Aula 2 - AF

2.888 visualizações

Publicada em

aula 2 - AF

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

Aula 2 - AF

  1. 1. MÉTODO DÁDER “ Manual de acompanhamento farmacoterapêutico”
  2. 2. MÉTODO DADER <ul><li>O Método Dáder de AFT propõe um procedimento concreto, no qual se elabora um estado de situação objetivo do paciente. Deste, derivam-se as Intervenções farmacêuticas correspondentes, nas quais cada profissional clínico conjuntamente com o paciente e seu médico decidem o que fazer em função dos conhecimentos e condições particulares que afetam cada caso. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Oferta do Serviço. </li></ul><ul><li>- Primeira Entrevista. </li></ul><ul><li>- Estado de Situação. </li></ul><ul><li>- Fase de Estudo. </li></ul><ul><li>- Fase de Avaliação. </li></ul><ul><li>- Fase de Intervenção </li></ul><ul><li>- Resultado da Intervenção. </li></ul><ul><li>- Novo Estado de Situação. </li></ul><ul><li>- Entrevistas Sucessivas. </li></ul>
  4. 4. OBJETIVO <ul><li>O objetivo é conseguir a máxima efetividade dos medicamentos que utiliza. </li></ul><ul><li>Não irá substituir nenhum outro profissional de saúde </li></ul><ul><li>Não iniciará ou suspenderá nenhum tratamento, nem irá modificar uma posologia prescrita </li></ul><ul><li>Sensibilizar o paciente sobre a idéia de co-responsabilidade e colaboração. </li></ul>
  5. 5. PROBLEMAS DE SAÚDE <ul><li>P roblema de saúde (PS) : </li></ul><ul><li>“ qualquer queixa, observação ou fato percebido pelo paciente ou pelo médico como um desvio da normalidade que afetou, pode afetar ou afeta a capacidade funcional do paciente”. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Primeira entrevista </li></ul><ul><li>Orientar: </li></ul><ul><li>trazer sacola com medicamentos que tem em casa, sobre tudo aqueles que toma no momento; </li></ul><ul><li>Todos os documentos relacionados a saúde (exames, laudos, diagnósticos etc.) </li></ul><ul><li>Se a data da entrevista for demorar sugerir ao paciente ligar para lembrá-lo. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>MEDICAMENTOS UTILIZADOS PELO PACIENTE </li></ul><ul><li>Deve-se responder a 10 perguntas: </li></ul><ul><li>Está utilizando? Para saber se esta tomando atualmente </li></ul><ul><li>Quem lhe receitou? Quem prescreveu ou aconselhou o uso do medicamento. </li></ul><ul><li>Para que? Para saber a visão do pacientesobre a função do medicamento que está utilizando. </li></ul><ul><li>Está melhor? Como o paciente percebe a efetividade do medicamento. </li></ul><ul><li>Desde de quando? Início da utilização do tratamento. Serve para estabelecer relação causal entre problemas e medicamentos. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Quanto? Posologia do medicamento. </li></ul><ul><li>Como usa? Maneira de tomá-lo durante o dia (durante ou após refeições, em uma hora determinada) </li></ul><ul><li>Até quando? Por quanto tempo deverá utilizar o medicamento. </li></ul><ul><li>Alguma dificuldade? Aspecto relacionada a forma farmacêutica (dificuldade de engolir, sabor desagradável, medo de injeção..) </li></ul><ul><li>Algo estranho? Relaciona a algum efeito indesejável à utilização do medicamento. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>FASE DE REVISÃO </li></ul><ul><li>Deverá seguir a seguinte ordem da cabeça aos pés: </li></ul><ul><li>-Cabelo, cabeça, ouvido, nariz e garganta, boca (ferida, seca), pescoço. </li></ul><ul><li>Braço, músculos, mãos (unhas, dedos) </li></ul><ul><li>Coração, pulmão, aparelho digestivo, rins (urina), fígado, aparelho genital. </li></ul><ul><li>Pernas e pé, músculos esqueléticos (dor nas costas, tendinite, artrose, artrite, gota), pele (secura, erupção) </li></ul><ul><li>Psicológico (depressão) </li></ul><ul><li>Neurológico (epilepsia) </li></ul>
  10. 10. PERGUNTAS QUE AUXILIAM NA FASE DE REVISÃO “ Você usa algum medicamento no cabelo, xampú especial?” “ Você comentou que sua cabeça dói com freqüência. Como é essa dor de cabeça e com que freqüência tem essa dor?” “ Você disse que têm depressão. O que você sente? O que leva você a sentir-se assim?”
  11. 11. <ul><li>Outros dados para a fase de revisão: </li></ul><ul><li>Parâmetros fisiológicos : colesterol, ácido úrico, pressão arterial...Toma alguma vitamina, ou algum outro produto que não considera medicamento, vacina...) </li></ul><ul><li>Hábitos de vida do paciente: fuma, bebe, outras drogas, café, atividades físicas, chá... </li></ul><ul><li>Finalize essa fase de revisão com: </li></ul><ul><li>endereço, telefone, data de nascimento, médicos que o atende. </li></ul><ul><li>OBS: registrar esses dados na história farmacoterapêutica do paciente. </li></ul><ul><li>Termina dizendo: “agora nossa entrevista terminou, se me autorizar daqui a alguns dias entrarei em contato com você após ter estudado seu caso.” </li></ul>
  12. 12. Importante: Deve-se atuar com prudência no atendimento dos primeiros pacientes, se ainda não temos experiência na aplicação dessa técnica, é melhor aprender com a experiência, e ter muita atenção nos dados fornecidos pelos paciente, pois um pequeno detalhe será fundamental para resolução dos PRMs .
