SlideShare uma empresa Scribd logo
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
A Idade Média é marcada
pela descentralização do
poder e pelo declínio das
grandes cidades.
Devido a constantes
invasões
bárbaras, as populações
migraram para o campo e a
agricultura tornou-se a base
política, social e econômica.
A unidade do império
romano desapareceu e
seu território foi
retalhado em feudos que
se estenderam por todo
o continente europeu.
Todos esses fatores
deram início
ao Feudalismo, sistema
político, social e
econômico que se
instalou na Europa
medieval.
Arteromanica gotica2019
A Igreja católica, já
organizada nas últimas
décadas do Império
Romano, tornou-se a
instituição mais importante
da Idade Média, devido à
progressiva conversão dos
bárbaros ao cristianismo.
O papa era reconhecido
como a autoridade máxima
e a arte e a cultura era
dominada pela Igreja.
No ano de 774, a pedido
do papa
Adriano I, Carlos Magno
derrotou os lombardos
(povo que dominou os
bizantinos na Itália).
Com sua vitória, Carlos
Magno conquistou o título
de rei e foi proclamado
defensor da Igreja.
No natal do ano 800, o
papa Leão III coroou-o
imperador do ocidente.
Durante o reinado de Carlos
Magno desenvolveu-se um novo
estilo de arte, misturando a arte
romana e bizantina, chamado
ROMÂNICO, usado principalmente
nas construções de igrejas,
mosteiros e castelos.
Com a morte de Carlos Magno as
oficinas de arte centralizaram-se
nos mosteiros.
Arteromanica gotica2019
A arte românica se destacou
principalmente na arquitetura de igrejas,
mosteiros e castelos.
1) Utiliza o arco pleno:
2) Abóbadas de berço e de aresta;
Arteromanica gotica2019
3) Paredes grossas;
4) Janelas pequenas ou compridas, criando
ambientes escuros e sombrios;
5) Torres baixas e largas;
6) Rosáceas;
Arteromanica gotica2019
Saint-Sernin de Toulouse,
França.
Arteromanica gotica2019
Igreja de São Martín de Tours,
Espanha.
Arteromanica gotica2019
Abádia de Cluny, Borgonha, França.
As igrejas deviam possuir relíquias
santas. A popularidade das
relíquias dependia, em parte, do
poder milagroso que possuíam.
 Os mosteiros foram
importantes para o
estabelecimento da
arquitetura românica.
 Um mosteiro é uma
instituição e edifício de
habitação, oração e
trabalho de uma
comunidade de monges
e monjas.
Arteromanica gotica2019
Mosteiro Paco Souza, Portugal.
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
O complexo de Pisa na Itália compreende
uma catedral, a torre inclinada ou
campanário e o batistério.
A catedral de Pisa (1063 a 1092) tem a
forma em cruz como muitas das igrejas
românicas.
A famosa torre, construída um século mais tarde, é
inclinada devido a um fenômeno bastante comum na
maior parte das torres italianas de mesma época,
decorrência do solo onde foram construídas, porém este
fato não é tão pronunciado.
O batistério do complexo de Pisa
Ao redor das construções há o cemitério ou campo santo, edifícios privados
de habitação, o hospital e o museu da catedral. Chamado de Campo dos
Milagres, este é um dos principais pontos turísticos da Itália e é considerado
Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.
*Adro.
Castelos Românicos
Eram a nova forma de arquitetura militar.
Serviam de casa para o Sr. Feudal e sua
família ao mesmo tempo faziam a defesa
.
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
 Escultura Românica (1.000 a 1.200 d.C.) – No
século XI, a Igreja Católica começa a reafirmar-
se.
 O expansionismo doutrinal leva às Cruzadas
para libertar a Terra Santa das “garras” do Islã.
O sucesso das Cruzadas e a aquisição de
relíquias sagradas desencadeia a construção de
novas igrejas e catedrais em estilo românico
pela Europa.
 Fato que, por sua vez, leva à alta de comissões
pela escultura românica e pelos vitrais.
 Com essa nova demanda, estabelecem-se
novas oficinas de escultura e modelagem, com
métodos de aprendizagem e reconhecimento
de seus mestres-artesãos.
Na escultura
1) Está inteiramente subordinada
à arquitetura e à religião;
2) São esculpidos relevos e
estátuas -colunas que
ornamentam as paredes externas
das construções românicas.
Arteromanica gotica2019
3) Mostram cenas do Antigo e Novo
Testamento, o juízo final, figuras de
animais fantasiosos e demônios.
 Pórtico da Glória
 Século XII, Catedral
 de Santiago de
 Compostela.
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Tanto a escultura como a
pintura Românica retratavam
temas religiosos, pois numa
época em que havia
pouquíssimos letrados, a
Igreja recorria à arte para
transmitir os ensinamentos
religiosos.
Na pintura
1) A deformação: o artista
interpretava de modo místico a
realidade e retratava seus
sentimentos religiosos nas figuras
de forma desproporcional;
2) Cores vivas e planas;
3) Perfis bem marcados.
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
A pintura também aparece nos manuscritos
sob a forma de iluminuras, ou seja,
ilustrações de textos com cores vivas,
ornamentadas com ouro e prata.
Arteromanica gotica2019
A arte românica predominou
até o início do séc. 17,
quando
surgiram as primeiras
mudanças que mais tarde
resultariam numa revolução
na arquitetura e
consequentemente na arte.
Arteromanica gotica2019
De modo depreciativo, essa nova
arquitetura foi chamada de Gótica
pelos estudiosos do renascimento.
Eles relacionaram esse novo estilo
aos “godos” (povo bárbaro de origem
germânica que invadiu o império Romano).
Com o passar do tempo, o nome
Gótico ficou definitivamente
relacionado à arquitetura de arcos
ogivais.
O estilo gótico foi um
aprofundamento dos elementos
básicos do Românico,
principalmente no que diz
respeito à verticalidade.
O clima religioso daquela época
favoreceu a construção de
edifícios bem mais altos, que
refletiam o desejo de uma
ascensão espiritual.
Na Arquitetura
1) Fachada com 3 portais
Catedral de Notre-
Dame
2) Arcos ogivais, que apresentam
uma quebra em sua parte superior.
Possibilitou a construção de igrejas
mais altas, acentuando a impressão
de verticalidade.
3) Abóbadas de nervuras, substituindo as de berço e de
arestas usadas na arquitetura românica
Catedral de Colônia
(Alemanha)
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
6) Vitrais, cuja função era
melhorar a iluminação e contar a
história e os ensinamentos do
cristianismo
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019

