SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 48
CARLOS
HENRIQUE
Introdução
• O estudo do genoma nos deu uma
base em toda a estrutura do DNA e seus
componentes necessários para entender
como compartilhamos alguns genes
iguais a de alguns microorganismos
(através do código universal) e o que os
humanos puderam fazer com essas
informações que foram desenvolvidas
durante anos.
É o uso intencional, ou ameaça
de uso, de agentes biológicos para
infectar as pessoas, criar pânico e/ou
causar discórdias na sociedade.
BIOTERRORISMO
A GUERRA BIOLÓGICA ATRAVÉS DOS
SÉCULOS
Sempre ao longo dos tempos, povos utilizaram estratégias com armas
biológicas, para invadir ou minar a economia regional.
A diferença é que no passado colocavam nas pontas das lanças, veneno
de plantas ou secreções com pús. Nas ultimas décadas a manipulação genética
aumentou, as técnicas foram aperfeiçoadas e outros agentes patológicos foram
descobertos, aumentando a facilidade de criar essas armas.
O nome "Guerra Biológica" ou "Guerra Química e Biológica" refere-se
a utilização de substâncias com agentes químicos e biológicos com objetivos
bélicos. Esses reagentes podem ser pegos na natureza e soltos em outros
lugares, ou então, serem manipulados em laboratório para torná-los mais
letais. A grande preocupação dos ataques biológicos é como atacar os
inimigos sem contaminar os atacantes, isso pode ser resolvido dando a vacina
para os que vão atacar, assim os soldados poderão circular livremente, outra
preocupação é não contaminar o país atacante, já que os reagentes se
espalham, para isso só resta atacar países distantes.
O objetivo de um ataque biológico é obter baixas e incapacitações.
Então poderá ser utilizado para facilitar a invasão de uma determinada região
ou provocar colapso econômico. Para provocar colapso na economia os
agentes biológicos são lançados em criações ou plantações, levando a
população a fome e a desorganização.
As armas biológicas que vêm sendo produzidas hoje, são extremamente
fáceis de serem feitas. Um exemplo é o antraz (Bacillus anthracis), que pode
ser produzido com caldo de carne comercial. O antraz pode ser controlado por
vacinação, porem são necessários aproximadamente oito meses para preparar
a vacina. Todavia a tropa atacante leva vantagem, por poder se imunizar com
antecedência.
- Uma história antiga
Ao longo da história da humanidade, encontramos diversas referencias
ao uso de gases asfixiantes, cortinas de fumaça, produtos incendiários,
produtos nauseantes e até mesmo corpos de animais ou seres humanos doentes
como armas de guerra. Também há registros de estratégias variadas, como a
infestação de áreas e águas, ou a contaminação de pontas de lança com fezes
diarréicas, secreções e toxinas de plantas. Os próprios índios brasileiros
costumavam empregar uma tecnologia de guerra química ou biológica,
passando veneno de planta nas pontas de suas flechas.
A primeira notícia de guerra que se tem registros data do século 15 a. C.
no Egito onde ouve a introdução estratégica provavelmente, do agente
Bacillus anthracis e segundo a Bíblia, até o faraó foi contaminado.
Em 1395, os tártaros que invadiram Kaffa, utilizaram cadáveres de
soldados infectados pela bactéria da peste ( Yersinia pestis ) eram catapultados
para dentro das cidades, a doença era transmitida à população por ratos e
pulgas.
No século 18, durante a guerra entre franceses e ingleses, os ingleses
distribuíram nas tribos, lençóis de pessoas contaminadas por varíola, porque
os índios norte – americanos se uniram aos franceses, isso enfraqueceu a
resistência dos índios e consequentemente os franceses.
Após a invasão da China, em 1937, o exercito japonês instalou, perto da
cidade de Nanquim no sul da China a unidade 731, onde eram criados e
produzidos diversos tipos de armas biológicas, usando bactérias que provocam
antraz, meningite, disenteria, cólera e peste. Os numerosos campos de
concentração para chineses existentes região foram utilizados como áreas de
teste dessas armas. Cerca de 3 mil mortes documentadas.
Na Segunda Guerra Mundial, sabendo da unidade 731 japonesa, os países
aliados usaram a ilha Gruinard como campos de provas. Soltaram bombas
que, ao explodir, liberaram no ar esporos de antraz. Foi um desastre tão grande
que a ilha permaneceu contaminada ate 1986, quando uma campanha
internacional pressionou as autoridades, para que o solo fosse lavado varias
vezes, com água do mar misturada a formol, permitindo finalmente a sua
liberação.
Em 1946, o arsenal biológico dos Estados Unidos, estava completo,
então começaram os conflitos diplomáticos. Durante a chamada “guerra fria”,
alem das questões dos mísseis em Cuba e das ogivas nucleares, foram
discutidas também as armas biológicas. Nesse período aconteceu uma
acusação feita pela União Soviética, de que os EUA estariam usando armas
biológica na Guerra do Vietnã e também no sul da China. Mais tarde os EUA
acusaram os soviéticos de ataques com toxinas de fungos, lançados por aviões,
contra o Laos e o Afeganistão, entre 1969 e 1971. Nenhum desses incidentes
foi confirmado.
Essa é a grande “vantagem” das armas biológicas: elas são silenciosas e
é difícil distinguir seus efeitos daqueles decorrentes de eventos naturais como
epidemias, intoxicações alimentares, falta de programas de vacinação,
problemas socioeconômicos etc.
- A destruição do arsenal biológico
Durante a “guerra fria”, em 1969, o presidente dos Estados Unidos ,
Richard Nixon, fez um pronunciamento no qual propunha a eliminar todo o
arsenal biológico norte – americano. Ele teria sido destruído no período de
1971 a 1972. Ainda em 1969, a Inglaterra submeteu à Organização das Nações
Unidas ( ONU ) a proposta que proibia o desenvolvimento, a produção e o
armazenamento de armas biológicas. O documento ordenava que qualquer
pais acusado de produzir armas biológicas fosse investigado por uma
comissão internacional.
O mundo começou a se interessar por um acordo desse tipo por causa da
divulgação de algumas manobras das agencias de segurança dos então países
mais poderosos do mundo. A primeira foi a constatação de que o Comitê de
Segurança do Estado Soviético ( KGB) havia desenvolvido uma toxina do
