SlideShare uma empresa Scribd logo
Sociedade Medieval
Nelson Manuel Jesus Faustino
Sociedade Medieval




                     2
Sociedade Medieval
   A sociedade Medieval estava dividida em:
       Grupos privilegiados
           Clero – os que rezavam
           Nobreza – os que lutavam


       Grupos não privilegiados
           Camponeses
           Artesãos


                                               3
Sociedade Medieval
   Clero – Os que rezam
       Tinham grandes poder económico, influência e
        privilégios:
           Recebiam grandes doações de terras e outros bens;
           Exerciam cargos administrativos;
           Estavam isentos do pagamento de impostos;
           Tinham tribunais próprios;
           Dedicavam-se à cultura e ao saber.


                                                                4
Sociedade Medieval
   Clero
       Gozava de grande prestigio junto da população.
           Estavam presentes em todos os momentos da vida;
           Prestavam assistência aos doentes e aos mais pobres;
           Acolhiam pessoas nos mosteiros.




                                                               5
Sociedade Medieval
   Clero
       Dividia-se em:
           Alto Clero
                          Provinham da Nobreza;
               Bispos
                          Desempenhavam altos cargos administrativos;
               Abades    Usufruíam de grandes regalias e privilégios.


           Baixo Clero
               Párocos    Provinham do povo;
               Monges     Não usufruíam das regalias e privilégios do Alto Clero.



                                                                                 6
Sociedade Medieval
   Clero
       Renovação da Igreja – Século X e XI
           Criação de novas ordens religiosas
               Ordem de Cluny
                   Criada no século X, seguia a regra de S. Bento
                   Valorizavam a oração e as práticas litúrgicas;
                   Defendiam a dignidade e o esplendor dessas práticas.

               Ordem de Cister
                   Criada por S. Bernardo no século XI.
                   Valorizavam o trabalho manual e o cultivo da terra;
                   Opunham-se ao luxo e às formas de ostentação
                                                                           7
Sociedade Medieval
                      Legenda:
                      A – Azenha
                      B – Forja
                      C – Cozinha e refeitório
                      D – Claustro
                      E – Igreja
                      F – Biblioteca
                      G – Dormitório e sala
                      do Capítulo
                      H – Padaria
                      I – Hospedaria
                      J - Pombal




                     Abadia cisterciense
                     de Fontenay, França
Sociedade Medieval
   Clero
       Renovação da Igreja – Século X e XI
           Criação de ordens militares
               Ordem dos Templários
                   A Ordem foi fundada por Hugo de Payens em, em
                    1119;
                   O Objectivo era defender a Terra Santa dos ataques
                    dos Muçulmanos.

               Ordem dos Hospitalários
                   Fundada em 1080 em Jerusalém;
                   Era constituída exclusivamente por elementos da
                    nobreza.
                                                                         9
Sociedade Medieval
   Nobreza – Os que combatem
       Possuíam grande propriedades
       Viviam em grandes castelos
       Possuíam grande prestígio




                                       10
Sociedade Medieval
   Nobreza
       Privilégios:
           Não pagavam impostos;
           Eram julgados em tribunais próprios;
           Tinham o direito de usar armas e possuir cavalo.

       Direitos
           Cobravam impostos;
           Possuíam exércitos próprios;
           Aplicavam a justiça.
                                                               11
Sociedade Medieval
   Nobreza
       Actividades principais:

Actividade militar   Participar em torneios e justas   Caçar




                                                               12
Sociedade Medieval
      Domínio Senhorial




                          Legenda:
                          A – Castelo
                          B – Reserva
                          C – Aldeia
                          D – Manso
                          E – Bosque
                          F – Moinho do senhor
Sociedade Medieval
   Domínio Senhorial
       Os terrenos explorados dividiam-se em várias
        zonas:
           Manso:
               Explorada pelos camponeses.
           Reserva:
               Explorada pelo senhor.




                                                       14
Sociedade Medieval
   Camponeses
       Dividiam-se em:
           Colonos
               Homens livres:
           Servos
               Homens não livres:
                  Trabalhavam na reserva ou
                   serviam no castelo/mosteiro.
                  Não podiam sair do domínio
                   senhorial ou casar sem a
                   autorização do senhor.

                                                  15
Sociedade Medieval
   Camponeses - Habitação:




                              16
Sociedade Medieval
   Camponeses - Actividades:




                                17
Sociedade Medieval
   Relações feudo-vassálicas:
       Séculos VIII a XI.
           Os grandes senhores usurparam os poderes que
            tinham pertencido aos reis;
           Por questões de segurança os senhores menos
            poderosos colocaram-se na dependência de senhores
            mais poderosos;
           A essas relações chama-se “feudo-vassálicas”


                                                            18
Sociedade Medieval
   Relações feudo-vassálicas:
       Contrato de vassalagem:
           Homenagem;
           Juramento de fidelidade;
           Investidura.