 As fachadas e portais das catedrais eram normalmente preenchidos
com relevos escultóricos representando cenas bíblicas, profetas,
apóstolos, antigos reis da Judeia e outras figuras do evangelho. No
interior das catedrais, o destaque eram as estátuas e relevos, tudo de
acordo com um plano complexo da iconografia cristã projetada para
educar e inspirar adoradores que não liam nem escreviam.
 A Igreja investe fortemente no poder da pintura e escultura para
inspirar as massas (notadamente no período barroco da
Contrarreforma), o período gótico foi realmente o apogeu da arte
“idealista” religiosa.
 Daí em diante, a escultura é cada vez mais uma arte de
catequização.
 Escultores de destaque: Nicola Pisano (1206-1278); Giovanni Pisano
(1250-1314); Arnolfo di Cambio (1240-1310); Giovanni di Balduccio
(1290-1339); Andrea Pisano (1295-1348); Filippo Calendario (1315-
1355); Andre Beauneveu (1335-1400); Claus Sluter (1340-1406).
Na Escultura
1) Ligada à arquitetura, como no
Românico
2) Figuras esculpidas de forma
isoladas, ao contrário do
Românico, que eram aglomeradas
e entrelaçadas
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
3) Figuras mais realistas que
retratavam os valores mais
importantes daquela época. Elas
eram mais eretas e
acompanhavam a verticalidade da
arquitetura gótica. Contudo o
tema principal continuou sendo o
religioso.
Arteromanica gotica2019
Catedrais
Góticas
Catedral de Chartres
FR
Chartres – Vista Interna Norte
Arteromanica gotica2019
Catedral de Notre Dame
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Catedral de Colônia
ALEMANHA
Abadia de Westminster –
INGLATERRA
Interior - Abadia de Westminster
Catedral de Lichfield
INGLATERRA
Sagrada Família
Barcelona
1882
 Nasceu em Reus, Catalunha,
Espanha, em 25 de Junho de
1852; morreu em Barcelona,
em 10 de Junho de 1926.
 Grande parte da sua carreira
foi ocupada com a construção
do Templo Sagrada Família
desde 1883, não viveu para a
ver terminada.
 Ao trabalhar nela tornou-se
cada vez mais religioso, e
após 1910 passou a trabalhar
quase exclusivamente na
construção da Igreja, Aos 75
anos, foi atropelado por
um trolley-car, tendo morrido
dos ferimentos.
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Na Pintura
1) Profundidade: Diferentemente
da pintura românica, onde as
cenas aconteciam num único
plano, a pintura gótica procura
dar alguns movimentos às figuras
através da postura dos corpos e
das paisagens de fundo
As figuras são
representadas de
forma mais
detalhada e
realista. O artista
tenta reproduzir
os seres
exatamente
como eles são.
Giotto di Bondone mais conhecido
simplesmente por Giotto
(Colle Vespignano, 1266 - Florença,
1337) foi um pintor e arquiteto
italiano.
Ele identifica a figura dos santos como
seres humanos de aparência comum.
Assim, a pintura de Giotto vem ao
encontro de uma visão humanista do
mundo, que vai cada vez mais se firmando
até ao Renascimento.
Falecimento 8 de janeiro
de 1337, Florença ,Itália
 Ele é
considerado o
elo entre o
renascimento e
a pintura
medieval e
a bizantina.
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019
1390/1441, Bugres ,Bélgica.
Retrato de Homem com
Turbante (1433), possível
autorretrato.
foi um pintor
caracterizado pelo
naturalismo, imperando
na sua obra detalhes e
cores vivas, além de uma
extrema precisão nas
texturas e na busca por
novas maneiras de
representação da
tridimensionalidade, ou
seja, a perspectiva.
 ... da pintura flamenga refere-
se à produção artística
realizada no começo do Século
XV até o século XVII na região
de Flandres .
 A pintura flamenga surgiu
através do desenvolvimento de
uma mentalidade burguesa
(comércio e banca; mercado da
arte) e está ligado a uma
evolução ideológica para novas
formas menos transcendentais
para com a Natureza: cultura
visual fundamentada em
tradições que privilegiam a
observação atenta do mundo
natural e valorizam a superfície
material da imagem.
 No princípio do século XV, no
norte da Europa, na região de
Flandres (hoje, aproximadamente
Bélgica e
Luxemburgo), haviam indícios
que apontavam para o começo
de uma nova era, mesmo os
flamengos não absorvendo as
inovações no campo das artes
comparando-se ao que sucedeu
no Renascimento.
A pintura ficou por mais
tempo ligada à tradição
medieval. Paulatinamente é que
despontou a arte da velha
Flandres, terra dos Flamengos na
Europa, de grande importância
cultural e econômica desde a
Idade Média.
 Jan Van Eyck.
Retrato de
Giovanni
Arnolfini e sua
Esposa, 1434
National
Gallery
Juramento: casamento
 O quadro era como um
tratado, tinha que
deixar claro sua
religiosidade e sua
condição de bem estar.
Arteromanica gotica2019
Terço: Virtude da noiva.
Vela: acesa durante o dia siguinifica
Deus, que tudo vê e santifica o
casamento.
Santa Margarida: patrona
dos partos.
Pés descalço: O rito sagrado do
casamento e pisar terra sagrada.
Cachorrinho: Fidelidade.
Laranjas que na época eram
chamadas de Maçãs de Adão:
Remetem a pureza antes de
cometer o pecado.
O vestido: Exibir riqueza, a
última moda.
Não está grávida.
Arteromanica gotica2019
Arteromanica gotica2019