rícino e a estava usando, com a ajuda do serviço secreto búlgaro, para
assassinar seus agentes que se desligaram do comitê.
O KGB fabricou pequenas esferas ( de 1 e 2 mm de diâmetro, com um furo
central ), que eram mergulhadas em solução de rícina ( proteína toxica
produzida por uma planta ) e depois cobertas com parafina, capaz de derreter
em contato com a temperatura corpórea, de maneira a liberar a solução de
rícina. Um guarda - chuva especial adaptado disparava uma chuva dessas
esferas metálicas.
A Agencia Central de Inteligência dos Estados Unidos ( CIA ) também foi
acusada de assassinatos políticos usando, o veneno produzido pelo peixe
baiacu, chamado tetratodoxina. Essa toxina pode causar infarto fulminante
sem deixar qualquer vestígio no corpo. A arma utilizada para colocar o veneno
era uma caneta, o indivíduo riscado com a tinta morria de infarto em pouco
tempo.
O Iraque, também deu inicio a um programa de desenvolvimento de armas
biológicas.
Durante a Guerra do Golfo, os EUA sabiam que o Iraque estava preparado
para atacar biologicamente. Por isso, todos os soldados norte – americanos
foram vacinados contra o bacilo do antraz e a toxina butolínica.
Atualmente, protestos de ONGs vêm chamando a atenção para o “agente
verde”, fungo desenvolvido para combater as plantações de narcóticos ( coca,
papoula e maconha ) em países da Ásia e das Américas do Sul e Central.
Porem os fungos podem infectar e matar outras plantas aparentadas com as
plantas narcóticas. Isso seria trágico para outras espécies animais e vegetais
que dependem dessas variedades, e afeta o equilíbrio dos ecossistemas.
Depois do ataque terrorista de 11 de setembro, os EUA sofreram vários
ataques utilizando o Bacillus anthracis como arma biológica, ele foi enviado
por carta a vários locais do pais. Dados revelam que 18 pessoas foram
contaminadas pela bactéria entre outubro e dezembro de 2001, 5 delas
morreram em conseqüência da infecção.
- As novas armas
As técnicas de biologia molecular de manipulação dos genes permitem
alteram células e organismos de maneira altamente especifica, favorecendo o
desenvolvimento de novas armas biológicas. Por outro lado, essas mesmas
conquistas da ciência fazem com que seja possível a identificação de agentes
patogênicos com muito mais rapidez do que através dos métodos
convencionais.
A capacidade de desenvolver armas biológicas ganhou nova dimensão com a
noticia de que pesquisadores de uma universidade de Nova York recriaram em
laboratório o vírus da poliomielite ( paralisia infantil ), a partir de informações
genéticas obtidas na Internet.
Com a ameaça da guerra biológica muitos países, já estão ampliando o
estoque de vacinas e antídotos, implantando sistemas de identificação e
isolamento de agentes patogênicos provenientes de armas biológicas.
Para atender em atentados de guerra biológica foram criados nos EUA
laboratórios para identificação de agentes patogênicos usados como armas.
Esses laboratórios são capazes de identificar vírus e bactérias, ou toxinas,
em duas ou três horas. Muitas dessas técnicas relativamente simples ou pelo
menos já bem conhecidas. Quase todas, porem, são muito caras.
Não é bastante estabelecer laboratórios para identificação de armas biológicas.
Os governos dos países e as ONGs devem criar e apoiar instrumentos de
monitoramento e controles dessas armas. É necessário que as ONGs assumam
o papel de pressionar os governos para que tomem posição clara nessa
questão.
Atualmente, o avanço da
engenharia genética nos permitiu fazer o
que quisermos em termos de genes
humano, animal e vegetal. Dessa maneira
este avanço acaba por ajudar os
bioterroristas que cada vez mais ganham
novas técnicas, que posteriormente são
utilizadas na produção e aprimoramento
de armas biológicas.
Engenharia genética e o Bioterrorismo
O Brasil e o Bioterrorismo
O bioterrorismo exige que haja
disponibilidade de biotecnologia, sendo
assim os grupos terroristas envolvidos
no bioterrorismo sempre procuram
países onde possam contar com uma
tecnologia avançada e com profissionais
qualificados. O Brasil é um país que se
destaca no ramo da biotecnologia,
possuindo excelentes profissionais,
assim pode, um dia, ser alvo de grupos
terroristas.
Principais armas biológicas
1- Antraz
2- Botulismo
3- Peste
4- Varíola
ANTRAZ
É uma doença infecciosa aguda causada por bactérias formadoras de esporos
chamadas Bacillus anthracis. Os esporos produzem uma toxina que pode ser fatal.
Disseminação e sintomas:
• Contato com a pele
1 – Inicialmente, se observa na pele um sinal semelhante a picada de inseto
2 – Em um ou dois, há desenvolvimento de úlcera com diâmetro entre 1 e 3 cm
3 – 20% dos casos leva a morte
• Inalação
1 – Surge como um resfriado comum
2 – Leva a insuficiência cardíaca ou choque
• Ingestão
1 - Inflamação do trato intestinal, causando vômitos e diarréia sanguinolentos
2 – Pode matar em até 24 horas após o aparecimento dos sintomas mais agudos
- Tratamento: Antibióticos, incluindo penicilina. A demora no uso de
antibióticos - mesmo que seja por algumas horas - pode diminuir as
chances de sobrevivência.
- Prevenção: Vacina. Muitos médicos, contudo, questionam sua eficácia e
apontam para dolorosos efeitos colaterais.
Bactéria Bacillus anthacis
Ferimentos no pescoço de uma pessoa infectada
BOTULISMO
A toxina botulínica, a substância mais potente e letal conhecida pelo
homem, é produzida pela bactéria Clostridium botulinum.
- Disseminação: inalação ou ingestão
- Sintomas:
• Aparecem dentro de seis horas a duas semanas
• Visão dupla, modificação da voz, boca seca e fraqueza muscular
descendente
• Morte em 24 horas por paralisia dos músculos respiratórios
- Tratamento: Antitoxina botulínica.
- Prevenção: Vacina
Clostridium botulinum, bactéria causadora do Botulismo
PESTE
O agente causador da peste, Yersinia pestis, é encontrado em roedores silvestres e
domésticos, e os principais transmissores são pulgas infectadas.
- Disseminação: Picada de pulga ou contato com gotículas transportadas pelo ar.
- Sintomas:
• Aparecem entre um a seis dias
• Febre, dor de cabeça e fraqueza
• Podendo levar ao choque ou a morte em dois a quatro dias.
- Tratamento: Antibióticos dentro de 24 horas após os primeiros sintomas.
- Prevenção: Não há vacina.
