SlideShare uma empresa Scribd logo
Projeto de Fábrica e Layout
Conceitos gerais
Professor: Daniel Moura
Disciplina: Projeto de Fábrica e Layout
Curso: Graduaç ão em Engenharia de
Produç ão
Tópicos
• O processo de intervenção organizacional
• Desenvolvimento integrado (produto e processo)
– Projeto detalhado
– Preparação da produção
• Bases do planejamento de instalações
Melhoria Organizacional
Motivação
Prover infra-estrutura
Educar / Treinar
Definir Ações
Implantar
Entender
motivação
Projetos de Transformação
Analisar situação
Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar
Problemas
Oportunidades
Entender motivação das melhorias
• Avaliar motivos para transformação:
• últimos acontecimentos,
• condições do ambiente,
• exigências do mercado,
• condicionantes de competição;
• Benchmarking
• Avaliar a estratégia da empresa
• Definir estratégia de transformação
Melhoria Organizacional
Motivação
Prover infra-estrutura
Educar / Treinar
Definir Ações
Implantar
Entender
motivação
Projetos de Transformação
Analisar situação
Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar
Problemas
Oportunidades
Analisar a Situação Atual
• Diagnóstico da maturidade atual;
• Criar visão estratégica;
• Definir política de transformação;
• Definir estratégias e objetivos das transformações;
Melhoria Organizacional
Motivação
Prover infra-estrutura
Educar / Treinar
Definir Ações
Implantar
Entender
motivação
Projetos de Transformação
Analisar situação
Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar
Problemas
Oportunidades
Definir Ações
• Definir projetos de transformação.
– Exemplos:
• Substituição de um equipamento
• Ampliação de um galpão
• Mudança de local da fábrica
• Otimização de um posto de trabalho
• Aplicação de técnicas de gestão visual
• Racionalização do uso de espaço para estoque
• Priorizar Projetos (“Gestão de Portfólio”)
Melhoria Organizacional
Motivação
Prover infra-estrutura
Educar / Treinar
Definir Ações
Implantar
Entender
motivação
Projetos de Transformação
Analisar situação
Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar
Problemas
Oportunidades
Implantar
Implantar
Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar
Aplicação das técnicas de
Gestão de Projetos
Implantar
Implantar
Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar
Aplicação das técnicas de
Projeto de Layout Fabril
Implantar
Implantar
Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar
Exige planejamento adicional, pois
envolverá outras áreas para a Preparação
da Produção e Homologação do novo
layout/processo
Melhoria Organizacional
Motivação
Prover infra-estrutura
Educar / Treinar
Definir Ações
Implantar
Entender
motivação
Projetos de Transformação
Analisar situação
Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar
Problemas
Oportunidades
Prover infra-estrutura, educar e treinar
• Ocorre antes, durante e depois da transformação;
• A cultura da empresa precisa ser apropriada;
• A infra-estrutura necessária contempla a existência de um
time (um comitê supra-departamental, por exemplo);
• Infra-estrutura de informação adequada para apoiar este
processo;
• Educar e treinar as pessoas envolvidas neste processo é
uma condição essencial para o sucesso.
Tópicos
• O processo de intervenção organizacional
• Desenvolvimento integrado (produto e processo)
– Projeto detalhado
– Preparação da produção
• Bases do planejamento de instalações
17
Localização da fase de projeto detalhado
18
Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos
Gerenciamento de mudanças de engenhariaProcessos
de apoio
Processos
de apoio
Desenvolvimento
Projeto
Detalhado
Projeto
Conceitual
Projeto
Informacional
Lançamento
do Produto
Preparação
Produção
Planejamento
Projeto
PósPré
Planej
ament
o
Estraté
gico
dos
Produt
os
Descont
inuar
Produto
Acompanhar
Produto/
Processo
Gates >>
Processo de Desenvolvimento de Produto
Atividades da fase de Projeto Detalhado
19
Projeto
Detalhado
Especificações Preliminares
Mockup (protótipo não funcional)
Relatórios de testes
Especificações Finais
•Configuração final do produto
•Desenhos finais com tolerâncias
•Planos de Processo Fabricação /
Montagem
•Projeto de embalagem
•Material de suporte do produto
Protótipo funcional
Projeto dos recursos
Plano de fim de vida
Avaliar SSCs,
configuração e
documentação do
produto e processo
Atualizar o Plano do
Projeto Detalhado
Criar material de
suporte do produto
Projetar
embalagem
Projetar recursos
de fabricação
Enviar
documentação
do produto a
parceiros
Documentar as
decisões
tomadas e
registrar lições
aprendidas
Planejar fim de
vida do produto
Avaliar
Fase
Aprovar
Fase
Testar e
Homologar
produto
Planejar processo de
fabricação e montagemOtimizar produto e
processo
Decidir fazer ou
comprar SSCs
Desenvolver
fornecedores
Criar e detalhar SSCs,
documentação e
configuração
Monitorar
viabilidade
econômica
Tópicos
• O processo de intervenção organizacional
• Desenvolvimento integrado (produto e processo)
• Bases do planejamento de instalações:
– Níveis de planejamento
– Planejamento Estratégico do Layout
– Elementos do Planejamento Tático do Layout
Enfoque territorial
Decide a localização da nova
planta e a estratégia de
edificação
Enfoque local
Determina a distribuição de
setores, máquinas e
equipamentos, otimização
dos postos de trabalho, etc.
Enfoque no dia-a-dia da
operação
Atua no monitoramento e
aperfeiçoamento dos postos
de trabalho.
Níveis de Planejamento
Fases do projeto do espaço (ideal)
Impacto
Estratégic
o
TEMP
O
Visão geral da proposta
Planejamto
Estratégico
Projeto dos
Postos de
trabalho
Projeto das
Instalações
Fabris
Projeto do
Arranjo
Físico Fabril
Sistema de
Produção
(PCP &
MAM)
Engenharia
de
Manufatura
Engenharia
do Produto
Projeto
Estratégico
Fabril
Mercado
Visão geral da proposta
Planejamto
Estratégico
Projeto dos
Postos de
trabalho
Projeto das
Instalações
Fabris
Projeto do
Arranjo
Físico Fabril
Sistema de
Produção
(PCP &
MAM)
Engenharia
de
Manufatura
Engenharia
do Produto
Projeto
Estratégico
Fabril
Mercado
• Vislumbra novas
oportunidades e
mercados
• Define prioridades
• Base para decisões
/aç ões da empresa
Visão geral da proposta
Planejamto
Estratégico
Projeto dos
Postos de
trabalho
Projeto das
Instalações
Fabris
Projeto do
Arranjo
Físico Fabril
Sistema de
Produção
(PCP &
MAM)
Engenharia
de
Manufatura
Engenharia
do Produto
Projeto
Estratégico
Fabril
Mercado
• Define novos produtos
(pode levar a novos
processos e a novas
necessidades de
espaço)
• Novas necessidades de espaço
podem levar a novas instalações)
• Outras opções seriam: ampliação
da atual ou alterações na atual
Visão geral da proposta
Planejamto
Estratégico
Projeto dos
Postos de
trabalho
Projeto das
Instalações
Fabris
Projeto do
Arranjo
Físico Fabril
Sistema de
Produção
(PCP &
MAM)
Engenharia
de
Manufatura
Engenharia
do Produto
Projeto
Estratégico
Fabril
Mercado
• O PEN (Planejamento
Estratégico do
negó cio) pode levar a
decisão por uma nova
instalaç ão
• Uma nova instalaç ão necessitaráde
uma nova engenharia (produtos e
processos), além do novo arranjo-
físico
Sistema de
Produção
(PCP &
MAM)
Engenharia
de
Manufatura
Engenharia
do Produto
• Define a forma,
funç ões e
componentes do
produto final
• Define quais os processos
necessários para a
transformaç ão da matéria-
prima em produto final
• Define qual a
estratégia de produç ão
a adotar: empurrada,
puxada, para estoque,
por pedido, por projeto,
etc
• Define os tipos
de máquinas e
equipamentos
necessários
• Define a quantidade
• destas máquinas e
equipamentos necessários
para produzir as
quantidades necessárias
para
• atender a demanda prevista
• Define quando, quanto e
em que ordem produzir
para atender a demanda
real
• Em funç ão da
estratégia, define-se
o grau de
automaç ão para
produç ão e
movimentaç ão de
produtos a ser
utilizada
Visão geral da proposta
Planejamto
Estratégico
Projeto dos
Postos de
trabalho
Projeto das
Instalações
Fabris
Projeto do
Arranjo
Físico Fabril
Sistema de
Produção
(PCP &
MAM)
Engenharia
de
Manufatura
Engenharia
do Produto
Projeto
Estratégico
Fabril
Mercado
• Definiç ão do Layout
(detalhar/ criar modelo)
• Ergonomia (listar apenas
os aspectos gerais e
inserir as tabelas de
antropometria)
• Projetos: civil, hidráulico,
incêndio, elétrico, ...
• Verificaç ão e atendimento
de normas (listar algumas
principais)
• Define como dispor as máquinas,
