OS LUSÍADASLUÍS DE CAMÕESTempestadee Chegada à ÍndiaPpt de apoio a apresentaçãooralP.P.L.C. C.J. P. M.M. B.
MENUEstrutura Externae InternaNarrador eNarratário Tempo e EspaçoInformaçãoHistóricaCaracterizaçõesdas PersonagensRecursos...
ESTRUTURA EXTERNA Canto VI. Estrofes 70 a 92. Esquema rimático: a,b,a,b,a,b,c,c. Rima: cruzada nos 6 primeiros versos ...
ESTRUTURA INTERNA Episódio: Tempestade e chegada à Índia. Parte: Narração. Plano: do Maravilhoso (VI,88-90) e da Viagem...
INFORMAÇÃO HISTÓRICA –VASCO DA GAMA Nasceu em Sines (1469-1524), D. Manuel I confiou-lhe o comando da frota que em 8 deJ...
DIVISÃO DE MOMENTOS –DESCRIÇÃO DA TEMPESTADE Este momento começa naestrofe 70 e desenvolve-se atéa estrofe 79. O mestre ...
DIVISÃO DE MOMENTOS –SÚPLICA DE VASCO DA GAMA Este momento começa na estrofe 80 edesenvolve-se até a estrofe 83. Nestemom...
DIVISÃO DE MOMENTOS –CONTINUAÇÃO DA DESCRIÇÃO DATEMPESTADE Este momento temapenas uma estrofe,respectivamente aestrofe 84...
DIVISÃO DE MOMENTOS –INTERVENÇÃO DE VÉNUS E NINFAS Este momento inicia-se naestrofe 85 e desenvolve-seaté à estrofe 91. V...
DIVISÃO DE MOMENTOS – CHEGADA ÀÍNDIA Este momento desenrola-se daestrofe 92 ate à 93. Nestemomento, os navegadoresportugu...
INFORMAÇÃO HISTÓRICA - NINFAS As Ninfas são divindadesfemininas secundárias.Estavam ligadas à natureza eà terra e suas vi...
NARRADOR E NARRATÁRIO Narrador: não participante;subjetivo e omnisciente Narratário: leitor Isto porque Vasco da Gamajá...
CARACTERIZAÇÃO DE PERSONAGENSPersonagem CaracterizaçãoVasco da Gama (o mestre) Ao aperceber-se da aproximação datempestade...
CONTINUAÇÃO DA CARACTERIZAÇÃO DASPERSONAGENSPersonagem CaracterizaçãoAs Ninfas Vénus pediu-lhes que se enfeitassempara sed...
ESPAÇO E TEMPO Espaço: Oceano Índico, ao largo da costa da Índia. Tempo: À noite (a tempestade) Chegada à Índia: na m...
RECURSOS EXPRESSIVOSRecursos ExpressivosEnumeração: “Noto, Austro, Bóreas, Áquilo queriam” estrofe 76Dupla adjectivação: “...
CONTINUAÇÃO DE RECURSOSEXPRESSIVOSRecursos ExpressivosDupla adjectivação: “chama aquele remedio santo e forte” estrofe 80T...
INFORMAÇÃO HISTÓRICA - VÉNUS Filha do Céu e da Terra. É a Deusa do Amor e da beleza. Após onascimento foi levada pelas Ho...
CONCLUSÃO Depois de saírem de Melinde e já tão perto da Índia, os marinheiros sãosurpreendidos por uma tempestade muito v...
ACTIVIDADEIndica que afirmações são verdadeiras ou falsas. Este episódio faz parte do plano da História dePortugal. Baco...
CONTINUAÇÃO DE ACTIVIDADE Este episódio aconteceu no ano 1498. Vénus pede às ninfas para que se enfeitem para seduzir os...
BIBLIOGRAFIA Venus.jpg (400×307) 4.bp.blogspot.com Afrodite+%E2%80%93+deusa+do+amor.jpg (400×589) 4.bp.blogspot.com v...
