SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 133
Baixar para ler offline
INTRODUÇÃO
À USABILIDADE
Prof. Márcio Cavalcante
UFRA – Licenciatura em Computação
Interação Humano-Computador
Plano de aula
Introdução à Usabilidade:
− Conceitos
− Origem (DCU, IHC)
− Aplicação (IxD)
− Tipos de design,
− Metas de usabilidade
− Princípios de design
Tarefas 1 2 3

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Introdução
“a vida é permeada de
problemas e desafios”
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

Que tal um
iPhone pro
Nicolau ?

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

A solução pode existir em
outro lugar!

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

Existem várias soluções
para um problema.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

Algumas são
mais simples.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

Algumas são
mais simples.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

Algumas são
mais simples.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
“A solução para espaço pequeno não
precisa ser mais espaço.

Temos de identificar o problema
e usar os recursos que temos.”
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

Uma solução inserida
no projeto é uma
Solução de design.
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR

Uma solução inserida
no projeto é uma
Solução de design.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Soluções de design

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Soluções de design

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Soluções de design

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Soluções de design

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
“Mesmo o que
funciona
pode melhorar.”
Mesmo o que funciona, pode melhorar.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Mesmo o que funciona, pode
melhorar.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Mesmo o que funciona, pode melhorar.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Mesmo o que funciona, pode melhorar.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Mesmo o que funciona, pode melhorar.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Mesmo o que funciona, pode melhorar.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
“para resolver bem,
precisamos entender o
problema”
“Se eu perguntasse para as
pessoas o que queriam,
me diriam: cavalos mais
rápidos.” - Henry Ford
Pensar simples...
... E pensar sem limites.
Não focar em tecnologia...
... mas em comportamento.
O QUE OS PRODUTOS A
SEGUIR TEM EM COMUM ?
O QUE ELES TEM EM COMUM ?

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Tarefa 1
1.Forme grupos
2.Pesquise na Internet um produto
inovador e com design
3.Apresente à turma
4.Tempo:
• 30min pesquisa
• 10min apresentação
Usabilidade
O que é usabilidade ?
O que é usabilidade mesmo ?
Segundo Jeffrey Rubin (Handbook of Usability Testing):

Um conjunto de quatro fatores reunidos em um dispositivo:

1. Capacidade de ser usado com sucesso (utilidade, eficácia);
2. Facilidade de ser usado (objetividade, eficiência);
3. Capacidade de o usuário aprender a usar o dispositivo de forma
simples e rápida (fácil compreensão e aprendizado);
4. Provocar satisfação visual ao usuário (experiência);

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
O que é usabilidade mesmo ?
Segundo Jakob Nielsen (Usability Engineering):
Um conjunto de propriedades de uma interface que reúne os
seguintes componentes:
1.
2.
3.
4.
5.

Fácil aprendizado;
Eficiência;
Capacidade de memorização;
Baixo índice de erros;
Satisfação e prazer ao uso.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
O que é usabilidade mesmo ?
“Facilidade de uso e facilidade de aprendizado” - Albert Badre
(Shaping Web Usability)
“Capacidade, em termos funcionais humanos, de um sistema ser
usado com facilidade e de forma eficiente” -Brian Shackel
(Usability)
“Princípios de design que, quando seguidos, dão respostas aos
usuários tornando o uso dos dispositivos mais fácil” -Don
Norman (O Design do dia-a-dia)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
O que é usabilidade mesmo ?
“Pensar em usabilidade é pensar em produtos fáceis de usar” –
Jesse James Garrett (The Elements of User Experience)
“Fator que assegura que os produtos sejam fáceis de usar,
eficientes e agradáveis” - Preece, Rogers e Sharp (Design de
Interação)
“A ciência de aplicação de metodologias ao design para a criação
de dispositivos fáceis de usar, de fácil aprendizado e que sejam
úteis com o menor índice de desconforto possível” - Mark
Pearrow (Web Site Usability Handbook)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
O que é usabilidade mesmo ?
ISO 9126 – 1991
“Esforço necessário para seu uso e para o julgamento individual
de tal uso.”

ISO 9241, 11 – 1998
“Capacidade de um produto ser usado por usuários específicos
para atingir objetivos específicos com eficácia, eficiência e
satisfação em um contexto específico de uso.”)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
10

Em
definições
aparecem as palavras
facilidade ou FÁCIL?
É o atributo que define a
facilidade de uso de algo.
UM POUCO DE

HISTÓRIA
UM POUCO DE HISTÓRIA

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1980 – IHC E DCU

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1982 | Interface Humano-Computador (IHC)
Campo de estudos que surgiu em 1982 no
congresso “Human Factors in Computing
Systems”, realizado por psicólogos cognitivos
principalmente.
Características: ciência da computação com foco
nos aspectos sociais, cognitivos e
comportamentais.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1986 | Design Centrado no Usuário (DCU)
Design Centrado no Usuário (DCU) é o campo de estudo
que reúne metodologias de design nos quais o públicoalvo de um produto ou serviço influencia as diretrizes e
requisitos do sistema.
Termo cunhado por Norman enquanto trabalhava como
pesquisador na Universidade California San Diego
(UCSD), no artigo User-Centered System Design: New
Perspectives on Human-Computer Interaction (Norman
& Draper, 1986) e popularizado em 1988 no popular
Psychology of everyday things (mais tarde rebatizado
como The design of everyday things).
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1986 | Design Centrado no Usuário (DCU)
“…é uma filosofia baseada nas necessidades e interesses
do usuário, com ênfase em fazer produtos usáveis e
inteligíveis.” – Donald Norman