                                       19
Sociedade Medieval
   Contrato de vassalagem:
       Homenagem;
           O vassalo submetia-se à
            autoridade do senhora mais
            poderoso (suserano)
           Passava a ser reconhecido como
            o “homem do senhor”.




                                             20
Sociedade Medieval
   Contrato de vassalagem:
       Juramento de fidelidade:
           O vassalo comprometia-se a cumprir o que tinha sido
            acordado.




                                                              21
Sociedade Medieval
   Contrato de vassalagem:
       Investidura:
           O vassalo recebia uma
            compensação:
               Recebia o feudo (uma terra,
                por exemplo) que podia ser
                transmitida de geração em
                geração.




                                              22
Sociedade Medieval
   Relações de dependência:




                               23

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
Vítor Santos
 
F1 o império português e a concorrência internacional
F1 o império português e a concorrência internacionalF1 o império português e a concorrência internacional
F1 o império português e a concorrência internacional
Vítor Santos
 
Sociedade Medieval
Sociedade MedievalSociedade Medieval
Sociedade Medieval
Eduardo Sousa
 
O país rural e senhorial
O país rural e senhorialO país rural e senhorial
O país rural e senhorial
Susana Simões
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
Carina Vale
 
A Crise Do Império Português
A Crise Do Império PortuguêsA Crise Do Império Português
A Crise Do Império Português
Carlos Vieira
 
Desenvolvimento comercial parte 3
Desenvolvimento comercial parte 3Desenvolvimento comercial parte 3
Desenvolvimento comercial parte 3
Carla Teixeira
 
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial  módulo II- 10º ANOPaís rural e senhorial  módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
Carina Vale
 
O desenvolvimento económico do século xiii
O desenvolvimento económico do século xiiiO desenvolvimento económico do século xiii
O desenvolvimento económico do século xiii
Ana Barreiros
 
Sociedade medieval
Sociedade medievalSociedade medieval
Sociedade medieval
cattonia
 
35 revolução liberal de 1820
35   revolução liberal de 182035   revolução liberal de 1820
35 revolução liberal de 1820
Carla Freitas
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
Susana Simões
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Catarina Castro
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
cattonia
 
A agricultura em portugal no século xix
A agricultura em portugal no século xixA agricultura em portugal no século xix
A agricultura em portugal no século xix
Anabela Sobral
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
Susana Simões
 
02 o alargamento do conhecimento do mundo
02 o alargamento do conhecimento do mundo02 o alargamento do conhecimento do mundo
02 o alargamento do conhecimento do mundo
Vítor Santos
 
Sociedade nos séculos XIII e XIV
Sociedade nos séculos XIII e XIVSociedade nos séculos XIII e XIV
Sociedade nos séculos XIII e XIV
Cátia Botelho
 
Portugal no século XIII
Portugal no século XIIIPortugal no século XIII
Portugal no século XIII
lourdesingles
 
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIVPortugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Carlos Vieira
 

Mais procurados (20)

Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
F1 o império português e a concorrência internacional
F1 o império português e a concorrência internacionalF1 o império português e a concorrência internacional
F1 o império português e a concorrência internacional
 
Sociedade Medieval
Sociedade MedievalSociedade Medieval
Sociedade Medieval
 
O país rural e senhorial
O país rural e senhorialO país rural e senhorial
O país rural e senhorial
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
 
A Crise Do Império Português
A Crise Do Império PortuguêsA Crise Do Império Português
A Crise Do Império Português
 
Desenvolvimento comercial parte 3
Desenvolvimento comercial parte 3Desenvolvimento comercial parte 3
Desenvolvimento comercial parte 3
 
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial  módulo II- 10º ANOPaís rural e senhorial  módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
 
O desenvolvimento económico do século xiii
O desenvolvimento económico do século xiiiO desenvolvimento económico do século xiii
O desenvolvimento económico do século xiii
 
Sociedade medieval
Sociedade medievalSociedade medieval
Sociedade medieval
 
35 revolução liberal de 1820
35   revolução liberal de 182035   revolução liberal de 1820
35 revolução liberal de 1820
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
 
A agricultura em portugal no século xix
A agricultura em portugal no século xixA agricultura em portugal no século xix
A agricultura em portugal no século xix
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
 
02 o alargamento do conhecimento do mundo
02 o alargamento do conhecimento do mundo02 o alargamento do conhecimento do mundo
02 o alargamento do conhecimento do mundo
 
