SlideShare uma empresa Scribd logo
EMEF PARQUE DOS PINHEIROS




PROJETO PRODUÇÃO DE TEXTO




 Professoras: Joana; Iracema; Helena; Lidiani

              Público alvo: Alunos do 5ºano (4ª série)
EMEF Parque dos Pinheiros

                                                        Profas. Joana; Iracema; Helena; Lidiani

                                                        Público alvo: Alunos do 5ºano (4ª série)

                                       Tempo previsto: fevereiro de 2009 a dezembro de 2009




     quot;A beleza existe em todo lugar. Depende do nosso olhar, da nossa sensibilidade; depende da nossa
    consciência, do nosso trabalho e do nosso cuidado. A beleza existe porque o ser humano é capaz de
                       sonhar”. (FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática
                                                        educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997, p. 67.
                                         In GADOTTI, Moacir - Novo Hamburgo: Feevale, 2003. P. 1)




                  PROJETO PRODUÇÃO DE TEXTO


Introdução:
       Este é um projeto da EMEF PARQUE DOS PINHEIROS, da cidade de
HORTOÂNDIA /SP, que tem como principal objetivo melhorar a produção de textos
dos alunos da escola e suprir a necessidade de tornar nossos alunos proficientes leitores
e produtores de textos.



JUSTIFICATIVA
       É nossa unidade escolar existe uma dificuldade muito grande para incentivar os
alunos a escrever bem como realizar leituras dos textos produzidos.

       O texto, como objetivo apenas de sala de aula, já não é atrativo para os alunos,
portanto essa é uma forma de encontrar novas possibilidades para incentivá-los.
Por isso, é extremamente necessário um novo processo para modificar essa
realidade.

        O nosso desafio, enquanto mestres responsáveis pelos processos de ensino-
aprendizagem estão em criar situações de sala de aula que permitam aos alunos a
apropriação desta diversidade e, principalmente, que se pense em como veicular e
significar os diferentes textos existentes em nossa sociedade dentro da sala de aula.

       Paulo Freire nos fala em sua Pedagogia da autonomia da boniteza de ser gente,
da boniteza de ser professor: ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da
boniteza e da alegria. Ele chama a atenção para a essencialidade do componente estético
da formação do educador. Colocamos uma epigrafe que fala de sonho e de sentido que
querem dizer a mesma coisa. Sentido quer dizer caminho não percorrido, mas que se
deseja percorrer, portanto, significa projeto, sonho, utopia.

                      Aprender e ensinar com sentido é aprender e ensinar com um sonho na mente.
                                             A pedagogia serve de guia para realizar esse sonho...
                            (FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática
                                                     educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997, p. 67.
                                      In GADOTTI, Moacir - Novo Hamburgo: Feevale, 2003. p. 1)

       Inserir de maneira gradual as novas regras ortográficas que começaram a vigorar
no dia 1º de janeiro de 2009. E apesar de serem obrigatórios apenas em 2012 os
professores da EMEF Pinheiros estão se adequando a nova ortografia. Para isso, estão
levando para a sala de aula uma proposta lúdica para os alunos. As professoras do 5º
ano (4ª série) pretendem com este projeto que os alunos façam uma série de atividades
para que se familiarizem com as novas regras.

       A grande dificuldade dos professores é como fazer com que as novas regras
sejam absorvidas pelos alunos que já estão tão habituados com a ortografia antiga.



OBJETIVOS

Gerais
        Desenvolver no aluno o gosto pela produção de texto;

       Dar condições adequadas para um crescimento do aluno em suas produções, não
apenas na aula de Português;

      Entender a linguagem como algo significativo à medida que é empregada
enquanto prática social;

       ESPECÍFICOS
       Aperfeiçoar-se quanto à produção de texto em geral;

       Ser capaz de proceder autocorreção dos textos;
Compreender as leituras propiciadas pela literatura infanto-juvenil como
oportunidades ímpares de conhecimento do mundo não só da fantasia, mas também da
realidade do dia-a-dia dos homens e mulheres em sociedade e em sua relação com os
outros e com a natureza;

       Compreender que a aprendizagem da língua “padrão culta” nas séries iniciais do
Ensino Fundamental se dá principalmente pelo uso social da linguagem em situações
diversas de prática social;

        Demonstrar segurança no emprego da língua, evidenciando isso, através da
escrita com correção gramatical, ortográfica, pontuação, textualidade e clareza;



Metodologia
       Pesquisar, em jornais e revistas, caricaturas, slogans, charges, logotipos e
cartuns, recortando-os e colando-os em folhas para organizar uma espécie de álbum
com textos desse tipo de linguagem;

      Pesquisar a respeito de Quadrinhos (Histórias em Quadrinhos), evidenciando,
mediante produção escrita teórico-prática os tipos de balões usados nas HQ;

