SlideShare uma empresa Scribd logo
Disciplina: História
Prof. Rosário Cruz
Arte românica é o nome dado ao estilo artístico
actual na Europa entre os séculos XI e XIII. O estilo
é visto principalmente nas igrejas católicas
construídas após a expansão do cristianismo pela
Europa e foi o primeiro depois da queda do Império
Romano a apresentar características comuns em
várias regiões.
Sé de
Coimbra
O românico
A arte hoje dita românica foi redescoberta, visto que
por um longo tempo foi desprezada, escondida
debaixo de reformas e outros estilos, ou mesmo
ignorada e destruída.
Igreja em
Vila Nova
de
Famalicão
Características
As igrejas serão as maiores até então, e para que isso seja possível
haverá uma evolução dos métodos construtivos e dos materiais. A
pedra será utilizada na construção e o telhado de madeira será trocado
por abóbadas de berço e de aresta, mais condizentes com uma igreja
que representa a fortaleza de Deus.
Igreja em
Tarouquela
As igrejas de peregrinação foram muito características
desse período. Elas ficavam no caminho para os locais
sagrados, como Santiago de Compostela, Roma e
Jerusalém, e serviam de apoio e pouso para os
peregrinos. Essas igrejas seguiam a planta em forma de
cruz latina, com várias nave , geralmente 1 ou 3, em que
as naves laterais se prolongavam e passavam por detrás
da abside, formando o deambulatório. Do deambulatório
saiam as capelas radiantes, ou absidíolas. Esse conjunto
era característico das igrejas de peregrinação e ficou
conhecido como cabeceira de peregrinação.
Igreja St. Nectaire (França)
A A
B
C
C
D DE
FG G
H
Planta de uma
Igreja Românica
(seguindo o exemplo do livro)
Legenda:
A- Torre da Fachada
B- Nave Transversal
C- Naves Laterais
D- Nave Transversal
E- Torre Lanterna
F- Capela-Mor
G- Deambulatório (corredor
situado por detrás da capela-mor)
H- Capelas Radiantes (capelas
onde eram expostas imagens e
relíquias)
Igreja de Sainte-Madeleine
(Vézelay, França)
Portal da igreja de Saint- Lazare
(Autun, França)
Capitel da Igreja de St.
Andoche
Os mosteiros
Os mosteiros foram importantes para o estabelecimento
da arquitectura românica, principalmente os das ordens
de Cluny e Cister. Desse conjunto característico, a
dependência a se destacar é o claustro, por vincular o
mosteiro ao templo e por ser a dependência mais bem
cuidada do ponto de vista artístico. Geralmente possuem
quatro lados, com tendência a formar quadrados
perfeitos, e quatro corredores resultantes em pórticos
abertos com arcadas sustentadas por colunas.
Mosteiro do Pombeiro
(Norte)
Para Finalizar…
 A maioria das obras da arte românica, em
Portugal, encontram-se principalmente
concentradas no Norte.
Arte Românica
Arte Românica
Arte Românica
Arte Românica
Arte Românica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
Ana Barreiros
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
Carla Camuso
 
Idade Média: Gótico
Idade Média: GóticoIdade Média: Gótico
Idade Média: Gótico
João Lima
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
Ana Barreiros
 
Arquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaArquitetura renascentista
Arquitetura renascentista
Ana Barreiros
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
torga
 
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte RomânicaCultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Carlos Vieira
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
Ana Barreiros
 
Módulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaMódulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura Gótica
Carla Freitas
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romana
Carla Freitas
 
Romanico em portugal
Romanico em portugalRomanico em portugal
Romanico em portugal
cattonia
 
Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barroca
Carla Freitas
 
Manuelino
ManuelinoManuelino
Manuelino
TathianaBarbosa
 
Arquitetura no Renascimento
Arquitetura no RenascimentoArquitetura no Renascimento
Arquitetura no Renascimento
João Coutinho
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
Ana Barreiros
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Andrea Dressler
 
Arte islamica
Arte islamicaArte islamica
Arte islamica
Ana Barreiros
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
Ana Barreiros
 
