SlideShare uma empresa Scribd logo
IDADE MÉDIA OCIDENTAL

        Reinos “Bárbaros”
                e
          Feudalismo.
POVOS “BÁRBAROS”.
1° ano   aula slide - feudalismo
OS “BÁRBAROS”.
 Povos originários da Ásia (hunos),

   Leste europeu (eslavos).

   Norte da Europa (Germânicos)

     Germânicos eram subdivididos em:         Visigodos,
      Ostrogodos, Burgúndios,      Vikings,   Vândalos, Suevos,
      Lombardos, Francos, etc...

 Formaram reinos instáveis de curta duração;

 Eram rivais: disputavam entre si os mesmos
  territórios;
1° ano   aula slide - feudalismo
Cultura Germânica: Organização social.
                 Estrutura Familiar bastante
                  sólida;

                   Prezavam por valores: honra,
                    fidelidade conjugal, lealdade...


                 Não possuíam um código de
                  leis escrito.

                 Decisões jurídicas: Duelos ou
                  Ordálios.
Cultura Germânica: Economia.
 Predominava a atividade agrícola;


   Produziam principalmente cereais,
   (aveia e o trigo) e trabalhavam
   também com a pecuária.

 Alguns viviam da pilhagem
 (saques);
Cultura Germânica: Religião.
 Politeísta;
 Adoração     fundamentada     nas
  forças da natureza.
 Não construíam templos: Rituais
  realizados em ao ar-livre.
 Ofereciam como sacrifício animais
  e até humanos.
Reino dos Francos:
 Conseguiu unificar um vasto território e manter um governo estável;

     Atuais Alemanha, Itália e França.

 Fortalecimento do reino pela aliança com a Igreja Católica.

 DINASTIA MEROVÍNGIA:

•   Clóvis (481-511): primeiro monarca a converter ao cristianismo após a
    queda de Roma.

 Carlos Martel (714-741), venceu os árabes na Batalha de Poitiers,

    em 732, impedindo a expansão dos árabes da Espanha para a
    França. Seu sucessor foi seu filho, Pepino, o Breve, em 751. Pepino criou
    a Dinastia Carolíngia.
Dinastia Carolíngia.
 Auge: reinado de Carlos Magno (768-814).

     Conhecido como o “Imperador do Ocidente”.

     Também chamado de Império Carolíngio.

     Campanhas militares apoiadas pela Igreja Católica possibilitaram a expansão

        territorial e a difusão do Cristianismo (conversão dos demais povos bárbaros).


•   A sagração de Carlos Magno por Leão III simbolizou a instauração do Império do
    Ocidente como sucessor do Antigo Império Romano.

        SACRO IMPÉRIO ROMANO.

        Europa unificada sob um império Universal e Cristão.
1° ano   aula slide - feudalismo
ALTA IDADE MÉDIA: SÉC. V ao SÉC. X
BAIXA IDADE MÉDIA: SÉC. XI ao SÉC. XV



       FEUDALISMO:

                       Sistema político,
                   econômico e social que
                    predominou na Idade
                   Média (séc. V ao XV) e
                     que baseava-se em
                      relações servis de
                          produção.
Origens do Feudalismo.
 As invasões bárbaras ao Império Romano.
   Bárbaros: povos que viviam além das fronteiras do
   Império Romano. Não tinham cultura romana.
 Situação agravou-se no século IV, quando os
  germanos migraram para o interior do Império
  Romano, fugindo dos Hunos.
 Desintegração total do Império
Romano:
   476 d.C.
Feudalismo = Imp. Romano + Bárbaros
 Contribuição dos romanos:               Contribuição dos bárbaros:
   Vila Romana: Senhores romanos           Atividade Agropastoril:
    abandonaram as cidades e foram           Atividade básica destes povos.
    para os seus latifúndios no
    campo (dando origem aos feudos          Comitatus: Guerreiros juravam
    medievais).                              defender seu chefe, este os
                                             equipava.
   Colonato: muitas pessoas foram
    buscar proteção e trabalho nas          Beneficium: recompensa que os
    terras dos grandes senhores,             chefes militares davam aos seus
    para utilizar esta terra, deveriam       guerreiros após obterem alguma
    ceder metade do que produziam            conquista.
    ao proprietário.
                                            Direito consuetudinário: leis não
                                             precisam necessariamente estar
                                             num papel ou serem sancionadas
                                             ou promulgadas. Os costumes
                                             transformam-se nas leis.
Feudalismo:
            Organização Econômica.
 Imensa propriedade rural governada pelo senhor feudal.
 TERRA = prestígio, status, fonte de riqueza.
 Economia amonetária e de subsistência.