        Fazer levantamento das revistas em quadrinhos encontradas nas bancas de
jornal, biblioteca da escola e entre as manuseadas pelos alunos das séries iniciais,
trazendo exemplares para a sala de aula;

      Ler, para fundamentar-se, autores e obras que tratam de Quadrinhos,
comentando, em sala, a síntese da leitura realizada, expondo-a, em seguida, em painel;

       Criar Histórias em Quadrinhos, editando a obra;

        Criar texto na forma poética que poderá servir como recurso didático, a exemplo
de jingles informativos, e outros textos em forma também de poesia como anúncio
poético, textos em forma de prosa;

       Criar poesias como atividade livre e de prazer estético;

       Ler poemas/poesias para divertir-se;



TURMAS QUE PARTICIPARÃO DO PROJETO


4ª série A -31 alunos professora: JOANA DARQUE CARDOSO SANTOS

4ª série B -30 alunos professora: MARIA IRACEMA
4ª série C -32 alunos professora: HELENA

4ª série D -28 alunos professora: HELENA

4ª série E -32 alunos professora: LIDIANE



DURAÇÃO DO PROJETO
       Este projeto terá duração de fevereiro a dezembro de 2009 como experiências e,
havendo um resultado expressivo nesse período, será estendido a outras turmas no ano
de 2010.

AÇÕES
        Interpretar textos de diversas modalidades para que o aluno tenha contato com
textos bem produzidos, ou seja, demonstrando estrutura, conteúdo e gramática
compatíveis com o ensino de Português.

        Mostrar para o aluno as diversas formas de estruturar um texto: narrativo,
descrito, dissertativo.

       Produzir junto, na sala de aula, textos coletivos, com a participação dos alunos e
do professor.

      Fazer uma correção, adequação e melhora do texto junto com os alunos para que
os mesmos adquiram essa habilidade.

       Trabalhar, inicialmente, com temas mais simples e relacionados com o cotidiano
dos alunos, para que o mesmo não sinta dificuldade de pensar sobre esse ou aquele
assunto.

       Incentivar qualquer progresso apresentado pelo aluno, bem como elogiar
qualquer demonstração interessante em sua produção, seja nas idéias, na estrutura ou no
uso gramatical.

       Corrigir o texto do aluno, usando o novo Código de regras de ortografia, para
que o próprio aluno modifique e melhore seu texto em outra etapa do trabalho.

        Colocar alguns dos textos dos alunos no BLOG diário da 4ª série intitulado
“http://4seriea-joaninha.blogspot.com”, na Internet para valorizar a produção, ou seja,
evitar que o texto seja lido apenas pelo professor.

         Levar os alunos na sala de multimídia para que eles tomem contato com os
textos lançados no BLOG e façam o seu comentário sobre tais textos.

        Fazer correção e melhora do texto a partir de comentários sobre as produções,
feitos no BLOG.
Ilustrar os trabalhos através de fotos e outras imagens para tornar mais atrativos
os trabalhos dos alunos.

        Incentivar o maior número de pessoas (inclusive fora da escola) para
conhecerem e comentarem os trabalhos no BLOG, uma vez que isso dará maior
incentivo aos alunos, produtores dos textos. Essa comunicação será feita,
principalmente, através da Internet para que os alunos, a cada dia, tenham maior
domínio dessa tecnologia.

       Trabalhar as novas regras de maneira que não sejam apenas decoradas pelos
alunos, eles terão que pesquisar e comparar as duas ortografias e, posteriormente, abrir
espaço para debates, apresentando motivos que levaram ao acordo.

       Além das pesquisas e das discussões em classe, serão criadas produções usando
imagem e escrita que podem ficar expostas no pátio da escola para que todos tenham a
oportunidade de conhecer os trabalhos. (confecção de cartazes sobre temas diversos)
sabemos que não adianta despejar todas as novas regras sobre o aluno de uma só vez.
Então serão trabalhadas as mudanças pouco a pouco.

       Em alguns casos, é improdutivo ensinar a regra nova sem recapitular alguns
conceitos trabalhados no passado.

       Pois não adianta dizer que cai o acento nas paroxítonas com ditongos abertos se
o aluno não sabe o que é paroxítona e o que é ditongo. Com isso serão retomados esses
e outros conceitos.

       Sabemos que o período de transição entre as duas formas de grafia é de 4 anos, e
nos professores não podemos considerar erro a opção do aluno por uma ou outra. Mas
há algo que podemos fazer:

       Nos textos produzidos pelo estudante, podemos destacar os termos redigidos na
regra antiga, explicitando a nova regra.

      Quando o aluno usar uma palavra que mudou, é possível sublinhá-la e inserir a
margem um comentário sobre a nova regra, para ajudar o estudante a fixá-la.

