SlideShare uma empresa Scribd logo
História
7º ano
As Invasões Bárbaras
O Império Romano
• Durante séculos os romanos conquistaram outros povos,
dominando um vasto território. Estas conquistas se davam
graças a um exército organizado e eficiente;
• As guerras de conquistas traziam riquezas para Roma, na
forma de saques e escravos;
• A máxima extensão do Império Romano se deu com Trajano,
que governou por volta do ano 110 d.C.;
• O grande território governado por Roma dependia muito da
presença do exército, que era dividido em legiões e defendia
pontos estratégicos da fronteira.
EF - 7º ano - Invasões bárbaras
O Império Romano
• Muitos motivos são apontados como causadores do fim do
Império Romano, como:
1. Crise econômica profunda, que fez o comércio e o artesanato
entrarem em decadência;
2. A Crise econômica afetou o exército, seja pela falta de
dinheiro, seja pela falta de armamentos;
3. Sem exércitos romanos para defender as fronteiras os
imperadores passaram a contratar os próprios estrangeiros
na fronteira para defender o império;
As invasões bárbaras
• Embora muitos fatores possam ser apontados, não resta
dúvida que o fator principal para a dissolução do Império
Romano foram as chamas invasões bárbaras;
• Porém dois pontos devem ser destacados quando falamos dos
chamados bárbaros:
1. Os romanos chamavam de bárbaros qualquer povo que
não falasse sua língua, o latim;
2. Embora seja usado o termo “invasão” a entrada dos
bárbaros no Império Romano se deu na forma migrações,
normalmente de pessoas em busca de melhores terras.
Vários povos, como os germânicos, entraram no Império
Romano buscando terras mais férteis ou estar mais próximos a
riqueza de Roma.
EF - 7º ano - Invasões bárbaras
Os bárbaros
• Os chamados povos bárbaros possuíam muitas diferenças se
comparados com os romanos:
1. Moravam em aldeias menores, e não em grandes cidades
como os romanos;
2. Não possuíam leis escritas, guiando-se pela tradição oral,
passada de uma geração a outra;
3. Organização social voltada para a guerra, onde as várias
famílias se organizavam em clãs, que obedeciam a um
líder guerreiro.
Os hunos
• Por volta do ano 370 chegaram a
Europa, vindos da Ásia, vários
guerreiros conhecidos como hunos.
Eram guerreiros ferozes e viam nas
cidades romanas uma oportunidade
de obter riquezas por meio de
saques;
• O rei dos hunos era Átila, que liderou
seus guerreiros até para dentro do
Império Romano, saqueando as
cidades no caminho, chegando a
Gália, onde hoje fica a França.
Os hunos eram um povo guerreiro que se deslocava montado em
cavalos, eram grandes arqueiros e aterrorizaram a Europa por volta
do século V.
A queda de Roma
• Muitos outros povos, como os visigodos, os vândalos, os
alanos e os suevos, foram forçados pelo ataque dos hunos
a buscar novas terras, invadindo o Império Romano;
• Em 410 os visigodos atacaram e saquearam Roma;
• Em 455 os vândalos atacam e saqueiam Roma;
• O ano de 476 é geralmente aceito como a data da queda do
Império Romano do Ocidente, quando o último imperador
romano, Rômulo Augusto, se rende ao chefe militar
germânico Odoacro.
Roma foi saqueada pelos bárbaros que aproveitavam a fraqueza do império.
Os povos germânicos, vindos da região onde hoje é a
Alemanha, desestruturaram o Império Romano.
Germânicos, século I
Góticos, século IV
Góticos, século IV
Francos, século IV
Anglo-saxões, século V
Consequências das invasões bárbaras
1. Fragmentação do território
• Em vez de um império organizado em províncias, com
o poder centralizado em Roma o poder passou a ser
exercido pelos chefes bárbaros, que distribuíam as
terras entre os seus guerreiros;
2. Unificação cristã
• Nesta época a Igreja Católica atuou como unificadora
dos territórios, pois os reis bárbaros foram se
convertendo ao cristianismo;
3. Ruralização da população
• As constantes invasões levou as pessoas a sair das
cidades e ir morar no campo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Romanos
RomanosRomanos
Romanos
cattonia
 
