SlideShare uma empresa Scribd logo
CENTRO DE
TRABALHOS ESPÍRITA
ANA LUZ
Pontos Principais da Doutrina Espírita
1804-1869
Roteiro 4   pontos principais da doutrina espírita
Pontos Principais da
Doutrina Espírita
Objetivo Específico
Apresentar os pontos principais da
Doutrina Espírita, de acordo com o
resumo existentes na Introdução de O
Livro dos Espíritos.
SubsídiosSubsídios
CENTRO DE TRABALHOS
ESPÍRITA ANA LUZ
 Os seres que se manifestam
designam-se a si mesmos como dissemos:
Gênios ou Espíritos, e dizem alguns pelo
menos, que viveram como homens na
Terra.
Constituem o mundo espiritual, como
nós constituímos, durante a nossa vida, o
mundo corporal.
Resumimos em poucas palavras os
pontos principais da doutrina que nos
transmitiram, a fim de mais facilmente
responder a certas objeções: (1)
 Deus é eterno, imutável, único, todo
poderoso, soberanamente justo e bom.
 Criou o Universo, que compreende todos
os seres animados e inanimados, materiais e
imateriais;
 Os seres materiais constituem o mundo
visível ou corpóreo;
 Os seres imateriais constituem o mundo
invisível ou espírita, isto é, dos Espíritos.
 O mundo espirita é o mundo normal,
primitivo, eterno, preexistente e sobrevivente a
tudo.
 O mundo corporal é secundário; pode
deixar de existir, ou nunca ter existido, sem
alterar a essência do mundo espírita.
 Os Espíritos revestem temporariamente
um invólucro material perecível e sua
destruição pela morte os devolve à a
liberdade.
 Entre as diferentes espécies de seres
corporais Deus escolheu a espécie humana
para a materialização dos Espíritos [...]. (1)
 A alma é um Espírito materializado e o
corpo é apenas o seu envoltório.
Há no homem três ( 3 ) coisas:
1º) O corpo ou ser material, semelhante ao
dos animais e animado pelo mesmo princípio vital;
2º) A Alma ou ser material, espírito
materializado no corpo (Princípio inteligente);
3º) O liame ou perispírito que une a alma ao
corpo, princípio intermediário entre a matéria e o
Espírito.
Cordão de prata: Prende somático ao
psicossoma.
Cordão de ouro: Prende o Psicossoma ao
Espírito.
PerispíritoEspírito
Corpo
Físico
Quando
Materializado,
Princípio
Alma
CENTRO DE FORÇAS
DUPLO ETÉRICO
ENERGOSSOMA
 Energossoma: Holochacra (Duplo-Etérico):
● Conjunto de todos os chacras que
formam o paracorpo energético da
consciência materializada;
● Liga o Psicossoma ao Corpo Somático;
● Zona intermediária pela qual passam as
correntes energéticas que mantém o Corpo
Vivo (Soma).
Chacras: Tem como principal função a
absorção de energia do meio-ambiente
para o interior do Holochacra e do Corpo
Físico (Soma).
 Consciência: Capacidade de julgamento.
“Mundo Interior e Exterior”. Ser pensante.
Conscin: Consciência
Intrafísica – Materializada –
(possui um corpo biológico)
Consciex: Consciência
Extrafísica – Dessoma
(desmaterialização do soma -
corpo biológico)
 Holossoma: Veículo de manifestação da Conscin:
(consciência intrafísica) e da Consciex
(consciência extrafísica):
● Multidimensional: Várias dimensões;
● Multiexistencial: Várias existências.
Soma
Energossoma
Psicossoma e
Mentalsoma
Psicossoma Mentalsoma
Mentalsoma: Corpo
Mental – Cabeça
extrafísica, sem forma
Humanoide
Soma: Corpo Físico
Energossoma:
Duplo Etérico
Psicossoma:
Perispírito.
Holossoma: Extrafísica
Desmaterializado – Consciex
Mentalsoma e Psicossoma
Holossoma: Intrafísica
Materializado – Conscin
Mentalsoma; Psicossoma,
Energossoma e Soma
Roteiro 4   pontos principais da doutrina espírita
Semeia-se corpo natural, ressuscitará
corpo espiritual.
Se há corpo natural, há também corpo
espiritual.
Paulo - I Coríntios 15:44
Soma: Corpo Humano: É o veículo
de manifestação mais denso do
Holossoma da Consciência.
Por ser mais sólido, o corpo humano
faz o homem e a mulher comuns, sem as
noções básicas da multiexistencialidade e
julgam que eles mesmos são tão somente
os seus somas (corpos físicos).
O liame ou perispírito que une
corpo e Espírito é uma espécie de
invólucro semimaterial.
A morte é a destruição do invólucro
mais grosseiro.
O Espírito conserva o segundo, que
constitui para ele um corpo etéreo,
invisível para nós no seu estado normal,
mas que ele pode tornar acidentalmente
visível e mesmo tangível, como se verifica
nos fenômenos de aparição. (2).
O Espírito não é, portanto, um ser
abstrato, indefinido, que só o pensamento
pode conceber.
É um ser real, definido, que em certos
