SlideShare uma empresa Scribd logo
Disciplina: Plantas Perenes e Sistemas Agrosilvopastoris
Docente: Josias
Discentes: Dione Zampolli, Gustavo Rodrigues, Laura Salles, Lucas
Sartoratto e Thiago França
Turma: 3º ano A
A CULTURA DA GOIABA
 Nome comum: Goiaba
 Nome científico: Psidium guajava
 Família: Myrtaceae
 Gênero: Psidium
A CULTURA DA GOIABA
ÁRVORE
 „Porte pequeno a médio, geralmente 3-5
metros de altura, podendo chegar até
8m;
 „Característica tortuosa e esgalhada
com casca lisa e delgada que se
desprende em lâminas, quando velha.
Descrição da planta
FOLHAS
 „Completas;
 „Oblongas;
 „Coriáceas;
 „Pubescentesna página inferior;
 „Com nervuras secundárias ao longo
da principal.
Descrição da planta
RAMOS
 „Ramos do ano: 60-150cm de
comprimento. Apenas nestes ramos
surgem as inflorescências;
 „Ramos netos: surgem do ramo do
ano e produzem frutos. Importante
para ampliar o período de safra, em
pomares de mesa.
Descrição da planta
FLORES
 Pentâmeras e hermafroditas;
 Androceu com muitos estames (cerca
de 350);
 Planta alógama, com taxa de
polinização cruzada > 35%;
 Principal agente polinizador= Abelha
doméstica (Apismellifera);
 Para cada grupo de 100 botões colhe-
se 20 frutos (geralmente);
Descrição da planta
FRUTO
 „Baga;
 „Tem mesocarpo de textura firme e 4-5
lóculos cheios de massa pastosa, onde
são encontradas as sementes;
 Formato redondo a piriforme;
 Cor da polpa variável (branca, vermelha,
amarela, rosa).
Descrição da planta
 A goiabeira vegeta e produz bem desde o nível do mar até a
altitude de 1.700m;
 À temperatura inferior a 12ºC, a goiabeira não vegeta e, em
consequência, não produz;
 A temperatura ideal para a vegetação e produção situa-se
entre 25 a 30°C ;
 A goiabeira se desenvolve e produz bem com precipitações
de 1.000mm anuais;
 A umidade relativa do ar mais favorável ao cultivo de
goiabeira se situe entre 50 e 80%.
Aspectos agrometeorológicos
 Antes da abertura das covas, geralmente, faz-se uma
calagem de acordo com a análise de solo, seguida de
aração e gradagem.
 O plantio direto também pode ser utilizado, adotando-se
espaçamento de 7m x 5m ou 6m x 6m, abrindo-se covas de
60cm x 60cm x 60cm.
 A camada superior do solo, retirada das covas
acrescentam-se esterco de curral ou esterco de aves e
calcário dolomítico.
 No ato do plantio, o colo das plantas deve ficar ao nível do
terreno, eliminando-se o saco plástico, firmando-se o solo
ao redor do torrão.
Preparo do solo e mecanização
ESPAÇAMENTO DEPENDE:
 - Sistema de condução;
 - Irrigação adotada;
 - Finalidade da produção.
 - Geralmente:
 Industria = 7 a 10 m entre linhas e 5 a 8 m entre pls (200-300pls/ha)
 Mesa = 6 a 8 m entre linhas e 2 a 6 m entre pls (300-400pls/ha)
 PREPARO DE COVAS:
 Varia conforme a espécie;
 Quanto maior o porte, maior será o espaçamento;
 O próprio viveiro onde a muda foi adquirida informa sobre o espaçamento
adequado;
 O próprio viveiro onde a muda foi adquirida informa sobre o espaçamento
