SlideShare uma empresa Scribd logo

Produção de texto dissertação psicologia

1 de 5
Baixar para ler offline
DISSERTAÇÃO
3. Dissertação É a apresentação de pontos de vista e argumentos, a
respeito de um tema, de uma questão posta em debate.
A dissertação é uma das atividades fundamentais da nossa prática
de linguagem e da nossa condição de seres humanos.
Com as experiências dissertativas, pensamos e repensamos a vida,
questionamos o que nos é apresentado, interrogamos e criticamos a
realidade, defendemos os nossos direitos, fazemos propostas
transformação do mundo.
3.1.

Elementos

estruturais

do

texto

dissertativo:

Tema:
O
assunto
sobre
o
qual
se
escreve.
Ponto de vista: A posição~~ que se assume diante do tema.
Argumentação: A fundamentação do posicionamento, a defesa do
ponto de vista.
Exemplo: Eu disse uma vez que escrever é uma maldição. (...) Hoje
repito: é uma maldição que salva.
Não estou me referindo a escrever para jornal. Mas escrever aquilo
que eventualmente pode se transformar num conto ou num
romance. É uma maldição porque obriga e arrasta como um vício
penoso do qual é quase impossível se livrar, pois nada o substitui. E
é uma salvação. Salva a alma presa, salva a pessoa que se sente
inútil, salva o dia que se vive e que nunca se entende a menos que
escreva. Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o
irreproduzível, é sentir até o último fim o abençoar uma vida que
não foi abençoada... Lembro-me agora com saudade da dor de
escrever livros.
Clarice

Lispector.

A

descoberta

do

mundo.

Nesse texto você pode verificar nitidamente o seguinte esquema:
Introdução
O primeiro parágrafo apresenta o ponto de vista – escrever é uma
maldição
e
é
uma
salvação.
Desenvolvimento
O segundo parágrafo apresenta o primeiro argumento explicando a
maldição que é escrever.
O terceiro parágrafo expõe outro argumento explicando por que
escrever é uma salvação. Conclusão No final do último parágrafo,
uma ideia sintetiza os dois aspectos que o ato de escrever reúne: a
“saudade
da
dor
de
escrever”
3.2. Tipos de Dissertação
Existem dois tipos de dissertação: a dissertação expositiva e a
dissertação argumentativa. A primeira tem como objetivo expor,
explicar ou interpretar idéias; a segunda procura persuadir o leitor
ou ouvinte de que determinada tese deve ser acatada. Na
dissertação argumentativa, além disso, tentamos, explicitamente,
formar a opinião do leitor ou ouvinte, procurando persuadi-lo de que
a razão está conosco. Na dissertação expositiva, podemos explanar
sem combater idéias de que discordamos. Por exemplo, um
professor de História pode fazer uma explicação sobre os modos de
produção, aparentando impessoalidade, sem tentar convencer seus
alunos das vantagens das vantagens e desvantagens deles. Mas, se
ao contrário, ele fizer uma explanação com o propósito claro de
formar opinião dos seus alunos, mostrando as inconveniências de
determinado sistema e valorizando um outro, esse professor estará
argumentando
explicitamente.
Para a argumentação ser eficaz, os argumentos devem possuir
consistência de raciocínio e de provas. O raciocínio consistente é
aquele que se apóia nos princípios da lógica, que não se perde em
especulações vãs, no “bate-boca”estéril. As provas, por sua vez,
servem para reforçar os argumentos. Os tipos mais comuns de
provas são: os fatos-exemplos, os dados estatísticos e o
testemunho.
Como fazer uma dissertação argumentativa? Como fazer nossas
dissertações? Como expor com clareza nosso ponto de vista? Como
argumentar coerentemente e validamente? Como organizar a
estrutura lógica de nosso texto, com introdução, desenvolvimento e
conclusão? Vamos supor que o tema proposta seja Nenhum homem
é uma ilha. Primeiro, precisamos entender o tema. Ilha,
naturalmente, está em sentido figurado, significando solidão,
isolamento.
Vamos sugerir alguns passos para a elaboração do rascunho de sua
redação.
1.
Transforme
o
tema
Nenhum homem é uma ilha?

