SlideShare uma empresa Scribd logo
Sociedade Medieval
Carlos Jorge Canto Vieira
2
Sociedade Medieval
3
Sociedade Medieval
 A sociedade Medieval estava dividida em:
 Grupos privilegiados
 Clero – os que rezavam
 Nobreza – os que lutavam
 Grupos não privilegiados
 Camponeses
 Artesãos
4
Sociedade Medieval
 Clero – Os que rezam
 Tinham grandes poder económico, influência e
privilégios:
 Recebiam grandes doações de terras e outros bens;
 Exerciam cargos administrativos;
 Estavam isentos do pagamento de impostos;
 Tinham tribunais próprios;
 Dedicavam-se à cultura e ao saber.
5
Sociedade Medieval
 Clero
 Gozava de grande prestigio junto da população.
 Estavam presentes em todos os momentos da vida;
 Prestavam assistência aos doentes e aos mais pobres;
 Acolhiam pessoas nos mosteiros.
6
Sociedade Medieval
 Clero
 Dividia-se em:
 Alto Clero
 Bispos
 Abades
 Baixo Clero
 Párocos
 Monges
Provinham do povo;
Não usufruíam das regalias e privilégios do Alto Clero.
Provinham da Nobreza;
Desempenhavam altos cargos administrativos;
Usufruíam de grandes regalias e privilégios.
7
Sociedade Medieval
 Clero
 Renovação da Igreja – Século X e XI
 Criação de novas ordens religiosas
 Ordem de Cluny

Criada no século X, seguia a regra de S. Bento

Valorizavam a oração e as práticas litúrgicas;

Defendiam a dignidade e o esplendor dessas práticas.
 Ordem de Cister

Criada por S. Bernardo no século XI.

Valorizavam o trabalho manual e o cultivo da terra;

Opunham-se ao luxo e às formas de ostentação
Sociedade Medieval
Legenda:
A – Azenha
B – Forja
C – Cozinha e refeitório
D – Claustro
E – Igreja
F – Biblioteca
G – Dormitório e sala
do Capítulo
H – Padaria
I – Hospedaria
J - Pombal
Abadia cisterciense
de Fontenay, França
9
Sociedade Medieval
 Clero
 Renovação da Igreja – Século X e XI
 Criação de ordens militares
 Ordem dos Templários

A Ordem foi fundada por Hugo de Payens em, em
1119;

O Objectivo era defender a Terra Santa dos ataques
dos Muçulmanos.
 Ordem dos Hospitalários

Fundada em 1080 em Jerusalém;

Era constituída exclusivamente por elementos da
nobreza.
10
Sociedade Medieval
 Nobreza – Os que combatem
 Possuíam grande propriedades
 Viviam em grandes castelos
 Possuíam grande prestígio
11
Sociedade Medieval
 Nobreza
 Privilégios:
 Não pagavam impostos;
 Eram julgados em tribunais próprios;
 Tinham o direito de usar armas e possuir cavalo.
 Direitos
 Cobravam impostos;
 Possuíam exércitos próprios;
 Aplicavam a justiça.
12
Sociedade Medieval
 Nobreza
 Actividades principais:
Actividade militar Participar em torneios e justas Caçar
Sociedade Medieval
Legenda:
A – Castelo
B – Reserva
C – Aldeia
D – Manso
E – Bosque
F – Moinho do senhor
Domínio Senhorial
14
Sociedade Medieval
 Domínio Senhorial
 Os terrenos explorados dividiam-se em várias
zonas:
 Manso:
 Explorada pelos camponeses.
 Reserva:
 Explorada pelo senhor.
15
Sociedade Medieval
 Camponeses
 Dividiam-se em:
 Colonos
 Homens livres:
 Servos
 Homens não livres:

Trabalhavam na reserva ou
serviam no castelo/mosteiro.