equipamentos, matérias-primas,
estoque e pessoal de produç ão para
atender a demanda prevista e a
estratégia de produç ão.
PLANEJAMENTO
ESTRATÉGICO DO LAYOUT
Características
• É feito em duas fases:
– Fase 1 – Análise preliminar (localização), com a avaliação de uma
gama maior de possibilidades e seleção do local
– Fase 2 – Planejamento Estratégico da Unidade Fabril
• Resultados:
– Fase 1 = relatório para alta gerência, que irá tomar a decisão do local
– Fase 2 = proposta de layout do parque fabril, ou seja, a localização
das edificações e de suas futuras ampliações
• Custo:
– baixo, pois envolve poucas pessoas (altos executivos e 1 ou 2
engenheiros de produção e consultores)
Fase 1 – Análise preliminar (localização)
Desenvolver
Estratégia
Avaliar
candidatos
Configurar rede
de operações
Dimensionar
capacidade/terreno
Identificar terrenos
candidatos
• Localização é:
• A posição geográfica de uma operação
relativamente aos recursos, a outras
operações ou clientes com quais
interage.
• Níveis de localização:
• Escolha da região/país
• Escolha da área da região ou país
• Escolha do local específico na área
Discusão
• Quais são as vantagens de se
investir em uma nova planta nas
seguintes áreas?
LESTE DA
ÁSIA
NAFTA
UNIÃO
EUROPÉIA
Exemplo Caso Whirlpool
Centro
Administrativo
Reúne todas as
atividades
administrativas da
Empresa.
Jaboatão dos
Guararapes
Armazena produtos
acabados, para
agilizar o
abastecimento dos
mercados das regiões
Norte e Nordeste. .
Manaus
Base de produç ão de
microondas e
condicionadores de ar.
Possui posiç ão
estratégica para
exportaç ão.
Rio Claro
Produz lavadoras,
lava-louç as, fogões 4
bocas e cooktops
Tamboré
Concentra todas as
atividades de logística
de armazenamento e
controle de distribuiç ão
de produtos acabados e
peç as..
São Paulo
Área de Atendimento
ao Consumidor.Joinville
Nesta planta são
fabricadas
refrigeradores,
freezers e
secadoras.
Embraco
Especializada em
soluç ões para
refrigeraç ão e líder
mundial do mercado de
compressores
herméticos
Fase 1 – Análise preliminar (localização)
Desenvolver
Estratégia
Avaliar
candidatos
Configurar rede
de operações
Dimensionar
capacidade/terreno
Identificar terrenos
candidatos
• Envolve:
• Determinação da missão:
• Declaração concisa de produtos,
processos e principais tarefas de
produção da nova planta
• Muito importante para o planejamento do
arranjo físico pois dificilmente uma
instalação conseguiria realizar bem mais
de duas atividades.
Fase 1 – Análise preliminar (localização)
Desenvolver
Estratégia
Avaliar
candidatos
Configurar rede
de operações
Dimensionar
capacidade/terreno
Identificar terrenos
candidatos
• Todas operações fazem parte de uma rede
maior de clientes e fornecedores.
• Rede de suprimento total da operação =
rede do lado do fornecimento + rede do
lado da demanda
• Conhecer a rede permite escolher a melhor
localização em relação aos fornecedores e
clientes da empresa
• Avaliar possibilidade de Integração Vertical
(atuar em outras partes da rede, como
cliente ou fornecedor)
Clientes de
segunda
camada
Clientes de
primeira
camada
Fornecedores
de primeira
camada
Fornecedores
de segunda
camada
Exemplo de estrutura básica de uma rede
Agência de
recrutamento
Fornecedor de
materiais de
limpeza
Fornecedor de
equipamentos
Serviços de
segurança
Serviços de
limpeza
Serviços de
manutenção
Supermercado
Atacadista
Varejistas
Clientes dos
varejistas
Fase 1 – Análise preliminar (localização)
Desenvolver
Estratégia
Avaliar
candidatos
Configurar rede
de operações
Dimensionar
capacidade/terreno
Identificar terrenos
candidatos
• Com base:
• Nos dados presentes na missão da
planta (produtos / processos)
• Na visão de mercado da empresa
(volume de produção / demanda)
• Estima-se:
1.A capacidade produtiva necessária
2.Quantidade de espaço para: produção
estoques, veículos, pessoas, etc.
3.Área mínima necessária para o terreno
Fase 1 – Análise preliminar (localização)
Desenvolver
Estratégia
Avaliar
candidatos
Configurar rede
de operações
Dimensionar
capacidade/terreno
Identificar terrenos
candidatos
• Fator determinante: Manufatura
• Clima de trabalho favorável
• Proximidade de mercados
• Qualidade de vida
• Proximidade de fornecedores
• Proximidade com empresas
colaboradoras/aparentadas
• Utilidades, taxas (federais e estaduais)
• Fator determinante: Serviços
• Proximidade com consumidores
• Custos de transporte e proximidade com
mercados
• Localização de concorrentes
• Fatores específicos do local
Dificuldades
• Outras línguas
• Diferentes normas e costumes
• Leis e regulamentos não familiares
• Gestão da força de trabalho (sindicatos, horários, etc.)
• Custos não esperados
Accompany Krajewski & Ritzman Operations Management: Strategy and Analysis, Sixth Edition © 2002 Prentice
Fase 1 – Análise preliminar (localização)
Desenvolver
Estratégia
Avaliar
candidatos
Configurar rede
de operações
Dimensionar
capacidade/terreno
Identificar terrenos
candidatos
• Métodos mais comuns:
• Método da Pontuação Ponderada
• Método do centro de gravidade
• Análise de custos
MÉTODO DA PONTUAÇÃO
PONDERADA
Método da pontuação ponderada
1. Identificar os critérios que podem ser usados par avaliar as diferentes
organizações
– Exemplos: proximidade de mercados; proximidade de fornecedores;
localização de concorrentes; proximidade com consumidores, etc.;
1. Determinação do peso relativo de cada critério (1 = min.; 5 = max.)
2. Avaliar cada localização segundo cada critério
– Pode-se utilizar qualquer escala (0 a 10; 0 a 100)
1. Realizar somatório. Ex.:
Crité rios Pes
o
Local
A
Local
B
Local
C
Custos do local 4 8 6 6
Impostos Locais 2 2 5 8
Disponibilidade de mão-de-
obra
1 8 6 4
Acesso à rodovias 1 5 6 4
Acesso à aeroporto 1 2 6 7
Potencial para expansão 1 7 4 5
Qual é o melhor
resultado?
Ou a diferença
não é
significativa?
MÉTODO DO CENTRO DE
GRAVIDADE
Método do Centro de gravidade
• Objetivo: determinar a localização que minimiza os custos de
transporte
– Corresponde ao centro de massa do sistema
• É calculado por:
• Onde:
– xi = a coordenada x da fonte ou destino i
– yi = a coordenada y da fonte ou destino i
– Vi = a quantidade a ser enviada de ou para a fonte ou destino
Exemplo – Método do
centro de gravidade
Determinar o centro de
gravidade para o problema
geográfico ao lado
Legenda:
(xi, yi) Coordenadas do
ponto i
Solução:
Ponto
Coordenadas Volume(Vi)
x y ton/mês
A 2,5 4,5 2
B 2,5 2,5 5
C 5,5 4,5 10
D 5 2 7
E 8 5 10
F 7 2 20
G 9 2,5 14
Σ Vi = 68
xg = 6,67
yg = 3,02
O que fazer?
MÉTODO DA ANÁLISE DE
CUSTOS
49
Fase 2 – Planejamento Estratégico da Unidade Fabril
2.1 Aperfeiçoar Informações
2.2 Aperfeiçoar Estratégia
2.3 Dimensionar Terreno
2.4 Planta do terreno
2.5 Layout com ocupação
do terreno
2.6 Layout dos locais
alternativos
2.7 Avaliar & Selecionar
Características
• Inclui o planejamento do número, tamanho e localização dos
prédios
– Os elementos fundamentais do planejamento do espaço (UPE,
espaço, afinidades e limitações) aplicam-se ao nível supra
– Contudo, as afinidades são mais simples e está incluído o uso do
espaço exterior
– O engenheiro de produção frequentemente posiciona os prédios no
terreno em conjunto com um arquiteto ou engenheiro civil
• Esta fase deve considerar expansões futuras
– Neste nível o planejamento ainda afeta o longo prazo
Fatores a serem considerados
• Plano diretor
– Irá descrever como serão feitas as futuras expansões
– Garante a flexibilidade necessária à fábrica
• Estilos de desenvolvimento do terreno
• Agrupamento das UPEs
Estilos de desenvolvimento do terreno
54
Estilos de desenvolvimento do terreno
55
Agrupamento das UPEs
OUTROS: Por Produto; Por Necessidades especiais.
Planejamento do Terreno: EXEMPLO
Resumo de UPEs
Planejamento do Terreno: EXEMPLO
58
Diagrama de
Afinidades
Planejamento do Terreno: EXEMPLO
59
Layout Primitivo
Com Expansão
Planejamento do Terreno: EXEMPLO
60
Layout Primitivo
Codificado
Visando Expansão
Planejamento do Terreno: EXEMPLO
61
Layout Primitivo
Codificado
Visando Construção
Planejamento do Terreno: EXEMPLO
Planejamento
De Espaço
(Construção)
FASE 1 FASE 2
Planejamento do Terreno: EXEMPLO
Planejamento
De Espaço
(Mobilidade)
FASE 1 FASE 2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Unidade 6 - Arranjo físico e fluxo
Unidade 6 -  Arranjo físico e fluxoUnidade 6 -  Arranjo físico e fluxo
Unidade 6 - Arranjo físico e fluxo
Daniel Moura
 
