INTRODUZINDO A QUESTÃO 
DO PLANEJAMENTO: 
GLOBALIZAÇÃO, 
INTERDISCIPLINARIEDADE E 
INTEGRAÇÃO CURRICULAR
 As discussões atuais acerca da organização do ensino 
vêm propondo que o planejamento seja desenvolvido 
através de temá...
 Na abordagem atualmente adotada, o 
currículo é concebido como um espaço 
político privilegiado nas lutas pela 
democrat...
 Segundo Hannah a escola não transmite a 
cultura, mas algo da cultura: a cada geração, 
a cada renovação da pedagogia e ...
 Uma visão globalizante e interdisciplinar deve 
presidir a organização dos conteúdos nas 
propostas de trabalho, pelo mí...
 A forma mais clássica de conteúdo escolar, 
ainda hoje, é o modelo linear disciplinar, ou o 
conjunto de disciplinas jus...
 Aos interesses dos estudantes; 
 À experiência previa dos estudantes; 
 À problemática especifica do meio sócio cultur...
 Escola Nova é um dos nomes dados a um 
movimento de renovação do ensino que foi 
especialmente forte na Europa, na Améri...
 No final da década de vinte, 
Lourenço Filho publica em 
São Paulo “Introdução ao 
Estudo da Escola Nova”. 
 A expressã...
 As raízes da reforma escolar na época, 
portanto, encontram-se nesta dupla ordem 
de fundamentos: necessidade de maior e...
 As pioneiras surgiram em instituições 
privadas da Inglaterra, França, Suíça, Polônia, 
Hungria, entre outros países, de...
 Embora continuando a admitir que a escola 
tinha influência poderosa no sentido da 
prevenção da paz a partir de uma ade...
 Embora Comenius (1592-1670) e Locke 
(1632-1704) tenham feito alguma referência 
á especificidade da educação das crianç...
 No século XVIII, tais ideias animaram ensaios 
práticos como os de Pestalozzi (1746-1827) 
e os de Froebel (1782-1825), ...
 Na percepção de Gadotti (1992), o ideário da 
Escola Nova começou a partir de Rousseau 
como um contraponto á escola tra...
 O sistema de projetos, cujo precursor, foi o 
americano John Dewey e seu discípulo 
Kilpatrick, surge em Chicago, no com...
 Esta concepção de globalização parte do 
principio de que a aprendizagem não é fruto 
apenas de uma acumulação de novos ...
 Um dos aspectos fundamentais é permitir ao 
estudante aprender a acessar, analisar e 
interpretar as informações disponí...
 Josette Jolibert (1994), atualmente consultora 
da UNESCO em Didática da Língua Materna, 
defende três tipos diferentes ...
 Na sua organização, as etapas de 
“problematização, desenvolvimento e 
síntese”, são sugeridas e há uma 
recomendação qu...
 - “As brincadeiras de rua”, “A música e a 
dança”, “O trabalho”, “O lixão”, “As 
propagandas de brinquedo”, “Os doces” e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E INTEGRAÇÃO CURRICULAR

1.033 visualizações

Publicada em

INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E INTEGRAÇÃO CURRICULAR

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.033
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E INTEGRAÇÃO CURRICULAR

