SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 55
Projetos Centrados na Experiência do Usuário (o valor da experiência do usuário para o negócio) Prof.a Thaïs Campas
 
 
A internet é um caldeirão fervilhante, onde novas idéias brotam todos os dias…
Um caldeirão que trabalha em “ciclos”…
Tivemos o ciclo dos portais, dos blogs, das redes sociais, das compras coletivas e ainda teremos tantos outros…
Este enorme caldeirão não está apenas na internet, mas no mundo geek, nos smartphones, games, tablets e no universo da tecnologia da informação e comunicação de uma maneira geral…
Mas embora muitos produtos e serviços sejam lançados, poucos ou quase nenhum sobreviverá à “seleção natural” do mercado online e offline.
? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? Existe uma regra para determinar os sobreviventes?
Muitas variáveis entrariam nesta análise… Mercado, ambiente econômico, particularidades e limitações sócio-culturais, por exemplo…
E entraria também: A experiência do usuário ou UX…
UX   significa: User Experience.
Ou: Experiência do Usuário.
Imagine o usuário como um alvo… um objetivo a ser atingido. Sua meta é conquistar este sujeito, fazer com que ele se torne um “cliente” efetivo.
Imagine também quantos concorrentes querem o mesmo que você. Muitas flechas tentando atingir o mesmo alvo!
 
Mas só alguns ou apenas um produto/serviço/fornecedor/marca vai atingir o objetivo e alcançar as metas desejadas…
 
Os produtos e serviços que se enquadram nas necessidades e desejos dos usuários serão os vencedores dessa corrida.
Podemos dizer que essa experiência acontece em 3 níveis.
Nível lógico e objetivo: Produtos e serviços que resolvem a vida do usuário, solucionam problemas e facilitam questões práticas.
Nível Emocional: Produtos e serviços que satisfazem necessidades e desejos afetivos e subjetivos dos usuários.
Nível Visceral: Produtos e serviços que satisfazem e resolvem questões fundamentais na vida dos usuários sem que eles/elas tenham consciencia disso.
Nível lógico e objetivo: Decisão Objetiva
Nível Emocional: Decisão Emocional
Nível Visceral: Decisão por impulso
Usuário A razão, a emoção e o instinto fazem parte da experiência do indivíduo e definem situações de aprendizado dentro de um contexto e um cenário específico.
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Affordances Mas além disso, também há um conceito importante em UX, que a usabilidade de inspetoria nem sempre aborda, e que atinge a motivação visceral dos usuários nos processos interativos.
E  affordances ? Você sabe  o que é?
Affordance : Refere-se ao atributo de um objeto que permite às pessoas aferir como utilizá-lo .  Norman (em1988) definiu o termo como “dar uma pista” e introduziu o termo para falar sobre o design de objetos de uso diário. Norman dividiu as affordances em dois tipos básicos: Affordances reais e Affordances percebidas
Affordances reais : Pistas concretas diretas de como utilizar um objeto ou interface dura (hardware). Affordances Percebidas : Pistas abstratas de como utilizar as metáforas e artefatos dentro das interfaces.
Affordance : Como utilizar ou interagir com objetos??? Cores, formas, cheiros, sons nos dão pistas da  utilidade dos objetos .
Affordances : Estão profundamente ligadas ao sucesso da  inovação. Affordances : Refletem motivações profundas, coletivas ou individuais.
Affordances : Affordances são fundamentais para fechar o conceito de produtos. Affordances : Affordances em projetos centrados na experiência do usuário refletem suas necessidades e as soluções latentes para projetos de produtos.
Affordances : A experiência do usuário evolui com o passar do tempo. Affordances : Algo que não fazia sentido, passa a fazer parte do repertório do usuário algum tempo depois.
Affordance : Uma pista imediatamente reconhecida pelo usuário é um conhecimento em “terceiridade”, ou seja, trata-se de uma pista que já faz parte do repertório do usuário .  O conceito de  Affordance  tornou-se muito popular entre designers: a interface dos objetos deve ser projetada de maneira a tornar óbvio o seu padrão de utilização .
Affordances : Atingem o usuário de forma visceral.
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Projetos UX centered  x   Projetos centrados no negócio.
Projetos centrados no Negócio : Processos de interação são concebidos com base em modelos de operação dos negócios. O produto reflete requisitos de negócios. Projetos UX centered : Processos são concebidos com base na experiência do usuário: usabilidade e utilidade. Affordances, cenário e contexto de uso. O produto reflete necessidades latentes e conscientes dos usuários.
Projetos centrados no Negócio : Projetos  centrados  no negócio são  centrados  no desenvolvimento do produto. Projetos UX centered : Projetos  centrados  no usuário são  centrados  na experiência que o produto proporciona ao usuário.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A capacidade de inovar seguindo as tendências corretas de consumo em termos de tecnologias da informação e comunicação necessita de uma correta análise das  affordances ,  usabilidade  e  utilidade  das interfaces.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
UX: Final – Palestra 18/05/2011 Thaïs Campas A.I. Sr / analista de usabilidade [email_address] @thcampas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Usabilidade, IHC - Definições
Usabilidade, IHC - DefiniçõesUsabilidade, IHC - Definições
Usabilidade, IHC - DefiniçõesLuiz Agner
 