“A filosofia por trás do Design Centrado no Usuário é
simplesmente esta: O usuário sabe mais. Pessoas que
utilizarão um produto ou serviço sabem de suas
necessidades, metas e preferências, e é papel do designer
descobrir isto e projetar para eles.” – Dan Saffer
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1986 | Design Centrado no Usuário (DCU)
“...é uma abordagem ao design que fundamenta o
processo em informações sobre as pessoas que usarão o
produto. Processos de UCD focam em usuários através de
planejamento, design e desenvolvimento do produto.” –
Usability Professionals Association (UPA)
“...é um estabelecido processo usado pela IBM e muitas
outras organizações para prover produtos que atendam as
expectativas dos usuários.” – IBM
“...é focar o design no usuário, simples assim.” – Peter J.
Bogaards
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1986 | Design Centrado no Usuário (DCU)

USUÁRIOS
devemos perguntá-los como fazer nosso
trabalho ?

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1986 | Design Centrado no Usuário (DCU)

A princípio

não
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1986 | Design Centrado no Usuário (DCU)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1986 | Design Centrado no Usuário (DCU)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1988 | Engenharia de Usabilidade
O termo foi cunhado por John Bennett (IBM) e John
Whiteside (Digital Equipment Corporation) em
alguns artigos em 1988. A princípio era chamado
de “Engenharia de Usabilidade”.
Abordagem qualitativa e prática de
desenvolvimento de produtos, orientada para a
qualidade e focada em: definição de tarefas,
prototipação e avaliação iterativa (Whiteside,
Bennett, & Holtzblatt, 1988).
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1990 | Design de Interação
Bill Morgride, diretor da IDEO, sintetizou no
livro Designing for Interactions uma série de
metodologias de design + comunicação
usadas e aprimoradas na empresa para a
elaboração de produtos úteis e usáveis.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
1990 | Design de Interação

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Por que Design de Interação?
Projetar dispositivos e interfaces usáveis vai além de
evitar erros: um projeto bem pesquisado, planejado,
desenvolvido e testado pode agregar valor ao uso,
negócio ou mesmo mudar totalmente a natureza do
produto/sistema para outra melhor e mais adequada.
“...Design de Interação não é apenas sobre corrigir
problemas; diz respeito a facilitar interações entre pessoas
de uma maneira mais rica, profunda e melhor - ou seja,
encontrar novas formas de melhor conectar as pessoas e
tornar o mundo um lugar melhor.” - Dan Saffer
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Uma interface bem projetada deve ser guiada por

METAS DE
USABILIDADE

+
METAS DE EXPERIÊNCIA DO
USUÁRIO
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de
usabilidade
Metas de usabilidade
Servem para guiar o desenvolvimento de !produtos fáceis de usar, eficientes e
agradáveis. São elas (Preece, Rogers, Sharp):

1.
2.
3.
4.
5.
6.

Utilidade
Eficácia
Eficiência
Segurança
Facilidade de aprendizado
Facilidade de lembrar como se usa

Eficácia: O quanto um produto é bom em se fazer o que se espera
dele.
Eficiência: Como um produto auxilia a execução de suas tarefas
com o mínimo de recursos
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - UTILIDADE

A Utilidade é a medida que o sistema
propicia a funcionalidade adequada para o
objetivo específico do usuário.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - UTILIDADE

Ferramenta
de Nicho

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - UTILIDADE

Ferramenta
sem foco.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Eficácia
Eficácia se refere a quão bem uma
ferramenta auxilia na realização de uma
atividade proposta, em um contexto de uso.

É uma característica analógica, em escala.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Eficácia
Qual é o mais eficaz ?

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Eficácia
Depende, pra que, para quem?

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Eficiência
Quanto uma ferramenta auxília na economia
de recursos para a realização de uma
atividade proposta, em um contexto de uso.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Eficiência

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Eficiência

?
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade – Eficácia x Eficiência

eficácia - fazer melhor
eficiência - produtividade

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Segurança
Segurança se refere a prevenção e
recuperação de erros.
Deve ser perceptível, transparente.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Segurança

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Segurança

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Segurança
Prevenção de erros

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Segurança

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade - Segurança

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade – FACILIDADE DE

APRENDIZADO

Clareza na interface, compreensão das
funcionalidades

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Metas de usabilidade – FACILIDADE DE

APRENDIZADO

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Tarefa 2
1. Forme grupos
2. SELECIONE NO SEU SMARTPHONE UM APLICATIVO
3. APRESENTE TODOS AS METAS DE USABILIDADES
PERCEBIDAS
4. Tempo:
• 30min ANÁLISE
• 10min apresentação
Princípios de
design
PRINCÍPIOS DE DESIGN

“...são derivados de uma mistura de
conhecimento baseado em teoria,
experiência e senso comum [...] conjunto de
itens que devem ser assegurados” (PREECE, 2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN
Quais são os princípios que norteiam o design de
interação?
1.
2.
3.
4.
5.
6.

