SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
TRANSTORNO BIPOLAR
CENTRO DE ENSINO GRAU TÉCNICO
SAÚDE MENTAL
PROFESSORA.: ÚRSULA MENEZES
COMPONENTES.: ANA CLAUDIA, CAROLYNE AMANDA, CAROLINA FERREIRA, CLAUDIANE, EDIVANA MOTA, JHONATAM BRAGA, LIDIANE MATA, LETHICIA
ARAÚJO E LUCAS.
TRANSTORNO BIPOLAR:
 É definido como uma doença recorrente, crônica e grave, causando um impacto significativo na
qualidade de vida dos pacientes, acometendo a família e grande parte da sociedade. Antigamente
denominado de psicose maníaco-depressiva, é caracterizado por oscilações ou mudanças cíclicas
de humor. Estas mudanças vão desde oscilações normais, como nos estados de alegria e tristeza,
até mudanças patológicas acentuadas e diferentes do normal, como episódios de MANIA,
HIPOMANIA, DEPRESSÃO e MISTOS.
CARACTERÍSTICA DO TRANSTORNO BIPOLAR.
 O transtorno bipolar é caracterizado pela alternância de fases de tristezas e alegrias doentia;
 Em alguns casos, essa alternância pode ocorrer no mesmo dia ou na mesma hora;
 O inicio desse transtorno geralmente ocorre em torno dos 20 e 30 anos de idade, mas pode
começar após os 70 anos.
IMAGENS DE TRANSTORNO BIPOLAR.
CLASSIFICAÇÃO DO TRANSTORNO BIPOLAR.
 TRANSTORNO BIPOLAR TIPO I:
 O portador do distúrbio apresenta períodos de mania, que duram, no mínimo, sete dias, e fases de humor
deprimido, que se estendem de duas semanas a vários meses.
 Tanto na mania quanto na depressão, os sintomas são intensos e provocam profundas mudanças
comportamentais e de conduta, que podem comprometer não só os relacionamentos familiares, afetivos e
sociais, como também o desempenho profissional, a posição econômica e a segurança do paciente e das
pessoas que com ele convivem.
 O quadro pode ser grave a ponto de exigir internação hospitalar por causa do risco aumentado de suicídios e
da incidência de complicações psiquiátricas.
 TRANSTORNO BIPOLAR TIPO II:
 Há uma alternância entre os episódios de depressão e os de hipomania (estado mais leve de euforia, excitação,
otimismo e, às vezes, de agressividade), sem prejuízo maior para o comportamento e as atividades do portador.
CONTINUAÇÃO:
 TRANSTORNO BIPOLAR MISTO:
 Os sintomas sugerem o diagnóstico de transtorno bipolar, mas não são suficientes nem em número nem no
tempo de duração para classificar a doença em um dos dois tipos anteriores.
 TRANSTORNO CICLOTÍMICO:
 É o quadro mais leve do transtorno bipolar, marcado por oscilações crônicas do humor, que podem ocorrer até
no mesmo dia. O paciente alterna sintomas de hipomania e de depressão leve que, muitas vezes, são
entendidos como próprios de um temperamento instável ou irresponsável.
OBS.: Atualmente todos esses tipos foram reunidos em apenas um diagnóstico: o espectro bipolar.
FASE MANÍACA (MANIA):
 Os sentimentos de energia multiplicada, criatividade e euforia são comuns. As pessoas que
experimentam um episódio maníaco frequentemente falam a mil por hora, dormem muito pouco e são
hiperativas. Elas também podem se sentir todo-poderosas, invencíveis ou destinadas à grandeza.
 A pessoa na fase de mania se sente bem no início, mas tende a perder seu controle. Ela muitas vezes se
comporta de forma imprudente durante um episódio maníaco: desperdiça as economias em jogos de
azar, envolve-se em atividades sexuais impróprias ou faz investimentos financeiros tolos, por exemplo.
Ela também pode ficar com raiva, irritada e agressiva – provocando brigas, atacando os outros quando
eles não concordam com seus planos e repreendendo quem critica seu comportamento. Algumas
pessoas até entram em delírio ou começam a ouvir vozes.
FASE HIPOMANÍACA:
 A hipomania é uma forma menos grave de mania.
 Pessoas em estado hipomaníaco sentem-se eufóricas, dinâmicas e produtivas, mas são capazes de
tocar adiante sua vida cotidiana e nunca perder o contato com a realidade.
 Para outros, pode parecer que as pessoas com hipomania estão simplesmente em um estado de
bom humor invulgar. No entanto, a hipomania pode resultar em decisões ruins que prejudicam
relacionamentos, carreiras e reputações. Além disso, ela muitas vezes se agrava a ponto de chegar à
mania severa ou é seguida por um grande episódio depressivo.
FASE DA DEPRESSÃO BIPOLAR:
 No passado, a depressão bipolar foi mesclada com a depressão comum, mas um número crescente
de pesquisas sugere que há diferenças significativas entre as duas, especialmente quando se trata
de tratamentos recomendados.
 Os antidepressivos não ajudam a maioria das pessoas com depressão bipolar. Na verdade, há um
risco de que esses remédios podem fazer o transtorno bipolar piorar – deflagrando a mania ou a
