SlideShare uma empresa Scribd logo

Amiens

cattonia
cattonia

caso prático

1 de 11
Catedral de Notre-Dame de Amiens
(Amiens, França)
Catedral de Notre-Dame de Amiens
Executada entre 1220 e c. 1280.
Catedral de Notre-Dame de Amiens
Amiens, França
Monumento classificado como Património Mundial da
UNESCO, em 1981.
Localização: Amiens, região da Picardia, França.
Materiais: Pedra calcária de granulado grosso nas paredes e
elementos estruturais; pedra calcária fina nas
esculturas; vidros coloridos nas janelas.
Na ornamentação das talhas escultóricas e
restantes trabalhos foram utilizadas técnicas
próprias dos diferentes ofícios.
Direção da obra: Início dos trabalhos sob a direção do Bispo
Evrard de Fouilly, em 1220. Até 1228, condução
das obras pelo arquiteto Robert de Luzarches.
Seguiu-se-lhe Thomas de Cormont, até 1258, ano
em que foi substituído pelo seu filho Renaud de
Cormont, até à conclusão das obras.
Em recapitulação: contexto histórico
 Ao longo do século XII, um extenso período de clima moderado e um tempo de paz e de relativa estabilidade
política proporcionaram um tempo de progresso social e desenvolvimento económico.
 Daqui resultou um aumento demográfico e uma generalizada melhoria das condições de vida das populações.
 Desenvolvem-se então as cidades e várias (Paris, Londres, Bruges, Frankfurt, Génova, Veneza, ...) convertem-se
em importantes centros comerciais e mercados financeiros.
 Nasceu, assim, uma nova elite social, a burguesia (“os habitantes do burgo”), que rapidamente adquiriu um
grande poder económico.
 Porém, este não deixou de ser um mundo agrário e aristocrático em cujas cortes se desenvolvia uma cultura
cortesã voltada para os prazeres mundanos:
 Por outro lado, os mosteiros perderam o seu papel no desenvolvimento económico em favor das cidades e o seu
protagonismo cultural em favor das universidades.
 Nas universidades surge a escolástica, um método de pensamento crítico e especulativo, baseado na dialética, e
que pretendeu conciliar a fé cristã com um sistema de pensamento racional.
Uma universidade
medieval
 O estilo Gótico surge por volta de 1150, na Île-de-France (em Paris) e vai difundir-se ao longo dos séculos XII
e XIII por toda a França e Europa.
 A catedral é o edifício que caracteriza a essência da
sociedade Gótica, simbolizando o novo poder da
monarquia francesa que se vai difundindo por toda a
Europa devido à influência da coroa, às viagens dos
arquitetos e construtores gauleses e à expansão dos
monges de Cister.
 Este novo conceito arquitetónico, assente em
inovações técnicas a nível estrutural, marca a
transição da construção maciça do Românico para
uma construção mais leve e estrutural, em linha com
os progressos da sociedade da Baixa Idade Média, de
características urbanas.
 O espírito de rivalidade existente entre as cidades
também foi um fator de motivação para os arquitetos
elevarem cada vez mais as naves e torres das suas
catedrais.
Análise formal
 O sistema construtivo de Amiens aplica os princípios
arquitetónicos característicos da arquitetura gótica:
 A abóbada ogival
gótica é formada
por arcos soltos
sobre os quais
assenta o casco (o
enchimento) da
abóbada de
alvenaria, tijolo ou
cantaria.
Vista sobre o transepto.
→Cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas,
suportada por pilares e paredes ornamentadas.
→Descarga do peso da abóbada em pilares,
arcobotantes e contrafortes.
 A vantagem deste sistema estrutural é permitir
construir naves muito altas e substituir as paredes por
superfícies envidraçadas – os vitrais.
O arcobotante é
um arco situado no
exterior das
construções para
apoiar as paredes e
repartir o peso do
seu impulso.
O contraforte é
um reforço de um
muro, constituído
por um pilar de
alvenaria, para
sustentar a
pressão de uma
parede ou de um
arcobotante.
Corte estrutural.
 A nave central tem uma largura de 13,7 m, e
incluindo as naves laterais, Amiens tem uma
largura total de 45,7 m.
 As abóbadas da nave central elevam-se a 42,3
m.
 A sensação de
altura é acentuada
pela entrada
superior de luz,
filtrada através
dos vitrais
coloridos de
clerestório,
transformando a
luz natural do sol
numa luz difusa e
numa atmosfera
cálida.
Vista sobre o coro, com a abside
ao fundo.
Pilar
Arco ogival
Trifório
Clerestório
Abóbada
de cruzaria
de ogivas
Arcobotante
Pináculo
Contraforte
Tribuna
Gárgula
 A esta atmosfera interior, o abade
Suger designou de “radiação
divina” que fazia a igreja “rejubilar
de luz” e conduzia os fiéis à
exaltação mística.
Vitrais

