SlideShare uma empresa Scribd logo
Síndrome de Má  Absorção Grupo: 04 Emanuelle Balthazar nº.51 Simone Diniz nº.57 Amanda Thomé nº.59 Cláudia Correard nº.63 Mayara de Castro nº.64 Ingrid Marinho nº.66 Aredanna Furquim nº.72
O que é   Síndrome de Má Absorção? Conjunto de sinais e sintomas que resultam da incapacidade do trato gastrointestinal em utilizar corretamente os nutrientes da dieta (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e oligoelementos), devido a distúrbios  que interferem na digestão alimentar ou que interferem diretamente na absorção de nutrientes.
Tipos de distúrbios: Nos processos de digestão:   Impedem a mistura adequada dos alimentos com o ácido gástrico e com as enzimas digestivas, interferindo na digestão. Pancreatite crônica; Fibrose cística;  Obstrução do ducto biliar; Intolerância ao açúcar, etc...
Tipos de distúrbios: Nos processos de absorção: Doenças que lesam a mucosa intestinal ou levam à concentração ou circulação deficiente de ácidos biliares. Infecções (Espru Tropical; Doença de Whipple); Medicamentos como neomicina e carbonato de cálcio; Síndrome da Alça Cega; Doença celíaca (Espru Celíaco) Doença de Crohn , etc...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Sinal ou Sintoma Mecanismo Perda ponderal/ desnutrição Anorexia, má absorção dos nutrientes. Diarréia na absorção ou excreção de água e eletrólitos: ácidos biliares diidroxilados e ácidos graxos não absorvidos. Flatulência Fermentação bacteriana de carboidratos não absorvidos. Glossite, queilite, estomatite Deficiência de ferro, vitamina B12, folato  e vitamina A. Dor óssea Má absorção de cálcio e vitamina D, deficiência de proteína, osteoporose. Dor abdominal Distensão ou inflamação do colo, pancreatite. Tetania, parestesia Má absorção de cálcio e magnésio. Fraqueza Anemia, depleção de eletrólitos (principalmente o potássio).
Sinal ou sintoma Mecanismo Nictúria Demora na absorção de água, hipocalemia. Azotenia, hipotensão Depleção de líquidos e eletrólitos. Amenorréia, diminuição do libido Depleção de proteínas,  das calorias. Anemia Deficiência na absorção de ferro, fosfato, vitamina B12. Sangramento Má absorção de vitamina K, hipoprotrombinemia. Cegueira noturna/ Xeroftalmia Má absorção de vitamina A. Neuropatia periférica Deficiência de vitamina B12 e tiamina. Dermatite Deficiência de vitamina A, zinco e ácido graxos essenciais.
Diagnóstico Do ponto de vista prático, o objetivo primário da estratégia diagnóstica é encontrar ou descartar uma doença ou condição que cause a má absorção, enquanto que provar a presença de má absorção é secundário.
 
 
Dicas diagnósticas adicionais Em complemento aos sinais, sintomas e achados laboratoriais da tabela anterior, outras dicas diagnósticas podem ser descobertas na anamnese:  história de cirurgia gastrintestinal prévia: gastrectomia parcial ou total  ressecções do intestino delgado ( jejuno ? íleo ? válvula ileocecal ? extensão da ressecção ?)  ressecção parcial ou total do pâncreas   história de pancreatite crônica história ou evidência de colestase crônica história de radioterapia
Algumas doenças relacionadas a má absorção tem maior incidência familiar, devendo ser questionadas na anamnese:  doença celíaca;  doença de Crohn;  mucoviscidose ou fibrose cística; deficiências de dissacaridases ( como a lactase ).
ALGUMAS DOENÇAS...
INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR Os açúcares são fracionados por enzimas que presentes no revestimento do intestino delgado. Quando existe uma deficiência das enzimas necessárias, os açúcares não são digeridos e não podem ser absorvidos. Conseqüentemente, eles permanecem no intestino delgado. A concentração elevada do açúcar resultante atrai líquido para o interior do intestino delgado, causando a diarréia. A seguir, o açúcar não absorvido é fermentado pelas bactérias do intestino grosso, produzindo fezes ácidas e flatulência.
A deficiência enzimática pode ser congênita ou pode ser causada por antibióticos, principalmente pela neomicina.  Aproximadamente 75% dos indivíduos adultos apresentam um certo grau de intolerância à lactose.  INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR
Sintomas Indivíduos com intolerância não conseguem fazer uso de leite e outros laticínios.  Crianças:  apresentam diarréia e não ganha peso enquanto o leite fizer parte de sua dieta.   Adultos:  podem apresentar borborigmos (ruídos intestinais audíveis), distensão abdominal, flatulência, náusea, necessidade urgente de defecar, cólica abdominal e diarréia após uma refeição contendo lactose.  A diarréia grave pode impedir a absorção adequada de nutrientes, pois eles são eliminados do organismo muito rapidamente. . Diagnóstico:   Dose-teste de lactose INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR (LACTOSE)
DOENÇA CELÍACA Distúrbio hereditário no qual uma intolerância alérgica ao glúten causa alterações no intestino que acarretam má absorção.    Fisiopatologia: molécula do glúten  +  anticorpos no intestino delgado =  achatamento do revestimento intestinal  +   superfície lisa com menor capacidade de digestão e absorção dos nutrientes.
DOENÇA CELÍACA SINAIS E SINTOMAS -  FORMA CLÁSSICA: Diarréia Crônica; -  FORMA ATÍPICA: Baixa estatura; Osteoporose; Hipoplasia do esmalte dentário; Artralgias ou artrites; Atraso puberal, irregularidade do ciclo menstrual; Esterilidade; Aborto de repetição;
Paciente portadora de Síndrome da Má Absorção (Doença Celíaca). Notar o importante agravo do estado nutricional, inclusive edema tibial por hipoproteinemia e irritabilidade intensa.
Figuras A e B - intestino normal, figuras C e D - intestino de paciente celíaco, com características de má absorção e atrofia da mucosa.
DOENÇA CELÍACA Existem grupos de risco? Qual o diagnóstico? Qual o tratamento?
 
