SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
Produção Integrada de
frutas e hortaliças
Gisele Ventura Garcia Grilli
Maio
2015
Produção Integrada
É um sistema de produção SUSTENTÁVEL, MAIS EFICIENTE na aplicação de
recursos naturais e regulação de mecanismos para a substituição de
insumos poluentes, utilizando instrumentos adequados de
MONITORAMENTO dos procedimentos e a RASTREABILIDADE de todo o
processo, tornando-o economicamente viável, ambientalmente correto e
SOCIALMENTE JUSTO.
. ORIGEM NA EUROPA NA DÉCADA DE 70
. EVOLUÇÃO DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP)
. TEM COMO BASE AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA)
. ADESÃO VOLUNTÁRIA DOS PRODUTORES
. CAPACITAÇÃO CONTÍNUA
. RACIONALIZAÇÃO DE INSUMOS
. ABRANGÊNCIA NACIONAL
. PRODUTO APTO PARA O MERCADO INTERNO E EXTERNO
. RESPEITO À LEGISLAÇÃO VIGENTE
. ELABORAÇÃO DE NORMA TÉCNICA ESPECÍFICA
. CERTIFICAÇÃO DO PROCESSO PRODUTIVO
. RASTREABILIDADE
Produção Integrada
PI no mundo no ano de 2015
Emília Romagna (Itália)
• 97 % da produção agrícola provém de Produção Integrada
• 3% provém de Produção Orgânica
• É o país da Europa com maior número de Normas
Técnicas de PI
Norma de Produção Integrada
1. - Cogumelos
2. - Frutas Frescas
3. - Nozes
4. - Frutas Industrializadas
5. - Hortaliças Frescas
6. - Hortaliças para Conserva
7. - Frutas e Hortaliças Congeladas
8. - Vinhos, Sucos, Frisantes, etc.
9. - Girassol, Soja e Milho
10. - Arroz, Cereais, etc.
11. - Farinha
HISTÓRICO
2001/2002 – MARCO LEGAL DA PRODUÇÃO INTEGRADA DE FRUTAS:
• IN 20/2001 – Diretrizes Gerais e Normas Técnicas Gerais da Produção Integrada de
Frutas (PIF).
• IN 05/2002 – Comissão Técnica (CTPIF).
• Regimento Interno CTPIF.
• Portaria 144/2002 – Regulamento de Avaliação da Conformidade (RAC/INMETRO)
para Processo da PIF.
• Cadastro Nacional de Produtores e Empacotadoras (CNPE).
• Modelo de Avaliação de Conformidade do Sistema PIF.
• Voluntária.
PRODUÇÃO INTEGRADA AGROPECUÁRIA
Arcabouço
Legal
IN MAPA nº 27
- 30/08/2010
- Amplia as diretrizes da PIF para as demais
cadeias do agronegócio, inclusive a cadeia
pecuária.
- Estabelece diretrizes gerais com vistas a fixar
preceitos e orientações para os programas e
projetos que fomentem e desenvolvam a PI-
Brasil.
PORTARIA nº 443 –
INMETRO, 23/11/2010
RAC – certificação e uso do selo
REQUISITO DE AVALIAÇÃO DA
CONFORMIDADE
* Inmetro: órgão responsável pelo processo de certificação
COMISSÕES PARA ASSESSORAMENTO NA
PI-BRASIL
CAPÍTULO IV
ELABORAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS E PROJETOS
REFERENCIADOS PELA PI-Brasil
A elaboração e implantação dos programas e projetos da PI-Brasil, sob a
coordenação da SDC, contarão com o assessoramento de:
I - Comissão Nacional da Produção Integrada Agropecuária;
II - Comissões Técnicas Nacionais por Cadeia Produtiva;
III - Comissões Técnicas por Produto; e
IV - Comissões Estaduais. ato do Secretário de SDC/MAPA
ato do Superintendente Federal da Agricultura, Pecuária e
Abastecimento na Unidade da Federação correspondente
 Projetos em mais de 30 cadeias produtivas
 16 normas técnicas publicadas podendo ser certificados 22 produtos
(maçã, melão, mamão, caqui, uva, pêssego, goiaba, banana, citros -
limão, tangerina e laranja, coco, caju, figo, caqui, manga, abacaxi e
morango, café, batata e tabaco).
 normas a serem publicadas: trigo, amendoim, gengibre, inhame, taro,
arroz, feijão, flores e plantas ornamentais, tomate, uva para
processamento, anonáceas, cenoura, pimentão, abacate, entre outras.
Produção Integrada no Brasil
Caminho da Certificação PI - Brasil
INMETRO
SDC/DEPROS
CADEIA PRODUTIVA
ETAPA FAZENDA
ETAPA INDÚSTRIA
CERTIFICADORAS
PRODUTO CERTIFICADO
NO MERCADO
MAPA
RAC - REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA
CONFORMIDADE PARA PRODUÇÃO
INTEGRADA AGROPECUÁRIA (Port. Inmetro nº
443, de 23/11/2011)
Acreditação e
Fiscalização
Elaboração e
Publicação da
Norma Técnica
Específica – NTE
e da Lista de
Verificação - LV
Auditorias de certificação e
manutenção (3ª parte)
Criação do Selo de Identificação da Conformidade da Produção
Integrada Agropecuária (PI Brasil)
RACIONALIZAÇÃO DO USO DE AGROTÓXICOS PI BRASIL
% de redução no número de aplicações
PRODUTO Maçã Uva Mamão
Pêssego
(PR)
Pêssego
(RS)
INSETICIDA 70 89 50 75 34
FUNGICIDA 15 42 50 55,6 28
HERBICIDA 67 100 78 60 50
ACARICIDA 67 100 35,7 100 87,5
RELEVÂNCIA DA PRODUÇÃO INTEGRADA
Fonte: DEPROS/SDC/MAPA
Custo de Produção – Pequena Escala
Safra 2011-2012. Caçador -SC
Descrição
Convencional
PI
TOMATE
Custo Variável (CV) 49.673,79 39.509,36
Custo Fixo1 (CF) 7.468,98 7.468,98
