SlideShare uma empresa Scribd logo
Arte e Estética
Aula 5 – Arte Medieval
  Prof. Ms. Elizeu N. Silva
Arte Medieval - influências
A arte da primeira parte da Idade Média, séculos V ao XI, reflete
ainda a grande influência da cultura romana e do cristianismo.
A Europa em formação busca uma expressão cultural e artística
próprias, porém influenciada por quatro matrizes artísticas:
a) Herança clássica grego-romana: soluções
   arquitetônicas, concepções de uso dos
   espaços, colunas, capitéis etc.
b) Cristianismo: oferece temas
   religiosos como nova
   abordagem para a arte, que
   até então ocupava-se ora de
   temas seculares, ora pagãos.
                                       Pintura cristã em catacumba
                                       romana. Século III
Arte Medieval - influências
c) Influência oriental: a partir de Bizâncio,
   que dominou boa parte das penínsulas
   itálica e ibérica, com suas cruzes
   gregas, cúpulas de templos e mosaicos
   dourados.
d) Elementos decorativos dos povos
   bárbaros: joias, armas e outros objetos
   ricamente decorados. Difundem a arte
   em metais e as pedrarias.
                  Fíbula




                           Coroa votiva visigoda. Séc. VII
Arte Medieval – período carolíngio
Domínio da península itálica e de quase
toda a Europa Ocidental e Central pelos
francos, sob o comando de Carlos Magno.
Promoveu o
Renascimento
Carolíngio, entre os
séculos VIII e fim do
X.
Desenvolvimento da
arquitetura, das
abóbadas, dos arcos.

                         Interior da Capela de Aix-la-Chapelle. Alemanha, séc. VIII
Arte Medieval – período carolíngio




                               Interior da Capela de Aix-la-Chapelle.
                               Alemanha, séc. VIII
Arte Medieval – período carolíngio

Carlos Magno transforma sua
corte num importante centro de
arte e cultura. Tal projeto era
parte importante de um projeto
político muito mais amplo e
ambicioso, de renovação do
império romano.




                                     Imperador Carlos Magno. 742 a 814
                                     d.C.
Arte Medieval – arte românica

Após a morte de Carlos Magno, a arte deixa de ser
monopolizada pela corte e se difunde nos mosteiros.
A produção intelectual mais importante ocorre nas bibliotecas dos
mosteiros. O surgimento de novas ordens monásticas ajuda a
distribuir a produção intelectual e artística por toda a Europa.
A regra beneditina prescrevia ocupação intelectual e manual –
com maior ênfase nas atividades manuais.
O trabalho do campo estava destinado aos camponeses.
Restava aos religiosos todo tipo de artesanato, artes e
invenções.
Arte Medieval – arte românica

No início da Idade Média, a maioria das famílias aristocratas
tinha algum membro residindo nos mosteiros, onde o trabalho
criativo ocorria sob rígida organização e com divisão de trabalho.
Desta forma, pessoas privilegiadas e de alta formação intelectual
participaram diretamente da produção arquitetônica, artística e
literária da época.

Copiar e ilustrar
manuscritos eram
importantes atividades
monásticas.


                                   Monges copistas
Arte Medieval – arte românica

Arte românica: monástica e aristocrática. Constituída
principalmente de arquitetura e escultura.
Igrejas: grandes dimensões e ricamente adornadas.




                                                 Igreja de
                                                 Póvoa,
                                                 Portugal. Séc.
                                                 XI e XII
Arte Medieval – arte românica

Valores da religião cristã permeiam todos os aspectos da vida.
Concepção teocêntrica: Deus como centro do universo e medida
de tudo. Igrejas representam presença física de Deus na terra.
Constituem-se no centro em torno do qual tudo devia gravitar.