ESPRU TROPICAL É um distúrbio adquirido no qual anormalidades do revestimento do intestino delgado acarretam a má absorção e deficiências de muitos nutrientes.  Ocorre principalmente no Caribe, no sul da Índia e no sudeste  Asiático.  Acomete 5 a 10% da população em áreas tropicais. Embora a sua causa seja desconhecida, as causas possíveis incluem as infecções bacterianas, as infecções virais, as infecções parasitárias, a deficiência vitamínica (especialmente a de ácido fólico) e uma toxina presente em alimentos estragados.
Sintomas Fezes claras,  diarréia e  perda de peso, lesões de língua devidas à deficiênciade vitamina B2. A deficiência de protrombina favorece a ocorrência de equimoses e de sangramento prolongado após uma lesão. Também podem ocorrer sintomas de deficiências de albumina, cálcio, ácido fólico, vitamina B12 e ferro. O indivíduo apresenta anemia por deficiência de ácidofólico. Diagnóstico    Anamnese radiografias do intestino delgado.  biópsia do intestino delgado ESPRU TROPICAL
É uma doença inflamatória intestinal que pode acometer qualquer porção do trato gastrointestinal (da boca ao ânus), mas a frequência maior ocorre no intestino grosso e no intestino delgado. Há redução da superfície absortiva na mucosa do intestino, resultante da extensa inflamação da doença. Isso causa esteatorréia e má absorção de vitaminas lipossolúveis e de B12. Estas inflamações podem agravar o quadro disabsortivo por permitirem a proliferção bacteriana onde nasce um bloqueio levando a desconjugação de sais biliares. São significativas as perdas de proteínas, eletrólitos e sangue pela mucosa intestinal inflamada. DOENÇA DE CROHN
Sintomas: Os sintomas mais comuns são: dor abdominal (geralmente na parte baixa e à direita do abdomen), diarréia ou constipação.  Há também sangramento retal, perda de peso e febre. Se o sangramento for abundante e constante, leva a anemia.  As crianças podem ter o seu desenvolvimento retardado. DOENÇA DE CROHN
Diagnóstico: Biópsia Coprocultura Exame parasitológico de fezes
No sistema digestório, o pâncreas não consegue liberar as enzimas que deveriam auxiliar a digestão no intestino, em decorrência do entupimento de seus ductos pelo suco digestivo mais consistente que ele próprio fabrica. Assim sendo, o indivíduo não absorve bem os nutrientes dos alimentos e não ganha peso. Com isso, os alimentos (principalmente os gordurosos) são mal digeridos e as fezes podem ficar volumosas, espessas, fétidas e gordurosas. É uma doença herdada geneticamente. Na maioria das vezes, é diagnosticada na infância, embora também possa ser diagnosticada na adolescência ou na vida adulta. FIBROSE CÍSTICA
Principais Sintomas Movimentos intestinais anormais Dificuldade em ganhar peso FIBROSE CÍSTICA
FONTES BIBLIOGRÁFICAS: http://www.msd-brazil.com/msd43/m_manual/mm_sec9_110.htm http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/000299.htm Harrison  - Medicina Interna – 17ª.ed. – Vol.2 - Editora Mc Graw Hill http://www.omge.org/assets/downloads/pt/pdf/guidelines/malabsorption_pt.pdf http://www.amdii.org.br/crohn.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Insuficiência renal aguda
Insuficiência renal agudaInsuficiência renal aguda
Insuficiência renal aguda
Ana Nataly
 
Anticoagulante e Antiagregante
Anticoagulante e AntiagreganteAnticoagulante e Antiagregante
Anticoagulante e Antiagregante
resenfe2013
 
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.AlambertPROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
pauloalambert
 
Bulhas Cardíacas
Bulhas CardíacasBulhas Cardíacas
Bulhas Cardíacas
Kelvia Dias
 
Semiologia da Febre
Semiologia da FebreSemiologia da Febre
Semiologia da Febre
pauloalambert
 