Países onde existe presença de peste
Regiões onde existem animais infectados
DISTRIBUIÇÃO MUNDIAL DA PESTE - 1998
VARÍOLA
O vírus da varíola, também popularmente chamado bexiga, foi erradicado do
mundo em 1977, existindo em estoques de dois laboratórios de referência da
Organização Mundial da Saúde. Não se sabe se o vírus foi mantido em outros
laboratórios, violando as normas da OMS.
- Disseminação: O vírus da varíola é relativamente estável e a dosagem necessária
para a contaminação é pequena, o que torna viável um ataque por aerossol. O maior
número de pessoas infectadas ocorre através do contágio com gotículas de saliva
dos pacientes enfermos.
- Sintomas: O período de incubação pode ser de 12 dias após exposição. Os
sintomas incluem febre, fadiga e dores no corpo, seguidas pela erupção de lesões
na pele e podem levar à morte dentro das duas primeiras semanas da enfermidade.
- Tratamento: Não há tratamento comprovado até o momento.
- Prevenção: Vacina
Pessoa infectada com varíola
Atualmente, as únicas instituições com estoques declarados do O.
variolae são: o laboratório do Centro de Controle de Doenças
(CDC) de Atlanta, EUA e o Instituto Vector da Rússia.
O Orthopoxvirus variolae,
microorganismo causador da varíola
Tipos de Terrorismo
- Religioso : pratica de atentados em nome de
Deus
- Naciolista : prática de atentados por ideal
patriótico
- Ideológico : prática de atentados motivados
por uma visão de mundo
Estas causas são juntas na maioria dos casos (como
no caso de Bin Laden)
Porque o Perigo é Eminente
O bioterrorismo é um meio barato e simples
de destruição em massa
Acredita-se que 25 países possuam arsenal
biológico
Porque o Perigo é Eminente
Depois 11 de setembro os EUA está em guerra
contra o terrorismo
Uma semana depois do atentado terrorista,
cartas com antrax começaram a serem
enviadas misteriosamente pelo correio.
O ataque é inespesperado
Porque o Perigo é Eminente
No entanto a maioria dos atentados usa ainda
TNT ou nitrito de amônio para explosão
Há muita informação disponível em artigos
especializados.
Se você procurar no google : como fazer uma
arma biológica você não vai achar nada,
mas pode se fazer uma pesquisa mais
complexa e conseguir dados aos poucos
Porque o Perigo é Eminente
O Iraque é um dos países que tem o maior arsenal
biológico mas as vistorias recentes das Nações
Unidas não detectaram nada pois é muito fácil
esconder estes matérias e transformar um
laboratório de armas biológicas num simples
laboratório farmacêutico
Os EUA ameaçam seriamente um ataque ao Iraque
Amplitude de um ataque
biológico
1 caso de varíola tem a capacidade de infectar cerca
de 20 pessoas e assim por diante
Segundo especialistas alguns quilos de antrax são
capazes de matar a tantas pessoas como a bomba
atômica de Hiroshima
As armas biológicas são apontadas como 100 a 1000
vezes mais perigosas que armas químicas
O ocidente é mais poderoso num combate
convencional
Modos de Prevenção
A maioria dos países não tem treinamento
especial para policiais e bombeiros
Isso pode fazer com que eles próprios se
contaminem e disseminem a doença em
hospitais
Modos de Prevenção
Para 2003 os EUA se gastarão 5,9 bilhões para
defender-se do Bioterrorismo, o dinheiro será
aplicado para :
- Criação de programas estaduais de ação integrada
para aumentar a eficiencia e a rapidez do
diagnóstico, vacinação e uso de antibioticos e
outras medidas que podem deverem serem
tomadas, como uso de máscaras protetoras.
- Aumentar pessoal especializado
- Desenvolvimento de vacínas, remédios e testes
diagnósticos
Modos de Prevenção
- O sistema de saúde não consegue lidar com rapidez
com grande número de vítmas e isola-las
- Há poucos acordos de ajuda mutua entre os estados
- Há poucos treinamentos para médicos sobre como
lidar com vítimas de bioterrorismo
- Aquisição de vacina contra antraz de ultima geração e
melhora de estoque contra varíola, e aquisição de
hemoglobina antivaríola
Modos de Prevenção
-Dez milhões será usado para criar equipes de
epidemologistas para trabalharem em outros
países fornecendo treinamento
-20 milhõe irá para o Serviço de Inteligência
Epidemológica(EIS) no Centro de Controle de
Doenças para avisar com antecedência ataques
biológicos
O principal caráter dessa nova guerra porém não é
investir em remédios mas em acabar com os
grupos terroristas, exaurindo as possibilidades de
ser atacado ao máximo
Acordos internacionais
Tratados de Paz
Os tratados de paz são acordos internacionais
entre dois ou mais países que se determinam
a parar de destruir ou criar formas de
destruição, como armas
A Convenção sobre a Proibição do
Desenvolvimento, da Produção e
Armazenamento das Armas Bacteriológicas
e Tóxicas e sobre sua Destruição foi aberta
em 1972 e foi o primeiro tratado de desarme
multilateral que proibe a produção e o uso
de armas biológicas. Essa convenção entrou
em vigor em 1975, mas nenhum órgão
internacional controla que essa leis sejam
obedecidas o que diminui sua efetividade
Tratados de Paz
Tratados de Paz
Em 1991, na terceira conferencia encarregada
do exame da Convenção sobre Armas
Biológicas estabeleceu-se um grupo de
espertos governamentais para identificar e
examinar possíveis meios de verificar o
comprimento do tratado sob o ponto de
vista cientifico e técnico.
Tratados de Paz
Em 1994 em Genebra uma Conferencia Especial
estabeleceu nos EUA um grupo de verificação
legal da Convenção sobre Armas Biológicas.Na
quarta convenção encarregada do exame da
Convenção sobre Armas Biológicas este grupo foi
encarregado de fazer um novo protocolo de
verificação da convenção.Este grupo realizou 20
seções até agora com o intuito de formar um
acordo sobre assuntos fundamentais do protocolo
Conferências internacionais sobre
Bioterrorismo após 11 de
Setembro
Diversas conferências internacionais foram feitas
após dia 11 de Setembro, todas apoiando uma
reação militar equilibrada dos EUA, As Nações
Unidas consideram que:
É proibido qualquer ato terrorista ou ajuda a grupo
terrorista
As medidas contra terrorismo devem poupar civis e
serem acompanhadas de ajuda humanitária aos
países atacados e vizinhos que recebem refugiados
Deve-se perseguir e julgar os autores ou
colaboradores de ataques terroristas

