SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Ensino Médio
O que é um artigo de opinião?

 É um texto opinativo, de cunho argumentativo.

 Trata-se de um gênero cuja opinião de um autor, sobre um
  assunto de relevância, é defendida, através de recursos
  argumentativos:
   comparações,
   exemplificações,
   depoimentos,
   dados estatísticos, etc.
CARACTERÍSTICAS

3. liberdade estrutural (de acordo com a proposta)

5. o autor domina o assunto

7. é assinado

9.a linguagem costuma variar conforme o perfil
 dos leitores (modalidade padrão)

11.apresenta uma clara intenção persuasiva
ESTRUTURA
 O importante é não se contentar mais com um texto
 com “cara” de redação escolar.

 É preciso ousar. Ousar com responsabilidade, bom
 senso e respeito à estrutura básica de uma
 dissertação:

 A apresentação do tema abordado com um ponto de
 vista      (INTRODUÇÃO),          a    argumentação
 (DESENVOLVIMENTO) e uma retomada da tese
 inicial ou sugestões são propostas (CONCLUSÃO).
 O modo como você fará isso será aprimorado a cada
 nova redação que produzir.
 Quanto mais experiente for o escritor, mais
 naturalmente será laborada     cada uma das
 partes do seu artigo.
Geralmente, dois impasses são os
mais evidentes ao se escrever:
começar e terminar uma redação.
Neste momento, trataremos do
primeiro caso.
COMO COMEÇAR UM ARTIGO DE OPINIÃO?
 Deve-se ter preocupação fundamental com o
 tema oferecido, levando-se em conta que o
 parágrafo introdutório é o norteador de toda a
 estrutura dissertativa, aquele que carrega uma
 ideia nuclear a ser utilizada de maneira pertinente
 em todo o desenvolvimento do texto.
 Existem diversas maneiras de se elaborar a
 introdução de um artigo de opinião. Mas o que
 veremos a seguir, vale ressaltar, são alguns
 modelos sugestivos, e não regras.
 As mais comuns são:
 DECLARAÇÃO INICIAL – abre-se o parágrafo com
   uma afirmação. É a forma mais comum de se
   desenvolver a introdução.
     “Política e televisão são duas instâncias da
   sociedade brasileira que parecem reunir o
   maior número de pessoas despreparadas e
   desqualificadas. É como se escolhessem a
   dedo as piores pessoas (com raras exceções)
   para legislar ou executar, animar shows de
   auditório ou de entrevistas, etc.”.
 DEFINIÇÃO – quando se tem por objetivo
   conceituar algo (um processo, uma idéia, uma
   situação):
      "Violência é toda ação marginal que atinge o
   indivíduo de maneira irreversível: uma bala
   perdida ou intencional, um assalto, um amigo
   ou     conhecido      que      perde      a   vida
   inesperadamente         através      de      ações
   inomináveis...“
3. APRESENTANDO DADOS ESTATÍSTICOS:

       “Nas grandes cidades brasileiras, não existe
 sequer um indivíduo que não tenha sido vítima de
 violência: 48% das pessoas já foram molestadas, 31%
 tiveram algum bem pessoal furtado, 15% já se
 defrontaram com um assaltante dentro de casa, 2%
 presenciaram assalto a ônibus...“.
 4.    INTERROGAÇÃO ou uma seqüência de
    interrogações – é uma forma criativa de envolver e
    despertar a atenção do leitor. ATENÇÃO!

 Deve-se     tomar cuidado com o número de
    interrogações: todas deverão ser respondidas por
    você nos parágrafos argumentativos pois, afinal, é
    você quem estará opinando e não deve esperar que
    o seu leitor responda por você, muito menos sua
    banca corretora.

 4. INTERROGAÇÃO ou uma seqüência de
 interrogações – é uma forma criativa de envolver e
 despertar a atenção do leitor. ATENÇÃO! Deve-se
 tomar cuidado com o número de interrogações:
 todas deverão ser respondidas por você nos
 parágrafos argumentativos pois, afinal, é você quem
 estará opinando e não deve esperar que o seu leitor
 responda por você, muito menos sua banca
 corretora.
 “É verdade que, depois da porta arrombada,
 uma tranca é sempre nela colocada? Foi
 pensando assim que o governo nomeou a
 procuradora aposentada Anadyr de Mendonça
 Rodrigues para comandar a Corregedoria Geral
 da União, que tem status de ministério, porque
 visa à apuração de todas as irregularidades
 cometidas no país."
5. ALUSÃO HISTÓRICA– organiza-se uma
                   HISTÓRICA
  trajetória que vá do passado ao presente, do
  presente para o passado, ao comparar social,
  histórica, geograficamente fatos, ações humanas,
  ideologias, etc.