        Como toda a turma esta trabalhando livros didáticos ou textos ainda com a grafia
antiga, os alunos serão alertados a sempre que surgir uma palavra que teve a grafia
alterada, para ele adicionar uma observação ao texto quando copiado no caderno ou a
lápis no próprio livro.

       Sabemos da importância de conversar com os alunos sobre o porquê das
mudanças, bem como explicar que estas mudanças têm um objetivo, para que eles
possam compreender e assimilar mais facilmente. quot;As crianças questionam o 'porque'
das coisas, das mudanças, mas em compensação aceitam com mais facilidadequot;.

       Produção de livro sobre as produções de textos desenvolvidas durante o projeto
e sua publicação.
RECURSOS HUMANOS
       Todo o trabalho com os textos, nesse período experimental, será conduzido pelos
professores.

RECURSOS MATERIAIS
       Os recursos materiais serão os mesmos usados na sala de aula normalmente,
além dos recursos da sala de multimídia.


CONCLUSÃO
       Com o envolvimento dos participantes (professor e alunos), o resultado será,
sem dúvida, muito promissor. Esse projeto será mais um passo dado em prol do aluno,
evitando principalmente que ele perca o estímulo na sala de aula. Dessa forma, acredita-
se que haverá uma melhora substancial nas produções de textos e, conseqüentemente,
melhor resultados nos estudos, de modo geral.

       Produção de livro sobre as produções de textos desenvolvidas durante o projeto
e sua publicação.



Avaliação:
        A avaliação é constante, levando em conta os registros e relatórios de cada etapa
do projeto feitos pelas organizadoras do mesmo. As reflexões sobre os relatórios levarão
em conta o interesse da turma, seus resultados e relevância para a aprendizagem das
crianças quanto ao desenvolvimento da linguagem, produção e aprimoramento dos
textos, conteúdos e a relevância social para a comunidade a que se destina.



Bibliografia:
CITELLI, Beatriz. Produção e leitura de textos no ensino fundamental - 3 ed. Editora Cortez,

São Paulo, 2003.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. 32 ed., São Paulo, Cortez, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática
educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997, p. 67.


GERALDI, João Vanderley (org). O texto na sala de aula. São Paulo, Ática, 1997.
NETO, Antônio Gil. A produção de textos na escola. Edições Loyola. São Paulo, 1996.


GADOTTI, Moacir -Boniteza de um sonho: ensinar e aprender com sentido – Novo Hamburgo:
Feevale, 2003. P.1

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sequência didática _direito_à_diferença_b rincar_e_aprender (final)
Sequência didática _direito_à_diferença_b rincar_e_aprender (final)Sequência didática _direito_à_diferença_b rincar_e_aprender (final)
Sequência didática _direito_à_diferença_b rincar_e_aprender (final)
Naysa Taboada
 
Alfabetização slides
Alfabetização slidesAlfabetização slides
Alfabetização slides
AVM
 
Fala escrita livro_luiz marcuschi
Fala escrita livro_luiz marcuschiFala escrita livro_luiz marcuschi
Fala escrita livro_luiz marcuschi
Amauri Lima
 
Projeto Interdisciplinar Alfabetização
Projeto Interdisciplinar Alfabetização Projeto Interdisciplinar Alfabetização
Projeto Interdisciplinar Alfabetização
AVM Faculdade Integrada
 
Cd2 exercicios dialogo
Cd2 exercicios dialogoCd2 exercicios dialogo
Cd2 exercicios dialogo
Eliezer Correia
 
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS  NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICOPRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS  NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
gepoteriko
 
ortografia ARTUR GOMES DE MORAIS
ortografia ARTUR GOMES DE MORAISortografia ARTUR GOMES DE MORAIS
ortografia ARTUR GOMES DE MORAIS
Secretaria Municipal de Educação de Dona Inês/PB
 
Reunião dengue2
Reunião dengue2Reunião dengue2
Reunião dengue2
Rosemary Batista
 
Livro aprender mais_portugues_anos_finais
Livro aprender mais_portugues_anos_finaisLivro aprender mais_portugues_anos_finais
Livro aprender mais_portugues_anos_finais
elannialins
 
Atividades permanentes na alfabetização
Atividades permanentes na alfabetizaçãoAtividades permanentes na alfabetização
Atividades permanentes na alfabetização
Proalfacabofrio
 
A Formiguinha e a Neve
A Formiguinha e a Neve A Formiguinha e a Neve
A Formiguinha e a Neve
Dinny Rubini
 
É preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
É preciso "ensinar" letramento? - Angela KleimanÉ preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
É preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
Pibid Letras Português Ufal
 