adequado.
Espaçamento e Preparo de covas
 CALAGEM: para a implantação do pomar, deve-se efetuar uma boa
calagem, com calcário dolomítico, na quantidade necessária para
elevar a saturação por base à valores próximo de 70%.
a) Adubação de plantio: As covas devem ser adubadas pelo menos 30
dias antes do plantio e desde que ocorram chuvas durante o
período;
b) Adubação de formação: Durante a fase de formação do pomar,
aconselha-se o emprego de 90 gramas de N, 90 gramas de P2O5
de 90 gramas de K2O por ano de idade da planta, divididos em
três parcelas anuais, aplicados no período chuvoso.
c) Adubação de produção: Iniciada a produção, iniciam-se também,
as adubações químicas, que precisam ser criteriosamente
planejadas e executadas, dada a elevada exigência dessa cultura.
Nutrição, calagem e adubação
Cultivares
VARIEDADE ORIGEM CARACTÉRISTICAS DOS FRUTOS VIGOR DAS
ÁRVORESCOLORAÇÃO TAMANHO FORMA
Kumagai Campinas-SP Branca Grande Arredonda
da
Médio
Ogawa 1 Seropédica-RJ Branca Grande Oblonga Vigorosa
Ogawa 2 Seropédica-RJ Vermelha Grande Oblonga Vigorosa
Ogawa 3 Seropédica-RJ Rosada Grande Arredonda
da
Médio
Paluma Jaboticabal-
SP
Vermelha Grande Piriforme Vigorosa
Rica Jaboticabal-
SP
Vermelha Médio Piriforme Vigorosa
Pedro Sato Nova Iguaçu-
RJ
Vermelha Grande Oblonga Vigorosa
Sassaoca Valinhos-SP Vermelho Grande Arredonda
da
Bom
Enxerto:
Pode ser feito propagada por diversos tipos de borbulha
(T normal, T invertido entre outros ..)
Estaquia:
Ramos herbáceos;
Matriz: Plantas sadias e bem nutridas.
Produção de mudas
Temperatura:
(Ideal, para ótimo desenvolvimento 25° C)
Precipitação:
Mínimo de 600 mm/ano
Ideal de 1000 a 1600 mm/ano
Implantação do pomar
 Feijão;
 Milho;
 Tomates para indústrias;
 Melancia.
Consórcio com outras culturas
Poda de formação;
Poda de limpeza;
Poda de frutificação.
Manejo da parte aérea
Irrigação localizada sobre a copa.
Irrigação
Capina manual;
Capina mecanizada.
Combate das ervas daninhas
Bacteriose: Erwiria psidii;
Antracnose: Sphcelona psidii bit;
Ferrugem da goiabeira: Puccina psidii Wint.
Doenças e formas de controle/ prvenção
Psilídio(Triozoidasp);
Besouro amarelo
(Costalimaitaferrugineavulgata);
Gorgulho da goiabeira (Conotracheluspsidii);
Mosca das frutas.
Pragas e formas de controle/ prvenção
Colheita:
 Realização da colheita;
 Ponto de colheita;
 Formas de colheita;
 Produção.
Pós-Colheita:
 Seleção;
 Embalagem;
 Transporte.
Colheita e pós-colheita
Comercialização:
 In natura – R$ 0,30 centavos/ R$ 1,0 Kg;
 Doces;
 Sucos;
 Molhos.
Comercialização, custos e
rentabilidade
 A cultura da goiaba/ Luiz Gonzaga Neto, José monteiro
Soares – Brasília: EMBRAPA/SPI, 1995. 75 p. ; 16cm.
(Coleção Pantar: 27).
 A cultura da goiaba [editores técnicos, Flávia Rabelo
Barbosa e Mirtes Freitas Lima]. - 2ª edição revista e
ampliada – Brasília, DF : Embrapa InformaçãoTecnológica,
2010. 180 p. : il. 16 cm – (Coleção Plantar, 66) .
Referências Bibliográficas
Obrigado !

