ERGONOMIAINFORMACIONAL E IHCInteração Humano-ComputadorRosendy Jess Fernandez Galaborj@fgalabo.com@zndgalabo
Ementa da discplina5.5 Ergonomia e usabilidade de programas einteração homem-computador• 5.5.1 Usabilidade e utilidade de ...
Bibliografia1. BARBOSA, S.D.J.; SILVA,B.S. Interação Humano-Computador. EditoraCampus - Elsevier, 2010.2. CYBIS, W. A.; BE...
Bibliografia4. KRUG, Steve. SimplificandoCoisas que ParecemComplicadas. 1 ed. Rio deJaneiro: Alta Books. 2010.168p.5. GARR...
Bibliografia4. PREECE, J.; ROGERS, Y.;SHARP, H. Design deinteração: além da interaçãohomem-computador. PortoAlegre: Bookma...
Origens da Interação Humano-Computador• Durante os anos 1960 e início dos 1970, pesquisadoresdas ergonomia passaram a dar ...
Origens da Interação Humano-Computador• Final dos anos 1970, o amplo projeto de ciênciacognitiva, que incorporou a psicolo...
Origens da Interação Humano-Computador• Até final de 1970 –Profissionais datecnologia dainformação eprofissionaisdedicados...
Origens da Interação Humano-Computador• 1973 - Primeirocomputador pessoal,Alto, desenvolvido noXerox Palo AltoResearch Cen...
Origens da Interação Humano-Computador• Computação Pessoal• Aplicações deprodutividade• Editores de texto eplanilhas• Jogo...
Origens da Interação Humano-Computador• Meados de 1980• A engenharia de fatores humanos, que desenvolveu muitastécnicas pa...
Origens da Interação Humano-Computador• 1990• Tim Berners-Lee desenvolve a World-Wide Web (WWW)
Origens da Interação Humano-Computador• 1993• Lançamento do Mosaic, o primeiro browser amplamente utilizado.
O que é IHC?• IHC é um campo de estudo interdisciplinar que temcomo objetivo geral entender como e por que as pessoasutili...
HCIErgonomiaPsicologiaSocial e Orga-nizacionalPsicologiaCognitivaCiência daComputaçãoInteligênciaArtificialLinguística Fil...
O que é IHC?• É a área da ergonomia que estuda formas de aumentara compatibilidade entre as característicascomportamentais...
O que é IHC?• IHC é a disciplina preocupada com o design,avaliação e implementação de sistemascomputacionais interativos p...
Benefícios do IHC• Aumentar a produtividade;• Reduzir o número e a gravidade dos erroscometidos pelos usuários;• Reduzir o...
Elementos envolvidos na interaçãousuário-sistema• Interface - é o meio peloqual o diálogo entre ocomputador e o ser humano...
Elementos envolvidos na interaçãousuário-sistema• Interação Usuário-Sistema – Pode serconsiderada como tudo oque acontece ...
Elementos envolvidos na interaçãousuário-sistema• Affordance – conjunto das características de um objetocapazes de revelar...
UsabilidadeUsabilidadeInteraçãoHomem-ComputadorDesign deInterfacesDesignde TelasUsabilidadede Produto
Usabilidade• Em IHC, comumente utiliza-se a usabilidade como umdos critérios de qualidade de uso em sistemas interativos.(...
Usabilidade• Nielsen (2003) define usabilidade como “uma medida daqualidade da experiência do usuário ao interagir comalgu...
Usabilidade• Um atributo de qualidade relacionado à facilidade douso de algo. Refere-se à rapidez com que os usuáriospodem...
Usabilidade• De acordo com a ISO 9241-11, a usabilidade é umamedida na qual um produto pode ser usado por usuáriosespecífi...
Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Segundo Cybis et al. (2010), há uma configuração basea partir da qual ...
Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Regras de ouro (Ben Shneiderman)1. Perseguir a consistência;2. Fornece...
Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Princípios de diálogo (ISO 9241:10)• Adaptação à tarefa;• Autodescriçã...
Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Critérios ergonômicos (Bastien & Scapin)• Adaptação à tarefa;• Autodes...
Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Critérios ergonômicos (Bastien & Scapin)• Condução• Carga de trabalho•...
Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Heurísticas de usabilidade (Nielsen e Molich)• Visibilidade do estado ...
Heurísticas de usabilidade• Visibilidade do estado do sistema;• O sistema precisa manter os usuários informados sobretudo ...
