O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Transtornos do Humor nos Transtornos Alimentares

1.184 visualizações

Publicada em

Arquivo de palestra ministrada pela psicóloga Ana Carolina Schmidt no Curso de Aprimoramento em Transtornos Alimentares para Nutricionistas e Estudantes de Nutrição, promovido pelo Programa de Transtornos Alimentares (Ambulim), e Serviço de Nutrição e Dietética (SND) do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Transtornos do Humor nos Transtornos Alimentares

  1. 1. Transtornos do Humor nos Transtornos Alimentares Ana Carolina Schmidt de Oliveira Psicóloga CRP 06/99198 Especialista em Dependência Química Mestranda Psiquiatria
  2. 2. Dicas de Vídeos • Dentro de nós (Documentário) • Vida (Curta Metragem)
  3. 3. Dica de Filme • Mr. Jones
  4. 4. Transtornos do Humor • F30-F39 Transtornos do humor [afetivos] • Característica principal: alteração do humor ou do afeto, no sentido de uma depressão (com ou sem ansiedade associada) ou de uma elação. • Modificação do nível global de atividade • Tendem a ser recorrentes • A ocorrência dos episódios individuais pode estar relacionada com situações ou fatos estressantes. (CID 10)
  5. 5. Episódio Maníaco • Exclusivamente a um episódio isolado. • Se já apresentou um ou mais episódios afetivos prévios  diagnóstico de transtorno afetivo bipolar
  6. 6. Hipomania • Presença de uma elevação ligeira mas persistente do humor, da energia e da atividade • Sentimento intenso de bem-estar e de eficácia física e psíquica (autoestima inflada) • Aumento da sociabilidade, do desejo de falar, da familiaridade e da energia sexual • Redução da necessidade de sono • Fuga ideias, pensamentos acelerados • Distrabilidade • Atividades com objetivos ou agitação psicomotora • Envolvimento em atividades arriscadas
  7. 7. Hipomania • A euforia e a sociabilidade são por vezes substituídas por irritabilidade, atitude pretensiosa ou comportamento grosseiro • Ausência de alucinações ou delírios • Deve persistir por vários dias (4 dias) • Não são tão graves de modo a entravar o funcionamento profissional ou levar a uma rejeição social (mas são percebidos) • Não associado à substância
  8. 8. Mania • Elevação do humor fora de proporção com a situação do sujeito • Jovialidade descuidada a uma agitação praticamente incontrolável • Aumento da energia, e do desejo de falar • Redução da necessidade de sono • Atividade dirigida a objetivos
  9. 9. Mania • Grande distração • Aumento da autoestima (ideias de grandeza e superestimativa de capacidades) • Perda das inibições sociais (condutas imprudentes, inapropriadas) • Duração mín. de uma semana • Impactos consideráveis para as atividades cotidianas • Não associado ao consumo de substância
  10. 10. Mania com Sintomas Psicóticos • Presença de ideias delirantes (grandeza) • Ou alucinações (voz que fala diretamente ao sujeito) • Ou de agitação, de atividade motora excessiva e de fuga de ideias (grave, incompreensível)
  11. 11. Transtorno Afetivo Bipolar • Dois ou mais episódios de humor e nível de atividade perturbados. – elevação do humor e aumento da energia e da atividade (hipomania ou mania) – e da atividade (depressão) • Pacientes que sofrem somente de episódios repetidos de hipomania ou mania são classificados como bipolares.
  12. 12. Transtorno Afetivo Bipolar • Risco de Suicídio – Tipo I: 15 vezes maior que na população geral – ¼ dos suicídios • Tipo II: 1/3 já tentou; suicidam mais que tipo I • Comorbidade com transtorno alimentar: mais em tipo II – 14% (TCA principalmente)
  13. 13. Classificações • TAB, episódio atual : – maníaco sem sintomas psicóticos – maníaco com sintomas psicóticos – depressivo leve ou moderado – depressivo grave sem sintomas psicóticos – depressivo grave com sintomas psicóticos – misto – em remissão
  14. 14. Episódios Depressivos • Humor • Prazer • Interesse • Energia e Fadiga • Atividade (ou ) • Concentração e Pensamento • Apetite e Peso (ou ) • Libido • Autoestima • Autoconfiança • Sono (ou )
  15. 15. Episódios Depressivos • Ideias de culpabilidade e ou de indignidade • Ideias ou atos autolesivos e de suicídio • Humor varia pouco • Sintomas “somáticos” • Prejuízos ou sofrimento significativos • Graus: leve, moderado e grave • Risco de suicídio: muito aumentada. Homens, solteiros, sozinhos, desesperança. • Comorbidade: principalmente anorexia e bulimia nervosa.