Design de Interação, Experiência do Usuário e Usabilidade - 2010
Design de Interação, Experiência do Usuário e Usabilidade - 2010Design de Interação, Experiência do Usuário e Usabilidade - 2010
Design de Interação, Experiência do Usuário e Usabilidade - 2010Mourylise Heymer
 
Ihc 01-conceitos básicos
Ihc 01-conceitos básicosIhc 01-conceitos básicos
Ihc 01-conceitos básicosEduardo Xavier
 
Usuários e designers: quem é quem no codesign?
Usuários e designers: quem é quem no codesign?Usuários e designers: quem é quem no codesign?
Usuários e designers: quem é quem no codesign?Rodrigo Freese Gonzatto
 
Introdução à teoria da interatividade
Introdução à teoria da interatividadeIntrodução à teoria da interatividade
Introdução à teoria da interatividadeLuís
 
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenInteração Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenRos Galabo, PhD
 
Palestra Usabilidade
Palestra UsabilidadePalestra Usabilidade
Palestra Usabilidadelucattony
 
Design e Usabilidade na Web
Design e Usabilidade na WebDesign e Usabilidade na Web
Design e Usabilidade na WebMarcelo Vianna
 
Introdução à teoria da interactividade
Introdução à teoria da interactividadeIntrodução à teoria da interactividade
Introdução à teoria da interactividadeJoão Sá
 
Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Usabilidade de Interfaces - Parte 1Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Usabilidade de Interfaces - Parte 1Oziel Moreira Neto
 
Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )Jesse Teixeira
 
Usabilidade de Interfaces - Parte 3
Usabilidade de Interfaces - Parte 3Usabilidade de Interfaces - Parte 3
Usabilidade de Interfaces - Parte 3Oziel Moreira Neto
 
Usuários e Produção da Existência: contribuições de Álvaro Vieira Pinto e Pau...
Usuários e Produção da Existência: contribuições de Álvaro Vieira Pinto e Pau...Usuários e Produção da Existência: contribuições de Álvaro Vieira Pinto e Pau...
Usuários e Produção da Existência: contribuições de Álvaro Vieira Pinto e Pau...Rodrigo Freese Gonzatto
 
Aula 2. Fatores Humanos em IHC
Aula 2. Fatores Humanos em IHCAula 2. Fatores Humanos em IHC
Aula 2. Fatores Humanos em IHCSilvia Dotta
 
Jordana Mello
Jordana MelloJordana Mello
Jordana Melloossobuco
 

Mais procurados (20)

Usabilidade, IHC - Definições
Usabilidade, IHC - DefiniçõesUsabilidade, IHC - Definições
Usabilidade, IHC - Definições
 
Design de Interação, Experiência do Usuário e Usabilidade - 2010
Design de Interação, Experiência do Usuário e Usabilidade - 2010Design de Interação, Experiência do Usuário e Usabilidade - 2010
Design de Interação, Experiência do Usuário e Usabilidade - 2010
 
Ihc 01-conceitos básicos
Ihc 01-conceitos básicosIhc 01-conceitos básicos
Ihc 01-conceitos básicos
 
Do GUI aos ambientes imersos
Do GUI aos ambientes imersosDo GUI aos ambientes imersos
Do GUI aos ambientes imersos
 
Usuários e designers: quem é quem no codesign?
Usuários e designers: quem é quem no codesign?Usuários e designers: quem é quem no codesign?
Usuários e designers: quem é quem no codesign?
 