 Divisões do Feudo:
   Manso senhorial: ficava o Castelo e eram terras de uso
    exclusivo do senhor.
   Manso servil: terras utilizadas pelos servos.
   Terras comunais: Bosques, pastos e lagos, eram usadas
    por todos.
MANSO SENHORIAL




                     MANSO SERVIL



MANSO COMUNAL
Organização Social...
 Sociedade Estamental, onde cada grupo tinha
 sua função específica.

                     CLERO:
      representantes da Igreja, enorme prestígio.
                    NOBREZA:
       Responsáveis pela segurança, composta
        principalmente pelos Senhores Feudais.
                    SERVOS:
    Maioria da população, trabalhavam e produziam
                        riqueza.
Organização Social...



        CLERO


 NOBREZA


 SERVOS
OBRIGAÇÕES PAGAS PELOS
             SERVOS...
 Corvéia:    Trabalho gratuito dos servos, na
  agricultura, construções (pontes, fortificações)...

 Banalidades: imposto pago pela utilização da
  infra-estrutura do feudo (moinho, forno, celeiro...).

 Talha: porcentagem (quase sempre a metade)
  entregue ao senhor pela produção no manso
  servil.

 Mão-morta: imposto pago pela morte do chefe da
  família, se caso continuassem utilizando as terras.

 Capitação: imposto anual pago individualmente
  ao senhor feudal.

 Os servos também eram obrigados a prestar
  serviço militar em caso de guerras e dar
  hospitalidade ao seu senhor.
VIDA BOA, ERA A VIDA DA
             NOBREZA...




 Igreja Católica reforçava: o papel da nobreza é a
 proteção material da sociedade.

 Relações Suserania e Vassalagem:
   Suserano: era o nobre que doava um “beneficium”
    (feudo) a um outro nobre.
   Vassalo: Era o nobre que recebia o benefício e
    fazia um juramento de fidelidade ao suserano.
E a função da Igreja Católica??
 “O senhor feudal tinha o poder local, o rei na
  prática, tinha poderes limitados, já a Igreja tinha o
  poder universal”.
 Proprietária de 1/3 das terras da Europa.
 Influenciava a vida e o comportamento das
  pessoas.
Viviam no TEOCENTRISMO!!

 Deus era o centro do Universo, Deus era
   a explicação para todas as coisas.
Organização da Igreja Católica...
       Clero dividido em:
         Clero Secular: vivam em contato com os fiéis.
         Clero Regular: vivam em conventos e mosteiros.


       Ao clero regular, coube a conservação de
        importantes manuscritos gregos e latinos,
        preservando a cultura da Antiguidade Clássica.

       Praticam o canto gregoriano.


       A Igreja monopolizava a educação e a cultura.
Organização da Igreja Católica...
 Os monges responsáveis pela cópia a mão de
 livros era chamada de copistas.

 Universidades: surgiram na baixa idade média
 (séc. XI ao XV). Mestres e estudantes em torno
 de uma cidade específica, destacava-se pelo
 ensino de determinada disciplina.

 Oxford na Inglaterra e Coimbra em Portugal são
 instituições deste período.
MONGE COPISTA NA IDADE MÉDIA.
A INQUISIÇÃO MEDIEVAL...
 Tribunal da Inquisição: instrumento utilizado pela Igreja para
  impor seus valores e suas idéias ao conjunto da sociedade,
  normatizando o comportamento social.

 o Tribunal do Santo Ofício (séc. XII), já perseguia, matava e
  torturava hereges.

 Em 1252: é institucionalizado o Tribunal da Inquisição, pelo
  Papa Inocêncio IV na bula Ad extirparda.

 Auto-de-fé: cerimônia pública que comprovava perante a
  todos o poder da Igreja.