Alfabetizacao
AlfabetizacaoAlfabetizacao
Alfabetizacao
Magno Oliveira
 
Ortografia
OrtografiaOrtografia
Ortografia
pactolivras2013
 
ORTOGRAFIA: ENSINAR E APRENDER (ARTUR GOMES DE MORAIS)
ORTOGRAFIA: ENSINAR E APRENDER (ARTUR GOMES DE MORAIS)ORTOGRAFIA: ENSINAR E APRENDER (ARTUR GOMES DE MORAIS)
ORTOGRAFIA: ENSINAR E APRENDER (ARTUR GOMES DE MORAIS)
Secretaria Municipal de Educação de Dona Inês/PB
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Elizabet Tramontin Silveira Camargo
 
Manual do Portfolio
Manual do PortfolioManual do Portfolio
Manual do Portfolio
Alinemmoliveira
 
Ensino de língua Portuguesa em Libras
Ensino de língua Portuguesa em LibrasEnsino de língua Portuguesa em Libras
Ensino de língua Portuguesa em Libras
Hudson Augusto
 
Cap. pe de vento
Cap. pe de ventoCap. pe de vento
Cap. pe de vento
9ª CRE - RJ
 

Mais procurados (19)

Sequência didática _direito_à_diferença_b rincar_e_aprender (final)
Sequência didática _direito_à_diferença_b rincar_e_aprender (final)Sequência didática _direito_à_diferença_b rincar_e_aprender (final)
Sequência didática _direito_à_diferença_b rincar_e_aprender (final)
 
Alfabetização slides
Alfabetização slidesAlfabetização slides
Alfabetização slides
 
Fala escrita livro_luiz marcuschi
Fala escrita livro_luiz marcuschiFala escrita livro_luiz marcuschi
Fala escrita livro_luiz marcuschi
 
Projeto Interdisciplinar Alfabetização
Projeto Interdisciplinar Alfabetização Projeto Interdisciplinar Alfabetização
Projeto Interdisciplinar Alfabetização
 
Cd2 exercicios dialogo
Cd2 exercicios dialogoCd2 exercicios dialogo
Cd2 exercicios dialogo
 
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS  NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICOPRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS  NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
 
ortografia ARTUR GOMES DE MORAIS
ortografia ARTUR GOMES DE MORAISortografia ARTUR GOMES DE MORAIS
ortografia ARTUR GOMES DE MORAIS
 
Reunião dengue2
Reunião dengue2Reunião dengue2
Reunião dengue2
 
Livro aprender mais_portugues_anos_finais
Livro aprender mais_portugues_anos_finaisLivro aprender mais_portugues_anos_finais
Livro aprender mais_portugues_anos_finais
 
Atividades permanentes na alfabetização
Atividades permanentes na alfabetizaçãoAtividades permanentes na alfabetização
Atividades permanentes na alfabetização
 
A Formiguinha e a Neve
A Formiguinha e a Neve A Formiguinha e a Neve
A Formiguinha e a Neve
 
É preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
É preciso "ensinar" letramento? - Angela KleimanÉ preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
É preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
 
Alfabetizacao
AlfabetizacaoAlfabetizacao
Alfabetizacao
 
Ortografia
OrtografiaOrtografia
Ortografia
 
ORTOGRAFIA: ENSINAR E APRENDER (ARTUR GOMES DE MORAIS)
ORTOGRAFIA: ENSINAR E APRENDER (ARTUR GOMES DE MORAIS)ORTOGRAFIA: ENSINAR E APRENDER (ARTUR GOMES DE MORAIS)
ORTOGRAFIA: ENSINAR E APRENDER (ARTUR GOMES DE MORAIS)
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Manual do Portfolio
Manual do PortfolioManual do Portfolio
Manual do Portfolio
 
Ensino de língua Portuguesa em Libras
Ensino de língua Portuguesa em LibrasEnsino de língua Portuguesa em Libras
Ensino de língua Portuguesa em Libras
 
Cap. pe de vento
Cap. pe de ventoCap. pe de vento
Cap. pe de vento
 

Destaque

Oficinas de produção de textos ii
Oficinas de produção de textos iiOficinas de produção de textos ii
Oficinas de produção de textos ii
Lorena Vanesa Duthil
 
Oficina de produção de texto
Oficina de produção de textoOficina de produção de texto
Oficina de produção de texto
Elia Rejany
 
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne eTrabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
wandelvarela
 
PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EME...
PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EME...PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EME...
PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EME...
Alexandre da Rosa
 
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Maria Rosilene
 
Projeto contos de arrepiar...
Projeto contos de arrepiar...Projeto contos de arrepiar...
Projeto contos de arrepiar...
andrea
 
O que é o texto dissertativo
O que é o texto dissertativoO que é o texto dissertativo
O que é o texto dissertativo
Bernadete Carrijo Oliveira
 
Livro - Contos de terror - 5º ano "E"
Livro - Contos de terror - 5º ano "E"Livro - Contos de terror - 5º ano "E"
Livro - Contos de terror - 5º ano "E"
Guilherme Leão
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Linda-maria12
 