Sc ad-tp-g4-a.ppt
Sc ad-tp-g4-a.pptSc ad-tp-g4-a.ppt
Sc ad-tp-g4-a.ppt
 
Introdução à teoria da interatividade
Introdução à teoria da interatividadeIntrodução à teoria da interatividade
Introdução à teoria da interatividade
 
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenInteração Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
 
Palestra Usabilidade
Palestra UsabilidadePalestra Usabilidade
Palestra Usabilidade
 
Design e Usabilidade na Web
Design e Usabilidade na WebDesign e Usabilidade na Web
Design e Usabilidade na Web
 
Introdução à teoria da interactividade
Introdução à teoria da interactividadeIntrodução à teoria da interactividade
Introdução à teoria da interactividade
 
Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Usabilidade de Interfaces - Parte 1Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Usabilidade de Interfaces - Parte 1
 
Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )
 
Capitulo1
Capitulo1Capitulo1
Capitulo1
 
Usabilidade de Interfaces - Parte 3
Usabilidade de Interfaces - Parte 3Usabilidade de Interfaces - Parte 3
Usabilidade de Interfaces - Parte 3
 
Usuários e Produção da Existência: contribuições de Álvaro Vieira Pinto e Pau...
Usuários e Produção da Existência: contribuições de Álvaro Vieira Pinto e Pau...Usuários e Produção da Existência: contribuições de Álvaro Vieira Pinto e Pau...
Usuários e Produção da Existência: contribuições de Álvaro Vieira Pinto e Pau...
 
Ihc Aula7
Ihc Aula7Ihc Aula7
Ihc Aula7
 
Aula 2. Fatores Humanos em IHC
Aula 2. Fatores Humanos em IHCAula 2. Fatores Humanos em IHC
Aula 2. Fatores Humanos em IHC
 
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
 
Jordana Mello
Jordana MelloJordana Mello
Jordana Mello
 

Destaque

Como potencializar a experiência de uso (e vendas) pelo Mobile
Como potencializar a experiência de uso (e vendas) pelo MobileComo potencializar a experiência de uso (e vendas) pelo Mobile
Como potencializar a experiência de uso (e vendas) pelo MobileCarla De Bona
 
A Experiência do Usuário no Desenvolvimento de Interfaces Digitais Acessíveis...
A Experiência do Usuário no Desenvolvimento de Interfaces Digitais Acessíveis...A Experiência do Usuário no Desenvolvimento de Interfaces Digitais Acessíveis...
A Experiência do Usuário no Desenvolvimento de Interfaces Digitais Acessíveis...Universidade Federal do Rio Grande do Sul
 
Softkinetic user interface evolution by Ilse Ravyse and Tanya Varbanove
Softkinetic user interface evolution by Ilse Ravyse and Tanya VarbanoveSoftkinetic user interface evolution by Ilse Ravyse and Tanya Varbanove
Softkinetic user interface evolution by Ilse Ravyse and Tanya VarbanoveIndustrial Design Center
 
Kinetic sports online store (slide share)
Kinetic sports online store (slide share)Kinetic sports online store (slide share)
Kinetic sports online store (slide share)LimFJ
 
[GUTS-RS] Testes de Usabilidade e Acessibilidade para melhorar a experiência ...
[GUTS-RS] Testes de Usabilidade e Acessibilidade para melhorar a experiência ...[GUTS-RS] Testes de Usabilidade e Acessibilidade para melhorar a experiência ...
[GUTS-RS] Testes de Usabilidade e Acessibilidade para melhorar a experiência ...GUTS-RS
 
Natural User Interfaces
Natural User InterfacesNatural User Interfaces
Natural User InterfacesLuigi Oliveto
 
Natural User Interface Microsoft Kinect and Surface Computing
Natural User Interface Microsoft Kinect and Surface ComputingNatural User Interface Microsoft Kinect and Surface Computing
Natural User Interface Microsoft Kinect and Surface ComputingYuvaraj Ilangovan
 
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcu
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcuUsabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcu
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcuMarcello Cardoso
 
Design de interação e usabilidade
Design de interação e usabilidadeDesign de interação e usabilidade
Design de interação e usabilidadeInformantTalks
 
Natural User Interface Design
Natural User Interface DesignNatural User Interface Design
Natural User Interface DesignEdu Agni
 
Usabilidade aula-02. Metas e princípios
Usabilidade aula-02. Metas e princípiosUsabilidade aula-02. Metas e princípios
Usabilidade aula-02. Metas e princípiosAlan Vasconcelos
 