 Na Península Ibérica: os judeus foram os alvos preferenciais,
  principalmente pela questão econômica.
INQUISIÇÃO MEDIEVAL
ESTILOS ARQUITETÔNICOS:
           ROMÂNICO




             Floresceu entre os séculos XI e XIII.
Caracteriza-se por traços simples e austeros: grossos pilares,
    tetos e arcos em abóbada, janelas estreitas e muros
                         reforçados.
Interior de uma Igreja em Estilo Românico
GÓTICO




Desenvolveu-se entre os séculos XII e XVI e predominou em países
como França, Inglaterra e Alemanha. Distingue-se do românico por
sua leveza, elegância e traços verticais. Nas construções góticas as
janelas, ornamentadas com vitrais coloridos, permitiam boa
iluminação interior, as paredes tornaram-se mais finas e as altas e
angulosas abóbadas eram apoiadas em longos pilares.
Interior de uma Igreja em Estilo Gótico
CULTURA:
 Pintura:
   Concentrou-se   na representação humanizada de santos e
    divindades. Destacam-se os italianos Giotto e Cimabue.
 Música:
   Música Sacra: com o canto gregoriano (melodia simples e suave
    cantada em uníssono por várias vozes.
   Música Popular: Trovadores e Menestréis
 Literatura:
   Poesia épica exaltando a ação dos cavaleiros em prol da
    cristandade
   Poesia lírica exaltando o amor cortês dos cavaleiros em relação
    ás suas damas
 Ciência e Filosofia:
   Roger    Bacon introduziu a observação da natureza e a
    experimentação como método básico do conhecimento científico.
   Santo Agostinho e São Tomás de Aquino tinham como
    interesse harmonizar a fé cristã com a razão.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Iluminismo
IluminismoIluminismo
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
Daniel Alves Bronstrup
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
Nefer19
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Douglas Barraqui
 
A Idade Moderna
A Idade ModernaA Idade Moderna
A Idade Moderna
Paulo Alexandre
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
Simone P Baldissera
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareira
Nívia Sales
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
dmflores21
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
Daniel Alves Bronstrup
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
isameucci
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Daniel Alves Bronstrup
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
Claudenilson da Silva
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
Marcos Azevedo
 
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalCrise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Douglas Barraqui
 
Escravidão / Resistência
Escravidão / ResistênciaEscravidão / Resistência
Escravidão / Resistência
Joemille Leal
 
E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.
Privada
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
A Idade Moderna
A Idade ModernaA Idade Moderna
A Idade Moderna
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareira
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
 
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalCrise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
 
Escravidão / Resistência
Escravidão / ResistênciaEscravidão / Resistência
Escravidão / Resistência
 
E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 

Semelhante a 1° ano aula slide - feudalismo

1ano-aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01.pdf
1ano-aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01.pdf1ano-aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01.pdf
1ano-aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01.pdf
HelderCastro22
 
1ano aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01
1ano aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp011ano aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01
1ano aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01
edson lopes diniz
 
Feudalismo ens médio
Feudalismo ens médioFeudalismo ens médio
Feudalismo ens médio
Elisângela Martins Rodrigues
 
14450 povos barbaros-e-inicio-do-feudalismo
14450 povos barbaros-e-inicio-do-feudalismo14450 povos barbaros-e-inicio-do-feudalismo
14450 povos barbaros-e-inicio-do-feudalismo
Bruno-machado Bruno
 
povos barbaros e inicio do feudalismo
 povos barbaros e inicio do feudalismo povos barbaros e inicio do feudalismo
povos barbaros e inicio do feudalismo
Bruno-machado Bruno
 
Aula II - feudalismo.pptx
Aula II - feudalismo.pptxAula II - feudalismo.pptx
Aula II - feudalismo.pptx
IrisneideMaximo1
 
Os Povos Bárbaros e inicio do Feudalismo
Os Povos Bárbaros e inicio do FeudalismoOs Povos Bárbaros e inicio do Feudalismo
Os Povos Bárbaros e inicio do Feudalismo
Edenilson Morais
 
Povos Bárbaros e Feudalismo
Povos Bárbaros e FeudalismoPovos Bárbaros e Feudalismo
Povos Bárbaros e Feudalismo
REYSDS
 
Idade Media
Idade MediaIdade Media
O FEUDALISMO.pptx
O FEUDALISMO.pptxO FEUDALISMO.pptx
O FEUDALISMO.pptx
WirlanPaje2
 
Bárbaros e Feudalismo
Bárbaros e FeudalismoBárbaros e Feudalismo
Bárbaros e Feudalismo
Gisele Finatti Baraglio
 
