Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison

3.881 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.881
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
262
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison

  1. 1. I-CURSO DE ATENDIMENTO PRÉHOSPITALAR E UTI DO CENTRO DE ESTUDOS DO HOSPITAL DA RESTAURAÇÃO Cuidados de Enfermagem no Paciente Crítico Prof. Enf. Fernando Ramos Gonçalves – Msc Intensivista-HR
  2. 2. 1. Trauma: Considerações Iniciais O Traumatizado  Prioritário  Funções Vitais Comprometidas;  Lesões Orgânicas;  Medo;  Angustias. Atendimento  Condições Vitais;  Rápido Diagnóstico;  Tempo.
  3. 3. Considerações Acerca do Tempo de Atendimento  Morte Imediatas  Segundos a minutos após o acidente ( 50% das Mortes)  Lesões do Tronco Cerebral; Medula Espinhal; Lesões da Aorta e/ grandes vasos  Como Evitar= PREVENÇÃO.  Mortes Mediatas/Precoces Minutos a algumas horas ( 30% Mortes), ocorrem devido a hematomas Cerebrais; Hemopneumotórax; Lesões hepáticas, Esplênicas e Fraturas Pélvicas provocando sangramento intenso. PACIENTES SALVÁVEIS
  4. 4.  Mortes Tardias  Dias ou Semanas após o trauma ( 20% das Mortes) Infecções; Falência Orgânica Qualidade do Atendimento Préhospitalar e Hospitalar.  A vítima na UTI Encontra-se na terceira Fase. Ocorre o estabelecimento de seqüelas e qualidade de vida limites entre
  5. 5. 2. ABC do Trauma A-Vias Aéreas e Controle da Coluna Cervical Fonte: Trauma.org ( Trauma Imagebank)
  6. 6. B-Respiração e Ventilação Fonte: Sanches, L.M. UNICAMP
  7. 7. C- Circulação com Controle de Hemorragias  Exame Físico, Reposição Volêmica D- Avaliação do Estado Neurológico   Nível de Consciência Exame Pupilar E- Exposição do Paciente com Controle da hipotermia  Respeito ao Paciente, e prevenção de danos orgânicos provocados pela hipotermia
  8. 8. Avaliação Pupilar Fonte: Exame Clínico Celmo Celeno Porto
  9. 9. 3. A chegada na UTI Valorizar na história : Cena do trauma, várias fases da ressuscitação, respostas ao tratamento. Reavaliação Secundária dirigida a história do trauma. Lesões não identificadas / Aparecimento tardio.
  10. 10. O politraumatizado na UTI Histórico Conhecimento dos fatos ocorridos Alergias Tratamentos Informações do prontuário Hábitos
  11. 11. Exame Físico Subsidiar a assistência de Enfermagem; Prevenir complicações; Sistemático e contínuo; Conhecimento técnico;
  12. 12. 4. Monitorizar continuamente A) Manutenção e controle da coluna cervical Colar cervical até descartar lesão cervical; Mover em bloco;
  13. 13. Fonte: Sanches, L.M. UNICAMP
  14. 14. Olhos de Guaxinim Sinal de Batlle ( batalha) Fonte: Trauma.org ( Trauma Imagebank) Fonte: Trauma.org ( Trauma Imagebank)
  15. 15. B) Avaliação Respiratória Contínua : Gasometria Arterial Pneumotórax Hemotórax
  16. 16. Pneumotórax Fonte: Arquivo Pessoal Prof. Fernando Ramos
  17. 17. Pneumotórax Fonte: trauma.org
  18. 18. Enfisema Subcutâneo Fonte>: Trauma.org
  19. 19. Enfisema Subcutâneo Fonte: Trauma.org
  20. 20. Hemotórax Fonte: trauma.org
  21. 21. Trauma por Cinto de Segurança Fonte: Trauma.org
  22. 22. Lesão por Cinto de Segurança Fonte: trauma.org
  23. 23. C) Atentar para sinais de sangramento : Incisões, drenos, lesões, fixadores; Perfusão periférica, alterações respiratórias Alterações hemodinâmicas; Acompanhar exames laboratoriais; (*Hb/Ht nem sempre acusam hemorragias imediatas)
  24. 24. Fixador Externo Fonte: Arquivo Pessoal Prof. Fernando Ramos
  25. 25. Acidente por Serra elétrica Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  26. 26. D-Distúrbios Hidro-Eletrolíticos Balanço Hídrico Rigoroso; Eletrólitos; Podem perder a auto regulação. E-Nutrição Importância da Nutrição precoce;
  27. 27. F- Controle da Dor Pode explicar: Alterações respiratórias; inquietação/Irritabilidade Decúbito; Dobras dos lençóis; Medicar; Elevar a autoestima
  28. 28. Politraumatizado- Ac. motociclistico Politraumatizado- Ag. Arma Branca Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  29. 29. Bexigoma Isq. Crítica com Necrose MID Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  30. 30. Litíase Uretral Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  31. 31. Artefatos na Tomografia Cervical Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  32. 32. Corpo estranho Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  33. 33. RX Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  34. 34. Toracotomia Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  35. 35. Fonte: arquivo pessoal Prof. Fernando Ramos
  36. 36. Tecido de Granulação
  37. 37. Trajeto do PAF em Crânio
  38. 38. 5. Quem é o Enfermeiro da UTI? Integrante e participante da equipe multiprofissional; Elo de ligação Paciente-Equipe-família; Estabilidade Emocional;
  39. 39. Elo de União entre os profissionais; Respeita e se faz respeitar; Raciocínio rápido e lógico; Visão gerencial: recursos humanos, equipamentos
  40. 40. Realizar procedimentos de maior complexidade; Atualização constante do conhecimento; Domina o funcionamento dos equipamentos; Lidera a equipe de Enfermagem.
  41. 41. Fonte: www.medicinaintensiva.com.br Fonte: www.medicinaintensiva.com.br
  42. 42. 6.Considerações Finais Instabilidade de paciente e família; Lesões tardias; Preocupação com os diversos sistemas orgânicos; Manutenção dos padrões vitais; Se, morte encefálicapreservar os órgãos: T.A. normal, Hidratação, Controle da Hipotermia; Ventilação mecânica, etc.
  43. 43. ASSOCIEM-SE.... FORÇA E UNIÃO NA TERAPIA INTENSIVA www.amib.org.br www.sotipe.org.br
  44. 44. “A humildade é o primeiro degrau para a sabedoria” (Gandhi) Obrigado pela Atenção!!!!!!

×