SlideShare uma empresa Scribd logo
HISTÓRIA DA ARTEPROFESSORA ANDREA DRESSLER
RESUMO
ISMOS – MOVIMENTOS DA ARTE MODERNA
Vimos que o primeiro movimento artístico do
período da arte moderna foi o Impressionismo
Influenciados pelo advento da fotografia,
procuraram captar a impressão da luz nas cores
dos objetos
Com o tempo esse tipo de pintura foi perdendo o
brilho e, um pouco antes da Primeira Guerra
Mundial eclodir, em 1914, o artista moderno sente a
necessidade de produzir uma arte mais
substancial, com maior peso e relevância
São os chamados Movimentos de Vanguarda, que
vamos conhecer agora, ou Ismos (de Modernismo)
CONTEXTO HISTÓRICO
Durante a realização do Salão de Outono em
Paris, em 1905, alguns jovens pintores foram
chamados pelo crítico Louis Vauxcelles de fauves
(do francês “feras”). Assim, ficaram conhecidos
como fauvistas.
FAUVISMO - 1905
O artista fauvista age por
instinto (como uma fera)
não permitindo que o lado
racional interfira na
pintura.
Por isso, a principal
característica desse grupo
é a simplificação das
formas e o emprego das
cores puras.
Essas características
podem ser vistas em “A
Dança”, de Henri Matisse
Os artistas cubistas passaram a representar os
objetos com todas as suas partes num mesmo plano. É
como se estivessem abertos e apresentassem todos os
lados no plano frontal em relação ao espectador.
Existem dois tipos de Cubismo: Analítico e Sintético
CUBISMO - 1907
CUBISMO ANALÍTICO
Pablo Picasso é considerado o pai do Cubismo. Em “Guernica” ele retrata a Guerra Civil
Espanhola em que morreram vários civis da cidade de Guernica. Ele fragmentou as
formas dos seres e colocou tudo em plano frontal (observe as figuras em perfil com os
dois olhos de frente). Além disso usou poucas cores. Essas são as características do
Cubismo Analítico.
CUBISMO SINTÉTICO
já em “A Guitarra”, Picasso introduziu
alterações ao nível da utilização de
novos materiais, incorporando-os na
obra ao misturar tinta com materiais
exteriores.
A partir deste método os quadros
passam então a integrar objetos
comuns, pelo método da colagem, como
o papel, cartão, tecido, madeira, corda,
entre outros objetos do dia a dia. Essas
são as características do Cubismo
Sintético.
Uma tela abstrata não representa a realidade que nos cerca, nem
narra com imagens uma cena histórica, literária, religiosa ou
mitológica.
A principal característica do movimento abstracionismo é
ausência de relação imediata entre as formas e as cores
representadas e as formas e as cores reais de um ser.
Nesse sentido, a pintura abstrata pode ser classificada em:
INFORMAL (ou lírica) e GEOMÉTRICA
ABSTRACIONISMO - 1910
INFORMAL
Kandinsky é o
principal
representante
desse estilo
abstrato onde as
formas e as cores
são criadas
livremente
GEOMÉTRICO
Já na obra de Piet Mondrian
as formas e as cores são
organizadas de maneira que a
composição resultante é
apenas a expressão de uma
concepção geométrica.
No período da história da arte moderna, um grupo de
artistas procurou expressar as emoções humanas e
interpretar as angústias que caracterizam
psicologicamente o homem do início do século XX. É o
que chamamos de subjetivismo na arte.
Esse grupo foi identificado como os Expressionistas.
EXPRESSIONISMO - 1920
A pintura “O Grito”, de Edvard Munch,
retrata justamanete esse estado de
angústia interna que tanto o afligia,
como ele mesmo descreveu:
“Passeava com dois amigos ao pôr-
do-sol – o céu ficou de súbito
vermelho-sangue – eu parei,
exausto, e inclinei-me sobre a
mureta– havia sangue e línguas de
fogo sobre o azul escuro do fjord e
sobre a cidade – os meus amigos
continuaram, mas eu fiquei ali a
tremer de ansiedade – e senti o grito
infinito da Natureza.”
O surrealismo foi um movimento da literatura e das artes
plásticas que começou na França, em 1924, sob a liderança do
escritor André Breton. Influenciados pelo estudos do
subconsciente, do psicanalista Sigmund Freud, a arte
surrealista não resulta de pensamentos racionais e lógicos
do artista; ela é, isto sim, resultado de pensamentos absurdos
e ilógicos, como as imagens dos sonhos.
SURREALISMO - 1924
O principal artista surrealista foi o espanhol Salvador Dali. Ele mesmo admitiu que sua
obra era uma loucura: “Como posso querer que meus amigos entendam as coisas loucas
que passam pela minha cabeça, se eu mesmo, não entendo?”
Alguns artistas brasileiros tiveram contatos com os
Movimentos de Vanguarda Europeus, os Ismos
Na busca por novos caminhos esses artistas idealizaram
a Semana de Arte Moderna, realizada em fevereiro de
1922 no Teatro Municipal de São Paulo (também chamada
apenas de Semana de 22)
No evento foram apresentados concertos e conferências,
além de exposições de artistas plásticos.
(CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO FEITO POR DI CAVALCANTI)
MODERNISMO NO BRASIL
INFLUÊNCIA EUROPEIA NA ARTE BRASILEIRA
SURREALISMOEXPRESSIONISMO CUBISMO
Anita
Malfatti
Ismael
Nery
Vicente
do Rêgo Monteiro
Em 1928, Tarsila do Amaral, juntamente com seu
marido, o escritor Oswald de Andrade, deu início a
uma nova fase: a Antropofágica (aquele que come)
A teoria antropofágica propunha que o artista deveria
“deglutir” a arte europeia e , a partir dela, produzir
uma arte genuinamente brasileira.
Movimento Antropofágico
“Abaporu” é o melhor exemplo desse antropofagismo:
Tarsila consegue aplicar várias características de
diferentes movimentos europeus: formas
expressionistas, um tanto surrealistas, um pouco de
abstracionismo e até fauvismo. Porém são apenas
traços desses movimentos. O que ela quis mesmo foi
retratar o homem trabalhador brasileiro (indicados
pelas mãos e pés enormes e cabeça pequena), as
cores da bandeira do Brasil, assim como o clima e a
vegetação típica brasileira.
Abaporu é uma palavra de origem tupi e significa
“homem que come”. Mais uma alusão às nossas raízes
culturais.
http://arteeducacaodf.blogspot.com.br/
PRÓXIMA AULA –
ARTE CONTEMPORÂNEA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Michele Pó
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
eloisecris
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Paulo Fonseca
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Carlos Vieira
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
Arte Educadora
 
