SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução


Após séculos de glórias e conquistas
territoriais, o Império Romano começou a
apresentar sinais de crise já no século III.
Causas da crise do Império Romano

   Enorme extensão territorial do império que dificultava a
    administração e controle militar (defesa);
   Com o fim das guerras de conquistas também
    diminuíram a entrada de escravos.
   Com menos mão-de-obra ocorreu uma forte crise na
    produção de alimentos. A queda na produção de
    alimentos gerou a diminuição na arrecadação de
    impostos. Com menos recursos, o império passou a ter
    dificuldades em manter o enorme exército;
   Aumento dos conflitos entre as classes de patrícios e
    plebeus, gerando instabilidade política;
 Crescimento do cristianismo que contestava as
  bases políticas do império (guerra, escravidão,
  domínio sobre os povos conquistados) e religiosas
  (politeísmo e culto divino do imperador);
 Aumento da corrupção no centro do império (Roma)
  e nas províncias (regiões conquistadas);
 Em crise e com o exército enfraquecido,
  as fronteiras ficavam a cada dia mais
  desprotegidas.
 Muitos soldados, sem receber salário,
  deixavam suas obrigações militares;
 Estes motivos enfraqueceram o Império
  Romano, facilitando a invasão dos povos
  bárbaros germânicos no século V.
   No ano de 395, o imperador Teodósio resolve dividir
    o império em: Império Romano do Ocidente, com
    capital em Roma e Império Romano do Oriente
    (Império Bizantino), com capital em Constantinopla.
    Em 476, chega ao fim o Império Romano do
    Ocidente, após a invasão de diversos povos
    bárbaros,    entre    eles,  visigodos,  vândalos,
    burgúndios, suevos, saxões, ostrogodos, hunos etc.
    Era o fim da Antiguidade e início de uma nova
    época chamada de Idade Média.
Legado Romano
 Muitos aspectos culturais, científicos,
  artísticos e linguísticos romanos chegaram
  até os dias de hoje, enriquecendo a
  cultura ocidental.
 Podemos destacar como exemplos deste
  legado:
   o Direito Romano, técnicas de arquitetura,
    línguas latinas originárias do Latim (Português,
    Francês, Espanhol e Italiano), técnicas de artes
    plásticas, filosofia e literatura.
Um Tur pela
Idade Medieval
Arte cristã primitiva
   Tosca, simples a arte
    das catacumbas
A arte cristã Catacumbária
   Quando os ensinamentos cristãos eram
    perseguidos pelo poder romano, em
    virtude de pregar crenças contrárias ao
    pensamento religioso defendido por
    Roma, os cristãos sofriam mortes violentas
    em público.
Cristo na figura do Bom Pastor
Idade Média:
        o Reino da Religião
 Histórico:
 476 – com o fim do império romano do
  ocidente com as invasões bárbaras até
  1453 – com a tomada de Constantinopla
  pelos turcos (fim do império romano do
  oriente)
Mudanças no pensamento e na
               arte
   Foco: a salvação e a vida          Os teólogos acreditavam que
    eterna;                             os cristãos aprenderiam a
   Desaparecimento            pela     apreciar a        beleza divina
    representação    realista   do      através da beleza material, no
    mundo;                              que resultou numa profusão
                                        de mosaicos, pinturas e
   Os nus foram proibidos: os          esculturas.
    ideais         greco-romanos
    desapareceram;                     Na     arquitetura forma de
                                        construções mais arejadas,
   Os artistas medievais se            mais leves: discretos no
    interessavam    pela      alma      exterior mas refulgentes com
    dispostos   a   iniciar   uma       mosaicos, afrescos e vitrais
    conversão de novos fiéis nos        espiritualmente no interior.
    dogmas da Igreja;
                                       A arte medieval se compõe em
   A arte se tornou serva da           três estilos: bizantino, romano
    Igreja;                             e gótico.
A Arte Bizantina
            A Idade do Ouro
   Em 330, antes da divisão do Império
    Romano,     o    imperador    Constantino
    transferiu a capital do ocidente para o
    oriente. Após a divisão do I R, enquanto
    no ocidente as cidades desapareciam, o I
    B     manteve-se       predominantemente
    urbano. Atingindo sua máxima extensão
    no reinado de Justiniano (527-565).
   A arte tinha um objetivo: expressar a
    autoridade   absoluta  do   imperador,
    considerado sagrado, representante de
    Deus e com poderes temporais e
    espirituais.
Justiniano
Arte e Arquitetura Bizantina
 Arte: mosaicos e ícones
 Arquitetura: igrejas com domo central
 Exemplo: Hagia Sophia
 Data: 532-37
 Local: Constantinopla, Istambul
Hagia Sophia
 ‘Sabedoria Sagrada’ criado pelos matemáticos
  Antêmio de Tales e Isidoro de Mileto
 Possui uma atmosfera mística oriental
 Com comprimento que caberiam três campos de
  futebol
 Abóbada esférica, com 04 arcos compondo um
  quadrado 40 janelas em arcos envolvendo a base do
  domo criando uma ilusão. A obra fez tanto sucesso
  que Justiniano se vangloriou:
   “Rei Salomão, eu vos sobrepujei!”
Basílica de Santa Sofia,
         Turquia
Mosaico Bizantino
          Foi uma das maiores formas
           de arte. Surgiu entre o séc. V-
           VI em Bizâncio, utilizado para
           propagação do Cristianismo
          As    figuras são chapadas,
           rígidas,         simetricamente
           coladas      parecendo      estar
           penduradas.       São     figuras
           humanas altas, olhos enormes
           e expressão solene sem menor
           esboço de movimento.
          Ícones eram pequenos painéis
