SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Auto da Barca do Inferno Onzeneiro Trabalho realizado por:  Ricardo nº149ºD Roselyne nº159ºD
Vida e obra de Gil Vicente: Não se sabe a data exacta do nascimento de Gil Vicente, mas calcula-se que tenha sido na década de 1460-1470; quanto à sua morte deve ter ocorrido por volta de 1536.  O autor foi casado duas vezes. Do seu primeiro casamento resultaram dois filhos: Gaspar e Belchior. Viúvo, Gil Vicente voltou-se a casar e desta vez teve três filhos: Paula, Luís e Valéria.             Gil Vicente lançou a sua primeira obra em 1502, o Monólogo do Vaqueiro, e a última em 1536. A sua carreira desenrolou-se sob os reinados de D. Manuel  I (1495-1521) e D. João III (1521-1557). O autor fez toda a sua carreira como personagem oficial da corte, servindo a rainha Dona Leonor, D. Manuel  I e D. João  III.   Auto da Barca do Inferno                              Esta  é considerada uma obra-prima incontestável. É também uma “caricatura literária” pois critica bastante cada grupo social.  Cada personagem representa um grupo social, as suas características e os seus principais defeitos e pecados. No fundo, Gil Vicente queria demonstrar à sociedade do que é que é feita de uma maneira relativamente cómica.
Análise da cena do Onzeneiro
Tipos de cómico: Cómico de situação                             ex: “Onze.  Santa Joana de Valdês!             Cá é vossa senhoria? Fidal.   Dá ò demo a cortesia!                                     Diabo  Ouvis? Falai vós cortês!                                                 Vós, fidalgo, cuidarês                                                 que estais na vossa pousada?                                                 Dar-vos-ei tanta pancada                                                 com um remo, que reneguês!”  Recursos estilísticos: Metáfora                            ex: “Onze.  Mais quisera eu lá tardar…                                                 Na safra do apanhar” Ironia                             ex: “Diabo  Ora mui muito m’espanto nom vos livrar o dinheiro!”                                    “Diabo  Oh! Que gentil recear,                                                  e que cousaspera mi!”            Eufemismo                             ex: “Onze. … me deu Saturno quebranto.”
Caracterização de personagens: Indirecta: Quando o Anjo diz ao Onzeneiro que o seu bolsão ocupará todo o navio e que este está cheio no seu coração, dá para perceber que o Anjo o está a acusar de ser materialista, tanto como quando o Diabo diz ironicamente que muito se espantava por ele não se livrar do dinheiro;  Podemos também concluir que o Onzeneiro é ganancioso quando o Anjo exclama que como a onzena (juro de 11% que na época era bastante excessivo) era feia e filha da maldição.    Símbolos e adereços caracterizados da personagem: Bolsão (vazio)  Grupo social:   Burguesia  Percurso cénico e Destino: Barca do Diabo; Barca do Anjo; Barca do diabo Inferno
Agora que já tens  algum       conhecimento sobre a personagem    do onzeneiro, realiza os exercícios    1,2,3,4,6,7 e 7.1 da página 66 do teu                          manual! Para responderes correctamente convém que                   releias a cena do Onzeneiro. BOM TRABALHO!
Pag. 66 ex.: 1.A S  H T  A O R  I  D F                                 2.V- versos 236-237           S A  T  U R N O T  A U                                     F- versos 185-188            J  F  D  E S  Z R  E  Z Í                                      V- verso 193           D R M N Z  E  L  I  X D                                     F- versos 188-189           I  A  C O  L N Ó  D C V                                     V- verso 187 (onzeneiro)           X N U M H A  J S   L T                                     V- verso 211           R B  O R  R  E G A  D A                                    V- verso 217-218   F- verso 217-218                                                                                    F- verso 222 e 223 3.No verso 186 o recurso estilístico utilizado      V- verso 226-227         é a metáfora e no verso 187 é o eufemismo .    F- versos 224-227                                                                                    F- verso 218                                                                                    F- versos 240-241  4.A onzena era o juro de 11%, o que naquela época era bastante excessivo, e sendo o onzeneiro ganancioso cobrou os 11% de juro às pessoas, e assim o anjo lembrou-lhe da sua ganância dizendo-lhe que a onzena era feia e filha da maldição.
6.Cais Barca do Diabo                                                    Barca do Anjo Entrada na Barca do Diabo 7.São arcaísmos.  7.1«mui»  muito           «nom»  não           «pera»  para «leixaram»  deixaram           «Havês»  tens  «alhea»  de outro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do fradeAuto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
Delfina Vernuccio
 
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenasAuto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Claudia Lazarini
 
