Terapia Cognitivo-Comportamental da Insônia

2.481 visualizações

Publicada em

Protocolo de tratamento na abordagem cognitivo-comportamental da insônia

Publicada em: Saúde e medicina
2 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.481
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
116
Comentários
2
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Terapia Cognitivo-Comportamental da Insônia

  1. 1. TERAPIA COGNITIVO- COMPORTAMENTAL DA INSÔNIA (TCC-I): UM PROTOCOLO DE ATENDIMENTO Eduardo Antonio Moreira
  2. 2. REFERÊNCIAS
  3. 3. INSÔNIA DEFINIÇÃO PREVALÊNCIA CONSEQUÊNCIAS TIPOS
  4. 4. DEFINIÇÃO  Dificuldade para iniciar ou manter o sono ou de um sono não reparador;  Duração mínima de 1 mês;  Sofrimento clínico;  Prejuízo pessoal ou ocupacional.
  5. 5. PREVALÊNCIA  30% experimenta de forma ocasional;  2% sofre de insônia primária crônica.
  6. 6. CONSEQUÊNCIAS  Concentração, memória;  Eficiência execução de tarefas;  Ansiedade e depressão;  Sonolência diurna;  Irritabilidade;  Baixa energia mental;  Tensão, cefaléias e problemas gastrointestinais.
  7. 7. TIPOS  Primária: não é causado por outros transtornos ou condições; Secundária: é causada por uma CMG, outro transtorno, drogadição, etc.
  8. 8. TIPOS DE INSÔNIA PRIMÁRIA  Idiopática = tem início na infância e persiste durante a vida toda. É causada por um distúrbio neural; Psicofisiológica = persistente e aprendida => alvo da TCC-I
  9. 9. DIAGNÓSTICO INSÔNIA PRIMÁRIA CONSIDERAÇÕES
  10. 10. O DSM e a CID; Não substituem a avaliação clínica; Investigar: Origem sintoma; Frequência; Intensidade; Contexto; Sofrimento pessoal; Prejuízo funcional e interpessoal
  11. 11. DIAGNÓSTICO INSÔNIA PRIMÁRIA ALGORÍTMO PARA DIAGNÓSTICO DA INSÔNIA PRIMÁRIA
  12. 12. DIAGNÓSTICO INSÔNIA PSICOFISIOLÓGICA CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS PARA A INSÔNIA PSICOFISIOLÓGICA
  13. 13. 1) Os sintomas do doente preenchem o critério para a insônia; 2) A insônia está presente há pelo menos 1 mês; 3) O transtorno do sono não é explicado por outro transtorno do sono e/ou mental, uma CMG e nem ocorre devido ao efeito do uso de medicação ou de outras substâncias; 4) O indivíduo apresenta uma dificuldade condicionada de dormir e/ou aumento da ativação na cama que se traduz em um ou mais dos seguintes aspectos:
  14. 14.  Concentração excessiva ou ansiedade elevada acerca do sono;  Adormece mais facilmente quando está fora de casa;  Dificuldade em iniciar o sono na cama na hora desejada ou durante sestas planejadas, mas sem dificuldade em adormecer durante atividades monótonas em que não há intenção de dormir;
  15. 15.  Tensão somática elevada na cama resultante de uma percepção de incapacidade para relaxar o corpo suficientemente para permitir o início do sono;  Ativação mental na cama caracterizada por pensamentos intrusivos e percepção de incapacidade para interromper voluntariamente a atividade mental que impede o sono.
  16. 16. MODELO INTEGRADO DA INSÔNIA PROCESSOS DE MANUTENÇÃO DA INSÔNIA
  17. 17. TCC-I EFICÁCIA INDICAÇÃO CHECK LIST
  18. 18. EFICÁCIA  É reconhecidamente o tratamento mais eficiente para insônia primária psicofisiológica; Nos EUA é o tratamento de escolha
  19. 19. INDICAÇÃO  Insônia primária psicofisiógica; Contra-indicada: Insônia primária idiopática; Insônia secundária
