SlideShare uma empresa Scribd logo
Módulo 3 – Caso Prático 2
Localização
A Igreja de São Pedro de Rates localiza-se na zona norte do país, na localidade de
São Pedro de Rates, concelho da Póvoa de Varzim e distrito do Porto.
Enquadramento
É uma igreja românica ligada aos mosteiros beneditinos cluniacenses, considerada
uma das melhores e mais bem conservadas deste estilo no nosso país, quer pelas
formas arquitetónicas quer escultóricas.
Teve várias fases de desenvolvimento e recuperação, enquanto mosteiro, a partir
do século VI. Nos séculos VI e VII foi utilizada pelos romanos e pelos cristãos o que
se comprova pelo facto de lá se ter encontrado uma estela romana.
Foi reconstruída durante o período do Condado Portucalense – século XII –, pois
encontrava-se em ruínas. O conde Henrique de Borgonha e Teresa de Leão, sua
esposa, doaram o mosteiro de Rates ao priorado da ordem de Cluny, com sede em
La Charité-sur-Loire, Auxerre, França. Esta doação teve como objetivo a
restauração do mosteiro para ali ser implantada a Regra Beneditina.
Pág. 173
A fachada principal
Fachada granítica, robusta e fechada
Contrafortes salientes
Poucas aberturas
Corpo central mais elevado
que os dois laterais
Telhado de duas águas
Sistema de iluminação na fachada principal
Frestas
O portal da fachada principal
Colunelos
Arquivoltas
Tímpano
A decoração do portal principal
Capitéis
Os colunelos, com fustes
lisos possuem abundante
decoração esculpida nos
capitéis: animais míticos,
sereias, figuras humanas.
1. No centro, Cristo sentado em
majestade na mandorla mística.
1
2
2
2. Duas personagens que O
ladeiam e que se julga tratar-se
de dois profetas, um dos quais
São João Batista.
3 3
3. Os profetas pisam Judas e Ario,
porque o judaísmo e o arianismo
eram considerados heresias.
4 4
4. Fora do tímpano, à esquerda e
à direita, animais atlantes.
As figuras têm aspeto arcaizante, sem pormenor,
e a composição é simétrica e sintetizada.
Tímpano
1
2
O portal da fachada lateral
1
1. O tímpano é preenchido pela imagem do Cordeiro
de Deus e a cruz de Cristo.
2
32. e 3. Possui 3 arquivoltas, sendo a menor polilobada
[2] e a intermédia boleada [3].
4
4. A mais exterior tem uma dupla tarja ornamental,
com folhas da Borgonha.
5
5. Ao nível do tímpano aparece a figura de um anjo.
6
6. Ao nível do tímpano aparece uma figura com um
livro.
7
7. Um modilhão.
8
8. Um animal atlante.
9
9. Um leão atlante a devorar um humano.
10 10
10. Colunas e colunelos possuem capitéis com animais
e elementos fitomórficos.
A cabeceira
Vista da cabeceira com
abside principal e absidíolos
Elementos decorativos da cabeceira
Arcadas com arcos de
volta perfeita
enquadram as frestas
Arcaturas cegas
e colunelos
adossados
Capitéis
Cachorrada
O interior
O interior é assimétrico – os pilares que
separam as naves laterais da principal são
diferentes uns dos outros.
Alguns arcos já são quebrados.
A igreja é pouco iluminada. O sistema de iluminação é feito por frestas a toda a volta
do edifício e na nave principal (no espaço do desnível das naves laterais com a
principal), pela rosácea na fachada principal e pelo óculo situado entre a cabeceira e o
corpo da igreja.
A decoração escultórica no interior
A escultura no interior da igreja está
circunscrita essencialmente aos capitéis
das colunas adossadas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manuelino
ManuelinoManuelino
Manuelino
TathianaBarbosa
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
Carla Camuso
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
Ana Barreiros
 
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte RomânicaCultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Carlos Vieira
 