           de madeira com imagem
           pintadas       com       poderes
           sobrenaturais
Mosaico Bizantino
 Cubos de vidros brilhantes
 Superfícies irregulares
 Vidros coloridos
 Usados em paredes e tetos - normalmente
  em domos de igrejas
 Temas religiosos, Cristo como pastor
 Cubos grandes
 Fundo abstrato: ouro sobre azul
Mosaico Bizantino
‘Justiniano e Cortesãos’
Pintura Bizantina
            Nossa Senhora do
             Perpetuo Socorro
Ascensão de Jesus
Pingente Cruz. Bizantino; feito em
         Constantinopla
Ícone com a apresentação de
     Cristo no Templo.
Colar com moedas e medalhas.
Bizantino; encontrado em 1902,
      em Karavás, Chipre
Fragmento de um mosaico com a
    personificação de Ktisis
Escultura Bizantina
As antigas muralhas de
       Bizâncio
Gradual, Próprio e Comum
      dos Santos
Basílica de São Marcos construída,
      entre os anos 829 e 832
Igreja de San Vitale de Ravena,
construída entre os anos 526 e 547
                d.C
A arte româmica
   A arte românica foi a arte cristã do
    Ocidente europeu desenvolvida entre os
    séculos XI e XII. Ela marcou a ruptura
    com o período clássico da Era Greco-
    Romana e serviu como ponte para o estilo
    seguinte, quando então evoluiu para
    formas arquitetônicas ditas góticas ou
    ogivais.
Frontal de Esquius, Barcelona
   Tornou-se a expressão artística dos
    tempos dos cruzados, das lutas dos
    mouros contra os cristãos, da proliferação
    das Ordens Religiosas, das constantes
    refregas travadas entre o imperador e o
    papa, e entre os reis e os barões feudais
    que tanto empobreceram a Europa.
   A construção da época foi       Expressão de um tempo
    fundamentalmente                 belicoso e inseguro, pobre
    religiosa, pois somente a        em atividades comerciais e
    Igreja cristã e as ordens        mercantis, os edifícios da
                                     época do românico, além de
    religiosas        possuíam
                                     toscos, assemelham-se à
    fundos suficientes ou pelo
                                     fortalezas. Era uma estética
    menos a organização              da pedra bruta, de paredes
    eficiente para arrecadá-         expostas quase sem reboco,
    los     e    financiar   o       com um diminuto número
    erguimento de capelas,           de janelas e interiores
    de igrejas e de mosteiros.       geralmente sombrios.
Histórias em Pedras
               A Arte Românica
   Com a instituição da fé            Devido a peregrinações as igrejas
    católica uma ondas de               deveriam comportar multidões em
                                        visitação maciça.
    construções de igrejas
    varreu a Europa de 1050 a          As arcadas permitiam os fiéis a
    1200.                               andar pelos corredores sem
   Românica foi uma mistura            perturbar os serviços religiosos
                                        na nave central,
    de       elementos         da
    arquitetura romana como            O exterior das igrejas românicas
    colunas e arcos redondos            são bastantes despojados exceto
    transformaram              as       pelos relevos esculturais em volta
    abóbadas          cilíndricas       do portal principal. Como a
                                        maioria      dos     fiéis     eram
    (pedras) ou com arestas             analfabetos,     as       esculturas
    apoiadas     em     pilastras       ensinavam a doutrina religiosa
    livres   de    colunas      e       com histórias gravadas nas
                                        pedras.
    obstáculos.
 A arte românica não é fruto do gosto
  refinado da nobreza nem das idéias
  desenvolvidas nos centros urbanos.
 Trata-se de um estilo totalmente clerical.
 A igreja tornou-se a única fonte de
  encomendas de trabalhos artísticos
 A escultura ficava concentrada no
  tímpano.
 Cenas da ascensão de Cristo eram
  freqüentes, assim como os sombrios
  dioramas do Juízo Final em que demônios
  agarram almas desesperadas e diabos
  horríveis estrangulam e cospem nos
  corpos nus dos condenados.
Juízo Final no tímpano oeste da
       Catedral de Autum
Arte e Arquitetura Romana
 Arte: afrescos, escultura estilizada
 Arquitetura: igrejas com arcos cilíndricos
 Exemplo: St. Sernin
 Data: início 1080
 Local: Toulouse, Fr.
Planta e arcos na nave St. Sernin
Mosteiro Salvador de Paco de
           Sousa
Mosaico Romano
   Cubos de mármore opaco
   Peças com acabamento liso, uniforme
   Cores limitadas às tonalidades naturais das
    pedras
   Usado no chão
   Temas seculares, batalhas, jogos
   Peças minúsculas para acentuar detalhes
    realistas
   Paisagem de fundo
Mosaico Romano
‘A batalha de Issus’
Torre Pisa e Capitel
‘noli me tangere’ Giotto
        Afresco
Pintura Românica
Escultura Românica
O estilo gótico
   O estilo gótico é considerado obscuro e contraditório
    a muito tempo pois nem os grandes pesquisadores das
    artes e culturas antigas conseguem definir com
    precisão para o mundo qual é o significado original
    do “ser gótico”, tais estudiosos sempre acabam
    apontando uma ligação com os “godos” que foram
    guerreiros bárbaros vindos das regiões germânicas,
    localidades meridionais da Escandinávia por volta do
    século VI.
   Antigo, obscuro e enigmático são palavras que
    definem o estilo gótico. Acredita-se que a
    nomenclatura tenha sida mencionada causando
    pela primeira vez grande repercussão por Giorgio
    Vassari na Itália séc. XVI, referindo-se a arquitetura
    como oposta a perfeição criando uma ligação com
    os Godos, bárbaros que destruíram a Roma antiga.