  20. 20. CHECK LIST PARA A TCC-I
  21. 21. CHECK LIST PARA A TCC-I (CONTINUAÇÃO)
  22. 22. TRATAMENTO ESTRUTURA RECOMENDAÇÕES COMPONENTES DO TRATAMENTO
  23. 23. ESTRUTURA  Tempo: 4 a 8 semanas;  Duração: 30 a 90 minutos.
  24. 24. RECOMENDAÇÕES  É importante a interrupção do uso de ansiolíticos, principalmente se ele é usado para dormir:  A TCC-I é mais eficaz sem medicamentos;  A retirada deve ser feita por um médico e gradualmente;  Importante ressaltar: Os efeitos da retirada são de temporários; Há pouca diferença na quantidade de sono quando se usa ou não o remédio.
  25. 25. COMPONENTES  Controle de estímulos;  Restrição do tempo na cama;  Higienização do sono;  Reestruturação Cognitiva;  Relaxamento.
  26. 26. TRATAMENTO CONTROLE DE ESTÍMULOS
  27. 27.  Insônia como resposta condicionada;  Quarto + horário de deitar + cpt´s incompatíveis com o sono = SD para a resposta de ficar acordado;  Recondicionar o quarto como SD para dormir;
  28. 28.  Ir para a cama somente quando estiver com sono;  Usar o quarto somente para dormir e atividade sexual, com exceção àquelas atividades que induzem ao sono;  Apagar a luz logo em seguida ao deitar na cama, com a intenção de dormir;  Levantar-se sempre à mesma hora da manhã, independente da duração do sono durante a noite; Evitar dormir durante o dia;
  29. 29.  Criar um conjunto de hábitos que indiquem a proximidade da hora de dormir, tais como: fechar a porta, escovar os dentes, despedir-se do companheiro, etc. Ter o cuidado de fazer essas atividades toda noite e na mesma sequência;  Se não for capaz de adormecer após 15-20 minutos, levantar-se e ir a outra parte da casa. Ler ou fazer alguma atividade tranquila até que adormeça e possa voltar para a cama para dormir;  Levantar-se sempre à mesma hora da manhã, independente da duração do sono durante a noite;
  30. 30. TRATAMENTO RESTRIÇÃO DO TEMPO NA CAMA
  31. 31.  Aumentar a eficiência do sono:  Privação do sono = gera necessidade sono;  Evita a compensação do sono perdido.  a pessoa não deve dormir em outro horário;  metodologia:  Diário do Sono por 2 semanas;  Com os dados calcula-se a eficiência.
  32. 32.  Aumentar a eficiência do sono:  Privação do sono = gera necessidade sono;  Evita a compensação do sono perdido.  A pessoa não deve dormir em outro horário;  Metodologia:  Diário do Sono por 2 semanas;  Com os dados calcula-se a eficiência do sono;  A hora de levantar é fixa;  A hora de ir para cama depende da ES;
  33. 33. Dia Hora 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 Notas Data Segunda De Do Do Terça De Do Dia Hora 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Notas Data Segunda Do Do Do /Ac Ac Le Terça Do Ac /Do Do Do Ac /Le  Tempo total na cama: 14,5 hrs // Tempo de sono estimado: 10 hrs;  ES: 10 / 14,5 x 100 = 69%;  Tempo Médio de Sono = 10 / 2 = 5hrs.
  34. 34.  O tempo na cama passa a ser o TMS (Ex: 5 hrs):  Cliente acorda 6 horas da manha (o horário passa a ser fixo);  Cliente deverá deitar a 1 hora da manha;  Durante o tratamento:  ES > 90% = aumenta o tempo na cama entre 15 e 30 min;  ES < 85 % = diminui o tempo na cama para o T dormido;  Se a eficiência média do sono estiver entre 85% e 90%, o tempo passado na cama não será alterado;  Tempo total na cama nunca menor do que 4,5 horas