Interface é código: aprimorando a experiência do usuário no front e no back-end
Interface é código: aprimorando a experiência do usuário no front e no back-endInterface é código: aprimorando a experiência do usuário no front e no back-end
Interface é código: aprimorando a experiência do usuário no front e no back-endTalita Pagani
 
Plataforma iOS
Plataforma iOSPlataforma iOS
Plataforma iOSernandesjr
 
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3Guilherme Ranoya
 
Fundamentos Percepcao
Fundamentos PercepcaoFundamentos Percepcao
Fundamentos PercepcaoSTELASAKON
 
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webDaniel Brandão
 
Ergonomia & Usabilidade
Ergonomia & UsabilidadeErgonomia & Usabilidade
Ergonomia & UsabilidadeLuiz China
 

Destaque (20)

Como potencializar a experiência de uso (e vendas) pelo Mobile
Como potencializar a experiência de uso (e vendas) pelo MobileComo potencializar a experiência de uso (e vendas) pelo Mobile
Como potencializar a experiência de uso (e vendas) pelo Mobile
 
Interface Homem Computador - Aula02 - Principios de design em IHC
Interface Homem Computador - Aula02 - Principios de design em IHCInterface Homem Computador - Aula02 - Principios de design em IHC
Interface Homem Computador - Aula02 - Principios de design em IHC
 
A Experiência do Usuário no Desenvolvimento de Interfaces Digitais Acessíveis...
A Experiência do Usuário no Desenvolvimento de Interfaces Digitais Acessíveis...A Experiência do Usuário no Desenvolvimento de Interfaces Digitais Acessíveis...
A Experiência do Usuário no Desenvolvimento de Interfaces Digitais Acessíveis...
 
Softkinetic user interface evolution by Ilse Ravyse and Tanya Varbanove
Softkinetic user interface evolution by Ilse Ravyse and Tanya VarbanoveSoftkinetic user interface evolution by Ilse Ravyse and Tanya Varbanove
Softkinetic user interface evolution by Ilse Ravyse and Tanya Varbanove
 
Kinetic sports online store (slide share)
Kinetic sports online store (slide share)Kinetic sports online store (slide share)
Kinetic sports online store (slide share)
 
[GUTS-RS] Testes de Usabilidade e Acessibilidade para melhorar a experiência ...
[GUTS-RS] Testes de Usabilidade e Acessibilidade para melhorar a experiência ...[GUTS-RS] Testes de Usabilidade e Acessibilidade para melhorar a experiência ...
[GUTS-RS] Testes de Usabilidade e Acessibilidade para melhorar a experiência ...
 
Natural User Interfaces
Natural User InterfacesNatural User Interfaces
Natural User Interfaces
 
Usabilidade
UsabilidadeUsabilidade
Usabilidade
 
Natural User Interface Microsoft Kinect and Surface Computing
Natural User Interface Microsoft Kinect and Surface ComputingNatural User Interface Microsoft Kinect and Surface Computing
Natural User Interface Microsoft Kinect and Surface Computing
 
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcu
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcuUsabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcu
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcu
 
Design de interação e usabilidade
Design de interação e usabilidadeDesign de interação e usabilidade
Design de interação e usabilidade
 
Natural User Interface Design
Natural User Interface DesignNatural User Interface Design
Natural User Interface Design
 
Usabilidade aula-02. Metas e princípios
Usabilidade aula-02. Metas e princípiosUsabilidade aula-02. Metas e princípios
Usabilidade aula-02. Metas e princípios
 
Interface é código: aprimorando a experiência do usuário no front e no back-end
Interface é código: aprimorando a experiência do usuário no front e no back-endInterface é código: aprimorando a experiência do usuário no front e no back-end
Interface é código: aprimorando a experiência do usuário no front e no back-end
 
Plataforma iOS
Plataforma iOSPlataforma iOS
Plataforma iOS
 
Natural user interface
Natural user interfaceNatural user interface
Natural user interface
 
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
 
Fundamentos Percepcao
Fundamentos PercepcaoFundamentos Percepcao
Fundamentos Percepcao
 
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na web
 
Ergonomia & Usabilidade
Ergonomia & UsabilidadeErgonomia & Usabilidade
Ergonomia & Usabilidade
 

Semelhante a Palestra Experiência do Usuário no contexto do negócio (UX Expert)

Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.
Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.
Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.Impacta Eventos
 