Custo Total1 (CT) 57.142,77 46.978,34
Preço de Venda2 (PV) 17,00 17,00
Produção (caixas)1 (P) 3.300 3120
Renda Bruta (RB) 56.100,00 53.040,00
Preço de custo (R$/Caixas) (PC) 17,32 15,06
Lucro (R$/Caixas) (L) -0,32 1,94
Retorno da atividade (%) (RA) -1,82 12,90
Área (ha) 1 1
Fonte: Dr. Walter Becker, EPAGRI
Produção Integrada x Convencional
Aumento estimado na produção de 35 - 55%.
Fonte: UFV- Prof. Dr. Laecio Zambolim – (Coimbra, Manhuaçu, Três Pontas-MG). 2009/2010
20,14
22,2
31,58
19,25 20,98
31,42
1 2 3
Produção de café (sacas
beneficiadas/ha) em três
campos de produção (2009)
PI
Conv.
79,42
68,74
60,50
10,25
53,46
43,90
1 2 3
Produção de café (sacas
beneficiadas/ha) em três
campos de produção (2010)
PI
Conv.
94,19
61,18
Produção média (sacas
beneficiadas/ha)
2009/2010
PI
Conv.
Fonte: UFV- Prof. Dr. Laecio Zambolim – (Coimbra, Manhuaçu, Três Pontas-MG). 2009/2010
Produção Integrada x Convencional
R$6.122,35
R$3.976,70
Lucro médio
PI
CONV
11.211,20
8.008,00
3.203,20
11.516,05
8.225,75
3.290,30
Receita R$ Investimento Total R$ Lucro para produzir R$
Produção em 1ha no ano de
2009
PI Conv.
31.645,25
22.603,75
9.041,50
16.320,85
11.657,75
4.663,31
Receita R$ Investimento Total R$ Lucro para produzir R$
Produção em 1ha no ano de
2010
PI Conv.
Acréscimo estimado de R$ 2.145,65/ha.
Lucro líquido utilizando a Produção
Integrada
Pequenos produtores de café - 80% cultivam 20 ha.
Média de produção - 23sc/ha.
Preço médio da saca - R$ 455,00 (31/03/2015).
Rentabilidade para o produtor:
Sistema Convencional - R$ 209.300,00.
Produção Integrada - R$ 282.555,00 (35% no mínimo).
Fonte: UFV- Prof. Dr. Laecio Zambolim – (Coimbra, Manhuaçu, Três Pontas-MG). 2009/2010
ESTIMATIVA DO LUCRO LÍQUIDO ULTILIZANDO A PRODUÇÃO
INTEGRADA DE CAFÉ NO BRASIL
• 50 % dos produtores de café no Brasil tem condições de aderirem a
Produção Integrada;
• Considerando que o parque cafeeiro do país possui 7 bilhões de pés de
café teríamos cerca de 3,5 bilhões de pés de café que estariam em
condições de aderir ao Sistema de Produção Integrada;
• 3,5 bilhões de pés de café correspondem a 1 milhão de hectares;
• Estima-se com isso um lucro líquido de R$ 2.145.650.000,00.
Fonte: UFV- Prof. Dr. Laecio Zambolim – (Coimbra, Manhuaçu, Três Pontas-MG). 2009/2010
INOVAGRO – juros 4%
Limite por agricultor: até R$ 1 milhão
Prazo: até 10 anos – carência: até 3 anos
ITENS FINANCIÁVEIS:
• itens que estejam em conformidade com os Sistemas de Produção Integrada Agropecuária PI-
Brasil, BPA, PAS - Leite e Bem Estar Animal
q) construção, adequação e manutenção de instalações utilizadas na atividade produtiva, tais
como: pátios de compostagem, galpões para máquinas e equipamentos, instalações para
armazenamento de insumos, instalações para lavagem, classificações, processamento e
embalagem de produtos vegetais;
r) aquisição e instalação de câmara fria para produtos agrícolas;
s) computadores, equipamentos e softwares para gestão, monitoramento ou automação,
abrangendo gestão da produção agrícola, gestão da propriedade, registro e controle das
operações agrícolas, monitoramento de pragas, monitoramento do clima, rastreabilidade,
automação de sistemas de irrigação, automação de cultivo protegido;
t) estações meteorológicas;
u) conservação de solo e água;
v) equipamentos para monitoramento de pragas;
w) aquisição de material genético e de propagação de plantas perenes;
x) equipamentos e kits para análises de solo.
Parceria Institucional
 Acordo de Cooperação entre o MAPA e a Associação
Brasileira de Supermercados (ABRAS)
 Objetivo: capacitar produtores rurais nas Boas Práticas
Agrícolas e adoção de rastreabilidade em frutas e
hortaliças
 O presente Acordo não envolve recursos financeiros.
MacFrut 2013 e 2014 –Cesena, Itália
EXPOSUPER, JOINVILLE-SC, 2013, 2014 e 2015
Boas Práticas Agropecuárias e Produção Integrada
2014
Foza
Projeto de Lei de Produção Integrada Agropecuária Sustentável;
Plano Nacional;
Previsão de publicação de Normas Técnicas Específicas para 2015;
Capacitações de profissionais e envolvidos com a Produção Integrada e Boas
Práticas Agrícola;
Publicação de Portarias para instalação das Comissões Técnicas de
Assessoramento (Produtos e Estados da Federação);
Apoio ao desenvolvimento de ações de Boas Práticas Agrícolas e Produção
Integrada da Cadeia Produtiva Agrícola.
Participação da construção do Plano Nacional de Controle das Moscas-das-
frutas no Brasil, sob coordenação do DSV/SDA/Mapa.
METAS PARA 2015
Obrigada
Esplanada dos Ministérios, Bloco D, Anexo B, sala 128
CEP 70043-900 Brasília/DF – Brasil
producao.integrada@agricultura.gov.br
Telefone: +55 61 3218.2390