casos pode ser apreendido pelos nossos
sentidos da vista, da audição e do tato.
Os Espíritos pertencem a diferentes
classes, não sendo iguais em poder nem
em inteligência, saber ou moralidade.
Os da primeira ordem são os Espíritos
Superiores que se distinguem pela
perfeição, pelos conhecimentos e pela
proximidade de Deus, pela pureza dos
sentimentos e o amor do bem: são os
anjos ou Espíritos puros.
As demais classes se distanciam mais e mais
desta perfeição.
Os das classes inferiores são inclinados às
nossas paixões: o ódio, a inveja, o ciúme, o
orgulho, etc. e se comprazem no mal. (2)
Os Espíritos não pertencem eternamente à
mesma ordem.
Todos melhoram, passando pelos diferentes
graus da hierarquia espírita.
Esse melhoramento se verifica pela
materialização, que a uns é imposta como uma
expiação, a outros como missão.
A vida material é uma prova a que devem
submeter-se repetidas vezes até atingirem a
perfeição absoluta moral; (3)
É uma espécie de peneira ou depurador
de que eles saem mais ou menos purificados.
(3)
Deixando o corpo, a alma volta ao mundo
dos Espíritos, de que havia saído para reiniciar
uma nova existência material, após um lapso de
tempo mais ou menos longo durante o qual
permanecerá no estado de espírito errante¹.
Devendo o Espírito passar por muitas
materializações, conclui-se que todos nós tivemos
muitas existências e que teremos outras, mais ou
menos aperfeiçoadas, seja na Terra ou em outros
mundos. (4)
¹Entre esta doutrina da rematerialização e a da
metempsicose, tal como a admitem algumas seitas,
há uma diferença característica que será explicada
no [...] decurso dos estudos.
As diferentes existências corporais do Espírito
são sempre progressivas e jamais retrógradas,
mas a rapidez do progresso depende dos
esforços que fazemos para chegar à perfeição.
A materialização dos Espíritos ocorre
sempre na espécie humana.
Seria um erro acreditar que a alma ou
espírito pudesse materializar-se num corpo
de animal.
As diferentes existências corporais do
Espírito são sempre progressivas e jamais
retrógradas, mas a rapidez do progresso
depende dos esforços que fazemos para
chegar à perfeição [...].
Os Espíritos materializados habitam os
diferentes globos do Universo.
Os Espíritos não materializados ou
errantes não ocupam nenhuma região
determinada ou circunscrita;
Estão por toda parte, no espaço e ao
nosso lado, vendo-nos e acotovelando-nos
sem cessar.
É toda uma população invisível que se
agita ao nosso redor. (4)
Os Espíritos exercem sobre o mundo
moral e mesmo sobre o mundo físico uma
ação incessante.
Agem sobre a matéria e sobre o
pensamento e constituem uma das forças da
Natureza, causa eficiente de uma multidão
de fenômenos até agora inexplicados ou mal
explicados, que não encontram solução
racional... senão no Espiritismo. (4)
As relações dos Espíritos com os
homens são constantes.
Os bons Espíritos nos convidam ao
bem, nos sustentam nas provas da vida e
nos ajudam a suportá-las com coragem e
resignação;
Os maus nos convidam ao mal:
É para eles um prazer ver-nos sucumbir e cair
no seu estado. (5)
As comunicações ocultas verificam-se pela
influência boa ou má que eles exercem sobre nós
sem o sabermos, cabendo ao nosso julgamento
discernir as más e boas inspirações [...].
[...] Os Espíritos são atraídos na razão de sua
simpatia pela natureza moral do meio que os
evoca.
[Os Espíritos superiores gostam das reuniões
sérias em que predominem o amor do bem e o
desejo sincero de instrução e de melhoria.
Sua presença afasta os Espíritos inferiores,
que encontram, ao contrário, livre acesso e podem
agir com inteira liberdade entre as pessoas
frívolas ou guiadas apenas pela curiosidade e por
toda parte onde encontrem maus instintos [...]. (6)
Distinguir os bons e os maus Espíritos é
extremamente fácil.
A linguagem dos Espíritos superiores é
constantemente digna, nobre, cheia da mais alta
moralidade [...],
A dos Espíritos inferiores, ao contrário, é
inconsequente, quase banal e mesmo grosseira;
(6)
A moral dos Espíritos superiores se resume,
como a do Cristo, nesta máxima evangélica:
"Fazer aos outros o que desejamos que os outros
nos façam", ou seja, fazer o bem e não o mal.
O homem encontra nesse princípio a regra
universal de conduta, mesmo para as menores
ações.
[...] nos ensinam que o egoísmo, o orgulho,
a sensualidade são paixões que nos aproximam
da natureza animal, prendendo-nos à matéria:
