou pela apresentação na principal fonte de informação. 2.3.3.1 define título paralelo como o título próprio em outra língua e / ou texto, mas não há nenhuma restrição sobre as fontes de informações. 2.3.3.2 títulos paralelos a partir de qualquer fonte de dentro do recurso. Diferenças na descrição
  • 95. • AACR2 1.1D 245 10 $a Modern English-Lao, Lao-English dictionary / $c by Bounmy Soukbandith. 246 1_ $i Título paralelo na capa : $a Vatchanānukom samai mai ‘Angkit-Lāo, Lāo- ’Angkit • RDA 2.3.3 245 10 $a Modern English-Lao, Lao-English dictionary = $b Vatchanānukom samai mai ‘Angkit-Lāo, Lāo-’Angkit / $c by Bounmy Soukbandith. 246 31 $a Vatchanānukom samai mai ‘Angkit-Lāo, Lāo- ’Angkit 1.1D1 Transcreva títulos paralelos na ordem indicada pela sua sequência de, ou pela apresentação na principal fonte de informação. 2.3.3.1 define título paralelo como o título próprio em outra língua e / ou texto, mas não há nenhuma restrição sobre as fontes de informações. 2.3.3.2 títulos paralelos a partir de qualquer fonte de dentro do recurso. Título equivalente/paralelo
  • 96. 1.1D1 (AACR) Registre títulos equivalentes na ordem indicada por sua sequência ou por seu leiaute na fonte principal de informação. RDA (2.3.3.2) tome os títulos equivalentes de qualquer fonte de dentro do recurso. Os títulos equivalentes na RDA não precisam vir da fonte principal como no AACR2. Título equivalente/paralelo
  • 97. Outras informações sobre o Título AACR2 245 10 $a Ed Mort : Todas as histórias / $c Luís Fernando Veríssimo. RDA 245 10 $a Ed Mort / $c Luís Fernando Veríssimo. No segundo nível de descrição do AACR2, fornecemos todas as outras informações sobre título (1.0D2). 1.3: Na RDA, outras informações sobre o título não são essenciais. Podem ser registradas, mas não são obrigatórias. Instruções em 2.3.4 – Outras informações sobre o título.
  • 98. DGM X Tipos AACR2 – 1.1C Panorama da catalogação no Brasil [recurso eletrônico] : da década de 1930 aos primeiros anos do Século XXI / Fernando Modesto. -- 1 recurso online RDA Panorama da catalogação no Brasil / Fernando Modesto. -- 1 recurso online texto (conteúdo / content) computador (mídia / media) recurso online (suporte / carrier) 3.3 Tipo de Suporte 3.2 Tipo de Mídia 6.9 Tipo de Conteúdo
  • 99. Indicação de Responsabilidade AACR2 1.1A2 – Fonte de Informação. Coloque entre colchetes a informação obtida em qualquer outra fonte. 245 10 $a Gestão tributária das organizações na economia brasileira / $c[por Carlos José Caetano Bacha] Autor retirado da capa RDA 2.2.4 – Outras fontes de informação. A fonte preferida para a indicação de responsabilidade é todo o recurso. Quando as instruções especificam a transcrição, indique que a informação foi retirada de uma fonte externa ao recurso: por meio de uma nota ou por outro meio (por ex. mediante um código ou o uso de colchetes). 245 10 $a Principios de economía /$c Robert H. Frank. Autor retirado da apresentação.
  • 100. Indicação de Responsabilidade No segundo nível de descrição do AACR2, fornecemos todas as indicações de responsabilidade. A indicação de responsabilidade relativa ao título principal é essencial (1.3 – elementos essenciais). Havendo mais de uma responsabilidade, só a primeira é obrigatória. Outras indicações de responsabilidade podem ser registradas, mas não são essenciais. Dar preferência aos criadores do conteúdo intelectual ou artístico, identificados (2.4.2.3).
  • 101. Indicação de Responsabilidade e Colaboradores AACR Diary, 1901 – 1969 / Kornei Chukovsky ; editado por Victor Erich ; traduzido por Michael Henry Heim. RDA Diary, 1901 – 1969 / Kornei Chukovsky. 1.1F7 – AACR2: transcrição de títulos de nobreza, de tratamento, honorífico e de distinção, qualificações etc. Geralmente são omitidos. 2.4.1.4 – RDA: transcrever uma indicação de responsabilidade na forma em que aparece na fonte de informação
  • 102. Regra dos três 21.6B (Responsabilidade principal indicada); 21.C1(Responsabilidade principal não indicada); 1.1F (Indicação de Responsabilidade) 1.1F5 – Quando uma única indicação de responsabilidade mencionar mais de três pessoas ou entidades exercendo a mesma função ou com o mesmo grau de responsabilidade, omita todos os nomes exceto o primeiro de cada grupo dessas pessoas ou entidades. Indique a omissão por meio de reticências (...) e acrescente, entre colchetes, et al. (ou seu equivalente em alfabeto não latino). A inflação recente no Brasil e na América Latina / Aníbal Pinto ... [et al.]. Indicação de Responsabilidade e Colaboradores
  • 103. Regra dos três abolida A inflação recente no Brasil e na América Latina / Aníbal Pinto, Héctor Assael, Arturo Núñez del Prado, Luiz Claúdio Marinho. 2.4.1.4 – Omissão opcional A inflação recente no Brasil e na América Latina / Aníbal Pinto [e outros três]. 2.4.1.5 – Se uma indicação de responsabilidade para mais de três pessoas, famílias ou entidades executando a mesma função, ou com o mesmo grau de responsabilidade, omitir todos, menos o primeiro de cada grupo de pessoas, famílias, ou entidades. Indicar a omissão do que foi omitido por nota, no idioma adotado pela agência responsável da descrição. Inserir a anotação da omissão entre colchetes. Indicação de Responsabilidade e Colaboradores