Palestra UX e AI
Palestra UX e AIPalestra UX e AI
Palestra UX e AIklaibert
 
Usabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper PrototypeUsabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper Prototypeeudisnet
 
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...Impacta Eventos
 
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...Impacta Eventos
 
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e ExperiênciasAndreza Godoy
 
Chega de "tapa na UX" - Agile trends 2016
Chega de "tapa na UX" - Agile trends 2016Chega de "tapa na UX" - Agile trends 2016
Chega de "tapa na UX" - Agile trends 2016Tiago Silva da Silva
 
Design Centrado no Usuário para Interface Digital
Design Centrado no Usuário para Interface DigitalDesign Centrado no Usuário para Interface Digital
Design Centrado no Usuário para Interface DigitalMarconi Pacheco
 
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação para o mercado / Webinar BR-CH...
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação  para o mercado / Webinar BR-CH...Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação  para o mercado / Webinar BR-CH...
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação para o mercado / Webinar BR-CH...Rafael Burity
 
User experience
User experienceUser experience
User experiencecarleine
 
Aula 01 - Conceitos de IHC - Prof.ª Cristiane Fidelix
Aula 01 - Conceitos de IHC - Prof.ª Cristiane FidelixAula 01 - Conceitos de IHC - Prof.ª Cristiane Fidelix
Aula 01 - Conceitos de IHC - Prof.ª Cristiane FidelixCris Fidelix
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service DesignErico Fileno
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service DesignErico Fileno
 
Design Sistemas Centrado Usuario
Design Sistemas Centrado UsuarioDesign Sistemas Centrado Usuario
Design Sistemas Centrado UsuarioElisabeth Dudziak
 
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato RosaPalestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosawudrs
 
ICPD_2011_2012
ICPD_2011_2012ICPD_2011_2012
ICPD_2011_2012Rui Raposo
 
Modulo iii arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampas
Modulo iii arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampasModulo iii arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampas
Modulo iii arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampasThais Campas
 
A importancia de IHC no desenvolvimento de software
A importancia de IHC no desenvolvimento de softwareA importancia de IHC no desenvolvimento de software
A importancia de IHC no desenvolvimento de softwareFlavia Negrao
 

Semelhante a Palestra Experiência do Usuário no contexto do negócio (UX Expert) (20)

Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.
Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.
Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.
 
Palestra UX e AI
Palestra UX e AIPalestra UX e AI
Palestra UX e AI
 
Usabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper PrototypeUsabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper Prototype
 
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
 
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
Arquitetura da Informação como Ferramenta Indispensável em Estratégias Corpor...
 
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências
 
Chega de "tapa na UX" - Agile trends 2016
Chega de "tapa na UX" - Agile trends 2016Chega de "tapa na UX" - Agile trends 2016
Chega de "tapa na UX" - Agile trends 2016
 
Apresentação tarefa 2 ihm
Apresentação tarefa 2 ihmApresentação tarefa 2 ihm
Apresentação tarefa 2 ihm
 
Design Centrado no Usuário para Interface Digital
Design Centrado no Usuário para Interface DigitalDesign Centrado no Usuário para Interface Digital
Design Centrado no Usuário para Interface Digital
 
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação para o mercado / Webinar BR-CH...
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação  para o mercado / Webinar BR-CH...Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação  para o mercado / Webinar BR-CH...
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação para o mercado / Webinar BR-CH...
 
User experience
User experienceUser experience
User experience
 
Aula 01 - Conceitos de IHC - Prof.ª Cristiane Fidelix
Aula 01 - Conceitos de IHC - Prof.ª Cristiane FidelixAula 01 - Conceitos de IHC - Prof.ª Cristiane Fidelix
Aula 01 - Conceitos de IHC - Prof.ª Cristiane Fidelix
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 
Design Sistemas Centrado Usuario
Design Sistemas Centrado UsuarioDesign Sistemas Centrado Usuario
Design Sistemas Centrado Usuario
 
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato RosaPalestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
 
ICPD_2011_2012
ICPD_2011_2012ICPD_2011_2012
ICPD_2011_2012
 
Usabilidade na tv digital
Usabilidade na tv digitalUsabilidade na tv digital
Usabilidade na tv digital
 
Modulo iii arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampas
Modulo iii arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampasModulo iii arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampas
Modulo iii arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampas
 
