SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
REDAÇÃO
MODELO
ENEM
TEXTO DISSERTATIVO - ARGUMENTATIVO
DEFENDER O PONTO DE VISTA POR MEIO DE ARGUMENTOS.
REDAÇÃO ESTRUTURA MACRO E ESTRUTURA MICRO
ESTRUTURA MACRO INTRODUÇÃO + DESENVOLVIMENTO +
CONCLUSÃO
INTRODUÇÃO
CONTEXTUALIZAÇÃO + TESE + ENCAMINHAMENTO ARGUMENTATIVO
DESENVOLVIMENTO
EXPOSIÇÃO DO ARGUMENTO + COMPROVAÇÃO + PROBLEMATIZAÇÃO
CONCLUSÃO
FECHAMENTO DAS IDEIAS + PROPOSTA DE INTERVENÇÃO +
FINALIZAÇÃO DO TEXTO
COMO FAZER A INTRODUÇÃO?
A introdução possui 03 períodos (03 partes).
1º PERÍODO: CONTEXTUALIZAÇÃO
2º PERÍODO: TESE
3º PERÍODO: ENCAMINHAMENTO
ARGUMENTATIVO
Dessa maneira, sua introdução deverá ser escrita
neste esquema:
CONTEXTUALIZAÇÃO + TESE +
ENCAMINHAMENTO ARGUMENTATIVO
 1º PERÍODO - CONTEXTUALIZAÇÃO – pode ser
feita de três maneiras:
1. DELIMITAÇÃO DO TEMA – recorta o tema e
afirma que o problema existe.
2. ALUSÃO: referência com momento da história,
citação filosófica, etc.
3. REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL – citação de
série, filme, música, etc.
 2º PERÍODO - TESE – a sua opinião, o
seu ponto de vista sobre o tema.
Atenção!
Não use dados como tese! Dados deve
aparecer na contextualização ou no
desenvolvimento.
3º PERÍODO - ENCAMINHAMENTO
ARGUMENTATIVO – apresenta um projeto de
texto. É nesse ponto que será construído o que
será abordado nos próximos parágrafos
(parágrafos de desenvolvimento). O
encaminhamento pode ser feito de duas
maneiras: uma específica e outra
geral/genérica.
ESPECÍFICA: apresentação superficial dos argumentos.
Exemplo:
Segundo o filósofo Friedrich Nietzsche, a arte
existe para impedir que a realidade nos destrua. Sob
essa ótica, é inegável a crucialidade das expressões
culturais para a promoção do bem-estar do homem
moderno. No entanto, ao se observar o caráter
excludente do acesso ao cinema no Brasil, é notório
que essa imprescindibilidade não tem sido
considerada no país. Nesse sentido, pode-se afirmar
que a negligência governamental e a escassa
abordagem do problema agravam essa situação.
Contextualização Tese Enc. Argumentativo Argum. Superficial
GERAL/GENÉRICA: não cita os argumentos
que vai utilizar, mas vai deixar bem claro que
vai argumentar nos próximos parágrafos. Nesse
caso, usa-se um tópico frasal de
encaminhamento
Exemplo:
Nessa perspectiva, convém analisar as principais consequências
relacionadas a esse fenômeno na sociedade brasileira.
Veja que não é citado os argumentos que serão utilizados,
mas cita que será abordado as consequências do problema.
COMO FAZER O DESENVOLVIMENTO?
DESENVOLVIMENTO Defesa da tese por meio de argumentos,
escrito em 2 parágrafos.
Uso de estratégias argumentativas:
CAUSA/CONSEQUÊNCIA
1º PARÁGRAFO DO DESENVOLVIMENTO ABORDA A CAUSA DOS
PROBLEMAS.
2º PARÁGRAFO DO DESENVOLVIMENTO ABORDA AS
CONSEQUÊNCIAS.
Assim como na introdução, o desenvolvimento
também tem uma microestrutura.
Cada parágrafo do desenvolvimento tem 03 períodos:
1º PERÍODO: EXPOSIÇÃO DO ARGUMENTO
2º PERÍODO: COMPROVAÇÃO
3º PERÍODO: PROBLEMATIZAÇÃO
Dessa maneira, seu desenvolvimento deverá ser
escrito neste esquema:
EXPOSIÇÃO DO ARGUMENTO + COMPROVAÇÃO
+ PROBLEMATIZAÇÃO
 1º PERÍODO DO DESENVOLVIMENTO (EXPOSIÇÃO DO
ARGUMENTO) – desenvolva através de uma frase que conta
qual é o seu argumento. Lembre-se que o parágrafo deverá ser
iniciado por um operador argumentativo.
Exemplo:
“Nessa perspectiva, deve-se ressaltar que a ausência de
medidas governamentais para combater a pandemia colabora
com esse cenário”.
OPERADOR ARGUMENTATIVO
De maneira breve, o corretor saberá qual argumento será utilizado no
parágrafo
 2º PERÍODO DO DESENVOLVIMENTO (COMPROVAÇÃO) – é o uso
de um repertório sociocultural para comprovar o seu argumento. (pode
ser citado um dado, uma alusão filosófica, uma alusão histórica...)
para fortalecer a sua argumentação.
Exemplo:
Nessa perspectiva, deve-se ressaltar que a ausência de medidas