Pós - Impressionismo
Pós - ImpressionismoPós - Impressionismo
Pós - Impressionismo
Andrea Dressler
 
O Impressionismo
O ImpressionismoO Impressionismo
O Impressionismo
Jorge Almeida
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Ana Barreiros
 
Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasil
pagodes
 
Pós-impressionismo
Pós-impressionismoPós-impressionismo
Pós-impressionismo
marta Maria
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
VIVIAN TROMBINI
 
A arte como expressão expressionismo
A arte como expressão   expressionismoA arte como expressão   expressionismo
A arte como expressão expressionismo
Junior Onildo
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
Eline Lima
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Michele Pó
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
Cristiane Seibt
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
Turmasthera
 
Cubismo
CubismoCubismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismoImpressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Carlos Pinheiro
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Hely Costa Júnior
 

Mais procurados (20)

Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
Pós - Impressionismo
Pós - ImpressionismoPós - Impressionismo
Pós - Impressionismo
 
O Impressionismo
O ImpressionismoO Impressionismo
O Impressionismo
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasil
 
Pós-impressionismo
Pós-impressionismoPós-impressionismo
Pós-impressionismo
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
A arte como expressão expressionismo
A arte como expressão   expressionismoA arte como expressão   expressionismo
A arte como expressão expressionismo
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismoImpressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
 

Destaque

Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoHistoria da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Andrea Dressler
 
Idade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas DescobertasIdade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas Descobertas
Odair Tuono
 
A expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
A expressão Naturalista na Pintura e na EsculturaA expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
A expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
Sara Coelho
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
Jaiza Nobre
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Evelyn Bonafe
 
Pintura renascentista
Pintura renascentistaPintura renascentista
Pintura renascentista
Karyn XP
 
Historia da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumoHistoria da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumo
Andrea Dressler
 

Destaque (7)

Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoHistoria da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
 
Idade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas DescobertasIdade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas Descobertas
 
A expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
A expressão Naturalista na Pintura e na EsculturaA expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
A expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Pintura renascentista
Pintura renascentistaPintura renascentista
Pintura renascentista
 
Historia da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumoHistoria da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumo
 

Semelhante a História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna

História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
Lú Carvalho
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
Lú Carvalho
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
Aline Raposo
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Ana Paula Silva
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
Michele Wilbert
 
Vanguardas CBG
Vanguardas CBGVanguardas CBG
Vanguardas CBG
Aline Raposo
 
Arte
ArteArte
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Lú Carvalho
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Gabriel Ferraciolli
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
Luana Colosio
 
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
WHANESSA
 
Movimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
Movimento Surrealista - Prof. Altair AguilarMovimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
Movimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
Joel Sousa
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
Itamir Beserra
 
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e SurrealismoCubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Jorge Almeida
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
Silmara Nogueira
 
Vanguardas Européias
Vanguardas EuropéiasVanguardas Européias
Vanguardas Européias
Arcelino Barbosa
 
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docxMapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
PolianaMendes21
 
2 asurrealismo
2 asurrealismo2 asurrealismo
2 asurrealismo
Equipemundi2014
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Junior Onildo
 

Semelhante a História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna (20)

História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
Vanguardas CBG
Vanguardas CBGVanguardas CBG
Vanguardas CBG
 
Arte
ArteArte
Arte
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
 
Movimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
Movimento Surrealista - Prof. Altair AguilarMovimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
Movimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
 
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e SurrealismoCubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Vanguardas Européias
Vanguardas EuropéiasVanguardas Européias
Vanguardas Européias
 
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docxMapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
 
2 asurrealismo
2 asurrealismo2 asurrealismo
2 asurrealismo
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 

Mais de Andrea Dressler

Art Nouveau (Arte Nova)
Art Nouveau (Arte Nova)Art Nouveau (Arte Nova)
Art Nouveau (Arte Nova)
Andrea Dressler
 
Impressionismo no Brasil
Impressionismo no BrasilImpressionismo no Brasil
Impressionismo no Brasil
Andrea Dressler
 
Academicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Academicismo no Brasil: Romantismo e RealismoAcademicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Academicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Andrea Dressler
 
Op Art
Op ArtOp Art
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
Andrea Dressler
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Andrea Dressler
 
Expressionismo Abstrato
Expressionismo AbstratoExpressionismo Abstrato
Expressionismo Abstrato
Andrea Dressler
 
Missão Langsdorff no Brasil
Missão Langsdorff no BrasilMissão Langsdorff no Brasil
Missão Langsdorff no Brasil
Andrea Dressler
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
Andrea Dressler
 
Missão Artística Francesa
Missão Artística Francesa Missão Artística Francesa
Missão Artística Francesa
Andrea Dressler
 
Concretismo Brasileiro - Arte Concreta
Concretismo Brasileiro  - Arte ConcretaConcretismo Brasileiro  - Arte Concreta
Concretismo Brasileiro - Arte Concreta
Andrea Dressler
 
Modernismo Brasileiro
Modernismo BrasileiroModernismo Brasileiro
Modernismo Brasileiro
Andrea Dressler
 
Arte Rococó
Arte RococóArte Rococó
Arte Rococó
Andrea Dressler
 
Movimentos Dadaísmo e Surrealismo
Movimentos Dadaísmo e SurrealismoMovimentos Dadaísmo e Surrealismo
Movimentos Dadaísmo e Surrealismo
Andrea Dressler
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
Andrea Dressler
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Andrea Dressler
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
Andrea Dressler
 
Movimento Cubismo
Movimento CubismoMovimento Cubismo
Movimento Cubismo
Andrea Dressler
 