  • 104. AACR• 2 1.1F5 245 00 $a Second growth : $b community economic development in rural British Columbia / $c Sean Markey ... [et al.]. • RDA 2.4.1.5 245 10 $a Second growth : $b community economic development in rural British Columbia / $c Sean Markey, John T. Pierce, Kelly Vodden, e Mark Roseland. 1.1F5. Se uma única indicação de nomes de responsabilidade mais de três pessoas ou organismos coletivos executando a mesma função, ou com o mesmo grau de responsabilidade, omitir todos, mas o primeiro de cada grupo de pessoas ou organismos. Indicar a omissão da marca de omissão (...) e adicionar et al. (Ou seu equivalente em um texto não romano) entre colchetes. RDA não existe limitação: 2.4.1.5.Registrar indicação de responsabilidade para mais de uma pessoa, etc, como uma única indicação, independente das pessoas, famílias ou pessoas jurídicas nele mencionadas desempenham a mesma função ou funções diferentes. Nota: a regra de três não se aplica à indicação de obras. Esta Obra seria nomeada usando o ponto de acesso para o criador do primeiro nome, seguido do título propriamente dito da obra, porque não há nenhuma indicação de responsabilidade principal. Em vez de uma entrada para 700 acrescentado Markey, no AACR2. O ponto de acesso: Markey seria dado em um campo de 100 na RDA, uma vez que ele é o criador na primeira nomeação, e nenhuma responsabilidade principal é indicada na declaração de responsabilidade. Indicação de Responsabilidade e Colaboradores
  • 105. 245 $a … /$c por Miriam Flores, Melanie Cardoza, Wilmer Moyano, Catalina Zavala, e Felipe Martínez. Ou se aplica a opção: 245 $a … /$c por Miriam Flores [e outros quatro] Omissão é opcional RDA 2.4.1.5 2.4.1.5 Registrar a indicação de responsabilidade para mais de uma pessoa, etc., como uma única indicação, independente de as pessoas, famílias ou entidades corporativas mencionadas desempenharem a mesma função ou funções diferentes. Se uma única indicação de nomes de responsabilidade para mais de três pessoas, famílias ou entidades coletivas realizando a mesma função, ou com o mesmo grau de responsabilidade, omitir todos, mas manter o primeiro nome de cada grupo de pessoas, famílias, entidades coletivas. Indicar a omissão resumindo o que foi omitido no idioma da agência que preparou a descrição. Indicação de Responsabilidade e Colaboradores
  • 106. Identificando obras em colaboração Eliminação da “regra dos 3”, ponto de acesso da obra pelo indicado em primeiro lugar. Alternativa: todos Pontos de acesso adicionais  a critério do catalogador 100 $a Brown, Susan $e autor 245 $a Architecture / $c por Susan Brown, Melanie Carlson, Stephen Lindell e Janet Wilson. 700 $a Carlson, Melanie $e autor 700 $a Lindell, Stephen $e autor 700 $a Ott, Kevin $e autor RDA  Responsabilidade - Principais diferenças com AACR2 RDA – 2.4.1.5 Função de responsabilidade
  • 107. Indicação de Edição AACR 1.2B1 – Transcreva a indicação de edição da maneira encontrada no item. Use abreviaturas de acordo com as instruções do apêndice B e numerais de acordo com o apêndice C. B.5A1 – Use abreviaturas para palavras ou substitua uma forma de abreviatura pela abreviatura prescrita na indicação de edição, de acordo com B.9-B.12, B.14-B15. C.2B1 – substitua algarismos romanos por algarismos arábicos...... Na indicação da edição. 2.5.1.4 – Transcreva a indicação de uma edição como aparece na fonte de da informação. RDA B.4 – Para os elementos transcritos, use apenas as abreviaturas encontradas nas fontes de informações prescritas para o elemento. 1.8.1 – Quando os números registrados, expressos em numerais ou palavras no elemento transcrito, transcreva na forma em que aparecem na fonte de informação. Apêndice B:Abreviaturas e Símbolos
  • 108. AACR 4 ed. / revisada pelo autor. RDA quarta edição / revisada pelo autor. Obs: A indicação de edição e de revisão são essenciais. Outros elementos da indicação de edição são opcionais. RDA 2.5.1.4 – Transcreva a indicação de uma edição como aparece na fonte de da informação. Indicação de Edição
  • 109. Abrevia• Adiciona informações entre• colchetes Regras complexas para• vários lugares e editores Usar abreviaturas• “s.l.” (sine loco) e quando o lugar ou editor é desconhecido “s.n.” (sine nomine) • Não abrevia • Transcreve como parece, não acrescenta informações • Registra nomes na ordem encontrada na fonte • Usa frases para indicar uma informação desconhecida Informações da Publicação Lugar não identificado Editor não identificado
  • 110. Elementos essenciais no RDA  1.3 Lugar de publicação Nome de editor Data de publicação (se desconhecida) data copyright Primeiro Lugar de distribuição Nome de distribuidor Data de distribuição Lugar de manufatura Nome de fabricante Data de manufatura Informações da Publicação
  • 111. Lugar de Publicação AACR2 1.4B4 – Registrar os nomes de lugares como aparecem para abreviaturas usar o apêndice B. 260 $a Lima :$b 260 $a Buenos ;$a Brasília, D.F. ; $a Santiago :$b 260 $a London, UK :$b 260 $a [s.l.] :$b AACR2: 1.4C6 – Se nenhum lugar, provável ou não, puder ser determinado, registre a abreviatura s.l (sine loco) ou seu equivalente em alfaneto não latino. RDA 2.8.1.4, 2.8.2.4 – Transcrever o lugar de publicação sem abreviaturas. Opcional quando apresentado mais de um lugar pode-se registrar somente um. 260 $a Brasília, D.F. :$b (agência catalogadora em Brasília) 260 $a London, United Kingdom 260 $a [Lugar de publicação não identificado] :$b RDA: 2.7.2.6 – Lugar de Produção não Identificado no Recurso; 2.8.2.6 – Lugar de Publicação Não Indentificado na Fonte; 2.9.2.6 – Lugar de Distribuição Não Identifcado no Recurso; 2.10.2.6 - Lugar de Fabricação não Identificado no Recurso.