em

uma

pergunta:

2. Procure responder essa pergunta, de um modo simples e claro,
concordando ou discordando (ou, ainda, concordando em parte e
discordando em parte): essa resposta é o seu ponto de vista.
3. Pergunte a você mesmo, o porquê de sua resposta, uma causa,
um motivo, uma razão para justificar sua posição: aí estará o seu
argumento principal.
4. Agora, procure descobrir outros motivos que ajudem a defender
o seu ponto de vista, a fundamentar sua posição. Estes serão
argumentos auxiliares.
5. Em seguida, procure algum fato que sirva de exemplo para
reforçar a sua posição. Este fato-exemplo pode vir de sua memória
visual, das coisas que você ouviu, do que você leu. Pode ser um
fato da vida política, econômica, social. Pode ser um fato histórico.
Ele precisa ser bastante expressivo e coerente com o seu ponto de
vista. O fato-exemplo, geralmente, dá força e clareza à nossa
argumentação. Esclarece a nossa opinião, fortalece os nossos
argumentos. Além disso, pessoaliza o nosso texto, diferencia o
nosso texto: como ele nasce da experiência de vida, ele dá uma
marca pessoal à dissertação.
6. A partir desses elementos, procure juntá-los num texto, que é o
rascunho de sua redação. Por enquanto, você pode agrupá-los na
seqüência
que
foi
sugerida:
Os passos
1) interrogar o tema;
2) responder, com a opinião;
3) apresentar argumento básico;
4) apresentar argumentos auxiliares;
5) apresentar fato- exemplo;
6) concluir.
(in Novo Manual da Nova Cultural - Redação, Gramática, Literatura
e Interpretação de Textos, de Emília Amaral e outros)
Como ficaria o esquema
1º parágrafo: a tese
2º parágrafo: argumento 1
3º parágrafo: argumento 2
4º parágrafo: fato-exemplo
5º parágrafo: conclusão
Exemplo
de
redação
com
esse
esquema:
Tema:
Como
encarar
a
questão
do
erro
Título:
Buscar
o
sucesso
Tese 1º§ O homem nunca pôde conhecer acertos sem lidar com
seus
erros.
Argumentação
2º§ O erro pressupõe a falta de conhecimento ou experiência, a
deficiência de sintonia entre o que se propõe a fazer e os meios
para a realização do ato. Deriva-se de inúmeras causas, que incluem
tanto a falta de informação, como a inabilidade em lidar com elas.
3º§ Já acertar, obter sucesso, constitui-se na exata coordenação
entre informação e execução de qualquer atividade. É o
alinhamento preciso entre o que fazer e como fazer, sendo esses
dois pontos indispensáveis e inseparáveis. Fato-exemplo
4º§ Como atingir o acento? A experiência é fundamental e, na maior
das vezes, é alicerçada em erros anteriores, que ensinarão os
caminhos para que cada experiência ruim não mais ocorra. Assim,
um jovem que presta seu primeiro vestibular e fracassa pode, a
partir do erro, descobrir seus pontos falhos e, aos poucos, aliar seus
conhecimentos à capacidade de enfrentar uma situação de nova
prova e pressão. Esse mesmo jovem, no mercado de trabalho,
poderá estar envolvido em situações semelhantes: seus momentos
de fracasso estimularão sua criatividade e maior empenho, o que
fatalmente levará a posteriores acertos fundamentais em seu
trabalho.
Conclusão
5º§ Assim, o aparecimento dos erros nos atos humanos é inevitável.
Porém, é preciso, acima de tudo, saber lidar com eles, conscientizarse de cada ato falho e tomá-los como desafio, nunca se
conformando, sempre buscando a superação e o sucesso. Antes do
alcance da luz, será sempre preciso percorrer o túnel. (Redação de
aluno.)
Anúncio

