SlideShare uma empresa Scribd logo
1
Método da Unidade de
Esforço de Produção
(UEP)
Professor: Daniel Moura
Disciplina: Custos da Produção
Curso: Graduação em Engenharia de Produção
Noções Iniciais
• Como exemplo, considere uma empresa que
fabrica apenas três produtos; P1, P2 e P3 e
que a produção dessa empresa, em unidades
fabricadas, nos meses de setembro, outubro e
novembro, seja:
2
Produto Setembro Outubro Novembro
P1 1.000 2.000 3.000
P2 2.000 1.500 1.000
P3 3.000 2.600 2.300
Total 6.000 6.100 6.300
Tabela 1 – Nº de produtos fabricados nos meses setembro, outubro e novembro pela empresa WEG
Noções Iniciais
• Se considerarmos, neste exemplo, a soma das
unidades produzidas, a conclusão é que o nível
de atividade estaria crescendo, porém para o
método UEP, não se pode proceder desta
maneira, mesmo se os produtos forem
parecidos (pertencerem a uma mesma família),
ou melhor, se P1, P2 e P3 fossem motores
elétricos semelhantes diferindo apenas em
tamanho (potência), mesmo assim, essa
operação estaria incorreta
3
Noções Iniciais
• Para comprovar a afirmação anterior, basta supor que
os custos totais de transformação, da empresa WEG
tenham sido $ 6.000.000,00 nos três períodos. O
calculo simplificado dos custos unitários com o total
da tabela 1, representando a produção, os resultados
seriam:
4
Custo de P1 = custo de P2 = custo de P3
= $ 6.000.000,00 / 6.000 = $ 1.000,001.000,00 (Set)
Custo de P1 = custo de P2 = custo de P3
= $ 6.000.000,00 / 6.100 = $ 983,61983,61 (Out)
Custo de P1 = custo de P2 = custo de P3
= $ 6.000.000,00 / 6.300 = $ 952,38952,38 (Nov)
Noções Iniciais
• Portanto, com esse procedimento, os custos de
transformação alocados aos três produtos, alem de
serem iguais, estariam decrescendo no tempo
• A falha foi considerar os produtos como iguais,
quando não o são.
• No exemplo da empresa WEG, os motores elétricos
não são iguais, pois P1 é um motor pequeno, P2 é
intermediário e P3 é grande.
• Desta maneira, é lógico supor que a fabricação de P3
demanda mais trabalho do que a produção de P2 e P1.
• Por isso, que a soma pura e simples das unidades
produzidas não funciona.
5
Noções Iniciais
• Para conseguir saber sobre as produções dos períodos
de maneira correta, é importante ter as informaçõesinformações
a respeito sobre os trabalhos necessáriostrabalhos necessários para
fabricar os três produtos.
• No método da unidade de esforço de produção, isto é
conseguido por uma unidade comum a todos osunidade comum a todos os
produtosprodutos da empresa – a UEPUEP
• Assim, se conseguir saber que o produto P1P1 equivale a
1 UEP1 UEP, o produto P2P2 a 1,1 UEPs1,1 UEPs e o P3P3 equivale a 1,31,3
UEPsUEPs, a produção pode ser calculado, portanto, em
unidades de esforço de produção – UEP.
6
Noções Iniciais
• Retomando nosso exemplo da empresa WEG, a
produção em termos de UEPs ficaria:
• Nesse caso, a produção é praticamente constante,
sendo o maior volume de produção em setembromaior volume de produção em setembro, com
7.100 UEPs7.100 UEPs equivalentes, ou seja, a produção
conseguida seria equivalente, em termos de trabalho,
7.100 UEPs
7
Produção P1 P2 P3 Total
Setembro 1 x 1.000 + 1,1 x 2.000 + 1,3 x 3.000 = 7.100 UEPs7.100 UEPs
Outubro 1 x 2.000 + 1,1 x 1.500 + 1,3 x 2.600 = 7.030 UEPs7.030 UEPs
Novembro 1 x 3.000 + 1,1 x 1.000 + 1,3 x 2.300 = 7.090 UEPs7.090 UEPs
Noções Iniciais
• Portanto, os custos de transformação unitários, em
setembrosetembro seriam:
8
Custo de P1 1 x custo da UEP = 1 x 845,07 = $ 845,07
Custo de P2 1 x custo da UEP = 1,1 x 845,07 = $ 929,58
Custo de P3 1 x custo da UEP = 1,3 x 845,07 = $ 1.098,59
6.000.000
Custo de 1UEPCusto de 1UEPSETSET = = $ 845,07
7.1007.100
Noções Iniciais
• Portanto, os custos de transformação unitários, em
outubrooutubro seriam:
9
Custo de P1 1 x custo da UEP = 1 x 853,49 = $ 853,49
Custo de P2 1 x custo da UEP = 1,1 x 853,49 = $ 938,84
Custo de P3 1 x custo da UEP = 1,3 x 853,49 = $ 1.109,53
6.000.000
Custo de 1UEPCusto de 1UEPOUTOUT = = $ 853,49
7.0307.030
Noções Iniciais
• Portanto, os custos de transformação unitários, em
novembronovembro seriam:
10
Custo de P1 1 x custo da UEP = 1 x 846,26 = $ 846,26
Custo de P2 1 x custo da UEP = 1,1 x 846,26 = $ 930,88
Custo de P3 1 x custo da UEP = 1,3 x 846,26 = $ 1.100,13
6.000.000
Custo de 1UEPCusto de 1UEPNOVNOV = = $ 846,26
7.0907.090
Noções Iniciais
• A tabela 2, abaixo apresenta os custos unitários dos
produtos (P1, P2 e P3) nos períodos considerados
• A UEP foi usada como a unidade de medida comum.
Assim, o calculo dos custos dos produtos foi
simplificado, evitando-se a complexidade dos sistemas
de alocação de custos normalmente empregados. 11
Produto Setembro Outubro Novembro
P1 845,07 853,49 846,26
P2 929,58 938,84 930,88
P3 1.098,59 1.109,53 1.100,13
Tabela 2 – Custos unitários dos produtos P1, P2 e P3
Principais Tópicos
12
Histórico
Noções Iniciais
Unificação da Produção pela UEPUnificação da Produção pela UEP
Determinação dos Esforços de Produção
Etapas para Implantação do Método da UEP
Operacionalização
Exemplo Ilustrativo
Método da UEP e as Necessidade da Empresa
Moderna
Unificação da produção pela
UEP
• A unificação da produção parte do
conceito teórico de esforço de
produção, sendo:
Trabalho de mão-de-obra (direta e
indireta),
Energia elétrica utilizada para mover as
maquinas e iluminar o ambiente,
13
Unificação da produção pela
UEP
Os materiais de consumo necessários para
por em funcionamento a fabrica,
A manutenção do equipamento,
O controle de qualidade,
Trabalho intelectual de planejamento da
produção
Enfim, tudo que se relaciona com a
produção, gera ESFORÇOS DE PRODUÇÃO
14
Unificação da produção pela
UEP
• Portanto, a medida para os
esforços de produção é a
unidade de esforço de
produção (UEP)
15
Unificação da produção pela
UEP
• Para o método da UEP:
Os focos concentradoresfocos concentradores dos esforços de
produção são as atividades produtivas
diretas da empresa, ou seja, todas as
atividades diretamente envolvidas na
fabricação dos produtos.
Os esforços das atividades auxiliares são
repassadas as produtivas, e daí, aos
produtos. 16
Unificação da produção pela UEP
• Para o método da UEP:
A fabrica é dividida em POSTOSPOSTOS
OPERATIVOSOPERATIVOS
O posto operativo é composto por
operações de transformações homogêneas,
ou seja, tomando como exemplo uma
operação de torneamento
O conjunto de atividades desenvolvidas por
um torno (desbaste, acabamento, rebaixo,
etc) poderia ser um posto operativo.
17
Unificação da produção pela
UEP
O pressuposto do método UEP é que
o conjunto de operações
elementares mantém-se
proporcionalmente o mesmo para
todos os produtos que passam pelo
torno.
18
Unificação da produção pela UEP
Assim, se um produto P1 sofre um minuto
de desbaste, depois 2 minutos de
acabamento e, finalmente, 0,5 minuto de
rebaixo, demorando ao todo 3,5 min.,
neste posto operativo, outro produto
(P2) que leva o dobro de tempo no torno
(7 min.) deve demorar 2 min., de
desbaste, 4 min., no acabamento e mais 1
min., no rebaixo.
19
Unificação da produção pela
UEP
A regra pratica da
homogeneidade é que as
diferenças não podem ser tão
relevantes, a ponto de influírem
significativamente no resultado.
20
Unificação da produção pela
UEP
Cada posto operativo possui
capacidade de gerar ou repassar
esforço de produção. EssaEssa
capacidadecapacidade é denominada de
POTENCIAL PRODUTIVOPOTENCIAL PRODUTIVO
21
Unificação da produção pela
UEP
O potencial produtivopotencial produtivo é a
quantidade de esforço de produção
gerada pelo posto operativo quando
em funcionamento por uma hora
No método, o potencial é medido emo potencial é medido em
UEP/hUEP/h
22
Principais Tópicos
23
Histórico
Noções Iniciais
Unificação da Produção pela UEP
Determinação dos Esforços de ProduçãoDeterminação dos Esforços de Produção
Etapas para Implantação do Método da UEP
Operacionalização
Exemplo Ilustrativo
Método da UEP e as Necessidade da Empresa
Moderna
Determinação dos Esforços de
Produção
• O método da UEP trabalha com as
relações entre os esforços de
produção
• Para a determinação dessas
relações, emprega informações de
custos.
24
Determinação dos Esforços de
Produção
• Em cada posto operativoposto operativo, são
separados ÍNDICES DE CUSTOSÍNDICES DE CUSTOS
(custos por hora) englobando
todos os itens relevantes,
obtendo-se um custo horário.
25
Determinação dos Esforços de
Produção
• Normalmente são utilizados os itens:
MODMOD
MOIMOI
DepreciaçãoDepreciação
ManutençãoManutenção
Materiais de consumoMateriais de consumo
Energia elétricaEnergia elétrica
Utilidades.Utilidades. 26
Determinação dos Esforços de
Produção
• Para cada posto operativo são
estimados, da maneira mais precisa
possível, os custos incorridos, de
baixo para cima, isto é,
determinado-se as quantidades de
cada insumo empregado.
27
Determinação dos Esforços de
Produção
• Assim, com esse procedimento,
tem-se um índice de custos paraíndice de custos para
cada posto operativocada posto operativo, o qual
representa os custos realmente
incorridos no funcionamento típico
do posto operativo, como se fosse
uma fotografia da estrutura dos
custos das operações produtivas. 28
Determinação dos Esforços de
Produção
• Com efeito, o termo utilizado para
referir-se a tais índices é
denominado de FOTO-ÍNDICESFOTO-ÍNDICES
do posto operativo
• As relações entre os índices são
usadas pelo método para estimar
as relações entre esforços de
produção 29
Determinação dos Esforços de
Produção
• Quando um produto passa por um
posto operativo, esse produto
absorve esforços de produção.
• Tomando os tempos de passagemtempos de passagem
dos produtos pelos postos
operativos, os esforços deos esforços de
produção (UEP) são alocados aosprodução (UEP) são alocados aos
produtos.produtos.
30
Determinação dos Esforços de
Produção
• Assim, a unidade de medida
comum a todos os produtos da
empresa é encontrada e o
processo de mensuração da
produção é simplificado.
31
Principais Tópicos
32
Histórico
Noções Iniciais
Unificação da Produção pela UEP
Determinação dos Esforços de Produção
Etapas para Implantação do Método da UEPEtapas para Implantação do Método da UEP
Operacionalização
Exemplo Ilustrativo
Método da UEP e as Necessidade da Empresa
Moderna
Etapas de Implantação da UEP
1)1) Divisão da fábrica em postos operativosDivisão da fábrica em postos operativos
2)2) Cálculo dos fotos-índicesCálculo dos fotos-índices