  16. 16. Episódio Depressivo Leve • Dois ou três dos sintomas citados, em geral: – Humor deprimido, perda de interesse, fadiga – Mínimo dois meses – Capaz de desempenhar a maior parte de suas atividades
  17. 17. Episódio Depressivo Moderado • Quatro ou mais dos sintomas citados • Muita dificuldade para desempenhar as atividades de rotina
  18. 18. Episódio Depressivo Grave • Vários dos sintomas são marcantes e angustiantes • Típico: perda da autoestima e ideias de desvalia ou culpa • Sintomas “somáticos” • Ideias e os atos suicidas
  19. 19. Episódio Depressivo Grave com Sintomas Psicóticos • Alucinações e ideias delirantes • Lentidão psicomotora ou estupor • Grave • Todas as atividades sociais normais tornam-se impossíveis • Risco de suicídio, desidratação ou desnutrição
  20. 20. Transtorno Depressivo Recorrente • Ocorrência repetida de episódios depressivos • Ausência de antecedente de mania • Início em qualquer idade • Início pode ser agudo ou insidioso • Duração variável de algumas semanas a alguns meses • Pelo menos dois episódios devem ter durado no mínimo duas semanas, separados por meses
  21. 21. Classificação • Transtorno depressivo recorrente, episódio atual: – leve – moderado – grave sem sintomas psicóticos – grave com sintomas psicóticos – em remissão
  22. 22. Ciclotimia • Flutuante • Instabilidade persistente do humor • Numerosos períodos de depressão ou de leve elação • Nenhum deles suficientemente grave ou prolongado para responder aos critérios de um transtorno afetivo bipolar ou de um transtorno depressivo recorrente. • Sofrimento e incapacidade consideráveis
  23. 23. Distimia • Flutuante • Rebaixamento crônico do humor • Persistindo ao menos por vários anos • Gravidade não é suficiente • Sofrimento e incapacidade consideráveis
  24. 24. Instrumentos • MINI • SCID • BDI (Beck)
  25. 25. Transtornos Alimentares • Comorbidades Psiquiátricas são frequentes em TA • Principalmente nos indivíduos que procuram tratamento • TH: ocorrem em 52% a 98% dos pacientes • Episódio depressivo maior 50% • Distimia 75% • Tratar comorbidade melhora prognóstico
  26. 26. TA Restritivo Evitativo • Diagnóstico diferencial – Transtorno Depressivo Maior: inapetência ingesta restrita, perda de peso  resolve com o tratamento do humor. – TARV: todos os critérios estabelecidos, e tratamento específico para perturbação alimentar.
  27. 27. Anorexia Nervosa • Diagnóstico Diferencial – Transtorno Depressivo Maior: ocorre perda de peso, mas não há desejo extremo por esta perda, nem medo intenso de ganhar peso. • Comorbidade – TAB e Transtornos Depressivos • Risco de Suicídio – Elevado: 12:100.000 por ano – Avaliar histórico, ideação, comportamentos e fatores de risco.
  28. 28. Bulimia Nervosa • Diagnostico Diferencial – Transtorno Depressivo Maior: pode ocorrer hiperfagia, mas sem comportamentos compensatórios e preocupação excessiva com a forma e peso. Para comorbidade, critérios de ambos devem ser estabelecidos. • Comorbidades – Sintomas depressivos, TAB, Transtornos Depressivos • Risco de Suicídio – Alto, deve ser avaliado
  29. 29. Transtorno de Compulsão Alimentar • Diagnóstico Diferencial – TAB: pode haver compulsão e outros sintomas, mas os critérios de ambos deves estar estabelecidos para diagnóstico de comorbidade. – T Depressivos: pode haver aumento da ingesta e ganho de peso, mas os critérios de ambos deves estar estabelecidos para diagnóstico de comorbidade • Comorbidade – TAB, T depressivos
  30. 30. Outros • Pica – Diagnóstico Diferencial: • Autolesão e comportamento suicida: ingestão de itens nocivos (agulhas, facas) • Ruminação – Comorbidade • Pode ocorrer concomitante a outro transtorno mental se justificar atenção específica.
  31. 31. Destaques
  32. 32. Desafios • Aspectos psicológicos: causadores, consequências ou mantenedores da condição • Aumento dos sintomas comorbidos durante o tratamento (ex: diante da dieta aumentar sintomas depressivos) • Adesão ao tratamento (todos as modalidades-colaboração dos profissionais) • Motivação para a mudança • Qualidade de vida • Consumo de Substâncias Psicoativas • Gravidade (internação)
  33. 33. Tratamento • Ser biopsicossocial • Comorbidades Psiquiátricas devem ser tratadas concomitantemente • Manejo Multidisciplinar – Psicoterapia (TCC) – Intervenção Psiquiátrica – Atividades Físicas – Alimentação • Precisa avaliar cada caso, não tem como fazer um “pacotão”.
  34. 34. Obrigada anacarolina@vidamental.com.br

×