Recomendados

Resenha crítica do livro "Eu e o Pai Somos Um",
Resenha crítica do livro "Eu e o Pai Somos Um",Resenha crítica do livro "Eu e o Pai Somos Um",
Resenha crítica do livro "Eu e o Pai Somos Um",jb1955
 
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumental
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumentalA Ciência, o ideal científico e a razão instrumental
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumentalFelipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Aula de filosofia antiga, tema: Heráclito de Éfeso
Aula de filosofia antiga, tema: Heráclito de ÉfesoAula de filosofia antiga, tema: Heráclito de Éfeso
Aula de filosofia antiga, tema: Heráclito de ÉfesoLeandro Nazareth Souto
 
Língua portuguesa análise da música cálice
Língua portuguesa análise da música cáliceLíngua portuguesa análise da música cálice
Língua portuguesa análise da música cáliceWesley Germano Otávio
 
Principais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofiaPrincipais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofiaAldenei Barros
 
Slide Gênero Textual Notícia
Slide Gênero Textual NotíciaSlide Gênero Textual Notícia
Slide Gênero Textual NotíciaJomari
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Introdução ao Existencialismo
Introdução ao ExistencialismoIntrodução ao Existencialismo
Introdução ao Existencialismo
 
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-SocráticosAula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
 
Filosofia e arte na antiguidade
Filosofia e arte na antiguidadeFilosofia e arte na antiguidade
Filosofia e arte na antiguidade
 
Oficina de Redação
Oficina de RedaçãoOficina de Redação
Oficina de Redação
 
Mapa antropologia
Mapa antropologiaMapa antropologia
Mapa antropologia
 
CARTAS - UEM - PAS
CARTAS - UEM  - PASCARTAS - UEM  - PAS
CARTAS - UEM - PAS
 
A angústia e o desespero como fundamento ontológico
A angústia e o desespero como fundamento ontológicoA angústia e o desespero como fundamento ontológico
A angústia e o desespero como fundamento ontológico
 
Produção de texto
Produção de textoProdução de texto
Produção de texto
 
Sartre
SartreSartre
Sartre
 
Aulas de Redação: desenvolvimento
Aulas de Redação: desenvolvimentoAulas de Redação: desenvolvimento
Aulas de Redação: desenvolvimento
 
Trabalho de filosofia ensino médio
Trabalho de filosofia ensino médioTrabalho de filosofia ensino médio
Trabalho de filosofia ensino médio
 
arte de fazer perguntas[1]-1.pdf
arte de fazer perguntas[1]-1.pdfarte de fazer perguntas[1]-1.pdf
arte de fazer perguntas[1]-1.pdf
 
REDAÇÃO - PAS - UEM - 3º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 3º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 3º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 3º ANO
 
A teoria platónica das ideias
A teoria platónica das ideiasA teoria platónica das ideias
A teoria platónica das ideias
 
Plagio acadêmico
Plagio acadêmicoPlagio acadêmico
Plagio acadêmico
 
Kierkegaard e o existencialismo
Kierkegaard e o existencialismoKierkegaard e o existencialismo
Kierkegaard e o existencialismo
 
Mau ou mal
Mau ou malMau ou mal
Mau ou mal
 
NTTPS PROJETO DE PESQUISA
NTTPS PROJETO DE PESQUISA NTTPS PROJETO DE PESQUISA
NTTPS PROJETO DE PESQUISA
 
Sociologia - O que é o trabalho
Sociologia - O que é o trabalho Sociologia - O que é o trabalho
Sociologia - O que é o trabalho
 
Aristóteles
AristótelesAristóteles
Aristóteles
 

Destaque

Direitos de aprendizagem produção de textos
Direitos de aprendizagem   produção de textosDireitos de aprendizagem   produção de textos
Direitos de aprendizagem produção de textosmariaelidias
 
Atps matematica aplicada adm
Atps matematica aplicada admAtps matematica aplicada adm
Atps matematica aplicada admJuliano OO
 