Movimento Fauvismo
Movimento FauvismoMovimento Fauvismo
Movimento Fauvismo
Andrea Dressler
 

Mais de Andrea Dressler (20)

Art Nouveau (Arte Nova)
Art Nouveau (Arte Nova)Art Nouveau (Arte Nova)
Art Nouveau (Arte Nova)
 
Impressionismo no Brasil
Impressionismo no BrasilImpressionismo no Brasil
Impressionismo no Brasil
 
Academicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Academicismo no Brasil: Romantismo e RealismoAcademicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Academicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
 
Op Art
Op ArtOp Art
Op Art
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Expressionismo Abstrato
Expressionismo AbstratoExpressionismo Abstrato
Expressionismo Abstrato
 
Missão Langsdorff no Brasil
Missão Langsdorff no BrasilMissão Langsdorff no Brasil
Missão Langsdorff no Brasil
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
 
Missão Artística Francesa
Missão Artística Francesa Missão Artística Francesa
Missão Artística Francesa
 
Concretismo Brasileiro - Arte Concreta
Concretismo Brasileiro  - Arte ConcretaConcretismo Brasileiro  - Arte Concreta
Concretismo Brasileiro - Arte Concreta
 
Modernismo Brasileiro
Modernismo BrasileiroModernismo Brasileiro
Modernismo Brasileiro
 
Arte Rococó
Arte RococóArte Rococó
Arte Rococó
 
Movimentos Dadaísmo e Surrealismo
Movimentos Dadaísmo e SurrealismoMovimentos Dadaísmo e Surrealismo
Movimentos Dadaísmo e Surrealismo
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
Movimento Cubismo
Movimento CubismoMovimento Cubismo
Movimento Cubismo
 
Movimento Fauvismo
Movimento FauvismoMovimento Fauvismo
Movimento Fauvismo
 

Último

Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 

Último (20)

Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 

História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna

  • 1. HISTÓRIA DA ARTEPROFESSORA ANDREA DRESSLER RESUMO ISMOS – MOVIMENTOS DA ARTE MODERNA
  • 2. Vimos que o primeiro movimento artístico do período da arte moderna foi o Impressionismo Influenciados pelo advento da fotografia, procuraram captar a impressão da luz nas cores dos objetos Com o tempo esse tipo de pintura foi perdendo o brilho e, um pouco antes da Primeira Guerra Mundial eclodir, em 1914, o artista moderno sente a necessidade de produzir uma arte mais substancial, com maior peso e relevância São os chamados Movimentos de Vanguarda, que vamos conhecer agora, ou Ismos (de Modernismo) CONTEXTO HISTÓRICO
  • 3. Durante a realização do Salão de Outono em Paris, em 1905, alguns jovens pintores foram chamados pelo crítico Louis Vauxcelles de fauves (do francês “feras”). Assim, ficaram conhecidos como fauvistas. FAUVISMO - 1905
  • 4. O artista fauvista age por instinto (como uma fera) não permitindo que o lado racional interfira na pintura. Por isso, a principal característica desse grupo é a simplificação das formas e o emprego das cores puras. Essas características podem ser vistas em “A Dança”, de Henri Matisse
  • 5. Os artistas cubistas passaram a representar os objetos com todas as suas partes num mesmo plano. É como se estivessem abertos e apresentassem todos os lados no plano frontal em relação ao espectador. Existem dois tipos de Cubismo: Analítico e Sintético CUBISMO - 1907
  • 6. CUBISMO ANALÍTICO Pablo Picasso é considerado o pai do Cubismo. Em “Guernica” ele retrata a Guerra Civil Espanhola em que morreram vários civis da cidade de Guernica. Ele fragmentou as formas dos seres e colocou tudo em plano frontal (observe as figuras em perfil com os dois olhos de frente). Além disso usou poucas cores. Essas são as características do Cubismo Analítico.
  • 7. CUBISMO SINTÉTICO já em “A Guitarra”, Picasso introduziu alterações ao nível da utilização de novos materiais, incorporando-os na obra ao misturar tinta com materiais exteriores. A partir deste método os quadros passam então a integrar objetos comuns, pelo método da colagem, como o papel, cartão, tecido, madeira, corda, entre outros objetos do dia a dia. Essas são as características do Cubismo Sintético.
  • 8. Uma tela abstrata não representa a realidade que nos cerca, nem narra com imagens uma cena histórica, literária, religiosa ou mitológica. A principal característica do movimento abstracionismo é ausência de relação imediata entre as formas e as cores representadas e as formas e as cores reais de um ser. Nesse sentido, a pintura abstrata pode ser classificada em: INFORMAL (ou lírica) e GEOMÉTRICA ABSTRACIONISMO - 1910
  • 9. INFORMAL Kandinsky é o principal representante desse estilo abstrato onde as formas e as cores são criadas livremente
  • 10. GEOMÉTRICO Já na obra de Piet Mondrian as formas e as cores são organizadas de maneira que a composição resultante é apenas a expressão de uma concepção geométrica.
  • 11. No período da história da arte moderna, um grupo de artistas procurou expressar as emoções humanas e interpretar as angústias que caracterizam psicologicamente o homem do início do século XX. É o que chamamos de subjetivismo na arte. Esse grupo foi identificado como os Expressionistas. EXPRESSIONISMO - 1920
  • 12. A pintura “O Grito”, de Edvard Munch, retrata justamanete esse estado de angústia interna que tanto o afligia, como ele mesmo descreveu: “Passeava com dois amigos ao pôr- do-sol – o céu ficou de súbito vermelho-sangue – eu parei, exausto, e inclinei-me sobre a mureta– havia sangue e línguas de fogo sobre o azul escuro do fjord e sobre a cidade – os meus amigos continuaram, mas eu fiquei ali a tremer de ansiedade – e senti o grito infinito da Natureza.”
  • 13. O surrealismo foi um movimento da literatura e das artes plásticas que começou na França, em 1924, sob a liderança do escritor André Breton. Influenciados pelo estudos do subconsciente, do psicanalista Sigmund Freud, a arte surrealista não resulta de pensamentos racionais e lógicos do artista; ela é, isto sim, resultado de pensamentos absurdos e ilógicos, como as imagens dos sonhos. SURREALISMO - 1924
  • 14. O principal artista surrealista foi o espanhol Salvador Dali. Ele mesmo admitiu que sua obra era uma loucura: “Como posso querer que meus amigos entendam as coisas loucas que passam pela minha cabeça, se eu mesmo, não entendo?”
  • 15. Alguns artistas brasileiros tiveram contatos com os Movimentos de Vanguarda Europeus, os Ismos Na busca por novos caminhos esses artistas idealizaram a Semana de Arte Moderna, realizada em fevereiro de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo (também chamada apenas de Semana de 22) No evento foram apresentados concertos e conferências, além de exposições de artistas plásticos. (CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO FEITO POR DI CAVALCANTI) MODERNISMO NO BRASIL
  • 16. INFLUÊNCIA EUROPEIA NA ARTE BRASILEIRA SURREALISMOEXPRESSIONISMO CUBISMO Anita Malfatti Ismael Nery Vicente do Rêgo Monteiro
  • 17. Em 1928, Tarsila do Amaral, juntamente com seu marido, o escritor Oswald de Andrade, deu início a uma nova fase: a Antropofágica (aquele que come) A teoria antropofágica propunha que o artista deveria “deglutir” a arte europeia e , a partir dela, produzir uma arte genuinamente brasileira. Movimento Antropofágico
  • 18. “Abaporu” é o melhor exemplo desse antropofagismo: Tarsila consegue aplicar várias características de diferentes movimentos europeus: formas expressionistas, um tanto surrealistas, um pouco de abstracionismo e até fauvismo. Porém são apenas traços desses movimentos. O que ela quis mesmo foi retratar o homem trabalhador brasileiro (indicados pelas mãos e pés enormes e cabeça pequena), as cores da bandeira do Brasil, assim como o clima e a vegetação típica brasileira. Abaporu é uma palavra de origem tupi e significa “homem que come”. Mais uma alusão às nossas raízes culturais.