Romanico em portugal
Romanico em portugalRomanico em portugal
Romanico em portugal
cattonia
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
kyzinha
 
Módulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaMódulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura Gótica
Carla Freitas
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Carlos Vieira
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte gotica
Ana Barreiros
 
Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
Ana Barreiros
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
Ana Barreiros
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românica
cattonia
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Carlos Vieira
 
Real Edificio De Mafra
Real Edificio De MafraReal Edificio De Mafra
Real Edificio De Mafra
ancate
 
Arte Românica e Gótica.pptx
Arte Românica e Gótica.pptxArte Românica e Gótica.pptx
Arte Românica e Gótica.pptx
JuditeBarbosa1
 
Arte romanica gotica
Arte romanica goticaArte romanica gotica
Arte romanica gotica
Cátia Botelho
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
Vítor Santos
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto Histórico
Carla Freitas
 
Escultura romana
Escultura romanaEscultura romana
Escultura romana
Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Manuelino
ManuelinoManuelino
Manuelino
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
 
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte RomânicaCultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
 
Romanico em portugal
Romanico em portugalRomanico em portugal
Romanico em portugal
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
 
Módulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaMódulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura Gótica
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte gotica
 
Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românica
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Real Edificio De Mafra
Real Edificio De MafraReal Edificio De Mafra
Real Edificio De Mafra
 
Arte Românica e Gótica.pptx
Arte Românica e Gótica.pptxArte Românica e Gótica.pptx
Arte Românica e Gótica.pptx
 
Arte romanica gotica
Arte romanica goticaArte romanica gotica
Arte romanica gotica
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto Histórico
 
Escultura romana
Escultura romanaEscultura romana
Escultura romana
 

Destaque

A arquitectura romnica
A arquitectura romnicaA arquitectura romnica
A arquitectura romnica
gueste0bd5a
 
O mundo muçulmano em expansão
O mundo muçulmano em expansãoO mundo muçulmano em expansão
O mundo muçulmano em expansão
cattonia
 
A cultura da catedral escultura e pintura
A cultura da catedral   escultura e pinturaA cultura da catedral   escultura e pintura
A cultura da catedral escultura e pintura
cattonia
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica I
cattonia
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contexto
cattonia
 
Escultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicasEscultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicas
cattonia
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ana Barreiros
 
A cultura da catedral islão
A cultura da catedral  islãoA cultura da catedral  islão
A cultura da catedral islão
cattonia
 
Amiens
AmiensAmiens
Amiens
cattonia
 
Casa Sommer
Casa SommerCasa Sommer
Casa Sommer
Ana Barreiros
 
Cultura do Mosteiro - Cluny
Cultura do Mosteiro - ClunyCultura do Mosteiro - Cluny
Cultura do Mosteiro - Cluny
Carlos Vieira
 
Cultura do mosteiro tempo e espaço
Cultura do mosteiro    tempo e espaçoCultura do mosteiro    tempo e espaço
Cultura do mosteiro tempo e espaço
Ana Barreiros
 
A arte românica
A arte românicaA arte românica
A arte românica
becresforte
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Andrea Dressler
 
Cultura do mosteiro contextualização
Cultura do mosteiro   contextualizaçãoCultura do mosteiro   contextualização
Cultura do mosteiro contextualização
cattonia
 
Cultura do Mosteiro - Arte islâmica
Cultura do Mosteiro - Arte islâmicaCultura do Mosteiro - Arte islâmica
Cultura do Mosteiro - Arte islâmica
Carlos Vieira
 
Hca M3
Hca   M3Hca   M3
Arquitectura românica
Arquitectura românicaArquitectura românica
Arquitectura românica
Vera Correia
 
Mosteiro de Paço de Sousa
Mosteiro de Paço de Sousa  Mosteiro de Paço de Sousa
Mosteiro de Paço de Sousa
Carlos Vieira
 
Cultura do palácio contexto
Cultura do palácio   contextoCultura do palácio   contexto
Cultura do palácio contexto
cattonia
 

Destaque (20)