  • 112. Lugar de Publicação não identificado 2.8.2.6 – Se o local de publicação não é identificado no recurso, fornecer um local de publicação provável de publicação.... Se nem um lugar provável conhecido ou país, estado, província, etc. da publicação pode ser determinado, registre o lugar de publicação como não identificado. AACR2 [s.l. : s.n.], 1909 [Lugar de publicação não identificado] : [Editor não identificado], 1909 RDA Lugar de Publicação
  • 113. 2.8.1.4 – Transcreva locais de publicação e os nomes dos editores, na forma em que eles aparecem na fonte de informação. 2.8.2.3 – Registre o local de publicação aplicando as instruções básicas sobre o registro de indicação de publicação segundo regra : 2.8.1 – Incluir tanto o nome do lugar (cidade, vila, etc.) e o nome da jurisdição ou jurisdições (província, estado Etc., e /ou país), se presentes na fonte de informação. Princeton, N.J. : Princeton University Press, c1999. Princeton, New Jersey : Princeton University Press, copyright 1999. AACR RDA Lugar de Publicação
  • 114. AACR2 1.4B6, 1.4C4 260 $a Stockholm [i.e. Paris] : $b Knižnice lyriky, $c 1954. 260 $a Bs. As. [i.e. Buenos Aires] : $b Ed. del Mediodia, $c [1966] RDA 2.8.1.4, 2.20.7.3 260 $a Stockholm : $b Knižnice lyriky, $c 1954. 500 $a Atualmente publicado em Paris. 260 $a Bs. As. : $b Ed. del Mediodia, $c [1966] 500 $a Publicado em Buenos Aires. Abreviação de nomes de editor transcrever com base na página de título. 1.4B6, 1.4C2, 1.4C3, 1.4C4 Especificar a adição de informações entre colchetes. Na RDA, o elemento é transcrito como aparece, e as notas são usadas para registro / informação adicional diferente se consideradas importantes (RDA 2.20.6-2.20.9). Lugar de Publicação
  • 115. Lugar ou Editor Desconhecido AACR2 1.4C6, 1.4D6 260 $a [S.l.] : $b Poote Press, $c 1987. 260 $a Vancouver, B.C. : $b [s.n.], $c 1951. 260 $a [Seattle? : $b s.n., $c 1966] 260 $a [S.l. : $b s.n.], $c 1962. RDA 2.8.2.6, 2.8.4.7 260 $a [lugar de publicação não identificado] : $b Poote Press, $c 1987. 260 $a Vancouver, B. C., Canada : $b [Editor não identificado], $c 1951. 260 $a [Seattle?] : $b [Editor não identificado], $c [1966] 260 $a [Lugar de publicação não identificado] : $b [Editor não identificado], $c 1962. Sine loco ou sine nomine)
  • 116. Data de Publicação e Distribuição. AACR2 1.4F7, 2.16G – estabelece os formatos para registro da data [1971 ou 1972] [1969?] [entre 1906 e 1912] [ca. 1960] [197-] [197-?] [18--] [18--?] [Não após 21 Ago., 1492] RDA 1.9.2 – inclui diferentes formatos específicos para data e datas prováveis. [1971 ou 1972] [1969?] [entre 1906 e 1912] (só para datas separadas por menos de 20 anos) [1960?] (não há data equivalente a cerca de) [entre 1970 e 1979] [entre 1970 e 1979?] [entre 1800 e 1899] [entre 1800 e 1899?] [Não após 21 de Agosto, 1492] [Não depois de 22 de Abril, 2010]
  • 117. Local▪ de publicação, nome da editora, e a data de publicação são elementos essenciais para recursos publicados. ▪ A data da publicação ou da data provável da publicação ou da data de publicação não identificada deve ser sempre registrada na RDA. ▪ 2.11: Data de Copyright é elemento separado na RDA. Não substitui a data de publicação. É um elemento essencial, se nem a data de publicação ou a data de distribuição é identificada. Se▪ mais de um local de publicação e nome de editora aparece na fonte de informação, apenas o primeiro registro é necessário. Informação de: Produção Publicação Distribuição Manufatura 2.7 – 2.8 – 2.9 – 2.10
  • 118. Indicador 1 (ativo) apresenta informações sobre publicadores ou sua inexistência, a saber: # = não aplicável, não há informações, disponível publicador mais antigo. Indicador 2 (ativo) indica as funções do item codificado, com as seguintes opções: 0 = produção; 1 = publicação; 2 = distribuição; 3 = manufatura; 4 = data de informação de Copyright. Apresenta como principais etiquetas de subcampo: Campo 264 – Produção, publicação, distribuição, manufatura, e informação de copyright (R), contempla informações relativas às categorias de publicadores. As informações cadastradas são semelhantes às do campo 260. O campo é útil para distinguir as funções. Difere do campo 260 nos procedimentos e estrutura. $a Lugar de produção, publicação, distribuição, manufatura/fabricação (R) $b Nome do produtor, editor, distribuidor, manufatureiro/fabricante (R) $c Data de produção, publicação, distribuição, manufatura/fabricação, ou informação de copyright (R) $3 Materiais especificados (NR) MARC21 - RDA http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=992
  • 119. Exemplo de monografia, com diferentes funções registradas, incluindo data de copyright: 264 #1 $a Syracuse, New York : $b [Editor não identificado], $c 2010. 264 #2 $a [Lugar de distribuição não identificada] : $b Adirondack Distributors, $c 2012. 264 #4 $c ©2009 Informações da Publicação MARC21 - RDA Observação RDA não recomenda o registro da data de copyright sozinho, sem registrar uma data de publicação: 264 #1 $a Eugene, Oregon : $b Pickwick Publications, $c [Data de publicação não identificada] 264 #4 $c ©2014
  • 120. Descrição do Suporte Antiga Área da Descrição Física AACR2 1.5B1, 1.5B2 – Registre a extensão do ítem em números arábicos. 300 $a 232 p. 300 $a 234 p., [10] f. de lâms. :$b il. col. ;$c 26 cm. 300 $a [232] p. 300 $a ca. 400 p. RDA 3.4 – Não use abreviaturas, registre no singular ou plural de acordo com a quantidade; ca. = aproximadamente; i.e . = ou seja / isto é. 300 $a 232 páginas 300 $a 234 páginas, 10 folhas de lâminas sem numeração : $b ilustrações coloridas ;$c26 cm 300 $a 232 páginas sem numeração 300 $a Aproximadamente 400 páginas Extensão – Exemplos:
  • 121. Extensão – Exemplo para texto xvi, 323 p. [93] p. ca. 500 p. 3 v. (1457 p.) 45, [40] f. 257 [i.e. 257] p. 180 p., 30 v. folhas de lâminas [série incompleta] xvi, 323 páginas 93 páginas não numeradas cerca de 500 páginas 3 volumes (1457 páginas) 45 folhas, 40 folhas não numeradas 257, ou seja, 257 páginas 180 páginas, 30 volumes de folhas de lâminas. Descrição do Suporte Antiga Área da Descrição Física