                                                  Catedral de
                                                  Saint-
                                                  Trophime,
                                                  França. Séc.
Arte Medieval – arte românica




Tímpano do portal da Catedral de Saint-Trophime, França. Séc. XII
Arte Medieval


Arte românica era monástica e aristocrática, o que demonstra
a
associação entre o clero e a nobreza. Entre as duas classes
prevalecia uma relação de lealdade e reciprocidade – embora
às vezes velada.
Os poderosos abades mantinham-se tão distantes do povo
como os senhores feudais. O poder é exercido por uma
soberba nobreza hereditária. A arte concebida nos mosteiros
é, portanto, aristocrática.
Arte Medieval


Arte canônica: a Idade Média desconhece a ideia de
progresso. Ao contrário, as aristocracias secular e clerical se
esforçam por manter as tradições. A produção artística,
portanto, é cercada de regras que deviam ser seguidas
rigidamente.


Toda a ciência e arte, todo pensamento, toda vontade tinham
relação de dependência direta da suprema autoridade da
igreja. Cultura autoritária e coerciva.
Arte Medieval


A Reforma de Cluny: movimento moralizador atuante entre os
séculos X e XII, liderado pela Ordem de Cluny, visando
combater a liberalidade de costumes na Igreja.


É a partir do século X, portanto, que a Igreja consolida a
cultura medieval: o clero produz uma tendência apocalíptica
de escapismo do mundo e premente anseio de morte.
Mantém o espírito dos homens em constante excitação
religiosa, pregando sobre o fim do mundo e o Juízo Final.
Arte Medieval
Arte Medieval




A Virgem e o Menino - Giotto
Arte Medieval


Arte românica se caracteriza por um abstracionismo
estereotipado, de tendências emocionais e expressionistas.
As personagens exibem poses quase de marionetes.


Pietro Cavallini (1273–1308) > O Juízo Final
Arte Medieval




Filippo Rusuti (séc. XIII–XIV) > História do Gênesis. Basílica São Francisco de Assis
Arte Medieval




Jacopo Torriti (séc. XIII > Mosaicos Coroação de Virgem. Igreja Santa Maria Maior,
Roma. (1295)
Arte Medieval




                Herrad de Landsberg
                (1130–1195).
                Autorretrato - 1180
Bibliografia


FERNÁNDEZ, A.; BARNECHEA, E.; HARO, J. Historia del arte.
Barcelona, Ed. Vicens-Vives, 1998
HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. São Paulo,
Martins Fontes, 2000
VENTURI, Lionello. História da crítica de arte. Lisboa, Ed. 70, 2007

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e EgitoArte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e EgitoSilmara Nogueira
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Sandro Bottene
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
Carlos Pinheiro
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
catlencunha
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Anna Caroline
 
História da Arte - Barroco
História da Arte - BarrocoHistória da Arte - Barroco
História da Arte - Barroco
Maiara Giordani
 
Antonio francisco lisboa aleijadinho
Antonio francisco lisboa      aleijadinhoAntonio francisco lisboa      aleijadinho
Antonio francisco lisboa aleijadinho
Bernadete Professora
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
DeaaSouza
 
Arte do Renascimento
Arte do RenascimentoArte do Renascimento
Arte do Renascimento
Hca Faro
 
História da Arte: Linha do tempo - Renascimento ao Romantismo
História da Arte: Linha do tempo - Renascimento ao RomantismoHistória da Arte: Linha do tempo - Renascimento ao Romantismo
História da Arte: Linha do tempo - Renascimento ao Romantismo
Raphael Lanzillotte
 
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval -  Românica, Bizantina e GóticaArte Medieval -  Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Andrea Dressler
 
Aula 03 renascimento-maneirismo
Aula 03 renascimento-maneirismoAula 03 renascimento-maneirismo
Aula 03 renascimento-maneirismoMarcio Duarte
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
Andrea Dressler
 
Arte islâmica
Arte islâmicaArte islâmica
Arte islâmica
Sandro Bottene
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentistacindy1977
 

Mais procurados (20)