A arquitectura romnica
A arquitectura romnicaA arquitectura romnica
A arquitectura romnica
 
O mundo muçulmano em expansão
O mundo muçulmano em expansãoO mundo muçulmano em expansão
O mundo muçulmano em expansão
 
A cultura da catedral escultura e pintura
A cultura da catedral   escultura e pinturaA cultura da catedral   escultura e pintura
A cultura da catedral escultura e pintura
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica I
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contexto
 
Escultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicasEscultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicas
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
 
A cultura da catedral islão
A cultura da catedral  islãoA cultura da catedral  islão
A cultura da catedral islão
 
Amiens
AmiensAmiens
Amiens
 
Casa Sommer
Casa SommerCasa Sommer
Casa Sommer
 
Cultura do Mosteiro - Cluny
Cultura do Mosteiro - ClunyCultura do Mosteiro - Cluny
Cultura do Mosteiro - Cluny
 
Cultura do mosteiro tempo e espaço
Cultura do mosteiro    tempo e espaçoCultura do mosteiro    tempo e espaço
Cultura do mosteiro tempo e espaço
 
A arte românica
A arte românicaA arte românica
A arte românica
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Cultura do mosteiro contextualização
Cultura do mosteiro   contextualizaçãoCultura do mosteiro   contextualização
Cultura do mosteiro contextualização
 
Cultura do Mosteiro - Arte islâmica
Cultura do Mosteiro - Arte islâmicaCultura do Mosteiro - Arte islâmica
Cultura do Mosteiro - Arte islâmica
 
Hca M3
Hca   M3Hca   M3
Hca M3
 
Arquitectura românica
Arquitectura românicaArquitectura românica
Arquitectura românica
 
Mosteiro de Paço de Sousa
Mosteiro de Paço de Sousa  Mosteiro de Paço de Sousa
Mosteiro de Paço de Sousa
 
Cultura do palácio contexto
Cultura do palácio   contextoCultura do palácio   contexto
Cultura do palácio contexto
 

Semelhante a Rates

hca10_m3_s_pedro_de_rates.pptx
hca10_m3_s_pedro_de_rates.pptxhca10_m3_s_pedro_de_rates.pptx
hca10_m3_s_pedro_de_rates.pptx
AndreiaSimes26
 
J arte românica
J arte românicaJ arte românica
J arte românica
António Silva
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
Lugares sagrados
Lugares sagradosLugares sagrados
Lugares sagrados
Alê Maldonado
 
Lugares Sagrados
Lugares SagradosLugares Sagrados
Lugares Sagrados
Alê Maldonado
 
Igreja de São Francisco- Porto.pptx
Igreja de São Francisco- Porto.pptxIgreja de São Francisco- Porto.pptx
Igreja de São Francisco- Porto.pptx
MarianaSantos758507
 
RomâNico
RomâNicoRomâNico
RomâNico
Hist8
 
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicasMódulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Carla Freitas
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
Silmara Nogueira
 
Romanico final 2
Romanico final 2Romanico final 2
Romanico final 2
Eduardo Sousa
 
E idade média 2011 2
E idade média 2011 2E idade média 2011 2
E idade média 2011 2
Marina Dantas
 
ilovepdf_merged (1).pdf
ilovepdf_merged (1).pdfilovepdf_merged (1).pdf
ilovepdf_merged (1).pdf
starlightmimi
 
Luis maltez gonçalo lanita - leonor almeida 7c
Luis maltez   gonçalo lanita - leonor almeida     7cLuis maltez   gonçalo lanita - leonor almeida     7c
Luis maltez gonçalo lanita - leonor almeida 7c
ceufaias
 
MosteirodosjeróNimos M Psom
MosteirodosjeróNimos M PsomMosteirodosjeróNimos M Psom
MosteirodosjeróNimos M Psom
cab3032
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Iga Almeida
 
Gótico
GóticoGótico
Mosteiro do Pombeiro
Mosteiro do Pombeiro  Mosteiro do Pombeiro
Mosteiro do Pombeiro
Carlos Vieira
 
