Successfully reported this slideshow.
1
DEFINIÇÃO
• DIFICULDADE DE INICIAR E MANTER O
SONO REPARADOR
FATOR
• O STRESS É CONSIDERADO A
PRINCIPAL CAUSA DAS DIFICULD...
EPIDEMIOLOGIA
• MAIS DE 50% DOS IDOSOS> 60 ANOS
MORAM EM CASA
EPIDEMIOLOGIA
• 65 % DOS INSTITUCIONALIZADOS
EXPERIMENTAM DI...
“NEM PAPOILA,
NEM MANDRÁGORA,
NEM TODOS OS XAROPES
SOPORÍFEROS DO MUNDO
PODERÃO DEVOLVER-TE O
DOCE SONO,
DE QUE GOZAVAS ON...
INSÔNIA
PRIMÁRIA
SECUNDÁRIA
CLASSIFICAÇÃO
FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA
ATIVIDADES LABORAIS
E FINANCEIRAS
(APOSENTADORIA)
DISTÚRBIOS DE HUMOR
MORTE DO CÔNJUGE E
OUTROS...
FATORES CAUSAIS DA
INSÔNIA
DISTURBIOS PSIQUIATRICOS
(DEPRESSÃO/ANSIEDADE)
TRANSTORNO DE
HUMOR –
DESPERTAR
PRECOCE PELA
MAN...
FATORES CAUSAIS DA
INSÔNIA
SINDROMES DEMENCIAIS
DOENÇAS NEUROLÓGICAS
ALZHEIMER
DEMÊNCIA VASCULAR
CORPÚSCULO DE LEWY
DOENÇA...
FATORES
• INATIVIDADE FISICA
FATORES
• DOR CRÔNICA N. Intralaminares do tálamo e Formação
Reticular* estão ligados ao SIST...
FATORES
• DM, APNEIA , NEUROPATIA AUTONÔMICA, OBESIDADE E
NEURAPATIA DIABÉTICA
FATORES
• FIBROMIALGIA E OUTRAS DOENÇAS REU...
FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA
INSÔNIA ASSOCIADA AO USO DE
SUBSTÂNCIA
ESTIMULANTES DO SNC:
EFEDRINA(DESCONGEST. NASAIS)
,ANFET...
FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA
INSÔNIA ASSOCIADA AO USO DE
SUBSTÂNCIA
ANTIDEPRESSIVOS QUE PODEM ESTAR
ASSOCIADOS A INSÔNIA:
IM...
FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA
INSÔNIA ASSOCIADA AO USO DE
SUBSTÂNCIA
CORTICÓIDES
HORMÔNIO DA TIREOIDE
FENITOÍNA
LEVODOPA
ÁLCO...
ABORDAGEM
Estabelecer se realmente há insônia
Definir o tipo de distúrbio do sono:
Considerar qualidade do sono,
duração, ...
TRATAMENTOS
TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO
HIGIENE DO SONO
HIGIENE
• 1.Manter horários relativamente constantes
para dormir e acordar.
H...
TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO
HIGIENE DO SONO
HIGIENE
• 6.Sonecas prolongadas (após as 15h) e ir para
a cama no ínicio da n...
TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO
HIGIENE DO SONO
HIGIENE
• 10.Não fumar antes de dormir pois a nicotina
favorece a insônia e u...
INSÔNIA
AVALIAÇÃO CLÍNICA
ANAMNESE EXAME FISICO
TIPOS DE INSÔNIA
INICIAL
( AO DEITAR)
INTERMEDIÁRIA
OU
MANUTENÇÃO
(DESPERT...
MEDIDAS FARMACOLÓGICAS
OBJETIVOS –RESTAURAR
PADRÃO NORMAL DO SONO
CONSIDERAR AS
ALTERAÇÕES NA
FARMACOCINÉTICA E
FARMACODIN...
Longa duração ( ½ vida > 20 horas)
• Flurazepan Diazepan
• Clonazepan Clordiazepoxido
Média duração ( ½ vida > 10 a 20 hor...
