Angina de Peito 
& 
Enfarte Agudo do Miocárdio 
Bernardo Coutinho 
Fábio Simões 
Inês Sofia 
Mariana Carnim 
Nádia Bastos ...
Angina de Peito 
A angina, ou angina de peito, é uma dor 
torácica transitória ou uma sensação de 
pressão que se produz q...
Angina de Peito 
•As necessidades do coração em oxigénio dependem do esforço 
que tem de efetuar. 
•Os esforços físicos e ...
Angina de Peito - Causas 
•A angina é o resultado de uma doença das 
artérias coronárias. 
•É também o resultado de outras...
Angina de Peito – Causas 
•Dado que a válvula aórtica está próxima da entrada das 
artérias coronárias, estas anomalias re...
Angina de Peito – Sintomas 
•Uma pessoa com uma isquemia nem sempre 
tem angina de peito. 
•A isquemia sem angina de peito...
Angina de Peito – Sintomas 
•Frequentemente, o doente sente a angina de 
peito como uma pressão ou dor por baixo do 
exter...
Angina de Peito – Sintomas 
•A angina de peito aparece de forma característica 
durante um esforço físico, dura só alguns ...
Angina de Peito – Sintomas 
•Além disso, agrava-se, geralmente, com o frio. 
Caminhar contra o vento ou sair de uma casa q...
Angina de Peito – Sintomas 
Angina Variante 
•É provocada por um espasmo das grandes artérias 
coronárias que percorrem a ...
Angina de Peito – Sintomas 
Angina Instável 
•É uma situação em que o padrão dos sintomas da 
angina varia. Dado que as ca...
Angina de Peito – Sintomas 
Angina Instável 
•Estas alterações nos sintomas refletem uma progressão 
rápida da doença das ...
Angina de Peito - Sintomas 
Depósitos de gordura numa artéria coronária 
À medida que os sedimentos gordos se acumulam num...
Anginas de Peito - Diagnóstico 
•O tipo de dor, a sua localização e a sua relação com 
o esforço, as refeições, o clima e ...
Anginas de Peito - Diagnóstico 
Prova de esforço 
•Prova na qual o doente caminha sobre uma 
passadeira móvel enquanto se ...
Anginas de Peito - Diagnóstico 
• Estudos com Isótopos Radioativos 
• São combinados com a prova de esforço e podem 
propo...
Anginas de Peito - Diagnóstico 
• Ecocardiograma de Esforço 
•É uma prova na qual se obtêm imagens do coração 
(ecocardiog...
Anginas de Peito - Diagnóstico 
• Coronariografia 
• Arteriografia das artérias coronárias pode efetuar-se quando o 
diagn...
Anginas de Peito - Diagnóstico 
• Registo Contínuo do ECG 
•Com um monitor Holter (um aparelho portátil de ECG 
que funcio...
Anginas de Peito - Diagnóstico 
• Angiografia 
• (radiografias consecutivas das artérias efetuadas 
após a injeção de um p...
Anginas de Peito - Prognóstico 
•Os fatores-chave para prever o que pode acontecer às pessoas com 
angina incluem a idade,...
Anginas de Peito - Tratamento 
• Nitratos (vasodilatadores) 
• Betabloqueadores (interferem nos efeitos das hormonas 
adre...
Cirurgia de Derivação Coronária 
(Bypass Coronário)
Angioplastia
Enfarte Agudo do 
Miocárdio
EAM 
•O enfarte do miocárdio dá-se quando a irrigação sanguínea do 
músculo cardíaco diminui ou é suprimida após a oclusão...
EAM - Sintomas 
• O primeiro sintoma do enfarte do miocárdio é a dor: 
– Dor espontânea ou provocada por esforço, emoção, ...
EAM - Causas 
•São muitas as razões que contribuem para aumentar 
o risco de ser acometido por enfarte do miocárdio: 
–Ida...
EAM - Causas 
– Sexo Masculino 
•Os pacientes que sofrem enfarte do miocárdio, são 
geralmente do sexo masculino, pois são...
EAM - Causas 
•O enfarte do miocárdio é quase sempre causado 
pela formação de um coágulo de sangue que 
obstrui uma artér...
EAM - Tratamento 
• Quando consultar um médico? 
– Na presença de quaisquer sintomas assinalando o início de um enfarte, d...
EAM - Tratamento 
•Hoje em dia os remédios mais avançados são substâncias 
que conseguem não só evitar a formação de coágu...
EAM - Tratamento 
•O que fazer por si só? 
–Consultar um médico o mais rapidamente possível: toda e 
qualquer demora pode ...
EAM - Evolução 
•As células do músculo cardíaco que, devido à interrupção do 
afluxo do sangue ficam sem oxigénio, começam...