Recomendados

Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos  Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos kyzinha
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românicaAna Barreiros
 
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCarlos Vieira
 
02 arquitetura gótica
02 arquitetura gótica02 arquitetura gótica
02 arquitetura góticaVítor Santos
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura góticaAna Barreiros
 
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de RatesMódulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de RatesCarla Freitas
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacioAna Barreiros
 
4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugalAna Barreiros
 
O gótico em portugal
O gótico em portugalO gótico em portugal
O gótico em portugalAna Barreiros
 
A Arquitetura Renascentista
A Arquitetura RenascentistaA Arquitetura Renascentista
A Arquitetura RenascentistaSusana Simões
 
Módulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaMódulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaCarla Freitas
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedralVítor Santos
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românicacattonia
 
Arquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaArquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaAna Barreiros
 
Romanico em portugal
Romanico em portugalRomanico em portugal
Romanico em portugalcattonia
 
A cultura do salão neoclássico
A cultura do salão   neoclássicoA cultura do salão   neoclássico
A cultura do salão neoclássicocattonia
 
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em PortugalEstilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em PortugalRui Nobre
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana iAna Barreiros
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaAna Barreiros
 

Mais procurados (20)

Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
 
4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal
 
O gótico em portugal
O gótico em portugalO gótico em portugal
O gótico em portugal
 
A Arquitetura Renascentista
A Arquitetura RenascentistaA Arquitetura Renascentista
A Arquitetura Renascentista
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
Estilo românico e gótico
Estilo românico e góticoEstilo românico e gótico
Estilo românico e gótico
 
Módulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaMódulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura Gótica
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românica
 
Arquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaArquitetura renascentista
Arquitetura renascentista
 
Romanico em portugal
Romanico em portugalRomanico em portugal
Romanico em portugal
 
Gotico em Portugal
Gotico em PortugalGotico em Portugal
Gotico em Portugal
 
A pintura gótica i
A pintura gótica iA pintura gótica i
A pintura gótica i
 
A cultura do salão neoclássico
A cultura do salão   neoclássicoA cultura do salão   neoclássico
A cultura do salão neoclássico
 
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em PortugalEstilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
 
Catedral de Notre Dame
Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame
Catedral de Notre Dame
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana i
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte gotica
 
MóDulo 4
MóDulo 4MóDulo 4
MóDulo 4
 

Destaque

A cultura da catedral islão
A cultura da catedral  islãoA cultura da catedral  islão
A cultura da catedral islãocattonia
 
A cultura da catedral escultura e pintura
A cultura da catedral   escultura e pinturaA cultura da catedral   escultura e pintura
A cultura da catedral escultura e pinturacattonia
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica Icattonia
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contextocattonia
 
Cultura do palácio contexto
Cultura do palácio   contextoCultura do palácio   contexto
Cultura do palácio contextocattonia
 
O mundo muçulmano em expansão
O mundo muçulmano em expansãoO mundo muçulmano em expansão
O mundo muçulmano em expansãocattonia
 
Revoluoagricola
RevoluoagricolaRevoluoagricola
Revoluoagricolacattonia
 
Catedral de amiens
Catedral de amiensCatedral de amiens
Catedral de amiensmanrique88zr
 
Escultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicasEscultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicascattonia
 
Catedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisCatedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisMarcio Bern
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americanacattonia
 
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romanocattonia
 
O iluminismo pombalino
O iluminismo pombalinoO iluminismo pombalino
O iluminismo pombalinocattonia
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Friacattonia
 
Filmes
FilmesFilmes
Filmesbeaerm
 

Destaque (20)

A cultura da catedral islão
A cultura da catedral  islãoA cultura da catedral  islão
A cultura da catedral islão
 
A cultura da catedral escultura e pintura
A cultura da catedral   escultura e pinturaA cultura da catedral   escultura e pintura
A cultura da catedral escultura e pintura
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica I
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contexto
 
Cultura do palácio contexto
Cultura do palácio   contextoCultura do palácio   contexto
Cultura do palácio contexto
 
O mundo muçulmano em expansão
O mundo muçulmano em expansãoO mundo muçulmano em expansão
O mundo muçulmano em expansão
 