Heurísticas de usabilidade• Mapeamento entre o sistema e o mundo real;• Deve-se utilizar terminologia familiar ao usuário,...
Heurísticas de usabilidade• Liberdade e controle ao usuário;• O sistema deve apresentar um certo grau de liberdade,permiti...
Heurísticas de usabilidade• Consistência e padrões;• O sistema deve ser previsível. Padrões para terminologia,cores, posic...
Heurísticas de usabilidade• Prevenção de erros;• Melhor do que boas mensagens de erro é um projetocuidadoso que previne a ...
Heurísticas de usabilidade• Reconhecimento em vez de memorização• Devem-se tornar visíveis objetos, ações e opções. Ousuár...
Heurísticas de usabilidade• Flexibilidade e eficiência de uso• Aceleradores de tarefa, como teclas de atalho,comandos escr...
Heurísticas de usabilidade• Design estético e minimalista;• Devem ser apresentadas apenas informações que ousuário necessi...
Heurísticas de usabilidade• Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar erecuperar ações erradas• Mensagens de erro deve...
Heurísticas de usabilidade• Help e documentação• É necessário prover help e documentação. Essasinformações devem ser de fá...
Referências bibliográficas• ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 9241-11/1998 -Requisitos Ergonômicos p...
Referências bibliográficas• MORAES, A. Design e Avaliação de interfaces, Rio de Janeiro: iUsEr, 2002.148p.• NORMAN, D. A. ...
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen

13.218 visualizações

Publicada em

Ergonomia Informacional e IHC (Interação Humano-computador) -
Design - UFMA

Prof. Dr. Carlos de Salles Soares Neto

Estágio a docência
Professor Auxiliar: Rosendy Jess Fernandez Galabo

Publicada em: Design
1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.218
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
40
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
484
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen

  1. 1. ERGONOMIAINFORMACIONAL E IHCInteração Humano-ComputadorRosendy Jess Fernandez Galaborj@fgalabo.com@zndgalabo
  2. 2. Ementa da discplina5.5 Ergonomia e usabilidade de programas einteração homem-computador• 5.5.1 Usabilidade e utilidade de interfaces• 5.5.2 Navegação em sistemas multimídia ehipertexto• 5.5.3 Projeto de telas• 5.5.4 Compreensibilidade de signos• 5.5.5 Legibilidade de textos eletrônicos
  3. 3. Bibliografia1. BARBOSA, S.D.J.; SILVA,B.S. Interação Humano-Computador. EditoraCampus - Elsevier, 2010.2. CYBIS, W. A.; BETIOL, A.H.; FAUST, R . Ergonomiae Usabilidade:conhecimentos, métodos eaplicações. 2. ed. SãoPaulo: Novatec Editora,2010. 422p.3. KRUG, Steve. Não me façapensar. 2 ed. Rio deJaneiro: Alta Books. 2011.201p.
  4. 4. Bibliografia4. KRUG, Steve. SimplificandoCoisas que ParecemComplicadas. 1 ed. Rio deJaneiro: Alta Books. 2010.168p.5. GARRETT, Jesse James. Theelements of user experience:user-centered design for theweb. New York: News Riders,2003.6. NIELSEN, Jakob; LORANGER,Hoa. Usabilidade na Web:projetando websites comqualidade. Rio de Janeiro:Campus, 2007.
  5. 5. Bibliografia4. PREECE, J.; ROGERS, Y.;SHARP, H. Design deinteração: além da interaçãohomem-computador. PortoAlegre: Bookman, 2005.5. SANTA ROSA, JoséGuilherme; MORAES,Anamaria de. Avaliação eprojeto no design deinterfaces. 1. Ed. Teresópolis,RJ: 2AB, 2008.6. UNGER, R. CHANDLER, C. OGuia para Projetar UX: AExperiência do Usuário (UX)para projetistas deconteúdodigital, aplicações eweb sites. Rio de Janeiro: AltaBooks, 2009. 268p.
  6. 6. Origens da Interação Humano-Computador• Durante os anos 1960 e início dos 1970, pesquisadoresdas ergonomia passaram a dar mais atenção a mapear oprocessamento da informação e de habilidadesdecisórias do usuário típico. (SANTA ROSA eMORAES, 2008)
  7. 7. Origens da Interação Humano-Computador• Final dos anos 1970, o amplo projeto de ciênciacognitiva, que incorporou a psicologia cognitiva,inteligência artificial, lingüística, antropologiacognitiva e a filosofia da mente, havia se formado.Parte do programa era articular as aplicaçõessistemáticas e cientificamente informada a serconhecida como “engenharia cognitiva” (CARROLL,2009)
  8. 8. Origens da Interação Humano-Computador• Até final de 1970 –Profissionais datecnologia dainformação eprofissionaisdedicados• Computação gráficasurgiu na década de1970.