O corregedor e o procurador - Português 9º ano
O corregedor e o procurador - Português 9º anoO corregedor e o procurador - Português 9º ano
O corregedor e o procurador - Português 9º ano
Gabriel Lima
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
Vanda Marques
 
Autodabarcadoinferno procurador e corregedor
Autodabarcadoinferno procurador e corregedorAutodabarcadoinferno procurador e corregedor
Autodabarcadoinferno procurador e corregedor
Francisco Teixeira
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
claudiagandra
 
Auto da barca do Inferno
Auto da barca do InfernoAuto da barca do Inferno
Auto da barca do Inferno
Margarida Ramos
 
Auto da Barca do Inferno - argumentos de acusação e de defesa
Auto da Barca do Inferno - argumentos de acusação e de defesaAuto da Barca do Inferno - argumentos de acusação e de defesa
Auto da Barca do Inferno - argumentos de acusação e de defesa
António Fernandes
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
Maria Rodrigues
 
Cena do Corregedor e Procurador.
Cena do Corregedor e Procurador.Cena do Corregedor e Procurador.
Cena do Corregedor e Procurador.
Lurdes Augusto
 
Auto da-barca-do-inferno-quadro-sintese-com- rscurssos estilisticos
Auto da-barca-do-inferno-quadro-sintese-com- rscurssos estilisticosAuto da-barca-do-inferno-quadro-sintese-com- rscurssos estilisticos
Auto da-barca-do-inferno-quadro-sintese-com- rscurssos estilisticos
Ana Paula
 
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Inês Moreira
 

Mais procurados (20)

Auto da Barca do Inferno-Judeu
Auto da Barca do Inferno-JudeuAuto da Barca do Inferno-Judeu
Auto da Barca do Inferno-Judeu
 
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do fradeAuto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
 
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenasAuto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
 
O corregedor e o procurador - Português 9º ano
O corregedor e o procurador - Português 9º anoO corregedor e o procurador - Português 9º ano
O corregedor e o procurador - Português 9º ano
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
 
Autodabarcadoinferno procurador e corregedor
Autodabarcadoinferno procurador e corregedorAutodabarcadoinferno procurador e corregedor
Autodabarcadoinferno procurador e corregedor
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
 
Auto da barca do Inferno
Auto da barca do InfernoAuto da barca do Inferno
Auto da barca do Inferno
 
Abi comicos registos_recursos
Abi comicos registos_recursosAbi comicos registos_recursos
Abi comicos registos_recursos
 
A alcoviteira
A alcoviteiraA alcoviteira
A alcoviteira
 
Alcoviteira
AlcoviteiraAlcoviteira
Alcoviteira
 
O corregedor
O corregedorO corregedor
O corregedor
 
Auto da Barca do Inferno - argumentos de acusação e de defesa
Auto da Barca do Inferno - argumentos de acusação e de defesaAuto da Barca do Inferno - argumentos de acusação e de defesa
Auto da Barca do Inferno - argumentos de acusação e de defesa
 
Auto da Barca do Inferno - cena VII - Alcoviteira.
Auto da Barca do Inferno - cena VII - Alcoviteira.Auto da Barca do Inferno - cena VII - Alcoviteira.
Auto da Barca do Inferno - cena VII - Alcoviteira.
 
Auto da Barca do Inferno
Auto da Barca do InfernoAuto da Barca do Inferno
Auto da Barca do Inferno
 
Grelha de análise do auto da barca do inferno 9º
Grelha de análise do auto da barca do inferno 9ºGrelha de análise do auto da barca do inferno 9º
Grelha de análise do auto da barca do inferno 9º
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
 
Cena do Corregedor e Procurador.
Cena do Corregedor e Procurador.Cena do Corregedor e Procurador.
Cena do Corregedor e Procurador.
 
Auto da-barca-do-inferno-quadro-sintese-com- rscurssos estilisticos
Auto da-barca-do-inferno-quadro-sintese-com- rscurssos estilisticosAuto da-barca-do-inferno-quadro-sintese-com- rscurssos estilisticos
Auto da-barca-do-inferno-quadro-sintese-com- rscurssos estilisticos
 
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
 

Destaque (9)

Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Gil vicente
Gil vicenteGil vicente
Gil vicente
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
 
Auto da barca do inferno: Frade
Auto da barca do inferno: FradeAuto da barca do inferno: Frade
Auto da barca do inferno: Frade
 
D9 abi 113_c5_sapateiro
D9 abi 113_c5_sapateiroD9 abi 113_c5_sapateiro
D9 abi 113_c5_sapateiro
 
Auto da barca do inferno análise global
Auto da barca do inferno  análise globalAuto da barca do inferno  análise global
Auto da barca do inferno análise global
 