  • 122. 300 $a v, 199 páginas : $b ilustrações (algumas coloridas), mapas, retratos em cores; $c 30 cm 300 $a 86 páginas, 21 páginas sem numeração : $b ilustrações, 1 mapa anexado ; $c 24 cm + $e 1 manual (5 páginas ; 20 cm). 300 $a volumes : $b ilustrações ; $c 26 cm 300 $a 1 CD-ROM ; $c 4 3/4 pol 300 $a 1 recurso em linha ou recurso online Descrição do Suporte Descrição do suporte para sites da web que se atualizam: optar por omitir elementos referentes ao tipo de arquivo, formato de codificação e tamanho do arquivo, devido às frequentes mudanças de um recurso integrado. Antiga Área da Descrição Física Extensão – Exemplos:
  • 123. Os elementos da descrição física do suportes dos recursos são tratados no Capítulo 3 da RDA  Describing Carriers / Descrição de Suportes Parte da descrição física agrega Tipo de Mídia (Media Type) e Tipo de Suporte (Carrier Type) Fornecem informações sobre as características físicas do suporte; Formatação do conteúdo armazenada no mesmo. Usuário também se vale das características do suporte para identificar um recurso (por exemplo, distinguir recursos com características semelhantes). Descrição do Suporte Antiga Área da Descrição Física
  • 124. Extensão 3.4.1.3 informa o número de unidades e um termo apropriado para o tipo de suporte, constantes da lista  3.3.1.3 Recurso composto por mais de um tipo de suporte, registre o número de cada tipo. 1 microfilm cassette 100 slides 2 audiotape reels 1 audio disc 1 video cassette 1 computer disc 1 online resource Nota: Na AACR2 as denominações começando com sound/som , na RDA inicia começa com audio/áudio. Exceções Recursos Cartográficos (impresso, manuscrito, gráfico, recurso ou tridimensional )  3.4.2 Música notada (manuscrito ou impresso)  3.4.3 Imagens fixas (desenhos, pinturas, gravuras, fotografias, etc.) 3.4.4 Texto (impressos ou manuscrito)  3.4.5 Formato tri-dimensional (recurso com uma ou mais formas tridimensionais)3.4.6 Descrição do Suporte Antiga Área da Descrição Física
  • 125. Especificar o número de subunidades instruções 3.4.1.7.1 – 3.4.1.7.8, se importantes para a identificação ou seleção. Anote o número de subunidades, entre parênteses, após o termo que indica o tipo de unidade. 3.4.1.7 Número de Subunidades Descrição do Suporte 1 DVD-ROM (184 imagens por sensoriamento remoto) 1 microficha (120 frames) 1 disco do computador (15 páginas, 150 mapas) 1 recurso online (68 páginas) 1 disco do computador (1 arquivo de audio, 3 arquivo de vídeo) 1 recurso online (36 fotografias) 1 recurso online (2 arquivos de vídeo) Antiga Área da Descrição Física
  • 126. Dimensão o Prescreve o uso de métricas, mas a opção de registro da dimensão é o sistema adotado pela agência. o Uunidade métrica considerada como símbolo (cm). o Abreviatura limitado às dimensões e à duração. o Trata como símbolos e não são seguidas de ponto (exemplo: cm) Sistema de medição prescrita,• dependendo do material. Abreviação considerada para• unidades métricas (cm.). Uso intenso de abreviaturas.• Abreviaturas seguidas por um• ponto (exemplo, cm.). 3.5.1.3 Registro das Dimensões O registro das dimensões em centímetros por centímetro inteiro, use o símbolo métrico centímetros (por exemplo, se a altura medidas é 17,2 centímetros, registre 18 cm). Descrição do Suporte
  • 127. Registra-se ilustração ou ilustrações, conforme o caso. As tabelas contendo apenas palavras e/ou números não são consideradas como conteúdo ilustrativo. Desconsidere páginas de títulos ilustradas, etc., e ilustrações de menor importância. Alternativa Registre o tipo da ilustração no lugar de ou na adição do termo ilustração ou ilustrações, se for considerado importante para a identificação ou seleção, usando um ou mais termos apropriados a partir da lista 7.15 Recursos com Conteúdo Ilustrativo Descrição de Conteúdo diagramas escudos de armas facsimiles formulários quadros genealógicos gráficos Iluminuras mapas música fotografias planos retratos amostras Descrição do Suporte
  • 128. Acréscimo Opcional Registre o número de ilustrações, se seu número puder ser verificado facilmente (por exemplo, quando as ilustrações são listadas e seus números declarados). 7.15.1.3 Registro de conteúdo ilustrativo Descrição de Conteúdo 48 ilustrações 100 mapas 1 forma, 2 mapas, 10 fotografias Descrição do Suporte Exemplos
  • 129. Extensão - Conteúdo • AACR2 xxiii, 554 p. : il. ; 24 cm. xv, 453 p., [16] p. de lâminas : il. (algumas col.), mapas (alguns col.) ; 24 cm. ix, 120 p. : ill. (alguns col.), digital, PDF file. • RDA – Cap. 3 e 7 xxiii, 554 páginas : ilustração ; 24 cm xv, 453 páginas, 16 páginas de lâminas não numeradas : ilustrações (algumas coloridas), mapas (alguns coloridos) ; 24 cm 1 recurso online (ix, 120 páginas) : ilustrações (algumas coloridas), digital, Arquivo PDF. Descrição do Suporte
  • 130. Série Título principal e numeração da série  elementos essências RDA. Diferença substancial AACR2 X RDA  não são usadas abreviações. RDA não tem equivalentes para as regras do AACR2 de substituir números arábicos para romanos. Transcrever a numeração da Série tal como aparece: volume 32 – não mudar para “v. 32” tomo 4 – não mudar para “t. 4” Band LXXXVIII – não mudar para “Bd. 88” Indicação da Série  2.12 2.12.1.4 Registro da indicação da Série 1.7 - Transcrição
  • 131. Não há seção especial sobre as notas. Orientações sobre notas por toda a RDA. Pontos de acesso da RDA não precisam ser justificados no corpo do registro, Notas dos catalogadores compostas segundo a AACR2 simplesmente para justificar uma entrada adicional não precisa ser feita na RDA. Notas