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
Sofia Yuna
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
Jadisson Vaz
 
A cultura da catedral escultura e pintura
A cultura da catedral   escultura e pinturaA cultura da catedral   escultura e pintura
A cultura da catedral escultura e pintura
cattonia
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
Vítor Santos
 
História da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte MedievalHistória da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte Medieval
Raphael Lanzillotte
 
Aula 07 idade média - a arte cristã primitiva 3
Aula 07   idade média - a arte cristã primitiva 3Aula 07   idade média - a arte cristã primitiva 3
Aula 07 idade média - a arte cristã primitiva 3
Lila Donato
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
ElianaFonsecaPaz
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Cristiane Seibt
 
Resumo Cultura do Gótico - Hisatória da Cultura e das Artes
Resumo Cultura do Gótico - Hisatória da Cultura e das ArtesResumo Cultura do Gótico - Hisatória da Cultura e das Artes
Resumo Cultura do Gótico - Hisatória da Cultura e das Artes
Dylan Bonnet
 
Historia da arte- período da idade média - resumo
Historia da arte- período da  idade média - resumoHistoria da arte- período da  idade média - resumo
Historia da arte- período da idade média - resumo
Andrea Dressler
 
Apontamentos de arte
Apontamentos de arteApontamentos de arte
Apontamentos de arte
mmdaaraujo
 
Apresentação1.pptx arte medieval
Apresentação1.pptx arte medievalApresentação1.pptx arte medieval
Apresentação1.pptx arte medieval
deasilvia
 