Não podiam sair do domínio
senhorial ou casar sem a
autorização do senhor.
16
Sociedade Medieval
 Camponeses - Habitação:
17
Sociedade Medieval
 Camponeses - Actividades:
18
Sociedade Medieval
 Relações feudo-vassálicas:
 Séculos VIII a XI.
 Os grandes senhores usurparam os poderes que
tinham pertencido aos reis;
 Por questões de segurança os senhores menos
poderosos colocaram-se na dependência de senhores
mais poderosos;
 A essas relações chama-se “feudo-vassálicas”
19
Sociedade Medieval
 Relações feudo-vassálicas:
 Contrato de vassalagem:
 Homenagem;
 Juramento de fidelidade;
 Investidura.
20
Sociedade Medieval
 Contrato de vassalagem:
 Homenagem;
 O vassalo submetia-se à
autoridade do senhora mais
poderoso (suserano)
 Passava a ser reconhecido como
o “homem do senhor”.
21
Sociedade Medieval
 Contrato de vassalagem:
 Juramento de fidelidade:
 O vassalo comprometia-se a cumprir o que tinha sido
acordado.
22
Sociedade Medieval
 Contrato de vassalagem:
 Investidura:
 O vassalo recebia uma
compensação:
 Recebia o feudo (uma terra,
por exemplo) que podia ser
transmitida de geração em
geração.
23
Sociedade Medieval
 Relações de dependência:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O espaço português: da formação à fixação do território
O espaço português: da formação à fixação do territórioO espaço português: da formação à fixação do território
O espaço português: da formação à fixação do território
Susana Simões
 
Império Romano
Império RomanoImpério Romano
Império Romano
Carlos Vieira
 
A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
Susana Simões
 
Domínio senhorial
Domínio senhorialDomínio senhorial
Domínio senhorial
Maria Gomes
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
cattonia
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
Carla Freitas
 
Sociedade Medieval
Sociedade MedievalSociedade Medieval
Sociedade Medieval
Nelson Faustino
 
O poder político em roma
O poder político em romaO poder político em roma
O poder político em roma
Carla Teixeira
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
cattonia
 
Apresentação 3
Apresentação 3Apresentação 3
Apresentação 3
Carla Teixeira
 
Ficha formativa roma
Ficha formativa romaFicha formativa roma
Ficha formativa roma
Ana Barreiros
 
A Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império RomanoA Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império Romano
Mariana Neves
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
cattonia
 
2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político
cattonia
 
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial  módulo II- 10º ANOPaís rural e senhorial  módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
Carina Vale
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
Teresa Maia
 
A Sociedade Senhorial
A Sociedade SenhorialA Sociedade Senhorial
A Sociedade Senhorial
Patrícia Morais
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
Susana Simões
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
Carina Vale
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
Maria Gomes
 

Mais procurados (20)

O espaço português: da formação à fixação do território
O espaço português: da formação à fixação do territórioO espaço português: da formação à fixação do território
O espaço português: da formação à fixação do território
 
Império Romano
Império RomanoImpério Romano
Império Romano
 
A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
 
Domínio senhorial
Domínio senhorialDomínio senhorial
Domínio senhorial
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
 
Sociedade Medieval
Sociedade MedievalSociedade Medieval
Sociedade Medieval
 
O poder político em roma
O poder político em romaO poder político em roma
O poder político em roma
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
 
Apresentação 3
Apresentação 3Apresentação 3
Apresentação 3
 
Ficha formativa roma
Ficha formativa romaFicha formativa roma
Ficha formativa roma
 
A Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império RomanoA Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império Romano
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 
2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político
 
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial  módulo II- 10º ANOPaís rural e senhorial  módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
 
A Sociedade Senhorial
A Sociedade SenhorialA Sociedade Senhorial
A Sociedade Senhorial
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
 

Destaque

O mundo industrializado no
O mundo industrializado noO mundo industrializado no
O mundo industrializado no
maria40
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
cidalialuis
 
A expansão urbana e suas consequências
A expansão urbana e suas consequênciasA expansão urbana e suas consequências
A expansão urbana e suas consequências
Carla Teixeira
 
A Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma CatólicaA Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma Católica
profhistoria
 
As trocas intercontinentais[1]
As trocas intercontinentais[1]As trocas intercontinentais[1]
As trocas intercontinentais[1]
António Luís Catarino
 