PANCREATITE AGUDA
PANCREATITE AGUDAPANCREATITE AGUDA
PANCREATITE AGUDA
PauloHenrique350
 
Hipertensão Portal
Hipertensão PortalHipertensão Portal
Trauma torácico
Trauma torácicoTrauma torácico
Trauma torácico
Guilherme Sicuto
 
Insuficiência renal crônica
Insuficiência renal crônicaInsuficiência renal crônica
Insuficiência renal crônica
Patricia Nunes
 
Figado e Vias Biliares
Figado e Vias BiliaresFigado e Vias Biliares
Figado e Vias Biliares
Samuel Cevidanes
 
INSUFICIENCIA HEPÁTICA E HIPERTENSÃO PORTA
INSUFICIENCIA HEPÁTICA E HIPERTENSÃO PORTAINSUFICIENCIA HEPÁTICA E HIPERTENSÃO PORTA
INSUFICIENCIA HEPÁTICA E HIPERTENSÃO PORTA
pauloalambert
 
Síndromes diarréicas 17
Síndromes diarréicas 17Síndromes diarréicas 17
Síndromes diarréicas 17
pauloalambert
 
Insuficiência Renal Aguda e Crônica
Insuficiência Renal Aguda e CrônicaInsuficiência Renal Aguda e Crônica
Insuficiência Renal Aguda e Crônica
pauloalambert
 
Apendicite aguda
Apendicite agudaApendicite aguda
Apendicite aguda
Fernando de Oliveira Dutra
 
Febre
Febre Febre
Insuficiência Renal
Insuficiência Renal Insuficiência Renal
Insuficiência Renal
Patricia Nunes
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
resenfe2013
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Herbert Santana
 
Insuficiência renal crônica
Insuficiência renal crônicaInsuficiência renal crônica
Insuficiência renal crônica
Claudia Beatriz Barreto
 
Apresentação cirrose hepatica
Apresentação cirrose hepaticaApresentação cirrose hepatica
Apresentação cirrose hepatica
Ana Paula Ferreira Silva
 

Mais procurados (20)

Insuficiência renal aguda
Insuficiência renal agudaInsuficiência renal aguda
Insuficiência renal aguda
 
Anticoagulante e Antiagregante
Anticoagulante e AntiagreganteAnticoagulante e Antiagregante
Anticoagulante e Antiagregante
 
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.AlambertPROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
 
Bulhas Cardíacas
Bulhas CardíacasBulhas Cardíacas
Bulhas Cardíacas
 
Semiologia da Febre
Semiologia da FebreSemiologia da Febre
Semiologia da Febre
 
PANCREATITE AGUDA
PANCREATITE AGUDAPANCREATITE AGUDA
PANCREATITE AGUDA
 
Hipertensão Portal
Hipertensão PortalHipertensão Portal
Hipertensão Portal
 
Trauma torácico
Trauma torácicoTrauma torácico
Trauma torácico
 
Insuficiência renal crônica
Insuficiência renal crônicaInsuficiência renal crônica
Insuficiência renal crônica
 
Figado e Vias Biliares
Figado e Vias BiliaresFigado e Vias Biliares
Figado e Vias Biliares
 
INSUFICIENCIA HEPÁTICA E HIPERTENSÃO PORTA
INSUFICIENCIA HEPÁTICA E HIPERTENSÃO PORTAINSUFICIENCIA HEPÁTICA E HIPERTENSÃO PORTA
INSUFICIENCIA HEPÁTICA E HIPERTENSÃO PORTA
 
Síndromes diarréicas 17
Síndromes diarréicas 17Síndromes diarréicas 17
Síndromes diarréicas 17
 
Insuficiência Renal Aguda e Crônica
Insuficiência Renal Aguda e CrônicaInsuficiência Renal Aguda e Crônica
Insuficiência Renal Aguda e Crônica
 
Apendicite aguda
Apendicite agudaApendicite aguda
Apendicite aguda
 
Febre
Febre Febre
Febre
 
Insuficiência Renal
Insuficiência Renal Insuficiência Renal
Insuficiência Renal
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
 
Insuficiência renal crônica
Insuficiência renal crônicaInsuficiência renal crônica
Insuficiência renal crônica
 
Apresentação cirrose hepatica
Apresentação cirrose hepaticaApresentação cirrose hepatica
Apresentação cirrose hepatica
 

Destaque

Giardia lamblia
Giardia lambliaGiardia lamblia
Giardia lamblia
Cleber Lima
 
Sii mgf
Sii mgfSii mgf
Sii mgf
Leonor Troni
 
DESORDENS FUNCIONAIS (DOR ABDOMINAL): QUANDO SUSPEITAR E COMO CONVENCER QUE A...
DESORDENS FUNCIONAIS (DOR ABDOMINAL): QUANDO SUSPEITAR E COMO CONVENCER QUE A...DESORDENS FUNCIONAIS (DOR ABDOMINAL): QUANDO SUSPEITAR E COMO CONVENCER QUE A...
DESORDENS FUNCIONAIS (DOR ABDOMINAL): QUANDO SUSPEITAR E COMO CONVENCER QUE A...
Fernanda Pércope
 
DiarréIa Xie Xie
DiarréIa Xie XieDiarréIa Xie Xie
DiarréIa Xie Xie
Rosa Paollucci
 