Arte na Idade Media
Arte na Idade MediaArte na Idade Media
Arte na Idade Media
Anita Rink
 
Arte Bizantina
Arte BizantinaArte Bizantina
Arte Bizantina
Andrea Dressler
 
Trabalho de Artes - Arte na Idade Média
Trabalho de Artes - Arte na Idade MédiaTrabalho de Artes - Arte na Idade Média
Trabalho de Artes - Arte na Idade Média
Giovana Krüger
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ana Barreiros
 
ARTE NA EUROPA OCIDENTAL, NA IDADE MÉDIA E ARTE ROMÂNICA
ARTE NA EUROPA OCIDENTAL, NA IDADE MÉDIA E ARTE ROMÂNICAARTE NA EUROPA OCIDENTAL, NA IDADE MÉDIA E ARTE ROMÂNICA
ARTE NA EUROPA OCIDENTAL, NA IDADE MÉDIA E ARTE ROMÂNICA
crisseibt
 
Ficha formativa cultura da catedral
Ficha formativa cultura da catedralFicha formativa cultura da catedral
Ficha formativa cultura da catedral
Ana Barreiros
 
A arte paleocristã
A arte paleocristãA arte paleocristã
A arte paleocristã
ma.no.el.ne.ves
 
Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
Scriba Digital
 

Mais procurados (20)

Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
A cultura da catedral escultura e pintura
A cultura da catedral   escultura e pinturaA cultura da catedral   escultura e pintura
A cultura da catedral escultura e pintura
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
 
História da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte MedievalHistória da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte Medieval
 
Aula 07 idade média - a arte cristã primitiva 3
Aula 07   idade média - a arte cristã primitiva 3Aula 07   idade média - a arte cristã primitiva 3
Aula 07 idade média - a arte cristã primitiva 3
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
 
Resumo Cultura do Gótico - Hisatória da Cultura e das Artes
Resumo Cultura do Gótico - Hisatória da Cultura e das ArtesResumo Cultura do Gótico - Hisatória da Cultura e das Artes
Resumo Cultura do Gótico - Hisatória da Cultura e das Artes
 
Historia da arte- período da idade média - resumo
Historia da arte- período da  idade média - resumoHistoria da arte- período da  idade média - resumo
Historia da arte- período da idade média - resumo
 
Apontamentos de arte
Apontamentos de arteApontamentos de arte
Apontamentos de arte
 
Apresentação1.pptx arte medieval
Apresentação1.pptx arte medievalApresentação1.pptx arte medieval
Apresentação1.pptx arte medieval
 
Arte na Idade Media
Arte na Idade MediaArte na Idade Media
Arte na Idade Media
 
Arte Bizantina
Arte BizantinaArte Bizantina
Arte Bizantina
 
Trabalho de Artes - Arte na Idade Média
Trabalho de Artes - Arte na Idade MédiaTrabalho de Artes - Arte na Idade Média
Trabalho de Artes - Arte na Idade Média
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
 
ARTE NA EUROPA OCIDENTAL, NA IDADE MÉDIA E ARTE ROMÂNICA
ARTE NA EUROPA OCIDENTAL, NA IDADE MÉDIA E ARTE ROMÂNICAARTE NA EUROPA OCIDENTAL, NA IDADE MÉDIA E ARTE ROMÂNICA
ARTE NA EUROPA OCIDENTAL, NA IDADE MÉDIA E ARTE ROMÂNICA
 
Ficha formativa cultura da catedral
Ficha formativa cultura da catedralFicha formativa cultura da catedral
Ficha formativa cultura da catedral
 
A arte paleocristã
A arte paleocristãA arte paleocristã
A arte paleocristã
 
Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
 

Semelhante a Arteromanica gotica2019

Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
Paulo Alexandre
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
Silmara Nogueira
 
imagens arte românica e gótica (7º ano)
imagens arte românica e gótica (7º ano)imagens arte românica e gótica (7º ano)
imagens arte românica e gótica (7º ano)
professoramariaraquel
 
7 barroco 2020
7 barroco 20207 barroco 2020
7 barroco 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Aula 05 arte medieval
Aula 05 arte medievalAula 05 arte medieval
Aula 05 arte medieval
Elizeu Nascimento Silva
 
Arte Medieval
Arte MedievalArte Medieval
Arte Medieval
Rafael Lucas da Silva
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
O Renascimento - 8ºano
O Renascimento - 8ºanoO Renascimento - 8ºano
O Renascimento - 8ºano
Vasco Pires
 