Santiago de compostela
Santiago de compostelaSantiago de compostela
Santiago de compostela
10B
 
Mosteiro de S João de Tarouca
Mosteiro de S  João de TaroucaMosteiro de S  João de Tarouca
Mosteiro de S João de Tarouca
mcfsguerreiro
 
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ ManuelinoHistória de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
Cristiana Marques
 

Semelhante a Rates (20)

hca10_m3_s_pedro_de_rates.pptx
hca10_m3_s_pedro_de_rates.pptxhca10_m3_s_pedro_de_rates.pptx
hca10_m3_s_pedro_de_rates.pptx
 
J arte românica
J arte românicaJ arte românica
J arte românica
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
Lugares sagrados
Lugares sagradosLugares sagrados
Lugares sagrados
 
Lugares Sagrados
Lugares SagradosLugares Sagrados
Lugares Sagrados
 
Igreja de São Francisco- Porto.pptx
Igreja de São Francisco- Porto.pptxIgreja de São Francisco- Porto.pptx
Igreja de São Francisco- Porto.pptx
 
RomâNico
RomâNicoRomâNico
RomâNico
 
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicasMódulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
 
Romanico final 2
Romanico final 2Romanico final 2
Romanico final 2
 
E idade média 2011 2
E idade média 2011 2E idade média 2011 2
E idade média 2011 2
 
ilovepdf_merged (1).pdf
ilovepdf_merged (1).pdfilovepdf_merged (1).pdf
ilovepdf_merged (1).pdf
 
Luis maltez gonçalo lanita - leonor almeida 7c
Luis maltez   gonçalo lanita - leonor almeida     7cLuis maltez   gonçalo lanita - leonor almeida     7c
Luis maltez gonçalo lanita - leonor almeida 7c
 
MosteirodosjeróNimos M Psom
MosteirodosjeróNimos M PsomMosteirodosjeróNimos M Psom
MosteirodosjeróNimos M Psom
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Gótico
GóticoGótico
Gótico
 
Mosteiro do Pombeiro
Mosteiro do Pombeiro  Mosteiro do Pombeiro
Mosteiro do Pombeiro
 
Santiago de compostela
Santiago de compostelaSantiago de compostela
Santiago de compostela
 
Mosteiro de S João de Tarouca
Mosteiro de S  João de TaroucaMosteiro de S  João de Tarouca
Mosteiro de S João de Tarouca
 
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ ManuelinoHistória de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
História de arte - Periodo Românico/ Gótico/ Manuelino
 

Mais de cattonia

Deseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxDeseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptx
cattonia
 
arte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsxarte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsx
cattonia
 
A reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsxA reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsx
cattonia
 
A produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptxA produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptx
cattonia
 
Era digital
Era digitalEra digital
Era digital
cattonia
 
Família
FamíliaFamília
Família
cattonia
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
cattonia
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundo
cattonia
 
2. o espaço português
2. o espaço português2. o espaço português
2. o espaço português
cattonia
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
cattonia
 
O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xiv
cattonia
 
3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento
cattonia
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
cattonia
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
cattonia
 
Hegemonia inglesa
Hegemonia inglesaHegemonia inglesa
Hegemonia inglesa
cattonia
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
cattonia
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos
cattonia
 
Roma
RomaRoma
Roma
cattonia
 
Constr do social ii
Constr do social iiConstr do social ii
Constr do social ii
cattonia
 
A constr do social
A constr do socialA constr do social
A constr do social
cattonia
 

Mais de cattonia (20)

Deseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxDeseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptx
 
arte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsxarte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsx
 
A reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsxA reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsx
 
A produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptxA produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptx
 
Era digital
Era digitalEra digital
Era digital
 
Família
FamíliaFamília
Família
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundo
 
2. o espaço português
2. o espaço português2. o espaço português
2. o espaço português
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xiv
 