Visibilidade
Feedback
Restrições
Mapeamento
Consistência
Affordance

(PREECE) Desgin de Interação Cap. 1 - pag 42 a 53
(NORMAN) Design do dia-a-dia Cap.7 - pag 221 a 255
INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – VISIBILIDADE

Visibilidade
“...O sistema deve fornecer indicações do
estado do sistema, que sejam prontamente
perceptíveis e interpretáveis e correspondam
às intenções e às expectativas.” (NORMAN, 2006)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – VISIBILIDADE

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – VISIBILIDADE

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK

feedback
“O feedback se refere ao retorno de
informações a respeito da ação que foi feita
e do que foi realizado, permitindo a pessoa
continuar a atividade.” (PREECE, 2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – RESTRIÇÕES

RESTRIÇÕES
“... refere-se às formas de delimitar o tipo de
interação que pode ocorrer [...] para impedir
o usuário de selecionar a opção incorreta e
reduzir as chances de erro...” (PREECE, 2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – RESTRIÇÕES

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – RESTRIÇÕES

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – RESTRIÇÕES

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – MAPEAMENTO

MAPEAMENTO
“... refere-se a relação entre controles e seus
efeitos no artefato”(PREECE, 2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – MAPEAMENTO

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – MAPEAMENTO

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – MAPEAMENTO

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – CONSISTÊNCIA

CONSISTÊNCIA
“Refere-se a projetar interfaces de modo que
tenham operações semelhantes e que
utilizem elementos semelhantes para a
realização de tarefas similares”(PREECE, 2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – CONSISTÊNCIA

CONSISTÊNCIA
Entre aplicativos.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – CONSISTÊNCIA

CONSISTÊNCIA
Entre dispositivos
diferentes.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – CONSISTÊNCIA

CONSISTÊNCIA
Entre dispositivos
diferentes.

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

Affordance
“É um atributo do objeto que permite ao
usuário saber como utilizá-lo” (PREECE, 2005)
“É uma ‘dica’ de como devemos interagir com
o objeto.” (Karine e Leandro, 2010)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

Affordance

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

Affordance
“É um atributo do
objeto que permite
ao usuário saber
como utilizá-lo” (PREECE,
2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

Affordance
“É um atributo do
objeto que permite ao
usuário saber como
utilizá-lo” (PREECE, 2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

Affordance
“É um atributo do
objeto que permite
ao usuário saber
como utilizá-lo” (PREECE,
2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

Affordance
“É um atributo do
objeto que permite ao
usuário saber como
utilizá-lo” (PREECE, 2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

Affordance
“É um atributo do
objeto que permite ao
usuário saber como
utilizá-lo” (PREECE, 2005)

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

Affordance

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE

affordance

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA

APARÊNCIA

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA

APARÊNCIA

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA

APARÊNCIA

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA

APARÊNCIA

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA

APARÊNCIA

INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
Tarefa 3
1.Forme grupos
2.Analise os celulares, smartphones e
tablets pessoais
3.Procure Identificar alguns princípios de
design
4.Apresente à turma
5.Tempo:
• 30min pesquisa
• 10min apresentação
Dúvidas ?

Prof. Márcio Cavalcante
mdarlen@gmail.com
Obrigado
Obrigado
Prof. Márcio Cavalcante
mdarlen@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidadeConceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Nécio de Lima Veras
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Erico Fileno
 
Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )
Jesse Teixeira
 

Mais procurados (20)

UX UI para Programadores
UX UI para Programadores UX UI para Programadores
UX UI para Programadores
 
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidadeConceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
 
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)
 
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade -  Metas, Principios e HeuristicasUsabilidade -  Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
 
Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )
 
Introdução a experiência do usuário
Introdução a experiência do usuárioIntrodução a experiência do usuário
Introdução a experiência do usuário
 
Sistemas Operacionais - Aula 01 (Conceitos básicos de so)
Sistemas Operacionais - Aula 01 (Conceitos básicos de so)Sistemas Operacionais - Aula 01 (Conceitos básicos de so)
Sistemas Operacionais - Aula 01 (Conceitos básicos de so)
 
Ux design - Conceitos Básicos
Ux design - Conceitos BásicosUx design - Conceitos Básicos
Ux design - Conceitos Básicos
 
Interface Humano-Computador (IHC)
Interface Humano-Computador (IHC)Interface Humano-Computador (IHC)
Interface Humano-Computador (IHC)
 
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
 
Arquitetura da informação
Arquitetura da informaçãoArquitetura da informação
Arquitetura da informação
 
Prototipação
PrototipaçãoPrototipação
Prototipação
 
Interface Homem Computador - Aula01- Introdução a IHC
Interface Homem Computador - Aula01- Introdução a IHCInterface Homem Computador - Aula01- Introdução a IHC
Interface Homem Computador - Aula01- Introdução a IHC
 
Treinamento Design Thinking - Chico Adelano
Treinamento Design Thinking - Chico AdelanoTreinamento Design Thinking - Chico Adelano
Treinamento Design Thinking - Chico Adelano
 
Usabilidade aula-01 Introdução
Usabilidade aula-01 IntroduçãoUsabilidade aula-01 Introdução
Usabilidade aula-01 Introdução
 
Introdução ao desenvolvimento da web.pptx
Introdução ao desenvolvimento da web.pptxIntrodução ao desenvolvimento da web.pptx
Introdução ao desenvolvimento da web.pptx
 
Ihc2016.2 aula 3 introdução ao design de interação
Ihc2016.2 aula 3   introdução ao design de interaçãoIhc2016.2 aula 3   introdução ao design de interação
Ihc2016.2 aula 3 introdução ao design de interação
 