Arte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e EgitoArte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e Egito
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
História da Arte - Barroco
História da Arte - BarrocoHistória da Arte - Barroco
História da Arte - Barroco
 
Antonio francisco lisboa aleijadinho
Antonio francisco lisboa      aleijadinhoAntonio francisco lisboa      aleijadinho
Antonio francisco lisboa aleijadinho
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Arte Rupestre
Arte Rupestre Arte Rupestre
Arte Rupestre
 
Arte do Renascimento
Arte do RenascimentoArte do Renascimento
Arte do Renascimento
 
Escultura grega
Escultura gregaEscultura grega
Escultura grega
 
História da Arte: Linha do tempo - Renascimento ao Romantismo
História da Arte: Linha do tempo - Renascimento ao RomantismoHistória da Arte: Linha do tempo - Renascimento ao Romantismo
História da Arte: Linha do tempo - Renascimento ao Romantismo
 
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval -  Românica, Bizantina e GóticaArte Medieval -  Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
 
Maneirismo
ManeirismoManeirismo
Maneirismo
 
Aula 03 renascimento-maneirismo
Aula 03 renascimento-maneirismoAula 03 renascimento-maneirismo
Aula 03 renascimento-maneirismo
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
 
Arte Barroca
Arte BarrocaArte Barroca
Arte Barroca
 
Arte islâmica
Arte islâmicaArte islâmica
Arte islâmica
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 

Destaque

Sugestões de atividades práticas sobre Arte Medieval
Sugestões de atividades práticas sobre Arte MedievalSugestões de atividades práticas sobre Arte Medieval
Sugestões de atividades práticas sobre Arte Medieval
Andrea Dressler
 
Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
poxalivs
 
A arte medieval
A arte medievalA arte medieval
A arte medieval
cattonia
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade médiaSofia Yuna
 
Historia da arte- período da idade média - resumo
Historia da arte- período da  idade média - resumoHistoria da arte- período da  idade média - resumo
Historia da arte- período da idade média - resumo
Andrea Dressler
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Andrea Dressler
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Andrea Dressler
 
Arte na Idade Media
Arte na Idade MediaArte na Idade Media
Arte na Idade Media
Anita Rink
 
Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
Scriba Digital
 
Arte Medieval
Arte MedievalArte Medieval
Arte Medieval
sergiosociales
 
Arte Grega e Romana
Arte Grega e RomanaArte Grega e Romana
Arte Grega e Romanacarollynha
 
Pintura na idade media
Pintura na idade mediaPintura na idade media
Pintura na idade mediaSofia Yuna
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
Jadisson Vaz
 
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaHistória da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
Andrea Dressler
 
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoHistoria da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Andrea Dressler
 
Aula 5
Aula 5Aula 5

Destaque (20)

Sugestões de atividades práticas sobre Arte Medieval
Sugestões de atividades práticas sobre Arte MedievalSugestões de atividades práticas sobre Arte Medieval
Sugestões de atividades práticas sobre Arte Medieval
 
Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
 
Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
 
A arte medieval
A arte medievalA arte medieval
A arte medieval
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
Historia da arte- período da idade média - resumo
Historia da arte- período da  idade média - resumoHistoria da arte- período da  idade média - resumo
Historia da arte- período da idade média - resumo
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Arte medieval paleocristao e bizantino 7o ano 2013
Arte medieval   paleocristao e bizantino 7o ano 2013Arte medieval   paleocristao e bizantino 7o ano 2013
Arte medieval paleocristao e bizantino 7o ano 2013
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
Arte na Idade Media
Arte na Idade MediaArte na Idade Media
Arte na Idade Media
 
Arte Bizantina
Arte BizantinaArte Bizantina
Arte Bizantina
 
Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
 
Arte Medieval
Arte MedievalArte Medieval
Arte Medieval
 
Arte Grega e Romana
Arte Grega e RomanaArte Grega e Romana
Arte Grega e Romana
 
Pintura na idade media
Pintura na idade mediaPintura na idade media
Pintura na idade media
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaHistória da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
 