3)3) Escolha do produto baseEscolha do produto base
4)4) Cálculo dos potenciais produtivosCálculo dos potenciais produtivos
5)5) Determinação das equivalentes dosDeterminação das equivalentes dos
produtosprodutos
33
Etapas de Implantação da UEP
1)1) Divisão da fábrica em postos operativosDivisão da fábrica em postos operativos
 Posto operativo - conjunto de operações;
 Pode ser um posto de trabalho ou
máquina;
 Uma maquina pode comportar dois ou
mais postos operativos, ou inverso;
 Estrutura produtiva direta é
representada pelos postos operativos;
34
Etapas de Implantação da UEP
2)2) Cálculo dos fotos-índicesCálculo dos fotos-índices
 Determinar os custos horários ($/h) dos
postos operativos;
 Índices de custos são calculados através da
dispêndio de insumos dos postos operativos
(com exceção da MP e despesas de estrutura);
 A única função dos foto-índices é proporcionar
uma estimativa das relações entre os
potenciais produtivos
35
Etapas de Implantação da UEP
3)3) Escolha do produto baseEscolha do produto base
 Produto base representa os produtos da
empresa;
 Pode ser um produto ou uma combinação de
produtos representando a estrutura produtiva
da empresa;
 Deve-se empregar os tempos médios de
passagem dos produtos pelos postos
operativos;
 Calcula-se, então, o custo do produto base
denominado foto-custo base e medido em $foto-custo base e medido em $ 36
Etapas de Implantação da UEP
4)4) Cálculo dos potenciais produtivosCálculo dos potenciais produtivos
 Os potenciais produtivospotenciais produtivos são encontrados
dividindo-se os foto-índicesdividindo-se os foto-índices pelo foto-custofoto-custo
base.base.
 Por exemplo, se os índices de custos (foto-
índices) de dois postos operativos forem
20.000,00 $/h e 30.000,00 $/h e o foto-foto-
custo basecusto base for $ 1.000,00 os potenciaispotenciais
produtivosprodutivos serão respectivamente:
37
20 UEP/h e 30 UEP/h20 UEP/h e 30 UEP/h
Etapas de Implantação da UEP
5)5) Determinação das equivalentes dos produtosDeterminação das equivalentes dos produtos
 Os produtos, ao passarem pelos postos
operativos, absorvem os esforços de
produção, de acordo com os tempos de
passagem
 Assim, se um posto operativo possuiposto operativo possui
capacidade de 50 UEP/hcapacidade de 50 UEP/h e um dado produtoproduto
despende 0,1 h nesse postodespende 0,1 h nesse posto, ele absorve 5absorve 5
UEP na operação em questãoUEP na operação em questão..
38
Etapas de Implantação da UEP
5)5) Determinação das equivalentes dos produtosDeterminação das equivalentes dos produtos
 O somatório dos esforços absorvidos peloO somatório dos esforços absorvidos pelo
produto em todos os postos operativos é oproduto em todos os postos operativos é o
seu equivalente em UEPseu equivalente em UEP
 Esse procedimento aplicado a todos os
produtos da empresa, têm-se todas as
informações da etapa de implantação do
método UEP.
39
• Principais Conceitos da UEP
40
Conceito Descrição Resumida
Esforço de Produção Trabalho de transformação (UEP)
Posto Operativo Operações de transformação
Potencial Produtivo Capacidade de gerar esforço de produção (UEP/h)
Foto-Índice Custo de funcionamento do posto operativo, em ($/h)
Foto-Custo Custo do produto base (foto-índice dos postos operativos)
Equivalente do Produto Esforço, em UEP, para fabricar o produto
Tabela 3 - Principais conceitos do método da UEP
Etapas de Implantação da UEP
Principais Tópicos
41
Histórico
Noções Iniciais
Unificação da Produção pela UEP
Determinação dos Esforços de Produção
Etapas para Implantação do Método da UEP
OperacionalizaçãoOperacionalização
Exemplo Ilustrativo
Método da UEP e as Necessidade da Empresa
Moderna
Operacionalização
• As possíveis aplicações do método da UEP
destacam-se:
1)1) Mensuração da quantidade produzidaMensuração da quantidade produzida
2)2) Cálculo dos custos de transformaçãoCálculo dos custos de transformação
3)3) Medidas de desempenhoMedidas de desempenho
42
Operacionalização
1)1) Mensuração da quantidade produzidaMensuração da quantidade produzida
 A produção da empresa em UEP é
encontrada multiplicando-se as
quantidades produzidas de cada produto
pelos respectivos equivalentes (em UEP)
 Por exemplo:
43
Produto Custo de
Transformação
Equivalente Custo unitário
(UEP)
P1 20,00 1 UEP 20,00
P2 20,00 1,1 UEP 22,00
P3 20,00 1,3 UEP 26,00
Operacionalização
2)2) Cálculo dos custos de transformaçãoCálculo dos custos de transformação
 O cálculo dos custos de transformaçãocálculo dos custos de transformação
é encontrado dividindo-se os custos dedividindo-se os custos de
transformação do período pelatransformação do período pela
produçãoprodução, obtém-se o valor unitário da
UEP nesse período em $/UEP
 Assim, sendo produzidas 5.250 UEP num
período e os custos de transformação
remontando $ 105.000,00, por exemplo,
o custo unitário nesse período será decusto unitário nesse período será de
20,00 $/h (105.000/5.250)(105.000/5.250) 44
Operacionalização
3)3) Medidas de desempenhoMedidas de desempenho
• O método UEP utiliza três indicadores
de desempenho:
 Eficiência
 Eficácia
 Produtividade
45
Produção real
Eficiência =
Capacidade normal
Produção real
Eficácia =
Capacidade utilizada
Produção real
Produtividade =
Horas trabalhadas
Principais Tópicos
46
Histórico
Noções Iniciais
Unificação da Produção pela UEP
Determinação dos Esforços de Produção
Etapas para Implantação do Método da UEP
Operacionalização
Exemplo IlustrativoExemplo Ilustrativo
Método da UEP e as Necessidade da Empresa
Moderna
Exemplo Ilustrativo
1) IMPLANTAÇÃO
a)a) Divisão da empresa em postos operativosDivisão da empresa em postos operativos
• A empresa Uepa Ltda fabrica quatroquatro
produtosprodutos e está implantando o método da
UEP
• A fabrica está dividida em quatro postosquatro postos
operativosoperativos: PO1, PO2, PO3 e PO4
47
Exemplo Ilustrativo
1) IMPLANTAÇÃO
b)b) Cálculo dos índices de custos (foto-índices)Cálculo dos índices de custos (foto-índices)
• Itens de custos:
 MODMOD
 MOIMOI
 DepreciaçãoDepreciação
 ManutençãoManutenção
 Material de consumoMaterial de consumo
 Energia elétricaEnergia elétrica
 UtilidadesUtilidades 48
Exemplo Ilustrativo
1) IMPLANTAÇÃO
b)b) Cálculo dos foto-índicesCálculo dos foto-índices
49
Item de custo ÍNDICES DE CUSTO ($/H)
PO1 PO2 PO3
PO4
MOD 5,00 5,00 15,00 15,00
MOI 10,00 5,00 10,00 5,00
Depreciação 5,00 5,00 15,00 15,00
Manutenção 5,00 5,00 5,00 5,00
Mat. consumo 7,00 7,00 15,00 15,00
En. Elétrica 2,00 2,00 10,00 10,00
Utilidades 1,00 1,00 - -
TOTAL 35,00 30,00 70,00 65,00
Tabela 4 - Distribuição dos custos ($/h) aos postos operativos
Exemplo Ilustrativo
c)c) Determinação do foto-custo baseDeterminação do foto-custo base
• Os tempos despendidos nos postos pelos
quatros produtos são:
• Tomando-se o produto 4produto 4 como base, o
custo do produto base (foto-custo basefoto-custo base)
fica sendo $5,00$5,00 (0,01x35 + 0,11x30 +(0,01x35 + 0,11x30 +
0,01x70 + 0,01x65)0,01x70 + 0,01x65)
50
Produto PO1 PO2 PO3 PO4
P1 0,03 0,20 0,03 0,04
P2 0,03 0,04 0,03 0,20
P3 0,05 0,05 0,05 0,10
P4 0,01 0,11 0,01 0,01
Tabela 5 – Tempos de passagem dos produtos pelos postos operativos (h/un.)
Exemplo Ilustrativo
d)d) Cálculo dos potenciais produtivosCálculo dos potenciais produtivos
• Dividindo-se o foto-índices dos postos
operativos (tabela 5) pelo foto-custo
base ($5,00) obtém-se os potenciaisobtém-se os potenciais
produtivosprodutivos dos postos operativos 1 a 4,
conforme tabela 6, abaixo.
51
Tabela 6 – Potenciais produtivos dos postos operativos.)
Postos operativos PO1 PO2 PO3 PO4
Foto-índices ($/h) 35,00 30,00 70,00 65,00
Valor base da UEP($/UEP) 5 5 5 5
Potenciais produtivos (UEP/h)Potenciais produtivos (UEP/h) 77 66 1414 1313
Exemplo Ilustrativo
e)e) Determinação dos equivalentes dos produtosDeterminação dos equivalentes dos produtos
• Assim, o equivalente do produto éequivalente do produto é multiplicaçãomultiplicação
do tempo de passagem em cada posto operativodo tempo de passagem em cada posto operativo
pelo potencial produtivo do posto operativopelo potencial produtivo do posto operativo,
como exemplo, oo P1P1 é 2,35 UEP2,35 UEP (0,03x7 +
0,2x6 + 0,03x14 + 0,04x13). Este e demais
produtos estão resumidos na tabela 7, abaixo:
52
Tabela 7 – Equivalentes dos produtos (em UEP)
Produto PO1 PO2 PO3 PO4 TOTAL
0,210,21 1,201,20 0,420,42 0,520,52 2,352,35
P2 0,21 0,24 0,42 2,60 3,473,47
P3 0,35 0,30 0,70 1,30 2,652,65
P4 0,07 0,66 0,14 0,13 1,001,00
P1P1
Exemplo Ilustrativo
2)2) OPERACIONALIZAÇÃOOPERACIONALIZAÇÃO
• Vamos tomar os dados de dois meses:
novembro e dezembro de 1999. a produção
da empresa Uepa, em unidades fisicas e em
UEPs, está apresentado na tabela 8, abaixo.
53
Produção (nov) Produção (dez)
Produto Física (un.) UEP Física (un.) UEP
P1 400 940 800 1.880
P2 800 2.776 400 1.388
P3 400 1.060 800 2.120
P4 1.200 1.200 800 800
TOTAL - 5.976 - 6.188
Tabela 8 – Produção da empresa Uepa, em novembro e dezembro de 1999
Exemplo Ilustrativo
2)2) OPERACIONALIZAÇÃOOPERACIONALIZAÇÃO
• Os custos de transformaçãocustos de transformação nesses dois meses foram
$ 597.600 e $ 649.740, respectivamente. Portanto, o
custo da UEPcusto da UEP em novembro foi $ 100$ 100 (507.600/5.976)
e em dezembro foi $ 105$ 105 (649.740/6.188). Os
equivalentes em UEPequivalentes em UEP dos produtos estão na tabela 9,
abaixo
54
Tabela 9 – Custos unitarios de transformação dos produtos em novembro e dezembro
Produto UEP Custo (nov) Custo (dez)
P1 2,35 $ 235,00 $ 246,75
P2 3,47 $ 347,00 $ 364,35
P3 2,65 $ 265,00 $ 278,25
P4 1,00 $ 100,00 $ 105;00
Exemplo Ilustrativo
• A empresa realiza acompanhamento dos índices de
eficiência, eficácia e produtividade horária, em
novembro e dezembro, conforme tabela 10, abaixo
55Tabela 10 – Índices de eficiência, eficácia e produtividade horária
PO1
Nov/Dez
PO2
Nov/Dez
PO3
Nov/Dez
PO4
Nov/Dez
(1) Horas teóricas (h) 200 200 300 300 200 200 300 300
(2) Horas reais (h) 80 85 280 280 100 100 250 260
(3) Potenciais produtivos (UEP/h) 7 7 6 6 14 14 13 13
(4) Capacidade teórica(UEP) (1)x(3) 1400 1400 1800 1800 2800 2800 3900 3900
(5) Capacidade pratica(UEP) (2)x(3) 560 595 1680 1680 1400 1400 3250 3380
(6) Produção real (UEP)(*) 476 588 1584 1824 952 1176 2964 2600
(7) Eficiência (6)/(4) 0,34 0,42 0,88 1,01 0,34 0,42 0,76 0,67
(8) Eficácia (6)/(5) 0,85 0,99 0,94 1,09 0,68 0,84 0,91 0,77
(1) Produt. Horária (UEP/h) (6)/(2) 5,95 6,92 5,66 6,51 9,52 11,76 11,86 10,00