    "Na Idade Média, no Renascimento ou até
 mesmo durante o Século das Luzes, a mulher
 esteve sempre a disposição da família, dos
 trabalhos domésticos e da criação dos filhos;
 somente no século XX ela ganha, ainda que
 não suficientemente, coragem para inserir-se
 no “mundo dos homens": pilota, dirige
 grandes empresas, constrói edifícios.“
Conclusão
 Retome o que foi dito na introdução, porém, sem se
  repetir de forma tão evidente;
 Evite termos que indiquem tratar-se da conclusão. O
  último parágrafo já é a conclusão;
 Não utilize pronomes pessoais;
 Seja conciso e seguro ao reafirmar sua posição.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Redação enem
Redação enemRedação enem
Redação enem
 
Inferência
InferênciaInferência
Inferência
 
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
 
Estrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativoEstrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativo
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo
 
O que é o texto dissertativo
O que é o texto dissertativoO que é o texto dissertativo
O que é o texto dissertativo
 
A redação aula 1
A redação   aula 1A redação   aula 1
A redação aula 1
 
Humanismo - Literatura
Humanismo - LiteraturaHumanismo - Literatura
Humanismo - Literatura
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
Aula de Revisão para a redação do Enem
Aula de Revisão para a redação do EnemAula de Revisão para a redação do Enem
Aula de Revisão para a redação do Enem
 
Repertório para redação
Repertório para redaçãoRepertório para redação
Repertório para redação
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Resenha.
Resenha.Resenha.
Resenha.
 
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
 
Slides sobre reportagem
Slides sobre reportagemSlides sobre reportagem
Slides sobre reportagem
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 

Semelhante a Redação: Artigo de Opinião

Artigo_de_opiniao.pptx
Artigo_de_opiniao.pptxArtigo_de_opiniao.pptx
Artigo_de_opiniao.pptxEloisa Braga
 
Aula de redacao texto dissert.-argumentativo
Aula de redacao   texto dissert.-argumentativoAula de redacao   texto dissert.-argumentativo
Aula de redacao texto dissert.-argumentativodoryoliveira
 
Aula de redacao texto dissert.-argumentativo
Aula de redacao   texto dissert.-argumentativoAula de redacao   texto dissert.-argumentativo
Aula de redacao texto dissert.-argumentativodoryoliveira
 
Aula11: Artigo (Língua Portuguesa)
Aula11: Artigo (Língua Portuguesa)Aula11: Artigo (Língua Portuguesa)
Aula11: Artigo (Língua Portuguesa)André Figundio
 
Informatividade e fuga do senso comum
Informatividade e fuga do senso comumInformatividade e fuga do senso comum
Informatividade e fuga do senso comumJoão Mendonça
 
Curso básico de redação aula 3
Curso básico de redação   aula 3Curso básico de redação   aula 3
Curso básico de redação aula 3ProfFernandaBraga
 
Como fazer uma boa redação
Como fazer uma boa redaçãoComo fazer uma boa redação
Como fazer uma boa redaçãoPedro Santos
 
Conversa filosófica 2015
Conversa filosófica 2015Conversa filosófica 2015
Conversa filosófica 2015Elisangela Zati
 
Aula 01 Interpretação e eleaboração de textos.pptx
Aula 01 Interpretação e eleaboração de textos.pptxAula 01 Interpretação e eleaboração de textos.pptx
Aula 01 Interpretação e eleaboração de textos.pptxIsaquia Franco
 
Dissertação argumentativa
Dissertação argumentativaDissertação argumentativa
Dissertação argumentativanixsonmachado
 
Interpretação de texo
Interpretação de texoInterpretação de texo
Interpretação de texoPaulo Lobo
 
Dicas de redação
Dicas de redaçãoDicas de redação
Dicas de redaçãobelschlatter
 
Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001mattoso1970
 
Texto dissertativo / argumentativo - A estrutura
Texto dissertativo / argumentativo - A estruturaTexto dissertativo / argumentativo - A estrutura
Texto dissertativo / argumentativo - A estruturaRobson Melo
 

Semelhante a Redação: Artigo de Opinião (20)

Artigo de opiniao
Artigo de opiniaoArtigo de opiniao
Artigo de opiniao
 
Artigo_de_opiniao.pptx
Artigo_de_opiniao.pptxArtigo_de_opiniao.pptx
Artigo_de_opiniao.pptx
 
Aula de redacao texto dissert.-argumentativo
Aula de redacao   texto dissert.-argumentativoAula de redacao   texto dissert.-argumentativo
Aula de redacao texto dissert.-argumentativo
 