  9. 9. Origens da Interação Humano-Computador• 1973 - Primeirocomputador pessoal,Alto, desenvolvido noXerox Palo AltoResearch Center(PARC) o primeirosistema comercial comum editor de texto,mouse, e interfacegráfica.
  10. 10. Origens da Interação Humano-Computador• Computação Pessoal• Aplicações deprodutividade• Editores de texto eplanilhas• Jogos de computador• Sistemas operacionais
  11. 11. Origens da Interação Humano-Computador• Meados de 1980• A engenharia de fatores humanos, que desenvolveu muitastécnicas para a análise empírica do sistema de interaçõeshumanas em domínios chamados de controle, tais como aviação efabricação, passou a ver IHC como um domínio importante edesafiador no qual os operadores humanos regularmenteexerciam maior resolução de descrição problemas.(CARROLL, 2009)
  12. 12. Origens da Interação Humano-Computador• 1990• Tim Berners-Lee desenvolve a World-Wide Web (WWW)
  13. 13. Origens da Interação Humano-Computador• 1993• Lançamento do Mosaic, o primeiro browser amplamente utilizado.
  14. 14. O que é IHC?• IHC é um campo de estudo interdisciplinar que temcomo objetivo geral entender como e por que as pessoasutilizam (ou não utilizam) a tecnologia da informação.(SANTA ROSA e MORAES, 2008).
  15. 15. HCIErgonomiaPsicologiaSocial e Orga-nizacionalPsicologiaCognitivaCiência daComputaçãoInteligênciaArtificialLinguística FilosofiaSociologiaAntropologiaDesignEngenhariaPREECE, 1993IHC
  16. 16. O que é IHC?• É a área da ergonomia que estuda formas de aumentara compatibilidade entre as característicascomportamentais humanas e o processamento /representação das informações através docomputador” (SCAPIN, 1993)• Complementando... Rocha e Baranauskas (2003)afirmam que:• “HCI trata do design de sistemas computacionais que auxiliemas pessoas de forma que possam executar suas atividadesprodutivamente e com segurança”.
  17. 17. O que é IHC?• IHC é a disciplina preocupada com o design,avaliação e implementação de sistemascomputacionais interativos para uso humano ecom o estudo dos principais fenômenos ao redordeles
  18. 18. Benefícios do IHC• Aumentar a produtividade;• Reduzir o número e a gravidade dos erroscometidos pelos usuários;• Reduzir o custo de treinamento;• Reduzir o custo de suporte técnico;• Aumentar as vendas e fidelidade do cliente;
  19. 19. Elementos envolvidos na interaçãousuário-sistema• Interface - é o meio peloqual o diálogo entre ocomputador e o ser humanoé estabelecido. Este diálogoacontece em harmonia,quando fatores humanossão considerados.(PRESSMAN, 1995).
  20. 20. Elementos envolvidos na interaçãousuário-sistema• Interação Usuário-Sistema – Pode serconsiderada como tudo oque acontece quando umapessoa e um sistemacomputacional se unempara realizar tarefas,visando um objetivo (Hix eHartson, 1993)
  21. 21. Elementos envolvidos na interaçãousuário-sistema• Affordance – conjunto das características de um objetocapazes de revelar aos seus usuários as operações emanipulações que eles podem fazer com ele (Norman,1988)
  22. 22. UsabilidadeUsabilidadeInteraçãoHomem-ComputadorDesign deInterfacesDesignde TelasUsabilidadede Produto
  23. 23. Usabilidade• Em IHC, comumente utiliza-se a usabilidade como umdos critérios de qualidade de uso em sistemas interativos.(BARBOSA e SILVA, 2010)• No intuito de facilitar o acesso e a navegação dentro emum website ou um sistema, estudos na área de InteraçãoHumano-Computador (IHC) são frequentementeutilizados sob a forma de recomendações de usabilidade.(SANTA ROSA e MORAES, 2008).