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a GENETICA - Bioterrorismo.ppt

Michael crichton -_o_parque_dos_dinossauros
Michael crichton -_o_parque_dos_dinossaurosMichael crichton -_o_parque_dos_dinossauros
Michael crichton -_o_parque_dos_dinossauros
Erico Roman
 
O Parque dos Dinossauros - Michael Crichton
O Parque dos Dinossauros - Michael CrichtonO Parque dos Dinossauros - Michael Crichton
O Parque dos Dinossauros - Michael Crichton
Yuri Silva
 
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
Hamilton Aguiar
 
Zaineeloesterbioetica 091115150131-phpapp01
Zaineeloesterbioetica 091115150131-phpapp01Zaineeloesterbioetica 091115150131-phpapp01
Zaineeloesterbioetica 091115150131-phpapp01
Helison Anselmo
 
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
aglayy
 
1.vírus e bactérias + ecossistemas biosfera
1.vírus e bactérias + ecossistemas biosfera1.vírus e bactérias + ecossistemas biosfera
1.vírus e bactérias + ecossistemas biosfera
Regina Silva
 
Cartilha transgenicos
Cartilha transgenicosCartilha transgenicos
Cartilha transgenicos
fabio silva
 
exercícios_vírus_Carlos
exercícios_vírus_Carlosexercícios_vírus_Carlos
exercícios_vírus_Carlos
ADÃO Graciano
 

Semelhante a GENETICA - Bioterrorismo.ppt (20)

texto e micro e parasito
texto e micro e parasito texto e micro e parasito
texto e micro e parasito
 
Pioneiros(2)
 Pioneiros(2) Pioneiros(2)
Pioneiros(2)
 
Michael crichton -_o_parque_dos_dinossauros
Michael crichton -_o_parque_dos_dinossaurosMichael crichton -_o_parque_dos_dinossauros
Michael crichton -_o_parque_dos_dinossauros
 
O Parque dos Dinossauros - Michael Crichton
O Parque dos Dinossauros - Michael CrichtonO Parque dos Dinossauros - Michael Crichton
O Parque dos Dinossauros - Michael Crichton
 
Microbiologia
MicrobiologiaMicrobiologia
Microbiologia
 
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
 
Zaineeloesterbioetica 091115150131-phpapp01
Zaineeloesterbioetica 091115150131-phpapp01Zaineeloesterbioetica 091115150131-phpapp01
Zaineeloesterbioetica 091115150131-phpapp01
 
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
 
1.vírus e bactérias + ecossistemas biosfera
1.vírus e bactérias + ecossistemas biosfera1.vírus e bactérias + ecossistemas biosfera
1.vírus e bactérias + ecossistemas biosfera
 
Cartilha transgenicos
Cartilha transgenicosCartilha transgenicos
Cartilha transgenicos
 
Cap01
Cap01Cap01
Cap01
 
exercícios_vírus_Carlos
exercícios_vírus_Carlosexercícios_vírus_Carlos
exercícios_vírus_Carlos
 