Rates
RatesRates
Rates
 
Revoluoagricola
RevoluoagricolaRevoluoagricola
Revoluoagricola
 
Catedral de amiens
Catedral de amiensCatedral de amiens
Catedral de amiens
 
Escultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicasEscultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicas
 
Rev franc
Rev francRev franc
Rev franc
 
Catedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisCatedral de notre dame paris
Catedral de notre dame paris
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
 
Coca cola
Coca colaCoca cola
Coca cola
 
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romano
 
O iluminismo pombalino
O iluminismo pombalinoO iluminismo pombalino
O iluminismo pombalino
 
Guernica
GuernicaGuernica
Guernica
 
Teatro
TeatroTeatro
Teatro
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 
Filmes
FilmesFilmes
Filmes
 

Semelhante a Amiens

Catedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame ParisCatedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame ParisBiaEsteves
 
Catedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisCatedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisMarcio Bern
 
Catedral de Notre-Dame-Paris
Catedral de Notre-Dame-ParisCatedral de Notre-Dame-Paris
Catedral de Notre-Dame-ParisBiaEsteves
 
Catedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisCatedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisDenizecomZ
 
Arte idade média 8º ano
Arte  idade média 8º anoArte  idade média 8º ano
Arte idade média 8º anojosivaldopassos
 
Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica   Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica Filipa Silva
 
Catedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisCatedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisAmadeu Wolff
 
Reconhecer Arte Gotica
Reconhecer Arte GoticaReconhecer Arte Gotica
Reconhecer Arte GoticaIsidro Santos
 
Catedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame ParisCatedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame Pariscristinasousaprof
 
Trabalho Individual
Trabalho IndividualTrabalho Individual
Trabalho Individualangeldenis21
 
Historia da arte- período da idade média - resumo
Historia da arte- período da  idade média - resumoHistoria da arte- período da  idade média - resumo
Historia da arte- período da idade média - resumoAndrea Dressler
 
Renascimento,maneirismo e barroco
Renascimento,maneirismo e barrocoRenascimento,maneirismo e barroco
Renascimento,maneirismo e barrocomariosilva1989
 
Arquitectura Romântica em Sintra
Arquitectura Romântica em SintraArquitectura Romântica em Sintra
Arquitectura Romântica em Sintrahcaslides
 

Semelhante a Amiens (20)

Catedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame ParisCatedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame Paris
 
Catedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisCatedral de notre dame paris
Catedral de notre dame paris
 
Catedral de notre-dame_paris
Catedral de notre-dame_parisCatedral de notre-dame_paris
Catedral de notre-dame_paris
 
Catedral de Notre-Dame-Paris
Catedral de Notre-Dame-ParisCatedral de Notre-Dame-Paris
Catedral de Notre-Dame-Paris
 
Catedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisCatedral de notre dame paris
Catedral de notre dame paris
 
Arte idade média 8º ano
Arte  idade média 8º anoArte  idade média 8º ano
Arte idade média 8º ano
 
Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica   Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Catedral de notre dame paris
Catedral de notre dame parisCatedral de notre dame paris
Catedral de notre dame paris
 
Catedral de Notre Dame - Paris
Catedral de Notre Dame - ParisCatedral de Notre Dame - Paris
Catedral de Notre Dame - Paris
 
Reconhecer Arte Gotica
Reconhecer Arte GoticaReconhecer Arte Gotica
Reconhecer Arte Gotica
 
Catedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame ParisCatedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame Paris
 
ARTE GÓTICA
ARTE GÓTICAARTE GÓTICA
ARTE GÓTICA
 
Idade Média - Gótico (aula integrada)
Idade Média - Gótico (aula integrada)Idade Média - Gótico (aula integrada)
Idade Média - Gótico (aula integrada)
 
Trabalho Individual
Trabalho IndividualTrabalho Individual
Trabalho Individual
 
artegotica
artegoticaartegotica
artegotica
 
Idade mdia-gtico-25805
Idade mdia-gtico-25805Idade mdia-gtico-25805
Idade mdia-gtico-25805
 
Historia da arte- período da idade média - resumo
Historia da arte- período da  idade média - resumoHistoria da arte- período da  idade média - resumo
Historia da arte- período da idade média - resumo
 
Renascimento,maneirismo e barroco
Renascimento,maneirismo e barrocoRenascimento,maneirismo e barroco
Renascimento,maneirismo e barroco
 
Arquitectura Romântica em Sintra
Arquitectura Romântica em SintraArquitectura Romântica em Sintra
Arquitectura Romântica em Sintra
 

Mais de cattonia

Deseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxDeseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxcattonia
 
arte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsxarte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsxcattonia
 
A reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsxA reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsxcattonia
 
A produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptxA produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptxcattonia
 