Barroco 2019ok
Barroco 2019okBarroco 2019ok
Barroco 2019ok
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Barroco 2019ok
Barroco 2019okBarroco 2019ok
Barroco 2019ok
CLEBER LUIS DAMACENO
 
História da Arte - Renascimento até Realismo
História da Arte - Renascimento até RealismoHistória da Arte - Renascimento até Realismo
História da Arte - Renascimento até Realismo
lidaDutra1
 
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Rúben Soares
 
3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico
Danilson Silva
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
CarlosNazar1
 
Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptxArte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptx
MartaROQUES1
 
RENASCIMENTO (Apresentação) - 7º ANOS.pdf
RENASCIMENTO (Apresentação) - 7º ANOS.pdfRENASCIMENTO (Apresentação) - 7º ANOS.pdf
RENASCIMENTO (Apresentação) - 7º ANOS.pdf
GustavoCezarWaltrick
 
Pré renascimento
 Pré renascimento Pré renascimento
Pré renascimento
greghouse48
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
julio2012souto
 

Semelhante a Arteromanica gotica2019 (20)

Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
 
imagens arte românica e gótica (7º ano)
imagens arte românica e gótica (7º ano)imagens arte românica e gótica (7º ano)
imagens arte românica e gótica (7º ano)
 
7 barroco 2020
7 barroco 20207 barroco 2020
7 barroco 2020
 
Aula 05 arte medieval
Aula 05 arte medievalAula 05 arte medieval
Aula 05 arte medieval
 
Arte Medieval
Arte MedievalArte Medieval
Arte Medieval
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 
O Renascimento - 8ºano
O Renascimento - 8ºanoO Renascimento - 8ºano
O Renascimento - 8ºano
 
Barroco 2019ok
Barroco 2019okBarroco 2019ok
Barroco 2019ok
 
Barroco 2019ok
Barroco 2019okBarroco 2019ok
Barroco 2019ok
 
História da Arte - Renascimento até Realismo
História da Arte - Renascimento até RealismoHistória da Arte - Renascimento até Realismo
História da Arte - Renascimento até Realismo
 
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
 
3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
 
Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020
 
Arte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptxArte Medieval.pptx
Arte Medieval.pptx
 
RENASCIMENTO (Apresentação) - 7º ANOS.pdf
RENASCIMENTO (Apresentação) - 7º ANOS.pdfRENASCIMENTO (Apresentação) - 7º ANOS.pdf
RENASCIMENTO (Apresentação) - 7º ANOS.pdf
 
Pré renascimento
 Pré renascimento Pré renascimento
Pré renascimento
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
 

Mais de CLEBER LUIS DAMACENO

5-FINAL.pptx
5-FINAL.pptx5-FINAL.pptx
5-FINAL.pptx
CLEBER LUIS DAMACENO
 
4-argumentoe roteiro.pptx
4-argumentoe roteiro.pptx4-argumentoe roteiro.pptx
4-argumentoe roteiro.pptx
CLEBER LUIS DAMACENO
 
3-Gêneros cinematográficos.pptx
3-Gêneros cinematográficos.pptx3-Gêneros cinematográficos.pptx
3-Gêneros cinematográficos.pptx
CLEBER LUIS DAMACENO
 
2- cinema brasileiro.pptx
2- cinema brasileiro.pptx2- cinema brasileiro.pptx
2- cinema brasileiro.pptx
CLEBER LUIS DAMACENO
 
1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Modernismo 8ºano
Modernismo 8ºanoModernismo 8ºano
Modernismo 8ºano
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Missao artística francesa
Missao artística  francesaMissao artística  francesa
Missao artística francesa
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Barroco no Brasil 8 ano
Barroco no Brasil 8 anoBarroco no Brasil 8 ano
Barroco no Brasil 8 ano
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Tropicalia 8 ano
Tropicalia 8 anoTropicalia 8 ano
Tropicalia 8 ano
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Vanguardas europeias 2020
Vanguardas  europeias 2020Vanguardas  europeias 2020
Vanguardas europeias 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Renascimento 2020
Renascimento 2020Renascimento 2020
Renascimento 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
1 arte brasileira-voz
1 arte brasileira-voz1 arte brasileira-voz
1 arte brasileira-voz
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Aula 6 arte brasileira-2020
Aula 6 arte brasileira-2020Aula 6 arte brasileira-2020
Aula 6 arte brasileira-2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Patrimonio cultural
Patrimonio culturalPatrimonio cultural
Patrimonio cultural
CLEBER LUIS DAMACENO
 