Arquitetura Romana
Arquitetura RomanaArquitetura Romana
Arquitetura Romana
Duarte Súcia
 
A cultura do senado
A cultura do senadoA cultura do senado
A cultura do senado
Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
 
Idade Média: Gótico
Idade Média: GóticoIdade Média: Gótico
Idade Média: Gótico
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
 
Arquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaArquitetura renascentista
Arquitetura renascentista
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
 
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte RomânicaCultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
Módulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaMódulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura Gótica
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romana
 
Romanico em portugal
Romanico em portugalRomanico em portugal
Romanico em portugal
 
Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barroca
 
Manuelino
ManuelinoManuelino
Manuelino
 
Arquitetura no Renascimento
Arquitetura no RenascimentoArquitetura no Renascimento
Arquitetura no Renascimento
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Arte islamica
Arte islamicaArte islamica
Arte islamica
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
 
Arquitetura Romana
Arquitetura RomanaArquitetura Romana
Arquitetura Romana
 
A cultura do senado
A cultura do senadoA cultura do senado
A cultura do senado
 

Semelhante a Arte Românica

Arte romanica
Arte romanicaArte romanica
Arte romanica
10B
 
Arte românica
Arte românica Arte românica
Arte românica
10B
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Angela Santos
 
Romanico final 2
Romanico final 2Romanico final 2
Romanico final 2
Eduardo Sousa
 
A arte românica (1)
A arte românica (1)A arte românica (1)
A arte românica (1)
giordanireis
 
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ ManuelinoHistória de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
Cristiana Marques
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Andrea Dressler
 
A arquitectura romnica
A arquitectura romnicaA arquitectura romnica
A arquitectura romnica
gueste0bd5a
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
7o. ano- - Arte Românica
7o. ano-  - Arte Românica7o. ano-  - Arte Românica
7o. ano- - Arte Românica
ArtesElisa
 
artegotica
artegoticaartegotica
Arquiteuta românica
Arquiteuta românicaArquiteuta românica
Arquiteuta românica
Ana Schebuk
 
Arte romanica
Arte romanicaArte romanica
Arte romanica
Bruna Tiago
 
ARTE GÓTICA
ARTE GÓTICAARTE GÓTICA
ARTE GÓTICA
LucimeireMellodosRei
 
RomâNico
RomâNicoRomâNico
RomâNico
Hist8
 
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquiteturaCultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Vítor Santos
 
Paco de sousa. mosteiro. pp 250 279
Paco de sousa. mosteiro. pp 250 279Paco de sousa. mosteiro. pp 250 279
Paco de sousa. mosteiro. pp 250 279
Catarina_marques
 
Glossário - A Cultura do Mosteiro
Glossário - A Cultura do MosteiroGlossário - A Cultura do Mosteiro
Glossário - A Cultura do Mosteiro
João Almeida
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 

Semelhante a Arte Românica (20)

Arte romanica
Arte romanicaArte romanica
Arte romanica
 
Arte românica
Arte românica Arte românica
Arte românica
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Romanico final 2
Romanico final 2Romanico final 2
Romanico final 2
 
A arte românica (1)
A arte românica (1)A arte românica (1)
A arte românica (1)
 
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ ManuelinoHistória de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
A arquitectura romnica
A arquitectura romnicaA arquitectura romnica
A arquitectura romnica
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
7o. ano- - Arte Românica
7o. ano-  - Arte Românica7o. ano-  - Arte Românica
7o. ano- - Arte Românica
 
artegotica
artegoticaartegotica
artegotica
 
Arquiteuta românica
Arquiteuta românicaArquiteuta românica
Arquiteuta românica
 
Arte romanica
Arte romanicaArte romanica
Arte romanica
 
ARTE GÓTICA
ARTE GÓTICAARTE GÓTICA
ARTE GÓTICA
 
RomâNico
RomâNicoRomâNico
RomâNico
 
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquiteturaCultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
 
Paco de sousa. mosteiro. pp 250 279
Paco de sousa. mosteiro. pp 250 279Paco de sousa. mosteiro. pp 250 279
Paco de sousa. mosteiro. pp 250 279
 