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoHistoria da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 

Semelhante a Aula 05 arte medieval

Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse LautrecArte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Apontamentos de arte
Apontamentos de arteApontamentos de arte
Apontamentos de arte
mmdaaraujo
 
Arte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptxArte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptx
MartaROQUES1
 
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 
imagens arte românica e gótica (7º ano)
imagens arte românica e gótica (7º ano)imagens arte românica e gótica (7º ano)
imagens arte românica e gótica (7º ano)professoramariaraquel
 
Apresentação 3 1
Apresentação 3 1Apresentação 3 1
Apresentação 3 1
Ronaldonuna
 
Cultura medieval filé
Cultura medieval filéCultura medieval filé
Cultura medieval filé
mundica broda
 
Arte cristã
Arte cristãArte cristã
Arte cristãmoralalva
 
História da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte MedievalHistória da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte Medieval
Raphael Lanzillotte
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
CarlosNazar1
 
Cultura,arte e religião
Cultura,arte e religiãoCultura,arte e religião
Cultura,arte e religiãoTeresa Maia
 
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 20122c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
www.historiadasartes.com
 
O Renascimento - 8ºano
O Renascimento - 8ºanoO Renascimento - 8ºano
O Renascimento - 8ºano
Vasco Pires
 
3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico
Danilson Silva
 
Mikelu leibe leibe
Mikelu leibe leibeMikelu leibe leibe
Mikelu leibe leibe
MiKeLu Da LuKeMi
 

Semelhante a Aula 05 arte medieval (20)

Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse LautrecArte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
 
Apontamentos de arte
Apontamentos de arteApontamentos de arte
Apontamentos de arte
 
Arte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptxArte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptx
 
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
 
Aula 08 renascimento
Aula 08 renascimentoAula 08 renascimento
Aula 08 renascimento
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
 
imagens arte românica e gótica (7º ano)
imagens arte românica e gótica (7º ano)imagens arte românica e gótica (7º ano)
imagens arte românica e gótica (7º ano)
 
Apresentação 3 1
Apresentação 3 1Apresentação 3 1
Apresentação 3 1
 
Cultura medieval filé
Cultura medieval filéCultura medieval filé
Cultura medieval filé
 
Arte cristã
Arte cristãArte cristã
Arte cristã
 
História da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte MedievalHistória da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte Medieval
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
 
Idade Media - cultura
Idade Media - culturaIdade Media - cultura
Idade Media - cultura
 
Cultura,arte e religião
Cultura,arte e religiãoCultura,arte e religião
Cultura,arte e religião
 
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 20122c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
 
O Renascimento - 8ºano
O Renascimento - 8ºanoO Renascimento - 8ºano
O Renascimento - 8ºano
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
 
3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico
 
Mikelu leibe leibe
Mikelu leibe leibeMikelu leibe leibe
Mikelu leibe leibe
 

Mais de Elizeu Nascimento Silva

Unidade 03 Ainda a tal objetividade
Unidade 03 Ainda a tal objetividadeUnidade 03 Ainda a tal objetividade
Unidade 03 Ainda a tal objetividade
Elizeu Nascimento Silva
 