Doenças no Metabolismo da Glicose
Doenças no Metabolismo da GlicoseDoenças no Metabolismo da Glicose
Doenças no Metabolismo da Glicose
João Pedro Rodrigues
 
Fisiologia dos distúrbios gastrointestinais
Fisiologia dos distúrbios gastrointestinaisFisiologia dos distúrbios gastrointestinais
Fisiologia dos distúrbios gastrointestinais
Lucas Fontes
 
Sindrome+ascitico edematoso
Sindrome+ascitico edematosoSindrome+ascitico edematoso
Sindrome+ascitico edematoso
raulatero
 
Síndrome, Febre, Icterícia e Hemorragia
Síndrome, Febre, Icterícia e HemorragiaSíndrome, Febre, Icterícia e Hemorragia
Síndrome, Febre, Icterícia e Hemorragia
Wanderson Oliveira
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
http://www.saudebio.com Bio
 
Distúrbios gastrointestinais funcionais roma iii
Distúrbios gastrointestinais funcionais   roma iiiDistúrbios gastrointestinais funcionais   roma iii
Distúrbios gastrointestinais funcionais roma iii
f53
 
Sindrome diarreico
Sindrome diarreicoSindrome diarreico
Sindrome diarreico
dryeyox
 
Doenças causadas por Bactérias
Doenças causadas por BactériasDoenças causadas por Bactérias
Doenças causadas por Bactérias
Rafael Serafim
 
Ascitis diagnostico y manejo
Ascitis diagnostico y manejoAscitis diagnostico y manejo
Ascitis diagnostico y manejo
Eduardo Sosa
 
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDESaúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Andressa Carmo
 
Exame fisico abdome
Exame fisico abdomeExame fisico abdome
Exame fisico abdome
Wesley Lima de Oliveira
 

Destaque (15)

Giardia lamblia
Giardia lambliaGiardia lamblia
Giardia lamblia
 
Sii mgf
Sii mgfSii mgf
Sii mgf
 
DESORDENS FUNCIONAIS (DOR ABDOMINAL): QUANDO SUSPEITAR E COMO CONVENCER QUE A...
DESORDENS FUNCIONAIS (DOR ABDOMINAL): QUANDO SUSPEITAR E COMO CONVENCER QUE A...DESORDENS FUNCIONAIS (DOR ABDOMINAL): QUANDO SUSPEITAR E COMO CONVENCER QUE A...
DESORDENS FUNCIONAIS (DOR ABDOMINAL): QUANDO SUSPEITAR E COMO CONVENCER QUE A...
 
DiarréIa Xie Xie
DiarréIa Xie XieDiarréIa Xie Xie
DiarréIa Xie Xie
 
Doenças no Metabolismo da Glicose
Doenças no Metabolismo da GlicoseDoenças no Metabolismo da Glicose
Doenças no Metabolismo da Glicose
 
Fisiologia dos distúrbios gastrointestinais
Fisiologia dos distúrbios gastrointestinaisFisiologia dos distúrbios gastrointestinais
Fisiologia dos distúrbios gastrointestinais
 
Sindrome+ascitico edematoso
Sindrome+ascitico edematosoSindrome+ascitico edematoso
Sindrome+ascitico edematoso
 
Síndrome, Febre, Icterícia e Hemorragia
Síndrome, Febre, Icterícia e HemorragiaSíndrome, Febre, Icterícia e Hemorragia
Síndrome, Febre, Icterícia e Hemorragia
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
 
Distúrbios gastrointestinais funcionais roma iii
Distúrbios gastrointestinais funcionais   roma iiiDistúrbios gastrointestinais funcionais   roma iii
Distúrbios gastrointestinais funcionais roma iii
 
Sindrome diarreico
Sindrome diarreicoSindrome diarreico
Sindrome diarreico
 
Doenças causadas por Bactérias
Doenças causadas por BactériasDoenças causadas por Bactérias
Doenças causadas por Bactérias
 
Ascitis diagnostico y manejo
Ascitis diagnostico y manejoAscitis diagnostico y manejo
Ascitis diagnostico y manejo
 
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDESaúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
 
Exame fisico abdome
Exame fisico abdomeExame fisico abdome
Exame fisico abdome
 

Semelhante a Sindrome Má Absorção

DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glútenDOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
Vanessa Paiva
 
Diarreias
DiarreiasDiarreias
Diarreias na criança - conduta
Diarreias na criança -  condutaDiarreias na criança -  conduta
Diarreias na criança - conduta
gisa_legal
 
See afeccoes do_trato_gastrointestinal
See afeccoes do_trato_gastrointestinalSee afeccoes do_trato_gastrointestinal
See afeccoes do_trato_gastrointestinal
Danielle Giannini
 
Manual-de-Nutrição-Dieta-vbe-DII (1).pdf
Manual-de-Nutrição-Dieta-vbe-DII (1).pdfManual-de-Nutrição-Dieta-vbe-DII (1).pdf
Manual-de-Nutrição-Dieta-vbe-DII (1).pdf
dayanecostamarques1
 