A sociedade europeia
A sociedade europeiaA sociedade europeia
A sociedade europeia
NTTL98
 
A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval  A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval
Mary Alvarenga
 
Alta Idade Média
Alta Idade Média Alta Idade Média
Alta Idade Média
Janayna Lira
 
A terra e a agricultura na europa medieval
A terra e a agricultura na europa medievalA terra e a agricultura na europa medieval
A terra e a agricultura na europa medieval
JovaniaZanotelli1
 
Aula de historia
Aula de historiaAula de historia
Aula de historia
Rose chaves
 
Ficha história
Ficha históriaFicha história
Ficha história
Ana Barreiros
 
3º ano resumão - feudalismo
3º ano resumão - feudalismo3º ano resumão - feudalismo
3º ano resumão - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
janahlira
 

Semelhante a 1° ano aula slide - feudalismo (20)

1ano-aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01.pdf
1ano-aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01.pdf1ano-aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01.pdf
1ano-aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01.pdf
 
1ano aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01
1ano aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp011ano aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01
1ano aulaslide-feudalismo-110603215952-phpapp01
 
Feudalismo ens médio
Feudalismo ens médioFeudalismo ens médio
Feudalismo ens médio
 
14450 povos barbaros-e-inicio-do-feudalismo
14450 povos barbaros-e-inicio-do-feudalismo14450 povos barbaros-e-inicio-do-feudalismo
14450 povos barbaros-e-inicio-do-feudalismo
 
povos barbaros e inicio do feudalismo
 povos barbaros e inicio do feudalismo povos barbaros e inicio do feudalismo
povos barbaros e inicio do feudalismo
 
Aula II - feudalismo.pptx
Aula II - feudalismo.pptxAula II - feudalismo.pptx
Aula II - feudalismo.pptx
 
Os Povos Bárbaros e inicio do Feudalismo
Os Povos Bárbaros e inicio do FeudalismoOs Povos Bárbaros e inicio do Feudalismo
Os Povos Bárbaros e inicio do Feudalismo
 
Povos Bárbaros e Feudalismo
Povos Bárbaros e FeudalismoPovos Bárbaros e Feudalismo
Povos Bárbaros e Feudalismo
 
Idade Media
Idade MediaIdade Media
Idade Media
 
O FEUDALISMO.pptx
O FEUDALISMO.pptxO FEUDALISMO.pptx
O FEUDALISMO.pptx
 
Bárbaros e Feudalismo
Bárbaros e FeudalismoBárbaros e Feudalismo
Bárbaros e Feudalismo
 
A sociedade europeia
A sociedade europeiaA sociedade europeia
A sociedade europeia
 
A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval  A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval
 
Alta Idade Média
Alta Idade Média Alta Idade Média
Alta Idade Média
 
A terra e a agricultura na europa medieval
A terra e a agricultura na europa medievalA terra e a agricultura na europa medieval
A terra e a agricultura na europa medieval
 
Aula de historia
Aula de historiaAula de historia
Aula de historia
 
Ficha história
Ficha históriaFicha história
Ficha história
 
3º ano resumão - feudalismo
3º ano resumão - feudalismo3º ano resumão - feudalismo
3º ano resumão - feudalismo
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
Daniel Alves Bronstrup
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
Daniel Alves Bronstrup
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
Daniel Alves Bronstrup
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
Daniel Alves Bronstrup
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
Daniel Alves Bronstrup
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Daniel Alves Bronstrup
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
Daniel Alves Bronstrup
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup (20)