governamentais para combater a pandemia colabora com esse
cenário”. Essa conjuntura, segundo as ideias do filosofo
contratualista John Locke, configura-
-se como uma violação do “contrato social”, já que o Estado não
cumpre sua função de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos
indispensáveis...
ALUSÃO
 3º PERÍODO DO DESENVOLVIMENTO (PROBLEMATIZAÇÃO) – é o
seu posicionamento, é o momento da argumentação em que será
apontado um ponto de vista forte (opinar de forma crítica), será o seu
posicionamento.
É nessa parte que você vai dizer que é inadmissível que tal problema ocorra
nos dias atuais, é no final do parágrafo que o escritor deve mostrar uma
indignação, isso mostra uma autoria, uma posição crítica.
Exemplo:
Nessa perspectiva, deve-se ressaltar que a ausência de medidas
governamentais para combater a pandemia colabora com esse cenário”.
Essa conjuntura, segundo as ideias do filosofo contratualista John Locke,
configura-
-se como uma violação do “contrato social”, já que o Estado não cumpre sua
função de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis,
como a saúde, o que é inadmissível nos dias atuais.
PROBLEMATIZAÇÃO
2º PARÁGRAFO DO DESENVOLVIMENTO - em
síntese, é a mesma estrutura do mesmo parágrafo
1 do desenvolvimento:
Exposição do argumento + comprovação +
problematização
No entanto, ele deve ser mais conclusivo, não pode
deixar nenhuma ideia aberta, uma vez que o próximo
passo será fazer a conclusão.
COMO FAZER A CONCLUSÃO?
CONCLUSÃO Apresenta duas funções principais.
Fechar o texto + apresentar a proposta de intervenção.
A conclusão também apresenta 03 períodos (03 partes).
1º PERÍODO: FECHAMENTO DAS IDEIAS
2º PERÍODO: PROPOSTA DE INTERVENÇÃO
3º PERÍODO: FINALIZAÇÃO DO TEXTO
Dessa maneira, sua conclusão deverá ser escrita neste
esquema:
FECHAMENTO DAS IDEIAS + PROPOSTA DE INTERVENÇÃO + FINALIZAÇÃO DO
TEXTO
 1º PERÍODO DA CONCLUSÃO (FECHAMENTO DAS IDEIAS) – fecha as
ideias reafirmando a tese (após argumentar e convencer o leitor de que o ponto
de vista é correto). Nessa parte, é preciso dizer que depois de todos os
argumentos ditos, ficou claro que o tema é realmente um problema.
Como fazer isso?
Comece com um conectivo conclusivo (desse modo, nessa lógica, portanto...)
CONECTIVO CONCLUSIVO + FRASE ÚNICA QUE RESUMA/FINALIZE SUA ARGUMENTAÇÃO
Exemplo:
Portanto, pode-se perceber que (tal coisa) dificulta a erradicação de (determinado
problema no Brasil.
Lembre-se:
Faça tudo isso em uma única frase! A finalidade da conclusão é apresentar uma
proposta de intervenção, na conclusão não cabem argumentos.
 2º PERÍODO DA CONCLUSÃO (PROPOSTA DE INTERVENÇÃO) –
resolver/atenuar o problema da proposta da redação.
A proposta de intervenção apresenta 05 elementos:
1. AGENTE: quem vai solucionar o problema. Pode ser o governo, ministério,
instituição, mídia, família, escola, etc...
2. AÇÃO: a atividade que o agente vai praticar.
3. MEIO/MODO – recurso utilizado para praticar a ação.
4. DETALHAMENTO – detalha a ação ou o meio/modo – é tentar tornar a ação mais
visível para quem está lendo. É interessante que o detalhamento seja feito após o
meio/modo.
5. FINALIDADE: objetivo da ação. É o porquê que a ação deve ser implementada. É
importante usar elementos que mostrem que a finalidade está presente (a fim de que/
com o intuito de/ com o propósito de...)
 3º PERÍODO DA CONCLUSÃO (FINALIZAÇÃO DO TEXTO) –
frase que conclui de forma geral o texto (é opcional), no entanto,
é muito importante fazê-la. Ela pode ser feita de duas maneiras:
1. Conclusão direta:
“Dessa maneira, o país poderá superar (tal problema)”.
2. Conclusão por retomada – retoma algum elemento já
utilizado no texto (uma citação...)
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Compreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textosCompreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textos
welton santos
 
Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuação
Péricles Penuel
 
Slides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFicoSlides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFico
Flaviacristina74
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
ISJ
 

Mais procurados (20)

Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
 
Mas, mais e más
Mas, mais e másMas, mais e más
Mas, mais e más
 
Compreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textosCompreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textos
 
Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuação
 
Introdução - Dissertação Argumentativa
Introdução - Dissertação ArgumentativaIntrodução - Dissertação Argumentativa
Introdução - Dissertação Argumentativa
 
Orações adjetivas
Orações adjetivasOrações adjetivas
Orações adjetivas
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Operadores argumentativos
Operadores argumentativosOperadores argumentativos
Operadores argumentativos
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Aulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redaçãoAulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redação
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
 
Redacao enem
Redacao enemRedacao enem
Redacao enem
 
Paralelismo sintático e semântico
Paralelismo sintático e semânticoParalelismo sintático e semântico
Paralelismo sintático e semântico
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Slides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFicoSlides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFico
 
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OKAULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
 
Tipos de argumentos
Tipos de argumentosTipos de argumentos
Tipos de argumentos
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 

Semelhante a AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx

3. dissertar é...
3. dissertar é...3. dissertar é...
3. dissertar é...
ISJ
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Elaine Maia
 
Interpretação e ordenação textual pg29
Interpretação e ordenação textual pg29Interpretação e ordenação textual pg29
Interpretação e ordenação textual pg29
kisb1337
 
Produção de texto dissertação psicologia
Produção de texto   dissertação psicologiaProdução de texto   dissertação psicologia
Produção de texto dissertação psicologia
abenisia Gouveia da Silva
 
Aula de Redação nº 01
Aula de Redação nº 01Aula de Redação nº 01
Aula de Redação nº 01
João Mendonça
 
Dissertação expositiva e argumentativa
Dissertação expositiva e argumentativaDissertação expositiva e argumentativa
Dissertação expositiva e argumentativa
tali_vini
 

Semelhante a AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx (20)

Estrutura de texto dissertativo
Estrutura de texto dissertativoEstrutura de texto dissertativo
Estrutura de texto dissertativo
 
Plano de aula dissertaçao
Plano de aula   dissertaçaoPlano de aula   dissertaçao
Plano de aula dissertaçao
 
Construção de paragrafos
Construção de paragrafosConstrução de paragrafos
Construção de paragrafos
 
3. dissertar é...
3. dissertar é...3. dissertar é...
3. dissertar é...
 
Redação
RedaçãoRedação
Redação
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
 
Dissertação esquema básico 2014
Dissertação esquema básico 2014Dissertação esquema básico 2014
Dissertação esquema básico 2014
 
REDAÇÃO: 3º ANO.pptx
REDAÇÃO:  3º ANO.pptxREDAÇÃO:  3º ANO.pptx
REDAÇÃO: 3º ANO.pptx
 
Interpretação e ordenação textual pg29
Interpretação e ordenação textual pg29Interpretação e ordenação textual pg29
Interpretação e ordenação textual pg29
 
Estrutura básica para uma boa redação
Estrutura básica para uma boa redaçãoEstrutura básica para uma boa redação
Estrutura básica para uma boa redação
 