Que o homem que, desde este mundo, se
liberta da matéria pelo desprezo das futilidades
mundanas e o cultivo do amor ao próximo,
aproxima-se da natureza espiritual;
Que cada um de nós deve tornar-se útil
segundo as faculdades e os meios que Deus nos
colocou nas mãos para nos provar;
Que o Forte e o Poderoso devem apoio e
proteção ao Fraco, porque aquele que abusa da
sua força e do seu poder para oprimir o seu
semelhante viola a lei de Deus.
Eles ensinam, enfim, que no mundo dos
Espíritos nada pode estar escondido:
O hipócrita será desmascarado e todas as
suas torpezas reveladas, a presença inevitável e
incessante daqueles que prejudicamos é um dos
castigos que nos estão reservados;
Ao estado de inferioridade e de
Superioridade dos Espíritos correspondem
penas e alegrias que nos são desconhecidas na
Terra.
Mas eles nos ensinam também que não há
faltas irremissíveis, que não possam ser
apagadas pela expiação.
O homem encontra o meio necessário nas
diferentes existências, que lhe permitem
avançar, segundo o seu desejo e os seus
esforços, na via do progresso, em direção à
perfeição que é o seu objetivo final. (7)
Este é o resumo dos pontos principais da
Doutrina Espírita, como ela aparece no
ensinamento dos Espíritos superiores, que serão
desenvolvidos no transcorrer dos estudos.
 O Espírito pode vir a materializar-se no
corpo de um animal, isto é, por meio da
“Metempsicose”?
● Não! A materialização do Espírito sempre
se dará na espécie humana, visto que, todas as
materializações são progressivas, pode até ser
estacionária, porém, jamais, regressiva, mas, a
rapidez do seu progresso depende dos esforços
que faça para chegar a perfeição.
Roteiro 4   pontos principais da doutrina espírita
Roteiro 4   pontos principais da doutrina espírita
10. E os discípulos Lhe perguntaram,
dizendo: “Pois por que dizem os escribas que
importa vir Elias primeiro?
11. E Jesus, respondendo, disse-lhes:
Em Elias virá primeiro, e restaurará todas
as coisas;
12. Mas digo-vos que Elias já veio, e não o
conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que
quiseram. Assim farão eles também padecer o
Filho do Homem.
13. Então entenderam os discípulos que
lhes falará de João o Batista.
 Meus bem-amados, não acrediteis em
todos os Espíritos, mas provai se os Espíritos
são de Deus, pois muitos falsos profetas se têm
levantado no mundo.
 Pôncio Pilatos foi prefeito da província
romana da Judéia do ano 26 d.C. até o ano 36
ou começo do 37 d.C.
33. Tornou, pois a entrar Pilatos na
audiência, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és
rei dos judeus?
36. Respondeu-lhe Jesus: O meu reino
não é deste mundo.
1. Não se turbe o vosso coração, credes
em Deus, crede também em mim.
2. Na casa de mau Pai há muitas
moradas; se assim não fosse, eu vo-lo teria
dito. Vou preparar-vos lugar.
3. E quando eu for, e vos preparar o lugar,
virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo,
para que onde eu estiver estejais vós também.
4. Mesmo vós sabeis para onde vou, e
conheceis o caminho.
15. Se me amais, guardareis meus
mandamentos.
16. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará um
outro Consolador, para que fique convosco
para sempre;
17. O Espírito de verdade, que o mundo
não pode receber, porque não o vê nem o
conhece; mas vós o conheceis, porque habita
convosco, e permanecerá junto de vós.
Roteiro 4   pontos principais da doutrina espírita
23. E estava ali, naquela Sinagoga, um homem
possesso de um espírito impuro, que começou a gritar:
24. Dizendo: Ah! que temos contigo, Jesus
Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo
de Deus!”
25. E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te e sai
deste homem.
26. Então o espírito imundo, convulsionando-o, e
clamando com grande voz, saiu dele.
27. E todos se admiraram, a ponto de perguntarem
entre si, dizendo: Que é isto? Que nova doutrina é esta?
Pois com autoridade ordena aos espíritos imundos, e eles
lhe obedecem!
1. KARDEC, Allan. O livro dos Espíritos. Tradução
de J. Herculano Pires. 68ª ed. São Paulo: LAKE, 2009.
Introdução – Item: VI – Resumo da Doutrina dos
Espíritos - Pág. 32.
2. ______. Pág. 33.
3. ______. Págs. 33-34.
4. ______. Págs. 34-35.
5. ______. Pág. 35.
6. ______. Págs. 35-36.
7. ______. Pág. 36.
ReferênciasReferências
BibliográficasBibliográficas
Roteiro 4   pontos principais da doutrina espírita