    Vassari acreditava que o estilo gótico voltava-se
    para bandidos e hereges.
Como diferenciar Românica x
              Gótico?
 Ênfase : horizontal (R)
           vertical(G)
 Elevação: altura modesta (R)
             altíssima (G)
 Planta: múltiplas unidades (R)
         espaço unificado,inteiro (G)
 Traço Principal: Arco Redondo (R)
                     Arco Pontiagudo (G)
   Sistema de Suporte: pilastras, paredes (R)
                          Contrafortes externos (G)
   Engenharia: Abóbadas em cilindro e de
       arestas (R)
   abóbadas com arestas e traves (G)
   Ambiente: escuro, solene (R),
                        Leve claro (G)
   Exterior: Simples severo (R)
   ricamente decorado em esculturas (G)
Arquitetura românica
 Características plásticas: sobriedade,
  resistência, repetição de elementos
  construtivos (janelas e colunas
  geminadas), interior pesado e escuro.
 Na temática decorativa utilizava-se tanto
  as linhas gregas, losangos, pontas de
  diamante, como esculturas de animais e
  monstros assustadores (gárgulas).
Características gerais do estilo
             românico
1 – substituição do teto de madeira por
  abóbadas.
2 – grande espessura das paredes, poucas
  janelas.
3 – consolidação das paredes por
  contrafortes ou gigantes para dar
  sustentação ao prédio.
4 – consolidação dos arcos por meio de
  arquivoltas.
Fachadas românica e gótica, Fr.
St.Trophime - Catedral de Reims
Igreja de Santa Maria de
    Ripoli em Gerona
Arte Gótica
            a arte das catedrais
   ‘Bíblias de Pedra’, consideradas um símbolo de
    orgulho cívico
   Surgiram entre 1200 e 1500 (altura e luz)
   O que tornou possível a catedral gótica foram os
    dois desenvolvimentos da engenharia: abóbada
    com traves e suportes externos, arcobotantes
    (pontes externas em alvenaria, que suportam as
    paredes) ou contrafortes.
   Os construtores usavam o arco pontudo, que
    aumenta tanto a ilusão como a realidade da
    altura. (47m de altura)
   Originou-se de uma denominação utilizada pelos
    refinados artistas renascentistas para designar
    genericamente um estilo artístico que achavam
    de mau gosto, exótico, carregado de apelos
    decorativos e pelo exagero da altura das suas
    torres.
   O gótico, igualmente como o romântico,
    caracterizou-se predominantemente por ser um
    estilo grandioso de construções religiosas, foi a
    arte por excelência das magníficas catedrais
    européias.
 A multiplicação delas por toda a Europa Ocidental deveu-se ao
  prestígio universal da Igreja Católica e da religião cristã, e
  resultou da competição entre as cidades lentamente
  enriquecidas pela Revolução Comercial, transformação
  econômica que deu seus primeiros passos ao redor dos
  séculos 11 e 12 (na região do Flandres, ao redor do rio Reno
  e do rio Sena) tendo como consequência a ressurreição da
  vida urbana.
 Cada cidade da Europa Ocidental tratou então de erguer uma
  catedral cuja torre fosse a mais alta possível, não somente
  para melhor atrair o olhar protetor de Deus, como para
  celebrar a excelência das suas corporações de ofícios em
  competição com as outras das demais cidades vizinhas.
   O gótico, originalmente, foi um estilo
    marcadamente francês. Do território da
    França atravessou o Reno penetrando na
    Alemanha onde, por igual, encontraremos
    belos exemplos dele.
Características gerais do estilo
                 gótico
   1 Verticalismo.
    2 Arco quebrado ou ogival.
    3 Abóbada de arcos cruzados.
    4 O vitral
Pintura Gótica
    A pintura da Europa Medieval sofreu influência direta da
    pintura bizantina, sendo integralmente religiosa.
   Caracterizou-se pelo geometrismo, pelo estatismo e pelo
    abandono da perspectiva e da proporção, tão comuns à
    arte clássica antiga.
   As figuras eram apresentadas em rígida posição
    hierárquica, retrato vivo de uma época que pretendia se
    eternizar. A imagem do papa ou do imperador do Santo
    Império sempre era apresentada numa escala bem
    maior do que o restante dos integrantes da cúria ou da
    corte.
Fuga para o Egitto, Giotto
O bafomé
CATEDRAL DE COLÔNIA,
  Alemanha, séc. XIII
Inglaterra
   CATEDRAL DA SÉ, SP, Brasil, séc. XX
    A Catedral Metropolitana de São Paulo ou
    Catedral da Sé, localiza-se na Praça da Sé,
    no centro da cidade de São Paulo. É uma
    das cinco maiores igrejas góticas do
    mundo.
    Igreja de Santa Maria de
               Fiore.Florença.
     É considerada a quarta
    maior catedral do mundo
CATEDRAL DE CHARTRES,
    França, séc. XII
CATEDRAL DE BEAUVAIS,
    França, séc XIII
CATEDRAL DE AMIENS,
   França, séc. XIII
CATEDRAL DE
ESTRASBURGO, França, sex
         XV
CATEDRAL DE METZ,
  França, sec XIV
CATEDRAL DE NOTRE-
 DAME, França, 1160
 150,20m de comprimentos
CATEDRAL DE ROUEN,
   França, sec. XIX
Arte e Arquitetura Gótica
 Arte: vitrais, escultura mais natural
 Arquitetura: catedral com arcos em ponta
 Exemplo: Chartes
 Data: 1194-1260
 Local: Chartes, Fr.
Porta da Sarmental
  Catedral Burgos
‘Anunciação’ pintura gótica
     e‘Pilar do Anjos’
A arte da arquitetura
Os teólogos acreditavam que a beleza da
 Igreja inspirava a meditação e a fé dos
 paroquiano. As Igrejas são textos
 sagrados, com volumes de ornamentos
 pregando o caminho da salvação.
 As principais formas de decoração
 inspiradora nas catedrais góticas são as
 esculturas, os vitrais e as tapeçarias.
Tapeçaria ‘O unicórnio no cativeiro’
   Vitrais Catedral de Chartres
Pintura Gótica
Esculturas Góticas
Império Bizantino
 Expressão de riqueza e poder, autoridade
  do imperador
 Frontalidade e postura rígida
 Mosaicos
 Arquitetura
 Cores vibrantes
Românico