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
 

1° ano aula slide - feudalismo

  • 1. IDADE MÉDIA OCIDENTAL Reinos “Bárbaros” e Feudalismo.
  • 4. OS “BÁRBAROS”.  Povos originários da Ásia (hunos),  Leste europeu (eslavos).  Norte da Europa (Germânicos)  Germânicos eram subdivididos em: Visigodos, Ostrogodos, Burgúndios, Vikings, Vândalos, Suevos, Lombardos, Francos, etc...  Formaram reinos instáveis de curta duração;  Eram rivais: disputavam entre si os mesmos territórios;
  • 6. Cultura Germânica: Organização social.  Estrutura Familiar bastante sólida;  Prezavam por valores: honra, fidelidade conjugal, lealdade...  Não possuíam um código de leis escrito.  Decisões jurídicas: Duelos ou Ordálios.
  • 7. Cultura Germânica: Economia.  Predominava a atividade agrícola;  Produziam principalmente cereais, (aveia e o trigo) e trabalhavam também com a pecuária.  Alguns viviam da pilhagem (saques);
  • 8. Cultura Germânica: Religião.  Politeísta;  Adoração fundamentada nas forças da natureza.  Não construíam templos: Rituais realizados em ao ar-livre.  Ofereciam como sacrifício animais e até humanos.
  • 9. Reino dos Francos:  Conseguiu unificar um vasto território e manter um governo estável;  Atuais Alemanha, Itália e França.  Fortalecimento do reino pela aliança com a Igreja Católica.  DINASTIA MEROVÍNGIA: • Clóvis (481-511): primeiro monarca a converter ao cristianismo após a queda de Roma.  Carlos Martel (714-741), venceu os árabes na Batalha de Poitiers, em 732, impedindo a expansão dos árabes da Espanha para a França. Seu sucessor foi seu filho, Pepino, o Breve, em 751. Pepino criou a Dinastia Carolíngia.
  • 10. Dinastia Carolíngia.  Auge: reinado de Carlos Magno (768-814).  Conhecido como o “Imperador do Ocidente”.  Também chamado de Império Carolíngio.  Campanhas militares apoiadas pela Igreja Católica possibilitaram a expansão territorial e a difusão do Cristianismo (conversão dos demais povos bárbaros). • A sagração de Carlos Magno por Leão III simbolizou a instauração do Império do Ocidente como sucessor do Antigo Império Romano.  SACRO IMPÉRIO ROMANO.  Europa unificada sob um império Universal e Cristão.
  • 12. ALTA IDADE MÉDIA: SÉC. V ao SÉC. X BAIXA IDADE MÉDIA: SÉC. XI ao SÉC. XV FEUDALISMO: Sistema político, econômico e social que predominou na Idade Média (séc. V ao XV) e que baseava-se em relações servis de produção.
  • 13. Origens do Feudalismo.  As invasões bárbaras ao Império Romano.  Bárbaros: povos que viviam além das fronteiras do Império Romano. Não tinham cultura romana.  Situação agravou-se no século IV, quando os germanos migraram para o interior do Império Romano, fugindo dos Hunos.  Desintegração total do Império Romano:  476 d.C.
  • 14. Feudalismo = Imp. Romano + Bárbaros  Contribuição dos romanos:  Contribuição dos bárbaros:  Vila Romana: Senhores romanos  Atividade Agropastoril: abandonaram as cidades e foram Atividade básica destes povos. para os seus latifúndios no campo (dando origem aos feudos  Comitatus: Guerreiros juravam medievais). defender seu chefe, este os equipava.  Colonato: muitas pessoas foram buscar proteção e trabalho nas  Beneficium: recompensa que os terras dos grandes senhores, chefes militares davam aos seus para utilizar esta terra, deveriam guerreiros após obterem alguma ceder metade do que produziam conquista. ao proprietário.  Direito consuetudinário: leis não precisam necessariamente estar num papel ou serem sancionadas ou promulgadas. Os costumes transformam-se nas leis.
  • 15. Feudalismo: Organização Econômica.  Imensa propriedade rural governada pelo senhor feudal.  TERRA = prestígio, status, fonte de riqueza.  Economia amonetária e de subsistência.  Divisões do Feudo:  Manso senhorial: ficava o Castelo e eram terras de uso exclusivo do senhor.  Manso servil: terras utilizadas pelos servos.  Terras comunais: Bosques, pastos e lagos, eram usadas por todos.
  • 16. MANSO SENHORIAL MANSO SERVIL MANSO COMUNAL
  • 17. Organização Social...  Sociedade Estamental, onde cada grupo tinha sua função específica.  CLERO:  representantes da Igreja, enorme prestígio.  NOBREZA:  Responsáveis pela segurança, composta principalmente pelos Senhores Feudais.  SERVOS:  Maioria da população, trabalhavam e produziam riqueza.