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atributos da divindade
Atributos da divindadeAtributos da divindade
Atributos da divindade
Denise Aguiar
 
Animismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoAnimismo e Espiritismo
Animismo e Espiritismo
Graça Maciel
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
Ricardo Azevedo
 
Mistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismoMistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismo
jcevadro
 
A vida no mundo espiritual-1,5h
A vida no mundo espiritual-1,5hA vida no mundo espiritual-1,5h
A vida no mundo espiritual-1,5h
home
 
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hsO papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
home
 
2.1.2 mundo normal primitivo
2.1.2   mundo normal primitivo2.1.2   mundo normal primitivo
2.1.2 mundo normal primitivo
Marta Gomes
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
3ª aula da natureza das comunicações - coem
3ª aula   da natureza das comunicações - coem3ª aula   da natureza das comunicações - coem
3ª aula da natureza das comunicações - coem
Wagner Quadros
 
Nos domínios da mediunidade aula9
Nos domínios da mediunidade aula9Nos domínios da mediunidade aula9
Nos domínios da mediunidade aula9
Leonardo Pereira
 
O livro dos médiuns
O livro dos médiunsO livro dos médiuns
O livro dos médiuns
Alfredo Lopes
 
Emancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - DesdobramentoEmancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - Desdobramento
contatodoutrina2013
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
Kleber Galo
 
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espíritaEsdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
Denise Aguiar
 
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidadeQuarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
CeiClarencio
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantesTomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
home
 
Mediunidade gratuita
Mediunidade gratuitaMediunidade gratuita
Mediunidade gratuita
Ceile Maria Bernardo
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Graça Maciel
 

Mais procurados (20)

Atributos da divindade
Atributos da divindadeAtributos da divindade
Atributos da divindade
 
Animismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoAnimismo e Espiritismo
Animismo e Espiritismo
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
 
Mistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismoMistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismo
 
A vida no mundo espiritual-1,5h
A vida no mundo espiritual-1,5hA vida no mundo espiritual-1,5h
A vida no mundo espiritual-1,5h
 
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hsO papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
 
2.1.2 mundo normal primitivo
2.1.2   mundo normal primitivo2.1.2   mundo normal primitivo
2.1.2 mundo normal primitivo
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
 
3ª aula da natureza das comunicações - coem
3ª aula   da natureza das comunicações - coem3ª aula   da natureza das comunicações - coem
3ª aula da natureza das comunicações - coem
 
Nos domínios da mediunidade aula9
Nos domínios da mediunidade aula9Nos domínios da mediunidade aula9
Nos domínios da mediunidade aula9
 
O livro dos médiuns
O livro dos médiunsO livro dos médiuns
O livro dos médiuns
 
Emancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - DesdobramentoEmancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - Desdobramento
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
 
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espíritaEsdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
 
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidadeQuarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantesTomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
 
Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
 
Mediunidade gratuita
Mediunidade gratuitaMediunidade gratuita
Mediunidade gratuita
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
 

Destaque

Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaResumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Graça Maciel
 
Doutrina Espírita - Resumo dos Pontos Principais
Doutrina Espírita - Resumo dos Pontos PrincipaisDoutrina Espírita - Resumo dos Pontos Principais
Doutrina Espírita - Resumo dos Pontos Principais
hamletcrs
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
paikachambi
 
Aspecto TríPlice Da Doutrina EspíRita
Aspecto TríPlice Da Doutrina EspíRitaAspecto TríPlice Da Doutrina EspíRita
Aspecto TríPlice Da Doutrina EspíRita
Sergio Menezes
 
01 resumo dos pontos principais da doutrina espirita
01 resumo dos pontos principais da doutrina espirita01 resumo dos pontos principais da doutrina espirita
01 resumo dos pontos principais da doutrina espirita
carlos freire
 
2016 01-28-ce-espiritos-gisa diniz
2016 01-28-ce-espiritos-gisa diniz2016 01-28-ce-espiritos-gisa diniz
2016 01-28-ce-espiritos-gisa diniz
carlos freire
 
Resumo dos pontos principais da doutrina espirita
Resumo dos pontos principais da doutrina espiritaResumo dos pontos principais da doutrina espirita
Resumo dos pontos principais da doutrina espirita
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Geead 2011 06_08: Pontos Principais da Doutrina Espírita
Geead 2011 06_08: Pontos Principais da Doutrina EspíritaGeead 2011 06_08: Pontos Principais da Doutrina Espírita
Geead 2011 06_08: Pontos Principais da Doutrina Espírita
Geead Abu Dhabi
 
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objetoIntrodução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Denise Aguiar
 
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Marcelo do Nascimento Rodrigues
 
Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
Daniel Portes
 
04.[2014] fund i-mod i-rot 4-euzebio aula
04.[2014] fund i-mod i-rot 4-euzebio aula04.[2014] fund i-mod i-rot 4-euzebio aula
04.[2014] fund i-mod i-rot 4-euzebio aula
Euzebio Medrado
 
15 principios
15 principios15 principios
Visão espírita da bíblia
Visão espírita da bíbliaVisão espírita da bíblia
Visão espírita da bíblia
anaccc2013
 
Aspectos da doutrina espírita
Aspectos da doutrina espíritaAspectos da doutrina espírita
Aspectos da doutrina espírita
Helio Cruz
 
Espiritismo visto através de uma análise bíblica
Espiritismo visto através de uma análise bíblicaEspiritismo visto através de uma análise bíblica
Espiritismo visto através de uma análise bíblica
Egmon Pereira
 