hipomania, provocando rápidas oscilações entre os estados de humor ou interferindo em outros
medicamentos estabilizadores do humor.
 Pessoas com depressão bipolar também tendem a mover-se e a falar devagar, dormir muito e
ganhar peso. Além disso, elas são mais propensas a desenvolver depressão psicótica – a condição
em que perdem contato com a realidade e experimentam grande deficiência no trabalho e nas
atividades sociais.
O QUE CAUSA O TRANSTORNO?
 A causa exata do transtorno bipolar ainda é desconhecida, mas a ciência acredita
que diversos fatores possam estar envolvidos nas oscilações de humor provocadas
pela doença, como:
 Peculiaridades biológicas;
 Neurotransmissores;
 Hormônios;
 Hereditariedade;
 Meio ambiente.
SINAIS E SINTOMAS
 NA FASE MANÍACA
 Distrair-se facilmente;
 Redução da necessidade de sono;
 Capacidade de discernimento diminuída;
 Pouco controle do temperamento;
 Compulsão alimentar, beber demais e/ou uso excessivo de
drogas;
 Hiperatividade;
 Fala em excesso;
 Entre outros...
 A fase maníaca do transtorno bipolar pode durar dias e até
mesmo meses.
 FASE DEPRESSIVA
 Desânimo diário ou tristeza;
 Dificuldade de se concentrar, de lembrar ou de tomar
decisões;
 Perda de peso e perda de apetite;
 Comer excessivamente e ganho de peso;
 Fadiga ou falta de energia;
 Sentir-se inútil, sem esperança ou culpado;
 Perda de interesse nas atividades que antes eram
prazerosas;
 Baixa autoestima;
 Entre outros...
COMO DIAGNÓSTICAR O TRANSTORNO?
 O diagnóstico do transtorno bipolar é clinico, baseado no levantamento da história e no relato dos
sintomas pelo próprio paciente ou por um amigo ou familiar.
 Em geral, ele leva mais de dez anos para ser concluído, porque os sinais podem ser confundidos
com os de doenças como esquizofrenia, depressão maior, síndrome do pânico, distúrbios da
ansiedade.
 Daí a importância de estabelecer o diagnóstico diferencial antes de propor qualquer medida
terapêutica.
COMO TRATAR UM PORTADOR DO
TRANSTORNO?
 O transtorno bipolar não tem cura, mais pode ser controlado através de:
 Tratamento Farmacológico: estabilizadores de humor, anticonvulsivantes,
antipsicóticos, antidepressivo e eletroconvulsoterapia;
 Intervenções Psicológicas;
 Mudança no estilo de vida, não fazer uso de drogas e álcool;
 Hábitos saudáveis de alimentação, sono e redução dos níveis de estresses.
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES:
 Se não for tratado, transtorno bipolar pode levar a complicações graves, como:
 Dependência física, química e psíquica de substâncias como álcool, cigarro e drogas;
 Problemas legais e com a justiça;
 Problemas financeiros;
 Problemas e tensões em relacionamentos e outras relações pessoais;
 Isolamento e solidão;
 Problemas profissionais e fraco desempenho no trabalho, na escola e nos estudos em geral;
 Suicídio.
INTERNAÇÃO:
É NESSÁRIA? E QUANDO?
?
É NECESSÁRIA.
 Nas situações mais acentuadas e graves, tanto no quadro da depressão como no da mania;
 Evitar prejuízos à sua autoimagem ou mesmo evitar que o paciente cause danos a outros;
 Nestas situações, a internação se faz necessária para proteger o paciente de si mesmo ou de
outros.
BIPOLARIDADE NA INFÂNCIA:
 Na infância a bipolaridade não se manifesta com episódios claros e demarcados de humor elevado ou
deprimido, e sim com humor misto: alta oscilação, irritabilidade, turbulência, distração, impulsividade e
condutas desafiadoras.
 Estes quadros podem ser confundidos com déficit de atenção e hiperatividade, mas o tratamento
farmacológico é totalmente diferente, porque se deve usar estabilizadores de humor e evitar a Ritalina
(metilfenidato).
 A Ritalina em quem tem a bipolaridade costuma não funcionar ou deixar o humor mais elevado e
confiante ou irritável.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE
BIPOLAR.
 A atuação de enfermagem na identificação precoce de alterações de comportamentos e outros
sinais crônicos de transtornos psiquiátricos são de suma importância, além do acompanhamento
medicamentoso;
 Cabe ainda aos profissionais de saúde promover discussões com a família e comunidade para a
readaptação desse paciente a sociedade, oferecendo informações e suportes necessários para
exercer sua função de agente socializador;
 O enfermeiro deverá utilizar sua própria personalidade, compressão e habilidade para o
desenvolvimento de atitudes satisfatórias para lidar com situações difíceis frente ao paciente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Bipolaridade.pptx
Bipolaridade.pptxBipolaridade.pptx
Bipolaridade.pptx
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
 