Unidade02 quem fala no jornalismo
Unidade02 quem fala no jornalismoUnidade02 quem fala no jornalismo
Unidade02 quem fala no jornalismo
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 15 A Sociedade em Rede
Aula 15   A Sociedade em RedeAula 15   A Sociedade em Rede
Aula 15 A Sociedade em Rede
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva CulturológicaAula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 14 Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Aula 14   Armand Mattelart - Globalização da ComunicaçãoAula 14   Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Aula 14 Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart HallAula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Aula 9B_Estudos Culturais InglesesAula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Aula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 06 teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Aula 06   teorias do jornalismo hipóteses contemporâneasAula 06   teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Aula 06 teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 07 teorias do jornalismo jornalismo de dados
Aula 07   teorias do jornalismo jornalismo de dadosAula 07   teorias do jornalismo jornalismo de dados
Aula 07 teorias do jornalismo jornalismo de dados
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 03 - Fórmula Editorial
Aula 03 - Fórmula EditorialAula 03 - Fórmula Editorial
Aula 03 - Fórmula Editorial
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02   Edição de Revistas - Público-alvoAula 02   Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 01 edição de revistas
Aula 01   edição de revistasAula 01   edição de revistas
Aula 01 edição de revistas
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 03 ética e legislação jor
Aula 03   ética e legislação jorAula 03   ética e legislação jor
Aula 03 ética e legislação jor
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 04 ética e legislação Jornalismo
Aula 04   ética e legislação JornalismoAula 04   ética e legislação Jornalismo
Aula 04 ética e legislação Jornalismo
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 05 Briefing
Aula 05   BriefingAula 05   Briefing
Aula 05 Briefing
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrãoAula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrãoAula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 02 impressão de dados variáveis
Aula 02   impressão de dados variáveisAula 02   impressão de dados variáveis
Aula 02 impressão de dados variáveis
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 02 infodesign
Aula 02   infodesignAula 02   infodesign
Aula 02 infodesign
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 01 Infodesign
Aula 01   InfodesignAula 01   Infodesign
Aula 01 Infodesign
Elizeu Nascimento Silva
 

Mais de Elizeu Nascimento Silva (20)

Unidade 03 Ainda a tal objetividade
Unidade 03 Ainda a tal objetividadeUnidade 03 Ainda a tal objetividade
Unidade 03 Ainda a tal objetividade
 
Unidade02 quem fala no jornalismo
Unidade02 quem fala no jornalismoUnidade02 quem fala no jornalismo
Unidade02 quem fala no jornalismo
 
Aula 15 A Sociedade em Rede
Aula 15   A Sociedade em RedeAula 15   A Sociedade em Rede
Aula 15 A Sociedade em Rede
 
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva CulturológicaAula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
 
Aula 14 Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Aula 14   Armand Mattelart - Globalização da ComunicaçãoAula 14   Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Aula 14 Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
 
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart HallAula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
 
Aula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Aula 9B_Estudos Culturais InglesesAula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Aula 9B_Estudos Culturais Ingleses
 
Aula 06 teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Aula 06   teorias do jornalismo hipóteses contemporâneasAula 06   teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Aula 06 teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
 
Aula 07 teorias do jornalismo jornalismo de dados
Aula 07   teorias do jornalismo jornalismo de dadosAula 07   teorias do jornalismo jornalismo de dados
Aula 07 teorias do jornalismo jornalismo de dados
 
Aula 03 - Fórmula Editorial
Aula 03 - Fórmula EditorialAula 03 - Fórmula Editorial
Aula 03 - Fórmula Editorial
 
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02   Edição de Revistas - Público-alvoAula 02   Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
 
Aula 01 edição de revistas
Aula 01   edição de revistasAula 01   edição de revistas
Aula 01 edição de revistas
 
Aula 03 ética e legislação jor
Aula 03   ética e legislação jorAula 03   ética e legislação jor
Aula 03 ética e legislação jor
 
Aula 04 ética e legislação Jornalismo
Aula 04   ética e legislação JornalismoAula 04   ética e legislação Jornalismo
Aula 04 ética e legislação Jornalismo
 
Aula 05 Briefing
Aula 05   BriefingAula 05   Briefing
Aula 05 Briefing
 
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrãoAula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
 
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrãoAula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrão
 
Aula 02 impressão de dados variáveis
Aula 02   impressão de dados variáveisAula 02   impressão de dados variáveis
Aula 02 impressão de dados variáveis
 