Avaliação Heurística
Avaliação HeurísticaAvaliação Heurística
Avaliação Heurística
 
Interface Homem Computador - Aula02 - Principios de design em IHC
Interface Homem Computador - Aula02 - Principios de design em IHCInterface Homem Computador - Aula02 - Principios de design em IHC
Interface Homem Computador - Aula02 - Principios de design em IHC
 

Destaque

Balsamiq e Pencil - W
Balsamiq e Pencil - WBalsamiq e Pencil - W
Balsamiq e Pencil - W
Luiz Agner
 
Design de Interação Estratégico
Design de Interação EstratégicoDesign de Interação Estratégico
Design de Interação Estratégico
UTFPR
 

Destaque (20)

IHC Slide 1 - Visão Geral
IHC Slide 1 -  Visão GeralIHC Slide 1 -  Visão Geral
IHC Slide 1 - Visão Geral
 
Design e Usabilidade na Web
Design e Usabilidade na WebDesign e Usabilidade na Web
Design e Usabilidade na Web
 
Balsamiq e Pencil - W
Balsamiq e Pencil - WBalsamiq e Pencil - W
Balsamiq e Pencil - W
 
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcu
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcuUsabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcu
Usabilidade 2 - Metas, princípios e leis do design, agile vs dcu
 
Interface e Usabilidade: Como levar o usuário onde queremos!
Interface e Usabilidade: Como levar o usuário onde queremos!Interface e Usabilidade: Como levar o usuário onde queremos!
Interface e Usabilidade: Como levar o usuário onde queremos!
 
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHC
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHCIdentificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHC
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHC
 
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato RosaPalestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
 
Palestra Fundamentos do Design de Objetos
Palestra Fundamentos do Design de ObjetosPalestra Fundamentos do Design de Objetos
Palestra Fundamentos do Design de Objetos
 
Design para Inovação Social
Design para Inovação SocialDesign para Inovação Social
Design para Inovação Social
 
Aula: Princípios de design de interfaces
Aula: Princípios de design de interfacesAula: Princípios de design de interfaces
Aula: Princípios de design de interfaces
 
Una - Testes de usabilidade - aula 03
Una - Testes de usabilidade - aula 03Una - Testes de usabilidade - aula 03
Una - Testes de usabilidade - aula 03
 
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos Web
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos WebUsabilidade para Pequenos e Médios Projetos Web
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos Web
 
Webinar Usabilidade no E-commerce
Webinar Usabilidade no E-commerceWebinar Usabilidade no E-commerce
Webinar Usabilidade no E-commerce
 
Usabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
Usabilidade 7-8 - Teste de UsabilidadeUsabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
Usabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
 
Una - Testes de usabilidade - aula 04
Una - Testes de usabilidade - aula 04Una - Testes de usabilidade - aula 04
Una - Testes de usabilidade - aula 04
 
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na web
 
Ergonomia & Usabilidade
Ergonomia & UsabilidadeErgonomia & Usabilidade
Ergonomia & Usabilidade
 
A Arte de Prototipar
A Arte de PrototiparA Arte de Prototipar
A Arte de Prototipar
 
O Diferencial do Design de Interação
O Diferencial do Design de InteraçãoO Diferencial do Design de Interação
O Diferencial do Design de Interação
 
Design de Interação Estratégico
Design de Interação EstratégicoDesign de Interação Estratégico
Design de Interação Estratégico
 

Semelhante a IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design

A importancia de IHC no desenvolvimento de software
A importancia de IHC no desenvolvimento de softwareA importancia de IHC no desenvolvimento de software
A importancia de IHC no desenvolvimento de software
Flavia Negrao
 
Retorno do Investimento em Usabilidade
Retorno do Investimento em UsabilidadeRetorno do Investimento em Usabilidade
Retorno do Investimento em Usabilidade
Bernardo Mattos
 
Tecnologia da Informação
Tecnologia da InformaçãoTecnologia da Informação
Tecnologia da Informação
cleusamoreira
 

Semelhante a IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design (20)

A importancia de IHC no desenvolvimento de software
A importancia de IHC no desenvolvimento de softwareA importancia de IHC no desenvolvimento de software
A importancia de IHC no desenvolvimento de software
 
O que é design de interação
O que é design de interaçãoO que é design de interação
O que é design de interação
 
Interface homem máquina
Interface homem máquinaInterface homem máquina
Interface homem máquina
 
O retorno do investimento no projeto adequado de interfaces de usuário
O retorno do investimento no projeto adequado de interfaces de usuárioO retorno do investimento no projeto adequado de interfaces de usuário
O retorno do investimento no projeto adequado de interfaces de usuário
 
Capitulo1
Capitulo1Capitulo1
Capitulo1
 
Retorno do Investimento em Usabilidade
Retorno do Investimento em UsabilidadeRetorno do Investimento em Usabilidade
Retorno do Investimento em Usabilidade
 
O que é design de interação
O que é design de interaçãoO que é design de interação
O que é design de interação
 
Sc ad-tp-g4-a.ppt
Sc ad-tp-g4-a.pptSc ad-tp-g4-a.ppt
Sc ad-tp-g4-a.ppt
 
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação para o mercado / Webinar BR-CH...
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação  para o mercado / Webinar BR-CH...Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação  para o mercado / Webinar BR-CH...
Da IHC ao UX: Uma história de ressignificação para o mercado / Webinar BR-CH...
 