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Custeio baseado em atividades abc
Custeio baseado em atividades   abcCusteio baseado em atividades   abc
Custeio baseado em atividades abc
William Rodrigues
 
A Importância da Gestão Financeira nas Empresas
A Importância da Gestão Financeira nas EmpresasA Importância da Gestão Financeira nas Empresas
A Importância da Gestão Financeira nas Empresas
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
Mauro Enrique
 
Inventários
InventáriosInventários
Inventários
Jeverson Perin
 
Aula 1 e 2 OSM calculos produtividade, hora, jornada
Aula 1 e 2 OSM calculos produtividade, hora, jornadaAula 1 e 2 OSM calculos produtividade, hora, jornada
Aula 1 e 2 OSM calculos produtividade, hora, jornada
Renan Kaltenegger
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
Mauro Enrique
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
Raylson Rabelo
 
PPCP14 Cap06
PPCP14 Cap06PPCP14 Cap06
PPCP14 Cap06
Andre Jun
 
Bens e Serviços
Bens e ServiçosBens e Serviços
Bens e Serviços
isaacsales253
 
Administração de materiais
Administração de materiaisAdministração de materiais
Administração de materiais
Denis Carlos Sodré
 
Aula inicial economia
Aula inicial economiaAula inicial economia
Aula inicial economia
COTIDIANO CIVIL
 
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
Capitulo 2   conceitos básicos de custosCapitulo 2   conceitos básicos de custos
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
Daniel Moura
 
Fluxograma & Layout
Fluxograma & LayoutFluxograma & Layout
Fluxograma & Layout
Marden Rodrigues
 
Administração da producao
Administração da producaoAdministração da producao
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De InformaçãoLogística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
WeNova Consulting
 
Gabaritos exercicios aula_09
Gabaritos exercicios aula_09Gabaritos exercicios aula_09
Gabaritos exercicios aula_09
zeramento contabil
 