26 arte contemporanea 2020
26 arte contemporanea 202026 arte contemporanea 2020
26 arte contemporanea 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
25 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 202025 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
24 pop art 2020
24 pop art 202024 pop art 2020
24 pop art 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
23 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 202023 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
22 modernismo2020
22 modernismo202022 modernismo2020
22 modernismo2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 

Mais de CLEBER LUIS DAMACENO (20)

5-FINAL.pptx
5-FINAL.pptx5-FINAL.pptx
5-FINAL.pptx
 
4-argumentoe roteiro.pptx
4-argumentoe roteiro.pptx4-argumentoe roteiro.pptx
4-argumentoe roteiro.pptx
 
3-Gêneros cinematográficos.pptx
3-Gêneros cinematográficos.pptx3-Gêneros cinematográficos.pptx
3-Gêneros cinematográficos.pptx
 
2- cinema brasileiro.pptx
2- cinema brasileiro.pptx2- cinema brasileiro.pptx
2- cinema brasileiro.pptx
 
1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx
 
Modernismo 8ºano
Modernismo 8ºanoModernismo 8ºano
Modernismo 8ºano
 
Missao artística francesa
Missao artística  francesaMissao artística  francesa
Missao artística francesa
 
Barroco no Brasil 8 ano
Barroco no Brasil 8 anoBarroco no Brasil 8 ano
Barroco no Brasil 8 ano
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
 
Tropicalia 8 ano
Tropicalia 8 anoTropicalia 8 ano
Tropicalia 8 ano
 
Vanguardas europeias 2020
Vanguardas  europeias 2020Vanguardas  europeias 2020
Vanguardas europeias 2020
 
Renascimento 2020
Renascimento 2020Renascimento 2020
Renascimento 2020
 
1 arte brasileira-voz
1 arte brasileira-voz1 arte brasileira-voz
1 arte brasileira-voz
 
Aula 6 arte brasileira-2020
Aula 6 arte brasileira-2020Aula 6 arte brasileira-2020
Aula 6 arte brasileira-2020
 
Patrimonio cultural
Patrimonio culturalPatrimonio cultural
Patrimonio cultural
 
26 arte contemporanea 2020
26 arte contemporanea 202026 arte contemporanea 2020
26 arte contemporanea 2020
 
25 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 202025 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 2020
 
24 pop art 2020
24 pop art 202024 pop art 2020
24 pop art 2020
 
23 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 202023 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 2020
 
22 modernismo2020
22 modernismo202022 modernismo2020
22 modernismo2020
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 