Disturbio do sistema digestorio parte 2
Disturbio do sistema digestorio parte 2Disturbio do sistema digestorio parte 2
Disturbio do sistema digestorio parte 2
ReginaReiniger
 
Dietoterapia -problemas[1]
Dietoterapia  -problemas[1]Dietoterapia  -problemas[1]
Dietoterapia -problemas[1]
Abel Zito Buce
 
AULA 7 - PATOLOGIAS RELACIONADAS A NUTRIÇÃO.pdf
AULA 7 - PATOLOGIAS RELACIONADAS A NUTRIÇÃO.pdfAULA 7 - PATOLOGIAS RELACIONADAS A NUTRIÇÃO.pdf
AULA 7 - PATOLOGIAS RELACIONADAS A NUTRIÇÃO.pdf
viviannelima016
 
Afecções esofagogástricas e intestinais 2013 1
Afecções esofagogástricas e intestinais 2013 1Afecções esofagogástricas e intestinais 2013 1
Afecções esofagogástricas e intestinais 2013 1
irmakelly
 
Aula+intestino+delgado
Aula+intestino+delgadoAula+intestino+delgado
Aula+intestino+delgado
Raquel Stein
 
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Marcela Lago
 
Pesquisa sobre a doença celíaca
Pesquisa sobre  a doença  celíacaPesquisa sobre  a doença  celíaca
Pesquisa sobre a doença celíaca
Robson Lopes
 
Pesquisa sobre a doença celíaca
Pesquisa sobre  a doença  celíacaPesquisa sobre  a doença  celíaca
Pesquisa sobre a doença celíaca
Robson Lopes
 
Síndromes Diarréicas
Síndromes DiarréicasSíndromes Diarréicas
Síndromes Diarréicas
Paulo Alambert
 
Constipação Intestinal Tratamento e Prevenção
Constipação Intestinal Tratamento e PrevençãoConstipação Intestinal Tratamento e Prevenção
Constipação Intestinal Tratamento e Prevenção
wesleymartinho2
 
Intolerância ao glúten
Intolerância ao glútenIntolerância ao glúten
Intolerância ao glúten
Aline Maria Sá Nascimento
 
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptxcaso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
BalthasarRibeiro
 
Doenca celiaca
Doenca celiacaDoenca celiaca
Doenca celiaca
Nágila Silva Braga
 
Formulas Metabolicas
Formulas MetabolicasFormulas Metabolicas
Formulas Metabolicas
Lourdes Piedade
 
Diarreia_persistente.pptx
Diarreia_persistente.pptxDiarreia_persistente.pptx
Diarreia_persistente.pptx
ThaisCintra5
 

Semelhante a Sindrome Má Absorção (20)

DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glútenDOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
 
Diarreias
DiarreiasDiarreias
Diarreias
 
Diarreias na criança - conduta
Diarreias na criança -  condutaDiarreias na criança -  conduta
Diarreias na criança - conduta
 
See afeccoes do_trato_gastrointestinal
See afeccoes do_trato_gastrointestinalSee afeccoes do_trato_gastrointestinal
See afeccoes do_trato_gastrointestinal
 
Manual-de-Nutrição-Dieta-vbe-DII (1).pdf
Manual-de-Nutrição-Dieta-vbe-DII (1).pdfManual-de-Nutrição-Dieta-vbe-DII (1).pdf
Manual-de-Nutrição-Dieta-vbe-DII (1).pdf
 
Disturbio do sistema digestorio parte 2
Disturbio do sistema digestorio parte 2Disturbio do sistema digestorio parte 2
Disturbio do sistema digestorio parte 2
 
Dietoterapia -problemas[1]
Dietoterapia  -problemas[1]Dietoterapia  -problemas[1]
Dietoterapia -problemas[1]
 
AULA 7 - PATOLOGIAS RELACIONADAS A NUTRIÇÃO.pdf
AULA 7 - PATOLOGIAS RELACIONADAS A NUTRIÇÃO.pdfAULA 7 - PATOLOGIAS RELACIONADAS A NUTRIÇÃO.pdf
AULA 7 - PATOLOGIAS RELACIONADAS A NUTRIÇÃO.pdf
 
Afecções esofagogástricas e intestinais 2013 1
Afecções esofagogástricas e intestinais 2013 1Afecções esofagogástricas e intestinais 2013 1
Afecções esofagogástricas e intestinais 2013 1
 
Aula+intestino+delgado
Aula+intestino+delgadoAula+intestino+delgado
Aula+intestino+delgado
 
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
 
Pesquisa sobre a doença celíaca
Pesquisa sobre  a doença  celíacaPesquisa sobre  a doença  celíaca
Pesquisa sobre a doença celíaca
 
Pesquisa sobre a doença celíaca
Pesquisa sobre  a doença  celíacaPesquisa sobre  a doença  celíaca
Pesquisa sobre a doença celíaca
 
Síndromes Diarréicas
Síndromes DiarréicasSíndromes Diarréicas
Síndromes Diarréicas
 
Constipação Intestinal Tratamento e Prevenção
Constipação Intestinal Tratamento e PrevençãoConstipação Intestinal Tratamento e Prevenção
Constipação Intestinal Tratamento e Prevenção
 
