SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
O Consílio dos Deuses

Língua Portuguesa
9º ano
Professora: Ana Paula Silva
“Já no largo Oceano navegavam”

PLANO DA VIAGEM
“Quando os Deuses no Olimpo luminoso”

PLANO DOS DEUSES
Júpiter convoca o consílio para que os Deuses se pronunciem sobre o
futuro dos homens que levam a cabo um novo empreendimento: chegar
à Índia por mar.
Júpiter reconhece o valor do povo português e pretende premiá-lo
ajudando-o a encontrar um porto seguro onde possam repousar.
Gera-se uma
discussão
Vénus e
Marte,
defensores
dos
Portugueses

Júpiter
decide a
favor dos
Portugueses

Baco, opositor ao
empreendimento
dos Portugueses
“Já no largo Oceano navegavam”
O narrador inicia a sua
narração quando a acção
já está a decorrer.
Este
processo
de
narração designa-se:
“narração in medias res”

No meio dos acontecimentos,
a meio do curso da acção.

PLANO DA VIAGEM
Início da narração in medias res
Planos

Personagens

Espaço

Ação
Planos

Personagens

Espaço

Ação

Plano da viagem

Os Portugueses
(Vasco da Gama e
os seus homens).

O Oceano Índico
(Entre a costa
sudeste africana
e a ilha de
Madagáscar).

Os Portugueses
navegam (“cortava o
mar a gente
belicosa”).

Plano dos Deuses

Os deuses
reunidos em
consílio.

O “Olimpo
luminoso”.

Mercúrio, por ordem
de Júpiter, convoca
os deuses, que
discutem se devem
ou não ajudar os
portugueses a chegar
à Índia (“as cousas
futuras do Oriente”).
“Quando os Deuses no Olimpo luminoso”
Júpiter convoca o
consílio para que os
Deuses se pronunciem
sobre o futuro dos
homens que levam a
cabo um novo
empreendimento: chegar
à Índia por mar.

PLANO DOS DEUSES
Decisão de Júpiter

Júpiter
decidiu
ajudar os Portugueses a
encontrarem um porto
seguro
na
costa
africana, para poderem
descansar e para se
reabastecerem antes de
continuarem viagem.
Razões da decisão de Júpiter
O desígnio
dos fados:
os
Portugueses
tornar-seão mais
famosos do
que os
povos da
Antiguidade

Os
Romanos

O valor
guerreiro dos
Portugueses na
luta contra:

“O Mouro
forte e
guarnecido”

O
Castelhano
tão temido

A coragem e a
ousadia deste
povo que:

“a mais se
atreve”.

Atravessa o
“duvidoso
mar num
lenho leve.

A sua
persistência
apesar :

do tempo
já
percorrido

do
cansaço.

das dificuldades
da viagem
Não teme
a força dos
ventos.
Baco
Posição face à
determinação de
Júpiter

Razões para a
posição
assumida

Vénus

Marte
Baco

Vénus

Marte

Discorda

Concorda

Concorda

O povo português
assemelha-se ao
povo romano pelas
qualidades
guerreiras e pela
língua.
Sabe que os
Portugueses
tornarão a língua
célebre onde quer
que cheguem.

Apoia a posição de
Vénus:
- ou porque o amor
antigo o obrigava;
- ou por achar que
os Portugueses
merecem a sua
proteção.

Posição face à
determinação de
Júpiter

Razões para a
posição
assumida

Receio que, no
Oriente, o
esqueçam se os
portugueses lá
chegarem.
Ea
viagem
continuou

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesDaniel Sousa
 
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorAnálise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorMarisa Ferreira
 
Resumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os LusíadasResumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os LusíadasRaffaella Ergün
 
Síntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesSíntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesEva Antunes
 
Lusíadas - Episódio do Adamastor
Lusíadas - Episódio do AdamastorLusíadas - Episódio do Adamastor
Lusíadas - Episódio do Adamastorcristianavieitas
 
A Morte de Inês de Castro - Os Lusíadas
A Morte de Inês de Castro - Os LusíadasA Morte de Inês de Castro - Os Lusíadas
A Morte de Inês de Castro - Os Lusíadassin3stesia
 
A representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesA representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesCristina Martins
 
Episódio de inês de castro
Episódio de inês de castroEpisódio de inês de castro
Episódio de inês de castroQuezia Neves
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumocolegiomb
 
Análise do canto ix
Análise do canto ixAnálise do canto ix
Análise do canto ixKaryn XP
 