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Paulo Junior
 
Arranjo físico (layout)
Arranjo físico (layout)Arranjo físico (layout)
Arranjo físico (layout)
Maritta Barbosa
 
Arranjos Físico
 Arranjos Físico Arranjos Físico
Arranjos Físico
Mário Lucas
 
Técnicas Organizacionais
Técnicas OrganizacionaisTécnicas Organizacionais
Técnicas Organizacionais
Andrey Martins
 
Aula 1 curso segurança no trabalho
Aula 1   curso segurança no trabalhoAula 1   curso segurança no trabalho
Aula 1 curso segurança no trabalho
Nyara Marques
 
Administração da produção
Administração da produçãoAdministração da produção
Administração da produção
milton junior
 
Modelagem - Aula 1
Modelagem - Aula 1Modelagem - Aula 1
Modelagem - Aula 1
Joabe Amaral
 
Planejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoPlanejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produção
Luiza Mucida
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Engenharia De MéTodos Conceitos
Engenharia De MéTodos ConceitosEngenharia De MéTodos Conceitos
Engenharia De MéTodos Conceitos
Alexandre Bonifacio Silva
 
Aula 05 Planejamento e Controle de Obras
Aula 05 Planejamento e Controle de ObrasAula 05 Planejamento e Controle de Obras
Aula 05 Planejamento e Controle de Obras
Gabriel Do Nascimento Pereira
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
Ana Cristina D Assumpcão
 
Gerenciamento de obras (1)
Gerenciamento de obras (1)Gerenciamento de obras (1)
Gerenciamento de obras (1)
Thiago Ivo
 
Administração aplicada na Segurança do Trabalho
Administração aplicada na Segurança do TrabalhoAdministração aplicada na Segurança do Trabalho
Administração aplicada na Segurança do Trabalho
Jeane Santos
 
Gestão/Administração da produção.
Gestão/Administração da produção.Gestão/Administração da produção.
Gestão/Administração da produção.
Henrique Ferreira
 
Apostila gestão de projetos
Apostila   gestão de projetosApostila   gestão de projetos
Apostila gestão de projetos
Camila Oliveira
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
Mauro Enrique
 
Gerenciamento de tempo em projetos
Gerenciamento de tempo em projetosGerenciamento de tempo em projetos
Gerenciamento de tempo em projetos
Paulo Junior
 
Estrutura organizacional 2012_01
Estrutura organizacional 2012_01Estrutura organizacional 2012_01
Estrutura organizacional 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 

Mais procurados (20)

Unidade 6 - Arranjo físico e fluxo
Unidade 6 -  Arranjo físico e fluxoUnidade 6 -  Arranjo físico e fluxo
Unidade 6 - Arranjo físico e fluxo
 
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
 
Arranjo físico (layout)
Arranjo físico (layout)Arranjo físico (layout)
Arranjo físico (layout)
 
Arranjos Físico
 Arranjos Físico Arranjos Físico
Arranjos Físico
 
Técnicas Organizacionais
Técnicas OrganizacionaisTécnicas Organizacionais
Técnicas Organizacionais
 
Aula 1 curso segurança no trabalho
Aula 1   curso segurança no trabalhoAula 1   curso segurança no trabalho
Aula 1 curso segurança no trabalho
 
Administração da produção
Administração da produçãoAdministração da produção
Administração da produção
 
Modelagem - Aula 1
Modelagem - Aula 1Modelagem - Aula 1
Modelagem - Aula 1
 
Planejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoPlanejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produção
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Engenharia De MéTodos Conceitos
Engenharia De MéTodos ConceitosEngenharia De MéTodos Conceitos
Engenharia De MéTodos Conceitos
 
Aula 05 Planejamento e Controle de Obras
Aula 05 Planejamento e Controle de ObrasAula 05 Planejamento e Controle de Obras
Aula 05 Planejamento e Controle de Obras
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
 
Gerenciamento de obras (1)
Gerenciamento de obras (1)Gerenciamento de obras (1)
Gerenciamento de obras (1)
 
Administração aplicada na Segurança do Trabalho
Administração aplicada na Segurança do TrabalhoAdministração aplicada na Segurança do Trabalho
Administração aplicada na Segurança do Trabalho
 
Gestão/Administração da produção.
Gestão/Administração da produção.Gestão/Administração da produção.
Gestão/Administração da produção.
 