  24. 24. Usabilidade• Nielsen (2003) define usabilidade como “uma medida daqualidade da experiência do usuário ao interagir comalguma coisa – seja um site na Internet, um aplicativo desoftware tradicional, ou outro dispositivo que o usuáriopossa operar de alguma forma”.
  25. 25. Usabilidade• Um atributo de qualidade relacionado à facilidade douso de algo. Refere-se à rapidez com que os usuáriospodem aprender a usar alguma coisa, a eficiência delesao usá-la, o quanto lembram daquilo, seu grau depropensão a erros e o quanto gostam de utilizá-las. Seas pessoas não utilizarem um recurso, ele pode muitobem não existir. (NIELSEN e LORRANGER, 2007).
  26. 26. Usabilidade• De acordo com a ISO 9241-11, a usabilidade é umamedida na qual um produto pode ser usado por usuáriosespecíficos para alcançar objetivos específicos comeficácia, eficiência e satisfação em um contextoespecífico de uso.EFETIVIDADEEFICIÊNCIASATISFAÇÃOUSABILIDADEUsuários específicosTarefas específicasAmbientes específicos
  27. 27. Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Segundo Cybis et al. (2010), há uma configuração basea partir da qual uma interface pode favorecer oestabelecimento da usabilidade na relação usuário-sistema. Essa configuração se faz respeitando critérios,princípios ou heurísticas de usabilidade propostos pordiversos autores e instituições nas últimas décadas.• Regras de Ouro (Ben Shneiderman)• Princípios de diálogo (ISO 9241:10)• Critérios ergonômicos (Bastien & Scapin)• Heurísticas de usabilidade (Jakob Nielsen)
  28. 28. Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Regras de ouro (Ben Shneiderman)1. Perseguir a consistência;2. Fornecer atalhos;3. Fornecer feedback informativo;4. Marcar o final dos diálogos;5. Fornecer prevenção e manipulação simples de erros;6. Permitir o cancelamento de ações;7. Fornecer controle e iniciativa ao usuário;8. Reduzir a carga de memória de trabalho.
  29. 29. Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Princípios de diálogo (ISO 9241:10)• Adaptação à tarefa;• Autodescrição (feedback);• Controle ao usuário;• Conformidade às expectativas do usuário;• Tolerância aos erros;• Facilidade de individualização;• Facilidade de aprendizagem
  30. 30. Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Critérios ergonômicos (Bastien & Scapin)• Adaptação à tarefa;• Autodescrição (feedback);• Controle ao usuário;• Conformidade às expectativas do usuário;• Tolerância aos erros;• Facilidade de individualização;• Facilidade de aprendizagem
  31. 31. Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Critérios ergonômicos (Bastien & Scapin)• Condução• Carga de trabalho• Controle explícito• Adaptabilidade• Gestão de erros• Homogeneidade/consistência• Compatibilidade
  32. 32. Critérios e princípios para o projeto deinterfaces• Heurísticas de usabilidade (Nielsen e Molich)• Visibilidade do estado do sistema;• Mapeamento entre o sistema e o mundo real;• Liberdade e controle ao usuário;• Consistência e padrões;• Prevenção de erros;• Reconhecer em vez de relembrar;• Flexibilidade e eficiência de uso;• Design estético e minimalista;• Suporte para o usuário reconhecer, diagnosticar erecuperar erros;• Ajuda e documentação
  33. 33. Heurísticas de usabilidade• Visibilidade do estado do sistema;• O sistema precisa manter os usuários informados sobretudo o que acontece por feedbacks em tempo adequado.Deve-se informar aos usuários onde eles estão, de ondeveem e para onde vão enquanto navegam pelas telas dosistema.
  34. 34. Heurísticas de usabilidade• Mapeamento entre o sistema e o mundo real;• Deve-se utilizar terminologia familiar ao usuário, e nãotermos específicos de processamento de dados ou dosistema em questão. As instruções devem aparecer deforma lógica e natural, que faça sentido para o usuário
  35. 35. Heurísticas de usabilidade• Liberdade e controle ao usuário;• O sistema deve apresentar um certo grau de liberdade,permitindo que o usuário possa fazer escolhas e sair desituações inesperadas, como por exemplo, engano dousuário ou erros do sistema.