  • 133. Ponto de Acesso: Pessoas e Entidades AACR2 21.6B e 21.6C – Quando são mais de três autores, entre pelo título e registre o primeiro a expressão [et al.] e recupere como entrada secundária. 245 00 $a Direito econômico do planejamento / $c Anchises Bretas … [et al.] 700 1 $a Bretas, Anchises RDA 6.27.1.3, 19.2.1.3 Se a responsabilidade da obra tem duas ou mais pessoas, represente o ponto de acesso pelo primero que aparece, descreva os demais na indicação de responsabilidade e recupere os outros autores no campo 700. 100 1 $a Bretas, Anchises, $e autor 245 00 $a Direito econômico do planejamento / $c Anchises Bretas, Wander Paulo Marotta Moreira, João Bosco Leopoldino da Fonseca, Angêla Silva 700 1 $a Moreira, Wander Paulo Marotta, $e autor 700 1 $a Fonseca, João Bosco Leopoldino da, $e autor 700 1 $a Silva, Angêla, $e autor
  • 134. Relacionamento das Indicações de Funções AACR2 21.0D Acrescente ao cabeçalho da entrada secundária de uma pessoa, a indicação abreviada da função por ela exercída. Compilador comp. Coordenador coord. Ilustrador il. Editor ed. Traductor trad. 700 1 $a Mello, Fernanda, $e trad. RDA Apêndice I Fornece uma lista de designações de funções para o relacionamento do recurso com a pessoa, familia ou entidade. 700 1 $a Braga, Roberto Carlos, $e compositor 700 1 $a Ramos, Carlos, $e editor 700 1 $a Mairelles, Francisco, $e tradutor
  • 135. Títulos Coletivos - Descrição
  • 136. COMPILAÇÃO DE DUAS OU MAIS OBRAS DE UM MESMO AUTOR AACR2 25.7 Se um ítem que consiste de duas ou mais obras tiver entrada por um cabeçalho de pessoa ou entidade, use o título uniforme da obra que aparece em primeiro lugr no ítem. Faça uma entrada secundária de nome-título, usando o título uniforme da secunda obra. 100 1 $a Lopate, Philip, $d 1943- 240 10 $a Stoic’s marriage 245 10 $a Two marriages :$b novellas /$c Phillip Lopate. 505 0 $a The stoic’s marriage – Eleanor, ou, The second marriage 700 1 $a Lopate, Philip, $d 1943-. $t Eleanor RDA 6.2.2.10.3 Para uma compilação de duas ou mais obras, registrar os títulos como pontos de acesso diferentes no campo 700. 100 1 $a Lopate, Philip, $d1943-, $e autor 240 10 $a Novellas. $k Selections 245 10 $a Two marriages :$b novellas /$c Phillip Lopate. 505 0 $a The stoic’s marriage – Eleanor, ou, The second marriage 700 1 $a Lopate, Philip, $d 1943-. $t Eleanor. 700 1 $a Lopate, Philip, $d 1943-. $t Stoic’s marriage.
  • 137. COMPILAÇÃO SEM TÍTULO COLETIVO AACR2, 21.7C1 Faça entrada sob o cabeçalho apropriado à primeira obra que figure na fonte principal de informação do ítem catalogado. 100 1 $a Mejía, Luis. 245 10 $a Habilidades infantiles /$c Luis Mejía. Rimas y juegos / Sofía Ávila. 700 1 $a Ávila, Sofía. $t Rimas y juegos. RDA 6.27.1.4, alternativa 24.5.1.3 Elaboração de pontos de acesso separados para cada obra da compilação. 245 00 $a Habilidades infantiles /$c Luis Mejía. Rimas y juegos / Sofía Ávila. 700 12 $i Contêm (obra): $a Mejía, Luis. $t Habilidades infantiles. 700 12 $i Contêm (obra): $a Ávila, Sofía. $t Rimas y juegos.
  • 139. Novos campos MARC substitui o DGM (Designação Geral de Material) 245 $h Meio Físico (NR) AACR2  1.1C1 Escolha de uma lista de designadores gerais do material recomendada abaixo e use o termos da lista escolhida em todas as descrições para as quais as designações gerais do material forem consideradas necessárias. 245 10 $a Panorama da catalogação no Brasil $h [recurso eletrônico] : da década de 1930 aos primeiros anos do Século XXI / $c Fernando Modesto. 300 $a 1 recurso em linha
  • 140. Diferenciar informação sobre: expressão e manifestação Estrutura em Três elementos 336 – Content type /Tipo de Conteúdo (RDA 6.9) MARC A forma de comunicação através de uma Obra que se expressa. Exemplos: música executada; texto; movimento bidimensional da imagem. 337 - Media Type / Tipo de Mídia (RDA 3.2) O tipo geral de um dispositivo de intermediação necessário para ver, operar, rodar, etc, o conteúdo de um recurso. Exemplos: computador, áudio; microforma; vídeo 338 - Carrier Type / Tipo de Suporte (RDA 3.3) O formato do suporte de armazenamento. Exemplos: disco de áudio; recurso on-line; microfichas, videocassete, volume Expressão Manifestação
  • 141. Categorização que reflete a forma fundamental de comunicação em que o conteúdo é expresso, bem como o sentido humano por meio do qual se pretende que ele seja aprendido. Códigos de Subcampo $ a - tipo de conteúdo (R) $ b - código do tipo de Conteúdo (R) $ 2 – Fonte do código (NR): Gênero / Forma. $ 3 - Materiais especificados (NR) $ 6 - Ligação (NR): descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle . $ 8 - Campo de ligação e número de sequência: descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle . http://www.loc.gov/marc/bibliographic/concise/bd336.html http://www.loc.gov/standards/sourcelist/genre-form.html http://www.loc.gov/marc/bibliographic/ecbdcntf.html 336# # $ a música executada $ 2 rdacontent 336# # $ a imagem bidimensional em movimento $ b tdi $ 2 rdacontent Exemplo two-dimensional moving image MARC336 – Content type (R) /Tipo de conteúdo (RDA 6.9)
  • 142. Conjunto de dados cartográficos• Conjunto de dados informáticos• Formato cartográfico tátil• Formato cartográfico tridimensional• Formato cartográfico tridimensional• Formato tátil tridimensional• Formato tridimensional• Imagem cartográfica• Imagem cartográfica em movimento• Imagem cartográfica tátil• Imagem em movimento• bidimensional • Imagem em movimento tridimensional • Imagem fixa • Imagem tátil • Movimento notado • Movimento notado tátil • Música executada • Música notada • Música notada tátil • Palavra falada • Programa de computador • Sons • Texto • Texto tátil • Outro • Não-especificado/sem mediação 336  termos usados http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdacontent.html 336 – Content type (R) /Tipo de conteúdo (RDA 6.9) Categorização da forma de comunicação pela qual o conteúdo é expresso e através da qual é percebido pelo sentido humano (RDA 6.9.1). O tipo de conteúdo é um elemento essencial.