A importancia de IHC no desenvolvimento de software
A importancia de IHC no desenvolvimento de softwareA importancia de IHC no desenvolvimento de software
A importancia de IHC no desenvolvimento de software
 

Mais de Impacta Eventos

A Falência do Modelo Atual do EAD
A Falência do Modelo Atual do EADA Falência do Modelo Atual do EAD
A Falência do Modelo Atual do EADImpacta Eventos
 
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as OrganizaçõesSistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as OrganizaçõesImpacta Eventos
 
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de GestãoGeração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de GestãoImpacta Eventos
 
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?Impacta Eventos
 
A produção editorial e os profissionais de criação.
A produção editorial e os profissionais de criação.A produção editorial e os profissionais de criação.
A produção editorial e os profissionais de criação.Impacta Eventos
 
Inteligencia Corporativa - Alex Fontes
Inteligencia Corporativa - Alex FontesInteligencia Corporativa - Alex Fontes
Inteligencia Corporativa - Alex FontesImpacta Eventos
 
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana ManettiEmpregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana ManettiImpacta Eventos
 
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...Impacta Eventos
 
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz RinkeU-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz RinkeImpacta Eventos
 
Por que programar para mobile cópia
Por que programar para mobile cópiaPor que programar para mobile cópia
Por que programar para mobile cópiaImpacta Eventos
 
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up BrasilImpacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up BrasilImpacta Eventos
 
Oportunidades de Carreiras no E-Commerce
Oportunidades de Carreiras no E-CommerceOportunidades de Carreiras no E-Commerce
Oportunidades de Carreiras no E-CommerceImpacta Eventos
 
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)Impacta Eventos
 
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...Impacta Eventos
 
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...Impacta Eventos
 
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)Impacta Eventos
 
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre MirandaPanorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre MirandaImpacta Eventos
 

Mais de Impacta Eventos (20)

A Falência do Modelo Atual do EAD
A Falência do Modelo Atual do EADA Falência do Modelo Atual do EAD
A Falência do Modelo Atual do EAD
 
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as OrganizaçõesSistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
 
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de GestãoGeração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
 
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
 
A produção editorial e os profissionais de criação.
A produção editorial e os profissionais de criação.A produção editorial e os profissionais de criação.
A produção editorial e os profissionais de criação.
 
Inteligencia Corporativa - Alex Fontes
Inteligencia Corporativa - Alex FontesInteligencia Corporativa - Alex Fontes
Inteligencia Corporativa - Alex Fontes
 
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana ManettiEmpregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
 
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
 
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz RinkeU-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
 
Por que programar para mobile cópia
Por que programar para mobile cópiaPor que programar para mobile cópia
Por que programar para mobile cópia
 
Lean no bullshit
Lean no bullshitLean no bullshit
Lean no bullshit
 
Viva o Mobile!
Viva o Mobile! Viva o Mobile!
Viva o Mobile!
 
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up BrasilImpacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
 
Seguranca impacta
Seguranca impactaSeguranca impacta
Seguranca impacta
 
Oportunidades de Carreiras no E-Commerce
Oportunidades de Carreiras no E-CommerceOportunidades de Carreiras no E-Commerce
Oportunidades de Carreiras no E-Commerce
 
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
 
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
 
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
 
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
 
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre MirandaPanorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
 

Último

clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxGraycyelleCavalcanti
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 

Último (20)

clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 

Palestra Experiência do Usuário no contexto do negócio (UX Expert)