EAM - Evolução 
•As consequências de um enfarte, mesmo se não for muito 
grave, podem ser muito sérias: ritmo cardíaco ace...
EAM - Prevenção 
•Deixar de fumar; 
•Manter o peso normal para o próprio físico; 
•Alimentação com pouca gordura animal; 
...
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio

2.160 visualizações

Publicada em

Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.160
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
110
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Angina Peito e Enfarte Agudo do Miocárdio

  1. 1. Angina de Peito & Enfarte Agudo do Miocárdio Bernardo Coutinho Fábio Simões Inês Sofia Mariana Carnim Nádia Bastos Formador: Diogo Neves
  2. 2. Angina de Peito A angina, ou angina de peito, é uma dor torácica transitória ou uma sensação de pressão que se produz quando o músculo cardíaco não recebe oxigénio suficiente.
  3. 3. Angina de Peito •As necessidades do coração em oxigénio dependem do esforço que tem de efetuar. •Os esforços físicos e as emoções aumentam a atividade do coração, que, por essa razão, necessita de mais oxigénio. •Quando as artérias se tornam mais estreitas ou existe uma obstrução que impeça o aumento da chegada de sangue ao músculo cardíaco para satisfazer a maior necessidade de oxigénio, pode produzir-se a isquemia e, como consequência, dor.
  4. 4. Angina de Peito - Causas •A angina é o resultado de uma doença das artérias coronárias. •É também o resultado de outras causas, como anomalias da válvula aórtica, especialmente a estenose (estreitamento da válvula aórtica), a insuficiência (regurgitação através da válvula aórtica) e a estenose subaórtica hipertrófica.
  5. 5. Angina de Peito – Causas •Dado que a válvula aórtica está próxima da entrada das artérias coronárias, estas anomalias reduzem o fluxo de sangue para as mesmas. •O espasmo arterial (estreitamento súbito e transitório de uma artéria) também pode causar angina de peito. •Por outro lado, a anemia grave pode reduzir o fornecimento de oxigénio ao músculo cardíaco e desencadear um episódio de dor.
  6. 6. Angina de Peito – Sintomas •Uma pessoa com uma isquemia nem sempre tem angina de peito. •A isquemia sem angina de peito chama-se isquemia silenciosa. •Até agora não se conseguiu compreender porque é que a isquemia é, às vezes, silenciosa.
  7. 7. Angina de Peito – Sintomas •Frequentemente, o doente sente a angina de peito como uma pressão ou dor por baixo do externo (o osso do meio do peito). •A dor também se manifesta no ombro esquerdo ou por debaixo da parte interna do braço esquerdo, nas costas, na garganta, no maxilar ou nos dentes.
  8. 8. Angina de Peito – Sintomas •A angina de peito aparece de forma característica durante um esforço físico, dura só alguns minutos e desaparece com o repouso. Algumas pessoas podem prevê-la, pois conhecem com que grau de esforço ela lhes aparece, mas para outras os episódios são imprevisíveis. A angina de peito é, com frequência, mais grave quando o esforço se faz depois de comer.
  9. 9. Angina de Peito – Sintomas •Além disso, agrava-se, geralmente, com o frio. Caminhar contra o vento ou sair de uma casa quente para um espaço onde o ar seja frio pode provocar angina de peito. •O stress emocional também pode desencadear uma angina ou fazê-la piorar, uma emoção forte, mesmo que se esteja em repouso, ou um pesadelo durante o sono provocam o aparecimento de angina.
  10. 10. Angina de Peito – Sintomas Angina Variante •É provocada por um espasmo das grandes artérias coronárias que percorrem a superfície do coração. Chama-se variante porque se caracteriza pelo aparecimento de dor em repouso, não com o esforço, e pela existência de certas alterações no eletrocardiograma (ECG) durante o episódio de angina.
  11. 11. Angina de Peito – Sintomas Angina Instável •É uma situação em que o padrão dos sintomas da angina varia. Dado que as características da angina em cada pessoa são, de um modo geral, constantes, qualquer alteração é importante (como uma dor mais forte, ataques mais frequentes ou ataques que se verificam com menor esforço físico ou durante o repouso).
  12. 12. Angina de Peito – Sintomas Angina Instável •Estas alterações nos sintomas refletem uma progressão rápida da doença das artérias coronárias, devido a um aumento da obstrução de uma artéria coronária pela rutura de um ateroma ou pela formação de um coágulo. O risco de sofrer um enfarte é elevado. A angina instável é uma urgência médica (que deve ser tratada o mais depressa possível).