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoÍtalo Arrais
 
Cultivo do tomate orgânico (Olericultura)
Cultivo do tomate orgânico (Olericultura)Cultivo do tomate orgânico (Olericultura)
Cultivo do tomate orgânico (Olericultura)Ariana Francielle
 
Aula extensão rural planejamento
Aula extensão rural planejamentoAula extensão rural planejamento
Aula extensão rural planejamentofabio schwab
 
Simulado manejo de plantas daninhas
Simulado manejo de plantas daninhasSimulado manejo de plantas daninhas
Simulado manejo de plantas daninhasAndré Fontana Weber
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO.pptx
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO.pptxINTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO.pptx
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO.pptxGeagra UFG
 
Fruticultura irrigada
Fruticultura irrigadaFruticultura irrigada
Fruticultura irrigadahelrijesus
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do MilhoKiller Max
 
Preparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e AplicaçãoPreparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e AplicaçãoGeagra UFG
 
Origem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Origem e importância econômica e classificação botânica do FeijãoOrigem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Origem e importância econômica e classificação botânica do FeijãoKiller Max
 
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticulturaHorticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticulturaPedro Tomé
 
Apresentação Culturas Anuais Caxias - MA, MILHO, ARROZ, FEIJÃO E MANDIOCA
Apresentação Culturas Anuais Caxias - MA, MILHO, ARROZ, FEIJÃO E MANDIOCAApresentação Culturas Anuais Caxias - MA, MILHO, ARROZ, FEIJÃO E MANDIOCA
Apresentação Culturas Anuais Caxias - MA, MILHO, ARROZ, FEIJÃO E MANDIOCAMarcos Fontes
 
IRRIGAÇÃO: MÉTODOS, SISTEMAS E APLICAÇÕES
IRRIGAÇÃO: MÉTODOS, SISTEMAS E APLICAÇÕESIRRIGAÇÃO: MÉTODOS, SISTEMAS E APLICAÇÕES
IRRIGAÇÃO: MÉTODOS, SISTEMAS E APLICAÇÕESLEANDRO DE MATOS
 
Nutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoNutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoGeagra UFG
 
Pragas e doenças nas hortícolas
Pragas e doenças nas hortícolasPragas e doenças nas hortícolas
Pragas e doenças nas hortícolasEpfr De Estaquinha
 
Apresentação pós colheita
Apresentação pós colheitaApresentação pós colheita
Apresentação pós colheitaÍtalo Arrais
 