Transtornos mentais
 Transtornos mentais Transtornos mentais
Transtornos mentais
 
Transtorno Bipolar
Transtorno BipolarTranstorno Bipolar
Transtorno Bipolar
 
Transtornos depressivos
Transtornos depressivosTranstornos depressivos
Transtornos depressivos
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
 
Transtornos mentais orgânicos
Transtornos mentais orgânicosTranstornos mentais orgânicos
Transtornos mentais orgânicos
 
Tratamento do transtorno do pânico
Tratamento do transtorno do pânicoTratamento do transtorno do pânico
Tratamento do transtorno do pânico
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
 
Transtorno bipolar
Transtorno bipolarTranstorno bipolar
Transtorno bipolar
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
 
Transtorno de humor - Enfermagem
Transtorno de humor - Enfermagem Transtorno de humor - Enfermagem
Transtorno de humor - Enfermagem
 
Psicoses
PsicosesPsicoses
Psicoses
 
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofreniaTranstornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
 
Transtornos de ansiedade
Transtornos de ansiedadeTranstornos de ansiedade
Transtornos de ansiedade
 
TRANSTORNO BIPOLAR E DE ANSIEDADE.
TRANSTORNO BIPOLAR E DE ANSIEDADE.TRANSTORNO BIPOLAR E DE ANSIEDADE.
TRANSTORNO BIPOLAR E DE ANSIEDADE.
 
