Tendencia filosofica redentora

13.408 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Tendencia filosofica redentora

  1. 1. TENDENCIAS FILOSÓFICAS NA EDUCAÇÃO Educação como REDENTORA da sociedade Concebe a sociedade como um conjunto de seres humanos que vivem e sobrevivem num todo orgânico e harmonioso; Considera a educação uma instância exterior e superior, capaz de adaptar o indivíduo à sociedade e a integração de todos os indivíduos no corpo social, sendo a educação considerada autônoma, ou seja, ela não recebe interferências, ela é quem interfere na sociedade.
  2. 2. Um exemplo da educação redentora e a obra clássica do autor Comênio (legitimo representante da tendência filosófica) sobre o ensino, publicada em 1657, intitulada didática magna. Que fala sobre a queda e o desequilíbrio , em relação à harmonia primitiva no paraíso; Uma harmonia perdida, e através da educação amar a sociedade. Desejando reordená-la. Pois na sua sociedade os desequilíbrios soavam como ecos da desarmonia original referentes a: (amor próprio, inteligência, sabedoria entre outros).
  3. 3. Educação REPRODUÇÃO da Sociedade A Segunda tendência afirma que a educação faz integralmente parte da sociedade e a reproduz. Diferente da tendência anterior, esta aborda a educação como uma instância, dentro da sociedade e exclusivamente ao seu serviço. Não redimindo suas mazelas, mas reproduzindo no modelo vigente, perpetuando assim o modelo. Aqui ela é crítica e reprodutivista desde que aborde a educação a partir de seus determinantes vendo somente como elemento destinados a reproduzir seus próprios condicionamentos.
  4. 4. Educação como TRANSFORMADORA da Sociedade Compreende a educação como mediação de um projeto social, ela nem redime nem reproduz a sociedade, mas serve de meio, ao lado de outros meios, para realizar um projeto de sociedade. Essa tendência não coloca a educação a serviço da conservação. Demonstra que é possível compreender a educação dentro da sociedade, com os seus determinantes e condicionantes, mas com a possibilidade de trabalhar pela sua democratização.
  5. 5. Os teóricos da terceira tendência, afirmam que a educação tem papel ativo na sociedade. Não recusam reconhecer os seus condicionantes histórico-sociais. Ao contrário, consideram a possibilidade de agir e partir dos próprios condicionantes históricos. Assim sendo, esta terceira tendência não cede ao ilusório otimismo, quando na medida em que interpretam a educação dimensionada dentro do determinantes sociais, com possibilidades de agir estrategicamente, sendo uma instância social, entre outras, na luta pela transformação da sociedade, de sua democratização efetiva e concreta, alcançando os aspectos políticos, sociais e econômicos.
  6. 6. <ul><li>Que sentido pode ser dado à educação, como um todo dentro da sociedade? </li></ul><ul><li>Existem três grupos de entendimento do sentido da educação na sociedade: </li></ul><ul><li>Educação como redenção da sociedade; </li></ul><ul><li>Educação como reprodução sociedade; </li></ul><ul><li>Educação como transformação da sociedade. </li></ul>EDUCAÇÃO E SOCIEDADE
  7. 7. <ul><li>1 ) Redenção: </li></ul><ul><li>Volta-se para a formação das personalidades, com o objetivo de integrar harmonicamente os indivíduos no todo social já existente; </li></ul><ul><li>A escola interfere de forma absoluta nos destinos do todo social. A escola está à parte da sociedade; </li></ul><ul><li>Teoria não crítica da educação (Dermeval Saviani). </li></ul>
  8. 8. <ul><li>2 ) Reprodução (Crítico-reprodutivista): </li></ul><ul><li>Sociedade necessita reproduzir-se para perenizar-se; </li></ul><ul><li>Duas vertentes de reprodução: </li></ul><ul><li>a) vertente biológica, b) vertente cultural; </li></ul><ul><li>Como se dá a reprodução do ponto de vista qualitativo? </li></ul><ul><li>a) na prática cotidiana, b) em instituição social específica; </li></ul><ul><li>A escola garante o “saber fazer” e o “saber comportar-se”. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>3) Transformação: </li></ul><ul><li>A tendência redentora é excessivamente otimista. A tendência reprodutora é excessivamente pessimista; </li></ul><ul><li>Nem redime, nem reproduz a sociedade, mas serve de meio, ao lado de outros meios; </li></ul><ul><li>Compreende a educação como mediação de um projeto social; </li></ul><ul><li>Teoria crítica da educação (Dermeval Saviani). </li></ul>
  10. 10. TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR <ul><li>Liberal: </li></ul><ul><li>Tradicional (transmissão de conteúdos / professor); </li></ul><ul><li>Renovada Progressivista e Renovada Não-Diretiva (Escola Nova: enfoque no aluno); </li></ul><ul><li>Tecnicista (transmissão de conteúdos / técnicas). </li></ul>
  11. 11. <ul><li>b) Progressista: </li></ul><ul><li>Libertadora (Paulo Freire)*; </li></ul><ul><li>Libertária (Anarquismo)*; </li></ul><ul><li>Crítico-Social dos Conteúdos (conteúdos + relevância social para os alunos). </li></ul>* Pontos comuns: > Anti-autoritarismo; > Experiência vivida; > Autogestão pedagógica; > Educação não- -formal
  12. 12. <ul><li>OUTRA PROPOSTA: </li></ul><ul><li>Racional-tecnológica; 3. Holísticas </li></ul><ul><li>Sociocríticas; 4. Pós-modernas </li></ul><ul><li> 1) Perspectiva holística = que dá preferência ao todo ou ao sistema completo, e não à análise, à separação das respectivas partes componentes. </li></ul><ul><li>2) Holismo = teoria de que existe uma tendência a interação dos elementos do universo e em especial dos seres vivos, e não de uma soma dessas partes. </li></ul>
  13. 13. BIBLIOGRAFIA CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia . 13.ed. São Paulo: Ática, 2003. LUCKESI, Cipriano. Filosofia da Educação . São Paulo: Cortez, 1994.

×