Round - Caso Clínico - Atenção Farmacêutica

2.782 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.782
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Round - Caso Clínico - Atenção Farmacêutica

  1. 1. FarmáciaFarmacoterapia e Atenção Farmacêutica II Professora Letícia Hoerbe Andrighetti ROUND 2 Bárbara Blauth Bruna da S. Sparrenberger Camila Boff Franciele dos Passos
  2. 2. Dados do paciente• S.C. sexo feminino• 6 anos• Peso: 22,850 kg• Data da internação: 24/03/2012• Motivo da internação: epilepsia de difícil controle → mãe refere 2 crises pela manhã, e diversas crises nos últimos dias.
  3. 3. Prescrição médica Medicação Posologia Idade que Farmacodinâmica iniciouFenobarbital (4 %) 50 gotas via oral 1 ano Antiepiléptico, 12/12 horas 6 meses sedativo hipnótico Ácido Valpróico 7 ml via oral 4 anos Anticonvulsivante (250 mg/5 ml) 12/12 horas Clobazam ½ comprimido 6 anos Ansiolítico (10 mg) 8/8 horas (iniciou no hospital) Oxigênio Se necessário Paracetamol 22 gotas via oral Se AINE (200 mg/ml) 4/4 horas necessário Ibuprofeno 22 gotas via oral Se AINE (100 mg/ml) 6/6 horas necessário
  4. 4. Medicação Posologia Idade que Farmacodinâmica iniciouMetoclopramida 0,6 ml IM Se Antiemético (10 mg/2 ml) 8/8 horas necessário Diazepam 1 ml via retal Se crise Ansiolítico (10 mg/2 ml) (através de sonda convulsiva retal)
  5. 5. Problemas relacionados ao medicamentoMedicação PRMFenobarbital PRM 6 → SEGURANÇA Dose inapropriada Dose ideal de 2 a 3 mg/kg/dia = 137,1 mg/dia Dose utilizada = 200 mg/dia Fenobarbital induz uma enzima que leva a diminuição do tempo de ½ vida do ácido valpróico (tempo de ½ vida médio de 12 horas). Ácido PRM 6 → SEGURANÇA valpróico Interação entre AV e o Fenobarbital: aumenta a concentração sérica do fenobarbital, exigindo redução da dose do fenobarbital. Clobazam PRM 4 → EFETIVIDADE Forma de administração errônea: diluição de ½ comprimido de 10 mg em água destilada, gerando possível perda.
  6. 6. Administração DIAZEPAMDiazepam 10 mg: ampola de 2 mlAdministrar 1 ml por via retal (sonda) Administração correta seria por via endovenosaSegundo a autora Garzon (2008), quando o acessovenoso na emergência encontra-se difícil, pode-se administrar por via retal, sem diluição através de cateter bem fino.
  7. 7. DOSESMínima: 0,05 a 0,3 mg/kg/dose → 1,4 a 6,9 mg/dose Máxima: 10 mg/dia Administração com infusão lenta
  8. 8. Administração CLOBAZAM Clobazam 10 mg: ½ comprimido 8/8 horas Apresentação do Clobazam: apenas 10 e 20 mg Utilizar cortador e ingerir meio comprimido ,acondicionando a outra metade no blister de origem.Instruir a paciente a ingeri-lo com água, sem diluição.
  9. 9. DOSESMáxima: 1 mg/kg/dia → 22 mg/dia Atenção para efeitos colaterais como sonolência e depressão mental grave
  10. 10. Informações úteis Diagnóstico Atenção correto na escola Terapias adicionais Tratamento adequado Adesão ao Apoio emtratamento Respeitar casa horários
  11. 11. Referências Bibliográficas• KOROLKOVAS, A.; FRANÇA, F. F. A. C. Dicionário Terapêutico Guanabara. 16 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.• Dicionário de Especialidades Farmacêuticas: DEF 2008/09.• Guia de remédios, 2012, 11 ed. Editora Escala.• Manual DADER.• http://www.lookfordiagnosis.com/mesh_info.php?term=Encefalomal%C3 %A1cia&lang=3, acessado em 10/04/2012.• GARZON, E. Estado de Mal Epilético. J Epilepsy Clin Neurophysiol, n. 14, p. 7-11, 2008.• BRASIL. Ministério da Saúde. Formulário Terapêutico Nacional: RENAME. Brasília, DF, 2008.

×