Cead 20131 administracao_pa_-_administracao_-_estagio_supervisionado_ii_-_nr_...
Cead 20131 administracao_pa_-_administracao_-_estagio_supervisionado_ii_-_nr_...Cead 20131 administracao_pa_-_administracao_-_estagio_supervisionado_ii_-_nr_...
Cead 20131 administracao_pa_-_administracao_-_estagio_supervisionado_ii_-_nr_...Ricardo Almeida
 
Psicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacionalPsicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacionalThiago de Almeida
 
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –Viviane Pasqualeto
 
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos  Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos complementoindirecto
 
Atps estrutura e análise das demonstrações financeiras
Atps   estrutura e análise das demonstrações financeirasAtps   estrutura e análise das demonstrações financeiras
Atps estrutura e análise das demonstrações financeirasMai Reginato
 
Modelo artigo atps
Modelo artigo atpsModelo artigo atps
Modelo artigo atpsrickemii
 

Destaque (9)

Direitos de aprendizagem produção de textos
Direitos de aprendizagem   produção de textosDireitos de aprendizagem   produção de textos
Direitos de aprendizagem produção de textos
 
teorias da psicolgia
teorias da psicolgiateorias da psicolgia
teorias da psicolgia
 
Atps matematica aplicada adm
Atps matematica aplicada admAtps matematica aplicada adm
Atps matematica aplicada adm
 
Cead 20131 administracao_pa_-_administracao_-_estagio_supervisionado_ii_-_nr_...
Cead 20131 administracao_pa_-_administracao_-_estagio_supervisionado_ii_-_nr_...Cead 20131 administracao_pa_-_administracao_-_estagio_supervisionado_ii_-_nr_...
Cead 20131 administracao_pa_-_administracao_-_estagio_supervisionado_ii_-_nr_...
 
Psicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacionalPsicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacional
 
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
 
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos  Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
 
Atps estrutura e análise das demonstrações financeiras
Atps   estrutura e análise das demonstrações financeirasAtps   estrutura e análise das demonstrações financeiras
Atps estrutura e análise das demonstrações financeiras
 
Modelo artigo atps
Modelo artigo atpsModelo artigo atps
Modelo artigo atps
 

Semelhante a Produção de texto dissertação psicologia

Semelhante a Produção de texto dissertação psicologia (20)

Plano de aula dissertaçao
Plano de aula   dissertaçaoPlano de aula   dissertaçao
Plano de aula dissertaçao
 
Dissertaçao
DissertaçaoDissertaçao
Dissertaçao
 
DissertaçãO
DissertaçãODissertaçãO
DissertaçãO
 
Dissertação i
Dissertação iDissertação i
Dissertação i
 
Ensaio
EnsaioEnsaio
Ensaio
 
Artur polónio como escrever um ensaio filosófico
Artur polónio   como escrever um ensaio filosóficoArtur polónio   como escrever um ensaio filosófico
Artur polónio como escrever um ensaio filosófico
 
Aula dissertação
Aula dissertaçãoAula dissertação
Aula dissertação
 
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativoProdução de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo
 
Curso básico de redação aula 3
Curso básico de redação   aula 3Curso básico de redação   aula 3
Curso básico de redação aula 3
 
Dissertação expositiva e argumentativa
Dissertação expositiva e argumentativaDissertação expositiva e argumentativa
Dissertação expositiva e argumentativa
 
Redação
RedaçãoRedação
Redação
 
Curso de redação
Curso de redaçãoCurso de redação
Curso de redação
 
Topico_Frasal_(2).pdf
Topico_Frasal_(2).pdfTopico_Frasal_(2).pdf
Topico_Frasal_(2).pdf
 
A redação aula 1
A redação   aula 1A redação   aula 1
A redação aula 1
 
Ot 26 05[1]
Ot 26 05[1]Ot 26 05[1]
Ot 26 05[1]
 
Ot 26 05[1]
Ot 26 05[1]Ot 26 05[1]
Ot 26 05[1]
 
2 características da dissertação 9º ano 2009
2 características da dissertação    9º ano 20092 características da dissertação    9º ano 2009
2 características da dissertação 9º ano 2009
 
Redação discursiva
Redação discursivaRedação discursiva
Redação discursiva
 
3. dissertar é...
3. dissertar é...3. dissertar é...
3. dissertar é...
 