Revisao 9 D Sb
Revisao 9 D SbRevisao 9 D Sb
Revisao 9 D Sb
Sérgio Bernardo
 
Especiarias
EspeciariasEspeciarias
Especiarias
fernandaataide55
 
CorrecçãO Ficha
CorrecçãO FichaCorrecçãO Ficha
CorrecçãO Ficha
Hist8
 
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
Jorge Almeida
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
Álvaro Maurício
 
Anos 20
Anos 20Anos 20
Anos 20
cattonia
 
A Reforma
A ReformaA Reforma
A Reforma
Rui Neto
 
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade modernaO renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
Rainha Maga
 
As Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasAs Reformas Religiosas
As Reformas Religiosas
Carlos Vieira
 
A antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípciaA antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípcia
Rainha Maga
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
Carlos Vieira
 
A Civilização Romana
A Civilização RomanaA Civilização Romana
A Civilização Romana
cattonia
 
A abertura ao mundo - expansão
A abertura ao mundo -  expansãoA abertura ao mundo -  expansão
A abertura ao mundo - expansão
Lucilia Fonseca
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
oliviaguerra
 
Liberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpointLiberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpoint
maria40
 

Destaque (20)

O mundo industrializado no
O mundo industrializado noO mundo industrializado no
O mundo industrializado no
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
A expansão urbana e suas consequências
A expansão urbana e suas consequênciasA expansão urbana e suas consequências
A expansão urbana e suas consequências
 
A Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma CatólicaA Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma Católica
 
As trocas intercontinentais[1]
As trocas intercontinentais[1]As trocas intercontinentais[1]
As trocas intercontinentais[1]
 
Revisao 9 D Sb
Revisao 9 D SbRevisao 9 D Sb
Revisao 9 D Sb
 
Especiarias
EspeciariasEspeciarias
Especiarias
 
CorrecçãO Ficha
CorrecçãO FichaCorrecçãO Ficha
CorrecçãO Ficha
 
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
Anos 20
Anos 20Anos 20
Anos 20
 
A Reforma
A ReformaA Reforma
A Reforma
 
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade modernaO renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
 
As Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasAs Reformas Religiosas
As Reformas Religiosas
 
A antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípciaA antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípcia
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
 
A Civilização Romana
A Civilização RomanaA Civilização Romana
A Civilização Romana
 
A abertura ao mundo - expansão
A abertura ao mundo -  expansãoA abertura ao mundo -  expansão
A abertura ao mundo - expansão
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
 
Liberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpointLiberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpoint
 

Semelhante a Sociedade Medieval

A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
borgia
 
Sociedade senhorial
Sociedade senhorialSociedade senhorial
Sociedade senhorial
helenacompleto
 
A sociedade europeia
A sociedade europeiaA sociedade europeia
A sociedade europeia
NTTL98
 
A sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos sécA sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos séc
Escoladocs
 
Quotidiano na idade média
Quotidiano na idade médiaQuotidiano na idade média
Quotidiano na idade média
Anabela Sobral
 
A sociedade europeia nos séculos ix a xii
A sociedade europeia nos séculos ix a xiiA sociedade europeia nos séculos ix a xii
A sociedade europeia nos séculos ix a xii
diogomonteiro77
 
O Feudalismo Prof Medeiros 2015
O Feudalismo Prof Medeiros 2015O Feudalismo Prof Medeiros 2015
O Feudalismo Prof Medeiros 2015
João Medeiros
 
17 sociedade feudal
17   sociedade feudal17   sociedade feudal
17 sociedade feudal
Carla Freitas
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
Daniel Alves Bronstrup
 
Feudalismo e idade média pdf
Feudalismo  e idade média pdfFeudalismo  e idade média pdf
Feudalismo e idade média pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
harlissoncarvalho
 
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptxA_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
JuditeBarbosa1
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
Maria Gomes
 
A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval  A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval
Mary Alvarenga
 