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila propagacao de arvores frutiferas
Apostila propagacao de arvores frutiferasApostila propagacao de arvores frutiferas
Apostila propagacao de arvores frutiferas
Lenildo Araujo
 
Sorgo morfologia e fisiologia
Sorgo morfologia e fisiologiaSorgo morfologia e fisiologia
Sorgo morfologia e fisiologia
Geagra UFG
 
Fenologia da soja, milho e algodão
Fenologia da soja, milho e algodãoFenologia da soja, milho e algodão
Fenologia da soja, milho e algodão
Geagra UFG
 
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de DesenvolveComo a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
Geagra UFG
 
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e MilhetoFenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Geagra UFG
 
Fenologia e Fisiologia do Girassol
Fenologia e Fisiologia do GirassolFenologia e Fisiologia do Girassol
Fenologia e Fisiologia do Girassol
Geagra UFG
 
Citrus de mesa
Citrus de mesaCitrus de mesa
Citrus de mesa
Caroline Esperança
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
Geagra UFG
 
Implantação da Cultura do Feijão
Implantação da Cultura do FeijãoImplantação da Cultura do Feijão
Implantação da Cultura do Feijão
Killer Max
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAINTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
Geagra UFG
 
Nutrição e adubação do feijoeiro
Nutrição e adubação do feijoeiro Nutrição e adubação do feijoeiro
Nutrição e adubação do feijoeiro
Geagra UFG
 
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
Geagra UFG
 
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de PlantasManejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
AgriculturaSustentavel
 
Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja
Geagra UFG
 
Apresentação abacaxi
Apresentação abacaxiApresentação abacaxi
Apresentação abacaxi
Geraldo Henrique
 
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
Geagra UFG
 
Manejo de Irrigação
Manejo de IrrigaçãoManejo de Irrigação
Manejo de Irrigação
Sebastião Nascimento
 
Fenologia e fisiologia da cultura do milho
Fenologia e fisiologia da cultura do milhoFenologia e fisiologia da cultura do milho
Fenologia e fisiologia da cultura do milho
Geagra UFG
 
Manual de identificacao das doencas da soja
Manual de identificacao das doencas da sojaManual de identificacao das doencas da soja
Manual de identificacao das doencas da soja
Luciano Marques
 
Culturas do pimentao e da pimenta 2013
Culturas do pimentao e da pimenta 2013Culturas do pimentao e da pimenta 2013
Culturas do pimentao e da pimenta 2013
Carlos Magno Guedes
 

Mais procurados (20)

Apostila propagacao de arvores frutiferas
Apostila propagacao de arvores frutiferasApostila propagacao de arvores frutiferas
Apostila propagacao de arvores frutiferas
 
Sorgo morfologia e fisiologia
Sorgo morfologia e fisiologiaSorgo morfologia e fisiologia
Sorgo morfologia e fisiologia
 
Fenologia da soja, milho e algodão
Fenologia da soja, milho e algodãoFenologia da soja, milho e algodão
Fenologia da soja, milho e algodão
 
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de DesenvolveComo a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
 
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e MilhetoFenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
 
Fenologia e Fisiologia do Girassol
Fenologia e Fisiologia do GirassolFenologia e Fisiologia do Girassol
Fenologia e Fisiologia do Girassol
 
Citrus de mesa
Citrus de mesaCitrus de mesa
Citrus de mesa
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
 
Implantação da Cultura do Feijão
Implantação da Cultura do FeijãoImplantação da Cultura do Feijão
Implantação da Cultura do Feijão
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAINTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
 
Nutrição e adubação do feijoeiro
Nutrição e adubação do feijoeiro Nutrição e adubação do feijoeiro
Nutrição e adubação do feijoeiro
 
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
 
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de PlantasManejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
 
Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja
 
Apresentação abacaxi
Apresentação abacaxiApresentação abacaxi
Apresentação abacaxi
 
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
 
Manejo de Irrigação
Manejo de IrrigaçãoManejo de Irrigação
Manejo de Irrigação
 
Fenologia e fisiologia da cultura do milho
Fenologia e fisiologia da cultura do milhoFenologia e fisiologia da cultura do milho
Fenologia e fisiologia da cultura do milho
 
Manual de identificacao das doencas da soja
Manual de identificacao das doencas da sojaManual de identificacao das doencas da soja
Manual de identificacao das doencas da soja
 
Culturas do pimentao e da pimenta 2013
Culturas do pimentao e da pimenta 2013Culturas do pimentao e da pimenta 2013
Culturas do pimentao e da pimenta 2013
 

Semelhante a A cultura da goiaba

Apresentação feijao paty e vinicius
Apresentação feijao   paty e viniciusApresentação feijao   paty e vinicius
Apresentação feijao paty e vinicius
Vinicius Vieira Cursino
 