Apostila gestão de projetos
Apostila   gestão de projetosApostila   gestão de projetos
Apostila gestão de projetos
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
 
Gerenciamento de tempo em projetos
Gerenciamento de tempo em projetosGerenciamento de tempo em projetos
Gerenciamento de tempo em projetos
 
Estrutura organizacional 2012_01
Estrutura organizacional 2012_01Estrutura organizacional 2012_01
Estrutura organizacional 2012_01
 

Destaque

Unidade 5 - Gestão de Operações
Unidade 5 - Gestão de OperaçõesUnidade 5 - Gestão de Operações
Unidade 5 - Gestão de Operações
Daniel Moura
 
Edital nº 01 uaep cdsa
Edital nº 01   uaep cdsaEdital nº 01   uaep cdsa
Edital nº 01 uaep cdsa
Daniel Moura
 
Unidade 5 - Gestão de Operações
Unidade 5 -  Gestão de OperaçõesUnidade 5 -  Gestão de Operações
Unidade 5 - Gestão de Operações
Daniel Moura
 
Roteiro do projeto sistemas de produção
Roteiro do projeto   sistemas de produçãoRoteiro do projeto   sistemas de produção
Roteiro do projeto sistemas de produção
Daniel Moura
 
Melhoramento da produção [modo de compatibilidade]
Melhoramento da produção [modo de compatibilidade]Melhoramento da produção [modo de compatibilidade]
Melhoramento da produção [modo de compatibilidade]
Daniel Moura
 
Unidade 2 - Estratégia da produção
Unidade 2   - Estratégia da produçãoUnidade 2   - Estratégia da produção
Unidade 2 - Estratégia da produção
Daniel Moura
 
Unidade 1 conceito de sistemas e organização
Unidade 1   conceito de sistemas e organizaçãoUnidade 1   conceito de sistemas e organização
Unidade 1 conceito de sistemas e organização
Daniel Moura
 
Unidade 2 papel estratégico e objetivos da produção
Unidade 2   papel estratégico e objetivos da produçãoUnidade 2   papel estratégico e objetivos da produção
Unidade 2 papel estratégico e objetivos da produção
Daniel Moura
 
Classificação dos sistemas de produção
Classificação dos sistemas de produçãoClassificação dos sistemas de produção
Classificação dos sistemas de produção
Daniel Moura
 
Plano de aula hst 2013.2
Plano de aula   hst 2013.2Plano de aula   hst 2013.2
Plano de aula hst 2013.2
Daniel Moura
 
Objetivos de Desempenho - Parte 1
Objetivos de Desempenho - Parte 1Objetivos de Desempenho - Parte 1
Objetivos de Desempenho - Parte 1
Philippe Elias
 
Unidade ii.3 estratégia de distribuição
Unidade ii.3   estratégia de distribuiçãoUnidade ii.3   estratégia de distribuição
Unidade ii.3 estratégia de distribuição
Daniel Moura
 
Unidade 2 conceitos, funções e objetivos do sp
Unidade 2   conceitos, funções e objetivos do spUnidade 2   conceitos, funções e objetivos do sp
Unidade 2 conceitos, funções e objetivos do sp
Daniel Moura
 
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, PernambucoAPLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
Philippe Elias
 
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 111 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
Philippe Elias
 
Unidade 4 - Projeto em gestão da produção
Unidade 4 - Projeto em gestão da produçãoUnidade 4 - Projeto em gestão da produção
Unidade 4 - Projeto em gestão da produção
Daniel Moura
 

Destaque (16)

Unidade 5 - Gestão de Operações
Unidade 5 - Gestão de OperaçõesUnidade 5 - Gestão de Operações
Unidade 5 - Gestão de Operações
 
Edital nº 01 uaep cdsa
Edital nº 01   uaep cdsaEdital nº 01   uaep cdsa
Edital nº 01 uaep cdsa
 
Unidade 5 - Gestão de Operações
Unidade 5 -  Gestão de OperaçõesUnidade 5 -  Gestão de Operações
Unidade 5 - Gestão de Operações
 
Roteiro do projeto sistemas de produção
Roteiro do projeto   sistemas de produçãoRoteiro do projeto   sistemas de produção
Roteiro do projeto sistemas de produção
 
Melhoramento da produção [modo de compatibilidade]
Melhoramento da produção [modo de compatibilidade]Melhoramento da produção [modo de compatibilidade]
Melhoramento da produção [modo de compatibilidade]
 
Unidade 2 - Estratégia da produção
Unidade 2   - Estratégia da produçãoUnidade 2   - Estratégia da produção
Unidade 2 - Estratégia da produção
 
Unidade 1 conceito de sistemas e organização
Unidade 1   conceito de sistemas e organizaçãoUnidade 1   conceito de sistemas e organização
Unidade 1 conceito de sistemas e organização
 
Unidade 2 papel estratégico e objetivos da produção
Unidade 2   papel estratégico e objetivos da produçãoUnidade 2   papel estratégico e objetivos da produção
Unidade 2 papel estratégico e objetivos da produção
 
Classificação dos sistemas de produção
Classificação dos sistemas de produçãoClassificação dos sistemas de produção
Classificação dos sistemas de produção
 
Plano de aula hst 2013.2
Plano de aula   hst 2013.2Plano de aula   hst 2013.2
Plano de aula hst 2013.2
 
Objetivos de Desempenho - Parte 1
Objetivos de Desempenho - Parte 1Objetivos de Desempenho - Parte 1
Objetivos de Desempenho - Parte 1
 
Unidade ii.3 estratégia de distribuição
Unidade ii.3   estratégia de distribuiçãoUnidade ii.3   estratégia de distribuição
Unidade ii.3 estratégia de distribuição
 
Unidade 2 conceitos, funções e objetivos do sp
Unidade 2   conceitos, funções e objetivos do spUnidade 2   conceitos, funções e objetivos do sp
Unidade 2 conceitos, funções e objetivos do sp
 
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, PernambucoAPLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
 
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 111 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
 
Unidade 4 - Projeto em gestão da produção
Unidade 4 - Projeto em gestão da produçãoUnidade 4 - Projeto em gestão da produção
Unidade 4 - Projeto em gestão da produção
 

Semelhante a Unidade 2 planejamento estrat+®gico do layout

Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROOElaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Jeovan Figueiredo
 
Gerenciamento do escopo - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento do escopo - Ano 2013 - PMBOK 5 ediçãoGerenciamento do escopo - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento do escopo - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Rodrigo Lopes - Eng. - MBA - PMP - SCRUM - ITIL - COBIT
 
Aula 3 - Gestão de Processos, BPM e Desenvolvimento de Sistemas
Aula 3 - Gestão de Processos, BPM e Desenvolvimento de SistemasAula 3 - Gestão de Processos, BPM e Desenvolvimento de Sistemas
Aula 3 - Gestão de Processos, BPM e Desenvolvimento de Sistemas
Filipo Mór
 
Aulas - Gestão da Produção II_sala.pdf
Aulas - Gestão da Produção II_sala.pdfAulas - Gestão da Produção II_sala.pdf
Aulas - Gestão da Produção II_sala.pdf
Giancarlo Alves Simões
 
Elaboração de projetos inovadores - CGR
Elaboração de projetos inovadores - CGRElaboração de projetos inovadores - CGR
Elaboração de projetos inovadores - CGR
Jeovan Figueiredo
 
Gestão de Projetos de TI em Empresas
Gestão de Projetos de TI em EmpresasGestão de Projetos de TI em Empresas
Gestão de Projetos de TI em Empresas
Camilo Almendra
 
PDP FINAL.ppt
PDP  FINAL.pptPDP  FINAL.ppt
PDP FINAL.ppt
BrunoBoer3
 
Product Planning
Product Planning Product Planning
Product Planning
Lilian Schreiner
 