Produção de texto dissertação psicologia
Produção de texto   dissertação psicologiaProdução de texto   dissertação psicologia
Produção de texto dissertação psicologia
 
CEBRAC - Intensivo de Redação
CEBRAC - Intensivo de Redação CEBRAC - Intensivo de Redação
CEBRAC - Intensivo de Redação
 
CEBRAC Luziânia
CEBRAC LuziâniaCEBRAC Luziânia
CEBRAC Luziânia
 
90226300 redacao
90226300 redacao90226300 redacao
90226300 redacao
 
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .pptREVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
 
Aula de Redação nº 01
Aula de Redação nº 01Aula de Redação nº 01
Aula de Redação nº 01
 
Dissertação expositiva e argumentativa
Dissertação expositiva e argumentativaDissertação expositiva e argumentativa
Dissertação expositiva e argumentativa
 
O ARTIGO DE OPINIÃO.ppsx
O ARTIGO DE OPINIÃO.ppsxO ARTIGO DE OPINIÃO.ppsx
O ARTIGO DE OPINIÃO.ppsx
 
Resenha 8a.aula 04 10-11 quivy 3a.etapa v1
Resenha 8a.aula 04 10-11 quivy 3a.etapa v1Resenha 8a.aula 04 10-11 quivy 3a.etapa v1
Resenha 8a.aula 04 10-11 quivy 3a.etapa v1
 
Redação ENEM 2015
Redação ENEM 2015Redação ENEM 2015
Redação ENEM 2015
 

Mais de LinoReisLino

[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
LinoReisLino
 
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integralparte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
LinoReisLino
 
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
LinoReisLino
 
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptxAula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
LinoReisLino
 
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptxbiologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
LinoReisLino
 
material prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptxmaterial prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptx
LinoReisLino
 
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
LinoReisLino
 
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
LinoReisLino
 
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.pptAula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
LinoReisLino
 

Mais de LinoReisLino (20)

[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
 
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
 
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integralparte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
 
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
 
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptxAula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
 
PROV 1 BM.pptx
PROV 1 BM.pptxPROV 1 BM.pptx
PROV 1 BM.pptx
 
_aula 2 - 8 ano bio.ppt
_aula 2 - 8 ano bio.ppt_aula 2 - 8 ano bio.ppt
_aula 2 - 8 ano bio.ppt
 
apresentaçao eletiva feira.pptx
apresentaçao eletiva feira.pptxapresentaçao eletiva feira.pptx
apresentaçao eletiva feira.pptx
 
bacteria.ppt
bacteria.pptbacteria.ppt
bacteria.ppt
 
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptxbiologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
 
material prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptxmaterial prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptx
 
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
 
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
 
GENETICA - Bioterrorismo.ppt
GENETICA - Bioterrorismo.pptGENETICA - Bioterrorismo.ppt
GENETICA - Bioterrorismo.ppt
 
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.pptAula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
 
2 ano médio monera.pptx
2 ano médio monera.pptx2 ano médio monera.pptx
2 ano médio monera.pptx
 
Virus.ppt
Virus.pptVirus.ppt
Virus.ppt
 
Virus-aula.ppt
Virus-aula.pptVirus-aula.ppt
Virus-aula.ppt
 
aula --- ANTINUTRIENTE.pptx
aula --- ANTINUTRIENTE.pptxaula --- ANTINUTRIENTE.pptx
aula --- ANTINUTRIENTE.pptx
 
Fungos.ppt
Fungos.pptFungos.ppt
Fungos.ppt
 

Último

clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 

Último (20)

Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 

AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx

  • 2. TEXTO DISSERTATIVO - ARGUMENTATIVO DEFENDER O PONTO DE VISTA POR MEIO DE ARGUMENTOS. REDAÇÃO ESTRUTURA MACRO E ESTRUTURA MICRO ESTRUTURA MACRO INTRODUÇÃO + DESENVOLVIMENTO + CONCLUSÃO
  • 3. INTRODUÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO + TESE + ENCAMINHAMENTO ARGUMENTATIVO DESENVOLVIMENTO EXPOSIÇÃO DO ARGUMENTO + COMPROVAÇÃO + PROBLEMATIZAÇÃO CONCLUSÃO FECHAMENTO DAS IDEIAS + PROPOSTA DE INTERVENÇÃO + FINALIZAÇÃO DO TEXTO
  • 4. COMO FAZER A INTRODUÇÃO? A introdução possui 03 períodos (03 partes). 1º PERÍODO: CONTEXTUALIZAÇÃO 2º PERÍODO: TESE 3º PERÍODO: ENCAMINHAMENTO ARGUMENTATIVO Dessa maneira, sua introdução deverá ser escrita neste esquema: CONTEXTUALIZAÇÃO + TESE + ENCAMINHAMENTO ARGUMENTATIVO
  • 5.  1º PERÍODO - CONTEXTUALIZAÇÃO – pode ser feita de três maneiras: 1. DELIMITAÇÃO DO TEMA – recorta o tema e afirma que o problema existe. 2. ALUSÃO: referência com momento da história, citação filosófica, etc. 3. REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL – citação de série, filme, música, etc.
  • 6.  2º PERÍODO - TESE – a sua opinião, o seu ponto de vista sobre o tema. Atenção! Não use dados como tese! Dados deve aparecer na contextualização ou no desenvolvimento.
  • 7. 3º PERÍODO - ENCAMINHAMENTO ARGUMENTATIVO – apresenta um projeto de texto. É nesse ponto que será construído o que será abordado nos próximos parágrafos (parágrafos de desenvolvimento). O encaminhamento pode ser feito de duas maneiras: uma específica e outra geral/genérica. ESPECÍFICA: apresentação superficial dos argumentos. Exemplo:
  • 8. Segundo o filósofo Friedrich Nietzsche, a arte existe para impedir que a realidade nos destrua. Sob essa ótica, é inegável a crucialidade das expressões culturais para a promoção do bem-estar do homem moderno. No entanto, ao se observar o caráter excludente do acesso ao cinema no Brasil, é notório que essa imprescindibilidade não tem sido considerada no país. Nesse sentido, pode-se afirmar que a negligência governamental e a escassa abordagem do problema agravam essa situação. Contextualização Tese Enc. Argumentativo Argum. Superficial
  • 9. GERAL/GENÉRICA: não cita os argumentos que vai utilizar, mas vai deixar bem claro que vai argumentar nos próximos parágrafos. Nesse caso, usa-se um tópico frasal de encaminhamento Exemplo: Nessa perspectiva, convém analisar as principais consequências relacionadas a esse fenômeno na sociedade brasileira. Veja que não é citado os argumentos que serão utilizados, mas cita que será abordado as consequências do problema.
  • 10. COMO FAZER O DESENVOLVIMENTO? DESENVOLVIMENTO Defesa da tese por meio de argumentos, escrito em 2 parágrafos. Uso de estratégias argumentativas: CAUSA/CONSEQUÊNCIA 1º PARÁGRAFO DO DESENVOLVIMENTO ABORDA A CAUSA DOS PROBLEMAS. 2º PARÁGRAFO DO DESENVOLVIMENTO ABORDA AS CONSEQUÊNCIAS.
  • 11. Assim como na introdução, o desenvolvimento também tem uma microestrutura. Cada parágrafo do desenvolvimento tem 03 períodos: 1º PERÍODO: EXPOSIÇÃO DO ARGUMENTO 2º PERÍODO: COMPROVAÇÃO 3º PERÍODO: PROBLEMATIZAÇÃO Dessa maneira, seu desenvolvimento deverá ser escrito neste esquema: EXPOSIÇÃO DO ARGUMENTO + COMPROVAÇÃO + PROBLEMATIZAÇÃO
  • 12.  1º PERÍODO DO DESENVOLVIMENTO (EXPOSIÇÃO DO ARGUMENTO) – desenvolva através de uma frase que conta qual é o seu argumento. Lembre-se que o parágrafo deverá ser iniciado por um operador argumentativo. Exemplo: “Nessa perspectiva, deve-se ressaltar que a ausência de medidas governamentais para combater a pandemia colabora com esse cenário”. OPERADOR ARGUMENTATIVO De maneira breve, o corretor saberá qual argumento será utilizado no parágrafo