Mais procurados (20)

Manejo de Irrigação
Manejo de IrrigaçãoManejo de Irrigação
Manejo de Irrigação
 
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
 
Cultivo do tomate orgânico (Olericultura)
Cultivo do tomate orgânico (Olericultura)Cultivo do tomate orgânico (Olericultura)
Cultivo do tomate orgânico (Olericultura)
 
Aula extensão rural planejamento
Aula extensão rural planejamentoAula extensão rural planejamento
Aula extensão rural planejamento
 
Simulado manejo de plantas daninhas
Simulado manejo de plantas daninhasSimulado manejo de plantas daninhas
Simulado manejo de plantas daninhas
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO.pptx
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO.pptxINTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO.pptx
INTRODUÇÃO À CULTURA DO FEIJÃO.pptx
 
Fruticultura irrigada
Fruticultura irrigadaFruticultura irrigada
Fruticultura irrigada
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
 
Preparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e AplicaçãoPreparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e Aplicação
 
Origem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Origem e importância econômica e classificação botânica do FeijãoOrigem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Origem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
 
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticulturaHorticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticultura
 
Classificação de doenças de McNew
Classificação de doenças de McNewClassificação de doenças de McNew
Classificação de doenças de McNew
 
A cultura da banana minicurso
A cultura da banana   minicursoA cultura da banana   minicurso
A cultura da banana minicurso
 
Apresentação Culturas Anuais Caxias - MA, MILHO, ARROZ, FEIJÃO E MANDIOCA
Apresentação Culturas Anuais Caxias - MA, MILHO, ARROZ, FEIJÃO E MANDIOCAApresentação Culturas Anuais Caxias - MA, MILHO, ARROZ, FEIJÃO E MANDIOCA
Apresentação Culturas Anuais Caxias - MA, MILHO, ARROZ, FEIJÃO E MANDIOCA
 
IRRIGAÇÃO: MÉTODOS, SISTEMAS E APLICAÇÕES
IRRIGAÇÃO: MÉTODOS, SISTEMAS E APLICAÇÕESIRRIGAÇÃO: MÉTODOS, SISTEMAS E APLICAÇÕES
IRRIGAÇÃO: MÉTODOS, SISTEMAS E APLICAÇÕES
 
Nutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoNutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milho
 
Aula 02 cultura do maracujá.
Aula 02  cultura do maracujá.Aula 02  cultura do maracujá.
Aula 02 cultura do maracujá.
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
Pragas e doenças nas hortícolas
Pragas e doenças nas hortícolasPragas e doenças nas hortícolas
Pragas e doenças nas hortícolas
 
Apresentação pós colheita
Apresentação pós colheitaApresentação pós colheita
Apresentação pós colheita
 

Destaque

Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...PIFOZ
 
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...PIFOZ
 
Queijos 2011 habelfrancagastronomia.blogspot.com
Queijos 2011 habelfrancagastronomia.blogspot.comQueijos 2011 habelfrancagastronomia.blogspot.com
Queijos 2011 habelfrancagastronomia.blogspot.comhabel franca
 
Cultivo de bananeiras notas de aula.
Cultivo de bananeiras   notas de aula. Cultivo de bananeiras   notas de aula.
Cultivo de bananeiras notas de aula. CETEP, FTC, FASA..
 
ABC Como plantar hortaliças
ABC Como plantar hortaliçasABC Como plantar hortaliças
ABC Como plantar hortaliçasLenildo Araujo
 
ABC Conservas caseiras de frutas
ABC Conservas caseiras de frutasABC Conservas caseiras de frutas
ABC Conservas caseiras de frutasLenildo Araujo
 
Queijos Uma aula saborosa
Queijos Uma aula saborosaQueijos Uma aula saborosa
Queijos Uma aula saborosaNadia Cozzi
 
CARTILHA SENAR 138 Iogurte, Bebidas Lácteas e Doce de leite
CARTILHA SENAR 138 Iogurte, Bebidas Lácteas e Doce de leiteCARTILHA SENAR 138 Iogurte, Bebidas Lácteas e Doce de leite
CARTILHA SENAR 138 Iogurte, Bebidas Lácteas e Doce de leiteLenildo Araujo
 

Destaque (12)

Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
 
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
 
Queijos 2011 habelfrancagastronomia.blogspot.com
Queijos 2011 habelfrancagastronomia.blogspot.comQueijos 2011 habelfrancagastronomia.blogspot.com
Queijos 2011 habelfrancagastronomia.blogspot.com
 
Apostila de tecnologia de produtos de origem vegetal (conservas vegetais)
Apostila de tecnologia de produtos de origem vegetal (conservas vegetais)Apostila de tecnologia de produtos de origem vegetal (conservas vegetais)
Apostila de tecnologia de produtos de origem vegetal (conservas vegetais)
 
queijo
queijoqueijo
queijo
 
Hortaliças em conservas
Hortaliças em conservasHortaliças em conservas
Hortaliças em conservas
 
Cultivo de bananeiras notas de aula.
Cultivo de bananeiras   notas de aula. Cultivo de bananeiras   notas de aula.
Cultivo de bananeiras notas de aula.
 