Intolerância ao glúten
Intolerância ao glútenIntolerância ao glúten
Intolerância ao glúten
 
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptxcaso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
 
Doenca celiaca
Doenca celiacaDoenca celiaca
Doenca celiaca
 
Formulas Metabolicas
Formulas MetabolicasFormulas Metabolicas
Formulas Metabolicas
 
Diarreia_persistente.pptx
Diarreia_persistente.pptxDiarreia_persistente.pptx
Diarreia_persistente.pptx
 

Mais de Amanda Thomé

Necessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoNecessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no Idoso
Amanda Thomé
 
Caso Clínico: Emergências Hipertensivas
Caso Clínico: Emergências HipertensivasCaso Clínico: Emergências Hipertensivas
Caso Clínico: Emergências Hipertensivas
Amanda Thomé
 
Amigdalites e otites na pediatria
Amigdalites e otites na pediatriaAmigdalites e otites na pediatria
Amigdalites e otites na pediatria
Amanda Thomé
 
Desidratação no Idoso
Desidratação no IdosoDesidratação no Idoso
Desidratação no Idoso
Amanda Thomé
 
Cardiopatias em Neonatologia
Cardiopatias em NeonatologiaCardiopatias em Neonatologia
Cardiopatias em Neonatologia
Amanda Thomé
 
Amigdalas e vegetações adenóides
Amigdalas e vegetações adenóidesAmigdalas e vegetações adenóides
Amigdalas e vegetações adenóides
Amanda Thomé
 
Tumor do colon
Tumor do colonTumor do colon
Tumor do colon
Amanda Thomé
 
Micoses oportunistas
Micoses oportunistasMicoses oportunistas
Micoses oportunistas
Amanda Thomé
 
Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita
Amanda Thomé
 
Diabetes no Idoso
Diabetes no IdosoDiabetes no Idoso
Diabetes no Idoso
Amanda Thomé
 
Saúde do Homem
Saúde do HomemSaúde do Homem
Saúde do Homem
Amanda Thomé
 
Envelhecer sem Adoecer
Envelhecer sem AdoecerEnvelhecer sem Adoecer
Envelhecer sem Adoecer
Amanda Thomé
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Doença Pulmonar Obstrutiva CrônicaDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Amanda Thomé
 
Coronariosclerose
CoronarioscleroseCoronariosclerose
Coronariosclerose
Amanda Thomé
 
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução IntestinalAspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Amanda Thomé
 
Alergia em Anestesia
Alergia em AnestesiaAlergia em Anestesia
Alergia em Anestesia
Amanda Thomé
 
Amamentação e Sua Prevalência
Amamentação e Sua PrevalênciaAmamentação e Sua Prevalência
Amamentação e Sua Prevalência
Amanda Thomé
 
Semiologia do Pescoço
Semiologia do PescoçoSemiologia do Pescoço
Semiologia do Pescoço
Amanda Thomé
 
Cuidados com o recém-nascido no pós-parto
Cuidados com o recém-nascido no pós-partoCuidados com o recém-nascido no pós-parto
Cuidados com o recém-nascido no pós-parto
Amanda Thomé
 
Via Colinérgica
Via ColinérgicaVia Colinérgica
Via Colinérgica
Amanda Thomé
 

Mais de Amanda Thomé (20)

Necessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoNecessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no Idoso
 
Caso Clínico: Emergências Hipertensivas
Caso Clínico: Emergências HipertensivasCaso Clínico: Emergências Hipertensivas
Caso Clínico: Emergências Hipertensivas
 
Amigdalites e otites na pediatria
Amigdalites e otites na pediatriaAmigdalites e otites na pediatria
Amigdalites e otites na pediatria
 
Desidratação no Idoso
Desidratação no IdosoDesidratação no Idoso
Desidratação no Idoso
 
Cardiopatias em Neonatologia
Cardiopatias em NeonatologiaCardiopatias em Neonatologia
Cardiopatias em Neonatologia
 
Amigdalas e vegetações adenóides
Amigdalas e vegetações adenóidesAmigdalas e vegetações adenóides
Amigdalas e vegetações adenóides
 
Tumor do colon
Tumor do colonTumor do colon
Tumor do colon
 
Micoses oportunistas
Micoses oportunistasMicoses oportunistas
Micoses oportunistas
 
Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita
 
Diabetes no Idoso
Diabetes no IdosoDiabetes no Idoso
Diabetes no Idoso
 
Saúde do Homem
Saúde do HomemSaúde do Homem
Saúde do Homem
 
Envelhecer sem Adoecer
Envelhecer sem AdoecerEnvelhecer sem Adoecer
Envelhecer sem Adoecer
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Doença Pulmonar Obstrutiva CrônicaDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
 
Coronariosclerose
CoronarioscleroseCoronariosclerose
Coronariosclerose
 
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução IntestinalAspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
 
Alergia em Anestesia
Alergia em AnestesiaAlergia em Anestesia
Alergia em Anestesia
 