Aula de redacao texto dissert.-argumentativo
Aula de redacao   texto dissert.-argumentativoAula de redacao   texto dissert.-argumentativo
Aula de redacao texto dissert.-argumentativo
 
Aula11: Artigo (Língua Portuguesa)
Aula11: Artigo (Língua Portuguesa)Aula11: Artigo (Língua Portuguesa)
Aula11: Artigo (Língua Portuguesa)
 
Informatividade e fuga do senso comum
Informatividade e fuga do senso comumInformatividade e fuga do senso comum
Informatividade e fuga do senso comum
 
Curso básico de redação aula 3
Curso básico de redação   aula 3Curso básico de redação   aula 3
Curso básico de redação aula 3
 
Como fazer uma boa redação
Como fazer uma boa redaçãoComo fazer uma boa redação
Como fazer uma boa redação
 
Conversa filosófica 2015
Conversa filosófica 2015Conversa filosófica 2015
Conversa filosófica 2015
 
Aula 01 Interpretação e eleaboração de textos.pptx
Aula 01 Interpretação e eleaboração de textos.pptxAula 01 Interpretação e eleaboração de textos.pptx
Aula 01 Interpretação e eleaboração de textos.pptx
 
Produção de Texto
Produção de TextoProdução de Texto
Produção de Texto
 
Tipos de textos moderna
Tipos de textos   modernaTipos de textos   moderna
Tipos de textos moderna
 
Texto dissertativio
Texto dissertativioTexto dissertativio
Texto dissertativio
 
Dissertação argumentativa
Dissertação argumentativaDissertação argumentativa
Dissertação argumentativa
 
Artigo de opinião
Artigo de opiniãoArtigo de opinião
Artigo de opinião
 
Interpretação de texo
Interpretação de texoInterpretação de texo
Interpretação de texo
 
Dicas de redação
Dicas de redaçãoDicas de redação
Dicas de redação
 
Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001
 
Carta argumantativa
Carta argumantativaCarta argumantativa
Carta argumantativa
 
Texto dissertativo / argumentativo - A estrutura
Texto dissertativo / argumentativo - A estruturaTexto dissertativo / argumentativo - A estrutura
Texto dissertativo / argumentativo - A estrutura
 

Mais de 7 de Setembro

Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 20147 de Setembro
 
Pôster Amostra Cultural
Pôster Amostra CulturalPôster Amostra Cultural
Pôster Amostra Cultural7 de Setembro
 
Fenômenos Atmosféricos
Fenômenos AtmosféricosFenômenos Atmosféricos
Fenômenos Atmosféricos7 de Setembro
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas7 de Setembro
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua7 de Setembro
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo7 de Setembro
 
Texto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha ComunitáriaTexto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha Comunitária7 de Setembro
 
Substantivos e Adjetivos
Substantivos e AdjetivosSubstantivos e Adjetivos
Substantivos e Adjetivos7 de Setembro
 
[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras7 de Setembro
 
[c7s] Figuras de Linguagem
[c7s] Figuras de Linguagem[c7s] Figuras de Linguagem
[c7s] Figuras de Linguagem7 de Setembro
 
Crise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º anoCrise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º ano7 de Setembro
 
Tabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º anoTabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º ano7 de Setembro
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano7 de Setembro
 

Mais de 7 de Setembro (20)

Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014
 
Pôster Amostra Cultural
Pôster Amostra CulturalPôster Amostra Cultural
Pôster Amostra Cultural
 
Fenômenos Atmosféricos
Fenômenos AtmosféricosFenômenos Atmosféricos
Fenômenos Atmosféricos
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo
 
Texto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha ComunitáriaTexto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha Comunitária
 
Substantivos e Adjetivos
Substantivos e AdjetivosSubstantivos e Adjetivos
Substantivos e Adjetivos
 
Substantivos
SubstantivosSubstantivos
Substantivos
 
Semântica
Semântica Semântica
Semântica
 
[c7s] Notícia
[c7s] Notícia[c7s] Notícia
[c7s] Notícia
 
[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras
 
[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II
 
[c7s] Figuras de Linguagem
[c7s] Figuras de Linguagem[c7s] Figuras de Linguagem
[c7s] Figuras de Linguagem
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Os livros
Os livrosOs livros
Os livros
 
Crise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º anoCrise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º ano
 
Tabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º anoTabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º ano
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
 