  • 143. Uma categorização que reflete o tipo geral de dispositivo de intermediação necessário para ver, tocar, exibir, etc. o conteúdo de um recurso. Atributo do suporte e que diferencia as manifestações. Códigos de Subcampo $ a – Tipo de mídia (R) $ b – Código do tipo de mídia (R) $ 2 – Código da Fonte (NR): Gênero / Forma . $ 3 - Materiais especificados (NR) $ 6 - Ligação (NR): descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle . $ 8 - Ligação e número de sequência (R): descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle . http://www.loc.gov/marc/bibliographic/concise/bd337.html http://www.loc.gov/marc/bibliographic/ecbdcntf.html 337# # $ a áudio $ 2 rdamedia 337# # $ a vídeo $ b v $ 2 rdamedia http://www.loc.gov/standards/sourcelist/genre-form.html http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdamedia.html v - videorecording MARC337 - Media Type (R) / Tipo de Mídia (RDA 3.2)
  • 144. Áudio• Computador• Estereográfico• Microforma• Microscópico• • Não-mediado • Projetado • Vídeo • Outro • Não-especificado Tipo de Mídia (R)  vocabulário empregado http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdamedia.html Reflete a categorização geral do tipo de dispositivo de intermediação requerido para visualizar, jogar, rodar, etc., o conteúdo de um recurso (RDA 3.2.1). O tipo de mídia não é um elemento essencial. 337 - Media Type (R) / Tipo de Mídia (RDA 3.2)
  • 145. Categorização que reflete o formato do meio de armazenamento e invólucro de um suporte em relação com o tipo de dispositivo de intermediação necessário para ver, tocar, exibir, etc., o conteúdo do recurso. Códigos de Subcampo $ a – Tipo de Suporte (R) (categoria de suporte usada para a transmissão do conteúdo do recurso) $ b - código do tipo de suporte (R) $ 2 – Código da Fonte (NR): Gênero / Forma. $ 3 - Materiais especificados (NR) $ 6 - Ligação (NR): descrição no Apêndice A: Subcampos de Controle $ 8 - Campo de ligação e número de sequência (R): descrição no Apêndice A: Subcampos de controle http://www.loc.gov/marc/bibliographic/concise/bd338.html http://www.loc.gov/standards/sourcelist/genre-form.html http://www.loc.gov/marc/bibliographic/ecbdcntf.html http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdacarrier.html 338# # $ a disco de áudio $ 2 rdacarrier 338# # $ a videodisco $ b vd $ 2 rdacarrier exemplos MARC Atenção: não confundir tipo de suporte com extensão (300 $a) 338 - Carrier Type (R)/ Tipo de Suporte (RDA 3.3)
  • 146. 338  lista de termos segundo tipo de mídia Suporte de áudio Audiocassete Carretel de fita de áudio Carretel de trilha sonora Cartucho de áudio Cilindro de áudio Disco de áudio Rolo de áudio Suporte de dados Cartão de memória Cartucho de memória Disco de computador Carretel de fita de computador Cartucho de disco de computador Cartucho de fita de computador Cassete de fita de computador Recurso em linha Suportes de imagens projetadas Carretel de filme Cartucho de diafilme Cartucho de filme Cassete de filme Diafilme Diapositivo Rolo de filme Tira de filme Transparência de retroprojetor Suportes de Microforma Cartão-janela Microficha Carretel de microfilme Cartucho de microfilme Cassete de microficha Microopacos Rolo de microfilme Tira de microfilme Suportes de microscopia Lâmina microscópica Suportes de vídeo Carretel de fita de vídeo Videocartucho Videocassete Videodisco Suportes estereográficos Cartão estereográfico Disco estereográfico Suportes não-mediados Álbum seriado Ficha Objeto Rolo Folha Volume Outro Não-especificado http://www.loc.gov/standards/valuelist/rdacarrier.html 338 - Carrier Type (R)/ Tipo de Suporte (RDA 3.3)
  • 147. 245 10 $a Panorama da catalogação no Brasil $h [recurso eletrônico] : da década de 1930 aos primeiros anos do Século XXI / $c Fernando Modesto. 300 $a 1 recurso em linha AACR -- MARC 245 10 $a Panorama da catalogação no Brasil / $c Fernando Modesto. 300 $a 1 recurso em linha 336 $a Texto $2 rdacontent 337 $a Computador $2 rdamedia 338 $a Recurso em linha $2 rdacarrier RDA -- MARC http://www.eca.usp.br/prof/fmodesto/textos/2007PanoramaCatalogacao.pdf
  • 148. Exemplo DGM • AACR2 1.1C 245 00 $a The sweet hereafter $h [videorecording] / $c Alliance Communications presents an Ego Film Arts production ; a film by Atom Egoyan ; screenplay by Atom Egoyan ; produced by Camelia Frieberg and Atom Egoyan ; directed by Atom Egoyan. • RDA 3.2, 3.3, 6.9 245 00 $a The sweet hereafter / $c Alliance Communications presents an Ego Film Arts production ; a film by Atom Egoyan ; screenplay by Atom Egoyan ; produced by Camelia Frieberg and Atom Egoyan ; directed by Atom Egoyan. 336 $a two-dimensional moving image $b tdi $2 rdacontent 337 $a video $b v $2 rdamedia 338 $a videodisc $b vd $2 rdacarrier