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romano
cattonia
 
A Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVA Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIV
Carlos Vieira
 
A Segunda Vaga De Invasões
A Segunda Vaga De InvasõesA Segunda Vaga De Invasões
A Segunda Vaga De Invasões
Isidro Santos
 
Modelo romano parte 1
Modelo romano   parte 1Modelo romano   parte 1
Modelo romano parte 1
cattonia
 
Os romanos
Os romanosOs romanos
Os romanos
Isabel Mendinhos
 
Romanização 7ºAno / Historia
Romanização 7ºAno / Historia Romanização 7ºAno / Historia
Romanização 7ºAno / Historia
Francisco Nogueira
 
Política de expansão romana e o mare nostrum
Política de expansão romana e o mare nostrumPolítica de expansão romana e o mare nostrum
Política de expansão romana e o mare nostrum
anasanches96
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
Vítor Santos
 
Invasoes barbaras
Invasoes barbarasInvasoes barbaras
Invasoes barbaras
cattonia
 
2. 3 a romanização da península ibérica
2. 3   a romanização da península ibérica2. 3   a romanização da península ibérica
2. 3 a romanização da península ibérica
Maria Cristina Ribeiro
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
Carlos Vieira
 
Queda do império
Queda do impérioQueda do império
Queda do império
Carla Freitas
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
Vítor Santos
 
A sociedade medieval parte 1
A sociedade medieval  parte 1A sociedade medieval  parte 1
A sociedade medieval parte 1
Carla Teixeira
 
Romanização blogue
Romanização blogueRomanização blogue
Romanização blogue
Vítor Santos
 
Romanos na Península Ibérica
Romanos na Península IbéricaRomanos na Península Ibérica
Romanos na Península Ibérica
Isabel Mendinhos
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
cattonia
 
A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
Susana Simões
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 

Mais procurados (20)

Romanos
RomanosRomanos
Romanos
 
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romano
 
A Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVA Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIV
 
A Segunda Vaga De Invasões
A Segunda Vaga De InvasõesA Segunda Vaga De Invasões
A Segunda Vaga De Invasões
 
Modelo romano parte 1
Modelo romano   parte 1Modelo romano   parte 1
Modelo romano parte 1
 
Os romanos
Os romanosOs romanos
Os romanos
 
Romanização 7ºAno / Historia
Romanização 7ºAno / Historia Romanização 7ºAno / Historia
Romanização 7ºAno / Historia
 
Política de expansão romana e o mare nostrum
Política de expansão romana e o mare nostrumPolítica de expansão romana e o mare nostrum
Política de expansão romana e o mare nostrum
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
 
Invasoes barbaras
Invasoes barbarasInvasoes barbaras
Invasoes barbaras
 
2. 3 a romanização da península ibérica
2. 3   a romanização da península ibérica2. 3   a romanização da península ibérica
2. 3 a romanização da península ibérica
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
Queda do império
Queda do impérioQueda do império
Queda do império
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
 
A sociedade medieval parte 1
A sociedade medieval  parte 1A sociedade medieval  parte 1
A sociedade medieval parte 1
 
Romanização blogue
Romanização blogueRomanização blogue
Romanização blogue
 
Romanos na Península Ibérica
Romanos na Península IbéricaRomanos na Península Ibérica
Romanos na Península Ibérica
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
 
A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 

Semelhante a EF - 7º ano - Invasões bárbaras

O fim do Império Romano
O fim do Império RomanoO fim do Império Romano
O fim do Império Romano
Patrícia Costa Grigório
 
O início do feudalismo
O início do feudalismoO início do feudalismo
O início do feudalismo
historiando
 
Da república para o império roma antiga
Da república para o império   roma antigaDa república para o império   roma antiga
Da república para o império roma antiga
historiando
 
Feudalismo início
Feudalismo   inícioFeudalismo   início
Feudalismo início
Nelia Salles Nantes
 