Arteromanica gotica2019

  • 3. A Idade Média é marcada pela descentralização do poder e pelo declínio das grandes cidades. Devido a constantes invasões bárbaras, as populações migraram para o campo e a agricultura tornou-se a base política, social e econômica.
  • 4. A unidade do império romano desapareceu e seu território foi retalhado em feudos que se estenderam por todo o continente europeu. Todos esses fatores deram início ao Feudalismo, sistema político, social e econômico que se instalou na Europa medieval.
  • 6. A Igreja católica, já organizada nas últimas décadas do Império Romano, tornou-se a instituição mais importante da Idade Média, devido à progressiva conversão dos bárbaros ao cristianismo. O papa era reconhecido como a autoridade máxima e a arte e a cultura era dominada pela Igreja.
  • 7. No ano de 774, a pedido do papa Adriano I, Carlos Magno derrotou os lombardos (povo que dominou os bizantinos na Itália). Com sua vitória, Carlos Magno conquistou o título de rei e foi proclamado defensor da Igreja. No natal do ano 800, o papa Leão III coroou-o imperador do ocidente.
  • 8. Durante o reinado de Carlos Magno desenvolveu-se um novo estilo de arte, misturando a arte romana e bizantina, chamado ROMÂNICO, usado principalmente nas construções de igrejas, mosteiros e castelos. Com a morte de Carlos Magno as oficinas de arte centralizaram-se nos mosteiros.
  • 10. A arte românica se destacou principalmente na arquitetura de igrejas, mosteiros e castelos. 1) Utiliza o arco pleno:
  • 11. 2) Abóbadas de berço e de aresta;
  • 13. 3) Paredes grossas; 4) Janelas pequenas ou compridas, criando ambientes escuros e sombrios;
  • 14. 5) Torres baixas e largas;
  • 19. Igreja de São Martín de Tours, Espanha.
  • 21. Abádia de Cluny, Borgonha, França. As igrejas deviam possuir relíquias santas. A popularidade das relíquias dependia, em parte, do poder milagroso que possuíam.
  • 22.  Os mosteiros foram importantes para o estabelecimento da arquitetura românica.  Um mosteiro é uma instituição e edifício de habitação, oração e trabalho de uma comunidade de monges e monjas.
  • 24. Mosteiro Paco Souza, Portugal.
  • 31. O complexo de Pisa na Itália compreende uma catedral, a torre inclinada ou campanário e o batistério.
  • 32. A catedral de Pisa (1063 a 1092) tem a forma em cruz como muitas das igrejas românicas.
  • 33. A famosa torre, construída um século mais tarde, é inclinada devido a um fenômeno bastante comum na maior parte das torres italianas de mesma época, decorrência do solo onde foram construídas, porém este fato não é tão pronunciado.
  • 34. O batistério do complexo de Pisa
  • 35. Ao redor das construções há o cemitério ou campo santo, edifícios privados de habitação, o hospital e o museu da catedral. Chamado de Campo dos Milagres, este é um dos principais pontos turísticos da Itália e é considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. *Adro.
  • 36. Castelos Românicos Eram a nova forma de arquitetura militar. Serviam de casa para o Sr. Feudal e sua família ao mesmo tempo faziam a defesa .
  • 41.  Escultura Românica (1.000 a 1.200 d.C.) – No século XI, a Igreja Católica começa a reafirmar- se.  O expansionismo doutrinal leva às Cruzadas para libertar a Terra Santa das “garras” do Islã. O sucesso das Cruzadas e a aquisição de relíquias sagradas desencadeia a construção de novas igrejas e catedrais em estilo românico pela Europa.  Fato que, por sua vez, leva à alta de comissões pela escultura românica e pelos vitrais.  Com essa nova demanda, estabelecem-se novas oficinas de escultura e modelagem, com métodos de aprendizagem e reconhecimento de seus mestres-artesãos.
  • 42. Na escultura 1) Está inteiramente subordinada à arquitetura e à religião; 2) São esculpidos relevos e estátuas -colunas que ornamentam as paredes externas das construções românicas.
  • 44. 3) Mostram cenas do Antigo e Novo Testamento, o juízo final, figuras de animais fantasiosos e demônios.
  • 45.  Pórtico da Glória  Século XII, Catedral  de Santiago de  Compostela.
  • 48. Tanto a escultura como a pintura Românica retratavam temas religiosos, pois numa época em que havia pouquíssimos letrados, a Igreja recorria à arte para transmitir os ensinamentos religiosos.
  • 49. Na pintura 1) A deformação: o artista interpretava de modo místico a realidade e retratava seus sentimentos religiosos nas figuras de forma desproporcional; 2) Cores vivas e planas; 3) Perfis bem marcados.
  • 54. A pintura também aparece nos manuscritos sob a forma de iluminuras, ou seja, ilustrações de textos com cores vivas, ornamentadas com ouro e prata.
  • 56. A arte românica predominou até o início do séc. 17, quando surgiram as primeiras mudanças que mais tarde resultariam numa revolução na arquitetura e consequentemente na arte.
  • 58. De modo depreciativo, essa nova arquitetura foi chamada de Gótica pelos estudiosos do renascimento. Eles relacionaram esse novo estilo aos “godos” (povo bárbaro de origem germânica que invadiu o império Romano). Com o passar do tempo, o nome Gótico ficou definitivamente relacionado à arquitetura de arcos ogivais.
  • 59. O estilo gótico foi um aprofundamento dos elementos básicos do Românico, principalmente no que diz respeito à verticalidade. O clima religioso daquela época favoreceu a construção de edifícios bem mais altos, que refletiam o desejo de uma ascensão espiritual.