  36. 36. Heurísticas de usabilidade• Consistência e padrões;• O sistema deve ser previsível. Padrões para terminologia,cores, posicionamento e outros atributos de elementosdevem ser estabelecidos com coerência ao longo de todaa interface gráfica do usuário.• A consistência não é apenas uma questão de design detela, mas inclui considerações sobre a tarefa e a estruturade funcionalidade do sistema
  37. 37. Heurísticas de usabilidade• Prevenção de erros;• Melhor do que boas mensagens de erro é um projetocuidadoso que previne a ocorrência de problemas
  38. 38. Heurísticas de usabilidade• Reconhecimento em vez de memorização• Devem-se tornar visíveis objetos, ações e opções. Ousuário não deve ter que se lembrar de informações deuma para outra parte do diálogo. Instruções para uso dosistema devem estar visíveis e facilmenterecuperáveis quando necessário.
  39. 39. Heurísticas de usabilidade• Flexibilidade e eficiência de uso• Aceleradores de tarefa, como teclas de atalho,comandos escritos por fala, podem não ser visualizadospelos novatos, mas aumenta a velocidade de interaçãoentre os usuários experientes e o sistema. Isso faz comque o sistema possa atender tanto aos usuáriosexperientes quanto aos novatos. É importante lembrar queos usuários novatos de hoje tornar-se-ão experientes aolongo do uso do sistema
  40. 40. Heurísticas de usabilidade• Design estético e minimalista;• Devem ser apresentadas apenas informações que ousuário necessite, excluindo as irrelevantes ouraramente necessárias, pois qualquer unidade deinformação extra no diálogo competirá com unidadesrelevantes de informação e diminuirá sua visibilidaderelativa. As informações devem aparecer em uma ordemnatural de acordo com as expectativas do usuário.Informações relacionadas devem estar agrupadasgraficamente.
  41. 41. Heurísticas de usabilidade• Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar erecuperar ações erradas• Mensagens de erro devem ser expressas em linguagemclara (sem códigos), indicando precisamente o problema esugerindo construtivamente uma solução.
  42. 42. Heurísticas de usabilidade• Help e documentação• É necessário prover help e documentação. Essasinformações devem ser de fácil busca e acesso,focalizadas na tarefa do usuário, organizadas comopassos concretos para realização da tarefa em questão enão devem ser muito longas.
  43. 43. Referências bibliográficas• ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 9241-11/1998 -Requisitos Ergonômicos para Trabalho de Escritórios com Computadores:Orientações sobre Usabilidade. Rio de Janeiro, ABNT, 2000.• BARBOSA, S.D.J.; SILVA, B.S. Interacao Humano-Computador. EditoraCampus - Elsevier, 2010.• Carroll, John M. (2009): Human Computer Interaction (HCI). In: Soegaard,Mads and Dam, Rikke Friis (eds.). "Encyclopedia of Human-ComputerInteraction". Aarhus, Denmark: The Interaction-Design.org Foundation. Disponívelem: http://www.interaction-design.org/encyclopedia/human_computer_interaction_hci.html• CYBIS, W. A.; BETIOL, A. H.; FAUST, R . Ergonomia e Usabilidade:conhecimentos, métodos e aplicações. 2. ed. São Paulo: Novatec Editora, 2010.422p.• GALABO, R. J. Avaliação da usabilidade de website da Universidade Federaldo Maranhão: percepção do corpo discente. 2011. 108f. Monografia(Graduação em Desenho Industrial) – Universidade Federal do Maranhão.• HIX, D. & HARTSON, H. Developing User Interfaces: Ensuring UsabilityThrough Product and Process. New York, NY: John Wiley & Sons, 1993.
  44. 44. Referências bibliográficas• MORAES, A. Design e Avaliação de interfaces, Rio de Janeiro: iUsEr, 2002.148p.• NORMAN, D. A. Psychology of Everyday Things. Basic Books, 1988.• PREECE, J.; ROGERS, Y.; SHARP, H. Design de interação: além da interaçãohomem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005.• PRESSMAN, Roger S. Engenharia de Software. 3 ed. São Paulo: MakronBooks, 1995. p. 602-606.• ROCHA, H. V.; BARANAUSKAS, M. C. C. Design e avaliação de InterfacesHumano-Computador. Campinas, SP: NIED – UNICAMP, 2003.• SANTA ROSA, José Guilherme; MORAES, Anamaria de. Avaliação e projeto nodesign de interfaces. 1. Ed. Teresópolis, RJ: 2AB, 2008.• UNGER, R. CHANDLER, C. O Guia para Projetar UX: A Experiência do Usuário(UX) para projetistas de conteúdo digital, aplicações e web sites. Rio de Janeiro:Alta Books, 2009. 268p.

×