 Influencia dos árabes e gregos
 Pinturas murais e manuscritos
 Grandes templos
 Ícones Religiosos
Gótico

 Arquitetura de arcos e ogivas
 Igrejas muito altas
 Verticalização
 Pintura de cenas religiosas
 Estilo presente em várias igrejas
  brasileiras

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
Sofia Yuna
 
Arte paleocristã
Arte paleocristãArte paleocristã
Arte paleocristã
Sandro Bottene
 
Arte Romana
Arte RomanaArte Romana
Arte Romana
Andrea Dressler
 
Arte Egípcia
Arte EgípciaArte Egípcia
Arte Egípcia
Maria Gomes
 
Neoclassicismo no Brasil
Neoclassicismo no BrasilNeoclassicismo no Brasil
Neoclassicismo no Brasil
Adriana Araujo
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Andrea Dressler
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Ana Beatriz Cargnin
 
Arte egípicia
Arte egípiciaArte egípicia
Arte egípicia
Céu Barros
 
Aula 02 arte-crista- id_media
Aula 02 arte-crista- id_mediaAula 02 arte-crista- id_media
Aula 02 arte-crista- id_media
Marcio Duarte
 
Império Bizantino - 6º ano
Império Bizantino - 6º anoImpério Bizantino - 6º ano
Império Bizantino - 6º ano
Lu Rebordosa
 
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval -  Românica, Bizantina e GóticaArte Medieval -  Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Andrea Dressler
 
Arte Egípcia
Arte Egípcia Arte Egípcia
Arte Egípcia
Andrea Dressler
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
Sandro Bottene
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Andrea Dressler
 
Arte Rococó
Arte RococóArte Rococó
Arte Rococó
Andrea Dressler
 
Arte Bizantina
Arte BizantinaArte Bizantina
Arte Bizantina
Andrea Dressler
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
Maiara Giordani
 
Arte chinesa
Arte chinesaArte chinesa
Arte chinesa
Marcioveras
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
Silmara Nogueira
 
ARTE BIZANTINA - sheila de souza.pdf
ARTE BIZANTINA - sheila de souza.pdfARTE BIZANTINA - sheila de souza.pdf
ARTE BIZANTINA - sheila de souza.pdf
Sheila Soarte
 

Mais procurados (20)

Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
Arte paleocristã
Arte paleocristãArte paleocristã
Arte paleocristã
 
Arte Romana
Arte RomanaArte Romana
Arte Romana
 
Arte Egípcia
Arte EgípciaArte Egípcia
Arte Egípcia
 
Neoclassicismo no Brasil
Neoclassicismo no BrasilNeoclassicismo no Brasil
Neoclassicismo no Brasil
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
Arte egípicia
Arte egípiciaArte egípicia
Arte egípicia
 
Aula 02 arte-crista- id_media
Aula 02 arte-crista- id_mediaAula 02 arte-crista- id_media
Aula 02 arte-crista- id_media
 
Império Bizantino - 6º ano
Império Bizantino - 6º anoImpério Bizantino - 6º ano
Império Bizantino - 6º ano
 