Capitulo 6 metodo de centros de custos
Capitulo 6   metodo de centros de custosCapitulo 6   metodo de centros de custos
Capitulo 6 metodo de centros de custos
Daniel Moura
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
douglas
 
Sisu-prouni-fies-2014
Sisu-prouni-fies-2014Sisu-prouni-fies-2014
Sisu-prouni-fies-2014
Renato Santos
 
Teoria da produção
Teoria da produçãoTeoria da produção
Teoria da produção
Cleber Renan
 

Mais procurados (20)

Custeio baseado em atividades abc
Custeio baseado em atividades   abcCusteio baseado em atividades   abc
Custeio baseado em atividades abc
 
A Importância da Gestão Financeira nas Empresas
A Importância da Gestão Financeira nas EmpresasA Importância da Gestão Financeira nas Empresas
A Importância da Gestão Financeira nas Empresas
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
 
Inventários
InventáriosInventários
Inventários
 
Aula 1 e 2 OSM calculos produtividade, hora, jornada
Aula 1 e 2 OSM calculos produtividade, hora, jornadaAula 1 e 2 OSM calculos produtividade, hora, jornada
Aula 1 e 2 OSM calculos produtividade, hora, jornada
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
 
PPCP14 Cap06
PPCP14 Cap06PPCP14 Cap06
PPCP14 Cap06
 
Bens e Serviços
Bens e ServiçosBens e Serviços
Bens e Serviços
 
Administração de materiais
Administração de materiaisAdministração de materiais
Administração de materiais
 
Aula inicial economia
Aula inicial economiaAula inicial economia
Aula inicial economia
 
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
Capitulo 2   conceitos básicos de custosCapitulo 2   conceitos básicos de custos
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
 
Fluxograma & Layout
Fluxograma & LayoutFluxograma & Layout
Fluxograma & Layout
 
Administração da producao
Administração da producaoAdministração da producao
Administração da producao
 
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De InformaçãoLogística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
 
Gabaritos exercicios aula_09
Gabaritos exercicios aula_09Gabaritos exercicios aula_09
Gabaritos exercicios aula_09
 
Capitulo 6 metodo de centros de custos
Capitulo 6   metodo de centros de custosCapitulo 6   metodo de centros de custos
Capitulo 6 metodo de centros de custos
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
 
Sisu-prouni-fies-2014
Sisu-prouni-fies-2014Sisu-prouni-fies-2014
Sisu-prouni-fies-2014
 
Teoria da produção
Teoria da produçãoTeoria da produção
Teoria da produção
 

Destaque

Capitulo 1 a empresa moderna
Capitulo 1   a empresa modernaCapitulo 1   a empresa moderna
Capitulo 1 a empresa moderna
Daniel Moura
 
UEP - Apresentação Introdutória
UEP - Apresentação IntrodutóriaUEP - Apresentação Introdutória
UEP - Apresentação Introdutória
Ronald Kamp
 
Capitulo 3 sistemas de custos
Capitulo 3   sistemas de custosCapitulo 3   sistemas de custos
Capitulo 3 sistemas de custos
Daniel Moura
 
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Capitulo 7   abc  custeio baseado em atividadesCapitulo 7   abc  custeio baseado em atividades
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Daniel Moura
 
Custos principais métodos de custeio
Custos principais métodos de custeioCustos principais métodos de custeio
Custos principais métodos de custeio
custos contabil
 
A postila contabilidade de custos
A postila contabilidade de custosA postila contabilidade de custos
A postila contabilidade de custos
simuladocontabil
 
Agc
AgcAgc
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
FCV - Faculdade Cidade Verde
 
Unidade 5 - Gestão de Operações
Unidade 5 -  Gestão de OperaçõesUnidade 5 -  Gestão de Operações
Unidade 5 - Gestão de Operações
Daniel Moura
 
Custos resolucao exercicios
Custos resolucao exerciciosCustos resolucao exercicios
Custos resolucao exercicios
custos contabil
 
2 aula produtividade
2 aula produtividade2 aula produtividade
2 aula produtividade
Angélica Batista
 
Administração da Empresa Moderna
Administração da Empresa ModernaAdministração da Empresa Moderna
Administração da Empresa Moderna
Denis Carlos Sodré
 
Aula Gestão da Produção e Logística 2014
Aula Gestão da Produção e Logística 2014Aula Gestão da Produção e Logística 2014
Aula Gestão da Produção e Logística 2014
Wilian Gatti Jr
 
Gestão da Produção e logística Projeto da Capacidade Produtiva
Gestão da Produção e logística   Projeto da Capacidade ProdutivaGestão da Produção e logística   Projeto da Capacidade Produtiva
Gestão da Produção e logística Projeto da Capacidade Produtiva
Wilian Gatti Jr
 
Custos metodos de custeio
Custos metodos de custeioCustos metodos de custeio
Custos metodos de custeio
custos contabil
 
Logística de produção
Logística de produçãoLogística de produção
Logística de produção
Sandro Souza
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 02
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 02Exercicios resolvidos contabilidade   aula 02
Exercicios resolvidos contabilidade aula 02
contacontabil
 
Contabilidade custos gasto, investimento, custo, despesa, perda, desembolso
Contabilidade custos gasto, investimento, custo, despesa, perda, desembolsoContabilidade custos gasto, investimento, custo, despesa, perda, desembolso
Contabilidade custos gasto, investimento, custo, despesa, perda, desembolso
custos contabil
 

Destaque (18)

Capitulo 1 a empresa moderna
Capitulo 1   a empresa modernaCapitulo 1   a empresa moderna
Capitulo 1 a empresa moderna
 
UEP - Apresentação Introdutória
UEP - Apresentação IntrodutóriaUEP - Apresentação Introdutória
UEP - Apresentação Introdutória
 
Capitulo 3 sistemas de custos
Capitulo 3   sistemas de custosCapitulo 3   sistemas de custos
Capitulo 3 sistemas de custos
 
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Capitulo 7   abc  custeio baseado em atividadesCapitulo 7   abc  custeio baseado em atividades
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
 
Custos principais métodos de custeio
Custos principais métodos de custeioCustos principais métodos de custeio
Custos principais métodos de custeio
 
A postila contabilidade de custos
A postila contabilidade de custosA postila contabilidade de custos
A postila contabilidade de custos
 
Agc
AgcAgc
Agc
 
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
 
Unidade 5 - Gestão de Operações
Unidade 5 -  Gestão de OperaçõesUnidade 5 -  Gestão de Operações
Unidade 5 - Gestão de Operações
 
Custos resolucao exercicios
Custos resolucao exerciciosCustos resolucao exercicios
Custos resolucao exercicios
 
2 aula produtividade
2 aula produtividade2 aula produtividade
2 aula produtividade
 
Administração da Empresa Moderna
Administração da Empresa ModernaAdministração da Empresa Moderna
Administração da Empresa Moderna
 
Aula Gestão da Produção e Logística 2014
Aula Gestão da Produção e Logística 2014Aula Gestão da Produção e Logística 2014
Aula Gestão da Produção e Logística 2014
 
Gestão da Produção e logística Projeto da Capacidade Produtiva
Gestão da Produção e logística   Projeto da Capacidade ProdutivaGestão da Produção e logística   Projeto da Capacidade Produtiva
Gestão da Produção e logística Projeto da Capacidade Produtiva
 
Custos metodos de custeio
Custos metodos de custeioCustos metodos de custeio
Custos metodos de custeio
 
Logística de produção
Logística de produçãoLogística de produção
Logística de produção
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 02
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 02Exercicios resolvidos contabilidade   aula 02
Exercicios resolvidos contabilidade aula 02
 
Contabilidade custos gasto, investimento, custo, despesa, perda, desembolso
Contabilidade custos gasto, investimento, custo, despesa, perda, desembolsoContabilidade custos gasto, investimento, custo, despesa, perda, desembolso
Contabilidade custos gasto, investimento, custo, despesa, perda, desembolso
 

Semelhante a Capitulo 8 metodo da unidade de esforço de produção uep

Balanceamento de linhas
Balanceamento de linhasBalanceamento de linhas
Balanceamento de linhas
marcioemorais
 
Caso de Estudo - Poupança Energia Edificio Escritorios
Caso de Estudo - Poupança Energia Edificio EscritoriosCaso de Estudo - Poupança Energia Edificio Escritorios
Caso de Estudo - Poupança Energia Edificio Escritorios
Rui Loureiro
 
Dinamica prod
Dinamica prodDinamica prod
Dinamica prod
João Ricardo
 
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logisticoEcr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Giovanni Materzanini
 
Balanceamento read3
Balanceamento   read3Balanceamento   read3
Balanceamento read3
Anderson Blati
 
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustradoGuia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Sidonio Guerreiro
 
Caso Estudo - O Consumo de Energia na Restauração
Caso Estudo - O Consumo de Energia na RestauraçãoCaso Estudo - O Consumo de Energia na Restauração
Caso Estudo - O Consumo de Energia na Restauração
Rui Loureiro
 