Espirito materia perispirito
Espirito materia perispiritoEspirito materia perispirito
Espirito materia perispirito
Marcel Jefferson Gonçalves
 
Fundamental i modulo i - roteiro 4
Fundamental i   modulo i - roteiro 4Fundamental i   modulo i - roteiro 4
Fundamental i modulo i - roteiro 4
Shantappa Jewur
 
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITAESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
Almir Silva
 
Espiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelhoEspiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelho
João Eduardo
 

Destaque (20)

Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaResumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
 
Doutrina Espírita - Resumo dos Pontos Principais
Doutrina Espírita - Resumo dos Pontos PrincipaisDoutrina Espírita - Resumo dos Pontos Principais
Doutrina Espírita - Resumo dos Pontos Principais
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
Aspecto TríPlice Da Doutrina EspíRita
Aspecto TríPlice Da Doutrina EspíRitaAspecto TríPlice Da Doutrina EspíRita
Aspecto TríPlice Da Doutrina EspíRita
 
01 resumo dos pontos principais da doutrina espirita
01 resumo dos pontos principais da doutrina espirita01 resumo dos pontos principais da doutrina espirita
01 resumo dos pontos principais da doutrina espirita
 
2016 01-28-ce-espiritos-gisa diniz
2016 01-28-ce-espiritos-gisa diniz2016 01-28-ce-espiritos-gisa diniz
2016 01-28-ce-espiritos-gisa diniz
 
Resumo dos pontos principais da doutrina espirita
Resumo dos pontos principais da doutrina espiritaResumo dos pontos principais da doutrina espirita
Resumo dos pontos principais da doutrina espirita
 
Geead 2011 06_08: Pontos Principais da Doutrina Espírita
Geead 2011 06_08: Pontos Principais da Doutrina EspíritaGeead 2011 06_08: Pontos Principais da Doutrina Espírita
Geead 2011 06_08: Pontos Principais da Doutrina Espírita
 
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objetoIntrodução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
 
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
 
Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
 
04.[2014] fund i-mod i-rot 4-euzebio aula
04.[2014] fund i-mod i-rot 4-euzebio aula04.[2014] fund i-mod i-rot 4-euzebio aula
04.[2014] fund i-mod i-rot 4-euzebio aula
 
15 principios
15 principios15 principios
15 principios
 
Visão espírita da bíblia
Visão espírita da bíbliaVisão espírita da bíblia
Visão espírita da bíblia
 
Aspectos da doutrina espírita
Aspectos da doutrina espíritaAspectos da doutrina espírita
Aspectos da doutrina espírita
 
Espiritismo visto através de uma análise bíblica
Espiritismo visto através de uma análise bíblicaEspiritismo visto através de uma análise bíblica
Espiritismo visto através de uma análise bíblica
 
Espirito materia perispirito
Espirito materia perispiritoEspirito materia perispirito
Espirito materia perispirito
 
Fundamental i modulo i - roteiro 4
Fundamental i   modulo i - roteiro 4Fundamental i   modulo i - roteiro 4
Fundamental i modulo i - roteiro 4
 
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITAESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
 
Espiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelhoEspiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelho
 

Semelhante a Roteiro 4 pontos principais da doutrina espírita

Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
Jéssica Pett
 
Introdução - resumo parte 6
Introdução - resumo parte 6Introdução - resumo parte 6
Introdução - resumo parte 6
Patricia Farias
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Bruno Cechinel Filho
 
Conheça o espiritismo, em português
Conheça o espiritismo, em portuguêsConheça o espiritismo, em português
Conheça o espiritismo, em português
USE Jabaquara
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
Helio Cruz
 
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptxINFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
GuilhermeTadeu11
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritualCapitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Marta Gomes
 
Perfil do espiritismo
Perfil do espiritismoPerfil do espiritismo
Perfil do espiritismo
lucrislopes
 
Ceuinferno 005 1a. parte_capítulo iii o céu (itens 1 a 11)
Ceuinferno 005 1a. parte_capítulo iii  o céu (itens 1 a 11)Ceuinferno 005 1a. parte_capítulo iii  o céu (itens 1 a 11)
Ceuinferno 005 1a. parte_capítulo iii o céu (itens 1 a 11)
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Primeiro Módulo - Aula 6 - Espirítos
Primeiro Módulo - Aula 6 - EspirítosPrimeiro Módulo - Aula 6 - Espirítos
Primeiro Módulo - Aula 6 - Espirítos
CeiClarencio
 
Desdobramento
DesdobramentoDesdobramento
Desdobramento
cab3032
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
Eduardo Campadeli
 
A religiao interior
A religiao interiorA religiao interior
A religiao interior
Ivan Andrade
 
O que é o espiritismo
O que é o espiritismo O que é o espiritismo
O que é o espiritismo
grupodepaisceb
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Marta Gomes
 
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Alessandru2
 
Existência de Deus
Existência de DeusExistência de Deus
Existência de Deus
Denise Aguiar
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
Ceile Bernardo
 

Semelhante a Roteiro 4 pontos principais da doutrina espírita (20)

Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
 
Introdução - resumo parte 6
Introdução - resumo parte 6Introdução - resumo parte 6
Introdução - resumo parte 6
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 
Conheça o espiritismo, em português
Conheça o espiritismo, em portuguêsConheça o espiritismo, em português
Conheça o espiritismo, em português
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
 
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptxINFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritualCapitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
 
Perfil do espiritismo
Perfil do espiritismoPerfil do espiritismo
Perfil do espiritismo
 
Ceuinferno 005 1a. parte_capítulo iii o céu (itens 1 a 11)
Ceuinferno 005 1a. parte_capítulo iii  o céu (itens 1 a 11)Ceuinferno 005 1a. parte_capítulo iii  o céu (itens 1 a 11)
Ceuinferno 005 1a. parte_capítulo iii o céu (itens 1 a 11)
 
Primeiro Módulo - Aula 6 - Espirítos
Primeiro Módulo - Aula 6 - EspirítosPrimeiro Módulo - Aula 6 - Espirítos
Primeiro Módulo - Aula 6 - Espirítos
 
Desdobramento
DesdobramentoDesdobramento
Desdobramento
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
A religiao interior
A religiao interiorA religiao interior
A religiao interior
 
O que é o espiritismo
O que é o espiritismo O que é o espiritismo
O que é o espiritismo
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
 
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
 
Existência de Deus
Existência de DeusExistência de Deus
Existência de Deus
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
 

Mais de Bruno Cechinel Filho

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexoRoteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Bruno Cechinel Filho
 

Mais de Bruno Cechinel Filho (20)

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
 
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexoRoteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
 

Último

metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 

Último (14)

metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 

Roteiro 4 pontos principais da doutrina espírita

  • 1. CENTRO DE TRABALHOS ESPÍRITA ANA LUZ Pontos Principais da Doutrina Espírita
  • 4. Pontos Principais da Doutrina Espírita Objetivo Específico Apresentar os pontos principais da Doutrina Espírita, de acordo com o resumo existentes na Introdução de O Livro dos Espíritos.
  • 7.  Os seres que se manifestam designam-se a si mesmos como dissemos: Gênios ou Espíritos, e dizem alguns pelo menos, que viveram como homens na Terra. Constituem o mundo espiritual, como nós constituímos, durante a nossa vida, o mundo corporal. Resumimos em poucas palavras os pontos principais da doutrina que nos transmitiram, a fim de mais facilmente responder a certas objeções: (1)
  • 8.  Deus é eterno, imutável, único, todo poderoso, soberanamente justo e bom.  Criou o Universo, que compreende todos os seres animados e inanimados, materiais e imateriais;  Os seres materiais constituem o mundo visível ou corpóreo;  Os seres imateriais constituem o mundo invisível ou espírita, isto é, dos Espíritos.  O mundo espirita é o mundo normal, primitivo, eterno, preexistente e sobrevivente a tudo.
  • 9.  O mundo corporal é secundário; pode deixar de existir, ou nunca ter existido, sem alterar a essência do mundo espírita.  Os Espíritos revestem temporariamente um invólucro material perecível e sua destruição pela morte os devolve à a liberdade.  Entre as diferentes espécies de seres corporais Deus escolheu a espécie humana para a materialização dos Espíritos [...]. (1)  A alma é um Espírito materializado e o corpo é apenas o seu envoltório.
  • 10. Há no homem três ( 3 ) coisas: 1º) O corpo ou ser material, semelhante ao dos animais e animado pelo mesmo princípio vital; 2º) A Alma ou ser material, espírito materializado no corpo (Princípio inteligente); 3º) O liame ou perispírito que une a alma ao corpo, princípio intermediário entre a matéria e o Espírito. Cordão de prata: Prende somático ao psicossoma. Cordão de ouro: Prende o Psicossoma ao Espírito.
  • 12. CENTRO DE FORÇAS DUPLO ETÉRICO ENERGOSSOMA
  • 13.  Energossoma: Holochacra (Duplo-Etérico): ● Conjunto de todos os chacras que formam o paracorpo energético da consciência materializada; ● Liga o Psicossoma ao Corpo Somático; ● Zona intermediária pela qual passam as correntes energéticas que mantém o Corpo Vivo (Soma). Chacras: Tem como principal função a absorção de energia do meio-ambiente para o interior do Holochacra e do Corpo Físico (Soma).
  • 14.  Consciência: Capacidade de julgamento. “Mundo Interior e Exterior”. Ser pensante. Conscin: Consciência Intrafísica – Materializada – (possui um corpo biológico) Consciex: Consciência Extrafísica – Dessoma (desmaterialização do soma - corpo biológico)
  • 15.  Holossoma: Veículo de manifestação da Conscin: (consciência intrafísica) e da Consciex (consciência extrafísica): ● Multidimensional: Várias dimensões; ● Multiexistencial: Várias existências. Soma Energossoma Psicossoma e Mentalsoma Psicossoma Mentalsoma
  • 16. Mentalsoma: Corpo Mental – Cabeça extrafísica, sem forma Humanoide Soma: Corpo Físico Energossoma: Duplo Etérico Psicossoma: Perispírito. Holossoma: Extrafísica Desmaterializado – Consciex Mentalsoma e Psicossoma Holossoma: Intrafísica Materializado – Conscin Mentalsoma; Psicossoma, Energossoma e Soma
  • 18. Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. Paulo - I Coríntios 15:44
  • 19. Soma: Corpo Humano: É o veículo de manifestação mais denso do Holossoma da Consciência. Por ser mais sólido, o corpo humano faz o homem e a mulher comuns, sem as noções básicas da multiexistencialidade e julgam que eles mesmos são tão somente os seus somas (corpos físicos). O liame ou perispírito que une corpo e Espírito é uma espécie de invólucro semimaterial.
  • 20. A morte é a destruição do invólucro mais grosseiro. O Espírito conserva o segundo, que constitui para ele um corpo etéreo, invisível para nós no seu estado normal, mas que ele pode tornar acidentalmente visível e mesmo tangível, como se verifica nos fenômenos de aparição. (2). O Espírito não é, portanto, um ser abstrato, indefinido, que só o pensamento pode conceber.
  • 21. É um ser real, definido, que em certos casos pode ser apreendido pelos nossos sentidos da vista, da audição e do tato. Os Espíritos pertencem a diferentes classes, não sendo iguais em poder nem em inteligência, saber ou moralidade. Os da primeira ordem são os Espíritos Superiores que se distinguem pela perfeição, pelos conhecimentos e pela proximidade de Deus, pela pureza dos sentimentos e o amor do bem: são os anjos ou Espíritos puros.
  • 22. As demais classes se distanciam mais e mais desta perfeição. Os das classes inferiores são inclinados às nossas paixões: o ódio, a inveja, o ciúme, o orgulho, etc. e se comprazem no mal. (2) Os Espíritos não pertencem eternamente à mesma ordem. Todos melhoram, passando pelos diferentes graus da hierarquia espírita. Esse melhoramento se verifica pela materialização, que a uns é imposta como uma expiação, a outros como missão.
  • 23. A vida material é uma prova a que devem submeter-se repetidas vezes até atingirem a perfeição absoluta moral; (3) É uma espécie de peneira ou depurador de que eles saem mais ou menos purificados. (3) Deixando o corpo, a alma volta ao mundo dos Espíritos, de que havia saído para reiniciar uma nova existência material, após um lapso de tempo mais ou menos longo durante o qual permanecerá no estado de espírito errante¹.
  • 24. Devendo o Espírito passar por muitas materializações, conclui-se que todos nós tivemos muitas existências e que teremos outras, mais ou menos aperfeiçoadas, seja na Terra ou em outros mundos. (4) ¹Entre esta doutrina da rematerialização e a da metempsicose, tal como a admitem algumas seitas, há uma diferença característica que será explicada no [...] decurso dos estudos. As diferentes existências corporais do Espírito são sempre progressivas e jamais retrógradas, mas a rapidez do progresso depende dos esforços que fazemos para chegar à perfeição.
  • 25. A materialização dos Espíritos ocorre sempre na espécie humana. Seria um erro acreditar que a alma ou espírito pudesse materializar-se num corpo de animal. As diferentes existências corporais do Espírito são sempre progressivas e jamais retrógradas, mas a rapidez do progresso depende dos esforços que fazemos para chegar à perfeição [...]. Os Espíritos materializados habitam os diferentes globos do Universo.