2 okviveiro
2 okviveiro2 okviveiro
2 okviveiro
 
ABC Como plantar hortaliças
ABC Como plantar hortaliçasABC Como plantar hortaliças
ABC Como plantar hortaliças
 
ABC Conservas caseiras de frutas
ABC Conservas caseiras de frutasABC Conservas caseiras de frutas
ABC Conservas caseiras de frutas
 
Queijos Uma aula saborosa
Queijos Uma aula saborosaQueijos Uma aula saborosa
Queijos Uma aula saborosa
 
CARTILHA SENAR 138 Iogurte, Bebidas Lácteas e Doce de leite
CARTILHA SENAR 138 Iogurte, Bebidas Lácteas e Doce de leiteCARTILHA SENAR 138 Iogurte, Bebidas Lácteas e Doce de leite
CARTILHA SENAR 138 Iogurte, Bebidas Lácteas e Doce de leite
 

Semelhante a Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortaliças no Brasil

José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...PIFOZ
 
Mapa marcus produção integrada do café - agrocafé 2014
Mapa   marcus  produção integrada do café - agrocafé 2014Mapa   marcus  produção integrada do café - agrocafé 2014
Mapa marcus produção integrada do café - agrocafé 2014Revista Cafeicultura
 
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agrop...
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café:  Produção Integrada Agrop...Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café:  Produção Integrada Agrop...
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agrop...Revista Cafeicultura
 
PLANO DE AÇÃO DA ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A AGRICULTURA BIOLÓGICA
PLANO DE AÇÃO DA ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A AGRICULTURA BIOLÓGICAPLANO DE AÇÃO DA ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A AGRICULTURA BIOLÓGICA
PLANO DE AÇÃO DA ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A AGRICULTURA BIOLÓGICADo outro lado da barricada
 
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adeq...
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adeq...Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adeq...
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adeq...Oxya Agro e Biociências
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelAgriculturaSustentavel
 
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPiresApresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPiresequipeagroplus
 
Responsabilidade técnica na pesquisa, comércio, utilização e fiscalização de ...
Responsabilidade técnica na pesquisa, comércio, utilização e fiscalização de ...Responsabilidade técnica na pesquisa, comércio, utilização e fiscalização de ...
Responsabilidade técnica na pesquisa, comércio, utilização e fiscalização de ...Oxya Agro e Biociências
 
Júlio Britto - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
Júlio Britto  - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...Júlio Britto  - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
Júlio Britto - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...PIFOZ
 
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPALSERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPALLenildo Araujo
 
Orientações para construção de pequenas agroindustrias
Orientações para construção de pequenas agroindustriasOrientações para construção de pequenas agroindustrias
Orientações para construção de pequenas agroindustriasLenildo Araujo
 
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MGApresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MGRuan Coutinho
 
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MGW9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MGequipeagroplus
 

Semelhante a Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortaliças no Brasil (20)

Rosilene moura
Rosilene mouraRosilene moura
Rosilene moura
 
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
 
José guilherme tollstadius leal
José guilherme tollstadius lealJosé guilherme tollstadius leal
José guilherme tollstadius leal
 
PDA - ENFISA 2016
PDA - ENFISA 2016PDA - ENFISA 2016
PDA - ENFISA 2016
 
Mapa marcus produção integrada do café - agrocafé 2014
Mapa   marcus  produção integrada do café - agrocafé 2014Mapa   marcus  produção integrada do café - agrocafé 2014
Mapa marcus produção integrada do café - agrocafé 2014
 
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agrop...
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café:  Produção Integrada Agrop...Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café:  Produção Integrada Agrop...
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agrop...
 
PLANO DE AÇÃO DA ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A AGRICULTURA BIOLÓGICA
PLANO DE AÇÃO DA ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A AGRICULTURA BIOLÓGICAPLANO DE AÇÃO DA ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A AGRICULTURA BIOLÓGICA
PLANO DE AÇÃO DA ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A AGRICULTURA BIOLÓGICA
 
V encuentro politica publica rs
V encuentro politica publica rsV encuentro politica publica rs
V encuentro politica publica rs
 
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adeq...
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adeq...Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adeq...
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adeq...
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
 
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPiresApresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
 
Responsabilidade técnica na pesquisa, comércio, utilização e fiscalização de ...
Responsabilidade técnica na pesquisa, comércio, utilização e fiscalização de ...Responsabilidade técnica na pesquisa, comércio, utilização e fiscalização de ...
Responsabilidade técnica na pesquisa, comércio, utilização e fiscalização de ...
 