Sociedade nos séculos XIII e XIV
Sociedade nos séculos XIII e XIVSociedade nos séculos XIII e XIV
Sociedade nos séculos XIII e XIV
 
Portugal no século XIII
Portugal no século XIIIPortugal no século XIII
Portugal no século XIII
 
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIVPortugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
 

Semelhante a Sociedade Medieval

A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
Jorge Almeida
 
A sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos sécA sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos séc
Escoladocs
 
A Sociedade Senhorial
A Sociedade SenhorialA Sociedade Senhorial
A Sociedade Senhorial
Patrícia Morais
 
A sociedade europeia
A sociedade europeiaA sociedade europeia
A sociedade europeia
NTTL98
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Renan Sancio
 
A sociedade europeia nos séculos ix a xii
A sociedade europeia nos séculos ix a xiiA sociedade europeia nos séculos ix a xii
A sociedade europeia nos séculos ix a xii
diogomonteiro77
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
Daniel Alves Bronstrup
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
lena_23
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
Maria Gomes
 
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
NetoSilva76
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
A sociedade europeia nos séculos IX a XII
A sociedade europeia nos séculos IX a XIIA sociedade europeia nos séculos IX a XII
A sociedade europeia nos séculos IX a XII
Carla Freitas
 
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptxA_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
JuditeBarbosa1
 
Feudalismo e idade média 2020
Feudalismo e idade média 2020Feudalismo e idade média 2020
Feudalismo e idade média 2020
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Feudalimo baixaidademedia2
Feudalimo baixaidademedia2Feudalimo baixaidademedia2
Feudalimo baixaidademedia2
Eduardo Gomes
 
Feudalimo baixaidademedia2
Feudalimo baixaidademedia2Feudalimo baixaidademedia2
Feudalimo baixaidademedia2
Eduardo Gomes
 
Quotidiano na idade média
Quotidiano na idade médiaQuotidiano na idade média
Quotidiano na idade média
Anabela Sobral
 
Feudalismo ens médio
Feudalismo ens médioFeudalismo ens médio
Feudalismo ens médio
Elisângela Martins Rodrigues
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
janahlira
 

Semelhante a Sociedade Medieval (20)

A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
 
A sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos sécA sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos séc
 
A Sociedade Senhorial
A Sociedade SenhorialA Sociedade Senhorial
A Sociedade Senhorial
 
A sociedade europeia
A sociedade europeiaA sociedade europeia
A sociedade europeia
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
A sociedade europeia nos séculos ix a xii
A sociedade europeia nos séculos ix a xiiA sociedade europeia nos séculos ix a xii
A sociedade europeia nos séculos ix a xii
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
O conceito de feudalismo como um sistema, envolvendo o nível econômico, o soc...
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
A sociedade europeia nos séculos IX a XII
A sociedade europeia nos séculos IX a XIIA sociedade europeia nos séculos IX a XII
A sociedade europeia nos séculos IX a XII
 
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptxA_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
A_sociedade_europeia_nos_séculos_IX_a_XII.pptx
 
Feudalismo e idade média 2020
Feudalismo e idade média 2020Feudalismo e idade média 2020
Feudalismo e idade média 2020
 
Feudalimo baixaidademedia2
Feudalimo baixaidademedia2Feudalimo baixaidademedia2
Feudalimo baixaidademedia2
 
Feudalimo baixaidademedia2
Feudalimo baixaidademedia2Feudalimo baixaidademedia2
Feudalimo baixaidademedia2
 
Quotidiano na idade média
Quotidiano na idade médiaQuotidiano na idade média
Quotidiano na idade média
 
Feudalismo ens médio
Feudalismo ens médioFeudalismo ens médio
Feudalismo ens médio
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 

Mais de Nelson Faustino

Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XIIDesenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Nelson Faustino
 
A Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de PortugalA Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de Portugal
Nelson Faustino
 
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução IndustrialRevoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Nelson Faustino
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Nelson Faustino
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
Nelson Faustino
 
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo ComercialA Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
Nelson Faustino
 
Roma
RomaRoma
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
Nelson Faustino
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Nelson Faustino
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Nelson Faustino
 

Mais de Nelson Faustino (10)

Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XIIDesenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
 
A Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de PortugalA Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de Portugal
 
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução IndustrialRevoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo ComercialA Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 

Último

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
alphabarros2
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 

Último (20)