FIM! 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tempestade e Chegada à Índia

48.008 visualizações

Publicada em

3 comentários
20 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
48.008
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
124
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
643
Comentários
3
Gostaram
20
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tempestade e Chegada à Índia

  1. 1. OS LUSÍADASLUÍS DE CAMÕESTempestadee Chegada à ÍndiaPpt de apoio a apresentaçãooralP.P.L.C. C.J. P. M.M. B.
  2. 2. MENUEstrutura Externae InternaNarrador eNarratário Tempo e EspaçoInformaçãoHistóricaCaracterizaçõesdas PersonagensRecursosExpressivos eFiguras de EstiloDivisão deMomentosActividadeConclusãoBibliografia
  3. 3. ESTRUTURA EXTERNA Canto VI. Estrofes 70 a 92. Esquema rimático: a,b,a,b,a,b,c,c. Rima: cruzada nos 6 primeiros versos e emparelhada no 7º e 8º versos. “Os ventos eram tais, que não puderam AMostrar mais força de ímpeto cruel, BSe pera derribar então vieram AA fortíssima torre de Babel. BNos altíssimos mares, que creceram, AA pequena grandura d’hum batel BMostra a possante nau, que move espanto CVendo que se sustém nas ondas tanto.” C Estrofes são oitavas, Versos decassilábios. Os/ ven/tos/ eram/ tais,/ que/ não /pu/de/ram Mos/trar/ mais/ for/ça/ de ím/pe/to/ cru/el,
  4. 4. ESTRUTURA INTERNA Episódio: Tempestade e chegada à Índia. Parte: Narração. Plano: do Maravilhoso (VI,88-90) e da Viagemde Vasco da Gama (VI,70-92). Categoria do episódio: naturalista.
  5. 5. INFORMAÇÃO HISTÓRICA –VASCO DA GAMA Nasceu em Sines (1469-1524), D. Manuel I confiou-lhe o comando da frota que em 8 deJulho de 1497 largou do Tejo rumo à Índia, e que secompunha de quatro pequenos navios: S. Gabriel, S.Rafael, Bérrio e S. Miguel 2 de Março de 1498, aporta em Moçambique, depois dehaver sofrido muitos temporais e de ter impedido umarevolta a bordo. O piloto que o sultão de Moçambique lhe deu para oconduzir à Índia, foi secretamente incumbido de entregar osnavios portugueses aos Mouros em Mombaça. Um acaso fez descobrir a cilada e Vasco da Gama pôdecontinuar até Melinde, cujo rei lhe deu um pilotoárabe, conhecedor do Índico. Em 17 de Abril de 1498, avistava Calecut. Estava descobertoo caminho marítimo para a Índia. D. Manuel recompensou este glorioso feito, nomeandoVasco da Gama almirante-mor das Índias e fazendo-lhedoação de trezentos mil réis de renda. Voltou mais duas vezes à Índia, de que foi governador esegundo vice-rei.
  6. 6. DIVISÃO DE MOMENTOS –DESCRIÇÃO DA TEMPESTADE Este momento começa naestrofe 70 e desenvolve-se atéa estrofe 79. O mestre dá instruções àtripulação. Descrição hiperbolizada daviolência da tempestade e suaconsequências nas naus, nomar, nos animais marinhos eem terra.
  7. 7. DIVISÃO DE MOMENTOS –SÚPLICA DE VASCO DA GAMA Este momento começa na estrofe 80 edesenvolve-se até a estrofe 83. Nestemomento, Vasco da Gama está a pedirajuda a Deus – à Divina Providência. Argumentos: Deus ajudou outros com S.Paulo e Noé a superar tempestades; oserviço desta armada é em Seu nome econclui que mais valia morrer no Nortede África a combater os Mouros.
  8. 8. DIVISÃO DE MOMENTOS –CONTINUAÇÃO DA DESCRIÇÃO DATEMPESTADE Este momento temapenas uma estrofe,respectivamente aestrofe 84. Reforça-sea violência datempestade e suasconsequências noambiente circundante.
  9. 9. DIVISÃO DE MOMENTOS –INTERVENÇÃO DE VÉNUS E NINFAS Este momento inicia-se naestrofe 85 e desenvolve-seaté à estrofe 91. Vénusintervém com o objectivode ajudar os portugueses epara tal pede ajuda àsninfas para que as mesmasseduzam os ventos. Asninfas conseguem acalmaros ventos e a tempestadeamaina.