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval -  Românica, Bizantina e GóticaArte Medieval -  Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
 
Arte Egípcia
Arte Egípcia Arte Egípcia
Arte Egípcia
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Arte Rococó
Arte RococóArte Rococó
Arte Rococó
 
Arte Bizantina
Arte BizantinaArte Bizantina
Arte Bizantina
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
 
Arte chinesa
Arte chinesaArte chinesa
Arte chinesa
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
 
ARTE BIZANTINA - sheila de souza.pdf
ARTE BIZANTINA - sheila de souza.pdfARTE BIZANTINA - sheila de souza.pdf
ARTE BIZANTINA - sheila de souza.pdf
 

Semelhante a Arte na idade média

Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse LautrecArte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
CLEBER LUIS DAMACENO
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte Medieval
Arte MedievalArte Medieval
Arte Medieval
Rafael Lucas da Silva
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
Carla Camuso
 
Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
Silmara Nogueira
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
Andrea Vieira de Souza
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Cristiane Seibt
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
Professor Gilson Nunes
 
Design de interiores e mobiliario na idade media.pdf
Design de interiores e mobiliario na idade media.pdfDesign de interiores e mobiliario na idade media.pdf
Design de interiores e mobiliario na idade media.pdf
GiseleFreixo
 
Arte cristã
Arte cristãArte cristã
Arte cristã
moralalva
 
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
Frantito
 
Resumo idade media- CBG
Resumo idade media- CBGResumo idade media- CBG
Resumo idade media- CBG
Aline Raposo
 
Arte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptxArte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptx
MartaROQUES1
 
artenaidademdia-130526202359-phpapp02.pdf
artenaidademdia-130526202359-phpapp02.pdfartenaidademdia-130526202359-phpapp02.pdf
artenaidademdia-130526202359-phpapp02.pdf
LILIANADESOUZAADRIO
 
Arte media
Arte mediaArte media
Arte media
Matheus-9
 
Arquitetura bizantina
Arquitetura bizantinaArquitetura bizantina
Arquitetura bizantina
Caroline125
 
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte Cristã Primitiva e Bizantina
Arte Cristã Primitiva e BizantinaArte Cristã Primitiva e Bizantina
Arte Cristã Primitiva e Bizantina
carollynha
 

Semelhante a Arte na idade média (20)

Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse LautrecArte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 
Arte Medieval
Arte MedievalArte Medieval
Arte Medieval
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
 
Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
 
Design de interiores e mobiliario na idade media.pdf
Design de interiores e mobiliario na idade media.pdfDesign de interiores e mobiliario na idade media.pdf
Design de interiores e mobiliario na idade media.pdf
 
Arte cristã
Arte cristãArte cristã
Arte cristã
 
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
 
Resumo idade media- CBG
Resumo idade media- CBGResumo idade media- CBG
Resumo idade media- CBG
 
Arte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptxArte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptx
 
artenaidademdia-130526202359-phpapp02.pdf
artenaidademdia-130526202359-phpapp02.pdfartenaidademdia-130526202359-phpapp02.pdf
artenaidademdia-130526202359-phpapp02.pdf
 
Arte media
Arte mediaArte media
Arte media
 
Arquitetura bizantina
Arquitetura bizantinaArquitetura bizantina
Arquitetura bizantina
 
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
 
Arte Cristã Primitiva e Bizantina
Arte Cristã Primitiva e BizantinaArte Cristã Primitiva e Bizantina
Arte Cristã Primitiva e Bizantina
 