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptx
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptxCap 4- Teoria da Firma AA.pptx
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptx
ManuelSitoe
 
Economia - Aulas 10 e 11 - Custos de Produção - 2018 - Alunos.pdf
Economia - Aulas 10 e 11 - Custos de Produção - 2018 - Alunos.pdfEconomia - Aulas 10 e 11 - Custos de Produção - 2018 - Alunos.pdf
Economia - Aulas 10 e 11 - Custos de Produção - 2018 - Alunos.pdf
ssusere9e7d1
 
oee – overall equipment effectiveness.pptx
oee – overall equipment effectiveness.pptxoee – overall equipment effectiveness.pptx
oee – overall equipment effectiveness.pptx
DIGIPRESTSERVICE
 
Indicador OEE
Indicador OEEIndicador OEE
Indicador OEE
Shark Engenharia
 
m2cE apresentação 12março2014
m2cE apresentação 12março2014m2cE apresentação 12março2014
m2cE apresentação 12março2014
claudiaasousa
 
5 lista atividades - equipamentos e mão de obra
5   lista atividades - equipamentos e mão de obra5   lista atividades - equipamentos e mão de obra
5 lista atividades - equipamentos e mão de obra
Wander Santos
 
Metodologia de Analise Energetica_Trane Brasil
Metodologia de Analise Energetica_Trane BrasilMetodologia de Analise Energetica_Trane Brasil
Metodologia de Analise Energetica_Trane Brasil
Matt Chmielewski
 
Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção
Geovana Pires Lima
 
aula 8 - análise micro Teoria da Firma Ib_2690e257bee84fa9938ee0ad5a345b90.pptx
aula 8 - análise micro Teoria da Firma Ib_2690e257bee84fa9938ee0ad5a345b90.pptxaula 8 - análise micro Teoria da Firma Ib_2690e257bee84fa9938ee0ad5a345b90.pptx
aula 8 - análise micro Teoria da Firma Ib_2690e257bee84fa9938ee0ad5a345b90.pptx
GiovannaLucchin1
 
EMBT (Versão Portuguesa)
EMBT (Versão Portuguesa)EMBT (Versão Portuguesa)
EMBT (Versão Portuguesa)
CITEVE
 
EDST (Versão Portuguesa)
EDST (Versão Portuguesa)EDST (Versão Portuguesa)
EDST (Versão Portuguesa)
CITEVE
 

Semelhante a Capitulo 8 metodo da unidade de esforço de produção uep (18)

Balanceamento de linhas
Balanceamento de linhasBalanceamento de linhas
Balanceamento de linhas
 
Caso de Estudo - Poupança Energia Edificio Escritorios
Caso de Estudo - Poupança Energia Edificio EscritoriosCaso de Estudo - Poupança Energia Edificio Escritorios
Caso de Estudo - Poupança Energia Edificio Escritorios
 
Dinamica prod
Dinamica prodDinamica prod
Dinamica prod
 
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logisticoEcr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logistico
 
Balanceamento read3
Balanceamento   read3Balanceamento   read3
Balanceamento read3
 
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustradoGuia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
 
Caso Estudo - O Consumo de Energia na Restauração
Caso Estudo - O Consumo de Energia na RestauraçãoCaso Estudo - O Consumo de Energia na Restauração
Caso Estudo - O Consumo de Energia na Restauração
 
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptx
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptxCap 4- Teoria da Firma AA.pptx
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptx
 
Economia - Aulas 10 e 11 - Custos de Produção - 2018 - Alunos.pdf
Economia - Aulas 10 e 11 - Custos de Produção - 2018 - Alunos.pdfEconomia - Aulas 10 e 11 - Custos de Produção - 2018 - Alunos.pdf
Economia - Aulas 10 e 11 - Custos de Produção - 2018 - Alunos.pdf
 
oee – overall equipment effectiveness.pptx
oee – overall equipment effectiveness.pptxoee – overall equipment effectiveness.pptx
oee – overall equipment effectiveness.pptx
 
Indicador OEE
Indicador OEEIndicador OEE
Indicador OEE
 
m2cE apresentação 12março2014
m2cE apresentação 12março2014m2cE apresentação 12março2014
m2cE apresentação 12março2014
 
5 lista atividades - equipamentos e mão de obra
5   lista atividades - equipamentos e mão de obra5   lista atividades - equipamentos e mão de obra
5 lista atividades - equipamentos e mão de obra
 
Metodologia de Analise Energetica_Trane Brasil
Metodologia de Analise Energetica_Trane BrasilMetodologia de Analise Energetica_Trane Brasil
Metodologia de Analise Energetica_Trane Brasil
 
Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção
 
aula 8 - análise micro Teoria da Firma Ib_2690e257bee84fa9938ee0ad5a345b90.pptx
aula 8 - análise micro Teoria da Firma Ib_2690e257bee84fa9938ee0ad5a345b90.pptxaula 8 - análise micro Teoria da Firma Ib_2690e257bee84fa9938ee0ad5a345b90.pptx
aula 8 - análise micro Teoria da Firma Ib_2690e257bee84fa9938ee0ad5a345b90.pptx
 
EMBT (Versão Portuguesa)
EMBT (Versão Portuguesa)EMBT (Versão Portuguesa)
EMBT (Versão Portuguesa)
 
EDST (Versão Portuguesa)
EDST (Versão Portuguesa)EDST (Versão Portuguesa)
EDST (Versão Portuguesa)
 

Mais de Daniel Moura

Edital nº 01 uaep cdsa
Edital nº 01   uaep cdsaEdital nº 01   uaep cdsa
Edital nº 01 uaep cdsa
Daniel Moura
 
Prancha modelo - apresentação SP
Prancha modelo - apresentação SPPrancha modelo - apresentação SP
Prancha modelo - apresentação SP
Daniel Moura
 
Taxa de frequencia (1)
Taxa de frequencia (1)Taxa de frequencia (1)
Taxa de frequencia (1)
Daniel Moura
 
Unidade 3 planejamento de espaços
Unidade 3   planejamento de espaçosUnidade 3   planejamento de espaços
Unidade 3 planejamento de espaços
Daniel Moura
 
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1   planejamento t+ítico do layoutUnidade 2.1   planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
Daniel Moura
 
Unidade 1 níveis de instalações
Unidade 1   níveis de instalaçõesUnidade 1   níveis de instalações
Unidade 1 níveis de instalações
Daniel Moura
 
Unidade 2 planejamento estrat+®gico do layout
Unidade 2   planejamento estrat+®gico do layoutUnidade 2   planejamento estrat+®gico do layout
Unidade 2 planejamento estrat+®gico do layout
Daniel Moura
 
Plano de aula projeto de fábrica
Plano de aula   projeto de fábricaPlano de aula   projeto de fábrica
Plano de aula projeto de fábrica
Daniel Moura
 
Unidade 4 planejamento de depósitos e armazéns
Unidade 4   planejamento de depósitos e armazénsUnidade 4   planejamento de depósitos e armazéns
Unidade 4 planejamento de depósitos e armazéns
Daniel Moura
 
Plano de aula custos da produção
Plano de aula   custos da produçãoPlano de aula   custos da produção
Plano de aula custos da produção
Daniel Moura
 
Capitulo 5 custo padrão
Capitulo 5   custo padrãoCapitulo 5   custo padrão
Capitulo 5 custo padrão
Daniel Moura
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Daniel Moura
 
Plano de aula hst 2013.2
Plano de aula   hst 2013.2Plano de aula   hst 2013.2
Plano de aula hst 2013.2
Daniel Moura
 
Ergonomia do produto
Ergonomia do produtoErgonomia do produto
Ergonomia do produto
Daniel Moura
 
Unidade ii.3 estratégia de distribuição
Unidade ii.3   estratégia de distribuiçãoUnidade ii.3   estratégia de distribuição
Unidade ii.3 estratégia de distribuição
Daniel Moura
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
Daniel Moura
 
Energia eólica
Energia eólicaEnergia eólica
Energia eólica
Daniel Moura
 
O problema energético global
O problema energético globalO problema energético global
O problema energético global
Daniel Moura
 
Matriz energética brasileira
Matriz energética brasileiraMatriz energética brasileira
Matriz energética brasileira
Daniel Moura
 
Intro à er e aspectos sócio ambientais
Intro à er e aspectos sócio ambientaisIntro à er e aspectos sócio ambientais
Intro à er e aspectos sócio ambientais
Daniel Moura
 

Mais de Daniel Moura (20)

Edital nº 01 uaep cdsa
Edital nº 01   uaep cdsaEdital nº 01   uaep cdsa
Edital nº 01 uaep cdsa
 
Prancha modelo - apresentação SP
Prancha modelo - apresentação SPPrancha modelo - apresentação SP
Prancha modelo - apresentação SP
 
Taxa de frequencia (1)
Taxa de frequencia (1)Taxa de frequencia (1)
Taxa de frequencia (1)
 