A queda do império romano do ocidente
A queda do império romano do ocidenteA queda do império romano do ocidente
A queda do império romano do ocidente
Nelia Salles Nantes
 
Feudalismo início
Feudalismo   inícioFeudalismo   início
Feudalismo início
Nelia Salles Nantes
 
O início do feudalismo
O início do feudalismoO início do feudalismo
O início do feudalismo
historiando
 
Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476
Izaac Erder
 
Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476
Izaac Erder
 
Roma, cidade imperial
Roma, cidade imperialRoma, cidade imperial
Roma, cidade imperial
Carla Teixeira
 
Roma monarquia
Roma monarquiaRoma monarquia
Roma monarquia
deividamaral
 
Roma antiga da república ao império
Roma antiga   da república ao impérioRoma antiga   da república ao império
Roma antiga da república ao império
historiando
 
A formação da europa feudal
A formação da europa feudalA formação da europa feudal
A formação da europa feudal
Salete Lima
 
Roma
RomaRoma
Invasões bárbaras02
Invasões bárbaras02Invasões bárbaras02
Invasões bárbaras02
DeaaSouza
 
Apresentação4
Apresentação4Apresentação4
Apresentação4
Carla Teixeira
 
Povos barbaros
Povos barbarosPovos barbaros
Povos barbaros
Marcos Souza
 
A Romanização
A RomanizaçãoA Romanização
A Romanização
rahima2003
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
historiando
 
Prenúncios de uma nova ordem
Prenúncios de uma nova ordemPrenúncios de uma nova ordem
Prenúncios de uma nova ordem
cattonia
 

Semelhante a EF - 7º ano - Invasões bárbaras (20)

O fim do Império Romano
O fim do Império RomanoO fim do Império Romano
O fim do Império Romano
 
O início do feudalismo
O início do feudalismoO início do feudalismo
O início do feudalismo
 
Da república para o império roma antiga
Da república para o império   roma antigaDa república para o império   roma antiga
Da república para o império roma antiga
 
Feudalismo início
Feudalismo   inícioFeudalismo   início
Feudalismo início
 
A queda do império romano do ocidente
A queda do império romano do ocidenteA queda do império romano do ocidente
A queda do império romano do ocidente
 
Feudalismo início
Feudalismo   inícioFeudalismo   início
Feudalismo início
 
O início do feudalismo
O início do feudalismoO início do feudalismo
O início do feudalismo
 
Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476
 
Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476
 
Roma, cidade imperial
Roma, cidade imperialRoma, cidade imperial
Roma, cidade imperial
 
Roma monarquia
Roma monarquiaRoma monarquia
Roma monarquia
 
Roma antiga da república ao império
Roma antiga   da república ao impérioRoma antiga   da república ao império
Roma antiga da república ao império
 
A formação da europa feudal
A formação da europa feudalA formação da europa feudal
A formação da europa feudal
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Invasões bárbaras02
Invasões bárbaras02Invasões bárbaras02
Invasões bárbaras02
 
Apresentação4
Apresentação4Apresentação4
Apresentação4
 
Povos barbaros
Povos barbarosPovos barbaros
Povos barbaros
 
A Romanização
A RomanizaçãoA Romanização
A Romanização
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Prenúncios de uma nova ordem
Prenúncios de uma nova ordemPrenúncios de uma nova ordem
Prenúncios de uma nova ordem
 

Mais de Guilherme Drumond

Ocupação Territorial da Amazônia
Ocupação Territorial da AmazôniaOcupação Territorial da Amazônia
Ocupação Territorial da Amazônia
Guilherme Drumond
 
Florestas pluviais
Florestas pluviaisFlorestas pluviais
Florestas pluviais
Guilherme Drumond
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
Guilherme Drumond
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
Guilherme Drumond
 
Governo Wenceslau Braz - 1914-1918
Governo Wenceslau Braz - 1914-1918Governo Wenceslau Braz - 1914-1918
Governo Wenceslau Braz - 1914-1918
Guilherme Drumond
 
Estilo românico e gótico
Estilo românico e góticoEstilo românico e gótico
Estilo românico e gótico
Guilherme Drumond
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
Guilherme Drumond
 