Palavras divergentes e convergentes
Palavras divergentes e convergentesPalavras divergentes e convergentes
Palavras divergentes e convergentesSusana Sobrenome
 
10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte ALurdes Augusto
 

Mais procurados (20)

Dedicatória
DedicatóriaDedicatória
Dedicatória
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Os-lusiadas - resumo
 Os-lusiadas - resumo Os-lusiadas - resumo
Os-lusiadas - resumo
 
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorAnálise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
 
Resumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os LusíadasResumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os Lusíadas
 
Síntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesSíntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deuses
 
Invocação e Dedicarória
Invocação e DedicaróriaInvocação e Dedicarória
Invocação e Dedicarória
 
Lusíadas - Episódio do Adamastor
Lusíadas - Episódio do AdamastorLusíadas - Episódio do Adamastor
Lusíadas - Episódio do Adamastor
 
A tempestade
A tempestadeA tempestade
A tempestade
 
A Morte de Inês de Castro - Os Lusíadas
A Morte de Inês de Castro - Os LusíadasA Morte de Inês de Castro - Os Lusíadas
A Morte de Inês de Castro - Os Lusíadas
 
A representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesA representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de Camões
 
Episódio de inês de castro
Episódio de inês de castroEpisódio de inês de castro
Episódio de inês de castro
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
Análise do canto ix
Análise do canto ixAnálise do canto ix
Análise do canto ix
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
 
Canto v 92_100
Canto v 92_100Canto v 92_100
Canto v 92_100
 
Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1
 
Palavras divergentes e convergentes
Palavras divergentes e convergentesPalavras divergentes e convergentes
Palavras divergentes e convergentes
 
Canto viii 96_99
Canto viii 96_99Canto viii 96_99
Canto viii 96_99
 
10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A
 

Destaque

Consílio dos deuses
Consílio dos deusesConsílio dos deuses
Consílio dos deusesLurdes
 
Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Inês Moreira
 
Proposição
ProposiçãoProposição
ProposiçãoLurdes
 
2011 08-13 - o consílio dos deuses no olimpo
2011 08-13 - o consílio dos deuses no olimpo2011 08-13 - o consílio dos deuses no olimpo
2011 08-13 - o consílio dos deuses no olimpoO Ciclista
 
Ficha informativa - Episódio de Inês de Castro
Ficha informativa - Episódio de Inês de CastroFicha informativa - Episódio de Inês de Castro
Ficha informativa - Episódio de Inês de CastroSusana Sobrenome
 
Diário no PowerPoint
Diário no PowerPointDiário no PowerPoint
Diário no PowerPointeambiental
 
Funcionamento da Língua
Funcionamento da Língua Funcionamento da Língua
Funcionamento da Língua Lurdes Augusto
 

Destaque (11)

Consílio dos deuses
Consílio dos deusesConsílio dos deuses
Consílio dos deuses
 
Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
 
2011 08-13 - o consílio dos deuses no olimpo
2011 08-13 - o consílio dos deuses no olimpo2011 08-13 - o consílio dos deuses no olimpo
2011 08-13 - o consílio dos deuses no olimpo
 
Consílio
ConsílioConsílio
Consílio
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
 
Ficha informativa - Episódio de Inês de Castro
Ficha informativa - Episódio de Inês de CastroFicha informativa - Episódio de Inês de Castro
Ficha informativa - Episódio de Inês de Castro
 
Inês de Castro
Inês de CastroInês de Castro
Inês de Castro
 
Preposição 2
Preposição 2Preposição 2
Preposição 2
 
Diário no PowerPoint
Diário no PowerPointDiário no PowerPoint
Diário no PowerPoint
 
Funcionamento da Língua
Funcionamento da Língua Funcionamento da Língua
Funcionamento da Língua
 

Semelhante a O consílio dos deuses

Consílio dos deuses
Consílio dos deusesConsílio dos deuses
Consílio dos deusespauloprofport
 
A expansão portuguesa
A expansão portuguesaA expansão portuguesa
A expansão portuguesadani12345_
 
A expansao Portuguesa
A expansao PortuguesaA expansao Portuguesa
A expansao Portuguesasandrabranco
 
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02borgia
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesatelmascapelo
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 109-110
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 109-110Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 109-110
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 109-110luisprista
 
Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)olilucia
 
Aula Expansão Marítima
Aula Expansão MarítimaAula Expansão Marítima
Aula Expansão Marítimaseixasmarianas
 