Esquizofrenia e bipolaridade
Esquizofrenia e bipolaridadeEsquizofrenia e bipolaridade
Esquizofrenia e bipolaridade
 
psicofarmacologia 2
psicofarmacologia 2psicofarmacologia 2
psicofarmacologia 2
 
Rede de atenção em saude mental
Rede de atenção em saude mentalRede de atenção em saude mental
Rede de atenção em saude mental
 

Destaque (20)

Trastorno Bipolar
Trastorno BipolarTrastorno Bipolar
Trastorno Bipolar
 
Trastorno Bipolar
Trastorno BipolarTrastorno Bipolar
Trastorno Bipolar
 
Transtorno Bipolar
Transtorno BipolarTranstorno Bipolar
Transtorno Bipolar
 
Transtorno Bipolar tipo I
Transtorno Bipolar tipo ITranstorno Bipolar tipo I
Transtorno Bipolar tipo I
 
Diapositivas de trastorno bipolar
Diapositivas de trastorno bipolar Diapositivas de trastorno bipolar
Diapositivas de trastorno bipolar
 
Neanderthales y bipolares
Neanderthales y bipolaresNeanderthales y bipolares
Neanderthales y bipolares
 
Transtorno bibolar
Transtorno bibolarTranstorno bibolar
Transtorno bibolar
 
O Que Causa O Transtorno Bipolar
O Que Causa O Transtorno BipolarO Que Causa O Transtorno Bipolar
O Que Causa O Transtorno Bipolar
 
Psicoterapia en el trastorno bipolar
Psicoterapia en el trastorno bipolarPsicoterapia en el trastorno bipolar
Psicoterapia en el trastorno bipolar
 
Trastorno bipolar
Trastorno bipolarTrastorno bipolar
Trastorno bipolar
 
Bipolaridade
BipolaridadeBipolaridade
Bipolaridade
 
Trastorno bipolar
Trastorno bipolarTrastorno bipolar
Trastorno bipolar
 
Trastorno bipolar
Trastorno bipolarTrastorno bipolar
Trastorno bipolar
 
Enfermedad maniaco depresiva 2
Enfermedad maniaco depresiva 2Enfermedad maniaco depresiva 2
Enfermedad maniaco depresiva 2
 
Hidrocefalia
HidrocefaliaHidrocefalia
Hidrocefalia
 
Trastorno bipolar
Trastorno bipolar Trastorno bipolar
Trastorno bipolar
 
Trastorno bipolar
Trastorno bipolarTrastorno bipolar
Trastorno bipolar
 
Hidrocefalia
HidrocefaliaHidrocefalia
Hidrocefalia
 
Hidrocefalia
HidrocefaliaHidrocefalia
Hidrocefalia
 
Power pint de bipolar
Power pint de bipolarPower pint de bipolar
Power pint de bipolar
 

Semelhante a Transtorno Bipolar: Entendendo as Fases e Tratamento

TRANSTORNO BIPOLAR (1).pptx
TRANSTORNO BIPOLAR (1).pptxTRANSTORNO BIPOLAR (1).pptx
TRANSTORNO BIPOLAR (1).pptxMIRIAN FARIA
 
Transtorno bipolar saúde mental
Transtorno bipolar saúde mental  Transtorno bipolar saúde mental
Transtorno bipolar saúde mental amanda helena
 
Aula 3 psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Aula 3   psicofarmacologia nos transtornos do humor 1Aula 3   psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Aula 3 psicofarmacologia nos transtornos do humor 1Educação Ucpel
 
Aulas 10 e 11 Guanambi.pdf
Aulas 10 e 11 Guanambi.pdfAulas 10 e 11 Guanambi.pdf
Aulas 10 e 11 Guanambi.pdfJainnyBeatriz1
 
comorbidades_11_ago.pdf
comorbidades_11_ago.pdfcomorbidades_11_ago.pdf
comorbidades_11_ago.pdfMaxDrummond1
 
Trabalho sobre depressão
Trabalho sobre depressãoTrabalho sobre depressão
Trabalho sobre depressãoEliete Santos
 
Desktop
DesktopDesktop
Desktopedu197
 
Doença bipolar
Doença bipolarDoença bipolar
Doença bipolar8acv
 
Psicologia na vida adulta
Psicologia na vida adultaPsicologia na vida adulta
Psicologia na vida adultaedi
 
DEPRESSÃO
DEPRESSÃODEPRESSÃO
DEPRESSÃOZilrene
 

Semelhante a Transtorno Bipolar: Entendendo as Fases e Tratamento (20)