Argumento A Barca
Argumento A BarcaArgumento A Barca
Argumento A Barca
 
Texto expositivo
Texto expositivoTexto expositivo
Texto expositivo
 

Semelhante a Onzeneiro

Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 107-108
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 107-108Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 107-108
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 107-108
luisprista
 
Questões sobre sagarana
Questões sobre sagaranaQuestões sobre sagarana
Questões sobre sagarana
ma.no.el.ne.ves
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
luisprista
 
Aula definitiva auto_da_barca
Aula definitiva auto_da_barcaAula definitiva auto_da_barca
Aula definitiva auto_da_barca
guest9fbcf8f
 
Aula definitiva auto_da_barca
Aula definitiva auto_da_barcaAula definitiva auto_da_barca
Aula definitiva auto_da_barca
Zofia Santos
 
Assis, m os deuses de casaca
Assis, m   os deuses de casacaAssis, m   os deuses de casaca
Assis, m os deuses de casaca
Nicolas Pelicioni
 
cavaleiro da dinamarca _______________________________________
cavaleiro da dinamarca  _______________________________________cavaleiro da dinamarca  _______________________________________
cavaleiro da dinamarca _______________________________________
josedomingues1013
 

Semelhante a Onzeneiro (20)

Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 107-108
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 107-108Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 107-108
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 107-108
 
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
 
Auto da Barca do Inferno
Auto da Barca do InfernoAuto da Barca do Inferno
Auto da Barca do Inferno
 
Aula definitiva-auto-da-barca
Aula definitiva-auto-da-barcaAula definitiva-auto-da-barca
Aula definitiva-auto-da-barca
 
Gil Vicente
Gil VicenteGil Vicente
Gil Vicente
 
Projetovestibular
ProjetovestibularProjetovestibular
Projetovestibular
 
Barca gvicente
Barca gvicenteBarca gvicente
Barca gvicente
 
Questões sobre sagarana
Questões sobre sagaranaQuestões sobre sagarana
Questões sobre sagarana
 
Abi personagens tipo bom
Abi personagens tipo bomAbi personagens tipo bom
Abi personagens tipo bom
 
Trabalhos de alunos gil vicente
Trabalhos de alunos   gil vicenteTrabalhos de alunos   gil vicente
Trabalhos de alunos gil vicente
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
 
Aula definitiva auto_da_barca
Aula definitiva auto_da_barcaAula definitiva auto_da_barca
Aula definitiva auto_da_barca
 
Aula definitiva auto_da_barca
Aula definitiva auto_da_barcaAula definitiva auto_da_barca
Aula definitiva auto_da_barca
 
Teste corrigido
Teste corrigidoTeste corrigido
Teste corrigido
 
Assis, m os deuses de casaca
Assis, m   os deuses de casacaAssis, m   os deuses de casaca
Assis, m os deuses de casaca
 
Trabalho de AP do 3º Período
Trabalho de AP do 3º PeríodoTrabalho de AP do 3º Período
Trabalho de AP do 3º Período
 
Ii atividade nono ano
Ii atividade nono anoIi atividade nono ano
Ii atividade nono ano
 
D13 (5º ano l.p.)
D13 (5º ano   l.p.)D13 (5º ano   l.p.)
D13 (5º ano l.p.)
 
dial7_cavaleiro.pptx
dial7_cavaleiro.pptxdial7_cavaleiro.pptx
dial7_cavaleiro.pptx
 
cavaleiro da dinamarca _______________________________________
cavaleiro da dinamarca  _______________________________________cavaleiro da dinamarca  _______________________________________
cavaleiro da dinamarca _______________________________________
 

Mais de Delfina Vernuccio (12)

Ficha leitura
Ficha leituraFicha leitura
Ficha leitura
 
Processos formação palavras composição
Processos formação palavras   composiçãoProcessos formação palavras   composição
Processos formação palavras composição
 
Formação palavras derivação
Formação palavras derivaçãoFormação palavras derivação
Formação palavras derivação
 
Discurso directo
Discurso directoDiscurso directo
Discurso directo
 
Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadas
 
C:\Users\Enzo Vernuccio\Desktop\Lusiadas
C:\Users\Enzo Vernuccio\Desktop\LusiadasC:\Users\Enzo Vernuccio\Desktop\Lusiadas
C:\Users\Enzo Vernuccio\Desktop\Lusiadas
 
Vida E Obra De Gil Vicente
Vida E Obra De Gil VicenteVida E Obra De Gil Vicente
Vida E Obra De Gil Vicente
 
Alcoviteira
AlcoviteiraAlcoviteira
Alcoviteira
 
Auto Da Barca Do Inferno Cena do Frade
Auto Da Barca Do Inferno Cena do FradeAuto Da Barca Do Inferno Cena do Frade
Auto Da Barca Do Inferno Cena do Frade
 