Júlio britto a
Júlio britto aJúlio britto a
Júlio britto a
 
Júlio Britto - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
Júlio Britto  - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...Júlio Britto  - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
Júlio Britto - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
 
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPALSERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
 
Orientações para construção de pequenas agroindustrias
Orientações para construção de pequenas agroindustriasOrientações para construção de pequenas agroindustrias
Orientações para construção de pequenas agroindustrias
 
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MGApresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
 
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MGW9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
 
Pib 14 04_09
Pib 14 04_09Pib 14 04_09
Pib 14 04_09
 
Minas Pecuária
Minas PecuáriaMinas Pecuária
Minas Pecuária
 

Mais de Oxya Agro e Biociências

Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESPSegurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESPOxya Agro e Biociências
 
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitaisSegurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitaisOxya Agro e Biociências
 
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAsApresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAsOxya Agro e Biociências
 
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto RegulatórioBoas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto RegulatórioOxya Agro e Biociências
 
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisCampanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisOxya Agro e Biociências
 
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileiraImpacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileiraOxya Agro e Biociências
 
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no BrasilImpacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no BrasilOxya Agro e Biociências
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afinsNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afinsOxya Agro e Biociências
 
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de AgrotóxicosNovas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de AgrotóxicosOxya Agro e Biociências
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicosNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicosOxya Agro e Biociências
 
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...Oxya Agro e Biociências
 
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVEGestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVEOxya Agro e Biociências
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...Oxya Agro e Biociências
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na AnvisaSituação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na AnvisaOxya Agro e Biociências
 
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...Oxya Agro e Biociências
 

Mais de Oxya Agro e Biociências (20)

Flyer eletrônico - simpdcana
Flyer eletrônico - simpdcanaFlyer eletrônico - simpdcana
Flyer eletrônico - simpdcana
 
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESPSegurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
 
Apresentação do Projeto Colmeia Viva
Apresentação do Projeto Colmeia VivaApresentação do Projeto Colmeia Viva
Apresentação do Projeto Colmeia Viva
 
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitaisSegurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
 
Sistema GEDAVE
Sistema GEDAVESistema GEDAVE
Sistema GEDAVE
 
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAsApresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
 
Boas Práticas Regulatórias
Boas Práticas RegulatóriasBoas Práticas Regulatórias
Boas Práticas Regulatórias
 
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto RegulatórioBoas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
 
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisCampanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
 
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileiraImpacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
 
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no BrasilImpacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afinsNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
 
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de AgrotóxicosNovas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicosNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
 
Gestão e Inovação, para quê?
Gestão e Inovação, para quê?Gestão e Inovação, para quê?
Gestão e Inovação, para quê?
 
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
 
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVEGestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na AnvisaSituação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
 