Redação ENEM
Redação ENEMRedação ENEM
Redação ENEM
 

Produção de texto dissertação psicologia

  • 1. DISSERTAÇÃO 3. Dissertação É a apresentação de pontos de vista e argumentos, a respeito de um tema, de uma questão posta em debate. A dissertação é uma das atividades fundamentais da nossa prática de linguagem e da nossa condição de seres humanos. Com as experiências dissertativas, pensamos e repensamos a vida, questionamos o que nos é apresentado, interrogamos e criticamos a realidade, defendemos os nossos direitos, fazemos propostas transformação do mundo. 3.1. Elementos estruturais do texto dissertativo: Tema: O assunto sobre o qual se escreve. Ponto de vista: A posição~~ que se assume diante do tema. Argumentação: A fundamentação do posicionamento, a defesa do ponto de vista. Exemplo: Eu disse uma vez que escrever é uma maldição. (...) Hoje repito: é uma maldição que salva. Não estou me referindo a escrever para jornal. Mas escrever aquilo que eventualmente pode se transformar num conto ou num romance. É uma maldição porque obriga e arrasta como um vício penoso do qual é quase impossível se livrar, pois nada o substitui. E é uma salvação. Salva a alma presa, salva a pessoa que se sente inútil, salva o dia que se vive e que nunca se entende a menos que escreva. Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o abençoar uma vida que não foi abençoada... Lembro-me agora com saudade da dor de escrever livros. Clarice Lispector. A descoberta do mundo. Nesse texto você pode verificar nitidamente o seguinte esquema:
  • 2. Introdução O primeiro parágrafo apresenta o ponto de vista – escrever é uma maldição e é uma salvação. Desenvolvimento O segundo parágrafo apresenta o primeiro argumento explicando a maldição que é escrever. O terceiro parágrafo expõe outro argumento explicando por que escrever é uma salvação. Conclusão No final do último parágrafo, uma ideia sintetiza os dois aspectos que o ato de escrever reúne: a “saudade da dor de escrever” 3.2. Tipos de Dissertação Existem dois tipos de dissertação: a dissertação expositiva e a dissertação argumentativa. A primeira tem como objetivo expor, explicar ou interpretar idéias; a segunda procura persuadir o leitor ou ouvinte de que determinada tese deve ser acatada. Na dissertação argumentativa, além disso, tentamos, explicitamente, formar a opinião do leitor ou ouvinte, procurando persuadi-lo de que a razão está conosco. Na dissertação expositiva, podemos explanar sem combater idéias de que discordamos. Por exemplo, um professor de História pode fazer uma explicação sobre os modos de produção, aparentando impessoalidade, sem tentar convencer seus alunos das vantagens das vantagens e desvantagens deles. Mas, se ao contrário, ele fizer uma explanação com o propósito claro de formar opinião dos seus alunos, mostrando as inconveniências de determinado sistema e valorizando um outro, esse professor estará argumentando explicitamente. Para a argumentação ser eficaz, os argumentos devem possuir consistência de raciocínio e de provas. O raciocínio consistente é aquele que se apóia nos princípios da lógica, que não se perde em especulações vãs, no “bate-boca”estéril. As provas, por sua vez, servem para reforçar os argumentos. Os tipos mais comuns de provas são: os fatos-exemplos, os dados estatísticos e o testemunho.