  • 18. Organização Social... CLERO NOBREZA SERVOS
  • 19. OBRIGAÇÕES PAGAS PELOS SERVOS...  Corvéia: Trabalho gratuito dos servos, na agricultura, construções (pontes, fortificações)...  Banalidades: imposto pago pela utilização da infra-estrutura do feudo (moinho, forno, celeiro...).  Talha: porcentagem (quase sempre a metade) entregue ao senhor pela produção no manso servil.  Mão-morta: imposto pago pela morte do chefe da família, se caso continuassem utilizando as terras.  Capitação: imposto anual pago individualmente ao senhor feudal.  Os servos também eram obrigados a prestar serviço militar em caso de guerras e dar hospitalidade ao seu senhor.
  • 20. VIDA BOA, ERA A VIDA DA NOBREZA...  Igreja Católica reforçava: o papel da nobreza é a proteção material da sociedade.  Relações Suserania e Vassalagem:  Suserano: era o nobre que doava um “beneficium” (feudo) a um outro nobre.  Vassalo: Era o nobre que recebia o benefício e fazia um juramento de fidelidade ao suserano.
  • 21. E a função da Igreja Católica??  “O senhor feudal tinha o poder local, o rei na prática, tinha poderes limitados, já a Igreja tinha o poder universal”.  Proprietária de 1/3 das terras da Europa.  Influenciava a vida e o comportamento das pessoas.
  • 22. Viviam no TEOCENTRISMO!! Deus era o centro do Universo, Deus era a explicação para todas as coisas.
  • 23. Organização da Igreja Católica...  Clero dividido em:  Clero Secular: vivam em contato com os fiéis.  Clero Regular: vivam em conventos e mosteiros.  Ao clero regular, coube a conservação de importantes manuscritos gregos e latinos, preservando a cultura da Antiguidade Clássica.  Praticam o canto gregoriano.  A Igreja monopolizava a educação e a cultura.
  • 24. Organização da Igreja Católica...  Os monges responsáveis pela cópia a mão de livros era chamada de copistas.  Universidades: surgiram na baixa idade média (séc. XI ao XV). Mestres e estudantes em torno de uma cidade específica, destacava-se pelo ensino de determinada disciplina.  Oxford na Inglaterra e Coimbra em Portugal são instituições deste período.
  • 25. MONGE COPISTA NA IDADE MÉDIA.
  • 26. A INQUISIÇÃO MEDIEVAL...  Tribunal da Inquisição: instrumento utilizado pela Igreja para impor seus valores e suas idéias ao conjunto da sociedade, normatizando o comportamento social.  o Tribunal do Santo Ofício (séc. XII), já perseguia, matava e torturava hereges.  Em 1252: é institucionalizado o Tribunal da Inquisição, pelo Papa Inocêncio IV na bula Ad extirparda.  Auto-de-fé: cerimônia pública que comprovava perante a todos o poder da Igreja.  Na Península Ibérica: os judeus foram os alvos preferenciais, principalmente pela questão econômica.
  • 28. ESTILOS ARQUITETÔNICOS: ROMÂNICO Floresceu entre os séculos XI e XIII. Caracteriza-se por traços simples e austeros: grossos pilares, tetos e arcos em abóbada, janelas estreitas e muros reforçados.
  • 29. Interior de uma Igreja em Estilo Românico
  • 30. GÓTICO Desenvolveu-se entre os séculos XII e XVI e predominou em países como França, Inglaterra e Alemanha. Distingue-se do românico por sua leveza, elegância e traços verticais. Nas construções góticas as janelas, ornamentadas com vitrais coloridos, permitiam boa iluminação interior, as paredes tornaram-se mais finas e as altas e angulosas abóbadas eram apoiadas em longos pilares.
  • 31. Interior de uma Igreja em Estilo Gótico
  • 32. CULTURA:  Pintura:  Concentrou-se na representação humanizada de santos e divindades. Destacam-se os italianos Giotto e Cimabue.  Música:  Música Sacra: com o canto gregoriano (melodia simples e suave cantada em uníssono por várias vozes.  Música Popular: Trovadores e Menestréis  Literatura:  Poesia épica exaltando a ação dos cavaleiros em prol da cristandade  Poesia lírica exaltando o amor cortês dos cavaleiros em relação ás suas damas  Ciência e Filosofia:  Roger Bacon introduziu a observação da natureza e a experimentação como método básico do conhecimento científico.  Santo Agostinho e São Tomás de Aquino tinham como interesse harmonizar a fé cristã com a razão.