Avanços da biotecnologia 2 A
Avanços da biotecnologia 2 AAvanços da biotecnologia 2 A
Avanços da biotecnologia 2 A
 
teixeira - vírus fixo Pasteur.pdf
teixeira - vírus fixo Pasteur.pdfteixeira - vírus fixo Pasteur.pdf
teixeira - vírus fixo Pasteur.pdf
 
Apostila Básica de Microbiologia
Apostila Básica de MicrobiologiaApostila Básica de Microbiologia
Apostila Básica de Microbiologia
 
Ficha de trabalho 2 2018-2019
Ficha de trabalho 2   2018-2019Ficha de trabalho 2   2018-2019
Ficha de trabalho 2 2018-2019
 
PANDEMIA E DESIGUALDADE : Representação Social e Política da Pandemia do Coro...
PANDEMIA E DESIGUALDADE : Representação Social e Política da Pandemia do Coro...PANDEMIA E DESIGUALDADE : Representação Social e Política da Pandemia do Coro...
PANDEMIA E DESIGUALDADE : Representação Social e Política da Pandemia do Coro...
 
Historico da ea.
Historico da ea.Historico da ea.
Historico da ea.
 
Exercicios biologia parasitologia
Exercicios biologia parasitologiaExercicios biologia parasitologia
Exercicios biologia parasitologia
 
Dia europeu do antibiotico
Dia europeu do antibioticoDia europeu do antibiotico
Dia europeu do antibiotico
 

Mais de LinoReisLino

[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
LinoReisLino
 
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integralparte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
LinoReisLino
 
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
LinoReisLino
 
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptxAula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
LinoReisLino
 
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptxbiologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
LinoReisLino
 
material prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptxmaterial prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptx
LinoReisLino
 
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
LinoReisLino
 
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
LinoReisLino
 
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.pptAula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
LinoReisLino
 

Mais de LinoReisLino (20)

[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
 
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
 
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integralparte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
 
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
 
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptxAula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
 
PROV 1 BM.pptx
PROV 1 BM.pptxPROV 1 BM.pptx
PROV 1 BM.pptx
 
_aula 2 - 8 ano bio.ppt
_aula 2 - 8 ano bio.ppt_aula 2 - 8 ano bio.ppt
_aula 2 - 8 ano bio.ppt
 
apresentaçao eletiva feira.pptx
apresentaçao eletiva feira.pptxapresentaçao eletiva feira.pptx
apresentaçao eletiva feira.pptx
 
bacteria.ppt
bacteria.pptbacteria.ppt
bacteria.ppt
 
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptxbiologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
 
material prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptxmaterial prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptx
 
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
 
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
 
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptxAULA REDAÇÃO - 11-02.pptx
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx
 
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.pptAula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
 
2 ano médio monera.pptx
2 ano médio monera.pptx2 ano médio monera.pptx
2 ano médio monera.pptx
 
Virus.ppt
Virus.pptVirus.ppt
Virus.ppt
 
Virus-aula.ppt
Virus-aula.pptVirus-aula.ppt
Virus-aula.ppt
 
aula --- ANTINUTRIENTE.pptx
aula --- ANTINUTRIENTE.pptxaula --- ANTINUTRIENTE.pptx
aula --- ANTINUTRIENTE.pptx
 