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 

Sociedade Medieval

  • 3. Sociedade Medieval  A sociedade Medieval estava dividida em:  Grupos privilegiados  Clero – os que rezavam  Nobreza – os que lutavam  Grupos não privilegiados  Camponeses  Artesãos 3
  • 4. Sociedade Medieval  Clero – Os que rezam  Tinham grandes poder económico, influência e privilégios:  Recebiam grandes doações de terras e outros bens;  Exerciam cargos administrativos;  Estavam isentos do pagamento de impostos;  Tinham tribunais próprios;  Dedicavam-se à cultura e ao saber. 4
  • 5. Sociedade Medieval  Clero  Gozava de grande prestigio junto da população.  Estavam presentes em todos os momentos da vida;  Prestavam assistência aos doentes e aos mais pobres;  Acolhiam pessoas nos mosteiros. 5
  • 6. Sociedade Medieval  Clero  Dividia-se em:  Alto Clero Provinham da Nobreza;  Bispos Desempenhavam altos cargos administrativos;  Abades Usufruíam de grandes regalias e privilégios.  Baixo Clero  Párocos Provinham do povo;  Monges Não usufruíam das regalias e privilégios do Alto Clero. 6
  • 7. Sociedade Medieval  Clero  Renovação da Igreja – Século X e XI  Criação de novas ordens religiosas  Ordem de Cluny  Criada no século X, seguia a regra de S. Bento  Valorizavam a oração e as práticas litúrgicas;  Defendiam a dignidade e o esplendor dessas práticas.  Ordem de Cister  Criada por S. Bernardo no século XI.  Valorizavam o trabalho manual e o cultivo da terra;  Opunham-se ao luxo e às formas de ostentação 7
  • 8. Sociedade Medieval Legenda: A – Azenha B – Forja C – Cozinha e refeitório D – Claustro E – Igreja F – Biblioteca G – Dormitório e sala do Capítulo H – Padaria I – Hospedaria J - Pombal Abadia cisterciense de Fontenay, França
  • 9. Sociedade Medieval  Clero  Renovação da Igreja – Século X e XI  Criação de ordens militares  Ordem dos Templários  A Ordem foi fundada por Hugo de Payens em, em 1119;  O Objectivo era defender a Terra Santa dos ataques dos Muçulmanos.  Ordem dos Hospitalários  Fundada em 1080 em Jerusalém;  Era constituída exclusivamente por elementos da nobreza. 9
  • 10. Sociedade Medieval  Nobreza – Os que combatem  Possuíam grande propriedades  Viviam em grandes castelos  Possuíam grande prestígio 10
  • 11. Sociedade Medieval  Nobreza  Privilégios:  Não pagavam impostos;  Eram julgados em tribunais próprios;  Tinham o direito de usar armas e possuir cavalo.  Direitos  Cobravam impostos;  Possuíam exércitos próprios;  Aplicavam a justiça. 11
  • 12. Sociedade Medieval  Nobreza  Actividades principais: Actividade militar Participar em torneios e justas Caçar 12
  • 13. Sociedade Medieval Domínio Senhorial Legenda: A – Castelo B – Reserva C – Aldeia D – Manso E – Bosque F – Moinho do senhor
  • 14. Sociedade Medieval  Domínio Senhorial  Os terrenos explorados dividiam-se em várias zonas:  Manso:  Explorada pelos camponeses.  Reserva:  Explorada pelo senhor. 14
  • 15. Sociedade Medieval  Camponeses  Dividiam-se em:  Colonos  Homens livres:  Servos  Homens não livres:  Trabalhavam na reserva ou serviam no castelo/mosteiro.  Não podiam sair do domínio senhorial ou casar sem a autorização do senhor. 15
  • 16. Sociedade Medieval  Camponeses - Habitação: 16
  • 17. Sociedade Medieval  Camponeses - Actividades: 17
  • 18. Sociedade Medieval  Relações feudo-vassálicas:  Séculos VIII a XI.  Os grandes senhores usurparam os poderes que tinham pertencido aos reis;  Por questões de segurança os senhores menos poderosos colocaram-se na dependência de senhores mais poderosos;  A essas relações chama-se “feudo-vassálicas” 18
  • 19. Sociedade Medieval  Relações feudo-vassálicas:  Contrato de vassalagem:  Homenagem;  Juramento de fidelidade;  Investidura. 19
  • 20. Sociedade Medieval  Contrato de vassalagem:  Homenagem;  O vassalo submetia-se à autoridade do senhora mais poderoso (suserano)  Passava a ser reconhecido como o “homem do senhor”. 20
  • 21. Sociedade Medieval  Contrato de vassalagem:  Juramento de fidelidade:  O vassalo comprometia-se a cumprir o que tinha sido acordado. 21
  • 22. Sociedade Medieval  Contrato de vassalagem:  Investidura:  O vassalo recebia uma compensação:  Recebia o feudo (uma terra, por exemplo) que podia ser transmitida de geração em geração. 22
  • 23. Sociedade Medieval  Relações de dependência: 23