  35. 35.  O aumento no tempo passado na cama deve ser seguido por pelo menos uma semana e a diminuição deve ser mantida por pelo menos 10 dias.
  36. 36. TRATAMENTO REESTRUTURAÇÃO COGNITIVA
  37. 37.  Modificar os pensamentos disfuncionais mediadores da insônia:  Mitos sobre o sono: “eu preciso dormir 8 horas por dia”;  Atribuições errôneas sobre as causas da insônia: “tenho um câncer no cérebro”;  Consequências da insônia: “não vou conseguir trabalhar”;  Controle: “perdi o controle sobre o meu sono”;  Manejo de pensam. geradores de preocupação.
  38. 38.  Busca de evidências; Material didático; Pensamento realista; Estratégias de resolução do problema; Comando mental
  39. 39. TRATAMENTO HIGIENIZAÇÃO DO SONO
  40. 40.  Educar o cliente para que desenvolva hábitos e atitudes compatíveis com o ato de dormir:  Dormir somente o necessário;  Exercícios físicos e evitá-los pelo menos 3 horas antes de ir para a cama;  Temperatura agradável, pouca luz e som;  Não dormir com fome;  Não tomar muito líquido antes de dormir;  Cafeína até 6 horas antes de dormir;  Álcool até 2 horas antes de dormir;
  41. 41.  Educar o cliente para que desenvolva hábitos e atitudes compatíveis com o ato de dormir:  Fumar até 1/2 hora antes;  Não comer grandes qtdes de chocolate e açúcar;  Problemas e agenda fora da cama;  Se não dorme, levantar, sair do quarto e só voltar quando estiver sonolento;  Evitar ver as horas no relógio;  Evitar dormir durante o dia; Não dormir em colchão muito duro
  42. 42. TRATAMENTO RELAXAMENTO MEDITAÇAO
  43. 43.  Imagem mental positiva;  Meditação;  Relaxamento muscular de Jacobson: Treino respiratório; Contração e relaxamento grupo de músculos; Comando mental
  44. 44. TRATAMENTO DESCRIÇÃO DAS SESSÕES
  45. 45. SESSÃO 01  Determinar se a insônia é primária;  Informações sobre o tratamento;  Orientação sobre o preenchimento do Diário do Sono Preencher por duas semanas;  Responder dúvidas.
  46. 46. SESSÃO 02  Avaliar o Diário do Sono (DS);  Treino de relaxamento e/ou meditação;  Controle de estímulos;  Restrição do tempo na cama;  T na cama = T de sono informado no DS;  Nunca menor do que 4,5 horas;  Discutir as atividades a serem feitas enquanto estiver acordado.
  47. 47. SESSÃO 03  Avaliar o Diário do Sono (DS);  Feedback sobre o tratamento;  Higienização do sono;  Recalcular a restrição do tempo na cama; Eficácia > 90% = aumenta o T em 15` ou 30`; Eficácia entre 80 e 90% = mesmo T; Eficácia < 80% = diminui para o T dormido  Manter a diminuição por 10 dias Reestruturação cognitiva.
  48. 48. SESSÃO 04  Avaliar o Diário do Sono (DS);  Feedback sobre o tratamento;  Avaliar a higienização do sono;  Recalcular a restrição do tempo na cama; Eficácia > 90% = aumenta o T em 15` ou 30`; Eficácia entre 80 e 90% = mesmo T; Eficácia < 80% = diminui para o T dormido  Manter a diminuição por 10 dias Reestruturação cognitiva.
  49. 49. SESSÃO 05, 06 e 07  Avaliar o Diário do Sono (DS);  Feedback sobre o tratamento;  Recalcular a restrição do tempo na cama; Eficácia > 90% = aumenta o T em 15` ou 30`; Eficácia entre 80 e 90% = mesmo T; Eficácia < 80% = diminui para o T dormido  Manter a diminuição por 10 dias Reestruturação cognitiva.
  50. 50. SESSÃO 08  Avaliar o Diário do Sono (DS);  Feedback global sobre o tratamento;  Treino de Recaída:  Como a insônia inicia;  Vigilância sobre as crenças;  Manejo da ansiedade.

×