Auto Barca Do Inferno2[1]
Auto Barca Do Inferno2[1]Auto Barca Do Inferno2[1]
Auto Barca Do Inferno2[1]
 
FenóMenos FonéTicos
FenóMenos FonéTicosFenóMenos FonéTicos
FenóMenos FonéTicos
 
RelaçõEs Lexicais
RelaçõEs LexicaisRelaçõEs Lexicais
RelaçõEs Lexicais
 

Onzeneiro

  • 1. Auto da Barca do Inferno Onzeneiro Trabalho realizado por: Ricardo nº149ºD Roselyne nº159ºD
  • 2. Vida e obra de Gil Vicente: Não se sabe a data exacta do nascimento de Gil Vicente, mas calcula-se que tenha sido na década de 1460-1470; quanto à sua morte deve ter ocorrido por volta de 1536. O autor foi casado duas vezes. Do seu primeiro casamento resultaram dois filhos: Gaspar e Belchior. Viúvo, Gil Vicente voltou-se a casar e desta vez teve três filhos: Paula, Luís e Valéria. Gil Vicente lançou a sua primeira obra em 1502, o Monólogo do Vaqueiro, e a última em 1536. A sua carreira desenrolou-se sob os reinados de D. Manuel I (1495-1521) e D. João III (1521-1557). O autor fez toda a sua carreira como personagem oficial da corte, servindo a rainha Dona Leonor, D. Manuel I e D. João III.  Auto da Barca do Inferno Esta é considerada uma obra-prima incontestável. É também uma “caricatura literária” pois critica bastante cada grupo social. Cada personagem representa um grupo social, as suas características e os seus principais defeitos e pecados. No fundo, Gil Vicente queria demonstrar à sociedade do que é que é feita de uma maneira relativamente cómica.
  • 3. Análise da cena do Onzeneiro
  • 4. Tipos de cómico: Cómico de situação ex: “Onze. Santa Joana de Valdês! Cá é vossa senhoria? Fidal. Dá ò demo a cortesia! Diabo Ouvis? Falai vós cortês! Vós, fidalgo, cuidarês que estais na vossa pousada? Dar-vos-ei tanta pancada com um remo, que reneguês!” Recursos estilísticos: Metáfora ex: “Onze. Mais quisera eu lá tardar… Na safra do apanhar” Ironia ex: “Diabo Ora mui muito m’espanto nom vos livrar o dinheiro!” “Diabo Oh! Que gentil recear, e que cousaspera mi!” Eufemismo ex: “Onze. … me deu Saturno quebranto.”
  • 5. Caracterização de personagens: Indirecta: Quando o Anjo diz ao Onzeneiro que o seu bolsão ocupará todo o navio e que este está cheio no seu coração, dá para perceber que o Anjo o está a acusar de ser materialista, tanto como quando o Diabo diz ironicamente que muito se espantava por ele não se livrar do dinheiro; Podemos também concluir que o Onzeneiro é ganancioso quando o Anjo exclama que como a onzena (juro de 11% que na época era bastante excessivo) era feia e filha da maldição. Símbolos e adereços caracterizados da personagem: Bolsão (vazio) Grupo social:  Burguesia Percurso cénico e Destino: Barca do Diabo; Barca do Anjo; Barca do diabo Inferno
  • 6. Agora que já tens algum conhecimento sobre a personagem do onzeneiro, realiza os exercícios 1,2,3,4,6,7 e 7.1 da página 66 do teu manual! Para responderes correctamente convém que releias a cena do Onzeneiro. BOM TRABALHO!
  • 7. Pag. 66 ex.: 1.A S H T A O R I D F 2.V- versos 236-237 S A T U R N O T A U F- versos 185-188 J F D E S Z R E Z Í V- verso 193 D R M N Z E L I X D F- versos 188-189 I A C O L N Ó D C V V- verso 187 (onzeneiro) X N U M H A J S L T V- verso 211 R B O R R E G A D A V- verso 217-218 F- verso 217-218 F- verso 222 e 223 3.No verso 186 o recurso estilístico utilizado V- verso 226-227 é a metáfora e no verso 187 é o eufemismo . F- versos 224-227 F- verso 218 F- versos 240-241 4.A onzena era o juro de 11%, o que naquela época era bastante excessivo, e sendo o onzeneiro ganancioso cobrou os 11% de juro às pessoas, e assim o anjo lembrou-lhe da sua ganância dizendo-lhe que a onzena era feia e filha da maldição.
  • 8. 6.Cais Barca do Diabo Barca do Anjo Entrada na Barca do Diabo 7.São arcaísmos. 7.1«mui»  muito «nom»  não «pera»  para «leixaram»  deixaram «Havês»  tens «alhea»  de outro