  13. 13. <ul><li>ESTADO DE SITUAÇÃO (ES) </li></ul><ul><li>Define como: relação entre seus problemas de saúde e seus medicamentos numa data determinada. </li></ul><ul><li>O primeiro ES é o resultado dos resultados da primeira entrevista, e a data se refere a esse dia. </li></ul><ul><li>O corpo central do ES consta de quatro grandes partes: </li></ul><ul><li>Problema de saúde; </li></ul><ul><li>Medicamentos; </li></ul><ul><li>Avaliação </li></ul><ul><li>Intervenção farmacêutica </li></ul>
  14. 14. <ul><li>PROBLEMAS DE SAÚDE </li></ul><ul><li>Data que iniciou o problema de saúde; </li></ul><ul><li>Grau de controle do problema de saúde. Escreve-se “S” se o problema está controlado e “N” se não estiver controlado. </li></ul><ul><li>MEDICAMENTOS </li></ul><ul><li>-Data que iniciou a medicação; </li></ul><ul><li>Medicamentos que tratam o problema de saúde (princípio ativo); </li></ul><ul><li>Posologia. Se o paciente toma um de manhã e outro só à noite registra-se: 1 – 0 - 1 </li></ul>
  15. 16. <ul><li>AVALIAÇÃO: </li></ul><ul><li>Utiliza-se para relacionar os Problemas Relacionados à Medicamentos (PRM) se caso existir. </li></ul><ul><li>Registrado como: </li></ul><ul><li>Primeira coluna: “N” (necessidade), “E” (efetividade) e “S” (segurança) nas quais se anotará SIM ou NÃO. </li></ul><ul><li>Segunda coluna: relacionar o PRM </li></ul>
  16. 19. <ul><li>INTERVENÇÃO FARMACÊUTICA </li></ul><ul><li>Relacionar problemas de saúde que tenham correlação entre si, para facilitar a resolução dos PRM, pois ajudará a entender a possíveis estratégias terapêuticas prescritas pelo médico. </li></ul><ul><li>FASE DE ESTUDO </li></ul><ul><li>Objetivo: obter a informação necessária dos problemas de saúde e dos medicamentos registrados no estado de situação, para sua posterior avaliação. </li></ul><ul><li>Consta de: </li></ul><ul><li>Os problemas de saúde </li></ul><ul><li>Os medicamentos </li></ul>
  17. 20. <ul><li>Quanto aos problemas de saúde é necessário levar em conta que: </li></ul><ul><li>É conveniente iniciar os problemas de saúde diagnosticados pelo médico. </li></ul><ul><li>O farmacêutico é um profissional que conhece os medicamentos, porém não as doenças. Ao estudar certos aspectos se entenderão os porquês de cada medicamento e seu propósito, assim como sua utilidade e limitações no controle do problema. </li></ul>
  18. 21. <ul><li>Os aspectos mais interessantes para o farmacêutico em cada doença serão basicamente: </li></ul><ul><li>Sinais e sintomas a controlar ou parâmetros consensuais de controle , que logo poderão dar lugar a suspeitas de falta de efetividade dos tratamentos; </li></ul><ul><li>Mecanismo fisiológicos de inicio da doença para assim entender como atuam os medicamentos e interferem no curso da doença ou então, para relacionar com os problemas de saúde que poderão surgir; </li></ul><ul><li>Causas e conseqüências dos problemas de saúde no paciente para entender como realizar prevenção e educação sanitária do paciente, e por outra parte para conhecer quais são os riscos </li></ul>
  19. 22. “ Aprofundar nos conhecimentos do problema de saúde do paciente ajudará tanto no estabelecimento de prioridades quanto na dinâmica das intervenções. Se entendendo os problemas de saúde, se melhora o conhecimento da evolução do paciente. Aprofundando ao máximo o conhecimento da origem do problema de saúde, suas conseqüências e sua relação com os outros, melhorará a qualidade da Intervenção Farmacêutica, que objetiva resolver os possíveis PRM que o paciente poderá vir a experimentar. “
  20. 23. <ul><li>MEDICAMENTOS </li></ul><ul><li>Para análise dos medicamentos é importante levar em conta que: </li></ul><ul><li>É necessário realizar um bom estudo dos medicamentos que o paciente utiliza, para que a intervenção tenha maiores garantias de ser útil na saúde do paciente; </li></ul><ul><li>O estudo dos medicamentos deve iniciar partindo das características gerais do grupo terapêutico a que pertence cada fármaco, até a análise dos aspectos mais particulares. </li></ul><ul><li>CONHECER os problemas de saúde e medicamentos em profundidade ajudará a esclarecer muitas dúvidas, porém nunca se poderá assegurar nada até que o PRM desapareça após a INTERVENÇÃO FARMACÊUTICA. </li></ul>
  21. 24. <ul><li>Os aspectos mais importantes a se considerar dos medicamentos são os seguintes: </li></ul><ul><li>Indicações autorizadas; </li></ul><ul><li>Ação e mecanismo de ação; </li></ul><ul><li>Posologia; </li></ul><ul><li>Margem terapêutica ( dose mínima efetiva e à máxima segura); </li></ul><ul><li>Farmacocinética; </li></ul><ul><li>Interações; </li></ul><ul><li>Interferências analíticas ( medicamento por ex. está  colesterol, glicemia, etc); </li></ul><ul><li>Precauções; </li></ul><ul><li>Contra-indicações; </li></ul><ul><li>Problemas de segurança (efeitos indesejáveis). </li></ul>
  22. 34. FIM

×