Glossário - A Cultura do Mosteiro
Glossário - A Cultura do MosteiroGlossário - A Cultura do Mosteiro
Glossário - A Cultura do Mosteiro
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 

Mais de Iga Almeida

Human Trafficking
Human TraffickingHuman Trafficking
Human Trafficking
Iga Almeida
 
Porta Leste do Batistério de Florença - Ghiberti
Porta Leste do Batistério de Florença - GhibertiPorta Leste do Batistério de Florença - Ghiberti
Porta Leste do Batistério de Florença - Ghiberti
Iga Almeida
 
As Gerações n'Os Maias
As Gerações n'Os MaiasAs Gerações n'Os Maias
As Gerações n'Os Maias
Iga Almeida
 
Petit Trianon
Petit TrianonPetit Trianon
Petit Trianon
Iga Almeida
 
Igreja do Convento do Carmo
Igreja do Convento do CarmoIgreja do Convento do Carmo
Igreja do Convento do Carmo
Iga Almeida
 
Metro das Olaias
Metro das OlaiasMetro das Olaias
Metro das Olaias
Iga Almeida
 
Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"
Iga Almeida
 
Lies
LiesLies
René Descartes
René DescartesRené Descartes
René Descartes
Iga Almeida
 
Cinema Mudo: "Madame Du Barry" (1919)
Cinema Mudo: "Madame Du Barry" (1919)Cinema Mudo: "Madame Du Barry" (1919)
Cinema Mudo: "Madame Du Barry" (1919)
Iga Almeida
 
"Estou cansado, é claro," Álvaro de Campos
"Estou cansado, é claro," Álvaro de Campos"Estou cansado, é claro," Álvaro de Campos
"Estou cansado, é claro," Álvaro de Campos
Iga Almeida
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
Iga Almeida
 
Casa-Estúdio Carlos Relvas
Casa-Estúdio Carlos RelvasCasa-Estúdio Carlos Relvas
Casa-Estúdio Carlos Relvas
Iga Almeida
 
Fotojornalismo
FotojornalismoFotojornalismo
Fotojornalismo
Iga Almeida
 
As Estruturas Visuais
As Estruturas Visuais As Estruturas Visuais
As Estruturas Visuais
Iga Almeida
 
Linguagem audiovisual: Escala de Planos
Linguagem audiovisual: Escala de PlanosLinguagem audiovisual: Escala de Planos
Linguagem audiovisual: Escala de Planos
Iga Almeida
 
Emily Dickinson
Emily DickinsonEmily Dickinson
Emily Dickinson
Iga Almeida
 
Energias Renováveis e Não Renováveis
Energias Renováveis e Não RenováveisEnergias Renováveis e Não Renováveis
Energias Renováveis e Não Renováveis
Iga Almeida
 
A valorização do mar português
A valorização do mar portuguêsA valorização do mar português
A valorização do mar português
Iga Almeida
 
Radiação Solar
Radiação SolarRadiação Solar
Radiação Solar
Iga Almeida
 

Mais de Iga Almeida (20)

Human Trafficking
Human TraffickingHuman Trafficking
Human Trafficking
 
Porta Leste do Batistério de Florença - Ghiberti
Porta Leste do Batistério de Florença - GhibertiPorta Leste do Batistério de Florença - Ghiberti
Porta Leste do Batistério de Florença - Ghiberti
 
As Gerações n'Os Maias
As Gerações n'Os MaiasAs Gerações n'Os Maias
As Gerações n'Os Maias
 
Petit Trianon
Petit TrianonPetit Trianon
Petit Trianon
 
Igreja do Convento do Carmo
Igreja do Convento do CarmoIgreja do Convento do Carmo
Igreja do Convento do Carmo
 
Metro das Olaias
Metro das OlaiasMetro das Olaias
Metro das Olaias
 
Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"
 
Lies
LiesLies
Lies
 
René Descartes
René DescartesRené Descartes
René Descartes
 
Cinema Mudo: "Madame Du Barry" (1919)
Cinema Mudo: "Madame Du Barry" (1919)Cinema Mudo: "Madame Du Barry" (1919)
Cinema Mudo: "Madame Du Barry" (1919)
 