Plano de Aula para EJA
 Plano de Aula para EJA Plano de Aula para EJA
Plano de Aula para EJA
Gabriela Farias
 
Plano De Aula Eja 09.12 Bahia
Plano De Aula Eja 09.12 BahiaPlano De Aula Eja 09.12 Bahia
Plano De Aula Eja 09.12 Bahia
marcusbrandao1
 
Eja
EjaEja
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Seduc/AM
 
EJA PLANEJAMENTO ANUAL
EJA PLANEJAMENTO ANUAL EJA PLANEJAMENTO ANUAL
EJA PLANEJAMENTO ANUAL
neivaldolucio
 
Avaliação de Português 3º ano 1º bim
Avaliação de Português 3º ano 1º bim Avaliação de Português 3º ano 1º bim
Avaliação de Português 3º ano 1º bim
Kelry Carvalho
 
Oficina de produção de texto aula 1
Oficina de produção de texto   aula 1Oficina de produção de texto   aula 1
Oficina de produção de texto aula 1
Bruno Santos
 
Diagnostico matematica 3 ano 2015
Diagnostico matematica 3 ano 2015Diagnostico matematica 3 ano 2015
Diagnostico matematica 3 ano 2015
Dário Reis
 
Avaliação de Matemática
Avaliação de MatemáticaAvaliação de Matemática
Avaliação de Matemática
Kelry Carvalho
 
Modelo de atividades para o 3º ano
Modelo de atividades para o 3º anoModelo de atividades para o 3º ano
Modelo de atividades para o 3º ano
pedagogicosjdelrei
 

Destaque (19)

Oficinas de produção de textos ii
Oficinas de produção de textos iiOficinas de produção de textos ii
Oficinas de produção de textos ii
 
Oficina de produção de texto
Oficina de produção de textoOficina de produção de texto
Oficina de produção de texto
 
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne eTrabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
 
PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EME...
PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EME...PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EME...
PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EME...
 
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
 
Projeto contos de arrepiar...
Projeto contos de arrepiar...Projeto contos de arrepiar...
Projeto contos de arrepiar...
 
O que é o texto dissertativo
O que é o texto dissertativoO que é o texto dissertativo
O que é o texto dissertativo
 
Livro - Contos de terror - 5º ano "E"
Livro - Contos de terror - 5º ano "E"Livro - Contos de terror - 5º ano "E"
Livro - Contos de terror - 5º ano "E"
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Plano de Aula para EJA
 Plano de Aula para EJA Plano de Aula para EJA
Plano de Aula para EJA
 
Plano De Aula Eja 09.12 Bahia
Plano De Aula Eja 09.12 BahiaPlano De Aula Eja 09.12 Bahia
Plano De Aula Eja 09.12 Bahia
 
Eja
EjaEja
Eja
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
 
EJA PLANEJAMENTO ANUAL
EJA PLANEJAMENTO ANUAL EJA PLANEJAMENTO ANUAL
EJA PLANEJAMENTO ANUAL
 
Avaliação de Português 3º ano 1º bim
Avaliação de Português 3º ano 1º bim Avaliação de Português 3º ano 1º bim
Avaliação de Português 3º ano 1º bim
 
Oficina de produção de texto aula 1
Oficina de produção de texto   aula 1Oficina de produção de texto   aula 1
Oficina de produção de texto aula 1
 
Diagnostico matematica 3 ano 2015
Diagnostico matematica 3 ano 2015Diagnostico matematica 3 ano 2015
Diagnostico matematica 3 ano 2015
 
Avaliação de Matemática
Avaliação de MatemáticaAvaliação de Matemática
Avaliação de Matemática
 
Modelo de atividades para o 3º ano
Modelo de atividades para o 3º anoModelo de atividades para o 3º ano
Modelo de atividades para o 3º ano
 

Semelhante a Projeto ProduçãO De Textos

Projeto educacional
Projeto educacionalProjeto educacional
Projeto educacional
Claudia Kluge
 
12ª mssfi stands
12ª mssfi stands12ª mssfi stands
12ª mssfi stands
SEMECDIEDETEF
 
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da FonsecaMaterial Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
joao jose saraiva da fonseca
 
Ensino de língua materna
Ensino de língua maternaEnsino de língua materna
Ensino de língua materna
Andreia Medeiros
 
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
Andreia Medeiros
 
Projeto afilhados da camões.
Projeto afilhados da camões.Projeto afilhados da camões.
Projeto afilhados da camões.
nelyrocha
 
Projeto afilhados da camões.
Projeto afilhados da camões.Projeto afilhados da camões.
Projeto afilhados da camões.
nelyrocha
 
