prodPrincípios básicos em farmacologia

554 visualizações

Publicada em

prof.adelson

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
554
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

prodPrincípios básicos em farmacologia

  1. 1. PRINCÍPIOS BÁSICOS EM FARMACOLOGIA Prof. Adelson dos Reis Matias
  2. 2. PRINCÍPIOS BÁSICOS EM FARMACOLOGIA • ABSORÇÃO – Os medicamentos são administrados por diversas vias, o que influenciam sua absorção. A absorção é a passagem do fármaco do local onde foi administrado para a corrente sanguínea. As vias de administração que essa etapa não acontece são aquelas nas quais o medicamento já é administrado diretamente na circulação(Endovenosa). Os locais mais comuns onde ocorre a absorção são os músculos, a mucosa oral, pele e o intestino.
  3. 3. Os medicamentos administrados por via oral, a absorção ocorre no trato gastrointestinal e sofre influência de vários fatores; • Área disponível para absorção • Fluxo sanguíneo regional • Propriedades físico-químicas dos medicamentos • Concentração local do medicamento • Acidez gástrica • Presença ou não de nutrientes no momento da administração
  4. 4. • Alteração gastrointestinal (aumento da velocidade de esvaziamento gástrico, diarréia, constipação, etc.) • Preparação do fármaco e sua forma de apresentação(comprimidos, soluções etc.) • Concentração do medicamento etc. Os medicamentos administrados por via sublingual a absorção ocorre na própria cavidade oral através do sistema venoso bucal
  5. 5. • As vias de administração classificadas como parenteral(principalmente a endovenosa, a intramuscular e a subcutânea) apresentam certas peculiaridades quanto a absorção de medicamentos. ENDOVENSOSA • Administrado diretamente na corrente sanguínea
  6. 6. INTRAMUSCULAR • Absorção está relacionada ao fluxo sanguíneo do local de aplicação e ao tipo de solução. Soluções a base de água são absorvidas mais rápidas; Soluções oleosas são absorvidas mais lentamente.
  7. 7. SUBCUTÂNEA • Medicamentos administrados por via subcutânea apresentam como características a absorção lenta e contínua.
  8. 8. • BIODISPONIBILIDADE – É definida como a fração do medicamento administrado que atinge circulação sistêmica. Quando administrados por EV, ocorre biodisponibilidade de 100%. O percentual de biodisponibilidade de cada medicamento depende de vários fatores: Grau e a velocidade de absorção desse medicamento; Fração do medicamento que é metabolizada pelo fígado(antes de atingir a circulação)
  9. 9. BIODISPONIBILIDADE
  10. 10. Exemplo: Propranolol: Quando administrado por via EV, a dose padrão é 5 miligramas(mg). Quando administrado por via oral(VO), sua dose varia de 40 a 80 mg, para atingir a mesma concentração de medicamento na circulação sistêmica.
  11. 11. • “Problemas no fígado podem modificar a metabolização de um medicamento, alterando sua biodisponibilidade.”
  12. 12. • DISTRIBUIÇÃO A distribuição é definida como a passagem do medicamento da circulação sanguínea para os diversos órgãos e tecidos. Esse processo sofre influência de vários fatores: - Características físico-químicas do medicamento; - Tamanho da molécula - pH local - Vascularização do tecido
  13. 13. A distribuição pode ser dividida em duas fases:  Primeira fase: estão envolvidos órgãos que apresentam alta perfusão e recebem a maior parte do medicamento nos primeiros minutos. • Coração, fígado, trato gastrointestinal, rins e o cérebro.  Segunda fase: nesta fase, os órgãos atingidos são os músculos, algumas vísceras, os tecidos com perfusão média e o tecido adiposo.