  13. 13. Angina de Peito - Sintomas Depósitos de gordura numa artéria coronária À medida que os sedimentos gordos se acumulam numa artéria coronária, o fluxo sanguíneo reduz-se e o oxigénio não chegam ao músculo cardíaco.
  14. 14. Anginas de Peito - Diagnóstico •O tipo de dor, a sua localização e a sua relação com o esforço, as refeições, o clima e outros fatores facilitam o diagnóstico. •No entanto, alguns exames podem ajudar a determinar a gravidade da isquemia e a presença e extensão de uma doença das artérias coronárias.
  15. 15. Anginas de Peito - Diagnóstico Prova de esforço •Prova na qual o doente caminha sobre uma passadeira móvel enquanto se regista o EGC e permite a avaliação da gravidade da doença das artérias coronárias e da capacidade do coração para responder à isquemia. Os resultados também podem ser uma ajuda para determinar a necessidade de uma arteriografia coronária ou de uma operação cirúrgica.
  16. 16. Anginas de Peito - Diagnóstico • Estudos com Isótopos Radioativos • São combinados com a prova de esforço e podem proporcionar uma informação valiosa acerca da angina de peito de uma pessoa. As imagens que se obtêm não só confirmam a presença da isquemia, mas também identificam a zona e a extensão do músculo cardíaco afetado, assim como o volume do fluxo sanguíneo que chega ao coração.
  17. 17. Anginas de Peito - Diagnóstico • Ecocardiograma de Esforço •É uma prova na qual se obtêm imagens do coração (ecocardiogramas) por reflexão de ultrassons. •O exame é inócuo e mostra o tamanho do coração, os movimentos do músculo cardíaco, o fluxo de sangue através das válvulas cardíacas e o seu funcionamento. •Os ecocardiogramas obtêm-se em repouso e depois de um exercício de esforço máximo. •Quando existe isquemia, observa-se que o movimento de bombeamento da parede do ventrículo esquerdo é anormal.
  18. 18. Anginas de Peito - Diagnóstico • Coronariografia • Arteriografia das artérias coronárias pode efetuar-se quando o diagnóstico de doença das artérias coronárias ou de isquemia não é seguro. • No entanto, é mais frequente que este exame seja utilizado para determinar a gravidade da doença das artérias coronárias e para avaliar se é necessário levar a cabo um procedimento adicional com o fim de aumentar o fluxo de sangue (uma cirurgia de derivação coronária ou uma angioplastia).
  19. 19. Anginas de Peito - Diagnóstico • Registo Contínuo do ECG •Com um monitor Holter (um aparelho portátil de ECG que funciona com pilhas) revela as anomalias que indicam uma isquemia silenciosa em algumas pessoas. •O ECG também ajuda a diagnosticar a angina variante, dado que é capaz de detetar certas alterações que se produzem quando a angina aparece em repouso.
  20. 20. Anginas de Peito - Diagnóstico • Angiografia • (radiografias consecutivas das artérias efetuadas após a injeção de um produto de contraste), pode detetar um espasmo nas artérias coronárias que não têm um ateroma. Há casos em que se administram certos fármacos para causar o espasmo durante a angiografia.
  21. 21. Anginas de Peito - Prognóstico •Os fatores-chave para prever o que pode acontecer às pessoas com angina incluem a idade, a extensão da doença das artérias coronárias, a gravidade dos sintomas e, na maioria dos casos, o grau de função normal do músculo cardíaco. •Quanto mais forem as artérias coronárias afetadas ou mais grave for a sua obstrução, mais desfavorável será o prognóstico. •O prognóstico é surpreendentemente bom numa pessoa com angina estável e uma capacidade normal de bombeamento (função do músculo ventricular).
  22. 22. Anginas de Peito - Tratamento • Nitratos (vasodilatadores) • Betabloqueadores (interferem nos efeitos das hormonas adrenalina e noradrenalina sobre o coração e outros órgãos) • Antagonistas do Cálcio (evitam que os vasos sanguíneos se contraiam) • Fármacos Antiplaquetários (importantes para a formação do coágulo e para a resposta dos vasos sanguíneos às lesões) • Cirurgia de Derivação (bypass) das Artérias Coronárias (pode aumentar a tolerância ao exercício, reduzir os sintomas e diminuir a dose requerida de um fármaco) • Angioplastia Coronária
  23. 23. Cirurgia de Derivação Coronária (Bypass Coronário)
  24. 24. Angioplastia
  25. 25. Enfarte Agudo do Miocárdio
  26. 26. EAM •O enfarte do miocárdio dá-se quando a irrigação sanguínea do músculo cardíaco diminui ou é suprimida após a oclusão de uma ou mais artérias coronárias. O coração, sem oxigénio, morre. •O enfarte do miocárdio é uma doença que na Europa afeta por ano quase um milhão de pessoas e em 1/3 dos casos leva à morte. •Se o enfarte afetar somente uma zona muito limitada do músculo cardíaco, as consequências não são graves. Por vezes não há sintomas: neste caso o enfarte é silencioso. Se a lesão do músculo cardíaco for muito grande pode provocar a morte ou uma deficiência.