Na Crista da Onda_Livro do ProfessorU.pdf
Na Crista da Onda_Livro do ProfessorU.pdfNa Crista da Onda_Livro do ProfessorU.pdf
Na Crista da Onda_Livro do ProfessorU.pdf
AdelaideGonalves2
 
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
CompreensãO E ProduçãO De Texto
CompreensãO E ProduçãO De TextoCompreensãO E ProduçãO De Texto
CompreensãO E ProduçãO De Texto
guest67b92
 
Co 163 contruindo planejamentos significativos
Co 163 contruindo planejamentos significativosCo 163 contruindo planejamentos significativos
Co 163 contruindo planejamentos significativos
Jeh Antunes
 
Alfabetização na prática
Alfabetização na práticaAlfabetização na prática
Alfabetização na prática
EdileneBarbosa18
 
Projeto leitura- conto de fadas
Projeto leitura- conto de fadasProjeto leitura- conto de fadas
Projeto leitura- conto de fadas
Maria Pacheco Pacheco
 
Slide projeto
Slide projetoSlide projeto
Slide projeto
Maria Pacheco Pacheco
 
Slide projeto
Slide projetoSlide projeto
Slide projeto
Maria Pacheco Pacheco
 
Projeto Leitura- conto de fadas
Projeto Leitura- conto de fadasProjeto Leitura- conto de fadas
Projeto Leitura- conto de fadas
Maria Pacheco Pacheco
 
Projeto Leitura-conto de fadas
Projeto Leitura-conto de fadasProjeto Leitura-conto de fadas
Projeto Leitura-conto de fadas
Maria Pacheco Pacheco
 
Projeto leitura - conto de fadas
Projeto leitura - conto de fadasProjeto leitura - conto de fadas
Projeto leitura - conto de fadas
Maria Pacheco Pacheco
 
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
Raquel Salcedo Gomes
 
Construindo planejamentos significativos
Construindo planejamentos significativosConstruindo planejamentos significativos
Construindo planejamentos significativos
Lukass da Silva
 

Semelhante a Projeto ProduçãO De Textos (20)

Projeto educacional
Projeto educacionalProjeto educacional
Projeto educacional
 
12ª mssfi stands
12ª mssfi stands12ª mssfi stands
12ª mssfi stands
 
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da FonsecaMaterial Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
 
Ensino de língua materna
Ensino de língua maternaEnsino de língua materna
Ensino de língua materna
 
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
 
Projeto afilhados da camões.
Projeto afilhados da camões.Projeto afilhados da camões.
Projeto afilhados da camões.
 
Projeto afilhados da camões.
Projeto afilhados da camões.Projeto afilhados da camões.
Projeto afilhados da camões.
 
Na Crista da Onda_Livro do ProfessorU.pdf
Na Crista da Onda_Livro do ProfessorU.pdfNa Crista da Onda_Livro do ProfessorU.pdf
Na Crista da Onda_Livro do ProfessorU.pdf
 
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
 
CompreensãO E ProduçãO De Texto
CompreensãO E ProduçãO De TextoCompreensãO E ProduçãO De Texto
CompreensãO E ProduçãO De Texto
 
Co 163 contruindo planejamentos significativos
Co 163 contruindo planejamentos significativosCo 163 contruindo planejamentos significativos
Co 163 contruindo planejamentos significativos
 
Alfabetização na prática
Alfabetização na práticaAlfabetização na prática
Alfabetização na prática
 
Projeto leitura- conto de fadas
Projeto leitura- conto de fadasProjeto leitura- conto de fadas
Projeto leitura- conto de fadas
 
Slide projeto
Slide projetoSlide projeto
Slide projeto
 
Slide projeto
Slide projetoSlide projeto
Slide projeto
 
Projeto Leitura- conto de fadas
Projeto Leitura- conto de fadasProjeto Leitura- conto de fadas
Projeto Leitura- conto de fadas
 
Projeto Leitura-conto de fadas
Projeto Leitura-conto de fadasProjeto Leitura-conto de fadas
Projeto Leitura-conto de fadas
 
Projeto leitura - conto de fadas
Projeto leitura - conto de fadasProjeto leitura - conto de fadas
Projeto leitura - conto de fadas
 
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
 
Construindo planejamentos significativos
Construindo planejamentos significativosConstruindo planejamentos significativos
Construindo planejamentos significativos
 

Mais de guest67b92

Dicas Sobre Regras Ortograficas
Dicas  Sobre Regras OrtograficasDicas  Sobre Regras Ortograficas
Dicas Sobre Regras Ortograficas
guest67b92
 
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
guest67b92
 
Anexo Joana
Anexo  JoanaAnexo  Joana
Anexo Joana
guest67b92
 
O Jogo Do Faz De Conta Em Sala De Aula
O Jogo Do Faz De Conta Em Sala De AulaO Jogo Do Faz De Conta Em Sala De Aula
O Jogo Do Faz De Conta Em Sala De Aula
guest67b92
 
