(3) aprender a pensar

3.177 visualizações

Publicada em

Parte do material didático de "Introdução à Vida Intelectual", destinado a alunos de Ensino Superior

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.177
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
82
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
102
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

(3) aprender a pensar

  1. 1. Aprender a pensar Afonso Murad Esquema a partir do livro de JB. Libanio: Introdução à Vida Intelectual, Loyola, 2012 Introdução à Vida Intelectual (3)
  2. 2. Nasce o pensar As planta sentem. Os animais reagem, mas não tem consciência disto. O ser humano pensa e sabe que pensa.
  3. 3. Do pensar espontâneo ao reflexo • Todo ser humano pensa, mas nem sempre de maneira reflexa, • Aprender a pensar: passar de um nível espontâneo (primeiro e imediato) a um nível reflexo (segundo, mediado)
  4. 4. Qual o provocador do processo? • Alguém aprenderá a pensar à medida que souber fazer-se perguntas sobre seu pensamento. • A capacidade de avançar na reflexão depende de ir fazendo-se perguntas, respondendo-as e, em seguida, levantando novas perguntas a estas respostas até esgotar a tarefa.
  5. 5. Que tipo de pergunta? Há perguntas fundamentais: estão em jogo a vida, o ser, os valores transcendentes. O solo das evidências fáceis não resiste ao impacto que elas provocam. A experiência do diferente, da alteridade, da ruptura da mesmidade. Emergem dúvidas, suspeitas. Benditas incertezas!
  6. 6. A decisão de pensar! 1. É possível viver sem ter o hábito do pensamento reflexivo. Habita-se a superfície da realidade, sem mergulhar fundo. 2. É necessário tomar a decisão de querer pensar. Dedicar tempo ao silêncio, à tranqüilidade para tal. 3. A decisão nasce da motivação. 4. A motivação brota da percepção dos benefícios de tal decisão.
  7. 7. A motivação... • Pode vir de si próprio (automotivação) ou de outro. • Alimenta-se da utilidade ou da gratuidade. • A motivação mais digna é a do prazer do estudo, da leitura, do pensar.
  8. 8. Tempo e prioridade • A educação para o pensar é questão de dedicar tempo. • O tempo se estrutura segundo prioridades pensadas, impostas ou insinuadas.
  9. 9. Três momentos de articular o pensar O que a realidade DIZ (momento objetivo) O que a realidade ME DIZ (momento subjetivo) O que EU DIGO a partir da realidade (momento comunicativo)
  10. 10. Faça agora o exercício • Tome um texto de narração, um vídeo ou um fato real. • Em um parágrafo, descreva de forma resumida o que você viu e ouviu (momento objetivo). • No parágrafo seguinte, manifeste o que este fato, texto, ou vídeo impactou em você: percepções, sentimentos e reações (momento subjetivo). • Por fim, escolha um público-alvo para o qual você vai dirigir uma mensagem. A partir do fato, texto ou vídeo, comunique algo com sentido para seus interlocutores (momento intersubjetivo)
  11. 11. Pensar as partes no todo e o todo nas partes • Superespecialização fragmenta os conhecimentos. Perde-se a noção do conjunto. • Saber pensar é situar as realidades nos seus contextos. E estes contextos em contextos maiores, até chegar ao contexto planetário.
  12. 12. Superar a fragmentação do saber • Toda unidimensionalização de um saber ou de um problema provoca distorções perigosas. • O pensar multidimensional permite equacionar criticamente os problemas contemporâneos que afetam nossa cultura e civilização. • Procure abrir-se o máximo possível à interdisciplinaridade. • Crie o hábito de abordar uma questão no conjunto em que ela se situa.
  13. 13. Saber pensar é estender varais e neles pendurar as questões numa ordem e disposição que as tornem inteligíveis.
  14. 14. Estruturar o pensamento Criar o suporte dependurar os cabides colocar as roupas. Informações e conhecimentos são organizados num horizonte mais amplo do saber.
  15. 15. Estruturar o pensamento com flexibilidade • Conhecer opõe-se ao simples armazenamento de conhecimentos. • Busque um saber plural, organizado, estruturado e aberto às novidades. • Seja capaz de refazer seu “sistema” a cada momento que novos elementos o exijam.
  16. 16. Movimento do pensamento complexo Do todo para as partes, localizando- as, fazendo-as inteligíveis, analisando-as. Das partes para o todo, integrando- as, organizando-as, sistematizando- as.
  17. 17. Movimento do pensamento complexo • Não se pára em nenhum dos dois momentos. Nem se privilegia nenhum deles. Nem sínteses brilhantes e superficiais. Nem análises profundas e desintegradas. • O pensamento se torna cada vez mais complexo (e não complicado). • Complexo opõe-se ao único, ao singular. É plural. • Opõe-se também ao desintegrado, porque é teia, é rede, é tecido (plexo) com outras coisas (com+) numa trama articulada.
  18. 18. Aprender a pensar com sim e não (1) Diante de um fato ou argumento, ponderar as razões do “sim” e do “não”. Usar dados, informações e conhecimentos. (2) Avaliar qual deles (sim ou não) tem maior peso e intensidade. (3) Emitir um parecer. É procedimento para aprender a pensar, fazer os outros pensarem, superar a intolerância ou a indiferença. -> Veja os exemplos a seguir.
  19. 19. O ser humano é irracional! • Sim: o ser humano comete atos insanos, absurdos, violentes. Tem comportamentos anti-éticos. • Não: o ser humano é dotado de capacidade de distinguir o bem e o mal. Se for bem educado e quiser optar pelo bem, conta com a luz da razão (e da fé) para agir de maneira racional. • O ser humano é racional, mas tem atitudes e gestos irracionais. Maior ou menor irracionalidade depende de fatores pessoais, comunitários e culturais.
  20. 20. A Bíblia é a palavra de Deus! • Sim: escrita por inspiração divina. Merece respeito e veneração. Ilumina a vida cristã. • Não: é também palavra humana. Por isso, deve ser interpretada. Tem gêneros literários; e nem todas as palavras tem o mesmo peso e valor. • Portanto, para os cristãos, é Palavra de Deus em linguagem humana.
  21. 21. O Brasil é um país rico e pobre • País rico: biodiversidade, recursos minerais, diversidade cultural e étnica, potencial hídrico, terras férteis, clima tropical e subtropical, economia em crescimento, mercado interno em expansão, empresas brasileiras no mercado internacional, grande exportador de commodities, país emergente. • País pobre: grande diferença de faixas salariais, pouco investimento em educação, concentração de riquezas, pouca elaboração de alta tecnologia (geração de valor), corrupção, dependência do capital
  22. 22. Faça agora um exemplo, usando a dialética do “sim” e “não”.
  23. 23. Texto fonte Capítulo 2: aprender a pensar murad4@hotmail.com www.afonsomurad.blogspot.com *Bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq

×