  1. 1. INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIEDADE E INTEGRAÇÃO CURRICULAR
  2. 2.  As discussões atuais acerca da organização do ensino vêm propondo que o planejamento seja desenvolvido através de temáticas significativas que sejam objeto de desejo de conhecimento de professores, estagiários e/ou alunos. Temáticas capazes de abarcar as disciplinas curriculares – resignificando-as e capazes de dar conta dos chamados saberes escolares, representativos das culturas infantil e juvenil, tão negligenciadas pela escola. Para Miguel Arroyo (1994), a proposta é que este currículo seja construído a partir de definição coletiva de temas, chamados pelo autor de temas transversais, que representem as questões e os problemas colocados pela atualidade para os homens, mulheres e crianças de nosso tempo.
  3. 3.  Na abordagem atualmente adotada, o currículo é concebido como um espaço político privilegiado nas lutas pela democratização da sociedade. O trabalho proposto pela escola deve, pois, permitir aos estudantes uma melhor compreensão de si, do outro, da natureza, da sociedade, das diferentes culturas, das artes, das tecnologias, e dos sistemas de produção da sociedade contemporânea.
  4. 4.  Segundo Hannah a escola não transmite a cultura, mas algo da cultura: a cada geração, a cada renovação da pedagogia e dos programas, partes inteiras da herança cultural da humanidade desaparecem da memória escolar, ao mesmo tempo em que outros elementos da cultura são contemplados.  A Educação Escolar  A Organização Curricular  O Trabalho Pedagógico
  5. 5.  Uma visão globalizante e interdisciplinar deve presidir a organização dos conteúdos nas propostas de trabalho, pelo mínimo, no inicio da escolarização.  Santomé (1998:187) afirma que a utilidade social do currículo está em permitir aos alunos e alunas compreender a sociedade em que vivem favorecendo, para tal o desenvolvimento de aptidões, tanto técnicas como sociais que os ajudem em sua localização na comunidade de forma autônoma, critica e solidária.
  6. 6.  A forma mais clássica de conteúdo escolar, ainda hoje, é o modelo linear disciplinar, ou o conjunto de disciplinas justapostas, na maioria das vezes de uma forma bastante arbitraria. Para Santomé (1998:110) as principais criticas a esta forma de organização partem da percepção de que, nesta forma, presta-se insuficiente atenção:
  7. 7.  Aos interesses dos estudantes;  À experiência previa dos estudantes;  À problemática especifica do meio sócio cultural e ambiental;  Às relações pessoais entre estudantes e professores;  Às dificuldades de aprendizagem;  À falta de nexos entre as disciplinas;  À incapacidade para ajustar ao currículo questões praticas e interdisciplinares;  À inflexibilidade de organização do tempo, espaço e recursos.  À pesquisa, ao estudo autônomo, à atividade critica e à curiosidade intelectual;  Ao papel do professor e da professora como pesquisadores capazes de diagnosticar, propor e avaliar projetos e currículos.
  8. 8.  Escola Nova é um dos nomes dados a um movimento de renovação do ensino que foi especialmente forte na Europa, na América e no Brasil, na primeira metade do século XX.  Um conceito essencial do movimento aparece especialmente em Dewey. Para ele, as escolas deviam deixar de ser meros locais de transmissão de conhecimentos e tornar-se pequenas comunidades.
  9. 9.  No final da década de vinte, Lourenço Filho publica em São Paulo “Introdução ao Estudo da Escola Nova”.  A expressão “Escola Nova” começou a ser usada referindo-se não a um só tipo de escola ou sistema didático determinado, mas a todo um conjunto de princípios tendentes a rever as formas tradicionais de ensino.
  10. 10.  As raízes da reforma escolar na época, portanto, encontram-se nesta dupla ordem de fundamentos: necessidade de maior e melhor conhecimento dos estudantes, e maior consciência das possibilidades de integração das novas gerações em seus respectivos grupos culturais, via escola.
  11. 11.  As pioneiras surgiram em instituições privadas da Inglaterra, França, Suíça, Polônia, Hungria, entre outros países, depois de 1880. Foi quando se publicaram os trabalhos iniciais de observação experimental da aprendizagem e se fizeram os primeiros ensaios de medida das capacidades mentais e do rendimento do trabalho escolar.
  12. 12.  Embora continuando a admitir que a escola tinha influência poderosa no sentido da prevenção da paz a partir de uma adequada formação humana, começa a tomar forma a crença de que tal resultado não adviria do livre desenvolvimento da criança por si só ou de uma concepção autônoma da ação educativa em relação aos sistemas políticos.
  13. 13.  Embora Comenius (1592-1670) e Locke (1632-1704) tenham feito alguma referência á especificidade da educação das crianças, é só com Rousseau que a preocupação com os meios de ensinar toma mais clareza e consistência.
  14. 14.  No século XVIII, tais ideias animaram ensaios práticos como os de Pestalozzi (1746-1827) e os de Froebel (1782-1825), criador, este último, dos jardins de infância. Ambos são considerados precursores da Escola Nova. Hebart também merece ser citado nesta abordagem.
  15. 15.  Na percepção de Gadotti (1992), o ideário da Escola Nova começou a partir de Rousseau como um contraponto á escola tradicional. Este educador defendia a separação da escola da sociedade para não perverter a criança, nascida naturalmente boa. O que mais tarde seria contestado por Durkhein para quem só a sociedade poderia tornar cooperativa e altruísta uma criatura nascida naturalmente egoísta.  Dewey defende a aproximação entre a escola e a vida para formar democratas, cidadãos atuantes na sociedade.
  16. 16.  O sistema de projetos, cujo precursor, foi o americano John Dewey e seu discípulo Kilpatrick, surge em Chicago, no começo do século, em oposição ao ensino intelectualista, visando resignificar o espaço escola, tornando-o um espaço vivo, aberto ao real.
  17. 17.  Esta concepção de globalização parte do principio de que a aprendizagem não é fruto apenas de uma acumulação de novos conhecimentos aos esquemas de compreensão dos estudantes e sim de uma reestruturação desses esquemas, a partir do estabelecimento de relações entre os conhecimentos que já possuem e os novos com os quais se defrontam.
  18. 18.  Um dos aspectos fundamentais é permitir ao estudante aprender a acessar, analisar e interpretar as informações disponíveis sobre os temas em estudo. A preocupação de como relacionar os diferentes saberes suplanta a de acumular saberes. Articular a aprendizagem individual com o conteúdo das diferentes disciplinas é um dos desafios para o estudante – desafio para o qual a escola precisa instrumenta-lo.
  19. 19.  Josette Jolibert (1994), atualmente consultora da UNESCO em Didática da Língua Materna, defende três tipos diferentes de projetos:  - Projetos referente a vida cotidiana;  - Projetos de empreendimento;  - Projetos de aprendizagem.
  20. 20.  Na sua organização, as etapas de “problematização, desenvolvimento e síntese”, são sugeridas e há uma recomendação que sejam respeitada, embora nenhum dos autores pesquisadores trabalhe de forma estereotipada na implementação das mesmas.  A etapa de “problematização”  A fase do “desenvolvimento”  A “síntese”
  21. 21.  - “As brincadeiras de rua”, “A música e a dança”, “O trabalho”, “O lixão”, “As propagandas de brinquedo”, “Os doces” e “Os alimentos” são exemplos de temas usados como projetos de estudo em experiências recentes na Escola Plural de Belo Horizonte.

×