Último

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Redação: Artigo de Opinião

  • 2. O que é um artigo de opinião?  É um texto opinativo, de cunho argumentativo.  Trata-se de um gênero cuja opinião de um autor, sobre um assunto de relevância, é defendida, através de recursos argumentativos: comparações, exemplificações, depoimentos, dados estatísticos, etc.
  • 3. CARACTERÍSTICAS 3. liberdade estrutural (de acordo com a proposta) 5. o autor domina o assunto 7. é assinado 9.a linguagem costuma variar conforme o perfil dos leitores (modalidade padrão) 11.apresenta uma clara intenção persuasiva
  • 4. ESTRUTURA  O importante é não se contentar mais com um texto com “cara” de redação escolar.  É preciso ousar. Ousar com responsabilidade, bom senso e respeito à estrutura básica de uma dissertação:  A apresentação do tema abordado com um ponto de vista (INTRODUÇÃO), a argumentação (DESENVOLVIMENTO) e uma retomada da tese inicial ou sugestões são propostas (CONCLUSÃO).
  • 5.  O modo como você fará isso será aprimorado a cada nova redação que produzir.  Quanto mais experiente for o escritor, mais naturalmente será laborada cada uma das partes do seu artigo.
  • 6. Geralmente, dois impasses são os mais evidentes ao se escrever: começar e terminar uma redação. Neste momento, trataremos do primeiro caso.
  • 7. COMO COMEÇAR UM ARTIGO DE OPINIÃO?  Deve-se ter preocupação fundamental com o tema oferecido, levando-se em conta que o parágrafo introdutório é o norteador de toda a estrutura dissertativa, aquele que carrega uma ideia nuclear a ser utilizada de maneira pertinente em todo o desenvolvimento do texto.  Existem diversas maneiras de se elaborar a introdução de um artigo de opinião. Mas o que veremos a seguir, vale ressaltar, são alguns modelos sugestivos, e não regras.  As mais comuns são:
  • 8.  DECLARAÇÃO INICIAL – abre-se o parágrafo com uma afirmação. É a forma mais comum de se desenvolver a introdução. “Política e televisão são duas instâncias da sociedade brasileira que parecem reunir o maior número de pessoas despreparadas e desqualificadas. É como se escolhessem a dedo as piores pessoas (com raras exceções) para legislar ou executar, animar shows de auditório ou de entrevistas, etc.”.
  • 9.  DEFINIÇÃO – quando se tem por objetivo conceituar algo (um processo, uma idéia, uma situação): "Violência é toda ação marginal que atinge o indivíduo de maneira irreversível: uma bala perdida ou intencional, um assalto, um amigo ou conhecido que perde a vida inesperadamente através de ações inomináveis...“
  • 10. 3. APRESENTANDO DADOS ESTATÍSTICOS: “Nas grandes cidades brasileiras, não existe sequer um indivíduo que não tenha sido vítima de violência: 48% das pessoas já foram molestadas, 31% tiveram algum bem pessoal furtado, 15% já se defrontaram com um assaltante dentro de casa, 2% presenciaram assalto a ônibus...“.
  • 11.  4. INTERROGAÇÃO ou uma seqüência de interrogações – é uma forma criativa de envolver e despertar a atenção do leitor. ATENÇÃO!  Deve-se tomar cuidado com o número de interrogações: todas deverão ser respondidas por você nos parágrafos argumentativos pois, afinal, é você quem estará opinando e não deve esperar que o seu leitor responda por você, muito menos sua banca corretora. 
  • 12.  4. INTERROGAÇÃO ou uma seqüência de interrogações – é uma forma criativa de envolver e despertar a atenção do leitor. ATENÇÃO! Deve-se tomar cuidado com o número de interrogações: todas deverão ser respondidas por você nos parágrafos argumentativos pois, afinal, é você quem estará opinando e não deve esperar que o seu leitor responda por você, muito menos sua banca corretora. “É verdade que, depois da porta arrombada, uma tranca é sempre nela colocada? Foi pensando assim que o governo nomeou a procuradora aposentada Anadyr de Mendonça Rodrigues para comandar a Corregedoria Geral da União, que tem status de ministério, porque visa à apuração de todas as irregularidades cometidas no país."
  • 13. 5. ALUSÃO HISTÓRICA– organiza-se uma HISTÓRICA trajetória que vá do passado ao presente, do presente para o passado, ao comparar social, histórica, geograficamente fatos, ações humanas, ideologias, etc. "Na Idade Média, no Renascimento ou até mesmo durante o Século das Luzes, a mulher esteve sempre a disposição da família, dos trabalhos domésticos e da criação dos filhos; somente no século XX ela ganha, ainda que não suficientemente, coragem para inserir-se no “mundo dos homens": pilota, dirige grandes empresas, constrói edifícios.“
  • 14. Conclusão  Retome o que foi dito na introdução, porém, sem se repetir de forma tão evidente;  Evite termos que indiquem tratar-se da conclusão. O último parágrafo já é a conclusão;  Não utilize pronomes pessoais;  Seja conciso e seguro ao reafirmar sua posição.