SP.3.4 – Dois lados....docx
SP.3.4 – Dois lados....docxSP.3.4 – Dois lados....docx
SP.3.4 – Dois lados....docx
 
TRANSTORNO BIPOLAR (1).pptx
TRANSTORNO BIPOLAR (1).pptxTRANSTORNO BIPOLAR (1).pptx
TRANSTORNO BIPOLAR (1).pptx
 
Folder Transtorno Bipolar
Folder Transtorno BipolarFolder Transtorno Bipolar
Folder Transtorno Bipolar
 
Transtorno bipolar saúde mental
Transtorno bipolar saúde mental  Transtorno bipolar saúde mental
Transtorno bipolar saúde mental
 
Aula 3 psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Aula 3   psicofarmacologia nos transtornos do humor 1Aula 3   psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Aula 3 psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
 
Aulas 10 e 11 Guanambi.pdf
Aulas 10 e 11 Guanambi.pdfAulas 10 e 11 Guanambi.pdf
Aulas 10 e 11 Guanambi.pdf
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Transtorno bipolar.pptx
Transtorno bipolar.pptxTranstorno bipolar.pptx
Transtorno bipolar.pptx
 
Bipolar Final
Bipolar FinalBipolar Final
Bipolar Final
 
Depressão
Depressão Depressão
Depressão
 
seminário toc
seminário tocseminário toc
seminário toc
 
Inserir um título (1).pdf
Inserir um título (1).pdfInserir um título (1).pdf
Inserir um título (1).pdf
 
comorbidades_11_ago.pdf
comorbidades_11_ago.pdfcomorbidades_11_ago.pdf
comorbidades_11_ago.pdf
 
Trabalho sobre depressão
Trabalho sobre depressãoTrabalho sobre depressão
Trabalho sobre depressão
 
Desktop
DesktopDesktop
Desktop
 
Depressão palestra uniplac
Depressão   palestra uniplacDepressão   palestra uniplac
Depressão palestra uniplac
 
Doença bipolar
Doença bipolarDoença bipolar
Doença bipolar
 
Psicologia na vida adulta
Psicologia na vida adultaPsicologia na vida adulta
Psicologia na vida adulta
 
DEPRESSÃO
DEPRESSÃODEPRESSÃO
DEPRESSÃO
 
Depresao
DepresaoDepresao
Depresao
 

Último

Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfLviaParanaguNevesdeL
 

Último (12)

Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
 

Transtorno Bipolar: Entendendo as Fases e Tratamento

  • 1. TRANSTORNO BIPOLAR CENTRO DE ENSINO GRAU TÉCNICO SAÚDE MENTAL PROFESSORA.: ÚRSULA MENEZES COMPONENTES.: ANA CLAUDIA, CAROLYNE AMANDA, CAROLINA FERREIRA, CLAUDIANE, EDIVANA MOTA, JHONATAM BRAGA, LIDIANE MATA, LETHICIA ARAÚJO E LUCAS.
  • 2. TRANSTORNO BIPOLAR:  É definido como uma doença recorrente, crônica e grave, causando um impacto significativo na qualidade de vida dos pacientes, acometendo a família e grande parte da sociedade. Antigamente denominado de psicose maníaco-depressiva, é caracterizado por oscilações ou mudanças cíclicas de humor. Estas mudanças vão desde oscilações normais, como nos estados de alegria e tristeza, até mudanças patológicas acentuadas e diferentes do normal, como episódios de MANIA, HIPOMANIA, DEPRESSÃO e MISTOS.
  • 3. CARACTERÍSTICA DO TRANSTORNO BIPOLAR.  O transtorno bipolar é caracterizado pela alternância de fases de tristezas e alegrias doentia;  Em alguns casos, essa alternância pode ocorrer no mesmo dia ou na mesma hora;  O inicio desse transtorno geralmente ocorre em torno dos 20 e 30 anos de idade, mas pode começar após os 70 anos.
  • 5. CLASSIFICAÇÃO DO TRANSTORNO BIPOLAR.  TRANSTORNO BIPOLAR TIPO I:  O portador do distúrbio apresenta períodos de mania, que duram, no mínimo, sete dias, e fases de humor deprimido, que se estendem de duas semanas a vários meses.  Tanto na mania quanto na depressão, os sintomas são intensos e provocam profundas mudanças comportamentais e de conduta, que podem comprometer não só os relacionamentos familiares, afetivos e sociais, como também o desempenho profissional, a posição econômica e a segurança do paciente e das pessoas que com ele convivem.  O quadro pode ser grave a ponto de exigir internação hospitalar por causa do risco aumentado de suicídios e da incidência de complicações psiquiátricas.  TRANSTORNO BIPOLAR TIPO II:  Há uma alternância entre os episódios de depressão e os de hipomania (estado mais leve de euforia, excitação, otimismo e, às vezes, de agressividade), sem prejuízo maior para o comportamento e as atividades do portador.
  • 6. CONTINUAÇÃO:  TRANSTORNO BIPOLAR MISTO:  Os sintomas sugerem o diagnóstico de transtorno bipolar, mas não são suficientes nem em número nem no tempo de duração para classificar a doença em um dos dois tipos anteriores.  TRANSTORNO CICLOTÍMICO:  É o quadro mais leve do transtorno bipolar, marcado por oscilações crônicas do humor, que podem ocorrer até no mesmo dia. O paciente alterna sintomas de hipomania e de depressão leve que, muitas vezes, são entendidos como próprios de um temperamento instável ou irresponsável. OBS.: Atualmente todos esses tipos foram reunidos em apenas um diagnóstico: o espectro bipolar.
  • 7. FASE MANÍACA (MANIA):  Os sentimentos de energia multiplicada, criatividade e euforia são comuns. As pessoas que experimentam um episódio maníaco frequentemente falam a mil por hora, dormem muito pouco e são hiperativas. Elas também podem se sentir todo-poderosas, invencíveis ou destinadas à grandeza.  A pessoa na fase de mania se sente bem no início, mas tende a perder seu controle. Ela muitas vezes se comporta de forma imprudente durante um episódio maníaco: desperdiça as economias em jogos de azar, envolve-se em atividades sexuais impróprias ou faz investimentos financeiros tolos, por exemplo. Ela também pode ficar com raiva, irritada e agressiva – provocando brigas, atacando os outros quando eles não concordam com seus planos e repreendendo quem critica seu comportamento. Algumas pessoas até entram em delírio ou começam a ouvir vozes.
  • 8. FASE HIPOMANÍACA:  A hipomania é uma forma menos grave de mania.  Pessoas em estado hipomaníaco sentem-se eufóricas, dinâmicas e produtivas, mas são capazes de tocar adiante sua vida cotidiana e nunca perder o contato com a realidade.  Para outros, pode parecer que as pessoas com hipomania estão simplesmente em um estado de bom humor invulgar. No entanto, a hipomania pode resultar em decisões ruins que prejudicam relacionamentos, carreiras e reputações. Além disso, ela muitas vezes se agrava a ponto de chegar à mania severa ou é seguida por um grande episódio depressivo.