Aula 02 infodesign
Aula 02   infodesignAula 02   infodesign
Aula 02 infodesign
 
Aula 01 Infodesign
Aula 01   InfodesignAula 01   Infodesign
Aula 01 Infodesign
 

Último

Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
o que está acontecendo no Rio grande do Sul
o que está acontecendo no Rio grande do Sulo que está acontecendo no Rio grande do Sul
o que está acontecendo no Rio grande do Sul
CarlaInsStaub
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
HISTÓRIA DO CEARÁ MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NO CEARÁ.pptx
HISTÓRIA DO CEARÁ MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NO CEARÁ.pptxHISTÓRIA DO CEARÁ MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NO CEARÁ.pptx
HISTÓRIA DO CEARÁ MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NO CEARÁ.pptx
WALTERDECARVALHOBRAG
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
A nossa mini semana 2706 2906 Juliana.pptx
A nossa mini semana 2706 2906 Juliana.pptxA nossa mini semana 2706 2906 Juliana.pptx
A nossa mini semana 2706 2906 Juliana.pptx
juserpa07
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 

Último (20)

Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
o que está acontecendo no Rio grande do Sul
o que está acontecendo no Rio grande do Sulo que está acontecendo no Rio grande do Sul
o que está acontecendo no Rio grande do Sul
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
HISTÓRIA DO CEARÁ MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NO CEARÁ.pptx
HISTÓRIA DO CEARÁ MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NO CEARÁ.pptxHISTÓRIA DO CEARÁ MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NO CEARÁ.pptx
HISTÓRIA DO CEARÁ MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NO CEARÁ.pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
A nossa mini semana 2706 2906 Juliana.pptx
A nossa mini semana 2706 2906 Juliana.pptxA nossa mini semana 2706 2906 Juliana.pptx
A nossa mini semana 2706 2906 Juliana.pptx
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 