Ihc Aula7
Ihc Aula7Ihc Aula7
Ihc Aula7
 
Interface Homem Computador - IHC
Interface Homem Computador - IHCInterface Homem Computador - IHC
Interface Homem Computador - IHC
 
Tecnologia da Informação
Tecnologia da InformaçãoTecnologia da Informação
Tecnologia da Informação
 
Modulo i arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampas
Modulo i arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampasModulo i arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampas
Modulo i arquiteturainformacaousabilidade_thaiscampas
 
Novas formas de interação Homem-máquina
Novas formas de interação Homem-máquinaNovas formas de interação Homem-máquina
Novas formas de interação Homem-máquina
 
Fatenp ihc-aula4
Fatenp ihc-aula4Fatenp ihc-aula4
Fatenp ihc-aula4
 
Interação Humano Computador 1
Interação Humano Computador 1Interação Humano Computador 1
Interação Humano Computador 1
 
1.Aula1-Introducao-conceitosbasicos.ppt
1.Aula1-Introducao-conceitosbasicos.ppt1.Aula1-Introducao-conceitosbasicos.ppt
1.Aula1-Introducao-conceitosbasicos.ppt
 
C.E.S.A.R - Prototipación Electronica en Diseño
C.E.S.A.R - Prototipación Electronica en DiseñoC.E.S.A.R - Prototipación Electronica en Diseño
C.E.S.A.R - Prototipación Electronica en Diseño
 
Apresentação Aula 01
Apresentação  Aula 01Apresentação  Aula 01
Apresentação Aula 01
 
Introdução à Arquitetura de Informação
Introdução à Arquitetura de InformaçãoIntrodução à Arquitetura de Informação
Introdução à Arquitetura de Informação
 

Mais de Márcio Darlen Lopes Cavalcante

Mais de Márcio Darlen Lopes Cavalcante (20)

A cloud no doutorado 2ª Turma
A cloud no doutorado   2ª TurmaA cloud no doutorado   2ª Turma
A cloud no doutorado 2ª Turma
 
Curso: A cloud no Doutorado
Curso: A cloud no DoutoradoCurso: A cloud no Doutorado
Curso: A cloud no Doutorado
 
Seminário: Profissão Professor - Mestrado em Educação 2020
Seminário: Profissão Professor - Mestrado em Educação 2020Seminário: Profissão Professor - Mestrado em Educação 2020
Seminário: Profissão Professor - Mestrado em Educação 2020
 
Oficina Base de Dados Científicos
Oficina Base de Dados CientíficosOficina Base de Dados Científicos
Oficina Base de Dados Científicos
 
Dependência Digital - Nomofobia
Dependência Digital -  NomofobiaDependência Digital -  Nomofobia
Dependência Digital - Nomofobia
 
Oficina: UX Design - Ferramenta para Prototipagem de Software
Oficina: UX Design - Ferramenta  para Prototipagem de SoftwareOficina: UX Design - Ferramenta  para Prototipagem de Software
Oficina: UX Design - Ferramenta para Prototipagem de Software
 
Minicurso: Criação de ChatBot com Google DialogicFlow
Minicurso: Criação de ChatBot com Google DialogicFlowMinicurso: Criação de ChatBot com Google DialogicFlow
Minicurso: Criação de ChatBot com Google DialogicFlow
 
Palestra: Tecnologias Digitais para Professores Inovadores
Palestra: Tecnologias Digitais para Professores InovadoresPalestra: Tecnologias Digitais para Professores Inovadores
Palestra: Tecnologias Digitais para Professores Inovadores
 
Palestra Educacao Midiática - ERECT 2018 - UFOPA
Palestra Educacao Midiática - ERECT 2018 - UFOPAPalestra Educacao Midiática - ERECT 2018 - UFOPA
Palestra Educacao Midiática - ERECT 2018 - UFOPA
 
Jalequim 2018 - Palestra Gamifiação para o ensino de Ciências
Jalequim 2018 - Palestra Gamifiação para o ensino de CiênciasJalequim 2018 - Palestra Gamifiação para o ensino de Ciências
Jalequim 2018 - Palestra Gamifiação para o ensino de Ciências
 
Scoop 2018 - Palestra Cloud Discovery
Scoop 2018 - Palestra Cloud DiscoveryScoop 2018 - Palestra Cloud Discovery
Scoop 2018 - Palestra Cloud Discovery
 
Palestra Estratégias para Posicionamento Digital - IESPES 2018
Palestra Estratégias para Posicionamento Digital - IESPES 2018Palestra Estratégias para Posicionamento Digital - IESPES 2018
Palestra Estratégias para Posicionamento Digital - IESPES 2018
 
V Workshop de Letramento Acadêmico
V Workshop de Letramento Acadêmico V Workshop de Letramento Acadêmico
V Workshop de Letramento Acadêmico
 
Palestra Educação Digital e Midiática
Palestra Educação Digital e MidiáticaPalestra Educação Digital e Midiática
Palestra Educação Digital e Midiática
 
Minicurso - Tecnologia Digital para Professores Inovadores
Minicurso -  Tecnologia Digital para Professores InovadoresMinicurso -  Tecnologia Digital para Professores Inovadores
Minicurso - Tecnologia Digital para Professores Inovadores
 