RISCOS
RISCOS
•SEDAÇÃO DURANTE O DIA,
• PROBLEMAS COGNITIVOS E MOTORES
RISCOS
• MAIOR RISCO DE
QUEDAS/FRATURAS
RISCOS
• PI...
Zolpiden (Lioran/Stilnox) 5 a 10 mg ao deitar – ½ vida
1,5 – 4,5 horas – início de ação 30 minutos
Pode ser usado para ins...
ANTIDEPRESSIVO
TRATAMENTO
• Antidepressivos como AMT/Trazodona
são usados para promover o sono (não
aprovados pelo FDA – i...
AMITRIPTILINA: muitas vezes prescrita como indutor
do sono, deve ser usada com cautela no idoso
Tem potenciais efeitos ant...
Mirtazapina (Remeron):
7,5 - 15 mg ao deitar – pode ser usado em casos de
depressção associada à insônia severa e ansiedad...
Conclusão
 Dada a prevalência da insônia na
população idosa e a disponibilidade de um
tratamento eficaz, é importante obs...
 A avaliação abrangente para a insônia
inclui uma anamnese completa, uma
revisão dos medicamentos e um bom
exame físico.
...
 Princípios básicos que caracterizam a
farmacoterapia racional para a insônia: o
uso da menor dose eficaz, o uso de
dosag...
 Medicamentos não-BZD tais como o
zolpidem e o zaleplon são mais úteis
porque não alteram a arquitetura do sono
e não têm...
 Venlaflaxina 37,5-75mg – insônia
associada a depressão maior
 Mirtazapina (Remeron):7,5 - 15 mg ao
deitar – pode ser us...
 Kamel NS, Gammack JK. Insomnia in the
Elderly: Cause, Approach, and Treatment.
Am J Med 2006; 119: 463 – 9.
Referências
Obrigado !
Tratamento medicamentoso da insônia no idoso
Tratamento medicamentoso da insônia no idoso
Tratamento medicamentoso da insônia no idoso
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tratamento medicamentoso da insônia no idoso

6.822 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina

Tratamento medicamentoso da insônia no idoso

  1. 1. 1
  2. 2. DEFINIÇÃO • DIFICULDADE DE INICIAR E MANTER O SONO REPARADOR FATOR • O STRESS É CONSIDERADO A PRINCIPAL CAUSA DAS DIFICULDADES PARA DORMIR ABORDAGEM • A ABORDAGEM INADEQUADA, ACARRETA UM USO CRÔNICO DE BENZODIAZEPINICOS
  3. 3. EPIDEMIOLOGIA • MAIS DE 50% DOS IDOSOS> 60 ANOS MORAM EM CASA EPIDEMIOLOGIA • 65 % DOS INSTITUCIONALIZADOS EXPERIMENTAM DIFICULDADES PARA DORMIR EPIDEMIOLOGIA • QUEIXA FREQUENTE • PREVALENCIA EM MULHERES
  4. 4. “NEM PAPOILA, NEM MANDRÁGORA, NEM TODOS OS XAROPES SOPORÍFEROS DO MUNDO PODERÃO DEVOLVER-TE O DOCE SONO, DE QUE GOZAVAS ONTEM.” W. Shakespeare; Otelo, Acto III, Cena iii
  5. 5. INSÔNIA PRIMÁRIA SECUNDÁRIA CLASSIFICAÇÃO
  6. 6. FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA ATIVIDADES LABORAIS E FINANCEIRAS (APOSENTADORIA) DISTÚRBIOS DE HUMOR MORTE DO CÔNJUGE E OUTROS FAMILIARES INSTITUCIONALIZAÇÃO MUDANÇAS DE RESIDÊNCIA IDADE AVANÇADA