  10. 10. DIVISÃO DE MOMENTOS – CHEGADA ÀÍNDIA Este momento desenrola-se daestrofe 92 ate à 93. Nestemomento, os navegadoresportugueses chegam, finalmente,à Índia. O piloto melindanoconfirma ser a terra de Calecu eGama agradece a Deus.
  11. 11. INFORMAÇÃO HISTÓRICA - NINFAS As Ninfas são divindadesfemininas secundárias.Estavam ligadas à natureza eà terra e suas vidas duravamtanto quanto o ambiente aque estavam ligadas. Nãoeram consideradas imortais,mas permaneciam jovens,belas e graciosas e eramrepresentadas com vestidosleves e quase transparentes, ecom cabelos compridos esoltos ou entrançados.
  12. 12. NARRADOR E NARRATÁRIO Narrador: não participante;subjetivo e omnisciente Narratário: leitor Isto porque Vasco da Gamajá saiu de Melinde.
  13. 13. CARACTERIZAÇÃO DE PERSONAGENSPersonagem CaracterizaçãoVasco da Gama (o mestre) Ao aperceber-se da aproximação datempestade acorda os marinheiros,começando a dar as ordens necessárias.Perante o perigo em que se encontravam fazuma súplica a Deus para que os salve daquelepesadelo. Quando, pela manhã, após atempestade ter amainado, avistam a Índia,Vasco da Gama a Deus a “mercê grande”.Os Marinheiros Rezando, estes, atarefados, cumpremas ordens e, à medida que a tempestadese abate sobre as naus, ficamaterrorizados.Os Ventos Mandados por Baco sopravam com“uma força de ímpeto cruel”.Paulo da Gama Irmão de Vasco da Gama, comandantede outra nau, assistia à destruição dasoutras naus provocada pela tempestade.
  14. 14. CONTINUAÇÃO DA CARACTERIZAÇÃO DASPERSONAGENSPersonagem CaracterizaçãoAs Ninfas Vénus pediu-lhes que se enfeitassempara seduzirem os ventos furiosos demodo a que a tempestade acalmasse.Baco (só é referido por Vénus) Sempre invejoso da fama dosportugueses preparou-lhes esta cilada.Vénus Atenta e amante dos portugueses,prepara um plano para fazer com que osportugueses consigam chegar à Índia.
  15. 15. ESPAÇO E TEMPO Espaço: Oceano Índico, ao largo da costa da Índia. Tempo: À noite (a tempestade) Chegada à Índia: na manhã 9 de maio de 1498.
  16. 16. RECURSOS EXPRESSIVOSRecursos ExpressivosEnumeração: “Noto, Austro, Bóreas, Áquilo queriam” estrofe 76Dupla adjectivação: “três marinheiros, duros e forçosos” estrofe 73e “A noite negra e feia” estrofe 76Anáfora, Modo Imperativo: “Amaina, (disse o mestre a grandes brados) / Amaina(disse), amaina a grande vela!” estrofe 71Hipérbole: “Os ventos eram tais, que não puderam/Mostrar mais força de ímpetocruel,/Se pera derribar então vieram/a fortíssima torre de Babel.” estrofe 74 “Que omundo pareceu ser destruído.” estrofe 71Anáfora, Modo Imperativo: “Alija, disse o mestre rijamente,/alija tudo ao mar, nãofalte acordo!” estrofe 72Antítese “a pequena grandura d’ hum batel” estrofe 74Hipérbole: “Quantos montes, então que derribaram/as ondas que batiamdenodadas” estrofe 79
  17. 17. CONTINUAÇÃO DE RECURSOSEXPRESSIVOSRecursos ExpressivosDupla adjectivação: “chama aquele remedio santo e forte” estrofe 80Tripla adjectivação e apóstrofe: “divina guarda, angélica, celeste”Anáfora: “de quem feitos ilustres se souberam/ de quem ficam memóriassoberanas/ de quem se ganha a vida, com perdê-la” estrofe 83Comparação: “assi dizendo, os ventos que lutavam como touros indómitosbramando” estrofe 84Estrofe 85: perífrase para VénusComparação: “Mostrando-lhe as amada ninfas belas/que mais formosas vinhamque as estrelas” estrofe 87Sinédoque para Índia: “terra é de Calecu, se não me engano” estrofe 92
  18. 18. INFORMAÇÃO HISTÓRICA - VÉNUS Filha do Céu e da Terra. É a Deusa do Amor e da beleza. Após onascimento foi levada pelas Honras ao Céu, onde os deusesficaram extasiados de tanta formosura. Vulcano recebeu-a poresposa, como prémio de haver fabricado os raios de que Júpiternecessitou, quando os Gigantes quiseram expulsá-lo do Céu. A deusa, porém, incapaz de sofrer a fealdade do marido,procurou a companhia dos outros deuses, entre os quais Marte,de quem teve Cúpido. Amou também Adónis e Anquises doqual nasceu Eneias.