  27. 27. EAM - Sintomas • O primeiro sintoma do enfarte do miocárdio é a dor: – Dor espontânea ou provocada por esforço, emoção, stress; – Dor leve ou sensação de opressão ou de aperto no peito, de ardor ou de inchaço; – Dor no meio do peito que se estende em direção das costas, do queixo ou do braço esquerdo; – Perturbações do ritmo cardíaco (arritmia), palpitações; – Suor frio, enjoo, vómito, ansiedade ou dificuldade na respiração podem acompanhar a dor. • Qualquer sintoma de enfarte do miocárdio exige o internamento imediato!
  28. 28. EAM - Causas •São muitas as razões que contribuem para aumentar o risco de ser acometido por enfarte do miocárdio: –Idade; –Precedentes familiares de enfarte em idade precoce; –Colesterol alto; –Hipertensão; –Diabetes; –Obesidade; –Fumo.
  29. 29. EAM - Causas – Sexo Masculino •Os pacientes que sofrem enfarte do miocárdio, são geralmente do sexo masculino, pois são mais suscetíveis (sofre impressões e/ou alterações com facilidade), que as mulheres. •Acredita-se que as mulheres tenham um efeito “protetor” devido à produção da hormona ( estrogénio), sendo que após a menopausa, devia à falta de produção dessas hormonas, a incidência de enfarte na mulher aumenta consideravelmente.
  30. 30. EAM - Causas •O enfarte do miocárdio é quase sempre causado pela formação de um coágulo de sangue que obstrui uma artéria coronária. •Trata-se neste caso de uma trombose coronária. É mais raro acontecer que o estreitamento ou a contração temporária de uma artéria coronária possa provocar um enfarte.
  31. 31. EAM - Tratamento • Quando consultar um médico? – Na presença de quaisquer sintomas assinalando o início de um enfarte, dirija-se a um médico imediatamente ou com a maior urgência para hospital mais próximo. • O que faz o médico? – Faz um exame clínico completo e manda fazer eletrocardiogramas para medir a função e o ritmo cardíacos e um exame do sangue para medir as enzimas expelidas durante o enfarte. • Qual o tratamento para o enfarte do miocárdio? – Até alguns anos atrás o tratamento consistia em aliviar a dor, subministrar remédios que servissem para regularizar o ritmo cardíaco e, fazer uma reanimação cardíaca com estimulações elétricas ou químicas.
  32. 32. EAM - Tratamento •Hoje em dia os remédios mais avançados são substâncias que conseguem não só evitar a formação de coágulos mas também derreter rapidamente os que provocam a maioria dos enfartes. •A eficácia dessas novas substâncias depende da rapidez da sua subministração; para reduzir o risco de lesões musculares graves devem ser tomadas, no mais tardar, dentro de três horas a partir do momento do início da crise.
  33. 33. EAM - Tratamento •O que fazer por si só? –Consultar um médico o mais rapidamente possível: toda e qualquer demora pode causar a morte. Chamar, no caso de urgência, uma ambulância.
  34. 34. EAM - Evolução •As células do músculo cardíaco que, devido à interrupção do afluxo do sangue ficam sem oxigénio, começam a morrer. •Um enfarte leve dura menos de uma hora e não tem consequências graves. Um tratamento apropriado faz com que o músculo cardíaco recupere a sua função com sequelas que podem ser insignificantes. •As crises mais graves destroem uma área relevante provocando uma deficiência permanente ou até mesmo a morte.
  35. 35. EAM - Evolução •As consequências de um enfarte, mesmo se não for muito grave, podem ser muito sérias: ritmo cardíaco acelerado e irregular impedindo o coração de desempenhar a sua tarefa vital: bombear o sangue. •Porém, 50% das pessoas afetadas por enfarte do miocárdio voltam a ter uma vida normal após poucos meses. Tomar regularmente doses mínimas de aspirina reduz o risco de recaída e de complicações.
  36. 36. EAM - Prevenção •Deixar de fumar; •Manter o peso normal para o próprio físico; •Alimentação com pouca gordura animal; •Atividade física regular mas sem excessos; •Manter no nível normal a tensão arterial, o colesterol, a glicemia. Nota: Não esqueça que uma em cada três pessoas acometidas por enfarte pode morrer.

×