Gerenciamento De Projeto Para Slideshare
Gerenciamento De Projeto Para SlideshareGerenciamento De Projeto Para Slideshare
Gerenciamento De Projeto Para Slideshare
Leila Oliva
 
Atividade colaborativa planejamento e controle de produção
Atividade colaborativa   planejamento e controle de produçãoAtividade colaborativa   planejamento e controle de produção
Atividade colaborativa planejamento e controle de produção
Cisco Kunsagi
 
Apresentação no congresso Gestão por Processos
Apresentação no congresso Gestão por ProcessosApresentação no congresso Gestão por Processos
Apresentação no congresso Gestão por Processos
Leo Madeira
 
Apresentação do congresso Gestão por Processos IQPC
Apresentação do congresso Gestão por Processos IQPCApresentação do congresso Gestão por Processos IQPC
Apresentação do congresso Gestão por Processos IQPC
Leo Madeira
 
Apqp
ApqpApqp
Apqp
emc5714
 
Apqp
ApqpApqp
Apqp
emc5714
 
TDC2016SP - Trilha Arquitetura Empresarial
TDC2016SP - Trilha Arquitetura EmpresarialTDC2016SP - Trilha Arquitetura Empresarial
TDC2016SP - Trilha Arquitetura Empresarial
tdc-globalcode
 
Aula 7 - Técnicas de Planejamento
Aula 7 - Técnicas de PlanejamentoAula 7 - Técnicas de Planejamento
Aula 7 - Técnicas de Planejamento
Filipo Mór
 
Elaboração de Projetos Inovadores
Elaboração de Projetos InovadoresElaboração de Projetos Inovadores
Elaboração de Projetos Inovadores
Portal Inovação UFMS
 
TOGAF em Ação
TOGAF em AçãoTOGAF em Ação
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
Willian dos Santos Abreu
 
GP_04_Gerenciamento de Escopo (1).pdf
GP_04_Gerenciamento de Escopo (1).pdfGP_04_Gerenciamento de Escopo (1).pdf
GP_04_Gerenciamento de Escopo (1).pdf
Marciodias402888
 

Semelhante a Unidade 2 planejamento estrat+®gico do layout (20)

Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROOElaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
 
Gerenciamento do escopo - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento do escopo - Ano 2013 - PMBOK 5 ediçãoGerenciamento do escopo - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento do escopo - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
 
Aula 3 - Gestão de Processos, BPM e Desenvolvimento de Sistemas
Aula 3 - Gestão de Processos, BPM e Desenvolvimento de SistemasAula 3 - Gestão de Processos, BPM e Desenvolvimento de Sistemas
Aula 3 - Gestão de Processos, BPM e Desenvolvimento de Sistemas
 
Aulas - Gestão da Produção II_sala.pdf
Aulas - Gestão da Produção II_sala.pdfAulas - Gestão da Produção II_sala.pdf
Aulas - Gestão da Produção II_sala.pdf
 
Elaboração de projetos inovadores - CGR
Elaboração de projetos inovadores - CGRElaboração de projetos inovadores - CGR
Elaboração de projetos inovadores - CGR
 
Gestão de Projetos de TI em Empresas
Gestão de Projetos de TI em EmpresasGestão de Projetos de TI em Empresas
Gestão de Projetos de TI em Empresas
 
PDP FINAL.ppt
PDP  FINAL.pptPDP  FINAL.ppt
PDP FINAL.ppt
 
Product Planning
Product Planning Product Planning
Product Planning
 
Gerenciamento De Projeto Para Slideshare
Gerenciamento De Projeto Para SlideshareGerenciamento De Projeto Para Slideshare
Gerenciamento De Projeto Para Slideshare
 
Atividade colaborativa planejamento e controle de produção
Atividade colaborativa   planejamento e controle de produçãoAtividade colaborativa   planejamento e controle de produção
Atividade colaborativa planejamento e controle de produção
 
Apresentação no congresso Gestão por Processos
Apresentação no congresso Gestão por ProcessosApresentação no congresso Gestão por Processos
Apresentação no congresso Gestão por Processos
 
Apresentação do congresso Gestão por Processos IQPC
Apresentação do congresso Gestão por Processos IQPCApresentação do congresso Gestão por Processos IQPC
Apresentação do congresso Gestão por Processos IQPC
 
Apqp
ApqpApqp
Apqp
 
Apqp
ApqpApqp
Apqp
 
TDC2016SP - Trilha Arquitetura Empresarial
TDC2016SP - Trilha Arquitetura EmpresarialTDC2016SP - Trilha Arquitetura Empresarial
TDC2016SP - Trilha Arquitetura Empresarial
 
Aula 7 - Técnicas de Planejamento
Aula 7 - Técnicas de PlanejamentoAula 7 - Técnicas de Planejamento
Aula 7 - Técnicas de Planejamento
 
Elaboração de Projetos Inovadores
Elaboração de Projetos InovadoresElaboração de Projetos Inovadores
Elaboração de Projetos Inovadores
 
TOGAF em Ação
TOGAF em AçãoTOGAF em Ação
TOGAF em Ação
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
 
GP_04_Gerenciamento de Escopo (1).pdf
GP_04_Gerenciamento de Escopo (1).pdfGP_04_Gerenciamento de Escopo (1).pdf
GP_04_Gerenciamento de Escopo (1).pdf
 

Mais de Daniel Moura

Prancha modelo - apresentação SP
Prancha modelo - apresentação SPPrancha modelo - apresentação SP
Prancha modelo - apresentação SP
Daniel Moura
 
Taxa de frequencia (1)
Taxa de frequencia (1)Taxa de frequencia (1)
Taxa de frequencia (1)
Daniel Moura
 
Plano de aula projeto de fábrica
Plano de aula   projeto de fábricaPlano de aula   projeto de fábrica
Plano de aula projeto de fábrica
Daniel Moura
 
Plano de aula custos da produção
Plano de aula   custos da produçãoPlano de aula   custos da produção
Plano de aula custos da produção
Daniel Moura
 
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Capitulo 7   abc  custeio baseado em atividadesCapitulo 7   abc  custeio baseado em atividades
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Daniel Moura
 
Capitulo 6 metodo de centros de custos
Capitulo 6   metodo de centros de custosCapitulo 6   metodo de centros de custos
Capitulo 6 metodo de centros de custos
Daniel Moura
 
Capitulo 5 custo padrão
Capitulo 5   custo padrãoCapitulo 5   custo padrão
Capitulo 5 custo padrão
Daniel Moura
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Daniel Moura
 
Capitulo 3 sistemas de custos
Capitulo 3   sistemas de custosCapitulo 3   sistemas de custos
Capitulo 3 sistemas de custos
Daniel Moura
 
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
Capitulo 2   conceitos básicos de custosCapitulo 2   conceitos básicos de custos
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
Daniel Moura
 
Capitulo 1 a empresa moderna
Capitulo 1   a empresa modernaCapitulo 1   a empresa moderna
Capitulo 1 a empresa moderna
Daniel Moura
 
Capitulo 8 metodo da unidade de esforço de produção uep
Capitulo 8   metodo da unidade de esforço de produção   uepCapitulo 8   metodo da unidade de esforço de produção   uep
Capitulo 8 metodo da unidade de esforço de produção uep
Daniel Moura
 
Ergonomia do produto
Ergonomia do produtoErgonomia do produto
Ergonomia do produtoDaniel Moura
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
Daniel Moura
 
Energia eólica
Energia eólicaEnergia eólica
Energia eólica
Daniel Moura
 
O problema energético global
O problema energético globalO problema energético global
O problema energético global
Daniel Moura
 