Amamentação e Sua Prevalência
Amamentação e Sua PrevalênciaAmamentação e Sua Prevalência
Amamentação e Sua Prevalência
 
Semiologia do Pescoço
Semiologia do PescoçoSemiologia do Pescoço
Semiologia do Pescoço
 
Cuidados com o recém-nascido no pós-parto
Cuidados com o recém-nascido no pós-partoCuidados com o recém-nascido no pós-parto
Cuidados com o recém-nascido no pós-parto
 
Via Colinérgica
Via ColinérgicaVia Colinérgica
Via Colinérgica
 

Último

A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 

Último (20)

A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 

Sindrome Má Absorção

  • 1. Síndrome de Má Absorção Grupo: 04 Emanuelle Balthazar nº.51 Simone Diniz nº.57 Amanda Thomé nº.59 Cláudia Correard nº.63 Mayara de Castro nº.64 Ingrid Marinho nº.66 Aredanna Furquim nº.72
  • 2. O que é Síndrome de Má Absorção? Conjunto de sinais e sintomas que resultam da incapacidade do trato gastrointestinal em utilizar corretamente os nutrientes da dieta (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e oligoelementos), devido a distúrbios que interferem na digestão alimentar ou que interferem diretamente na absorção de nutrientes.
  • 3. Tipos de distúrbios: Nos processos de digestão: Impedem a mistura adequada dos alimentos com o ácido gástrico e com as enzimas digestivas, interferindo na digestão. Pancreatite crônica; Fibrose cística; Obstrução do ducto biliar; Intolerância ao açúcar, etc...
  • 4. Tipos de distúrbios: Nos processos de absorção: Doenças que lesam a mucosa intestinal ou levam à concentração ou circulação deficiente de ácidos biliares. Infecções (Espru Tropical; Doença de Whipple); Medicamentos como neomicina e carbonato de cálcio; Síndrome da Alça Cega; Doença celíaca (Espru Celíaco) Doença de Crohn , etc...
  • 6. Sinal ou Sintoma Mecanismo Perda ponderal/ desnutrição Anorexia, má absorção dos nutrientes. Diarréia na absorção ou excreção de água e eletrólitos: ácidos biliares diidroxilados e ácidos graxos não absorvidos. Flatulência Fermentação bacteriana de carboidratos não absorvidos. Glossite, queilite, estomatite Deficiência de ferro, vitamina B12, folato e vitamina A. Dor óssea Má absorção de cálcio e vitamina D, deficiência de proteína, osteoporose. Dor abdominal Distensão ou inflamação do colo, pancreatite. Tetania, parestesia Má absorção de cálcio e magnésio. Fraqueza Anemia, depleção de eletrólitos (principalmente o potássio).
  • 7. Sinal ou sintoma Mecanismo Nictúria Demora na absorção de água, hipocalemia. Azotenia, hipotensão Depleção de líquidos e eletrólitos. Amenorréia, diminuição do libido Depleção de proteínas, das calorias. Anemia Deficiência na absorção de ferro, fosfato, vitamina B12. Sangramento Má absorção de vitamina K, hipoprotrombinemia. Cegueira noturna/ Xeroftalmia Má absorção de vitamina A. Neuropatia periférica Deficiência de vitamina B12 e tiamina. Dermatite Deficiência de vitamina A, zinco e ácido graxos essenciais.
  • 8. Diagnóstico Do ponto de vista prático, o objetivo primário da estratégia diagnóstica é encontrar ou descartar uma doença ou condição que cause a má absorção, enquanto que provar a presença de má absorção é secundário.
  • 9.  
  • 10.  
  • 11. Dicas diagnósticas adicionais Em complemento aos sinais, sintomas e achados laboratoriais da tabela anterior, outras dicas diagnósticas podem ser descobertas na anamnese: história de cirurgia gastrintestinal prévia: gastrectomia parcial ou total ressecções do intestino delgado ( jejuno ? íleo ? válvula ileocecal ? extensão da ressecção ?) ressecção parcial ou total do pâncreas história de pancreatite crônica história ou evidência de colestase crônica história de radioterapia
  • 12. Algumas doenças relacionadas a má absorção tem maior incidência familiar, devendo ser questionadas na anamnese: doença celíaca; doença de Crohn; mucoviscidose ou fibrose cística; deficiências de dissacaridases ( como a lactase ).
  • 14. INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR Os açúcares são fracionados por enzimas que presentes no revestimento do intestino delgado. Quando existe uma deficiência das enzimas necessárias, os açúcares não são digeridos e não podem ser absorvidos. Conseqüentemente, eles permanecem no intestino delgado. A concentração elevada do açúcar resultante atrai líquido para o interior do intestino delgado, causando a diarréia. A seguir, o açúcar não absorvido é fermentado pelas bactérias do intestino grosso, produzindo fezes ácidas e flatulência.
  • 15. A deficiência enzimática pode ser congênita ou pode ser causada por antibióticos, principalmente pela neomicina. Aproximadamente 75% dos indivíduos adultos apresentam um certo grau de intolerância à lactose. INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR
  • 16. Sintomas Indivíduos com intolerância não conseguem fazer uso de leite e outros laticínios.  Crianças: apresentam diarréia e não ganha peso enquanto o leite fizer parte de sua dieta.  Adultos: podem apresentar borborigmos (ruídos intestinais audíveis), distensão abdominal, flatulência, náusea, necessidade urgente de defecar, cólica abdominal e diarréia após uma refeição contendo lactose. A diarréia grave pode impedir a absorção adequada de nutrientes, pois eles são eliminados do organismo muito rapidamente. . Diagnóstico: Dose-teste de lactose INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR (LACTOSE)
  • 17. DOENÇA CELÍACA Distúrbio hereditário no qual uma intolerância alérgica ao glúten causa alterações no intestino que acarretam má absorção.  Fisiopatologia: molécula do glúten + anticorpos no intestino delgado = achatamento do revestimento intestinal + superfície lisa com menor capacidade de digestão e absorção dos nutrientes.
  • 18. DOENÇA CELÍACA SINAIS E SINTOMAS - FORMA CLÁSSICA: Diarréia Crônica; - FORMA ATÍPICA: Baixa estatura; Osteoporose; Hipoplasia do esmalte dentário; Artralgias ou artrites; Atraso puberal, irregularidade do ciclo menstrual; Esterilidade; Aborto de repetição;
  • 19. Paciente portadora de Síndrome da Má Absorção (Doença Celíaca). Notar o importante agravo do estado nutricional, inclusive edema tibial por hipoproteinemia e irritabilidade intensa.
  • 20. Figuras A e B - intestino normal, figuras C e D - intestino de paciente celíaco, com características de má absorção e atrofia da mucosa.
  • 21. DOENÇA CELÍACA Existem grupos de risco? Qual o diagnóstico? Qual o tratamento?
  • 22.  
  • 23. ESPRU TROPICAL É um distúrbio adquirido no qual anormalidades do revestimento do intestino delgado acarretam a má absorção e deficiências de muitos nutrientes. Ocorre principalmente no Caribe, no sul da Índia e no sudeste Asiático. Acomete 5 a 10% da população em áreas tropicais. Embora a sua causa seja desconhecida, as causas possíveis incluem as infecções bacterianas, as infecções virais, as infecções parasitárias, a deficiência vitamínica (especialmente a de ácido fólico) e uma toxina presente em alimentos estragados.
  • 24. Sintomas Fezes claras, diarréia e perda de peso, lesões de língua devidas à deficiênciade vitamina B2. A deficiência de protrombina favorece a ocorrência de equimoses e de sangramento prolongado após uma lesão. Também podem ocorrer sintomas de deficiências de albumina, cálcio, ácido fólico, vitamina B12 e ferro. O indivíduo apresenta anemia por deficiência de ácidofólico. Diagnóstico  Anamnese radiografias do intestino delgado. biópsia do intestino delgado ESPRU TROPICAL
  • 25. É uma doença inflamatória intestinal que pode acometer qualquer porção do trato gastrointestinal (da boca ao ânus), mas a frequência maior ocorre no intestino grosso e no intestino delgado. Há redução da superfície absortiva na mucosa do intestino, resultante da extensa inflamação da doença. Isso causa esteatorréia e má absorção de vitaminas lipossolúveis e de B12. Estas inflamações podem agravar o quadro disabsortivo por permitirem a proliferção bacteriana onde nasce um bloqueio levando a desconjugação de sais biliares. São significativas as perdas de proteínas, eletrólitos e sangue pela mucosa intestinal inflamada. DOENÇA DE CROHN
  • 26. Sintomas: Os sintomas mais comuns são: dor abdominal (geralmente na parte baixa e à direita do abdomen), diarréia ou constipação. Há também sangramento retal, perda de peso e febre. Se o sangramento for abundante e constante, leva a anemia. As crianças podem ter o seu desenvolvimento retardado. DOENÇA DE CROHN
  • 27. Diagnóstico: Biópsia Coprocultura Exame parasitológico de fezes
  • 28. No sistema digestório, o pâncreas não consegue liberar as enzimas que deveriam auxiliar a digestão no intestino, em decorrência do entupimento de seus ductos pelo suco digestivo mais consistente que ele próprio fabrica. Assim sendo, o indivíduo não absorve bem os nutrientes dos alimentos e não ganha peso. Com isso, os alimentos (principalmente os gordurosos) são mal digeridos e as fezes podem ficar volumosas, espessas, fétidas e gordurosas. É uma doença herdada geneticamente. Na maioria das vezes, é diagnosticada na infância, embora também possa ser diagnosticada na adolescência ou na vida adulta. FIBROSE CÍSTICA
  • 29. Principais Sintomas Movimentos intestinais anormais Dificuldade em ganhar peso FIBROSE CÍSTICA
  • 30. FONTES BIBLIOGRÁFICAS: http://www.msd-brazil.com/msd43/m_manual/mm_sec9_110.htm http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/000299.htm Harrison - Medicina Interna – 17ª.ed. – Vol.2 - Editora Mc Graw Hill http://www.omge.org/assets/downloads/pt/pdf/guidelines/malabsorption_pt.pdf http://www.amdii.org.br/crohn.htm