  • 13.  2º PERÍODO DO DESENVOLVIMENTO (COMPROVAÇÃO) – é o uso de um repertório sociocultural para comprovar o seu argumento. (pode ser citado um dado, uma alusão filosófica, uma alusão histórica...) para fortalecer a sua argumentação. Exemplo: Nessa perspectiva, deve-se ressaltar que a ausência de medidas governamentais para combater a pandemia colabora com esse cenário”. Essa conjuntura, segundo as ideias do filosofo contratualista John Locke, configura- -se como uma violação do “contrato social”, já que o Estado não cumpre sua função de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis... ALUSÃO
  • 14.  3º PERÍODO DO DESENVOLVIMENTO (PROBLEMATIZAÇÃO) – é o seu posicionamento, é o momento da argumentação em que será apontado um ponto de vista forte (opinar de forma crítica), será o seu posicionamento. É nessa parte que você vai dizer que é inadmissível que tal problema ocorra nos dias atuais, é no final do parágrafo que o escritor deve mostrar uma indignação, isso mostra uma autoria, uma posição crítica. Exemplo: Nessa perspectiva, deve-se ressaltar que a ausência de medidas governamentais para combater a pandemia colabora com esse cenário”. Essa conjuntura, segundo as ideias do filosofo contratualista John Locke, configura- -se como uma violação do “contrato social”, já que o Estado não cumpre sua função de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis, como a saúde, o que é inadmissível nos dias atuais. PROBLEMATIZAÇÃO
  • 15. 2º PARÁGRAFO DO DESENVOLVIMENTO - em síntese, é a mesma estrutura do mesmo parágrafo 1 do desenvolvimento: Exposição do argumento + comprovação + problematização No entanto, ele deve ser mais conclusivo, não pode deixar nenhuma ideia aberta, uma vez que o próximo passo será fazer a conclusão.
  • 16. COMO FAZER A CONCLUSÃO? CONCLUSÃO Apresenta duas funções principais. Fechar o texto + apresentar a proposta de intervenção. A conclusão também apresenta 03 períodos (03 partes). 1º PERÍODO: FECHAMENTO DAS IDEIAS 2º PERÍODO: PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 3º PERÍODO: FINALIZAÇÃO DO TEXTO Dessa maneira, sua conclusão deverá ser escrita neste esquema: FECHAMENTO DAS IDEIAS + PROPOSTA DE INTERVENÇÃO + FINALIZAÇÃO DO TEXTO
  • 17.  1º PERÍODO DA CONCLUSÃO (FECHAMENTO DAS IDEIAS) – fecha as ideias reafirmando a tese (após argumentar e convencer o leitor de que o ponto de vista é correto). Nessa parte, é preciso dizer que depois de todos os argumentos ditos, ficou claro que o tema é realmente um problema. Como fazer isso? Comece com um conectivo conclusivo (desse modo, nessa lógica, portanto...) CONECTIVO CONCLUSIVO + FRASE ÚNICA QUE RESUMA/FINALIZE SUA ARGUMENTAÇÃO Exemplo: Portanto, pode-se perceber que (tal coisa) dificulta a erradicação de (determinado problema no Brasil. Lembre-se: Faça tudo isso em uma única frase! A finalidade da conclusão é apresentar uma proposta de intervenção, na conclusão não cabem argumentos.
  • 18.  2º PERÍODO DA CONCLUSÃO (PROPOSTA DE INTERVENÇÃO) – resolver/atenuar o problema da proposta da redação. A proposta de intervenção apresenta 05 elementos: 1. AGENTE: quem vai solucionar o problema. Pode ser o governo, ministério, instituição, mídia, família, escola, etc... 2. AÇÃO: a atividade que o agente vai praticar. 3. MEIO/MODO – recurso utilizado para praticar a ação. 4. DETALHAMENTO – detalha a ação ou o meio/modo – é tentar tornar a ação mais visível para quem está lendo. É interessante que o detalhamento seja feito após o meio/modo. 5. FINALIDADE: objetivo da ação. É o porquê que a ação deve ser implementada. É importante usar elementos que mostrem que a finalidade está presente (a fim de que/ com o intuito de/ com o propósito de...)
  • 19.  3º PERÍODO DA CONCLUSÃO (FINALIZAÇÃO DO TEXTO) – frase que conclui de forma geral o texto (é opcional), no entanto, é muito importante fazê-la. Ela pode ser feita de duas maneiras: 1. Conclusão direta: “Dessa maneira, o país poderá superar (tal problema)”. 2. Conclusão por retomada – retoma algum elemento já utilizado no texto (uma citação...)