Arte na idade média

  • 1. Introdução Após séculos de glórias e conquistas territoriais, o Império Romano começou a apresentar sinais de crise já no século III.
  • 2. Causas da crise do Império Romano  Enorme extensão territorial do império que dificultava a administração e controle militar (defesa);  Com o fim das guerras de conquistas também diminuíram a entrada de escravos.  Com menos mão-de-obra ocorreu uma forte crise na produção de alimentos. A queda na produção de alimentos gerou a diminuição na arrecadação de impostos. Com menos recursos, o império passou a ter dificuldades em manter o enorme exército;  Aumento dos conflitos entre as classes de patrícios e plebeus, gerando instabilidade política;
  • 3.  Crescimento do cristianismo que contestava as bases políticas do império (guerra, escravidão, domínio sobre os povos conquistados) e religiosas (politeísmo e culto divino do imperador);  Aumento da corrupção no centro do império (Roma) e nas províncias (regiões conquistadas);
  • 4.  Em crise e com o exército enfraquecido, as fronteiras ficavam a cada dia mais desprotegidas.  Muitos soldados, sem receber salário, deixavam suas obrigações militares;  Estes motivos enfraqueceram o Império Romano, facilitando a invasão dos povos bárbaros germânicos no século V.
  • 5. No ano de 395, o imperador Teodósio resolve dividir o império em: Império Romano do Ocidente, com capital em Roma e Império Romano do Oriente (Império Bizantino), com capital em Constantinopla. Em 476, chega ao fim o Império Romano do Ocidente, após a invasão de diversos povos bárbaros, entre eles, visigodos, vândalos, burgúndios, suevos, saxões, ostrogodos, hunos etc. Era o fim da Antiguidade e início de uma nova época chamada de Idade Média.
  • 6. Legado Romano  Muitos aspectos culturais, científicos, artísticos e linguísticos romanos chegaram até os dias de hoje, enriquecendo a cultura ocidental.  Podemos destacar como exemplos deste legado:  o Direito Romano, técnicas de arquitetura, línguas latinas originárias do Latim (Português, Francês, Espanhol e Italiano), técnicas de artes plásticas, filosofia e literatura.
  • 7. Um Tur pela Idade Medieval
  • 8.
  • 9. Arte cristã primitiva  Tosca, simples a arte das catacumbas
  • 10. A arte cristã Catacumbária  Quando os ensinamentos cristãos eram perseguidos pelo poder romano, em virtude de pregar crenças contrárias ao pensamento religioso defendido por Roma, os cristãos sofriam mortes violentas em público.
  • 11. Cristo na figura do Bom Pastor
  • 12. Idade Média: o Reino da Religião  Histórico:  476 – com o fim do império romano do ocidente com as invasões bárbaras até 1453 – com a tomada de Constantinopla pelos turcos (fim do império romano do oriente)
  • 13. Mudanças no pensamento e na arte  Foco: a salvação e a vida  Os teólogos acreditavam que eterna; os cristãos aprenderiam a  Desaparecimento pela apreciar a beleza divina representação realista do através da beleza material, no mundo; que resultou numa profusão de mosaicos, pinturas e  Os nus foram proibidos: os esculturas. ideais greco-romanos desapareceram;  Na arquitetura forma de construções mais arejadas,  Os artistas medievais se mais leves: discretos no interessavam pela alma exterior mas refulgentes com dispostos a iniciar uma mosaicos, afrescos e vitrais conversão de novos fiéis nos espiritualmente no interior. dogmas da Igreja;  A arte medieval se compõe em  A arte se tornou serva da três estilos: bizantino, romano Igreja; e gótico.
  • 14.
  • 15.
  • 16. A Arte Bizantina A Idade do Ouro  Em 330, antes da divisão do Império Romano, o imperador Constantino transferiu a capital do ocidente para o oriente. Após a divisão do I R, enquanto no ocidente as cidades desapareciam, o I B manteve-se predominantemente urbano. Atingindo sua máxima extensão no reinado de Justiniano (527-565).
  • 17. A arte tinha um objetivo: expressar a autoridade absoluta do imperador, considerado sagrado, representante de Deus e com poderes temporais e espirituais.
  • 19. Arte e Arquitetura Bizantina  Arte: mosaicos e ícones  Arquitetura: igrejas com domo central  Exemplo: Hagia Sophia  Data: 532-37  Local: Constantinopla, Istambul
  • 20. Hagia Sophia  ‘Sabedoria Sagrada’ criado pelos matemáticos Antêmio de Tales e Isidoro de Mileto  Possui uma atmosfera mística oriental  Com comprimento que caberiam três campos de futebol  Abóbada esférica, com 04 arcos compondo um quadrado 40 janelas em arcos envolvendo a base do domo criando uma ilusão. A obra fez tanto sucesso que Justiniano se vangloriou:  “Rei Salomão, eu vos sobrepujei!”
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. Basílica de Santa Sofia, Turquia
  • 27.
  • 28.
  • 29. Mosaico Bizantino  Foi uma das maiores formas de arte. Surgiu entre o séc. V- VI em Bizâncio, utilizado para propagação do Cristianismo  As figuras são chapadas, rígidas, simetricamente coladas parecendo estar penduradas. São figuras humanas altas, olhos enormes e expressão solene sem menor esboço de movimento.  Ícones eram pequenos painéis de madeira com imagem pintadas com poderes sobrenaturais