  • 60. Na Arquitetura 1) Fachada com 3 portais Catedral de Notre- Dame
  • 61. 2) Arcos ogivais, que apresentam uma quebra em sua parte superior. Possibilitou a construção de igrejas mais altas, acentuando a impressão de verticalidade.
  • 62. 3) Abóbadas de nervuras, substituindo as de berço e de arestas usadas na arquitetura românica
  • 69. 6) Vitrais, cuja função era melhorar a iluminação e contar a história e os ensinamentos do cristianismo
  • 80.   As fachadas e portais das catedrais eram normalmente preenchidos com relevos escultóricos representando cenas bíblicas, profetas, apóstolos, antigos reis da Judeia e outras figuras do evangelho. No interior das catedrais, o destaque eram as estátuas e relevos, tudo de acordo com um plano complexo da iconografia cristã projetada para educar e inspirar adoradores que não liam nem escreviam.  A Igreja investe fortemente no poder da pintura e escultura para inspirar as massas (notadamente no período barroco da Contrarreforma), o período gótico foi realmente o apogeu da arte “idealista” religiosa.  Daí em diante, a escultura é cada vez mais uma arte de catequização.  Escultores de destaque: Nicola Pisano (1206-1278); Giovanni Pisano (1250-1314); Arnolfo di Cambio (1240-1310); Giovanni di Balduccio (1290-1339); Andrea Pisano (1295-1348); Filippo Calendario (1315- 1355); Andre Beauneveu (1335-1400); Claus Sluter (1340-1406).
  • 81. Na Escultura 1) Ligada à arquitetura, como no Românico 2) Figuras esculpidas de forma isoladas, ao contrário do Românico, que eram aglomeradas e entrelaçadas
  • 84. 3) Figuras mais realistas que retratavam os valores mais importantes daquela época. Elas eram mais eretas e acompanhavam a verticalidade da arquitetura gótica. Contudo o tema principal continuou sendo o religioso.
  • 88. Chartres – Vista Interna Norte
  • 98. Abadia de Westminster – INGLATERRA
  • 99. Interior - Abadia de Westminster
  • 102.  Nasceu em Reus, Catalunha, Espanha, em 25 de Junho de 1852; morreu em Barcelona, em 10 de Junho de 1926.  Grande parte da sua carreira foi ocupada com a construção do Templo Sagrada Família desde 1883, não viveu para a ver terminada.  Ao trabalhar nela tornou-se cada vez mais religioso, e após 1910 passou a trabalhar quase exclusivamente na construção da Igreja, Aos 75 anos, foi atropelado por um trolley-car, tendo morrido dos ferimentos.
  • 107. Na Pintura 1) Profundidade: Diferentemente da pintura românica, onde as cenas aconteciam num único plano, a pintura gótica procura dar alguns movimentos às figuras através da postura dos corpos e das paisagens de fundo
  • 108. As figuras são representadas de forma mais detalhada e realista. O artista tenta reproduzir os seres exatamente como eles são.
  • 109. Giotto di Bondone mais conhecido simplesmente por Giotto (Colle Vespignano, 1266 - Florença, 1337) foi um pintor e arquiteto italiano. Ele identifica a figura dos santos como seres humanos de aparência comum. Assim, a pintura de Giotto vem ao encontro de uma visão humanista do mundo, que vai cada vez mais se firmando até ao Renascimento.
  • 110. Falecimento 8 de janeiro de 1337, Florença ,Itália  Ele é considerado o elo entre o renascimento e a pintura medieval e a bizantina.
  • 114. 1390/1441, Bugres ,Bélgica. Retrato de Homem com Turbante (1433), possível autorretrato. foi um pintor caracterizado pelo naturalismo, imperando na sua obra detalhes e cores vivas, além de uma extrema precisão nas texturas e na busca por novas maneiras de representação da tridimensionalidade, ou seja, a perspectiva.
  • 115.  ... da pintura flamenga refere- se à produção artística realizada no começo do Século XV até o século XVII na região de Flandres .  A pintura flamenga surgiu através do desenvolvimento de uma mentalidade burguesa (comércio e banca; mercado da arte) e está ligado a uma evolução ideológica para novas formas menos transcendentais para com a Natureza: cultura visual fundamentada em tradições que privilegiam a observação atenta do mundo natural e valorizam a superfície material da imagem.  No princípio do século XV, no norte da Europa, na região de Flandres (hoje, aproximadamente Bélgica e Luxemburgo), haviam indícios que apontavam para o começo de uma nova era, mesmo os flamengos não absorvendo as inovações no campo das artes comparando-se ao que sucedeu no Renascimento. A pintura ficou por mais tempo ligada à tradição medieval. Paulatinamente é que despontou a arte da velha Flandres, terra dos Flamengos na Europa, de grande importância cultural e econômica desde a Idade Média.
  • 116.  Jan Van Eyck. Retrato de Giovanni Arnolfini e sua Esposa, 1434 National Gallery
  • 117. Juramento: casamento  O quadro era como um tratado, tinha que deixar claro sua religiosidade e sua condição de bem estar.
  • 119. Terço: Virtude da noiva. Vela: acesa durante o dia siguinifica Deus, que tudo vê e santifica o casamento.
  • 120. Santa Margarida: patrona dos partos. Pés descalço: O rito sagrado do casamento e pisar terra sagrada.
  • 121. Cachorrinho: Fidelidade. Laranjas que na época eram chamadas de Maçãs de Adão: Remetem a pureza antes de cometer o pecado.
  • 122. O vestido: Exibir riqueza, a última moda. Não está grávida.