Dor torácica

489 visualizações

Publicada em

dor torácica

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Dor torácica

  1. 1. Dor Torácica DISCIPLINA DE PROPEDÊUTICA
  2. 2. Dor Torácica • Dor é uma experiência sensitiva e emocional desagradável associada a dano tecidual presente ou potencial e descrita como relacionada a lesão tecidual • Dor torácica é um dos sintomas mais comuns na sala de emergência, ambulatório de cardiologia e de clínica médica
  3. 3. Dor Torácica • Existem várias causas de dor torácica, entre elas diversas com potencial risco à vida do paciente • Importância da avaliação inicial, história clínica e avaliação dos fatores de risco, além da caracterização da dor e exame físico
  4. 4. Causas de Dor Torácica • Cardíacas • Síndrome Coronariana Aguda • Dissecção de Aorta • Pericardite • Valvulopatias • Cardiomiopatia Hipertrófica • Não Cardíacas • Pulmonar – Pleurites, pneumotórax, pneumonia, hipertensão pulmonar, neoplasias, traqueobronquites • Musculoesqueléticas – Costocondrite, fraturas, herpes zoster • TGI
  5. 5. Síndrome Coronariana Aguda • Envolve largo espectro de condições clínicas que incluem desde a isquemia silenciosa, passando pela angina aos esforços, a angina instável e o infarto do miocárdio • A doença cardiovascular no Brasil é responsável por cerca de 1/3 de todas as mortes registradas
  6. 6. Síndrome Coronariana Aguda • Dor resultante da diminuição da oferta de oxigênio por redução do fluxo coronariano (insuficiência coronariana) e/ou aumento do consumo pelo miocárdio (esforço físico, hipertrofia do miocárdio) • Mecanismo de dor • Metabolismo anaeróbico -> estímulo das fibras simpáticas aferentes -> gânglios da cadeia simpática -> medula -> tronco -> tálamo e córtex cerebral (junto com fibras sensitivas somáticas dos dermátomos C8-T4) Dor visceral, mal definida
  7. 7. Síndrome Coronariana Aguda • Angina -> Dor em aperto ou queimação na região precordial ou retroesternal, com irradiação para pescoço e membros superiores, que pioram com o esforço físico e melhora com repouso e nitrato
  8. 8. Síndrome Coronariana Aguda • Localização – Geralmente retroesternal ou precordial (eventualmente com localização extra-torácica) • Irradiação - Fosse cubital do MSE, pescoço e mandíbula (dorso, epigástrio e mesmo o braço direito) • Caráter - Aperto, peso, queimação • Intensidade – Variável • Duração • Angina estável -> geralmente 2 – 3 minutos • Angina instável e IAM - > 20 minutos
  9. 9. Síndrome Coronariana Aguda • Fatores desencadeantes • Angina -> Após esforço físico e estresse • IAM – Geralmente em repouso • Fatores atenuantes • Repouso e vasodilatadores • Manifestações concomitantes • Náuseas, vômitos, sudorese fria
  10. 10. Pericardite • Inflamação do pericárdio, com início súbito e que pode evoluir com acúmulo de líquido no espaço pericárdico -> derrame pericárdico • Causas • Infecções • IAM • Colagenoses • Uremia • Trauma
  11. 11. Pericardite
  12. 12. Pericardite • Dor torácica, retroesternal, pior à inspiração profunda e com a tosse, podendo irradiar para os ombros, pescoço ou dorso, sem melhora com esforço. Pode vir acompanhada de febre. • À ausculta -> pode haver atrito pericárdico • Em casos de derrame pericárdico o paciente pode assumir a posição de “Prece Maometana”
  13. 13. Pericardite • Tamponamento Cardíaco • Tríade de Beck • Estase jugular • Hipotensão • Abafamento de bulhas
  14. 14. Tamponamento Cardíaco
  15. 15. Dissecção de Aorta • Laceração entre o revestimento interno e externo da parede da aorta, com formação de falso trajeto
  16. 16. Dissecção de Aorta • Dor lancinante, muitas vezes insuportável, súbita, no trajeto da aorta e médio esternal, com irradiação para o pescoço e dorso • Ao exame físico pode ser encontrado assimetria de pulso em MMSS e ausência ou diminuição de pulsos em MMII • Dissecção retrógrada pode produzir sopro de Insuficiência Aórtica
  17. 17. Valvulopatias • Estenose Aórtica • Estreitamento da valva aórtica, impedindo sua abertura total • Causas -> Congênita, Febre reumática, Degenerativa • Pode estar associada a dor precordial aos esforços • Outros -> Síncope, sinais de IC, palpitação • Tríade clássica -> Dor precordial, dispneia e síncope
  18. 18. Pneumotórax • Presença de ar livre no espaço pleural • Espontâneo • Primário x Secundário • Traumático • Devido a trauma direto ou indireto • Iatrogênico • Resultante de procedimento médico
  19. 19. Pneumotórax • Geralmente dor súbita, aguda e intensa, podendo estar associada a dispneia • Ao exame: • Redução da expansibilidade do lado acometido • Redução do frêmito tóraco-vocal • Percussão timpânica • Murmúrio vesicular reduzido/ausente
  20. 20. Pneumotórax • Hipertensivo • Pressão pleural ultrapassa a atmosférica, resultando em redução do retorno venoso e do débito cardíaco -> paciente evolui com sinais de hipoxemia e de comprometimento hemodinâmico • Decorre de aprisionamento progressivo de ar no espaço pleural, resultado de um mecanismo valvular que favorece a entrada de ar na inspiração, mas dificulta sua saída na expiração
  21. 21. Pleurites • Inflamação pleural, com comprometimento do folheto parietal • Dor pleurítica, localizada em um hemitórax, em peso, pontada ou facada, que piora com tosse ou respiração profunda. Decúbito sobre o lado acometido pode aliviar a dor • Pode ser acompanhada de tosse, febre e dispnéia • Se inflamação alcançar superfície diafragmática -> irradiação para o ombro do mesmo lado
  22. 22. Pleurites • Pode evoluir com derrame pleural • Causas -> Doenças infecciosas, neoplasias, colagenoses, pancreatite, embolia pulmonar
  23. 23. Tromboembolismo Pulmonar • Migração de um êmbolo ou coágulo para o pulmão, geralmente formado em alguma veia do corpo, especialmente nos MMII • TVP é a principal responsável pela ocorrência de TEP • Fatores de risco -> Imobilização, cirurgias ortopédicas, tabagismo, neoplasias, obesidade, uso de anticoncepcionais, distúrbios de coagulação
  24. 24. Tromboembolismo Pulmonar • Manifestações incluem dispneia, dor torácica (semelhante às pleurites), tosse e palpitações • Quadro clínico é variável
  25. 25. Outras • Hipertensão Pulmonar – Semelhante à dor cardíaca, porém sem fatores de melhora • Neoplasias – Comprometimento pleural ou ósseo • Traqueobronquites – Principalmente relacionada com a tosse
  26. 26. Musculoesqueléticas • Geralmente pioram com a compressão local ou com o movimento dos MMSS e tronco • Costocondrite (Síndrome de Tietze) • Dor persistente, localizada na região esternal + sinais inflamatórios • Fratura de costela • Dor acentuada, localizada na região correspondente • Piora com a palpação local e respiração • Herpes Zóster • Dor contínua, de forte intensidade • Confirmada com o aparecimento das lesões
  27. 27. Trato Gastrointestinal • Esofagite de Refluxo • Espasmo Esofagiano Difuso • Ruptura esofágica • Úlcera Péptica • Colecistopatia calculosa • Pancreatite

×