Capítulo 1 - A geografia e o estudo do mundo atual
Capítulo 1 - A geografia e o estudo do mundo atualCapítulo 1 - A geografia e o estudo do mundo atual
Capítulo 1 - A geografia e o estudo do mundo atual
Guilherme Drumond
 
Capítulo 1 - Aula 1 - Estudo da geografia e a produção do espaço
Capítulo 1 - Aula 1 - Estudo da geografia e a produção do espaçoCapítulo 1 - Aula 1 - Estudo da geografia e a produção do espaço
Capítulo 1 - Aula 1 - Estudo da geografia e a produção do espaço
Guilherme Drumond
 
Capítulo 1 - aula 1 - Geossistemas e astronomia
Capítulo 1 - aula 1 - Geossistemas e astronomiaCapítulo 1 - aula 1 - Geossistemas e astronomia
Capítulo 1 - aula 1 - Geossistemas e astronomia
Guilherme Drumond
 
Afeganistão e paquistão
Afeganistão e paquistãoAfeganistão e paquistão
Afeganistão e paquistão
Guilherme Drumond
 
Migrações
MigraçõesMigrações
Migrações
Guilherme Drumond
 
Bacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do BrasilBacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do Brasil
Guilherme Drumond
 
Grécia antiga - período homérico
Grécia antiga - período homéricoGrécia antiga - período homérico
Grécia antiga - período homérico
Guilherme Drumond
 
Absolutismo (resumo)
Absolutismo (resumo)Absolutismo (resumo)
Absolutismo (resumo)
Guilherme Drumond
 
Mercantilismo - Mapa conceitual
Mercantilismo - Mapa conceitualMercantilismo - Mapa conceitual
Mercantilismo - Mapa conceitual
Guilherme Drumond
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
Guilherme Drumond
 
Absolutismo na Espanha
Absolutismo na EspanhaAbsolutismo na Espanha
Absolutismo na Espanha
Guilherme Drumond
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
Guilherme Drumond
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
Guilherme Drumond
 

Mais de Guilherme Drumond (20)

Ocupação Territorial da Amazônia
Ocupação Territorial da AmazôniaOcupação Territorial da Amazônia
Ocupação Territorial da Amazônia
 
Florestas pluviais
Florestas pluviaisFlorestas pluviais
Florestas pluviais
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
Governo Wenceslau Braz - 1914-1918
Governo Wenceslau Braz - 1914-1918Governo Wenceslau Braz - 1914-1918
Governo Wenceslau Braz - 1914-1918
 
Estilo românico e gótico
Estilo românico e góticoEstilo românico e gótico
Estilo românico e gótico
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
Capítulo 1 - A geografia e o estudo do mundo atual
Capítulo 1 - A geografia e o estudo do mundo atualCapítulo 1 - A geografia e o estudo do mundo atual
Capítulo 1 - A geografia e o estudo do mundo atual
 
Capítulo 1 - Aula 1 - Estudo da geografia e a produção do espaço
Capítulo 1 - Aula 1 - Estudo da geografia e a produção do espaçoCapítulo 1 - Aula 1 - Estudo da geografia e a produção do espaço
Capítulo 1 - Aula 1 - Estudo da geografia e a produção do espaço
 
Capítulo 1 - aula 1 - Geossistemas e astronomia
Capítulo 1 - aula 1 - Geossistemas e astronomiaCapítulo 1 - aula 1 - Geossistemas e astronomia
Capítulo 1 - aula 1 - Geossistemas e astronomia
 
Afeganistão e paquistão
Afeganistão e paquistãoAfeganistão e paquistão
Afeganistão e paquistão
 
Migrações
MigraçõesMigrações
Migrações
 
Bacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do BrasilBacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do Brasil
 
Grécia antiga - período homérico
Grécia antiga - período homéricoGrécia antiga - período homérico
Grécia antiga - período homérico
 
Absolutismo (resumo)
Absolutismo (resumo)Absolutismo (resumo)
Absolutismo (resumo)
 
Mercantilismo - Mapa conceitual
Mercantilismo - Mapa conceitualMercantilismo - Mapa conceitual
Mercantilismo - Mapa conceitual
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
 