  7. 7. FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA DISTURBIOS PSIQUIATRICOS (DEPRESSÃO/ANSIEDADE) TRANSTORNO DE HUMOR – DESPERTAR PRECOCE PELA MANHÃ TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA: MÚLTIPLOS DESPERTARES DURANTE A NOITE TRANSTORNO DE PERSONALIDADE DEPENDÊNCIA QUÍMICA: O ÁLCOOL PODE FRAGMENTAR O SONO E CAUSAR DESPERTAR PRECOCE
  8. 8. FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA SINDROMES DEMENCIAIS DOENÇAS NEUROLÓGICAS ALZHEIMER DEMÊNCIA VASCULAR CORPÚSCULO DE LEWY DOENÇA DE PARKINSON CAUSAM ALTERAÇÕES DO SONO E RITMO CIRCADIANO
  9. 9. FATORES • INATIVIDADE FISICA FATORES • DOR CRÔNICA N. Intralaminares do tálamo e Formação Reticular* estão ligados ao SISTEMA DE ALERTA; sendo estimulados pela via química,dificulta muito o sono. FATORES • DOENÇAS OSTEOARTICULARES FATORES • DOENÇAS DO APARELHO URINÁRIO- HPB, INCO. URINÁRIA • DTGI- DOENÇA DO REFLUXO GASTRO ESOFÁGICO
  10. 10. FATORES • DM, APNEIA , NEUROPATIA AUTONÔMICA, OBESIDADE E NEURAPATIA DIABÉTICA FATORES • FIBROMIALGIA E OUTRAS DOENÇAS REUMATOLÓGICAS FATORES • DOENÇAS CARDIOVASCULARES/RESPIRATÓRIAS- ANGINA DESPERTA POR DOR. ICC  DISPNEIA FATORES • CAUSAS COMPORTAMENTAIS E AMBIENTAIS ALTERAR HIGIENE DO SONO
  11. 11. FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA INSÔNIA ASSOCIADA AO USO DE SUBSTÂNCIA ESTIMULANTES DO SNC: EFEDRINA(DESCONGEST. NASAIS) ,ANFETAMINAS,METILFENIDATO,CAFEÍNA. PODEM ACARRETAR AUMENTO DA LATÊNCIA DO SONO E DIMINUIÇÃO DO TEMPO TOTAL DE SONO ANTIHIPERTENSIVOS: ΒETA BLOQUEADORES,CLONIDINA E AGONISTAS ALFA2;  PODEM EVENTUALMENTE PROVOCAR AUMENTO DE DESPERTARES REDUÇÃO DO SONO REM E PESADELOS VÍVIDOS (Β BLOQUEADORES NÃO SELETIVOSPENETRAM BHE).
  12. 12. FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA INSÔNIA ASSOCIADA AO USO DE SUBSTÂNCIA ANTIDEPRESSIVOS QUE PODEM ESTAR ASSOCIADOS A INSÔNIA: IMIPRAMINA,CLORMIPRAMINA,BUPROPIO NA,VENLAFAXINE,FLUVOXAMINE,PAROXET INA,FLUOXETINA E SIBUTRAMINA: PODEM PROVOCAR AUMENTO DE DESPERTARES,REDUÇÃO DO SONO REM, AUMENTO DA LATÊNCIA REM,AUMENTO DOS MOVIMENTOS DE MEMBROS E BRUXISMO BENZODIAZEPÍNICOS E FENOBARBITAL: PODEM ESTAR ASSOCIADOS A INSÔNIA REBOTE APÓS RETIRADA,E QUANDO UTILIZADOS CRONICAMENTE PODEM ACARRETAR TOLERÂNCIA.
  13. 13. FATORES CAUSAIS DA INSÔNIA INSÔNIA ASSOCIADA AO USO DE SUBSTÂNCIA CORTICÓIDES HORMÔNIO DA TIREOIDE FENITOÍNA LEVODOPA ÁLCOOL: ALGUMAS HORAS DEPOIS (EFEITO CONTRÁRIO – DIMINUI SONO REM)
  14. 14. ABORDAGEM Estabelecer se realmente há insônia Definir o tipo de distúrbio do sono: Considerar qualidade do sono, duração, número de despertares. Fazer registro: hora em que se retira para dormir, horário do surgimento de sono, horário e qualidade das refeições, relação de medicamentos usados.