  • 9. FASE DA DEPRESSÃO BIPOLAR:  No passado, a depressão bipolar foi mesclada com a depressão comum, mas um número crescente de pesquisas sugere que há diferenças significativas entre as duas, especialmente quando se trata de tratamentos recomendados.  Os antidepressivos não ajudam a maioria das pessoas com depressão bipolar. Na verdade, há um risco de que esses remédios podem fazer o transtorno bipolar piorar – deflagrando a mania ou a hipomania, provocando rápidas oscilações entre os estados de humor ou interferindo em outros medicamentos estabilizadores do humor.  Pessoas com depressão bipolar também tendem a mover-se e a falar devagar, dormir muito e ganhar peso. Além disso, elas são mais propensas a desenvolver depressão psicótica – a condição em que perdem contato com a realidade e experimentam grande deficiência no trabalho e nas atividades sociais.
  • 10. O QUE CAUSA O TRANSTORNO?  A causa exata do transtorno bipolar ainda é desconhecida, mas a ciência acredita que diversos fatores possam estar envolvidos nas oscilações de humor provocadas pela doença, como:  Peculiaridades biológicas;  Neurotransmissores;  Hormônios;  Hereditariedade;  Meio ambiente.
  • 11. SINAIS E SINTOMAS  NA FASE MANÍACA  Distrair-se facilmente;  Redução da necessidade de sono;  Capacidade de discernimento diminuída;  Pouco controle do temperamento;  Compulsão alimentar, beber demais e/ou uso excessivo de drogas;  Hiperatividade;  Fala em excesso;  Entre outros...  A fase maníaca do transtorno bipolar pode durar dias e até mesmo meses.  FASE DEPRESSIVA  Desânimo diário ou tristeza;  Dificuldade de se concentrar, de lembrar ou de tomar decisões;  Perda de peso e perda de apetite;  Comer excessivamente e ganho de peso;  Fadiga ou falta de energia;  Sentir-se inútil, sem esperança ou culpado;  Perda de interesse nas atividades que antes eram prazerosas;  Baixa autoestima;  Entre outros...
  • 12. COMO DIAGNÓSTICAR O TRANSTORNO?  O diagnóstico do transtorno bipolar é clinico, baseado no levantamento da história e no relato dos sintomas pelo próprio paciente ou por um amigo ou familiar.  Em geral, ele leva mais de dez anos para ser concluído, porque os sinais podem ser confundidos com os de doenças como esquizofrenia, depressão maior, síndrome do pânico, distúrbios da ansiedade.  Daí a importância de estabelecer o diagnóstico diferencial antes de propor qualquer medida terapêutica.
  • 13. COMO TRATAR UM PORTADOR DO TRANSTORNO?  O transtorno bipolar não tem cura, mais pode ser controlado através de:  Tratamento Farmacológico: estabilizadores de humor, anticonvulsivantes, antipsicóticos, antidepressivo e eletroconvulsoterapia;  Intervenções Psicológicas;  Mudança no estilo de vida, não fazer uso de drogas e álcool;  Hábitos saudáveis de alimentação, sono e redução dos níveis de estresses.
  • 14. POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES:  Se não for tratado, transtorno bipolar pode levar a complicações graves, como:  Dependência física, química e psíquica de substâncias como álcool, cigarro e drogas;  Problemas legais e com a justiça;  Problemas financeiros;  Problemas e tensões em relacionamentos e outras relações pessoais;  Isolamento e solidão;  Problemas profissionais e fraco desempenho no trabalho, na escola e nos estudos em geral;  Suicídio.
  • 16. É NECESSÁRIA.  Nas situações mais acentuadas e graves, tanto no quadro da depressão como no da mania;  Evitar prejuízos à sua autoimagem ou mesmo evitar que o paciente cause danos a outros;  Nestas situações, a internação se faz necessária para proteger o paciente de si mesmo ou de outros.
  • 17. BIPOLARIDADE NA INFÂNCIA:  Na infância a bipolaridade não se manifesta com episódios claros e demarcados de humor elevado ou deprimido, e sim com humor misto: alta oscilação, irritabilidade, turbulência, distração, impulsividade e condutas desafiadoras.  Estes quadros podem ser confundidos com déficit de atenção e hiperatividade, mas o tratamento farmacológico é totalmente diferente, porque se deve usar estabilizadores de humor e evitar a Ritalina (metilfenidato).  A Ritalina em quem tem a bipolaridade costuma não funcionar ou deixar o humor mais elevado e confiante ou irritável.
  • 18. ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE BIPOLAR.  A atuação de enfermagem na identificação precoce de alterações de comportamentos e outros sinais crônicos de transtornos psiquiátricos são de suma importância, além do acompanhamento medicamentoso;  Cabe ainda aos profissionais de saúde promover discussões com a família e comunidade para a readaptação desse paciente a sociedade, oferecendo informações e suportes necessários para exercer sua função de agente socializador;  O enfermeiro deverá utilizar sua própria personalidade, compressão e habilidade para o desenvolvimento de atitudes satisfatórias para lidar com situações difíceis frente ao paciente.