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
 

Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortaliças no Brasil

  • 1. Produção Integrada de frutas e hortaliças Gisele Ventura Garcia Grilli Maio 2015
  • 2. Produção Integrada É um sistema de produção SUSTENTÁVEL, MAIS EFICIENTE na aplicação de recursos naturais e regulação de mecanismos para a substituição de insumos poluentes, utilizando instrumentos adequados de MONITORAMENTO dos procedimentos e a RASTREABILIDADE de todo o processo, tornando-o economicamente viável, ambientalmente correto e SOCIALMENTE JUSTO.
  • 3. . ORIGEM NA EUROPA NA DÉCADA DE 70 . EVOLUÇÃO DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP) . TEM COMO BASE AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA) . ADESÃO VOLUNTÁRIA DOS PRODUTORES . CAPACITAÇÃO CONTÍNUA . RACIONALIZAÇÃO DE INSUMOS . ABRANGÊNCIA NACIONAL . PRODUTO APTO PARA O MERCADO INTERNO E EXTERNO . RESPEITO À LEGISLAÇÃO VIGENTE . ELABORAÇÃO DE NORMA TÉCNICA ESPECÍFICA . CERTIFICAÇÃO DO PROCESSO PRODUTIVO . RASTREABILIDADE Produção Integrada
  • 4. PI no mundo no ano de 2015
  • 5. Emília Romagna (Itália) • 97 % da produção agrícola provém de Produção Integrada • 3% provém de Produção Orgânica • É o país da Europa com maior número de Normas Técnicas de PI Norma de Produção Integrada 1. - Cogumelos 2. - Frutas Frescas 3. - Nozes 4. - Frutas Industrializadas 5. - Hortaliças Frescas 6. - Hortaliças para Conserva 7. - Frutas e Hortaliças Congeladas 8. - Vinhos, Sucos, Frisantes, etc. 9. - Girassol, Soja e Milho 10. - Arroz, Cereais, etc. 11. - Farinha
  • 6. HISTÓRICO 2001/2002 – MARCO LEGAL DA PRODUÇÃO INTEGRADA DE FRUTAS: • IN 20/2001 – Diretrizes Gerais e Normas Técnicas Gerais da Produção Integrada de Frutas (PIF). • IN 05/2002 – Comissão Técnica (CTPIF). • Regimento Interno CTPIF. • Portaria 144/2002 – Regulamento de Avaliação da Conformidade (RAC/INMETRO) para Processo da PIF. • Cadastro Nacional de Produtores e Empacotadoras (CNPE). • Modelo de Avaliação de Conformidade do Sistema PIF. • Voluntária. PRODUÇÃO INTEGRADA AGROPECUÁRIA
  • 7. Arcabouço Legal IN MAPA nº 27 - 30/08/2010 - Amplia as diretrizes da PIF para as demais cadeias do agronegócio, inclusive a cadeia pecuária. - Estabelece diretrizes gerais com vistas a fixar preceitos e orientações para os programas e projetos que fomentem e desenvolvam a PI- Brasil. PORTARIA nº 443 – INMETRO, 23/11/2010 RAC – certificação e uso do selo REQUISITO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE * Inmetro: órgão responsável pelo processo de certificação
  • 9. CAPÍTULO IV ELABORAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS E PROJETOS REFERENCIADOS PELA PI-Brasil A elaboração e implantação dos programas e projetos da PI-Brasil, sob a coordenação da SDC, contarão com o assessoramento de: I - Comissão Nacional da Produção Integrada Agropecuária; II - Comissões Técnicas Nacionais por Cadeia Produtiva; III - Comissões Técnicas por Produto; e IV - Comissões Estaduais. ato do Secretário de SDC/MAPA ato do Superintendente Federal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento na Unidade da Federação correspondente
  • 10.  Projetos em mais de 30 cadeias produtivas  16 normas técnicas publicadas podendo ser certificados 22 produtos (maçã, melão, mamão, caqui, uva, pêssego, goiaba, banana, citros - limão, tangerina e laranja, coco, caju, figo, caqui, manga, abacaxi e morango, café, batata e tabaco).  normas a serem publicadas: trigo, amendoim, gengibre, inhame, taro, arroz, feijão, flores e plantas ornamentais, tomate, uva para processamento, anonáceas, cenoura, pimentão, abacate, entre outras. Produção Integrada no Brasil
  • 11. Caminho da Certificação PI - Brasil INMETRO SDC/DEPROS CADEIA PRODUTIVA ETAPA FAZENDA ETAPA INDÚSTRIA CERTIFICADORAS PRODUTO CERTIFICADO NO MERCADO MAPA RAC - REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA PRODUÇÃO INTEGRADA AGROPECUÁRIA (Port. Inmetro nº 443, de 23/11/2011) Acreditação e Fiscalização Elaboração e Publicação da Norma Técnica Específica – NTE e da Lista de Verificação - LV Auditorias de certificação e manutenção (3ª parte)
  • 12. Criação do Selo de Identificação da Conformidade da Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil)
  • 13.
  • 14. RACIONALIZAÇÃO DO USO DE AGROTÓXICOS PI BRASIL % de redução no número de aplicações PRODUTO Maçã Uva Mamão Pêssego (PR) Pêssego (RS) INSETICIDA 70 89 50 75 34 FUNGICIDA 15 42 50 55,6 28 HERBICIDA 67 100 78 60 50 ACARICIDA 67 100 35,7 100 87,5 RELEVÂNCIA DA PRODUÇÃO INTEGRADA Fonte: DEPROS/SDC/MAPA