  • 149. 300 $a 238 páginas : $b … 336 $a texto $2 rdacontent 337 $a sem mediação $2 rdamedia 338 $a volume $2 rdacarrier Livro: 300 $a volumes : $b … 336 $a texto $2 rdacontent 337 $a sem mediação $2 rdamedia 338 $a volume $2 rdacarrier Seriado impresso 300 $a 1 recurso em linha (39 páginas): $b… 336 $a texto $2 rdacontent 337 $a computador $2 rdamedia 338 $a recurso em linha $2 rdacarrier Arquivo PDF em linha 300 $a 1 recurso em linha 336 $a texto $2 rdacontent 336 $a imagem cartográfica $2 rdacontent 336 $a imagem fixa $2 rdacontent 337 $a computador $2 rdamedia 338 $a recurso em linha $2 rdacarrier Site web (com mapas, texto e fotografias): RDA 6.9 Tipo de conteúdo  336 MARC RDA 3.2 Tipo de mídia  337 MARC RDA 3.3 Tipo de suporte  338 MARC CD de música: 300 $a 1 disco de áudio ou 1 CD 336 $a música interpretada $2 rdacontent 337 $a áudio $2 rdamedia 338 $a disco de áudio $2 rdacarrier
  • 150. Indicador 1 (ativo) apresenta informações sobre publicadores ou sua inexistência, a saber: # = não aplicável, não há informações, disponível publicador mais antigo. Indicador 2 (ativo) indica as funções do item codificado, com as seguintes opções: 0 = produção; 1 = publicação; 2 = distribuição; 3 = manufatura; 4 = data de informação de Copyright. Apresenta como principais etiquetas de subcampo: Campo 264 – Produção, publicação, distribuição, manufatura, e informação de copyright (R), contempla informações relativas às categorias de publicadores. As informações cadastradas são semelhantes às do campo 260. O campo é útil para distinguir as funções. Difere do campo 260 nos procedimentos e estrutura. $a Lugar de produção, publicação, distribuição, manufatura/fabricação (R) $b Nome do produtor, editor, distribuidor, manufatureiro/fabricante (R) $c Data de produção, publicação, distribuição, manufatura/fabricação, ou informação de copyright (R) $3 Materiais especificados (NR) MARC21 - RDA http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=992 Relembrar
  • 151. Exemplo de utilização da Library of Congress – Catálogo híbrído http://catalog.loc.gov/index.html Tulchinsky, Theodore H.Brown, Kerry Laruelle, Marlène Handbook of human and social conditions in assessment Brown, Gavin T. L. Jorge Amado
  • 152. The intersectional Internet The Most Dangerous Town On The Internet / Cinetic Media (Firm) https://tripod.brynmawr.edu/find/Combined/Home Internet governance after ICANN 53 Exemplo de utilização – Catálogo híbrído
  • 154. Principio da “Representação” – ICP Princípios Internacionais de Catalogação Tome o que vê Aceite o que recebe – Exemplo: Não abreviar palavras em campos transcritos 250: $aTerceira edição revisada – não trocar para: 3a rev. ed. 260: $a ABC Publishing Company – não trocar para: ABC Pub. Co. Nas incorreções não se utiliza [sic] ou [i.e.] 245 $a Matemática recreadiva para jovens 246 $i Título incorreto: $a Matemática recretiva para jovens
  • 155. Creator / Criador • Pessoa, família ou entidade responsável pela a criação da obra. • Pessoas, famílias, ou entidades co-responsáveis pela criação de uma obra que podem desempenhar o mesmo papel (por exemplo, como na colaboração entre dois escritores), ou podem desempenhar papéis diferentes (por exemplo, como na colaboração entre um compositor musical e letrista). Criador é elemento essencial. Se houver mais de um criador, só o primeiro criador mencionado é necessário. Não há exigências para fornecer outros pontos de acesso, nem existe qualquer restrição. É a critério da política da agência ou da decisão do catalogador. Não há correspondência necessária entre os nomes registrados na indicação de responsabilidade e os pontos de acesso. O catalogador pode adicionar qualquer um ou todos os outros pontos de acesso como no exemplo.
  • 156. Implementação • Considerar o impacto financeiro – Da licença – Da formação continuada – Da produtividade no período de implementação • Considerar as capacidades do sistema de gestão • Considerar o impacto na visualização dos dados nos serviços ao público nos usuários finais Recomendações (LC, PCC…) Estabelecer• uma data de implementação Estabelecer• as decisões e política da Agência Selecionar– o tipo de catalogação: analítica, integral, etc. Como– transcrever os dados: igual ou não Fixar– a aplicação das regras ou alternativas, seguidas das omissões opcionais, adições opcionais, exceções Implementar os• novos campos MARC 21
  • 157. • Familiarizar com os conceitos e principios do FRBR e FRAD. • Familiarizar com RDA Toolkit (assinatura em dólar). • Explorar as possibilidades: criação do fluxo de trabalho próprios e consulta aos de outras instituições, limitações nas buscas. • Preparação do treinamento. Criar um grupo de treinados que irão treinar aos demais grupos  Se utiliza o AACR2 será simples, embora a estrutura é diferente. NÃO segue as áreas ISBD, nem se baseia nos formatos. • Começar catalogando livros. Implementação
  • 158. • Análise de compatibilidade dos registros antigos, com ou sem mudanças. Decisão é da Agência. • Pode-se criar “registros híbridos”: não criados conforme RDA mas que agrega dados da RDA – Funções dos pontos de acceso – Desenvolvimento da abreviação – Anexar indicações completas de responsabilidade – Anexar os campos 336/337/338 (DGM) Informe do Grupo sobre Pautas para Registros Híbridos do PCC - http://goo.gl/xJKGRX • Se atualizado por completo, campo líder e 040$e rda Implementação 040 – Fonte da Catalogação (NR) $e – Convenções da Catalogação - para título da regra de catalogação.