"Estou cansado, é claro," Álvaro de Campos
"Estou cansado, é claro," Álvaro de Campos"Estou cansado, é claro," Álvaro de Campos
"Estou cansado, é claro," Álvaro de Campos
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
 
Casa-Estúdio Carlos Relvas
Casa-Estúdio Carlos RelvasCasa-Estúdio Carlos Relvas
Casa-Estúdio Carlos Relvas
 
Fotojornalismo
FotojornalismoFotojornalismo
Fotojornalismo
 
As Estruturas Visuais
As Estruturas Visuais As Estruturas Visuais
As Estruturas Visuais
 
Linguagem audiovisual: Escala de Planos
Linguagem audiovisual: Escala de PlanosLinguagem audiovisual: Escala de Planos
Linguagem audiovisual: Escala de Planos
 
Emily Dickinson
Emily DickinsonEmily Dickinson
Emily Dickinson
 
Energias Renováveis e Não Renováveis
Energias Renováveis e Não RenováveisEnergias Renováveis e Não Renováveis
Energias Renováveis e Não Renováveis
 
A valorização do mar português
A valorização do mar portuguêsA valorização do mar português
A valorização do mar português
 
Radiação Solar
Radiação SolarRadiação Solar
Radiação Solar
 

Último

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 

Último (20)

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 

Arte Românica

  • 2. Arte românica é o nome dado ao estilo artístico actual na Europa entre os séculos XI e XIII. O estilo é visto principalmente nas igrejas católicas construídas após a expansão do cristianismo pela Europa e foi o primeiro depois da queda do Império Romano a apresentar características comuns em várias regiões. Sé de Coimbra
  • 3. O românico A arte hoje dita românica foi redescoberta, visto que por um longo tempo foi desprezada, escondida debaixo de reformas e outros estilos, ou mesmo ignorada e destruída. Igreja em Vila Nova de Famalicão
  • 4. Características As igrejas serão as maiores até então, e para que isso seja possível haverá uma evolução dos métodos construtivos e dos materiais. A pedra será utilizada na construção e o telhado de madeira será trocado por abóbadas de berço e de aresta, mais condizentes com uma igreja que representa a fortaleza de Deus. Igreja em Tarouquela
  • 5. As igrejas de peregrinação foram muito características desse período. Elas ficavam no caminho para os locais sagrados, como Santiago de Compostela, Roma e Jerusalém, e serviam de apoio e pouso para os peregrinos. Essas igrejas seguiam a planta em forma de cruz latina, com várias nave , geralmente 1 ou 3, em que as naves laterais se prolongavam e passavam por detrás da abside, formando o deambulatório. Do deambulatório saiam as capelas radiantes, ou absidíolas. Esse conjunto era característico das igrejas de peregrinação e ficou conhecido como cabeceira de peregrinação. Igreja St. Nectaire (França)
  • 6. A A B C C D DE FG G H Planta de uma Igreja Românica (seguindo o exemplo do livro) Legenda: A- Torre da Fachada B- Nave Transversal C- Naves Laterais D- Nave Transversal E- Torre Lanterna F- Capela-Mor G- Deambulatório (corredor situado por detrás da capela-mor) H- Capelas Radiantes (capelas onde eram expostas imagens e relíquias)
  • 8. Portal da igreja de Saint- Lazare (Autun, França)
  • 9. Capitel da Igreja de St. Andoche
  • 10. Os mosteiros Os mosteiros foram importantes para o estabelecimento da arquitectura românica, principalmente os das ordens de Cluny e Cister. Desse conjunto característico, a dependência a se destacar é o claustro, por vincular o mosteiro ao templo e por ser a dependência mais bem cuidada do ponto de vista artístico. Geralmente possuem quatro lados, com tendência a formar quadrados perfeitos, e quatro corredores resultantes em pórticos abertos com arcadas sustentadas por colunas.
  • 12. Para Finalizar…  A maioria das obras da arte românica, em Portugal, encontram-se principalmente concentradas no Norte.