Unidade 3 planejamento de espaços
Unidade 3   planejamento de espaçosUnidade 3   planejamento de espaços
Unidade 3 planejamento de espaços
 
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1   planejamento t+ítico do layoutUnidade 2.1   planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
 
Unidade 1 níveis de instalações
Unidade 1   níveis de instalaçõesUnidade 1   níveis de instalações
Unidade 1 níveis de instalações
 
Unidade 2 planejamento estrat+®gico do layout
Unidade 2   planejamento estrat+®gico do layoutUnidade 2   planejamento estrat+®gico do layout
Unidade 2 planejamento estrat+®gico do layout
 
Plano de aula projeto de fábrica
Plano de aula   projeto de fábricaPlano de aula   projeto de fábrica
Plano de aula projeto de fábrica
 
Unidade 4 planejamento de depósitos e armazéns
Unidade 4   planejamento de depósitos e armazénsUnidade 4   planejamento de depósitos e armazéns
Unidade 4 planejamento de depósitos e armazéns
 
Plano de aula custos da produção
Plano de aula   custos da produçãoPlano de aula   custos da produção
Plano de aula custos da produção
 
Capitulo 5 custo padrão
Capitulo 5   custo padrãoCapitulo 5   custo padrão
Capitulo 5 custo padrão
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
 
Plano de aula hst 2013.2
Plano de aula   hst 2013.2Plano de aula   hst 2013.2
Plano de aula hst 2013.2
 
Ergonomia do produto
Ergonomia do produtoErgonomia do produto
Ergonomia do produto
 
Unidade ii.3 estratégia de distribuição
Unidade ii.3   estratégia de distribuiçãoUnidade ii.3   estratégia de distribuição
Unidade ii.3 estratégia de distribuição
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia eólica
Energia eólicaEnergia eólica
Energia eólica
 
O problema energético global
O problema energético globalO problema energético global
O problema energético global
 
Matriz energética brasileira
Matriz energética brasileiraMatriz energética brasileira
Matriz energética brasileira
 
Intro à er e aspectos sócio ambientais
Intro à er e aspectos sócio ambientaisIntro à er e aspectos sócio ambientais
Intro à er e aspectos sócio ambientais
 