  19. 19. CONCLUSÃO Depois de saírem de Melinde e já tão perto da Índia, os marinheiros sãosurpreendidos por uma tempestade muito violenta. Trata-se de um episódio naturalista em que se faz uma descrição muitohiperbolizada dessa tempestade que parecia querer destruir “a máquina doMundo”. Desesperado, o Mestre, Vasco da Gama dirige-se à “Divina Guarda” pedindoclemência e apresentando argumentos, nomeadamente, que aquela é umaviagem ao serviço de Deus: “Se este nosso trabalho não Te ofende,/ Mas antesTeu serviço só pretende?” (est. 82, vv.7 e 8). Vénus, protectora dos portugueses, apercebendo-se que são “obras de Baco”vai intervir mandando as Ninfas enfeitarem-se com coroas de flores e irem aoencontro dos ventos que, perante a sua beleza, logo desfalecem e se deixamseduzir: “À vista delas, logo lhe falecem/ As forças com que dantes pelejaram”(est. 88, vv.1 a 3). Pela manhã, avistam a Índia e Vasco da Gama agradece a Deus.
  20. 20. ACTIVIDADEIndica que afirmações são verdadeiras ou falsas. Este episódio faz parte do plano da História dePortugal. Baco arrependeu-se do que fez aos portugueses edecidiu pedir aos ventos para acalmarem. Vénus pensou logo que tinha sido um esquema de Bacopara que os portugueses não conseguissem chegar àÍndia. Vasco da Gama pediu ajuda a Vénus para que acalma-sea tempestade.
  21. 21. CONTINUAÇÃO DE ACTIVIDADE Este episódio aconteceu no ano 1498. Vénus pede às ninfas para que se enfeitem para seduzir osventos. Pela tarde, avistam a Índia e Vasco da Gama agradece a Deus.Que recurso expressivo é esta citação? ““Quantos montes, então que derribaram/as ondasque batiam denodadas” ” Hiperbole Personificação Sinedoque
  22. 22. BIBLIOGRAFIA Venus.jpg (400×307) 4.bp.blogspot.com Afrodite+%E2%80%93+deusa+do+amor.jpg (400×589) 4.bp.blogspot.com venus deusa - Pesquisa do Google Os Deuses oslusiadas.no.sapo.pt Resultados da pesquisa de http://eleansar.files.wordpress.com/2010/09/ninfa_03.jpgno Google eleansar.files.wordpress.com Resultados da pesquisa de http://ipt.olhares.com/data/big/238/2386439.jpg noGoogle ipt.olhares.com http://www.google.pt/search?ix=sea&sourceid=chrome&ie=UTF-8&q=nonfas Ninfas – Mitologia e Beleza MITOLOGIA ROMANA Ninfas - Mitologia Grega e Romana | Portal EmDiv | Ninfas, E Mitologia Grega: Ninfas http://descobrimentos.no.sapo.pt/vasco_da_gama.htm http://1.bp.blogspot.com/-7-jlHbeJQ48/TvjHlr5MfVI/AAAAAAAACFQ/p-NjBgzutmU/s1600/vasco-da-gama%252520%25289%2529.jpg
  23. 23. FIM! 

×