Absolutismo na Espanha
Absolutismo na EspanhaAbsolutismo na Espanha
Absolutismo na Espanha
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 

Último

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

EF - 7º ano - Invasões bárbaras

  • 2. O Império Romano • Durante séculos os romanos conquistaram outros povos, dominando um vasto território. Estas conquistas se davam graças a um exército organizado e eficiente; • As guerras de conquistas traziam riquezas para Roma, na forma de saques e escravos; • A máxima extensão do Império Romano se deu com Trajano, que governou por volta do ano 110 d.C.; • O grande território governado por Roma dependia muito da presença do exército, que era dividido em legiões e defendia pontos estratégicos da fronteira.
  • 4. O Império Romano • Muitos motivos são apontados como causadores do fim do Império Romano, como: 1. Crise econômica profunda, que fez o comércio e o artesanato entrarem em decadência; 2. A Crise econômica afetou o exército, seja pela falta de dinheiro, seja pela falta de armamentos; 3. Sem exércitos romanos para defender as fronteiras os imperadores passaram a contratar os próprios estrangeiros na fronteira para defender o império;
  • 5. As invasões bárbaras • Embora muitos fatores possam ser apontados, não resta dúvida que o fator principal para a dissolução do Império Romano foram as chamas invasões bárbaras; • Porém dois pontos devem ser destacados quando falamos dos chamados bárbaros: 1. Os romanos chamavam de bárbaros qualquer povo que não falasse sua língua, o latim; 2. Embora seja usado o termo “invasão” a entrada dos bárbaros no Império Romano se deu na forma migrações, normalmente de pessoas em busca de melhores terras.
  • 6. Vários povos, como os germânicos, entraram no Império Romano buscando terras mais férteis ou estar mais próximos a riqueza de Roma.
  • 8. Os bárbaros • Os chamados povos bárbaros possuíam muitas diferenças se comparados com os romanos: 1. Moravam em aldeias menores, e não em grandes cidades como os romanos; 2. Não possuíam leis escritas, guiando-se pela tradição oral, passada de uma geração a outra; 3. Organização social voltada para a guerra, onde as várias famílias se organizavam em clãs, que obedeciam a um líder guerreiro.
  • 9. Os hunos • Por volta do ano 370 chegaram a Europa, vindos da Ásia, vários guerreiros conhecidos como hunos. Eram guerreiros ferozes e viam nas cidades romanas uma oportunidade de obter riquezas por meio de saques; • O rei dos hunos era Átila, que liderou seus guerreiros até para dentro do Império Romano, saqueando as cidades no caminho, chegando a Gália, onde hoje fica a França.
  • 10. Os hunos eram um povo guerreiro que se deslocava montado em cavalos, eram grandes arqueiros e aterrorizaram a Europa por volta do século V.
  • 11. A queda de Roma • Muitos outros povos, como os visigodos, os vândalos, os alanos e os suevos, foram forçados pelo ataque dos hunos a buscar novas terras, invadindo o Império Romano; • Em 410 os visigodos atacaram e saquearam Roma; • Em 455 os vândalos atacam e saqueiam Roma; • O ano de 476 é geralmente aceito como a data da queda do Império Romano do Ocidente, quando o último imperador romano, Rômulo Augusto, se rende ao chefe militar germânico Odoacro.
  • 12. Roma foi saqueada pelos bárbaros que aproveitavam a fraqueza do império.
  • 13. Os povos germânicos, vindos da região onde hoje é a Alemanha, desestruturaram o Império Romano.
  • 19. Consequências das invasões bárbaras 1. Fragmentação do território • Em vez de um império organizado em províncias, com o poder centralizado em Roma o poder passou a ser exercido pelos chefes bárbaros, que distribuíam as terras entre os seus guerreiros; 2. Unificação cristã • Nesta época a Igreja Católica atuou como unificadora dos territórios, pois os reis bárbaros foram se convertendo ao cristianismo; 3. Ruralização da população • As constantes invasões levou as pessoas a sair das cidades e ir morar no campo.