  15. 15. TRATAMENTOS
  16. 16. TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO HIGIENE DO SONO HIGIENE • 1.Manter horários relativamente constantes para dormir e acordar. HIGIENE • 2.Mudanças de hábitos,como nos finais de semana,podem atrapalhar o sono. HIGIENE • 3.Procurar dormir somente o necessário.Manter- se acordado e deitado por muito tempo na cama não melhora a qualidade do sono. HIGIENE • 4.O quarto de dormir não deve ser utilizado para trabalhar,estudar ou comer HIGIENE • 5.Quem tem insônia deve evitar ler e assistir à televisão antes de dormir
  17. 17. TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO HIGIENE DO SONO HIGIENE • 6.Sonecas prolongadas (após as 15h) e ir para a cama no ínicio da noite devem ser proibidas; HIGIENE • 7.Exercícios físicos devem ser feitos,no máximo, de seis a quatro horas antes de ir para a cama. HIGIENE • 8.Procurar relaxar o corpo e a mente de sessenta a noventa minutos antes de ir para a cama.Nunca tentar resolver problemas antes de Dormir (música,meditação,Ioga) HIGIENE • 9.Não tomar café,chá preto, chocolate ou qualquer bebida estimulante após as 17 horas.
  18. 18. TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO HIGIENE DO SONO HIGIENE • 10.Não fumar antes de dormir pois a nicotina favorece a insônia e um sono não reparador. HIGIENE • 11.Bebidas alcoólicas,embora ajudem a relaxar,perturbam a qualidade do sono. HIGIENE • 12.Procurar fazer refeições mais leves. Fazer um lanche leve: leite morno, carboidratos. HIGIENE • 13.Calor e frio excessivos alteram bastante o sono,portando tentar manter o quarto com temperatura agradável. HIGIENE • 14.Ruídos podem ser a causa de um sono ruim.
  19. 19. INSÔNIA AVALIAÇÃO CLÍNICA ANAMNESE EXAME FISICO TIPOS DE INSÔNIA INICIAL ( AO DEITAR) INTERMEDIÁRIA OU MANUTENÇÃO (DESPERTARES DURANTE A NOITE) FINAL (DESPERTAR PRECOCE)
  20. 20. MEDIDAS FARMACOLÓGICAS OBJETIVOS –RESTAURAR PADRÃO NORMAL DO SONO CONSIDERAR AS ALTERAÇÕES NA FARMACOCINÉTICA E FARMACODINÂMICA DO ENVELHECIMENTO E COMO PODEM AFETAR A SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS MEDICAMENTOS PARA INSÔNIA AUMENTO DA GORDURA CORPORAL AUMENTO DA DISTRIBUIÇÃO DE DROGAS LIPOSSOLÚVEIS COMO: DIAZEPAN, FLURAZEPAN -DIMINUIÇÃO DO CLEARENCE/EXCREÇÃO. -ALTERAÇÕES NA FARMACODINÂMICA -AUMENTO DA SENSIBILIDADE DO SNC AOS EFEITOS DEPRESSORES
  21. 21. Longa duração ( ½ vida > 20 horas) • Flurazepan Diazepan • Clonazepan Clordiazepoxido Média duração ( ½ vida > 10 a 20 horas) • Temazepan (7,5 – 15 mg) • Lorazepan (Lorax) 1 e 2 mg • Estazolan (Noctal) (0,5 a 1 mg) – ½ vida (8-24 h) – eficaz na indução do sono Curta duração ( ½ vida < 10 horas) • Triazolan (0,125 – 0,25 mg) • Oxazepan (15 – 30 mg) BENZODIAZEPÍNICOS
  22. 22. RISCOS RISCOS •SEDAÇÃO DURANTE O DIA, • PROBLEMAS COGNITIVOS E MOTORES RISCOS • MAIOR RISCO DE QUEDAS/FRATURAS RISCOS • PIORA DO QUADRO DE APNÉIA DO SONO RISCOSE • RISCO DE INSÔNIA REBOTE (APÓS INTERROMPER MEDICAÇÃO/DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA)