Fungos.ppt
Fungos.pptFungos.ppt
Fungos.ppt
 

GENETICA - Bioterrorismo.ppt

  • 2.
  • 3. Introdução • O estudo do genoma nos deu uma base em toda a estrutura do DNA e seus componentes necessários para entender como compartilhamos alguns genes iguais a de alguns microorganismos (através do código universal) e o que os humanos puderam fazer com essas informações que foram desenvolvidas durante anos.
  • 4. É o uso intencional, ou ameaça de uso, de agentes biológicos para infectar as pessoas, criar pânico e/ou causar discórdias na sociedade. BIOTERRORISMO
  • 5. A GUERRA BIOLÓGICA ATRAVÉS DOS SÉCULOS Sempre ao longo dos tempos, povos utilizaram estratégias com armas biológicas, para invadir ou minar a economia regional. A diferença é que no passado colocavam nas pontas das lanças, veneno de plantas ou secreções com pús. Nas ultimas décadas a manipulação genética aumentou, as técnicas foram aperfeiçoadas e outros agentes patológicos foram descobertos, aumentando a facilidade de criar essas armas.
  • 6. O nome "Guerra Biológica" ou "Guerra Química e Biológica" refere-se a utilização de substâncias com agentes químicos e biológicos com objetivos bélicos. Esses reagentes podem ser pegos na natureza e soltos em outros lugares, ou então, serem manipulados em laboratório para torná-los mais letais. A grande preocupação dos ataques biológicos é como atacar os inimigos sem contaminar os atacantes, isso pode ser resolvido dando a vacina para os que vão atacar, assim os soldados poderão circular livremente, outra preocupação é não contaminar o país atacante, já que os reagentes se espalham, para isso só resta atacar países distantes.
  • 7. O objetivo de um ataque biológico é obter baixas e incapacitações. Então poderá ser utilizado para facilitar a invasão de uma determinada região ou provocar colapso econômico. Para provocar colapso na economia os agentes biológicos são lançados em criações ou plantações, levando a população a fome e a desorganização. As armas biológicas que vêm sendo produzidas hoje, são extremamente fáceis de serem feitas. Um exemplo é o antraz (Bacillus anthracis), que pode ser produzido com caldo de carne comercial. O antraz pode ser controlado por vacinação, porem são necessários aproximadamente oito meses para preparar a vacina. Todavia a tropa atacante leva vantagem, por poder se imunizar com antecedência.
  • 8. - Uma história antiga Ao longo da história da humanidade, encontramos diversas referencias ao uso de gases asfixiantes, cortinas de fumaça, produtos incendiários, produtos nauseantes e até mesmo corpos de animais ou seres humanos doentes como armas de guerra. Também há registros de estratégias variadas, como a infestação de áreas e águas, ou a contaminação de pontas de lança com fezes diarréicas, secreções e toxinas de plantas. Os próprios índios brasileiros costumavam empregar uma tecnologia de guerra química ou biológica, passando veneno de planta nas pontas de suas flechas.
  • 9. A primeira notícia de guerra que se tem registros data do século 15 a. C. no Egito onde ouve a introdução estratégica provavelmente, do agente Bacillus anthracis e segundo a Bíblia, até o faraó foi contaminado. Em 1395, os tártaros que invadiram Kaffa, utilizaram cadáveres de soldados infectados pela bactéria da peste ( Yersinia pestis ) eram catapultados para dentro das cidades, a doença era transmitida à população por ratos e pulgas.
  • 10. No século 18, durante a guerra entre franceses e ingleses, os ingleses distribuíram nas tribos, lençóis de pessoas contaminadas por varíola, porque os índios norte – americanos se uniram aos franceses, isso enfraqueceu a resistência dos índios e consequentemente os franceses. Após a invasão da China, em 1937, o exercito japonês instalou, perto da cidade de Nanquim no sul da China a unidade 731, onde eram criados e produzidos diversos tipos de armas biológicas, usando bactérias que provocam antraz, meningite, disenteria, cólera e peste. Os numerosos campos de concentração para chineses existentes região foram utilizados como áreas de teste dessas armas. Cerca de 3 mil mortes documentadas.
  • 11. Na Segunda Guerra Mundial, sabendo da unidade 731 japonesa, os países aliados usaram a ilha Gruinard como campos de provas. Soltaram bombas que, ao explodir, liberaram no ar esporos de antraz. Foi um desastre tão grande que a ilha permaneceu contaminada ate 1986, quando uma campanha internacional pressionou as autoridades, para que o solo fosse lavado varias vezes, com água do mar misturada a formol, permitindo finalmente a sua liberação.
  • 12. Em 1946, o arsenal biológico dos Estados Unidos, estava completo, então começaram os conflitos diplomáticos. Durante a chamada “guerra fria”, alem das questões dos mísseis em Cuba e das ogivas nucleares, foram discutidas também as armas biológicas. Nesse período aconteceu uma acusação feita pela União Soviética, de que os EUA estariam usando armas biológica na Guerra do Vietnã e também no sul da China. Mais tarde os EUA acusaram os soviéticos de ataques com toxinas de fungos, lançados por aviões, contra o Laos e o Afeganistão, entre 1969 e 1971. Nenhum desses incidentes foi confirmado.
  • 13. Essa é a grande “vantagem” das armas biológicas: elas são silenciosas e é difícil distinguir seus efeitos daqueles decorrentes de eventos naturais como epidemias, intoxicações alimentares, falta de programas de vacinação, problemas socioeconômicos etc.
  • 14. - A destruição do arsenal biológico Durante a “guerra fria”, em 1969, o presidente dos Estados Unidos , Richard Nixon, fez um pronunciamento no qual propunha a eliminar todo o arsenal biológico norte – americano. Ele teria sido destruído no período de 1971 a 1972. Ainda em 1969, a Inglaterra submeteu à Organização das Nações Unidas ( ONU ) a proposta que proibia o desenvolvimento, a produção e o armazenamento de armas biológicas. O documento ordenava que qualquer pais acusado de produzir armas biológicas fosse investigado por uma comissão internacional.