Era digital
Era digitalEra digital
Era digitalcattonia
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesacattonia
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundocattonia
 
2. o espaço português
2. o espaço português2. o espaço português
2. o espaço portuguêscattonia
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo portuguêscattonia
 
O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivcattonia
 
3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimentocattonia
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europacattonia
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalizaçãocattonia
 
Hegemonia inglesa
Hegemonia inglesaHegemonia inglesa
Hegemonia inglesacattonia
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmoscattonia
 
Constr do social ii
Constr do social iiConstr do social ii
Constr do social iicattonia
 
A constr do social
A constr do socialA constr do social
A constr do socialcattonia
 

Mais de cattonia (20)

Deseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxDeseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptx
 
arte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsxarte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsx
 
A reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsxA reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsx
 
A produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptxA produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptx
 
Era digital
Era digitalEra digital
Era digital
 
Família
FamíliaFamília
Família
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundo
 
2. o espaço português
2. o espaço português2. o espaço português
2. o espaço português
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xiv
 
3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Hegemonia inglesa
Hegemonia inglesaHegemonia inglesa
Hegemonia inglesa
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Constr do social ii
Constr do social iiConstr do social ii
Constr do social ii
 
A constr do social
A constr do socialA constr do social
A constr do social
 

Último

A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...excellenceeducaciona
 
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...apoioacademicoead
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptxAndreia Silva
 
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...apoioacademicoead
 
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...leitev350
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...azulassessoriaacadem3
 
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMHisrelBlog
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...azulassessoriaacadem3
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...azulassessoriaacadem3
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 

Último (20)