  • 159. Implementação Registro AACR2 antes de recodificado 008 020513n| acannaabn |n aaa 010 $a n 2002102150 040 $a DLC $b eng $c DLC 100 1_ $a Jackson, Margaret, $c Dra. 670 $a Hughes sobre proteção de dados na Austrália, 2001: $b tp (Dra. Margaret Jackson;.. Profa de Informática Jurídica, RMIT Univ) Registro AACR2 após recodificação 008 020513n| acannaabn |n aaa 010 $a n 2002102150 040 $a DLC $b eng $c DLC 100 1_ $a Jackson, Margaret, $c Dra. 667 $a Esta posição não pode ser usado sob RDA até que tenha sido revisados individualmente. 670 $a Hughes sobre protecção de dados na Austrália, 2001: $b tp (Dr. Margaret Jackson;.. Prof de Informática Jurídica, RMIT Univ) Autoridade
  • 160. RDA Registro 2.3.2 The organization of information 2.4.2 Arlene G. Taylor 2.5.2 Segunda edição 2.8.2 Westport, Connecticut 2.8.2 Londres 2.8.4 Libraries Unlimited, um membro do Greenwood Publishing Group 2.8.6 2004 2.12.2 Library and information science text series 2.13 Unidade única 2.15 ISBN 1-56308-976-9 2.15 ISBN 1-56308-969-6 (paperback) 3.2 Sem mediação 3.3 volume 3.4 xxvii, 417 páginas 3.5 26 cm 4.3 http://www.lu.com 6.9 texto 7.16 Inclui bibliografia e índice 17.8 Taylor, Arlene G., 1941- . Organization of information 19.2 Taylor, Arlene G., 1941- 18.5 autor 25.1 Library and information science text series 24.5 Na série (obra) livro Exercícios  RDA
  • 161. Leader/06 a Leader/07 m Leader/18 i Leader/19 # 007/00 t 008/35-37 eng 020 ## $a 1563089769 020 ## $a 1563089696 (paperback) 037 ## $b http://www.lu.com 040 $e rda 100 1# $a Taylor, Arlene G., $d 1941- $e autor 245 14 $a The organization of information / $c Arlene G. Taylor. 250 ## $a Segunda edição. 264#1 $a Westport, Connecticut ; $a Londres : $b Libraries Unlimited, um membro do Greenwood Publishing Group, $c 2004 300 ## $a xxvii, 417 páginas ; $c 26 cm. 336 ## $a texto $b txt $2 rdacontent 337 ## $a sem mediação $b n $2 rdamedia 338 ## $a volume $b nc $2 rdacarrier 490 1# $a Library and information science text series 504 ## $a Inclui bibliografia e índice. 830 #0 $a Library and information science text series. Exercícios  RDA Fonte de aquisição Convenção da descrição
  • 162. Exercícios do MARC – AACR2/ISBD 041 |1| | $aPOR $cFRE 082 | | | $a 303.33 $b19. ed. 100 |1|0| $a $d 245 |1|2| $a O que é poder. / $c Gerard Lebrun ; Tradução de Renato Janine Ribeiro e Silva Lara Ribeiro ; Caricaturas de Emilio Damiani. 250 | | | $a 3. ed. 260 |0| | $a São Paulo : $b Brasiliense, $c 1981. 300 | | | $a 122p. : $b il. ; $c 16 cm. 440 |1|0| $a Coleção Primeiros Passos, $v n.24 500 | | | $a Contém dados biográficos 504 | | | $a Bibliografia: p. 120-22 650 | | | $a Poder $x Ciências Sociais 700 |1|1| $a Ribeiro, Renato Janine 700 |1|1| $a Ribeiro, Silvia Lara 700 |1|1| $a Damiani, Emilio Lebrun, Gerard, 1930-
  • 163. 041 |1| | $aPOR $cFRE 082 | | | $a 303.33 $b19. ed. 100 |1|0| $a Lebrun, Gerard $d 1930- $e autor 245 |1|2| $a O que é poder. / $c Gerard Lebrun ; Tradução de Renato Janine Ribeiro e Silva Lara Ribeiro ; Caricaturas de Emilio Damiani. 250 | | | $a 3. ed. 260 |0| | $a São Paulo : $b Brasiliense, $c 1981. 300 | | | $a 122 páginas : $b ilustrado ; $c 16 cm. 336 | | | $a texto $2 rdacontent 337 | | | $a sem mediação $2 rdamedia 338 | | | $a volume $2 rdacarrier 440 |1|0| $a Coleção Primeiros Passos, $v número 24 500 | | | $a Contém dados biográficos 504 | | | $a Bibliografia: páginas 120-22 650 | | | $a Poder $x Ciências Sociais 700 |1|1| $a Ribeiro, Renato Janine $e tradutor 700 |1|1| $a Ribeiro, Silvia Lara $e tradutor 700 |1|1| $a Damiani, Emilio $e tradutor Exercícios do MARC – AACR2/ISBD  RDA
  • 164. 857302481X Poesia numa hora dessas?! Luís Fernando Veríssimo. Rio de Janeiro Objetiva c2002. 105 p. Ilustrada 18 cm. 020 # # $a 100 1 # $a 245 1 0 $a $c 260 # # $a $b $c 300 # # $a $b $c 336 ## $a $2 337 ## $a $2 338 ## $a $2 Exercícios do MARC – AACR2/ISBD  RDA
  • 165. Exercícios do MARC – AACR2/ISBD  RDA 020 # # $a 857302481X 100 1 # $a Veríssimo, Luís Fernando $e autor 245 1 0 $a Poesia numa hora dessas?! / $c Luís Fernando Veríssimo. 260 # # $a Rio de Janeiro : $b Objetiva, $c c2002. 300 # # $a 105 páginas : $b ilustrado ; $c 18 cm. 336 ## $a texto $2 rdacontent 337 ## $a sem mediação $2 rdamedia 338 ## $a volume $2 rdacarrier