  • 1. Projetos Centrados na Experiência do Usuário (o valor da experiência do usuário para o negócio) Prof.a Thaïs Campas
  • 2.  
  • 3.  
  • 4. A internet é um caldeirão fervilhante, onde novas idéias brotam todos os dias…
  • 5. Um caldeirão que trabalha em “ciclos”…
  • 6. Tivemos o ciclo dos portais, dos blogs, das redes sociais, das compras coletivas e ainda teremos tantos outros…
  • 7. Este enorme caldeirão não está apenas na internet, mas no mundo geek, nos smartphones, games, tablets e no universo da tecnologia da informação e comunicação de uma maneira geral…
  • 8. Mas embora muitos produtos e serviços sejam lançados, poucos ou quase nenhum sobreviverá à “seleção natural” do mercado online e offline.
  • 9. ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? Existe uma regra para determinar os sobreviventes?
  • 10. Muitas variáveis entrariam nesta análise… Mercado, ambiente econômico, particularidades e limitações sócio-culturais, por exemplo…
  • 11. E entraria também: A experiência do usuário ou UX…
  • 12. UX significa: User Experience.
  • 13. Ou: Experiência do Usuário.
  • 14. Imagine o usuário como um alvo… um objetivo a ser atingido. Sua meta é conquistar este sujeito, fazer com que ele se torne um “cliente” efetivo.
  • 15. Imagine também quantos concorrentes querem o mesmo que você. Muitas flechas tentando atingir o mesmo alvo!
  • 16.  
  • 17. Mas só alguns ou apenas um produto/serviço/fornecedor/marca vai atingir o objetivo e alcançar as metas desejadas…
  • 18.  
  • 19. Os produtos e serviços que se enquadram nas necessidades e desejos dos usuários serão os vencedores dessa corrida.
  • 20. Podemos dizer que essa experiência acontece em 3 níveis.
  • 21. Nível lógico e objetivo: Produtos e serviços que resolvem a vida do usuário, solucionam problemas e facilitam questões práticas.
  • 22. Nível Emocional: Produtos e serviços que satisfazem necessidades e desejos afetivos e subjetivos dos usuários.
  • 23. Nível Visceral: Produtos e serviços que satisfazem e resolvem questões fundamentais na vida dos usuários sem que eles/elas tenham consciencia disso.
  • 24. Nível lógico e objetivo: Decisão Objetiva
  • 27. Usuário A razão, a emoção e o instinto fazem parte da experiência do indivíduo e definem situações de aprendizado dentro de um contexto e um cenário específico.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35. Affordances Mas além disso, também há um conceito importante em UX, que a usabilidade de inspetoria nem sempre aborda, e que atinge a motivação visceral dos usuários nos processos interativos.
  • 36. E affordances ? Você sabe o que é?
  • 37. Affordance : Refere-se ao atributo de um objeto que permite às pessoas aferir como utilizá-lo . Norman (em1988) definiu o termo como “dar uma pista” e introduziu o termo para falar sobre o design de objetos de uso diário. Norman dividiu as affordances em dois tipos básicos: Affordances reais e Affordances percebidas
  • 38. Affordances reais : Pistas concretas diretas de como utilizar um objeto ou interface dura (hardware). Affordances Percebidas : Pistas abstratas de como utilizar as metáforas e artefatos dentro das interfaces.
  • 39. Affordance : Como utilizar ou interagir com objetos??? Cores, formas, cheiros, sons nos dão pistas da utilidade dos objetos .
  • 40. Affordances : Estão profundamente ligadas ao sucesso da inovação. Affordances : Refletem motivações profundas, coletivas ou individuais.
  • 41. Affordances : Affordances são fundamentais para fechar o conceito de produtos. Affordances : Affordances em projetos centrados na experiência do usuário refletem suas necessidades e as soluções latentes para projetos de produtos.
  • 42. Affordances : A experiência do usuário evolui com o passar do tempo. Affordances : Algo que não fazia sentido, passa a fazer parte do repertório do usuário algum tempo depois.
  • 43. Affordance : Uma pista imediatamente reconhecida pelo usuário é um conhecimento em “terceiridade”, ou seja, trata-se de uma pista que já faz parte do repertório do usuário . O conceito de Affordance tornou-se muito popular entre designers: a interface dos objetos deve ser projetada de maneira a tornar óbvio o seu padrão de utilização .
  • 44. Affordances : Atingem o usuário de forma visceral.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48. Projetos UX centered x Projetos centrados no negócio.
  • 49. Projetos centrados no Negócio : Processos de interação são concebidos com base em modelos de operação dos negócios. O produto reflete requisitos de negócios. Projetos UX centered : Processos são concebidos com base na experiência do usuário: usabilidade e utilidade. Affordances, cenário e contexto de uso. O produto reflete necessidades latentes e conscientes dos usuários.
  • 50. Projetos centrados no Negócio : Projetos centrados no negócio são centrados no desenvolvimento do produto. Projetos UX centered : Projetos centrados no usuário são centrados na experiência que o produto proporciona ao usuário.
  • 51.
  • 52. A capacidade de inovar seguindo as tendências corretas de consumo em termos de tecnologias da informação e comunicação necessita de uma correta análise das affordances , usabilidade e utilidade das interfaces.
  • 53.
  • 54.  
  • 55. UX: Final – Palestra 18/05/2011 Thaïs Campas A.I. Sr / analista de usabilidade [email_address] @thcampas