A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
 
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
 
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
 
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
 
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 

Amiens

  • 1. Catedral de Notre-Dame de Amiens (Amiens, França)
  • 2. Catedral de Notre-Dame de Amiens Executada entre 1220 e c. 1280. Catedral de Notre-Dame de Amiens Amiens, França Monumento classificado como Património Mundial da UNESCO, em 1981. Localização: Amiens, região da Picardia, França. Materiais: Pedra calcária de granulado grosso nas paredes e elementos estruturais; pedra calcária fina nas esculturas; vidros coloridos nas janelas. Na ornamentação das talhas escultóricas e restantes trabalhos foram utilizadas técnicas próprias dos diferentes ofícios. Direção da obra: Início dos trabalhos sob a direção do Bispo Evrard de Fouilly, em 1220. Até 1228, condução das obras pelo arquiteto Robert de Luzarches. Seguiu-se-lhe Thomas de Cormont, até 1258, ano em que foi substituído pelo seu filho Renaud de Cormont, até à conclusão das obras.
  • 3. Em recapitulação: contexto histórico  Ao longo do século XII, um extenso período de clima moderado e um tempo de paz e de relativa estabilidade política proporcionaram um tempo de progresso social e desenvolvimento económico.  Daqui resultou um aumento demográfico e uma generalizada melhoria das condições de vida das populações.  Desenvolvem-se então as cidades e várias (Paris, Londres, Bruges, Frankfurt, Génova, Veneza, ...) convertem-se em importantes centros comerciais e mercados financeiros.  Nasceu, assim, uma nova elite social, a burguesia (“os habitantes do burgo”), que rapidamente adquiriu um grande poder económico.  Porém, este não deixou de ser um mundo agrário e aristocrático em cujas cortes se desenvolvia uma cultura cortesã voltada para os prazeres mundanos:  Por outro lado, os mosteiros perderam o seu papel no desenvolvimento económico em favor das cidades e o seu protagonismo cultural em favor das universidades.  Nas universidades surge a escolástica, um método de pensamento crítico e especulativo, baseado na dialética, e que pretendeu conciliar a fé cristã com um sistema de pensamento racional. Uma universidade medieval
  • 4.  O estilo Gótico surge por volta de 1150, na Île-de-France (em Paris) e vai difundir-se ao longo dos séculos XII e XIII por toda a França e Europa.  A catedral é o edifício que caracteriza a essência da sociedade Gótica, simbolizando o novo poder da monarquia francesa que se vai difundindo por toda a Europa devido à influência da coroa, às viagens dos arquitetos e construtores gauleses e à expansão dos monges de Cister.  Este novo conceito arquitetónico, assente em inovações técnicas a nível estrutural, marca a transição da construção maciça do Românico para uma construção mais leve e estrutural, em linha com os progressos da sociedade da Baixa Idade Média, de características urbanas.  O espírito de rivalidade existente entre as cidades também foi um fator de motivação para os arquitetos elevarem cada vez mais as naves e torres das suas catedrais.
  • 5. Análise formal  O sistema construtivo de Amiens aplica os princípios arquitetónicos característicos da arquitetura gótica:  A abóbada ogival gótica é formada por arcos soltos sobre os quais assenta o casco (o enchimento) da abóbada de alvenaria, tijolo ou cantaria. Vista sobre o transepto. →Cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas, suportada por pilares e paredes ornamentadas. →Descarga do peso da abóbada em pilares, arcobotantes e contrafortes.  A vantagem deste sistema estrutural é permitir construir naves muito altas e substituir as paredes por superfícies envidraçadas – os vitrais. O arcobotante é um arco situado no exterior das construções para apoiar as paredes e repartir o peso do seu impulso. O contraforte é um reforço de um muro, constituído por um pilar de alvenaria, para sustentar a pressão de uma parede ou de um arcobotante. Corte estrutural.
  • 6.  A nave central tem uma largura de 13,7 m, e incluindo as naves laterais, Amiens tem uma largura total de 45,7 m.  As abóbadas da nave central elevam-se a 42,3 m.  A sensação de altura é acentuada pela entrada superior de luz, filtrada através dos vitrais coloridos de clerestório, transformando a luz natural do sol numa luz difusa e numa atmosfera cálida. Vista sobre o coro, com a abside ao fundo. Pilar Arco ogival Trifório Clerestório Abóbada de cruzaria de ogivas Arcobotante Pináculo Contraforte Tribuna Gárgula  A esta atmosfera interior, o abade Suger designou de “radiação divina” que fazia a igreja “rejubilar de luz” e conduzia os fiéis à exaltação mística. Vitrais
  • 7.  Apresenta um “falso” transepto deslocado para o centro, fazendo desaparecer a forma tradicional de cruz latina.  Entre o cruzeiro e a cabeceira o espaço é muito mais abrangente, com 5 naves, e incorpora um coro diante do altar-mor.  A Catedral de Amiens desenvolve uma planta tradicional de 3 naves até ao transepto.  O deambulatório integra as capelas radiantes (absidíolas) e, no centro, a capela-mor dedicada à Virgem Nossa Senhora (Notre-Dame). Portal ocidental Nave central Naves laterais Transepto Cruzeiro Coro Altar-mor Deambulatório Capelas radiantes (absidíolas) Portal sul Portal norte Capela-mor de Notre-Dame
  • 8. Portal central (Portal do Juízo Final) Portal sul (Portal da Virgem) Portal norte (Portal de S. Firmino) Tímpano Arquivoltas Estátuas-coluna Mainel Loggia Galeria dos reis Rosácea Gallerie des Sonneurs Torre sineira Gárgula Pináculo Coruchéu Gablete
  • 9.  Os portais de Amiens estão organizados numa estrutura tripartida, abrindo, cada um deles, para as três naves e marcando os principais eixos de composição da fachada.  Ao centro, o Portal do Juízo Final representa no tímpano a Ressurreição dos Mortos e a Pesagem das Almas: os Redimidos e os Condenados. Em cima, surge Cristo em Julgamento, sendo S. Francisco de Assis o primeiro a entrar no Céu. Detalhe do portal central: Portal do Juízo Final Portais da fachada ocidental Correspondente à Porta do Céu, o portal representa, através da iconografia, a glorificação de Cristo e Maria, aos quais se juntam os Apóstolos e cenas do Juízo Final em figuras humanizadas e expressivas
  • 10.  À direita, o portal sul é designado Portal da Virgem, dedicado à Virgem Maria, santa patrona da catedral e de Amiens. No tímpano representa-se a soberania, a assunção e a coroação da Virgem.  À esquerda, o portal norte é o Portal de S. Firmino, o primeiro bispo de Amiens. No tímpano representa-se a trasladação das suas relíquias diante de seis bispos sentados e de anjos transportando vários objetos religiosos.
  • 11.  Amiens representa uma síntese do pensamento artístico e do pensamento medieval dos séculos XII e XIII, ao materializar o conceito de beleza enunciado na escolástica (fundado na razão do número, ordem e proporção com a mística da luz e o impulso ascensional.  Na tradição neoplatónica medieval, a luz é símbolo de beleza e de verdade divinas, contemplando um sentido de emanação e teofania.  Uma das criações mais importantes do vocabulário gótico é a rosácea da fachada ocidental, tal como a rosa, símbolo de concretização absoluta e da perfeição. Por outro lado, a rosácea também representa o Sol, imanência e manifestação original de luz divina. Portal do Juízo Final (portal central): detalhe de galeria de santos. Rosácea da Catedral de Amiens.