Frutas De Caroço (1)
Frutas De Caroço (1)Frutas De Caroço (1)
Frutas De Caroço (1)
Agricultura Sao Paulo
 
PLANTAS AMAZONICAS.ppt
PLANTAS AMAZONICAS.pptPLANTAS AMAZONICAS.ppt
PLANTAS AMAZONICAS.ppt
rickriordan
 
Cultivo da mandioca.
Cultivo da mandioca.Cultivo da mandioca.
Cultivo da mandioca.
Denifer Teixeira
 
Mandioca no RS.
Mandioca no RS.Mandioca no RS.
Mandioca no RS.
Denifer Teixeira
 
A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)
Killer Max
 
Cultura da Cenoura
Cultura da CenouraCultura da Cenoura
Cultura da Cenoura
Sabrina Nascimento
 
Pessegueiro
PessegueiroPessegueiro
Silvicultura da erva mate
Silvicultura da erva mateSilvicultura da erva mate
Silvicultura da erva mate
Taís Leandro
 
Forragem- trabalho-seminário
Forragem- trabalho-seminárioForragem- trabalho-seminário
Forragem- trabalho-seminário
UNICAP
 
Cultura da melancia
Cultura da melanciaCultura da melancia
Cultura da melancia
IFRO
 
cultura do arroz slide simplificado
cultura do arroz slide simplificadocultura do arroz slide simplificado
cultura do arroz slide simplificado
Andre Vinicius
 
Pimenta E Pimentão
Pimenta E PimentãoPimenta E Pimentão
Pimenta E Pimentão
Luiz Fernando
 
Araucária angustifolia
Araucária angustifoliaAraucária angustifolia
Araucária angustifolia
Alyne Regina Ruggiero
 
Cana de-açucar
Cana de-açucarCana de-açucar
Cana de-açucar
Philipe Assunção
 
Apresentação arroz patricia e vinicius.
Apresentação arroz   patricia e vinicius.Apresentação arroz   patricia e vinicius.
Apresentação arroz patricia e vinicius.
Vinicius Vieira Cursino
 
Olericultura 1
Olericultura 1Olericultura 1
Olericultura 1
FabioRibeiro129
 
Slides
SlidesSlides
5 botânica e morfologia da cana
5 botânica e morfologia da cana5 botânica e morfologia da cana
5 botânica e morfologia da cana
Cristóvão Lopes
 
P oaceae aula 5jj
P oaceae   aula 5jjP oaceae   aula 5jj
P oaceae aula 5jj
Andréa Vasconcelos
 

Semelhante a A cultura da goiaba (20)

Apresentação feijao paty e vinicius
Apresentação feijao   paty e viniciusApresentação feijao   paty e vinicius
Apresentação feijao paty e vinicius
 
Frutas De Caroço (1)
Frutas De Caroço (1)Frutas De Caroço (1)
Frutas De Caroço (1)
 
PLANTAS AMAZONICAS.ppt
PLANTAS AMAZONICAS.pptPLANTAS AMAZONICAS.ppt
PLANTAS AMAZONICAS.ppt
 
Cultivo da mandioca.
Cultivo da mandioca.Cultivo da mandioca.
Cultivo da mandioca.
 
Mandioca no RS.
Mandioca no RS.Mandioca no RS.
Mandioca no RS.
 
A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)
 
Cultura da Cenoura
Cultura da CenouraCultura da Cenoura
Cultura da Cenoura
 
Pessegueiro
PessegueiroPessegueiro
Pessegueiro
 
Silvicultura da erva mate
Silvicultura da erva mateSilvicultura da erva mate
Silvicultura da erva mate
 
Forragem- trabalho-seminário
Forragem- trabalho-seminárioForragem- trabalho-seminário
Forragem- trabalho-seminário
 
Cultura da melancia
Cultura da melanciaCultura da melancia
Cultura da melancia
 
cultura do arroz slide simplificado
cultura do arroz slide simplificadocultura do arroz slide simplificado
cultura do arroz slide simplificado
 
Pimenta E Pimentão
Pimenta E PimentãoPimenta E Pimentão
Pimenta E Pimentão
 
Araucária angustifolia
Araucária angustifoliaAraucária angustifolia
Araucária angustifolia
 
Cana de-açucar
Cana de-açucarCana de-açucar
Cana de-açucar
 
Apresentação arroz patricia e vinicius.
Apresentação arroz   patricia e vinicius.Apresentação arroz   patricia e vinicius.
Apresentação arroz patricia e vinicius.
 