  • 15. O mundo começou a se interessar por um acordo desse tipo por causa da divulgação de algumas manobras das agencias de segurança dos então países mais poderosos do mundo. A primeira foi a constatação de que o Comitê de Segurança do Estado Soviético ( KGB) havia desenvolvido uma toxina do rícino e a estava usando, com a ajuda do serviço secreto búlgaro, para assassinar seus agentes que se desligaram do comitê. O KGB fabricou pequenas esferas ( de 1 e 2 mm de diâmetro, com um furo central ), que eram mergulhadas em solução de rícina ( proteína toxica produzida por uma planta ) e depois cobertas com parafina, capaz de derreter em contato com a temperatura corpórea, de maneira a liberar a solução de rícina. Um guarda - chuva especial adaptado disparava uma chuva dessas esferas metálicas.
  • 16. A Agencia Central de Inteligência dos Estados Unidos ( CIA ) também foi acusada de assassinatos políticos usando, o veneno produzido pelo peixe baiacu, chamado tetratodoxina. Essa toxina pode causar infarto fulminante sem deixar qualquer vestígio no corpo. A arma utilizada para colocar o veneno era uma caneta, o indivíduo riscado com a tinta morria de infarto em pouco tempo. O Iraque, também deu inicio a um programa de desenvolvimento de armas biológicas. Durante a Guerra do Golfo, os EUA sabiam que o Iraque estava preparado para atacar biologicamente. Por isso, todos os soldados norte – americanos foram vacinados contra o bacilo do antraz e a toxina butolínica.
  • 17. Atualmente, protestos de ONGs vêm chamando a atenção para o “agente verde”, fungo desenvolvido para combater as plantações de narcóticos ( coca, papoula e maconha ) em países da Ásia e das Américas do Sul e Central. Porem os fungos podem infectar e matar outras plantas aparentadas com as plantas narcóticas. Isso seria trágico para outras espécies animais e vegetais que dependem dessas variedades, e afeta o equilíbrio dos ecossistemas.
  • 18. Depois do ataque terrorista de 11 de setembro, os EUA sofreram vários ataques utilizando o Bacillus anthracis como arma biológica, ele foi enviado por carta a vários locais do pais. Dados revelam que 18 pessoas foram contaminadas pela bactéria entre outubro e dezembro de 2001, 5 delas morreram em conseqüência da infecção.
  • 19. - As novas armas As técnicas de biologia molecular de manipulação dos genes permitem alteram células e organismos de maneira altamente especifica, favorecendo o desenvolvimento de novas armas biológicas. Por outro lado, essas mesmas conquistas da ciência fazem com que seja possível a identificação de agentes patogênicos com muito mais rapidez do que através dos métodos convencionais. A capacidade de desenvolver armas biológicas ganhou nova dimensão com a noticia de que pesquisadores de uma universidade de Nova York recriaram em laboratório o vírus da poliomielite ( paralisia infantil ), a partir de informações genéticas obtidas na Internet.
  • 20. Com a ameaça da guerra biológica muitos países, já estão ampliando o estoque de vacinas e antídotos, implantando sistemas de identificação e isolamento de agentes patogênicos provenientes de armas biológicas. Para atender em atentados de guerra biológica foram criados nos EUA laboratórios para identificação de agentes patogênicos usados como armas.
  • 21. Esses laboratórios são capazes de identificar vírus e bactérias, ou toxinas, em duas ou três horas. Muitas dessas técnicas relativamente simples ou pelo menos já bem conhecidas. Quase todas, porem, são muito caras. Não é bastante estabelecer laboratórios para identificação de armas biológicas. Os governos dos países e as ONGs devem criar e apoiar instrumentos de monitoramento e controles dessas armas. É necessário que as ONGs assumam o papel de pressionar os governos para que tomem posição clara nessa questão.
  • 22. Atualmente, o avanço da engenharia genética nos permitiu fazer o que quisermos em termos de genes humano, animal e vegetal. Dessa maneira este avanço acaba por ajudar os bioterroristas que cada vez mais ganham novas técnicas, que posteriormente são utilizadas na produção e aprimoramento de armas biológicas. Engenharia genética e o Bioterrorismo
  • 23. O Brasil e o Bioterrorismo O bioterrorismo exige que haja disponibilidade de biotecnologia, sendo assim os grupos terroristas envolvidos no bioterrorismo sempre procuram países onde possam contar com uma tecnologia avançada e com profissionais qualificados. O Brasil é um país que se destaca no ramo da biotecnologia, possuindo excelentes profissionais, assim pode, um dia, ser alvo de grupos terroristas.
  • 24. Principais armas biológicas 1- Antraz 2- Botulismo 3- Peste 4- Varíola
  • 25. ANTRAZ É uma doença infecciosa aguda causada por bactérias formadoras de esporos chamadas Bacillus anthracis. Os esporos produzem uma toxina que pode ser fatal. Disseminação e sintomas: • Contato com a pele 1 – Inicialmente, se observa na pele um sinal semelhante a picada de inseto 2 – Em um ou dois, há desenvolvimento de úlcera com diâmetro entre 1 e 3 cm 3 – 20% dos casos leva a morte • Inalação 1 – Surge como um resfriado comum 2 – Leva a insuficiência cardíaca ou choque • Ingestão 1 - Inflamação do trato intestinal, causando vômitos e diarréia sanguinolentos 2 – Pode matar em até 24 horas após o aparecimento dos sintomas mais agudos
  • 26. - Tratamento: Antibióticos, incluindo penicilina. A demora no uso de antibióticos - mesmo que seja por algumas horas - pode diminuir as chances de sobrevivência. - Prevenção: Vacina. Muitos médicos, contudo, questionam sua eficácia e apontam para dolorosos efeitos colaterais. Bactéria Bacillus anthacis Ferimentos no pescoço de uma pessoa infectada
  • 27. BOTULISMO A toxina botulínica, a substância mais potente e letal conhecida pelo homem, é produzida pela bactéria Clostridium botulinum. - Disseminação: inalação ou ingestão - Sintomas: • Aparecem dentro de seis horas a duas semanas • Visão dupla, modificação da voz, boca seca e fraqueza muscular descendente • Morte em 24 horas por paralisia dos músculos respiratórios - Tratamento: Antitoxina botulínica. - Prevenção: Vacina
  • 28. Clostridium botulinum, bactéria causadora do Botulismo
  • 29. PESTE O agente causador da peste, Yersinia pestis, é encontrado em roedores silvestres e domésticos, e os principais transmissores são pulgas infectadas. - Disseminação: Picada de pulga ou contato com gotículas transportadas pelo ar. - Sintomas: • Aparecem entre um a seis dias • Febre, dor de cabeça e fraqueza • Podendo levar ao choque ou a morte em dois a quatro dias. - Tratamento: Antibióticos dentro de 24 horas após os primeiros sintomas. - Prevenção: Não há vacina.