Trabalho hist
Trabalho histTrabalho hist
Trabalho hist
Pedro Furtado
 
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
NetoSilva76
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Luciana Soares
 
mataram o rei
mataram o reimataram o rei
mataram o rei
AnaSousa463852
 
Pré barra mundo feudal
Pré barra mundo feudalPré barra mundo feudal
Pré barra mundo feudal
Jorge Marcos Oliveira
 

Semelhante a Sociedade Medieval (20)

A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
 
Sociedade senhorial
Sociedade senhorialSociedade senhorial
Sociedade senhorial
 
A sociedade europeia
A sociedade europeiaA sociedade europeia
A sociedade europeia
 
A sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos sécA sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos séc
 
Quotidiano na idade média
Quotidiano na idade médiaQuotidiano na idade média
Quotidiano na idade média
 
A sociedade europeia nos séculos ix a xii
A sociedade europeia nos séculos ix a xiiA sociedade europeia nos séculos ix a xii
A sociedade europeia nos séculos ix a xii
 
O Feudalismo Prof Medeiros 2015
O Feudalismo Prof Medeiros 2015O Feudalismo Prof Medeiros 2015
O Feudalismo Prof Medeiros 2015
 
17 sociedade feudal
17   sociedade feudal17   sociedade feudal
17 sociedade feudal
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
 
Feudalismo e idade média pdf
Feudalismo  e idade média pdfFeudalismo  e idade média pdf
Feudalismo e idade média pdf
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptxA_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval  A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval
 
Trabalho hist
Trabalho histTrabalho hist
Trabalho hist
 
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
mataram o rei
mataram o reimataram o rei
mataram o rei
 
Pré barra mundo feudal
Pré barra mundo feudalPré barra mundo feudal
Pré barra mundo feudal
 

Mais de Carlos Vieira

Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Carlos Vieira
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Carlos Vieira
 
O Patriota
O PatriotaO Patriota
O Patriota
Carlos Vieira
 
As sufragistas
As sufragistasAs sufragistas
As sufragistas
Carlos Vieira
 
Madame bovary
Madame bovaryMadame bovary
Madame bovary
Carlos Vieira
 
Cavalo de guerra
Cavalo de guerraCavalo de guerra
Cavalo de guerra
Carlos Vieira
 
Danton
DantonDanton
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
Carlos Vieira
 
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Carlos Vieira
 
Cultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococó
Carlos Vieira
 
Cultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacional
Carlos Vieira
 
Cultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococo
Carlos Vieira
 
Cultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococo
Carlos Vieira
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Carlos Vieira
 
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Carlos Vieira
 
Cultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura Barroca
Carlos Vieira
 
Cultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura BarrocaCultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura Barroca
Carlos Vieira
 
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
Carlos Vieira
 
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Carlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Carlos Vieira
 

Mais de Carlos Vieira (20)

Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
O Patriota
O PatriotaO Patriota
O Patriota
 
As sufragistas
As sufragistasAs sufragistas
As sufragistas
 
Madame bovary
Madame bovaryMadame bovary
Madame bovary
 
Cavalo de guerra
Cavalo de guerraCavalo de guerra
Cavalo de guerra
 
Danton
DantonDanton
Danton
 
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
 
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
 
Cultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococó
 
Cultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacional
 
Cultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococo
 
Cultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococo
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
 
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
 
Cultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura Barroca
 
Cultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura BarrocaCultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura Barroca
 
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
 
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
 

Último

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 

Último (20)

FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 

Sociedade Medieval

  • 3. 3 Sociedade Medieval  A sociedade Medieval estava dividida em:  Grupos privilegiados  Clero – os que rezavam  Nobreza – os que lutavam  Grupos não privilegiados  Camponeses  Artesãos
  • 4. 4 Sociedade Medieval  Clero – Os que rezam  Tinham grandes poder económico, influência e privilégios:  Recebiam grandes doações de terras e outros bens;  Exerciam cargos administrativos;  Estavam isentos do pagamento de impostos;  Tinham tribunais próprios;  Dedicavam-se à cultura e ao saber.
  • 5. 5 Sociedade Medieval  Clero  Gozava de grande prestigio junto da população.  Estavam presentes em todos os momentos da vida;  Prestavam assistência aos doentes e aos mais pobres;  Acolhiam pessoas nos mosteiros.
  • 6. 6 Sociedade Medieval  Clero  Dividia-se em:  Alto Clero  Bispos  Abades  Baixo Clero  Párocos  Monges Provinham do povo; Não usufruíam das regalias e privilégios do Alto Clero. Provinham da Nobreza; Desempenhavam altos cargos administrativos; Usufruíam de grandes regalias e privilégios.
  • 7. 7 Sociedade Medieval  Clero  Renovação da Igreja – Século X e XI  Criação de novas ordens religiosas  Ordem de Cluny  Criada no século X, seguia a regra de S. Bento  Valorizavam a oração e as práticas litúrgicas;  Defendiam a dignidade e o esplendor dessas práticas.  Ordem de Cister  Criada por S. Bernardo no século XI.  Valorizavam o trabalho manual e o cultivo da terra;  Opunham-se ao luxo e às formas de ostentação
  • 8. Sociedade Medieval Legenda: A – Azenha B – Forja C – Cozinha e refeitório D – Claustro E – Igreja F – Biblioteca G – Dormitório e sala do Capítulo H – Padaria I – Hospedaria J - Pombal Abadia cisterciense de Fontenay, França
  • 9. 9 Sociedade Medieval  Clero  Renovação da Igreja – Século X e XI  Criação de ordens militares  Ordem dos Templários  A Ordem foi fundada por Hugo de Payens em, em 1119;  O Objectivo era defender a Terra Santa dos ataques dos Muçulmanos.  Ordem dos Hospitalários  Fundada em 1080 em Jerusalém;  Era constituída exclusivamente por elementos da nobreza.
  • 10. 10 Sociedade Medieval  Nobreza – Os que combatem  Possuíam grande propriedades  Viviam em grandes castelos  Possuíam grande prestígio
  • 11. 11 Sociedade Medieval  Nobreza  Privilégios:  Não pagavam impostos;  Eram julgados em tribunais próprios;  Tinham o direito de usar armas e possuir cavalo.  Direitos  Cobravam impostos;  Possuíam exércitos próprios;  Aplicavam a justiça.
  • 12. 12 Sociedade Medieval  Nobreza  Actividades principais: Actividade militar Participar em torneios e justas Caçar
  • 13. Sociedade Medieval Legenda: A – Castelo B – Reserva C – Aldeia D – Manso E – Bosque F – Moinho do senhor Domínio Senhorial
  • 14. 14 Sociedade Medieval  Domínio Senhorial  Os terrenos explorados dividiam-se em várias zonas:  Manso:  Explorada pelos camponeses.  Reserva:  Explorada pelo senhor.
  • 15. 15 Sociedade Medieval  Camponeses  Dividiam-se em:  Colonos  Homens livres:  Servos  Homens não livres:  Trabalhavam na reserva ou serviam no castelo/mosteiro.  Não podiam sair do domínio senhorial ou casar sem a autorização do senhor.
  • 18. 18 Sociedade Medieval  Relações feudo-vassálicas:  Séculos VIII a XI.  Os grandes senhores usurparam os poderes que tinham pertencido aos reis;  Por questões de segurança os senhores menos poderosos colocaram-se na dependência de senhores mais poderosos;  A essas relações chama-se “feudo-vassálicas”
  • 19. 19 Sociedade Medieval  Relações feudo-vassálicas:  Contrato de vassalagem:  Homenagem;  Juramento de fidelidade;  Investidura.
  • 20. 20 Sociedade Medieval  Contrato de vassalagem:  Homenagem;  O vassalo submetia-se à autoridade do senhora mais poderoso (suserano)  Passava a ser reconhecido como o “homem do senhor”.
  • 21. 21 Sociedade Medieval  Contrato de vassalagem:  Juramento de fidelidade:  O vassalo comprometia-se a cumprir o que tinha sido acordado.
  • 22. 22 Sociedade Medieval  Contrato de vassalagem:  Investidura:  O vassalo recebia uma compensação:  Recebia o feudo (uma terra, por exemplo) que podia ser transmitida de geração em geração.