A criança autista pdf

11.162 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

A criança autista pdf

  1. 1. AUTISMOA criança Autista As definições acerca do autismo são várias, passo de seguida a enunciar umadelas, referindo também alguns traços gerais sobre o mesmo. O autismo consiste num problema neurológico que se caracteriza por umdecréscimo da comunicação e das interacções sociais. A criança autista é considerada única e não deixa de passar por todas as etapasda vida como qualquer outro ser humano. O autismo não é causado por factores deordem psicológica, é considerada uma deficiência e não uma doença mental. O alunoportador de autismo é considerado um aluno com necessidades educativas especiais. A fisionomia destas crianças é normal, porém apresentam uma expressão facialvazia. Normalmente têm um Q.I (quo eficiente de inteligência) abaixo da média, masnão pode ser definido com uma forma de retardo mental. O problema central dos autistas centra-se em três áreas essenciais: Interacção social Imaginação Comunicação Memorização de rotinas Áreas fortes dos autistas Processamento visual No que se refere às características demonstradas pelos portadores de autismo,pode-se destacar as seguintes: Em Bebé  Demonstrar Indiferença  Falta de interesse pelas pessoas  Não dar respostas  Pode ter problemas de alimentação
  2. 2. AUTISMO Não procurar contacto ocular Até aos 12 meses Aparecimento de comportamentos repetitivos, restritivos ou estereotipados (bater palmas, abanar a cabeça…) Pode ter interesse obsessivo por um determinado brinquedo ou objecto Pode tardar em andar Até aos 24 meses Manifestar ausência ou dificuldade de comunicação verbal ou gestual A linguagem pode tardar ou não aparecer A criança pode não manifestar interesse pelas actividades que requerem a sua autonomia Pode dar respostas inadequadas aos estímulos sensoriais Depois dos 2 anos Pode não brincar normalmente Os problemas cognitivos especialmente de linguagem são perceptíveis Fala utilizando padrões repetitivos e não usa “sim” ou “não”, inverte pronomes Período dos 3 aos 6 anos Etapa mais difícil para a criança e para os pais, pois a deficiência manifesta- se claramente Podem aparecer comportamentos agressivos Dos 6 anos à adolescência Os comportamentos mais perturbadores tendem a diminuir, mas o autismo permanece ate ao fim da vida
  3. 3. AUTISMO Em sumo em termos gerais as características típicas dos autistas são:  Dificuldade quanto ao relacionamento com os outros  Incapacidade de estabelecer interacções sócias  Intolerância ao contacto físico  Dependência de rotinas e resistência à mudança  Comportamentos compulsivos  Repetição de palavras proferidas por outros (ecolalia)  … Tendo em conta tudo o que referi anteriormente, e tendo como ponto fulcral aindividualidade de cada um, importa ressalvar a importância de realizar um bomdiagnóstico à criança autista, este só será eficaz se for realizado por equipainterdisciplinar de profissionais, recurso à anamnese (historia de vida familiar, escolar)realização de testes, entre outros. Tendo em conta o diagnóstico traça-se um plano deIntervenção. Esta deve ter como objectivo fundamental tornar o individuo o maisindependente possível em todas as áreas de actuação. No que se refere à Intervenção, é importante referir que já existem algunsprogramas pré-definidos e que são muito utilizados, são eles:  TEACCH – tratamento e educação para crianças autistas e com distúrbios de comunicação  ABA – análise aplicada do comportamento  PECS – sistema de comunicação através da troca de figuras Existem também algumas técnicas que são bastante reconhecidas e utilizadas,que passo de seguida a citar:  FC – comunicação facilitada  O uso do computador  AIT – integração auditiva  SI – integração sensorial
  4. 4. AUTISMO As terapias complementares são igualmente importantes neste processo deintervenção. Estas terapias ajudam a criança a atenuar algumas lacunas a nível dascondutas de afeição, da interacção e reciprocidade. Alguns exemplos de terapias complementares:  Psicomotricidade  Grafo motricidade  Musicoterapia  Técnicas de relaxamento  Massagem  Balneoterapia  Terapia ocupacional  Equoterapia Além destes métodos de intervenção já definidos e elaborados, oPsicopedagogo de seguida apresenta em traços gerais alguns meios de Intervenção. No que se refere aos professores  Curriculum adaptado – PEI programa educativo individualizado  Inclusão em classes regulares  Planos de comportamento, ao controlo positivo do comportamento  Definição de Regras claras  O professor tem que realizar a sua avaliação baseada em objectivos  Rotinas específicas  Organização dos espaços materiais e actividades  … No que diz respeito aos pais algumas estratégias a seguir  Frequentar locais públicos com o seu filho  Trabalhar a independência do seu educando (vestir, comer, beber, lavar os dentes…)  Estabelecer rotinas que facilitem a organização do seu filho
  5. 5. AUTISMO Em suma estas crianças têm características muito especiais e particulares, ecomo tal o modo como intervimos deve ser muito bem delineado e pensado. Autoria Helena Dias

×