  • 26. Os Espíritos não materializados ou errantes não ocupam nenhuma região determinada ou circunscrita; Estão por toda parte, no espaço e ao nosso lado, vendo-nos e acotovelando-nos sem cessar. É toda uma população invisível que se agita ao nosso redor. (4) Os Espíritos exercem sobre o mundo moral e mesmo sobre o mundo físico uma ação incessante.
  • 27. Agem sobre a matéria e sobre o pensamento e constituem uma das forças da Natureza, causa eficiente de uma multidão de fenômenos até agora inexplicados ou mal explicados, que não encontram solução racional... senão no Espiritismo. (4) As relações dos Espíritos com os homens são constantes. Os bons Espíritos nos convidam ao bem, nos sustentam nas provas da vida e nos ajudam a suportá-las com coragem e resignação;
  • 28. Os maus nos convidam ao mal: É para eles um prazer ver-nos sucumbir e cair no seu estado. (5) As comunicações ocultas verificam-se pela influência boa ou má que eles exercem sobre nós sem o sabermos, cabendo ao nosso julgamento discernir as más e boas inspirações [...]. [...] Os Espíritos são atraídos na razão de sua simpatia pela natureza moral do meio que os evoca. [Os Espíritos superiores gostam das reuniões sérias em que predominem o amor do bem e o desejo sincero de instrução e de melhoria.
  • 29. Sua presença afasta os Espíritos inferiores, que encontram, ao contrário, livre acesso e podem agir com inteira liberdade entre as pessoas frívolas ou guiadas apenas pela curiosidade e por toda parte onde encontrem maus instintos [...]. (6) Distinguir os bons e os maus Espíritos é extremamente fácil. A linguagem dos Espíritos superiores é constantemente digna, nobre, cheia da mais alta moralidade [...], A dos Espíritos inferiores, ao contrário, é inconsequente, quase banal e mesmo grosseira; (6)
  • 30. A moral dos Espíritos superiores se resume, como a do Cristo, nesta máxima evangélica: "Fazer aos outros o que desejamos que os outros nos façam", ou seja, fazer o bem e não o mal. O homem encontra nesse princípio a regra universal de conduta, mesmo para as menores ações. [...] nos ensinam que o egoísmo, o orgulho, a sensualidade são paixões que nos aproximam da natureza animal, prendendo-nos à matéria: Que o homem que, desde este mundo, se liberta da matéria pelo desprezo das futilidades mundanas e o cultivo do amor ao próximo, aproxima-se da natureza espiritual;
  • 31. Que cada um de nós deve tornar-se útil segundo as faculdades e os meios que Deus nos colocou nas mãos para nos provar; Que o Forte e o Poderoso devem apoio e proteção ao Fraco, porque aquele que abusa da sua força e do seu poder para oprimir o seu semelhante viola a lei de Deus. Eles ensinam, enfim, que no mundo dos Espíritos nada pode estar escondido: O hipócrita será desmascarado e todas as suas torpezas reveladas, a presença inevitável e incessante daqueles que prejudicamos é um dos castigos que nos estão reservados;
  • 32. Ao estado de inferioridade e de Superioridade dos Espíritos correspondem penas e alegrias que nos são desconhecidas na Terra. Mas eles nos ensinam também que não há faltas irremissíveis, que não possam ser apagadas pela expiação. O homem encontra o meio necessário nas diferentes existências, que lhe permitem avançar, segundo o seu desejo e os seus esforços, na via do progresso, em direção à perfeição que é o seu objetivo final. (7)
  • 33. Este é o resumo dos pontos principais da Doutrina Espírita, como ela aparece no ensinamento dos Espíritos superiores, que serão desenvolvidos no transcorrer dos estudos.  O Espírito pode vir a materializar-se no corpo de um animal, isto é, por meio da “Metempsicose”? ● Não! A materialização do Espírito sempre se dará na espécie humana, visto que, todas as materializações são progressivas, pode até ser estacionária, porém, jamais, regressiva, mas, a rapidez do seu progresso depende dos esforços que faça para chegar a perfeição.
  • 36. 10. E os discípulos Lhe perguntaram, dizendo: “Pois por que dizem os escribas que importa vir Elias primeiro? 11. E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas; 12. Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do Homem. 13. Então entenderam os discípulos que lhes falará de João o Batista.
  • 37.  Meus bem-amados, não acrediteis em todos os Espíritos, mas provai se os Espíritos são de Deus, pois muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.
  • 38.  Pôncio Pilatos foi prefeito da província romana da Judéia do ano 26 d.C. até o ano 36 ou começo do 37 d.C. 33. Tornou, pois a entrar Pilatos na audiência, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és rei dos judeus? 36. Respondeu-lhe Jesus: O meu reino não é deste mundo.
  • 39. 1. Não se turbe o vosso coração, credes em Deus, crede também em mim. 2. Na casa de mau Pai há muitas moradas; se assim não fosse, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. 3. E quando eu for, e vos preparar o lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. 4. Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.
  • 40. 15. Se me amais, guardareis meus mandamentos. 16. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará um outro Consolador, para que fique convosco para sempre; 17. O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e permanecerá junto de vós.
  • 42. 23. E estava ali, naquela Sinagoga, um homem possesso de um espírito impuro, que começou a gritar: 24. Dizendo: Ah! que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus!” 25. E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te e sai deste homem. 26. Então o espírito imundo, convulsionando-o, e clamando com grande voz, saiu dele. 27. E todos se admiraram, a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Que nova doutrina é esta? Pois com autoridade ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem!
  • 43. 1. KARDEC, Allan. O livro dos Espíritos. Tradução de J. Herculano Pires. 68ª ed. São Paulo: LAKE, 2009. Introdução – Item: VI – Resumo da Doutrina dos Espíritos - Pág. 32. 2. ______. Pág. 33. 3. ______. Págs. 33-34. 4. ______. Págs. 34-35. 5. ______. Pág. 35. 6. ______. Págs. 35-36. 7. ______. Pág. 36. ReferênciasReferências BibliográficasBibliográficas

Notas do Editor

  1. LIAME: Elemento de ligação,
  2. O homem tem assim duas naturezas: 1.Pelo corpo participa da natureza dos animais, dos quais possui os instintos. 2. Pela alma participa da natureza dos Espíritos.
  3. PARACORPO ENERGÉTICO: Holochacra, Energossoma, Duplo etérico. PARACORPO EMOCIONAL: Psicossoma PARACORPO DO DISCERNIMENTO: Meltalsoma
  4. LIAME: Elemento de ligação – Que liga uma coisa a outra.
  5. APREENDIDO: Capturado