  • 30. Mosaico Bizantino  Cubos de vidros brilhantes  Superfícies irregulares  Vidros coloridos  Usados em paredes e tetos - normalmente em domos de igrejas  Temas religiosos, Cristo como pastor  Cubos grandes  Fundo abstrato: ouro sobre azul
  • 32. Pintura Bizantina  Nossa Senhora do Perpetuo Socorro
  • 34. Pingente Cruz. Bizantino; feito em Constantinopla
  • 35. Ícone com a apresentação de Cristo no Templo.
  • 36. Colar com moedas e medalhas. Bizantino; encontrado em 1902, em Karavás, Chipre
  • 37. Fragmento de um mosaico com a personificação de Ktisis
  • 39. As antigas muralhas de Bizâncio
  • 40. Gradual, Próprio e Comum dos Santos
  • 41. Basílica de São Marcos construída, entre os anos 829 e 832
  • 42. Igreja de San Vitale de Ravena, construída entre os anos 526 e 547 d.C
  • 43. A arte româmica  A arte românica foi a arte cristã do Ocidente europeu desenvolvida entre os séculos XI e XII. Ela marcou a ruptura com o período clássico da Era Greco- Romana e serviu como ponte para o estilo seguinte, quando então evoluiu para formas arquitetônicas ditas góticas ou ogivais.
  • 44. Frontal de Esquius, Barcelona
  • 45. Tornou-se a expressão artística dos tempos dos cruzados, das lutas dos mouros contra os cristãos, da proliferação das Ordens Religiosas, das constantes refregas travadas entre o imperador e o papa, e entre os reis e os barões feudais que tanto empobreceram a Europa.
  • 46. A construção da época foi  Expressão de um tempo fundamentalmente belicoso e inseguro, pobre religiosa, pois somente a em atividades comerciais e Igreja cristã e as ordens mercantis, os edifícios da época do românico, além de religiosas possuíam toscos, assemelham-se à fundos suficientes ou pelo fortalezas. Era uma estética menos a organização da pedra bruta, de paredes eficiente para arrecadá- expostas quase sem reboco, los e financiar o com um diminuto número erguimento de capelas, de janelas e interiores de igrejas e de mosteiros. geralmente sombrios.
  • 47. Histórias em Pedras A Arte Românica  Com a instituição da fé  Devido a peregrinações as igrejas católica uma ondas de deveriam comportar multidões em visitação maciça. construções de igrejas varreu a Europa de 1050 a  As arcadas permitiam os fiéis a 1200. andar pelos corredores sem  Românica foi uma mistura perturbar os serviços religiosos na nave central, de elementos da arquitetura romana como  O exterior das igrejas românicas colunas e arcos redondos são bastantes despojados exceto transformaram as pelos relevos esculturais em volta abóbadas cilíndricas do portal principal. Como a maioria dos fiéis eram (pedras) ou com arestas analfabetos, as esculturas apoiadas em pilastras ensinavam a doutrina religiosa livres de colunas e com histórias gravadas nas pedras. obstáculos.
  • 48.  A arte românica não é fruto do gosto refinado da nobreza nem das idéias desenvolvidas nos centros urbanos.  Trata-se de um estilo totalmente clerical.  A igreja tornou-se a única fonte de encomendas de trabalhos artísticos
  • 49.  A escultura ficava concentrada no tímpano.  Cenas da ascensão de Cristo eram freqüentes, assim como os sombrios dioramas do Juízo Final em que demônios agarram almas desesperadas e diabos horríveis estrangulam e cospem nos corpos nus dos condenados.
  • 50. Juízo Final no tímpano oeste da Catedral de Autum
  • 51. Arte e Arquitetura Romana  Arte: afrescos, escultura estilizada  Arquitetura: igrejas com arcos cilíndricos  Exemplo: St. Sernin  Data: início 1080  Local: Toulouse, Fr.
  • 52.
  • 53.
  • 54. Planta e arcos na nave St. Sernin
  • 55. Mosteiro Salvador de Paco de Sousa
  • 56. Mosaico Romano  Cubos de mármore opaco  Peças com acabamento liso, uniforme  Cores limitadas às tonalidades naturais das pedras  Usado no chão  Temas seculares, batalhas, jogos  Peças minúsculas para acentuar detalhes realistas  Paisagem de fundo
  • 58.
  • 59. Torre Pisa e Capitel
  • 60.
  • 61. ‘noli me tangere’ Giotto Afresco
  • 63.
  • 65. O estilo gótico  O estilo gótico é considerado obscuro e contraditório a muito tempo pois nem os grandes pesquisadores das artes e culturas antigas conseguem definir com precisão para o mundo qual é o significado original do “ser gótico”, tais estudiosos sempre acabam apontando uma ligação com os “godos” que foram guerreiros bárbaros vindos das regiões germânicas, localidades meridionais da Escandinávia por volta do século VI.
  • 66. Antigo, obscuro e enigmático são palavras que definem o estilo gótico. Acredita-se que a nomenclatura tenha sida mencionada causando pela primeira vez grande repercussão por Giorgio Vassari na Itália séc. XVI, referindo-se a arquitetura como oposta a perfeição criando uma ligação com os Godos, bárbaros que destruíram a Roma antiga. Vassari acreditava que o estilo gótico voltava-se para bandidos e hereges.
  • 67. Como diferenciar Românica x Gótico?  Ênfase : horizontal (R)  vertical(G)  Elevação: altura modesta (R)  altíssima (G)  Planta: múltiplas unidades (R)  espaço unificado,inteiro (G)  Traço Principal: Arco Redondo (R) Arco Pontiagudo (G)
  • 68. Sistema de Suporte: pilastras, paredes (R) Contrafortes externos (G)  Engenharia: Abóbadas em cilindro e de arestas (R)  abóbadas com arestas e traves (G)  Ambiente: escuro, solene (R),  Leve claro (G)  Exterior: Simples severo (R)  ricamente decorado em esculturas (G)