Olericultura 1
Olericultura 1Olericultura 1
Olericultura 1
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
5 botânica e morfologia da cana
5 botânica e morfologia da cana5 botânica e morfologia da cana
5 botânica e morfologia da cana
 
P oaceae aula 5jj
P oaceae   aula 5jjP oaceae   aula 5jj
P oaceae aula 5jj
 

A cultura da goiaba

  • 1. Disciplina: Plantas Perenes e Sistemas Agrosilvopastoris Docente: Josias Discentes: Dione Zampolli, Gustavo Rodrigues, Laura Salles, Lucas Sartoratto e Thiago França Turma: 3º ano A A CULTURA DA GOIABA
  • 2.  Nome comum: Goiaba  Nome científico: Psidium guajava  Família: Myrtaceae  Gênero: Psidium A CULTURA DA GOIABA
  • 3. ÁRVORE  „Porte pequeno a médio, geralmente 3-5 metros de altura, podendo chegar até 8m;  „Característica tortuosa e esgalhada com casca lisa e delgada que se desprende em lâminas, quando velha. Descrição da planta
  • 4. FOLHAS  „Completas;  „Oblongas;  „Coriáceas;  „Pubescentesna página inferior;  „Com nervuras secundárias ao longo da principal. Descrição da planta
  • 5. RAMOS  „Ramos do ano: 60-150cm de comprimento. Apenas nestes ramos surgem as inflorescências;  „Ramos netos: surgem do ramo do ano e produzem frutos. Importante para ampliar o período de safra, em pomares de mesa. Descrição da planta
  • 6. FLORES  Pentâmeras e hermafroditas;  Androceu com muitos estames (cerca de 350);  Planta alógama, com taxa de polinização cruzada > 35%;  Principal agente polinizador= Abelha doméstica (Apismellifera);  Para cada grupo de 100 botões colhe- se 20 frutos (geralmente); Descrição da planta
  • 7. FRUTO  „Baga;  „Tem mesocarpo de textura firme e 4-5 lóculos cheios de massa pastosa, onde são encontradas as sementes;  Formato redondo a piriforme;  Cor da polpa variável (branca, vermelha, amarela, rosa). Descrição da planta
  • 8.  A goiabeira vegeta e produz bem desde o nível do mar até a altitude de 1.700m;  À temperatura inferior a 12ºC, a goiabeira não vegeta e, em consequência, não produz;  A temperatura ideal para a vegetação e produção situa-se entre 25 a 30°C ;  A goiabeira se desenvolve e produz bem com precipitações de 1.000mm anuais;  A umidade relativa do ar mais favorável ao cultivo de goiabeira se situe entre 50 e 80%. Aspectos agrometeorológicos
  • 9.  Antes da abertura das covas, geralmente, faz-se uma calagem de acordo com a análise de solo, seguida de aração e gradagem.  O plantio direto também pode ser utilizado, adotando-se espaçamento de 7m x 5m ou 6m x 6m, abrindo-se covas de 60cm x 60cm x 60cm.  A camada superior do solo, retirada das covas acrescentam-se esterco de curral ou esterco de aves e calcário dolomítico.  No ato do plantio, o colo das plantas deve ficar ao nível do terreno, eliminando-se o saco plástico, firmando-se o solo ao redor do torrão. Preparo do solo e mecanização
  • 10. ESPAÇAMENTO DEPENDE:  - Sistema de condução;  - Irrigação adotada;  - Finalidade da produção.  - Geralmente:  Industria = 7 a 10 m entre linhas e 5 a 8 m entre pls (200-300pls/ha)  Mesa = 6 a 8 m entre linhas e 2 a 6 m entre pls (300-400pls/ha)  PREPARO DE COVAS:  Varia conforme a espécie;  Quanto maior o porte, maior será o espaçamento;  O próprio viveiro onde a muda foi adquirida informa sobre o espaçamento adequado;  O próprio viveiro onde a muda foi adquirida informa sobre o espaçamento adequado. Espaçamento e Preparo de covas