  14. 14. • ELIMINAÇÃO A eliminação é a retirada do medicamento do organismo. Esse processo tem início logo que o medicamento atinge a circulação sistêmica . A eliminação ocorre por modificação metabólica e por excreção. O fígado é o órgão mais importante no processo de eliminação por modificação metabólica. Além dele, esse processo também pode ocorrer nos rins, pulmões, trato gastrointestinal e na pele.
  15. 15. O processo de excreção ocorre principalmente nos rins. Pode ocorrer também nos pulmões, no trato gastrointestinal(fezes), suor, saliva e nas lágrimas. Alguns medicamentos são eliminados pela bile, sendo reabsorvidos e eliminados pelos rins.
  16. 16. ALGUNS CONCEITOS FUNDAMENTAIS • BIOEQUIVALÊNCIA: É o estudo em que são comparadas a biodisponibilidade de um medicamento de referência e a de um medicamento genérico. Quando dois medicamentos tem a mesma biodisponibilidade, ou seja, são bioequivalentes. Um pode substituir o outro.
  17. 17. • CONCENTRAÇÃO: É a quantidade de determinada substância (ativa ou inativa) em certo volume ou massa de produto. - Exemplo:  SG5%. Significa que em 100 ml de solução há 5 g de glicose.
  18. 18. • DISPENSAÇÃO: É o ato de fornecer o medicamento para o comprador( nos casos de drogarias) ou ao profissional de enfermagem que irá preparar o medicamento e administrá- lo ao paciente.
  19. 19. • DOSE DE ATAQUE: É a dosagem única de medicamento com capacidade de atingir rapidamente a concentração terapêutica.
  20. 20. • DOSE DE MANUTENÇÃO: È a dosagem de medicamento deverá ser repetida periódica continuamente para garantir a estabilidade da concentração do medicamento, dentro de limites terapêuticos.
  21. 21. • DOSE LETAL: Dose com qual a morte é atingida. É um efeito indesejável observado em pesquisas laboratoriais em animais.
  22. 22. • DROGA: É qualquer substância que apresenta como característica a capacidade de alterar a função dos organismos vivos, acarretando mudanças fisiológicas e/ou comportamentais. • DROGA-TÓXICO: Droga com ação maléfica sobre o organismo. Pode-se também utilizar apenas o termo TÓXICO.
  23. 23. • EFEITO ADVERSO: Consiste em uma ação indesejável e não esperada ocasionada pelo medicamento.
  24. 24. • FÁRMACO: Droga com ação benéfica sobre o organismo. Pode-se utilizar também o termo medicamento. Substância denominada princípio ativo de um medicamento.
  25. 25. • FARMACOPÉIA: Conjunto de medicamentos(drogas) oficializados pelo ministério da saúde, com ação consagrada e resultados eficazes e úteis para a população.
  26. 26. • FARMACOVIGILÂNCIA: É a identificação e a avaliação dos efeitos dos medicamentos sobre o paciente, incluindo o risco do uso dos medicamentos pela população ou por grupos de pacientes expostos a determinados tratamentos.
  27. 27. • IDIOSSINCRASIA: É a susceptibilidade anormal de um indivíduo a uma droga, mesmo quando administra em doses terapêuticas.
  28. 28. • MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA: É produto inovador registrado no Ministério da Saúde, com eficácia e segurança comprovadas, protegido pela Lei de Patente, não podendo ser produzido sem permissão do fabricante por um determinado período de tempo. • MEDICAMENTO GENÉRICO: Medicamento semelhante ao medicamento de referência, produzido após o tempo determinado pela patente, ou, em alguns casos, após quebra dessa patente por órgão governamental. No Brasil, os medicamentos genéricos seguem legislação específica( Lei 9.787/1999 e RDC nº 102/2000).º
  29. 29. • MEDICAMENTO SIMILAR: Tem os mesmo princípios ativos do medicamento de referência, mas apresenta alguma diferença quando comparado (rótulo, forma de apresentação, prazo de validade, excipientes etc.), portanto não se pode dizer que são bioequivalentes. Nesses casos os testes de bioequivalência não são exigidos. • MEDICAMENTO DE CONTROLE ESPECIAL: Medicamento relacionado pela Agência de Vigilância Sanitária e que tem a capacidade de causar dependência física ou química.

×