  • 30. Países onde existe presença de peste Regiões onde existem animais infectados DISTRIBUIÇÃO MUNDIAL DA PESTE - 1998
  • 31. VARÍOLA O vírus da varíola, também popularmente chamado bexiga, foi erradicado do mundo em 1977, existindo em estoques de dois laboratórios de referência da Organização Mundial da Saúde. Não se sabe se o vírus foi mantido em outros laboratórios, violando as normas da OMS. - Disseminação: O vírus da varíola é relativamente estável e a dosagem necessária para a contaminação é pequena, o que torna viável um ataque por aerossol. O maior número de pessoas infectadas ocorre através do contágio com gotículas de saliva dos pacientes enfermos. - Sintomas: O período de incubação pode ser de 12 dias após exposição. Os sintomas incluem febre, fadiga e dores no corpo, seguidas pela erupção de lesões na pele e podem levar à morte dentro das duas primeiras semanas da enfermidade. - Tratamento: Não há tratamento comprovado até o momento. - Prevenção: Vacina
  • 32. Pessoa infectada com varíola Atualmente, as únicas instituições com estoques declarados do O. variolae são: o laboratório do Centro de Controle de Doenças (CDC) de Atlanta, EUA e o Instituto Vector da Rússia. O Orthopoxvirus variolae, microorganismo causador da varíola
  • 33. Tipos de Terrorismo - Religioso : pratica de atentados em nome de Deus - Naciolista : prática de atentados por ideal patriótico - Ideológico : prática de atentados motivados por uma visão de mundo Estas causas são juntas na maioria dos casos (como no caso de Bin Laden)
  • 34. Porque o Perigo é Eminente O bioterrorismo é um meio barato e simples de destruição em massa Acredita-se que 25 países possuam arsenal biológico
  • 35. Porque o Perigo é Eminente Depois 11 de setembro os EUA está em guerra contra o terrorismo Uma semana depois do atentado terrorista, cartas com antrax começaram a serem enviadas misteriosamente pelo correio. O ataque é inespesperado
  • 36. Porque o Perigo é Eminente No entanto a maioria dos atentados usa ainda TNT ou nitrito de amônio para explosão Há muita informação disponível em artigos especializados. Se você procurar no google : como fazer uma arma biológica você não vai achar nada, mas pode se fazer uma pesquisa mais complexa e conseguir dados aos poucos
  • 37. Porque o Perigo é Eminente O Iraque é um dos países que tem o maior arsenal biológico mas as vistorias recentes das Nações Unidas não detectaram nada pois é muito fácil esconder estes matérias e transformar um laboratório de armas biológicas num simples laboratório farmacêutico Os EUA ameaçam seriamente um ataque ao Iraque
  • 38. Amplitude de um ataque biológico 1 caso de varíola tem a capacidade de infectar cerca de 20 pessoas e assim por diante Segundo especialistas alguns quilos de antrax são capazes de matar a tantas pessoas como a bomba atômica de Hiroshima As armas biológicas são apontadas como 100 a 1000 vezes mais perigosas que armas químicas O ocidente é mais poderoso num combate convencional
  • 39. Modos de Prevenção A maioria dos países não tem treinamento especial para policiais e bombeiros Isso pode fazer com que eles próprios se contaminem e disseminem a doença em hospitais
  • 40. Modos de Prevenção Para 2003 os EUA se gastarão 5,9 bilhões para defender-se do Bioterrorismo, o dinheiro será aplicado para : - Criação de programas estaduais de ação integrada para aumentar a eficiencia e a rapidez do diagnóstico, vacinação e uso de antibioticos e outras medidas que podem deverem serem tomadas, como uso de máscaras protetoras. - Aumentar pessoal especializado - Desenvolvimento de vacínas, remédios e testes diagnósticos
  • 41. Modos de Prevenção - O sistema de saúde não consegue lidar com rapidez com grande número de vítmas e isola-las - Há poucos acordos de ajuda mutua entre os estados - Há poucos treinamentos para médicos sobre como lidar com vítimas de bioterrorismo - Aquisição de vacina contra antraz de ultima geração e melhora de estoque contra varíola, e aquisição de hemoglobina antivaríola
  • 42. Modos de Prevenção -Dez milhões será usado para criar equipes de epidemologistas para trabalharem em outros países fornecendo treinamento -20 milhõe irá para o Serviço de Inteligência Epidemológica(EIS) no Centro de Controle de Doenças para avisar com antecedência ataques biológicos O principal caráter dessa nova guerra porém não é investir em remédios mas em acabar com os grupos terroristas, exaurindo as possibilidades de ser atacado ao máximo
  • 44. Tratados de Paz Os tratados de paz são acordos internacionais entre dois ou mais países que se determinam a parar de destruir ou criar formas de destruição, como armas
  • 45. A Convenção sobre a Proibição do Desenvolvimento, da Produção e Armazenamento das Armas Bacteriológicas e Tóxicas e sobre sua Destruição foi aberta em 1972 e foi o primeiro tratado de desarme multilateral que proibe a produção e o uso de armas biológicas. Essa convenção entrou em vigor em 1975, mas nenhum órgão internacional controla que essa leis sejam obedecidas o que diminui sua efetividade Tratados de Paz
  • 46. Tratados de Paz Em 1991, na terceira conferencia encarregada do exame da Convenção sobre Armas Biológicas estabeleceu-se um grupo de espertos governamentais para identificar e examinar possíveis meios de verificar o comprimento do tratado sob o ponto de vista cientifico e técnico.
  • 47. Tratados de Paz Em 1994 em Genebra uma Conferencia Especial estabeleceu nos EUA um grupo de verificação legal da Convenção sobre Armas Biológicas.Na quarta convenção encarregada do exame da Convenção sobre Armas Biológicas este grupo foi encarregado de fazer um novo protocolo de verificação da convenção.Este grupo realizou 20 seções até agora com o intuito de formar um acordo sobre assuntos fundamentais do protocolo
  • 48. Conferências internacionais sobre Bioterrorismo após 11 de Setembro Diversas conferências internacionais foram feitas após dia 11 de Setembro, todas apoiando uma reação militar equilibrada dos EUA, As Nações Unidas consideram que: É proibido qualquer ato terrorista ou ajuda a grupo terrorista As medidas contra terrorismo devem poupar civis e serem acompanhadas de ajuda humanitária aos países atacados e vizinhos que recebem refugiados Deve-se perseguir e julgar os autores ou colaboradores de ataques terroristas