Capitulo 8 metodo da unidade de esforço de produção uep

  • 1. 1 Método da Unidade de Esforço de Produção (UEP) Professor: Daniel Moura Disciplina: Custos da Produção Curso: Graduação em Engenharia de Produção
  • 2. Noções Iniciais • Como exemplo, considere uma empresa que fabrica apenas três produtos; P1, P2 e P3 e que a produção dessa empresa, em unidades fabricadas, nos meses de setembro, outubro e novembro, seja: 2 Produto Setembro Outubro Novembro P1 1.000 2.000 3.000 P2 2.000 1.500 1.000 P3 3.000 2.600 2.300 Total 6.000 6.100 6.300 Tabela 1 – Nº de produtos fabricados nos meses setembro, outubro e novembro pela empresa WEG
  • 3. Noções Iniciais • Se considerarmos, neste exemplo, a soma das unidades produzidas, a conclusão é que o nível de atividade estaria crescendo, porém para o método UEP, não se pode proceder desta maneira, mesmo se os produtos forem parecidos (pertencerem a uma mesma família), ou melhor, se P1, P2 e P3 fossem motores elétricos semelhantes diferindo apenas em tamanho (potência), mesmo assim, essa operação estaria incorreta 3
  • 4. Noções Iniciais • Para comprovar a afirmação anterior, basta supor que os custos totais de transformação, da empresa WEG tenham sido $ 6.000.000,00 nos três períodos. O calculo simplificado dos custos unitários com o total da tabela 1, representando a produção, os resultados seriam: 4 Custo de P1 = custo de P2 = custo de P3 = $ 6.000.000,00 / 6.000 = $ 1.000,001.000,00 (Set) Custo de P1 = custo de P2 = custo de P3 = $ 6.000.000,00 / 6.100 = $ 983,61983,61 (Out) Custo de P1 = custo de P2 = custo de P3 = $ 6.000.000,00 / 6.300 = $ 952,38952,38 (Nov)
  • 5. Noções Iniciais • Portanto, com esse procedimento, os custos de transformação alocados aos três produtos, alem de serem iguais, estariam decrescendo no tempo • A falha foi considerar os produtos como iguais, quando não o são. • No exemplo da empresa WEG, os motores elétricos não são iguais, pois P1 é um motor pequeno, P2 é intermediário e P3 é grande. • Desta maneira, é lógico supor que a fabricação de P3 demanda mais trabalho do que a produção de P2 e P1. • Por isso, que a soma pura e simples das unidades produzidas não funciona. 5
  • 6. Noções Iniciais • Para conseguir saber sobre as produções dos períodos de maneira correta, é importante ter as informaçõesinformações a respeito sobre os trabalhos necessáriostrabalhos necessários para fabricar os três produtos. • No método da unidade de esforço de produção, isto é conseguido por uma unidade comum a todos osunidade comum a todos os produtosprodutos da empresa – a UEPUEP • Assim, se conseguir saber que o produto P1P1 equivale a 1 UEP1 UEP, o produto P2P2 a 1,1 UEPs1,1 UEPs e o P3P3 equivale a 1,31,3 UEPsUEPs, a produção pode ser calculado, portanto, em unidades de esforço de produção – UEP. 6
  • 7. Noções Iniciais • Retomando nosso exemplo da empresa WEG, a produção em termos de UEPs ficaria: • Nesse caso, a produção é praticamente constante, sendo o maior volume de produção em setembromaior volume de produção em setembro, com 7.100 UEPs7.100 UEPs equivalentes, ou seja, a produção conseguida seria equivalente, em termos de trabalho, 7.100 UEPs 7 Produção P1 P2 P3 Total Setembro 1 x 1.000 + 1,1 x 2.000 + 1,3 x 3.000 = 7.100 UEPs7.100 UEPs Outubro 1 x 2.000 + 1,1 x 1.500 + 1,3 x 2.600 = 7.030 UEPs7.030 UEPs Novembro 1 x 3.000 + 1,1 x 1.000 + 1,3 x 2.300 = 7.090 UEPs7.090 UEPs
  • 8. Noções Iniciais • Portanto, os custos de transformação unitários, em setembrosetembro seriam: 8 Custo de P1 1 x custo da UEP = 1 x 845,07 = $ 845,07 Custo de P2 1 x custo da UEP = 1,1 x 845,07 = $ 929,58 Custo de P3 1 x custo da UEP = 1,3 x 845,07 = $ 1.098,59 6.000.000 Custo de 1UEPCusto de 1UEPSETSET = = $ 845,07 7.1007.100
  • 9. Noções Iniciais • Portanto, os custos de transformação unitários, em outubrooutubro seriam: 9 Custo de P1 1 x custo da UEP = 1 x 853,49 = $ 853,49 Custo de P2 1 x custo da UEP = 1,1 x 853,49 = $ 938,84 Custo de P3 1 x custo da UEP = 1,3 x 853,49 = $ 1.109,53 6.000.000 Custo de 1UEPCusto de 1UEPOUTOUT = = $ 853,49 7.0307.030
  • 10. Noções Iniciais • Portanto, os custos de transformação unitários, em novembronovembro seriam: 10 Custo de P1 1 x custo da UEP = 1 x 846,26 = $ 846,26 Custo de P2 1 x custo da UEP = 1,1 x 846,26 = $ 930,88 Custo de P3 1 x custo da UEP = 1,3 x 846,26 = $ 1.100,13 6.000.000 Custo de 1UEPCusto de 1UEPNOVNOV = = $ 846,26 7.0907.090
  • 11. Noções Iniciais • A tabela 2, abaixo apresenta os custos unitários dos produtos (P1, P2 e P3) nos períodos considerados • A UEP foi usada como a unidade de medida comum. Assim, o calculo dos custos dos produtos foi simplificado, evitando-se a complexidade dos sistemas de alocação de custos normalmente empregados. 11 Produto Setembro Outubro Novembro P1 845,07 853,49 846,26 P2 929,58 938,84 930,88 P3 1.098,59 1.109,53 1.100,13 Tabela 2 – Custos unitários dos produtos P1, P2 e P3
  • 12. Principais Tópicos 12 Histórico Noções Iniciais Unificação da Produção pela UEPUnificação da Produção pela UEP Determinação dos Esforços de Produção Etapas para Implantação do Método da UEP Operacionalização Exemplo Ilustrativo Método da UEP e as Necessidade da Empresa Moderna
  • 13. Unificação da produção pela UEP • A unificação da produção parte do conceito teórico de esforço de produção, sendo: Trabalho de mão-de-obra (direta e indireta), Energia elétrica utilizada para mover as maquinas e iluminar o ambiente, 13
  • 14. Unificação da produção pela UEP Os materiais de consumo necessários para por em funcionamento a fabrica, A manutenção do equipamento, O controle de qualidade, Trabalho intelectual de planejamento da produção Enfim, tudo que se relaciona com a produção, gera ESFORÇOS DE PRODUÇÃO 14
  • 15. Unificação da produção pela UEP • Portanto, a medida para os esforços de produção é a unidade de esforço de produção (UEP) 15
  • 16. Unificação da produção pela UEP • Para o método da UEP: Os focos concentradoresfocos concentradores dos esforços de produção são as atividades produtivas diretas da empresa, ou seja, todas as atividades diretamente envolvidas na fabricação dos produtos. Os esforços das atividades auxiliares são repassadas as produtivas, e daí, aos produtos. 16
  • 17. Unificação da produção pela UEP • Para o método da UEP: A fabrica é dividida em POSTOSPOSTOS OPERATIVOSOPERATIVOS O posto operativo é composto por operações de transformações homogêneas, ou seja, tomando como exemplo uma operação de torneamento O conjunto de atividades desenvolvidas por um torno (desbaste, acabamento, rebaixo, etc) poderia ser um posto operativo. 17
  • 18. Unificação da produção pela UEP O pressuposto do método UEP é que o conjunto de operações elementares mantém-se proporcionalmente o mesmo para todos os produtos que passam pelo torno. 18
  • 19. Unificação da produção pela UEP Assim, se um produto P1 sofre um minuto de desbaste, depois 2 minutos de acabamento e, finalmente, 0,5 minuto de rebaixo, demorando ao todo 3,5 min., neste posto operativo, outro produto (P2) que leva o dobro de tempo no torno (7 min.) deve demorar 2 min., de desbaste, 4 min., no acabamento e mais 1 min., no rebaixo. 19
  • 20. Unificação da produção pela UEP A regra pratica da homogeneidade é que as diferenças não podem ser tão relevantes, a ponto de influírem significativamente no resultado. 20
  • 21. Unificação da produção pela UEP Cada posto operativo possui capacidade de gerar ou repassar esforço de produção. EssaEssa capacidadecapacidade é denominada de POTENCIAL PRODUTIVOPOTENCIAL PRODUTIVO 21
  • 22. Unificação da produção pela UEP O potencial produtivopotencial produtivo é a quantidade de esforço de produção gerada pelo posto operativo quando em funcionamento por uma hora No método, o potencial é medido emo potencial é medido em UEP/hUEP/h 22
  • 23. Principais Tópicos 23 Histórico Noções Iniciais Unificação da Produção pela UEP Determinação dos Esforços de ProduçãoDeterminação dos Esforços de Produção Etapas para Implantação do Método da UEP Operacionalização Exemplo Ilustrativo Método da UEP e as Necessidade da Empresa Moderna
  • 24. Determinação dos Esforços de Produção • O método da UEP trabalha com as relações entre os esforços de produção • Para a determinação dessas relações, emprega informações de custos. 24
  • 25. Determinação dos Esforços de Produção • Em cada posto operativoposto operativo, são separados ÍNDICES DE CUSTOSÍNDICES DE CUSTOS (custos por hora) englobando todos os itens relevantes, obtendo-se um custo horário. 25
  • 26. Determinação dos Esforços de Produção • Normalmente são utilizados os itens: MODMOD MOIMOI DepreciaçãoDepreciação ManutençãoManutenção Materiais de consumoMateriais de consumo Energia elétricaEnergia elétrica Utilidades.Utilidades. 26
  • 27. Determinação dos Esforços de Produção • Para cada posto operativo são estimados, da maneira mais precisa possível, os custos incorridos, de baixo para cima, isto é, determinado-se as quantidades de cada insumo empregado. 27
  • 28. Determinação dos Esforços de Produção • Assim, com esse procedimento, tem-se um índice de custos paraíndice de custos para cada posto operativocada posto operativo, o qual representa os custos realmente incorridos no funcionamento típico do posto operativo, como se fosse uma fotografia da estrutura dos custos das operações produtivas. 28
  • 29. Determinação dos Esforços de Produção • Com efeito, o termo utilizado para referir-se a tais índices é denominado de FOTO-ÍNDICESFOTO-ÍNDICES do posto operativo • As relações entre os índices são usadas pelo método para estimar as relações entre esforços de produção 29
  • 30. Determinação dos Esforços de Produção • Quando um produto passa por um posto operativo, esse produto absorve esforços de produção. • Tomando os tempos de passagemtempos de passagem dos produtos pelos postos operativos, os esforços deos esforços de produção (UEP) são alocados aosprodução (UEP) são alocados aos produtos.produtos. 30
  • 31. Determinação dos Esforços de Produção • Assim, a unidade de medida comum a todos os produtos da empresa é encontrada e o processo de mensuração da produção é simplificado. 31
  • 32. Principais Tópicos 32 Histórico Noções Iniciais Unificação da Produção pela UEP Determinação dos Esforços de Produção Etapas para Implantação do Método da UEPEtapas para Implantação do Método da UEP Operacionalização Exemplo Ilustrativo Método da UEP e as Necessidade da Empresa Moderna