Matriz energética brasileira
Matriz energética brasileiraMatriz energética brasileira
Matriz energética brasileira
Daniel Moura
 
Intro à er e aspectos sócio ambientais
Intro à er e aspectos sócio ambientaisIntro à er e aspectos sócio ambientais
Intro à er e aspectos sócio ambientais
Daniel Moura
 
Unidade iv fundamentos da-administracao_de_materiais
Unidade iv   fundamentos da-administracao_de_materiaisUnidade iv   fundamentos da-administracao_de_materiais
Unidade iv fundamentos da-administracao_de_materiais
Daniel Moura
 
Unidade iv.2 gestão de pedidos
Unidade iv.2   gestão de pedidosUnidade iv.2   gestão de pedidos
Unidade iv.2 gestão de pedidos
Daniel Moura
 

Mais de Daniel Moura (20)

Prancha modelo - apresentação SP
Prancha modelo - apresentação SPPrancha modelo - apresentação SP
Prancha modelo - apresentação SP
 
Taxa de frequencia (1)
Taxa de frequencia (1)Taxa de frequencia (1)
Taxa de frequencia (1)
 
Plano de aula projeto de fábrica
Plano de aula   projeto de fábricaPlano de aula   projeto de fábrica
Plano de aula projeto de fábrica
 
Plano de aula custos da produção
Plano de aula   custos da produçãoPlano de aula   custos da produção
Plano de aula custos da produção
 
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Capitulo 7   abc  custeio baseado em atividadesCapitulo 7   abc  custeio baseado em atividades
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
 
Capitulo 6 metodo de centros de custos
Capitulo 6   metodo de centros de custosCapitulo 6   metodo de centros de custos
Capitulo 6 metodo de centros de custos
 
Capitulo 5 custo padrão
Capitulo 5   custo padrãoCapitulo 5   custo padrão
Capitulo 5 custo padrão
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
 
Capitulo 3 sistemas de custos
Capitulo 3   sistemas de custosCapitulo 3   sistemas de custos
Capitulo 3 sistemas de custos
 
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
Capitulo 2   conceitos básicos de custosCapitulo 2   conceitos básicos de custos
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
 
Capitulo 1 a empresa moderna
Capitulo 1   a empresa modernaCapitulo 1   a empresa moderna
Capitulo 1 a empresa moderna
 
Capitulo 8 metodo da unidade de esforço de produção uep
Capitulo 8   metodo da unidade de esforço de produção   uepCapitulo 8   metodo da unidade de esforço de produção   uep
Capitulo 8 metodo da unidade de esforço de produção uep
 
Ergonomia do produto
Ergonomia do produtoErgonomia do produto
Ergonomia do produto
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia eólica
Energia eólicaEnergia eólica
Energia eólica
 
O problema energético global
O problema energético globalO problema energético global
O problema energético global
 
Matriz energética brasileira
Matriz energética brasileiraMatriz energética brasileira
Matriz energética brasileira
 
Intro à er e aspectos sócio ambientais
Intro à er e aspectos sócio ambientaisIntro à er e aspectos sócio ambientais
Intro à er e aspectos sócio ambientais
 
Unidade iv fundamentos da-administracao_de_materiais
Unidade iv   fundamentos da-administracao_de_materiaisUnidade iv   fundamentos da-administracao_de_materiais
Unidade iv fundamentos da-administracao_de_materiais
 
Unidade iv.2 gestão de pedidos
Unidade iv.2   gestão de pedidosUnidade iv.2   gestão de pedidos
Unidade iv.2 gestão de pedidos
 