  • 69. Arquitetura românica  Características plásticas: sobriedade, resistência, repetição de elementos construtivos (janelas e colunas geminadas), interior pesado e escuro.  Na temática decorativa utilizava-se tanto as linhas gregas, losangos, pontas de diamante, como esculturas de animais e monstros assustadores (gárgulas).
  • 70. Características gerais do estilo românico 1 – substituição do teto de madeira por abóbadas. 2 – grande espessura das paredes, poucas janelas. 3 – consolidação das paredes por contrafortes ou gigantes para dar sustentação ao prédio. 4 – consolidação dos arcos por meio de arquivoltas.
  • 71. Fachadas românica e gótica, Fr. St.Trophime - Catedral de Reims
  • 72. Igreja de Santa Maria de Ripoli em Gerona
  • 73.
  • 74. Arte Gótica a arte das catedrais  ‘Bíblias de Pedra’, consideradas um símbolo de orgulho cívico  Surgiram entre 1200 e 1500 (altura e luz)  O que tornou possível a catedral gótica foram os dois desenvolvimentos da engenharia: abóbada com traves e suportes externos, arcobotantes (pontes externas em alvenaria, que suportam as paredes) ou contrafortes.  Os construtores usavam o arco pontudo, que aumenta tanto a ilusão como a realidade da altura. (47m de altura)
  • 75. Originou-se de uma denominação utilizada pelos refinados artistas renascentistas para designar genericamente um estilo artístico que achavam de mau gosto, exótico, carregado de apelos decorativos e pelo exagero da altura das suas torres.  O gótico, igualmente como o romântico, caracterizou-se predominantemente por ser um estilo grandioso de construções religiosas, foi a arte por excelência das magníficas catedrais européias.
  • 76.  A multiplicação delas por toda a Europa Ocidental deveu-se ao prestígio universal da Igreja Católica e da religião cristã, e resultou da competição entre as cidades lentamente enriquecidas pela Revolução Comercial, transformação econômica que deu seus primeiros passos ao redor dos séculos 11 e 12 (na região do Flandres, ao redor do rio Reno e do rio Sena) tendo como consequência a ressurreição da vida urbana.  Cada cidade da Europa Ocidental tratou então de erguer uma catedral cuja torre fosse a mais alta possível, não somente para melhor atrair o olhar protetor de Deus, como para celebrar a excelência das suas corporações de ofícios em competição com as outras das demais cidades vizinhas.
  • 77. O gótico, originalmente, foi um estilo marcadamente francês. Do território da França atravessou o Reno penetrando na Alemanha onde, por igual, encontraremos belos exemplos dele.
  • 78. Características gerais do estilo gótico  1 Verticalismo. 2 Arco quebrado ou ogival. 3 Abóbada de arcos cruzados. 4 O vitral
  • 79. Pintura Gótica  A pintura da Europa Medieval sofreu influência direta da pintura bizantina, sendo integralmente religiosa.  Caracterizou-se pelo geometrismo, pelo estatismo e pelo abandono da perspectiva e da proporção, tão comuns à arte clássica antiga.  As figuras eram apresentadas em rígida posição hierárquica, retrato vivo de uma época que pretendia se eternizar. A imagem do papa ou do imperador do Santo Império sempre era apresentada numa escala bem maior do que o restante dos integrantes da cúria ou da corte.
  • 80. Fuga para o Egitto, Giotto
  • 81.
  • 83. CATEDRAL DE COLÔNIA, Alemanha, séc. XIII
  • 84.
  • 85.
  • 86.
  • 87.
  • 89.
  • 90. CATEDRAL DA SÉ, SP, Brasil, séc. XX A Catedral Metropolitana de São Paulo ou Catedral da Sé, localiza-se na Praça da Sé, no centro da cidade de São Paulo. É uma das cinco maiores igrejas góticas do mundo.
  • 91.
  • 92. Igreja de Santa Maria de Fiore.Florença.  É considerada a quarta maior catedral do mundo
  • 93. CATEDRAL DE CHARTRES, França, séc. XII
  • 94.
  • 95.
  • 96.
  • 97. CATEDRAL DE BEAUVAIS, França, séc XIII
  • 98.
  • 99.
  • 100. CATEDRAL DE AMIENS, França, séc. XIII
  • 101.
  • 103.
  • 104. CATEDRAL DE METZ, França, sec XIV
  • 105.
  • 106. CATEDRAL DE NOTRE- DAME, França, 1160 150,20m de comprimentos
  • 107.
  • 108. CATEDRAL DE ROUEN, França, sec. XIX
  • 109.
  • 110. Arte e Arquitetura Gótica  Arte: vitrais, escultura mais natural  Arquitetura: catedral com arcos em ponta  Exemplo: Chartes  Data: 1194-1260  Local: Chartes, Fr.
  • 111.
  • 112. Porta da Sarmental Catedral Burgos
  • 113. ‘Anunciação’ pintura gótica e‘Pilar do Anjos’
  • 114. A arte da arquitetura Os teólogos acreditavam que a beleza da Igreja inspirava a meditação e a fé dos paroquiano. As Igrejas são textos sagrados, com volumes de ornamentos pregando o caminho da salvação.  As principais formas de decoração inspiradora nas catedrais góticas são as esculturas, os vitrais e as tapeçarias.
  • 115. Tapeçaria ‘O unicórnio no cativeiro’ Vitrais Catedral de Chartres
  • 117.
  • 118.
  • 120.
  • 121. Império Bizantino  Expressão de riqueza e poder, autoridade do imperador  Frontalidade e postura rígida  Mosaicos  Arquitetura  Cores vibrantes
  • 122. Românico  Influencia dos árabes e gregos  Pinturas murais e manuscritos  Grandes templos  Ícones Religiosos
  • 123. Gótico  Arquitetura de arcos e ogivas  Igrejas muito altas  Verticalização  Pintura de cenas religiosas  Estilo presente em várias igrejas brasileiras