  • 15. Custo de Produção – Pequena Escala Safra 2011-2012. Caçador -SC Descrição Convencional PI TOMATE Custo Variável (CV) 49.673,79 39.509,36 Custo Fixo1 (CF) 7.468,98 7.468,98 Custo Total1 (CT) 57.142,77 46.978,34 Preço de Venda2 (PV) 17,00 17,00 Produção (caixas)1 (P) 3.300 3120 Renda Bruta (RB) 56.100,00 53.040,00 Preço de custo (R$/Caixas) (PC) 17,32 15,06 Lucro (R$/Caixas) (L) -0,32 1,94 Retorno da atividade (%) (RA) -1,82 12,90 Área (ha) 1 1 Fonte: Dr. Walter Becker, EPAGRI
  • 16. Produção Integrada x Convencional Aumento estimado na produção de 35 - 55%. Fonte: UFV- Prof. Dr. Laecio Zambolim – (Coimbra, Manhuaçu, Três Pontas-MG). 2009/2010 20,14 22,2 31,58 19,25 20,98 31,42 1 2 3 Produção de café (sacas beneficiadas/ha) em três campos de produção (2009) PI Conv. 79,42 68,74 60,50 10,25 53,46 43,90 1 2 3 Produção de café (sacas beneficiadas/ha) em três campos de produção (2010) PI Conv. 94,19 61,18 Produção média (sacas beneficiadas/ha) 2009/2010 PI Conv.
  • 17. Fonte: UFV- Prof. Dr. Laecio Zambolim – (Coimbra, Manhuaçu, Três Pontas-MG). 2009/2010 Produção Integrada x Convencional R$6.122,35 R$3.976,70 Lucro médio PI CONV 11.211,20 8.008,00 3.203,20 11.516,05 8.225,75 3.290,30 Receita R$ Investimento Total R$ Lucro para produzir R$ Produção em 1ha no ano de 2009 PI Conv. 31.645,25 22.603,75 9.041,50 16.320,85 11.657,75 4.663,31 Receita R$ Investimento Total R$ Lucro para produzir R$ Produção em 1ha no ano de 2010 PI Conv. Acréscimo estimado de R$ 2.145,65/ha.
  • 18. Lucro líquido utilizando a Produção Integrada Pequenos produtores de café - 80% cultivam 20 ha. Média de produção - 23sc/ha. Preço médio da saca - R$ 455,00 (31/03/2015). Rentabilidade para o produtor: Sistema Convencional - R$ 209.300,00. Produção Integrada - R$ 282.555,00 (35% no mínimo). Fonte: UFV- Prof. Dr. Laecio Zambolim – (Coimbra, Manhuaçu, Três Pontas-MG). 2009/2010
  • 19. ESTIMATIVA DO LUCRO LÍQUIDO ULTILIZANDO A PRODUÇÃO INTEGRADA DE CAFÉ NO BRASIL • 50 % dos produtores de café no Brasil tem condições de aderirem a Produção Integrada; • Considerando que o parque cafeeiro do país possui 7 bilhões de pés de café teríamos cerca de 3,5 bilhões de pés de café que estariam em condições de aderir ao Sistema de Produção Integrada; • 3,5 bilhões de pés de café correspondem a 1 milhão de hectares; • Estima-se com isso um lucro líquido de R$ 2.145.650.000,00. Fonte: UFV- Prof. Dr. Laecio Zambolim – (Coimbra, Manhuaçu, Três Pontas-MG). 2009/2010
  • 20. INOVAGRO – juros 4% Limite por agricultor: até R$ 1 milhão Prazo: até 10 anos – carência: até 3 anos ITENS FINANCIÁVEIS: • itens que estejam em conformidade com os Sistemas de Produção Integrada Agropecuária PI- Brasil, BPA, PAS - Leite e Bem Estar Animal q) construção, adequação e manutenção de instalações utilizadas na atividade produtiva, tais como: pátios de compostagem, galpões para máquinas e equipamentos, instalações para armazenamento de insumos, instalações para lavagem, classificações, processamento e embalagem de produtos vegetais; r) aquisição e instalação de câmara fria para produtos agrícolas; s) computadores, equipamentos e softwares para gestão, monitoramento ou automação, abrangendo gestão da produção agrícola, gestão da propriedade, registro e controle das operações agrícolas, monitoramento de pragas, monitoramento do clima, rastreabilidade, automação de sistemas de irrigação, automação de cultivo protegido; t) estações meteorológicas; u) conservação de solo e água; v) equipamentos para monitoramento de pragas; w) aquisição de material genético e de propagação de plantas perenes; x) equipamentos e kits para análises de solo.
  • 21. Parceria Institucional  Acordo de Cooperação entre o MAPA e a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS)  Objetivo: capacitar produtores rurais nas Boas Práticas Agrícolas e adoção de rastreabilidade em frutas e hortaliças  O presente Acordo não envolve recursos financeiros.
  • 22. MacFrut 2013 e 2014 –Cesena, Itália
  • 24. Boas Práticas Agropecuárias e Produção Integrada 2014 Foza
  • 25. Projeto de Lei de Produção Integrada Agropecuária Sustentável; Plano Nacional; Previsão de publicação de Normas Técnicas Específicas para 2015; Capacitações de profissionais e envolvidos com a Produção Integrada e Boas Práticas Agrícola; Publicação de Portarias para instalação das Comissões Técnicas de Assessoramento (Produtos e Estados da Federação); Apoio ao desenvolvimento de ações de Boas Práticas Agrícolas e Produção Integrada da Cadeia Produtiva Agrícola. Participação da construção do Plano Nacional de Controle das Moscas-das- frutas no Brasil, sob coordenação do DSV/SDA/Mapa. METAS PARA 2015
  • 26.
  • 27.
  • 28. Obrigada Esplanada dos Ministérios, Bloco D, Anexo B, sala 128 CEP 70043-900 Brasília/DF – Brasil producao.integrada@agricultura.gov.br Telefone: +55 61 3218.2390