Unidade 2 planejamento estrat+®gico do layout

  • 1. Projeto de Fábrica e Layout Conceitos gerais Professor: Daniel Moura Disciplina: Projeto de Fábrica e Layout Curso: Graduaç ão em Engenharia de Produç ão
  • 2. Tópicos • O processo de intervenção organizacional • Desenvolvimento integrado (produto e processo) – Projeto detalhado – Preparação da produção • Bases do planejamento de instalações
  • 3. Melhoria Organizacional Motivação Prover infra-estrutura Educar / Treinar Definir Ações Implantar Entender motivação Projetos de Transformação Analisar situação Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar Problemas Oportunidades
  • 4. Entender motivação das melhorias • Avaliar motivos para transformação: • últimos acontecimentos, • condições do ambiente, • exigências do mercado, • condicionantes de competição; • Benchmarking • Avaliar a estratégia da empresa • Definir estratégia de transformação
  • 5. Melhoria Organizacional Motivação Prover infra-estrutura Educar / Treinar Definir Ações Implantar Entender motivação Projetos de Transformação Analisar situação Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar Problemas Oportunidades
  • 6. Analisar a Situação Atual • Diagnóstico da maturidade atual; • Criar visão estratégica; • Definir política de transformação; • Definir estratégias e objetivos das transformações;
  • 7. Melhoria Organizacional Motivação Prover infra-estrutura Educar / Treinar Definir Ações Implantar Entender motivação Projetos de Transformação Analisar situação Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar Problemas Oportunidades
  • 8. Definir Ações • Definir projetos de transformação. – Exemplos: • Substituição de um equipamento • Ampliação de um galpão • Mudança de local da fábrica • Otimização de um posto de trabalho • Aplicação de técnicas de gestão visual • Racionalização do uso de espaço para estoque • Priorizar Projetos (“Gestão de Portfólio”)
  • 9. Melhoria Organizacional Motivação Prover infra-estrutura Educar / Treinar Definir Ações Implantar Entender motivação Projetos de Transformação Analisar situação Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar Problemas Oportunidades
  • 10. Implantar Implantar Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar Aplicação das técnicas de Gestão de Projetos
  • 11. Implantar Implantar Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar Aplicação das técnicas de Projeto de Layout Fabril
  • 12. Implantar Implantar Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar Exige planejamento adicional, pois envolverá outras áreas para a Preparação da Produção e Homologação do novo layout/processo
  • 13. Melhoria Organizacional Motivação Prover infra-estrutura Educar / Treinar Definir Ações Implantar Entender motivação Projetos de Transformação Analisar situação Planejar Requisitos Desenhar Executar Liberar Problemas Oportunidades
  • 14. Prover infra-estrutura, educar e treinar • Ocorre antes, durante e depois da transformação; • A cultura da empresa precisa ser apropriada; • A infra-estrutura necessária contempla a existência de um time (um comitê supra-departamental, por exemplo); • Infra-estrutura de informação adequada para apoiar este processo; • Educar e treinar as pessoas envolvidas neste processo é uma condição essencial para o sucesso.
  • 15. Tópicos • O processo de intervenção organizacional • Desenvolvimento integrado (produto e processo) – Projeto detalhado – Preparação da produção • Bases do planejamento de instalações 17
  • 16. Localização da fase de projeto detalhado 18 Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos Gerenciamento de mudanças de engenhariaProcessos de apoio Processos de apoio Desenvolvimento Projeto Detalhado Projeto Conceitual Projeto Informacional Lançamento do Produto Preparação Produção Planejamento Projeto PósPré Planej ament o Estraté gico dos Produt os Descont inuar Produto Acompanhar Produto/ Processo Gates >> Processo de Desenvolvimento de Produto
  • 17. Atividades da fase de Projeto Detalhado 19 Projeto Detalhado Especificações Preliminares Mockup (protótipo não funcional) Relatórios de testes Especificações Finais •Configuração final do produto •Desenhos finais com tolerâncias •Planos de Processo Fabricação / Montagem •Projeto de embalagem •Material de suporte do produto Protótipo funcional Projeto dos recursos Plano de fim de vida Avaliar SSCs, configuração e documentação do produto e processo Atualizar o Plano do Projeto Detalhado Criar material de suporte do produto Projetar embalagem Projetar recursos de fabricação Enviar documentação do produto a parceiros Documentar as decisões tomadas e registrar lições aprendidas Planejar fim de vida do produto Avaliar Fase Aprovar Fase Testar e Homologar produto Planejar processo de fabricação e montagemOtimizar produto e processo Decidir fazer ou comprar SSCs Desenvolver fornecedores Criar e detalhar SSCs, documentação e configuração Monitorar viabilidade econômica
  • 18. Tópicos • O processo de intervenção organizacional • Desenvolvimento integrado (produto e processo) • Bases do planejamento de instalações: – Níveis de planejamento – Planejamento Estratégico do Layout – Elementos do Planejamento Tático do Layout
  • 19. Enfoque territorial Decide a localização da nova planta e a estratégia de edificação Enfoque local Determina a distribuição de setores, máquinas e equipamentos, otimização dos postos de trabalho, etc. Enfoque no dia-a-dia da operação Atua no monitoramento e aperfeiçoamento dos postos de trabalho. Níveis de Planejamento
  • 20. Fases do projeto do espaço (ideal) Impacto Estratégic o TEMP O
  • 21. Visão geral da proposta Planejamto Estratégico Projeto dos Postos de trabalho Projeto das Instalações Fabris Projeto do Arranjo Físico Fabril Sistema de Produção (PCP & MAM) Engenharia de Manufatura Engenharia do Produto Projeto Estratégico Fabril Mercado
  • 22. Visão geral da proposta Planejamto Estratégico Projeto dos Postos de trabalho Projeto das Instalações Fabris Projeto do Arranjo Físico Fabril Sistema de Produção (PCP & MAM) Engenharia de Manufatura Engenharia do Produto Projeto Estratégico Fabril Mercado • Vislumbra novas oportunidades e mercados • Define prioridades • Base para decisões /aç ões da empresa
  • 23. Visão geral da proposta Planejamto Estratégico Projeto dos Postos de trabalho Projeto das Instalações Fabris Projeto do Arranjo Físico Fabril Sistema de Produção (PCP & MAM) Engenharia de Manufatura Engenharia do Produto Projeto Estratégico Fabril Mercado • Define novos produtos (pode levar a novos processos e a novas necessidades de espaço) • Novas necessidades de espaço podem levar a novas instalações) • Outras opções seriam: ampliação da atual ou alterações na atual
  • 24. Visão geral da proposta Planejamto Estratégico Projeto dos Postos de trabalho Projeto das Instalações Fabris Projeto do Arranjo Físico Fabril Sistema de Produção (PCP & MAM) Engenharia de Manufatura Engenharia do Produto Projeto Estratégico Fabril Mercado • O PEN (Planejamento Estratégico do negó cio) pode levar a decisão por uma nova instalaç ão • Uma nova instalaç ão necessitaráde uma nova engenharia (produtos e processos), além do novo arranjo- físico
  • 25. Sistema de Produção (PCP & MAM) Engenharia de Manufatura Engenharia do Produto • Define a forma, funç ões e componentes do produto final • Define quais os processos necessários para a transformaç ão da matéria- prima em produto final • Define qual a estratégia de produç ão a adotar: empurrada, puxada, para estoque, por pedido, por projeto, etc • Define os tipos de máquinas e equipamentos necessários • Define a quantidade • destas máquinas e equipamentos necessários para produzir as quantidades necessárias para • atender a demanda prevista • Define quando, quanto e em que ordem produzir para atender a demanda real • Em funç ão da estratégia, define-se o grau de automaç ão para produç ão e movimentaç ão de produtos a ser utilizada
  • 26. Visão geral da proposta Planejamto Estratégico Projeto dos Postos de trabalho Projeto das Instalações Fabris Projeto do Arranjo Físico Fabril Sistema de Produção (PCP & MAM) Engenharia de Manufatura Engenharia do Produto Projeto Estratégico Fabril Mercado • Definiç ão do Layout (detalhar/ criar modelo) • Ergonomia (listar apenas os aspectos gerais e inserir as tabelas de antropometria) • Projetos: civil, hidráulico, incêndio, elétrico, ... • Verificaç ão e atendimento de normas (listar algumas principais) • Define como dispor as máquinas, equipamentos, matérias-primas, estoque e pessoal de produç ão para atender a demanda prevista e a estratégia de produç ão.
  • 28. Características • É feito em duas fases: – Fase 1 – Análise preliminar (localização), com a avaliação de uma gama maior de possibilidades e seleção do local – Fase 2 – Planejamento Estratégico da Unidade Fabril • Resultados: – Fase 1 = relatório para alta gerência, que irá tomar a decisão do local – Fase 2 = proposta de layout do parque fabril, ou seja, a localização das edificações e de suas futuras ampliações • Custo: – baixo, pois envolve poucas pessoas (altos executivos e 1 ou 2 engenheiros de produção e consultores)
  • 29. Fase 1 – Análise preliminar (localização) Desenvolver Estratégia Avaliar candidatos Configurar rede de operações Dimensionar capacidade/terreno Identificar terrenos candidatos • Localização é: • A posição geográfica de uma operação relativamente aos recursos, a outras operações ou clientes com quais interage. • Níveis de localização: • Escolha da região/país • Escolha da área da região ou país • Escolha do local específico na área
  • 30. Discusão • Quais são as vantagens de se investir em uma nova planta nas seguintes áreas? LESTE DA ÁSIA NAFTA UNIÃO EUROPÉIA
  • 31. Exemplo Caso Whirlpool Centro Administrativo Reúne todas as atividades administrativas da Empresa. Jaboatão dos Guararapes Armazena produtos acabados, para agilizar o abastecimento dos mercados das regiões Norte e Nordeste. . Manaus Base de produç ão de microondas e condicionadores de ar. Possui posiç ão estratégica para exportaç ão. Rio Claro Produz lavadoras, lava-louç as, fogões 4 bocas e cooktops Tamboré Concentra todas as atividades de logística de armazenamento e controle de distribuiç ão de produtos acabados e peç as.. São Paulo Área de Atendimento ao Consumidor.Joinville Nesta planta são fabricadas refrigeradores, freezers e secadoras. Embraco Especializada em soluç ões para refrigeraç ão e líder mundial do mercado de compressores herméticos
  • 32. Fase 1 – Análise preliminar (localização) Desenvolver Estratégia Avaliar candidatos Configurar rede de operações Dimensionar capacidade/terreno Identificar terrenos candidatos • Envolve: • Determinação da missão: • Declaração concisa de produtos, processos e principais tarefas de produção da nova planta • Muito importante para o planejamento do arranjo físico pois dificilmente uma instalação conseguiria realizar bem mais de duas atividades.
  • 33. Fase 1 – Análise preliminar (localização) Desenvolver Estratégia Avaliar candidatos Configurar rede de operações Dimensionar capacidade/terreno Identificar terrenos candidatos • Todas operações fazem parte de uma rede maior de clientes e fornecedores. • Rede de suprimento total da operação = rede do lado do fornecimento + rede do lado da demanda • Conhecer a rede permite escolher a melhor localização em relação aos fornecedores e clientes da empresa • Avaliar possibilidade de Integração Vertical (atuar em outras partes da rede, como cliente ou fornecedor)
  • 34. Clientes de segunda camada Clientes de primeira camada Fornecedores de primeira camada Fornecedores de segunda camada Exemplo de estrutura básica de uma rede Agência de recrutamento Fornecedor de materiais de limpeza Fornecedor de equipamentos Serviços de segurança Serviços de limpeza Serviços de manutenção Supermercado Atacadista Varejistas Clientes dos varejistas
  • 35. Fase 1 – Análise preliminar (localização) Desenvolver Estratégia Avaliar candidatos Configurar rede de operações Dimensionar capacidade/terreno Identificar terrenos candidatos • Com base: • Nos dados presentes na missão da planta (produtos / processos) • Na visão de mercado da empresa (volume de produção / demanda) • Estima-se: 1.A capacidade produtiva necessária 2.Quantidade de espaço para: produção estoques, veículos, pessoas, etc. 3.Área mínima necessária para o terreno
  • 36. Fase 1 – Análise preliminar (localização) Desenvolver Estratégia Avaliar candidatos Configurar rede de operações Dimensionar capacidade/terreno Identificar terrenos candidatos • Fator determinante: Manufatura • Clima de trabalho favorável • Proximidade de mercados • Qualidade de vida • Proximidade de fornecedores • Proximidade com empresas colaboradoras/aparentadas • Utilidades, taxas (federais e estaduais) • Fator determinante: Serviços • Proximidade com consumidores • Custos de transporte e proximidade com mercados • Localização de concorrentes • Fatores específicos do local
  • 37. Dificuldades • Outras línguas • Diferentes normas e costumes • Leis e regulamentos não familiares • Gestão da força de trabalho (sindicatos, horários, etc.) • Custos não esperados Accompany Krajewski & Ritzman Operations Management: Strategy and Analysis, Sixth Edition © 2002 Prentice
  • 38. Fase 1 – Análise preliminar (localização) Desenvolver Estratégia Avaliar candidatos Configurar rede de operações Dimensionar capacidade/terreno Identificar terrenos candidatos • Métodos mais comuns: • Método da Pontuação Ponderada • Método do centro de gravidade • Análise de custos
  • 40. Método da pontuação ponderada 1. Identificar os critérios que podem ser usados par avaliar as diferentes organizações – Exemplos: proximidade de mercados; proximidade de fornecedores; localização de concorrentes; proximidade com consumidores, etc.; 1. Determinação do peso relativo de cada critério (1 = min.; 5 = max.) 2. Avaliar cada localização segundo cada critério – Pode-se utilizar qualquer escala (0 a 10; 0 a 100) 1. Realizar somatório. Ex.: Crité rios Pes o Local A Local B Local C Custos do local 4 8 6 6 Impostos Locais 2 2 5 8 Disponibilidade de mão-de- obra 1 8 6 4 Acesso à rodovias 1 5 6 4 Acesso à aeroporto 1 2 6 7 Potencial para expansão 1 7 4 5 Qual é o melhor resultado? Ou a diferença não é significativa?
  • 41. MÉTODO DO CENTRO DE GRAVIDADE
  • 42. Método do Centro de gravidade • Objetivo: determinar a localização que minimiza os custos de transporte – Corresponde ao centro de massa do sistema • É calculado por: • Onde: – xi = a coordenada x da fonte ou destino i – yi = a coordenada y da fonte ou destino i – Vi = a quantidade a ser enviada de ou para a fonte ou destino
  • 43. Exemplo – Método do centro de gravidade Determinar o centro de gravidade para o problema geográfico ao lado Legenda: (xi, yi) Coordenadas do ponto i
  • 44. Solução: Ponto Coordenadas Volume(Vi) x y ton/mês A 2,5 4,5 2 B 2,5 2,5 5 C 5,5 4,5 10 D 5 2 7 E 8 5 10 F 7 2 20 G 9 2,5 14 Σ Vi = 68 xg = 6,67 yg = 3,02 O que fazer?
  • 45. MÉTODO DA ANÁLISE DE CUSTOS
  • 46. 49
  • 47. Fase 2 – Planejamento Estratégico da Unidade Fabril 2.1 Aperfeiçoar Informações 2.2 Aperfeiçoar Estratégia 2.3 Dimensionar Terreno 2.4 Planta do terreno 2.5 Layout com ocupação do terreno 2.6 Layout dos locais alternativos 2.7 Avaliar & Selecionar
  • 48. Características • Inclui o planejamento do número, tamanho e localização dos prédios – Os elementos fundamentais do planejamento do espaço (UPE, espaço, afinidades e limitações) aplicam-se ao nível supra – Contudo, as afinidades são mais simples e está incluído o uso do espaço exterior – O engenheiro de produção frequentemente posiciona os prédios no terreno em conjunto com um arquiteto ou engenheiro civil • Esta fase deve considerar expansões futuras – Neste nível o planejamento ainda afeta o longo prazo
  • 49. Fatores a serem considerados • Plano diretor – Irá descrever como serão feitas as futuras expansões – Garante a flexibilidade necessária à fábrica • Estilos de desenvolvimento do terreno • Agrupamento das UPEs
  • 50. Estilos de desenvolvimento do terreno 54
  • 51. Estilos de desenvolvimento do terreno 55
  • 52. Agrupamento das UPEs OUTROS: Por Produto; Por Necessidades especiais.
  • 53. Planejamento do Terreno: EXEMPLO Resumo de UPEs
  • 54. Planejamento do Terreno: EXEMPLO 58 Diagrama de Afinidades
  • 55. Planejamento do Terreno: EXEMPLO 59 Layout Primitivo Com Expansão
  • 56. Planejamento do Terreno: EXEMPLO 60 Layout Primitivo Codificado Visando Expansão
  • 57. Planejamento do Terreno: EXEMPLO 61 Layout Primitivo Codificado Visando Construção
  • 58. Planejamento do Terreno: EXEMPLO Planejamento De Espaço (Construção) FASE 1 FASE 2
  • 59. Planejamento do Terreno: EXEMPLO Planejamento De Espaço (Mobilidade) FASE 1 FASE 2