Palestra Gamificação na Educação - Congresso Internacional do IESPES 2018
Palestra Gamificação na Educação - Congresso Internacional do IESPES 2018Palestra Gamificação na Educação - Congresso Internacional do IESPES 2018
Palestra Gamificação na Educação - Congresso Internacional do IESPES 2018
 
Plataforma digitais online para ensino à distância
Plataforma digitais online para ensino à distânciaPlataforma digitais online para ensino à distância
Plataforma digitais online para ensino à distância
 
Palestra Ufopa - Gamificação na educação
Palestra Ufopa - Gamificação na educação Palestra Ufopa - Gamificação na educação
Palestra Ufopa - Gamificação na educação
 
Games: da diversão à profissão
Games:   da diversão à profissãoGames:   da diversão à profissão
Games: da diversão à profissão
 
Palestra ULBRA - IV Workshop Letramento Acadêmico
Palestra ULBRA - IV Workshop Letramento AcadêmicoPalestra ULBRA - IV Workshop Letramento Acadêmico
Palestra ULBRA - IV Workshop Letramento Acadêmico
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design

  • 1. INTRODUÇÃO À USABILIDADE Prof. Márcio Cavalcante UFRA – Licenciatura em Computação Interação Humano-Computador
  • 2. Plano de aula Introdução à Usabilidade: − Conceitos − Origem (DCU, IHC) − Aplicação (IxD) − Tipos de design, − Metas de usabilidade − Princípios de design Tarefas 1 2 3 INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 4. “a vida é permeada de problemas e desafios”
  • 6. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR Que tal um iPhone pro Nicolau ? INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 12. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR A solução pode existir em outro lugar! INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 15. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR Existem várias soluções para um problema. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 18. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR Algumas são mais simples. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 19. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR Algumas são mais simples. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 20. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR Algumas são mais simples. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 23. “A solução para espaço pequeno não precisa ser mais espaço. Temos de identificar o problema e usar os recursos que temos.”
  • 24. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design.
  • 25. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 26. Soluções de design INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 27. Soluções de design INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 28. Soluções de design INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 29. Soluções de design INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 31. Mesmo o que funciona, pode melhorar. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 32. Mesmo o que funciona, pode melhorar. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 33. Mesmo o que funciona, pode melhorar. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 34. Mesmo o que funciona, pode melhorar. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 35. Mesmo o que funciona, pode melhorar. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 36. Mesmo o que funciona, pode melhorar. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 37. “para resolver bem, precisamos entender o problema”
  • 38. “Se eu perguntasse para as pessoas o que queriam, me diriam: cavalos mais rápidos.” - Henry Ford
  • 39. Pensar simples... ... E pensar sem limites.
  • 40.
  • 41. Não focar em tecnologia... ... mas em comportamento.
  • 42.
  • 43. O QUE OS PRODUTOS A SEGUIR TEM EM COMUM ?
  • 44. O QUE ELES TEM EM COMUM ? INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 45.
  • 46.
  • 47. Tarefa 1 1.Forme grupos 2.Pesquise na Internet um produto inovador e com design 3.Apresente à turma 4.Tempo: • 30min pesquisa • 10min apresentação
  • 49. O que é usabilidade ?
  • 50. O que é usabilidade mesmo ? Segundo Jeffrey Rubin (Handbook of Usability Testing): Um conjunto de quatro fatores reunidos em um dispositivo: 1. Capacidade de ser usado com sucesso (utilidade, eficácia); 2. Facilidade de ser usado (objetividade, eficiência); 3. Capacidade de o usuário aprender a usar o dispositivo de forma simples e rápida (fácil compreensão e aprendizado); 4. Provocar satisfação visual ao usuário (experiência); INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 51. O que é usabilidade mesmo ? Segundo Jakob Nielsen (Usability Engineering): Um conjunto de propriedades de uma interface que reúne os seguintes componentes: 1. 2. 3. 4. 5. Fácil aprendizado; Eficiência; Capacidade de memorização; Baixo índice de erros; Satisfação e prazer ao uso. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 52. O que é usabilidade mesmo ? “Facilidade de uso e facilidade de aprendizado” - Albert Badre (Shaping Web Usability) “Capacidade, em termos funcionais humanos, de um sistema ser usado com facilidade e de forma eficiente” -Brian Shackel (Usability) “Princípios de design que, quando seguidos, dão respostas aos usuários tornando o uso dos dispositivos mais fácil” -Don Norman (O Design do dia-a-dia) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 53. O que é usabilidade mesmo ? “Pensar em usabilidade é pensar em produtos fáceis de usar” – Jesse James Garrett (The Elements of User Experience) “Fator que assegura que os produtos sejam fáceis de usar, eficientes e agradáveis” - Preece, Rogers e Sharp (Design de Interação) “A ciência de aplicação de metodologias ao design para a criação de dispositivos fáceis de usar, de fácil aprendizado e que sejam úteis com o menor índice de desconforto possível” - Mark Pearrow (Web Site Usability Handbook) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 54. O que é usabilidade mesmo ? ISO 9126 – 1991 “Esforço necessário para seu uso e para o julgamento individual de tal uso.” ISO 9241, 11 – 1998 “Capacidade de um produto ser usado por usuários específicos para atingir objetivos específicos com eficácia, eficiência e satisfação em um contexto específico de uso.”) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 56. É o atributo que define a facilidade de uso de algo.