Aula expansão marítima
Aula expansão marítimaAula expansão marítima
Aula expansão marítimaseixasmarianas
 
O renascimento parte 3
O renascimento  parte 3O renascimento  parte 3
O renascimento parte 3Carla Teixeira
 

Semelhante a O consílio dos deuses (12)

Consílio dos deuses
Consílio dos deusesConsílio dos deuses
Consílio dos deuses
 
A expansão portuguesa
A expansão portuguesaA expansão portuguesa
A expansão portuguesa
 
Consílio
ConsílioConsílio
Consílio
 
A expansao Portuguesa
A expansao PortuguesaA expansao Portuguesa
A expansao Portuguesa
 
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 109-110
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 109-110Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 109-110
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 109-110
 
Descobrimento do brasil
Descobrimento do brasilDescobrimento do brasil
Descobrimento do brasil
 
Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)
 
Aula Expansão Marítima
Aula Expansão MarítimaAula Expansão Marítima
Aula Expansão Marítima
 
Aula expansão marítima
Aula expansão marítimaAula expansão marítima
Aula expansão marítima
 
O renascimento parte 3
O renascimento  parte 3O renascimento  parte 3
O renascimento parte 3
 

O consílio dos deuses

  • 1. O Consílio dos Deuses Língua Portuguesa 9º ano Professora: Ana Paula Silva
  • 2. “Já no largo Oceano navegavam” PLANO DA VIAGEM “Quando os Deuses no Olimpo luminoso” PLANO DOS DEUSES Júpiter convoca o consílio para que os Deuses se pronunciem sobre o futuro dos homens que levam a cabo um novo empreendimento: chegar à Índia por mar. Júpiter reconhece o valor do povo português e pretende premiá-lo ajudando-o a encontrar um porto seguro onde possam repousar. Gera-se uma discussão Vénus e Marte, defensores dos Portugueses Júpiter decide a favor dos Portugueses Baco, opositor ao empreendimento dos Portugueses
  • 3. “Já no largo Oceano navegavam” O narrador inicia a sua narração quando a acção já está a decorrer. Este processo de narração designa-se: “narração in medias res” No meio dos acontecimentos, a meio do curso da acção. PLANO DA VIAGEM
  • 4. Início da narração in medias res
  • 6. Planos Personagens Espaço Ação Plano da viagem Os Portugueses (Vasco da Gama e os seus homens). O Oceano Índico (Entre a costa sudeste africana e a ilha de Madagáscar). Os Portugueses navegam (“cortava o mar a gente belicosa”). Plano dos Deuses Os deuses reunidos em consílio. O “Olimpo luminoso”. Mercúrio, por ordem de Júpiter, convoca os deuses, que discutem se devem ou não ajudar os portugueses a chegar à Índia (“as cousas futuras do Oriente”).
  • 7. “Quando os Deuses no Olimpo luminoso” Júpiter convoca o consílio para que os Deuses se pronunciem sobre o futuro dos homens que levam a cabo um novo empreendimento: chegar à Índia por mar. PLANO DOS DEUSES
  • 8. Decisão de Júpiter Júpiter decidiu ajudar os Portugueses a encontrarem um porto seguro na costa africana, para poderem descansar e para se reabastecerem antes de continuarem viagem.
  • 9. Razões da decisão de Júpiter O desígnio dos fados: os Portugueses tornar-seão mais famosos do que os povos da Antiguidade Os Romanos O valor guerreiro dos Portugueses na luta contra: “O Mouro forte e guarnecido” O Castelhano tão temido A coragem e a ousadia deste povo que: “a mais se atreve”. Atravessa o “duvidoso mar num lenho leve. A sua persistência apesar : do tempo já percorrido do cansaço. das dificuldades da viagem Não teme a força dos ventos.
  • 10. Baco Posição face à determinação de Júpiter Razões para a posição assumida Vénus Marte
  • 11. Baco Vénus Marte Discorda Concorda Concorda O povo português assemelha-se ao povo romano pelas qualidades guerreiras e pela língua. Sabe que os Portugueses tornarão a língua célebre onde quer que cheguem. Apoia a posição de Vénus: - ou porque o amor antigo o obrigava; - ou por achar que os Portugueses merecem a sua proteção. Posição face à determinação de Júpiter Razões para a posição assumida Receio que, no Oriente, o esqueçam se os portugueses lá chegarem.
  • 12.