  • 11.  CALAGEM: para a implantação do pomar, deve-se efetuar uma boa calagem, com calcário dolomítico, na quantidade necessária para elevar a saturação por base à valores próximo de 70%. a) Adubação de plantio: As covas devem ser adubadas pelo menos 30 dias antes do plantio e desde que ocorram chuvas durante o período; b) Adubação de formação: Durante a fase de formação do pomar, aconselha-se o emprego de 90 gramas de N, 90 gramas de P2O5 de 90 gramas de K2O por ano de idade da planta, divididos em três parcelas anuais, aplicados no período chuvoso. c) Adubação de produção: Iniciada a produção, iniciam-se também, as adubações químicas, que precisam ser criteriosamente planejadas e executadas, dada a elevada exigência dessa cultura. Nutrição, calagem e adubação
  • 12. Cultivares VARIEDADE ORIGEM CARACTÉRISTICAS DOS FRUTOS VIGOR DAS ÁRVORESCOLORAÇÃO TAMANHO FORMA Kumagai Campinas-SP Branca Grande Arredonda da Médio Ogawa 1 Seropédica-RJ Branca Grande Oblonga Vigorosa Ogawa 2 Seropédica-RJ Vermelha Grande Oblonga Vigorosa Ogawa 3 Seropédica-RJ Rosada Grande Arredonda da Médio Paluma Jaboticabal- SP Vermelha Grande Piriforme Vigorosa Rica Jaboticabal- SP Vermelha Médio Piriforme Vigorosa Pedro Sato Nova Iguaçu- RJ Vermelha Grande Oblonga Vigorosa Sassaoca Valinhos-SP Vermelho Grande Arredonda da Bom
  • 13. Enxerto: Pode ser feito propagada por diversos tipos de borbulha (T normal, T invertido entre outros ..) Estaquia: Ramos herbáceos; Matriz: Plantas sadias e bem nutridas. Produção de mudas
  • 14. Temperatura: (Ideal, para ótimo desenvolvimento 25° C) Precipitação: Mínimo de 600 mm/ano Ideal de 1000 a 1600 mm/ano Implantação do pomar
  • 15.  Feijão;  Milho;  Tomates para indústrias;  Melancia. Consórcio com outras culturas
  • 16. Poda de formação; Poda de limpeza; Poda de frutificação. Manejo da parte aérea
  • 17. Irrigação localizada sobre a copa. Irrigação
  • 19. Bacteriose: Erwiria psidii; Antracnose: Sphcelona psidii bit; Ferrugem da goiabeira: Puccina psidii Wint. Doenças e formas de controle/ prvenção
  • 20. Psilídio(Triozoidasp); Besouro amarelo (Costalimaitaferrugineavulgata); Gorgulho da goiabeira (Conotracheluspsidii); Mosca das frutas. Pragas e formas de controle/ prvenção
  • 21. Colheita:  Realização da colheita;  Ponto de colheita;  Formas de colheita;  Produção. Pós-Colheita:  Seleção;  Embalagem;  Transporte. Colheita e pós-colheita
  • 22. Comercialização:  In natura – R$ 0,30 centavos/ R$ 1,0 Kg;  Doces;  Sucos;  Molhos. Comercialização, custos e rentabilidade
  • 23.  A cultura da goiaba/ Luiz Gonzaga Neto, José monteiro Soares – Brasília: EMBRAPA/SPI, 1995. 75 p. ; 16cm. (Coleção Pantar: 27).  A cultura da goiaba [editores técnicos, Flávia Rabelo Barbosa e Mirtes Freitas Lima]. - 2ª edição revista e ampliada – Brasília, DF : Embrapa InformaçãoTecnológica, 2010. 180 p. : il. 16 cm – (Coleção Plantar, 66) . Referências Bibliográficas