  • 58. UM POUCO DE HISTÓRIA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 59. 1980 – IHC E DCU INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 60. 1982 | Interface Humano-Computador (IHC) Campo de estudos que surgiu em 1982 no congresso “Human Factors in Computing Systems”, realizado por psicólogos cognitivos principalmente. Características: ciência da computação com foco nos aspectos sociais, cognitivos e comportamentais. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 61. 1986 | Design Centrado no Usuário (DCU) Design Centrado no Usuário (DCU) é o campo de estudo que reúne metodologias de design nos quais o públicoalvo de um produto ou serviço influencia as diretrizes e requisitos do sistema. Termo cunhado por Norman enquanto trabalhava como pesquisador na Universidade California San Diego (UCSD), no artigo User-Centered System Design: New Perspectives on Human-Computer Interaction (Norman & Draper, 1986) e popularizado em 1988 no popular Psychology of everyday things (mais tarde rebatizado como The design of everyday things). INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 62. 1986 | Design Centrado no Usuário (DCU) “…é uma filosofia baseada nas necessidades e interesses do usuário, com ênfase em fazer produtos usáveis e inteligíveis.” – Donald Norman “A filosofia por trás do Design Centrado no Usuário é simplesmente esta: O usuário sabe mais. Pessoas que utilizarão um produto ou serviço sabem de suas necessidades, metas e preferências, e é papel do designer descobrir isto e projetar para eles.” – Dan Saffer INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 63. 1986 | Design Centrado no Usuário (DCU) “...é uma abordagem ao design que fundamenta o processo em informações sobre as pessoas que usarão o produto. Processos de UCD focam em usuários através de planejamento, design e desenvolvimento do produto.” – Usability Professionals Association (UPA) “...é um estabelecido processo usado pela IBM e muitas outras organizações para prover produtos que atendam as expectativas dos usuários.” – IBM “...é focar o design no usuário, simples assim.” – Peter J. Bogaards INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 64. 1986 | Design Centrado no Usuário (DCU) USUÁRIOS devemos perguntá-los como fazer nosso trabalho ? INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 65. 1986 | Design Centrado no Usuário (DCU) A princípio não INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 66. 1986 | Design Centrado no Usuário (DCU) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 67. 1986 | Design Centrado no Usuário (DCU) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 68. 1988 | Engenharia de Usabilidade O termo foi cunhado por John Bennett (IBM) e John Whiteside (Digital Equipment Corporation) em alguns artigos em 1988. A princípio era chamado de “Engenharia de Usabilidade”. Abordagem qualitativa e prática de desenvolvimento de produtos, orientada para a qualidade e focada em: definição de tarefas, prototipação e avaliação iterativa (Whiteside, Bennett, & Holtzblatt, 1988). INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 69. 1990 | Design de Interação Bill Morgride, diretor da IDEO, sintetizou no livro Designing for Interactions uma série de metodologias de design + comunicação usadas e aprimoradas na empresa para a elaboração de produtos úteis e usáveis. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 70. 1990 | Design de Interação INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 71. Por que Design de Interação? Projetar dispositivos e interfaces usáveis vai além de evitar erros: um projeto bem pesquisado, planejado, desenvolvido e testado pode agregar valor ao uso, negócio ou mesmo mudar totalmente a natureza do produto/sistema para outra melhor e mais adequada. “...Design de Interação não é apenas sobre corrigir problemas; diz respeito a facilitar interações entre pessoas de uma maneira mais rica, profunda e melhor - ou seja, encontrar novas formas de melhor conectar as pessoas e tornar o mundo um lugar melhor.” - Dan Saffer INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 72. Uma interface bem projetada deve ser guiada por METAS DE USABILIDADE + METAS DE EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 74. Metas de usabilidade Servem para guiar o desenvolvimento de !produtos fáceis de usar, eficientes e agradáveis. São elas (Preece, Rogers, Sharp): 1. 2. 3. 4. 5. 6. Utilidade Eficácia Eficiência Segurança Facilidade de aprendizado Facilidade de lembrar como se usa Eficácia: O quanto um produto é bom em se fazer o que se espera dele. Eficiência: Como um produto auxilia a execução de suas tarefas com o mínimo de recursos INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 75. Metas de usabilidade - UTILIDADE A Utilidade é a medida que o sistema propicia a funcionalidade adequada para o objetivo específico do usuário. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 76. Metas de usabilidade - UTILIDADE Ferramenta de Nicho INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 77. Metas de usabilidade - UTILIDADE Ferramenta sem foco. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 78. Metas de usabilidade - Eficácia Eficácia se refere a quão bem uma ferramenta auxilia na realização de uma atividade proposta, em um contexto de uso. É uma característica analógica, em escala. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 79. Metas de usabilidade - Eficácia Qual é o mais eficaz ? INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 80. Metas de usabilidade - Eficácia Depende, pra que, para quem? INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 81. Metas de usabilidade - Eficiência Quanto uma ferramenta auxília na economia de recursos para a realização de uma atividade proposta, em um contexto de uso. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 82. Metas de usabilidade - Eficiência INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 83. Metas de usabilidade - Eficiência ? INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 84. Metas de usabilidade – Eficácia x Eficiência eficácia - fazer melhor eficiência - produtividade INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 85. Metas de usabilidade - Segurança Segurança se refere a prevenção e recuperação de erros. Deve ser perceptível, transparente. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 86. Metas de usabilidade - Segurança INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 87. Metas de usabilidade - Segurança INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 88. Metas de usabilidade - Segurança Prevenção de erros INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 89. Metas de usabilidade - Segurança INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 90. Metas de usabilidade - Segurança INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 91. Metas de usabilidade – FACILIDADE DE APRENDIZADO Clareza na interface, compreensão das funcionalidades INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 92. Metas de usabilidade – FACILIDADE DE APRENDIZADO INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 93. Tarefa 2 1. Forme grupos 2. SELECIONE NO SEU SMARTPHONE UM APLICATIVO 3. APRESENTE TODOS AS METAS DE USABILIDADES PERCEBIDAS 4. Tempo: • 30min ANÁLISE • 10min apresentação