  • 3. Como fazer uma dissertação argumentativa? Como fazer nossas dissertações? Como expor com clareza nosso ponto de vista? Como argumentar coerentemente e validamente? Como organizar a estrutura lógica de nosso texto, com introdução, desenvolvimento e conclusão? Vamos supor que o tema proposta seja Nenhum homem é uma ilha. Primeiro, precisamos entender o tema. Ilha, naturalmente, está em sentido figurado, significando solidão, isolamento. Vamos sugerir alguns passos para a elaboração do rascunho de sua redação. 1. Transforme o tema Nenhum homem é uma ilha? em uma pergunta: 2. Procure responder essa pergunta, de um modo simples e claro, concordando ou discordando (ou, ainda, concordando em parte e discordando em parte): essa resposta é o seu ponto de vista. 3. Pergunte a você mesmo, o porquê de sua resposta, uma causa, um motivo, uma razão para justificar sua posição: aí estará o seu argumento principal. 4. Agora, procure descobrir outros motivos que ajudem a defender o seu ponto de vista, a fundamentar sua posição. Estes serão argumentos auxiliares. 5. Em seguida, procure algum fato que sirva de exemplo para reforçar a sua posição. Este fato-exemplo pode vir de sua memória visual, das coisas que você ouviu, do que você leu. Pode ser um fato da vida política, econômica, social. Pode ser um fato histórico. Ele precisa ser bastante expressivo e coerente com o seu ponto de vista. O fato-exemplo, geralmente, dá força e clareza à nossa argumentação. Esclarece a nossa opinião, fortalece os nossos argumentos. Além disso, pessoaliza o nosso texto, diferencia o nosso texto: como ele nasce da experiência de vida, ele dá uma marca pessoal à dissertação.
  • 4. 6. A partir desses elementos, procure juntá-los num texto, que é o rascunho de sua redação. Por enquanto, você pode agrupá-los na seqüência que foi sugerida: Os passos 1) interrogar o tema; 2) responder, com a opinião; 3) apresentar argumento básico; 4) apresentar argumentos auxiliares; 5) apresentar fato- exemplo; 6) concluir. (in Novo Manual da Nova Cultural - Redação, Gramática, Literatura e Interpretação de Textos, de Emília Amaral e outros) Como ficaria o esquema 1º parágrafo: a tese 2º parágrafo: argumento 1 3º parágrafo: argumento 2 4º parágrafo: fato-exemplo 5º parágrafo: conclusão Exemplo de redação com esse esquema: Tema: Como encarar a questão do erro Título: Buscar o sucesso Tese 1º§ O homem nunca pôde conhecer acertos sem lidar com seus erros. Argumentação 2º§ O erro pressupõe a falta de conhecimento ou experiência, a deficiência de sintonia entre o que se propõe a fazer e os meios para a realização do ato. Deriva-se de inúmeras causas, que incluem tanto a falta de informação, como a inabilidade em lidar com elas. 3º§ Já acertar, obter sucesso, constitui-se na exata coordenação entre informação e execução de qualquer atividade. É o
  • 5. alinhamento preciso entre o que fazer e como fazer, sendo esses dois pontos indispensáveis e inseparáveis. Fato-exemplo 4º§ Como atingir o acento? A experiência é fundamental e, na maior das vezes, é alicerçada em erros anteriores, que ensinarão os caminhos para que cada experiência ruim não mais ocorra. Assim, um jovem que presta seu primeiro vestibular e fracassa pode, a partir do erro, descobrir seus pontos falhos e, aos poucos, aliar seus conhecimentos à capacidade de enfrentar uma situação de nova prova e pressão. Esse mesmo jovem, no mercado de trabalho, poderá estar envolvido em situações semelhantes: seus momentos de fracasso estimularão sua criatividade e maior empenho, o que fatalmente levará a posteriores acertos fundamentais em seu trabalho. Conclusão 5º§ Assim, o aparecimento dos erros nos atos humanos é inevitável. Porém, é preciso, acima de tudo, saber lidar com eles, conscientizarse de cada ato falho e tomá-los como desafio, nunca se conformando, sempre buscando a superação e o sucesso. Antes do alcance da luz, será sempre preciso percorrer o túnel. (Redação de aluno.)