  • 33. Etapas de Implantação da UEP 1)1) Divisão da fábrica em postos operativosDivisão da fábrica em postos operativos 2)2) Cálculo dos fotos-índicesCálculo dos fotos-índices 3)3) Escolha do produto baseEscolha do produto base 4)4) Cálculo dos potenciais produtivosCálculo dos potenciais produtivos 5)5) Determinação das equivalentes dosDeterminação das equivalentes dos produtosprodutos 33
  • 34. Etapas de Implantação da UEP 1)1) Divisão da fábrica em postos operativosDivisão da fábrica em postos operativos  Posto operativo - conjunto de operações;  Pode ser um posto de trabalho ou máquina;  Uma maquina pode comportar dois ou mais postos operativos, ou inverso;  Estrutura produtiva direta é representada pelos postos operativos; 34
  • 35. Etapas de Implantação da UEP 2)2) Cálculo dos fotos-índicesCálculo dos fotos-índices  Determinar os custos horários ($/h) dos postos operativos;  Índices de custos são calculados através da dispêndio de insumos dos postos operativos (com exceção da MP e despesas de estrutura);  A única função dos foto-índices é proporcionar uma estimativa das relações entre os potenciais produtivos 35
  • 36. Etapas de Implantação da UEP 3)3) Escolha do produto baseEscolha do produto base  Produto base representa os produtos da empresa;  Pode ser um produto ou uma combinação de produtos representando a estrutura produtiva da empresa;  Deve-se empregar os tempos médios de passagem dos produtos pelos postos operativos;  Calcula-se, então, o custo do produto base denominado foto-custo base e medido em $foto-custo base e medido em $ 36
  • 37. Etapas de Implantação da UEP 4)4) Cálculo dos potenciais produtivosCálculo dos potenciais produtivos  Os potenciais produtivospotenciais produtivos são encontrados dividindo-se os foto-índicesdividindo-se os foto-índices pelo foto-custofoto-custo base.base.  Por exemplo, se os índices de custos (foto- índices) de dois postos operativos forem 20.000,00 $/h e 30.000,00 $/h e o foto-foto- custo basecusto base for $ 1.000,00 os potenciaispotenciais produtivosprodutivos serão respectivamente: 37 20 UEP/h e 30 UEP/h20 UEP/h e 30 UEP/h
  • 38. Etapas de Implantação da UEP 5)5) Determinação das equivalentes dos produtosDeterminação das equivalentes dos produtos  Os produtos, ao passarem pelos postos operativos, absorvem os esforços de produção, de acordo com os tempos de passagem  Assim, se um posto operativo possuiposto operativo possui capacidade de 50 UEP/hcapacidade de 50 UEP/h e um dado produtoproduto despende 0,1 h nesse postodespende 0,1 h nesse posto, ele absorve 5absorve 5 UEP na operação em questãoUEP na operação em questão.. 38
  • 39. Etapas de Implantação da UEP 5)5) Determinação das equivalentes dos produtosDeterminação das equivalentes dos produtos  O somatório dos esforços absorvidos peloO somatório dos esforços absorvidos pelo produto em todos os postos operativos é oproduto em todos os postos operativos é o seu equivalente em UEPseu equivalente em UEP  Esse procedimento aplicado a todos os produtos da empresa, têm-se todas as informações da etapa de implantação do método UEP. 39
  • 40. • Principais Conceitos da UEP 40 Conceito Descrição Resumida Esforço de Produção Trabalho de transformação (UEP) Posto Operativo Operações de transformação Potencial Produtivo Capacidade de gerar esforço de produção (UEP/h) Foto-Índice Custo de funcionamento do posto operativo, em ($/h) Foto-Custo Custo do produto base (foto-índice dos postos operativos) Equivalente do Produto Esforço, em UEP, para fabricar o produto Tabela 3 - Principais conceitos do método da UEP Etapas de Implantação da UEP
  • 41. Principais Tópicos 41 Histórico Noções Iniciais Unificação da Produção pela UEP Determinação dos Esforços de Produção Etapas para Implantação do Método da UEP OperacionalizaçãoOperacionalização Exemplo Ilustrativo Método da UEP e as Necessidade da Empresa Moderna
  • 42. Operacionalização • As possíveis aplicações do método da UEP destacam-se: 1)1) Mensuração da quantidade produzidaMensuração da quantidade produzida 2)2) Cálculo dos custos de transformaçãoCálculo dos custos de transformação 3)3) Medidas de desempenhoMedidas de desempenho 42
  • 43. Operacionalização 1)1) Mensuração da quantidade produzidaMensuração da quantidade produzida  A produção da empresa em UEP é encontrada multiplicando-se as quantidades produzidas de cada produto pelos respectivos equivalentes (em UEP)  Por exemplo: 43 Produto Custo de Transformação Equivalente Custo unitário (UEP) P1 20,00 1 UEP 20,00 P2 20,00 1,1 UEP 22,00 P3 20,00 1,3 UEP 26,00
  • 44. Operacionalização 2)2) Cálculo dos custos de transformaçãoCálculo dos custos de transformação  O cálculo dos custos de transformaçãocálculo dos custos de transformação é encontrado dividindo-se os custos dedividindo-se os custos de transformação do período pelatransformação do período pela produçãoprodução, obtém-se o valor unitário da UEP nesse período em $/UEP  Assim, sendo produzidas 5.250 UEP num período e os custos de transformação remontando $ 105.000,00, por exemplo, o custo unitário nesse período será decusto unitário nesse período será de 20,00 $/h (105.000/5.250)(105.000/5.250) 44
  • 45. Operacionalização 3)3) Medidas de desempenhoMedidas de desempenho • O método UEP utiliza três indicadores de desempenho:  Eficiência  Eficácia  Produtividade 45 Produção real Eficiência = Capacidade normal Produção real Eficácia = Capacidade utilizada Produção real Produtividade = Horas trabalhadas
  • 46. Principais Tópicos 46 Histórico Noções Iniciais Unificação da Produção pela UEP Determinação dos Esforços de Produção Etapas para Implantação do Método da UEP Operacionalização Exemplo IlustrativoExemplo Ilustrativo Método da UEP e as Necessidade da Empresa Moderna
  • 47. Exemplo Ilustrativo 1) IMPLANTAÇÃO a)a) Divisão da empresa em postos operativosDivisão da empresa em postos operativos • A empresa Uepa Ltda fabrica quatroquatro produtosprodutos e está implantando o método da UEP • A fabrica está dividida em quatro postosquatro postos operativosoperativos: PO1, PO2, PO3 e PO4 47
  • 48. Exemplo Ilustrativo 1) IMPLANTAÇÃO b)b) Cálculo dos índices de custos (foto-índices)Cálculo dos índices de custos (foto-índices) • Itens de custos:  MODMOD  MOIMOI  DepreciaçãoDepreciação  ManutençãoManutenção  Material de consumoMaterial de consumo  Energia elétricaEnergia elétrica  UtilidadesUtilidades 48
  • 49. Exemplo Ilustrativo 1) IMPLANTAÇÃO b)b) Cálculo dos foto-índicesCálculo dos foto-índices 49 Item de custo ÍNDICES DE CUSTO ($/H) PO1 PO2 PO3 PO4 MOD 5,00 5,00 15,00 15,00 MOI 10,00 5,00 10,00 5,00 Depreciação 5,00 5,00 15,00 15,00 Manutenção 5,00 5,00 5,00 5,00 Mat. consumo 7,00 7,00 15,00 15,00 En. Elétrica 2,00 2,00 10,00 10,00 Utilidades 1,00 1,00 - - TOTAL 35,00 30,00 70,00 65,00 Tabela 4 - Distribuição dos custos ($/h) aos postos operativos
  • 50. Exemplo Ilustrativo c)c) Determinação do foto-custo baseDeterminação do foto-custo base • Os tempos despendidos nos postos pelos quatros produtos são: • Tomando-se o produto 4produto 4 como base, o custo do produto base (foto-custo basefoto-custo base) fica sendo $5,00$5,00 (0,01x35 + 0,11x30 +(0,01x35 + 0,11x30 + 0,01x70 + 0,01x65)0,01x70 + 0,01x65) 50 Produto PO1 PO2 PO3 PO4 P1 0,03 0,20 0,03 0,04 P2 0,03 0,04 0,03 0,20 P3 0,05 0,05 0,05 0,10 P4 0,01 0,11 0,01 0,01 Tabela 5 – Tempos de passagem dos produtos pelos postos operativos (h/un.)
  • 51. Exemplo Ilustrativo d)d) Cálculo dos potenciais produtivosCálculo dos potenciais produtivos • Dividindo-se o foto-índices dos postos operativos (tabela 5) pelo foto-custo base ($5,00) obtém-se os potenciaisobtém-se os potenciais produtivosprodutivos dos postos operativos 1 a 4, conforme tabela 6, abaixo. 51 Tabela 6 – Potenciais produtivos dos postos operativos.) Postos operativos PO1 PO2 PO3 PO4 Foto-índices ($/h) 35,00 30,00 70,00 65,00 Valor base da UEP($/UEP) 5 5 5 5 Potenciais produtivos (UEP/h)Potenciais produtivos (UEP/h) 77 66 1414 1313
  • 52. Exemplo Ilustrativo e)e) Determinação dos equivalentes dos produtosDeterminação dos equivalentes dos produtos • Assim, o equivalente do produto éequivalente do produto é multiplicaçãomultiplicação do tempo de passagem em cada posto operativodo tempo de passagem em cada posto operativo pelo potencial produtivo do posto operativopelo potencial produtivo do posto operativo, como exemplo, oo P1P1 é 2,35 UEP2,35 UEP (0,03x7 + 0,2x6 + 0,03x14 + 0,04x13). Este e demais produtos estão resumidos na tabela 7, abaixo: 52 Tabela 7 – Equivalentes dos produtos (em UEP) Produto PO1 PO2 PO3 PO4 TOTAL 0,210,21 1,201,20 0,420,42 0,520,52 2,352,35 P2 0,21 0,24 0,42 2,60 3,473,47 P3 0,35 0,30 0,70 1,30 2,652,65 P4 0,07 0,66 0,14 0,13 1,001,00 P1P1
  • 53. Exemplo Ilustrativo 2)2) OPERACIONALIZAÇÃOOPERACIONALIZAÇÃO • Vamos tomar os dados de dois meses: novembro e dezembro de 1999. a produção da empresa Uepa, em unidades fisicas e em UEPs, está apresentado na tabela 8, abaixo. 53 Produção (nov) Produção (dez) Produto Física (un.) UEP Física (un.) UEP P1 400 940 800 1.880 P2 800 2.776 400 1.388 P3 400 1.060 800 2.120 P4 1.200 1.200 800 800 TOTAL - 5.976 - 6.188 Tabela 8 – Produção da empresa Uepa, em novembro e dezembro de 1999
  • 54. Exemplo Ilustrativo 2)2) OPERACIONALIZAÇÃOOPERACIONALIZAÇÃO • Os custos de transformaçãocustos de transformação nesses dois meses foram $ 597.600 e $ 649.740, respectivamente. Portanto, o custo da UEPcusto da UEP em novembro foi $ 100$ 100 (507.600/5.976) e em dezembro foi $ 105$ 105 (649.740/6.188). Os equivalentes em UEPequivalentes em UEP dos produtos estão na tabela 9, abaixo 54 Tabela 9 – Custos unitarios de transformação dos produtos em novembro e dezembro Produto UEP Custo (nov) Custo (dez) P1 2,35 $ 235,00 $ 246,75 P2 3,47 $ 347,00 $ 364,35 P3 2,65 $ 265,00 $ 278,25 P4 1,00 $ 100,00 $ 105;00
  • 55. Exemplo Ilustrativo • A empresa realiza acompanhamento dos índices de eficiência, eficácia e produtividade horária, em novembro e dezembro, conforme tabela 10, abaixo 55Tabela 10 – Índices de eficiência, eficácia e produtividade horária PO1 Nov/Dez PO2 Nov/Dez PO3 Nov/Dez PO4 Nov/Dez (1) Horas teóricas (h) 200 200 300 300 200 200 300 300 (2) Horas reais (h) 80 85 280 280 100 100 250 260 (3) Potenciais produtivos (UEP/h) 7 7 6 6 14 14 13 13 (4) Capacidade teórica(UEP) (1)x(3) 1400 1400 1800 1800 2800 2800 3900 3900 (5) Capacidade pratica(UEP) (2)x(3) 560 595 1680 1680 1400 1400 3250 3380 (6) Produção real (UEP)(*) 476 588 1584 1824 952 1176 2964 2600 (7) Eficiência (6)/(4) 0,34 0,42 0,88 1,01 0,34 0,42 0,76 0,67 (8) Eficácia (6)/(5) 0,85 0,99 0,94 1,09 0,68 0,84 0,91 0,77 (1) Produt. Horária (UEP/h) (6)/(2) 5,95 6,92 5,66 6,51 9,52 11,76 11,86 10,00