Aula 05 arte medieval

  • 1. Arte e Estética Aula 5 – Arte Medieval Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  • 2. Arte Medieval - influências A arte da primeira parte da Idade Média, séculos V ao XI, reflete ainda a grande influência da cultura romana e do cristianismo. A Europa em formação busca uma expressão cultural e artística próprias, porém influenciada por quatro matrizes artísticas: a) Herança clássica grego-romana: soluções arquitetônicas, concepções de uso dos espaços, colunas, capitéis etc. b) Cristianismo: oferece temas religiosos como nova abordagem para a arte, que até então ocupava-se ora de temas seculares, ora pagãos. Pintura cristã em catacumba romana. Século III
  • 3. Arte Medieval - influências c) Influência oriental: a partir de Bizâncio, que dominou boa parte das penínsulas itálica e ibérica, com suas cruzes gregas, cúpulas de templos e mosaicos dourados. d) Elementos decorativos dos povos bárbaros: joias, armas e outros objetos ricamente decorados. Difundem a arte em metais e as pedrarias. Fíbula Coroa votiva visigoda. Séc. VII
  • 4. Arte Medieval – período carolíngio Domínio da península itálica e de quase toda a Europa Ocidental e Central pelos francos, sob o comando de Carlos Magno. Promoveu o Renascimento Carolíngio, entre os séculos VIII e fim do X. Desenvolvimento da arquitetura, das abóbadas, dos arcos. Interior da Capela de Aix-la-Chapelle. Alemanha, séc. VIII
  • 5. Arte Medieval – período carolíngio Interior da Capela de Aix-la-Chapelle. Alemanha, séc. VIII
  • 6. Arte Medieval – período carolíngio Carlos Magno transforma sua corte num importante centro de arte e cultura. Tal projeto era parte importante de um projeto político muito mais amplo e ambicioso, de renovação do império romano. Imperador Carlos Magno. 742 a 814 d.C.
  • 7. Arte Medieval – arte românica Após a morte de Carlos Magno, a arte deixa de ser monopolizada pela corte e se difunde nos mosteiros. A produção intelectual mais importante ocorre nas bibliotecas dos mosteiros. O surgimento de novas ordens monásticas ajuda a distribuir a produção intelectual e artística por toda a Europa. A regra beneditina prescrevia ocupação intelectual e manual – com maior ênfase nas atividades manuais. O trabalho do campo estava destinado aos camponeses. Restava aos religiosos todo tipo de artesanato, artes e invenções.
  • 8. Arte Medieval – arte românica No início da Idade Média, a maioria das famílias aristocratas tinha algum membro residindo nos mosteiros, onde o trabalho criativo ocorria sob rígida organização e com divisão de trabalho. Desta forma, pessoas privilegiadas e de alta formação intelectual participaram diretamente da produção arquitetônica, artística e literária da época. Copiar e ilustrar manuscritos eram importantes atividades monásticas. Monges copistas
  • 9. Arte Medieval – arte românica Arte românica: monástica e aristocrática. Constituída principalmente de arquitetura e escultura. Igrejas: grandes dimensões e ricamente adornadas. Igreja de Póvoa, Portugal. Séc. XI e XII
  • 10. Arte Medieval – arte românica Valores da religião cristã permeiam todos os aspectos da vida. Concepção teocêntrica: Deus como centro do universo e medida de tudo. Igrejas representam presença física de Deus na terra. Constituem-se no centro em torno do qual tudo devia gravitar. Catedral de Saint- Trophime, França. Séc.
  • 11. Arte Medieval – arte românica Tímpano do portal da Catedral de Saint-Trophime, França. Séc. XII
  • 12. Arte Medieval Arte românica era monástica e aristocrática, o que demonstra a associação entre o clero e a nobreza. Entre as duas classes prevalecia uma relação de lealdade e reciprocidade – embora às vezes velada. Os poderosos abades mantinham-se tão distantes do povo como os senhores feudais. O poder é exercido por uma soberba nobreza hereditária. A arte concebida nos mosteiros é, portanto, aristocrática.
  • 13. Arte Medieval Arte canônica: a Idade Média desconhece a ideia de progresso. Ao contrário, as aristocracias secular e clerical se esforçam por manter as tradições. A produção artística, portanto, é cercada de regras que deviam ser seguidas rigidamente. Toda a ciência e arte, todo pensamento, toda vontade tinham relação de dependência direta da suprema autoridade da igreja. Cultura autoritária e coerciva.
  • 14. Arte Medieval A Reforma de Cluny: movimento moralizador atuante entre os séculos X e XII, liderado pela Ordem de Cluny, visando combater a liberalidade de costumes na Igreja. É a partir do século X, portanto, que a Igreja consolida a cultura medieval: o clero produz uma tendência apocalíptica de escapismo do mundo e premente anseio de morte. Mantém o espírito dos homens em constante excitação religiosa, pregando sobre o fim do mundo e o Juízo Final.
  • 16. Arte Medieval A Virgem e o Menino - Giotto
  • 17. Arte Medieval Arte românica se caracteriza por um abstracionismo estereotipado, de tendências emocionais e expressionistas. As personagens exibem poses quase de marionetes. Pietro Cavallini (1273–1308) > O Juízo Final
  • 18. Arte Medieval Filippo Rusuti (séc. XIII–XIV) > História do Gênesis. Basílica São Francisco de Assis
  • 19. Arte Medieval Jacopo Torriti (séc. XIII > Mosaicos Coroação de Virgem. Igreja Santa Maria Maior, Roma. (1295)
  • 20. Arte Medieval Herrad de Landsberg (1130–1195). Autorretrato - 1180
  • 21. Bibliografia FERNÁNDEZ, A.; BARNECHEA, E.; HARO, J. Historia del arte. Barcelona, Ed. Vicens-Vives, 1998 HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. São Paulo, Martins Fontes, 2000 VENTURI, Lionello. História da crítica de arte. Lisboa, Ed. 70, 2007