Notas do Editor

  1. A entrada de um novo competidor exige que o portfólio de produtos e projetos de desenvolvimento sejam reavaliados, mas pode acontecer que o próprio PDP deva ser revisto e atualizado, caso este competidor esteja aplicando novas práticas de negócio que representem uma ameaça a empresa e uma vantagem competitiva para ele
  2. Processo de transformação é também conhecido como processo de gestão de mudanças (change management). Não confunda com o processo de apoio de gerenciamento das mudanças de engenharia apresentado no capítulo 14. Toda a empresa que praticar a gestão por processos deve aplicar uma sistemática de mudanças, ou seja o processo de transformação.
  3. Processo de transformação é também conhecido como processo de gestão de mudanças (change management). Não confunda com o processo de apoio de gerenciamento das mudanças de engenharia apresentado no capítulo 14. Toda a empresa que praticar a gestão por processos deve aplicar uma sistemática de mudanças, ou seja o processo de transformação.
  4. Processo de transformação é também conhecido como processo de gestão de mudanças (change management). Não confunda com o processo de apoio de gerenciamento das mudanças de engenharia apresentado no capítulo 14. Toda a empresa que praticar a gestão por processos deve aplicar uma sistemática de mudanças, ou seja o processo de transformação.
  5. Processo de transformação é também conhecido como processo de gestão de mudanças (change management). Não confunda com o processo de apoio de gerenciamento das mudanças de engenharia apresentado no capítulo 14. Toda a empresa que praticar a gestão por processos deve aplicar uma sistemática de mudanças, ou seja o processo de transformação.
  6. Processo de transformação é também conhecido como processo de gestão de mudanças (change management). Não confunda com o processo de apoio de gerenciamento das mudanças de engenharia apresentado no capítulo 14. Toda a empresa que praticar a gestão por processos deve aplicar uma sistemática de mudanças, ou seja o processo de transformação.
  7. Processo de transformação é também conhecido como processo de gestão de mudanças (change management). Não confunda com o processo de apoio de gerenciamento das mudanças de engenharia apresentado no capítulo 14. Toda a empresa que praticar a gestão por processos deve aplicar uma sistemática de mudanças, ou seja o processo de transformação.