3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Hegemonia inglesa
Hegemonia inglesaHegemonia inglesa
Hegemonia inglesa
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Constr do social ii
Constr do social iiConstr do social ii
Constr do social ii
 
A constr do social
A constr do socialA constr do social
A constr do social
 

Último

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 

Último (20)

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 

Rates

  • 1. Módulo 3 – Caso Prático 2
  • 2. Localização A Igreja de São Pedro de Rates localiza-se na zona norte do país, na localidade de São Pedro de Rates, concelho da Póvoa de Varzim e distrito do Porto. Enquadramento É uma igreja românica ligada aos mosteiros beneditinos cluniacenses, considerada uma das melhores e mais bem conservadas deste estilo no nosso país, quer pelas formas arquitetónicas quer escultóricas. Teve várias fases de desenvolvimento e recuperação, enquanto mosteiro, a partir do século VI. Nos séculos VI e VII foi utilizada pelos romanos e pelos cristãos o que se comprova pelo facto de lá se ter encontrado uma estela romana. Foi reconstruída durante o período do Condado Portucalense – século XII –, pois encontrava-se em ruínas. O conde Henrique de Borgonha e Teresa de Leão, sua esposa, doaram o mosteiro de Rates ao priorado da ordem de Cluny, com sede em La Charité-sur-Loire, Auxerre, França. Esta doação teve como objetivo a restauração do mosteiro para ali ser implantada a Regra Beneditina. Pág. 173
  • 3. A fachada principal Fachada granítica, robusta e fechada Contrafortes salientes Poucas aberturas Corpo central mais elevado que os dois laterais Telhado de duas águas
  • 4. Sistema de iluminação na fachada principal Frestas
  • 5. O portal da fachada principal Colunelos Arquivoltas Tímpano
  • 6. A decoração do portal principal Capitéis Os colunelos, com fustes lisos possuem abundante decoração esculpida nos capitéis: animais míticos, sereias, figuras humanas.
  • 7. 1. No centro, Cristo sentado em majestade na mandorla mística. 1 2 2 2. Duas personagens que O ladeiam e que se julga tratar-se de dois profetas, um dos quais São João Batista. 3 3 3. Os profetas pisam Judas e Ario, porque o judaísmo e o arianismo eram considerados heresias. 4 4 4. Fora do tímpano, à esquerda e à direita, animais atlantes. As figuras têm aspeto arcaizante, sem pormenor, e a composição é simétrica e sintetizada. Tímpano 1 2
  • 8. O portal da fachada lateral 1 1. O tímpano é preenchido pela imagem do Cordeiro de Deus e a cruz de Cristo. 2 32. e 3. Possui 3 arquivoltas, sendo a menor polilobada [2] e a intermédia boleada [3]. 4 4. A mais exterior tem uma dupla tarja ornamental, com folhas da Borgonha. 5 5. Ao nível do tímpano aparece a figura de um anjo. 6 6. Ao nível do tímpano aparece uma figura com um livro. 7 7. Um modilhão. 8 8. Um animal atlante. 9 9. Um leão atlante a devorar um humano. 10 10 10. Colunas e colunelos possuem capitéis com animais e elementos fitomórficos.
  • 9. A cabeceira Vista da cabeceira com abside principal e absidíolos
  • 10. Elementos decorativos da cabeceira Arcadas com arcos de volta perfeita enquadram as frestas Arcaturas cegas e colunelos adossados Capitéis Cachorrada
  • 11. O interior O interior é assimétrico – os pilares que separam as naves laterais da principal são diferentes uns dos outros. Alguns arcos já são quebrados. A igreja é pouco iluminada. O sistema de iluminação é feito por frestas a toda a volta do edifício e na nave principal (no espaço do desnível das naves laterais com a principal), pela rosácea na fachada principal e pelo óculo situado entre a cabeceira e o corpo da igreja.
  • 12. A decoração escultórica no interior A escultura no interior da igreja está circunscrita essencialmente aos capitéis das colunas adossadas.