  • 95. PRINCÍPIOS DE DESIGN “...são derivados de uma mistura de conhecimento baseado em teoria, experiência e senso comum [...] conjunto de itens que devem ser assegurados” (PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 96. PRINCÍPIOS DE DESIGN Quais são os princípios que norteiam o design de interação? 1. 2. 3. 4. 5. 6. Visibilidade Feedback Restrições Mapeamento Consistência Affordance (PREECE) Desgin de Interação Cap. 1 - pag 42 a 53 (NORMAN) Design do dia-a-dia Cap.7 - pag 221 a 255 INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 97. PRINCÍPIOS DE DESIGN – VISIBILIDADE Visibilidade “...O sistema deve fornecer indicações do estado do sistema, que sejam prontamente perceptíveis e interpretáveis e correspondam às intenções e às expectativas.” (NORMAN, 2006) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 98. PRINCÍPIOS DE DESIGN – VISIBILIDADE INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 99. PRINCÍPIOS DE DESIGN – VISIBILIDADE INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 100. PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK feedback “O feedback se refere ao retorno de informações a respeito da ação que foi feita e do que foi realizado, permitindo a pessoa continuar a atividade.” (PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 101. PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 102. PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 103. PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 104. PRINCÍPIOS DE DESIGN – FEEDBACK INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 105. PRINCÍPIOS DE DESIGN – RESTRIÇÕES RESTRIÇÕES “... refere-se às formas de delimitar o tipo de interação que pode ocorrer [...] para impedir o usuário de selecionar a opção incorreta e reduzir as chances de erro...” (PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 106. PRINCÍPIOS DE DESIGN – RESTRIÇÕES INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 107. PRINCÍPIOS DE DESIGN – RESTRIÇÕES INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 108. PRINCÍPIOS DE DESIGN – RESTRIÇÕES INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 109. PRINCÍPIOS DE DESIGN – MAPEAMENTO MAPEAMENTO “... refere-se a relação entre controles e seus efeitos no artefato”(PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 110. PRINCÍPIOS DE DESIGN – MAPEAMENTO INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 111. PRINCÍPIOS DE DESIGN – MAPEAMENTO INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 112. PRINCÍPIOS DE DESIGN – MAPEAMENTO INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 113. PRINCÍPIOS DE DESIGN – CONSISTÊNCIA CONSISTÊNCIA “Refere-se a projetar interfaces de modo que tenham operações semelhantes e que utilizem elementos semelhantes para a realização de tarefas similares”(PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 114. PRINCÍPIOS DE DESIGN – CONSISTÊNCIA CONSISTÊNCIA Entre aplicativos. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 115. PRINCÍPIOS DE DESIGN – CONSISTÊNCIA CONSISTÊNCIA Entre dispositivos diferentes. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 116. PRINCÍPIOS DE DESIGN – CONSISTÊNCIA CONSISTÊNCIA Entre dispositivos diferentes. INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 117. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE Affordance “É um atributo do objeto que permite ao usuário saber como utilizá-lo” (PREECE, 2005) “É uma ‘dica’ de como devemos interagir com o objeto.” (Karine e Leandro, 2010) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 118. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE Affordance INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 119. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE Affordance “É um atributo do objeto que permite ao usuário saber como utilizá-lo” (PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 120. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE Affordance “É um atributo do objeto que permite ao usuário saber como utilizá-lo” (PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 121. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE Affordance “É um atributo do objeto que permite ao usuário saber como utilizá-lo” (PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 122. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE Affordance “É um atributo do objeto que permite ao usuário saber como utilizá-lo” (PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 123. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE Affordance “É um atributo do objeto que permite ao usuário saber como utilizá-lo” (PREECE, 2005) INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 124. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE Affordance INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 125. PRINCÍPIOS DE DESIGN – AFFORDANCE affordance INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 126. PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA APARÊNCIA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 127. PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA APARÊNCIA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 128. PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA APARÊNCIA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 129. PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA APARÊNCIA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 130. PRINCÍPIOS DE DESIGN – APARÊNCIA APARÊNCIA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR - Licenciatura em Computação
  • 131. Tarefa 3 1.Forme grupos 2.Analise os celulares, smartphones e tablets pessoais 3.Procure Identificar alguns princípios de design 4.Apresente à turma 5.Tempo: • 30min pesquisa • 10min apresentação
  • 132. Dúvidas ? Prof. Márcio Cavalcante mdarlen@gmail.com