  23. 23. Zolpiden (Lioran/Stilnox) 5 a 10 mg ao deitar – ½ vida 1,5 – 4,5 horas – início de ação 30 minutos Pode ser usado para insônia inicial/intermediária Raros episódios de confusão/agitação Associados a > risco de quedas Zaleplon (Sonata) 5 a 10 mg – ½ vida de 1 hora – evitar tomar com alimento Insônia intermediária Associado a menor tempo para iniciar o sono Faz dormir por mais tempo Hipnóticos não-benzodiazepínicos Zopiclona (Imovane) 1 a 3 mg – ½ vida 7 horas Pode comprometer a coordenação pela manhã Eliminação rápida/ menor risco de hipotonia muscular, amnésia retrógrada
  24. 24. ANTIDEPRESSIVO TRATAMENTO • Antidepressivos como AMT/Trazodona são usados para promover o sono (não aprovados pelo FDA – insônia. TRATAMENTO • São efetivos no tratamento da insônia com depressão associada TRATAMENTO • Existem efeitos adversos, não sedativos:cardíacos/anticolinérgicos que devem ser considerados nos idosos/interações medicamentosas
  25. 25. AMITRIPTILINA: muitas vezes prescrita como indutor do sono, deve ser usada com cautela no idoso Tem potenciais efeitos anticolinérgicos: incluindo taquicardia, retenção urinária,obstipação,comprometimento cognitivo, confusão, sedação e Delirium ANTIDEPRESSIVO Trazodona: Quando usada para insônia, na ausência de depressão, deve ser em doses reduzidas de 25 a 100 mg ao deitar Sertralina: 50 mg (manhã) – boa tolerância, indicada para tratamento da depressão
  26. 26. Mirtazapina (Remeron): 7,5 - 15 mg ao deitar – pode ser usado em casos de depressção associada à insônia severa e ansiedade (GERIATRICS, 2004) ANTIDEPRESSIVO Ramelteon (Roserem): É um agonista do receptor de Melatonina, novo agente aprovado pelo FDA8 mg/30 minutos ante de deitar poucos efeitos adversos. Melatonina: A relativa deficiência de melatonina que acompanha o envelhecimento pode contribuir para a insônia Não é aprovado pelo FDA O.M.S. ainda recomenda mais estudos
  27. 27. Conclusão  Dada a prevalência da insônia na população idosa e a disponibilidade de um tratamento eficaz, é importante observar indivíduos mais velhos em relação à presença de distúrbios do sono.  Comprometimento do sono tem impactos negativos sobre a saúde e qualidade de vida.
  28. 28.  A avaliação abrangente para a insônia inclui uma anamnese completa, uma revisão dos medicamentos e um bom exame físico.  Tratamento adequado deve incluir intervenções não farmacológicas e tratamento farmacológico. Conclusão
  29. 29.  Princípios básicos que caracterizam a farmacoterapia racional para a insônia: o uso da menor dose eficaz, o uso de dosagem intermitente(2 a 4 vezes por semana), prescrição de medicação de curto prazo (uso regular por não mais do que 3 a 4 semanas) e descontinuação gradual da medicação para reduzir a insônia de rebote. Conclusão
  30. 30.  Medicamentos não-BZD tais como o zolpidem e o zaleplon são mais úteis porque não alteram a arquitetura do sono e não têm efeito ressaca, tolerância, ou insônia de rebote. Conclusão
  31. 31.  Venlaflaxina 37,5-75mg – insônia associada a depressão maior  Mirtazapina (Remeron):7,5 - 15 mg ao deitar – pode ser usado em casos de depressão associada à insônia severa e ansiedade (GERIATRICS, 2004)  Zolpiden (Lioran/Stilnox) 5 a 10 mg ao deitar - insônia inicial/intermediária  Zaleplon (Sonata) 5 a 10 mg Conclusão Vai bem:
  32. 32.  Kamel NS, Gammack JK. Insomnia in the Elderly: Cause, Approach, and Treatment. Am J Med 2006; 119: 463 – 9. Referências
  33. 33. Obrigado !

×