Cidadania Com O PróXimo Joana
Cidadania Com O PróXimo JoanaCidadania Com O PróXimo Joana
Cidadania Com O PróXimo Joana
guest67b92
 
Como Inserir Molduras Em Fotos
Como Inserir Molduras Em FotosComo Inserir Molduras Em Fotos
Como Inserir Molduras Em Fotos
guest67b92
 
Boletim Escolar
Boletim EscolarBoletim Escolar
Boletim Escolar
guest67b92
 

Mais de guest67b92 (7)

Dicas Sobre Regras Ortograficas
Dicas  Sobre Regras OrtograficasDicas  Sobre Regras Ortograficas
Dicas Sobre Regras Ortograficas
 
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
 
Anexo Joana
Anexo  JoanaAnexo  Joana
Anexo Joana
 
O Jogo Do Faz De Conta Em Sala De Aula
O Jogo Do Faz De Conta Em Sala De AulaO Jogo Do Faz De Conta Em Sala De Aula
O Jogo Do Faz De Conta Em Sala De Aula
 
Cidadania Com O PróXimo Joana
Cidadania Com O PróXimo JoanaCidadania Com O PróXimo Joana
Cidadania Com O PróXimo Joana
 
Como Inserir Molduras Em Fotos
Como Inserir Molduras Em FotosComo Inserir Molduras Em Fotos
Como Inserir Molduras Em Fotos
 
Boletim Escolar
Boletim EscolarBoletim Escolar
Boletim Escolar
 

Último

apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 

Último (20)

apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 

Projeto ProduçãO De Textos

  • 1. EMEF PARQUE DOS PINHEIROS PROJETO PRODUÇÃO DE TEXTO Professoras: Joana; Iracema; Helena; Lidiani Público alvo: Alunos do 5ºano (4ª série)
  • 2. EMEF Parque dos Pinheiros Profas. Joana; Iracema; Helena; Lidiani Público alvo: Alunos do 5ºano (4ª série) Tempo previsto: fevereiro de 2009 a dezembro de 2009 quot;A beleza existe em todo lugar. Depende do nosso olhar, da nossa sensibilidade; depende da nossa consciência, do nosso trabalho e do nosso cuidado. A beleza existe porque o ser humano é capaz de sonhar”. (FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997, p. 67. In GADOTTI, Moacir - Novo Hamburgo: Feevale, 2003. P. 1) PROJETO PRODUÇÃO DE TEXTO Introdução: Este é um projeto da EMEF PARQUE DOS PINHEIROS, da cidade de HORTOÂNDIA /SP, que tem como principal objetivo melhorar a produção de textos dos alunos da escola e suprir a necessidade de tornar nossos alunos proficientes leitores e produtores de textos. JUSTIFICATIVA É nossa unidade escolar existe uma dificuldade muito grande para incentivar os alunos a escrever bem como realizar leituras dos textos produzidos. O texto, como objetivo apenas de sala de aula, já não é atrativo para os alunos, portanto essa é uma forma de encontrar novas possibilidades para incentivá-los.
  • 3. Por isso, é extremamente necessário um novo processo para modificar essa realidade. O nosso desafio, enquanto mestres responsáveis pelos processos de ensino- aprendizagem estão em criar situações de sala de aula que permitam aos alunos a apropriação desta diversidade e, principalmente, que se pense em como veicular e significar os diferentes textos existentes em nossa sociedade dentro da sala de aula. Paulo Freire nos fala em sua Pedagogia da autonomia da boniteza de ser gente, da boniteza de ser professor: ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria. Ele chama a atenção para a essencialidade do componente estético da formação do educador. Colocamos uma epigrafe que fala de sonho e de sentido que querem dizer a mesma coisa. Sentido quer dizer caminho não percorrido, mas que se deseja percorrer, portanto, significa projeto, sonho, utopia. Aprender e ensinar com sentido é aprender e ensinar com um sonho na mente. A pedagogia serve de guia para realizar esse sonho... (FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997, p. 67. In GADOTTI, Moacir - Novo Hamburgo: Feevale, 2003. p. 1) Inserir de maneira gradual as novas regras ortográficas que começaram a vigorar no dia 1º de janeiro de 2009. E apesar de serem obrigatórios apenas em 2012 os professores da EMEF Pinheiros estão se adequando a nova ortografia. Para isso, estão levando para a sala de aula uma proposta lúdica para os alunos. As professoras do 5º ano (4ª série) pretendem com este projeto que os alunos façam uma série de atividades para que se familiarizem com as novas regras. A grande dificuldade dos professores é como fazer com que as novas regras sejam absorvidas pelos alunos que já estão tão habituados com a ortografia antiga. OBJETIVOS Gerais Desenvolver no aluno o gosto pela produção de texto; Dar condições adequadas para um crescimento do aluno em suas produções, não apenas na aula de Português; Entender a linguagem como algo significativo à medida que é empregada enquanto prática social; ESPECÍFICOS Aperfeiçoar-se quanto à produção de texto em geral; Ser capaz de proceder autocorreção dos textos;
  • 4. Compreender as leituras propiciadas pela literatura infanto-juvenil como oportunidades ímpares de conhecimento do mundo não só da fantasia, mas também da realidade do dia-a-dia dos homens e mulheres em sociedade e em sua relação com os outros e com a natureza; Compreender que a aprendizagem da língua “padrão culta” nas séries iniciais do Ensino Fundamental se dá principalmente pelo uso social da linguagem em situações diversas de prática social; Demonstrar segurança no emprego da língua, evidenciando isso, através da escrita com correção gramatical, ortográfica, pontuação, textualidade e clareza; Metodologia Pesquisar, em jornais e revistas, caricaturas, slogans, charges, logotipos e cartuns, recortando-os e colando-os em folhas para organizar uma espécie de álbum com textos desse tipo de linguagem; Pesquisar a respeito de Quadrinhos (Histórias em Quadrinhos), evidenciando, mediante produção escrita teórico-prática os tipos de balões usados nas HQ; Fazer levantamento das revistas em quadrinhos encontradas nas bancas de jornal, biblioteca da escola e entre as manuseadas pelos alunos das séries iniciais, trazendo exemplares para a sala de aula; Ler, para fundamentar-se, autores e obras que tratam de Quadrinhos, comentando, em sala, a síntese da leitura realizada, expondo-a, em seguida, em painel; Criar Histórias em Quadrinhos, editando a obra; Criar texto na forma poética que poderá servir como recurso didático, a exemplo de jingles informativos, e outros textos em forma também de poesia como anúncio poético, textos em forma de prosa; Criar poesias como atividade livre e de prazer estético; Ler poemas/poesias para divertir-se; TURMAS QUE PARTICIPARÃO DO PROJETO 4ª série A -31 alunos professora: JOANA DARQUE CARDOSO SANTOS 4ª série B -30 alunos professora: MARIA IRACEMA
  • 5. 4ª série C -32 alunos professora: HELENA 4ª série D -28 alunos professora: HELENA 4ª série E -32 alunos professora: LIDIANE DURAÇÃO DO PROJETO Este projeto terá duração de fevereiro a dezembro de 2009 como experiências e, havendo um resultado expressivo nesse período, será estendido a outras turmas no ano de 2010. AÇÕES Interpretar textos de diversas modalidades para que o aluno tenha contato com textos bem produzidos, ou seja, demonstrando estrutura, conteúdo e gramática compatíveis com o ensino de Português. Mostrar para o aluno as diversas formas de estruturar um texto: narrativo, descrito, dissertativo. Produzir junto, na sala de aula, textos coletivos, com a participação dos alunos e do professor. Fazer uma correção, adequação e melhora do texto junto com os alunos para que os mesmos adquiram essa habilidade. Trabalhar, inicialmente, com temas mais simples e relacionados com o cotidiano dos alunos, para que o mesmo não sinta dificuldade de pensar sobre esse ou aquele assunto. Incentivar qualquer progresso apresentado pelo aluno, bem como elogiar qualquer demonstração interessante em sua produção, seja nas idéias, na estrutura ou no uso gramatical. Corrigir o texto do aluno, usando o novo Código de regras de ortografia, para que o próprio aluno modifique e melhore seu texto em outra etapa do trabalho. Colocar alguns dos textos dos alunos no BLOG diário da 4ª série intitulado “http://4seriea-joaninha.blogspot.com”, na Internet para valorizar a produção, ou seja, evitar que o texto seja lido apenas pelo professor. Levar os alunos na sala de multimídia para que eles tomem contato com os textos lançados no BLOG e façam o seu comentário sobre tais textos. Fazer correção e melhora do texto a partir de comentários sobre as produções, feitos no BLOG.
  • 6. Ilustrar os trabalhos através de fotos e outras imagens para tornar mais atrativos os trabalhos dos alunos. Incentivar o maior número de pessoas (inclusive fora da escola) para conhecerem e comentarem os trabalhos no BLOG, uma vez que isso dará maior incentivo aos alunos, produtores dos textos. Essa comunicação será feita, principalmente, através da Internet para que os alunos, a cada dia, tenham maior domínio dessa tecnologia. Trabalhar as novas regras de maneira que não sejam apenas decoradas pelos alunos, eles terão que pesquisar e comparar as duas ortografias e, posteriormente, abrir espaço para debates, apresentando motivos que levaram ao acordo. Além das pesquisas e das discussões em classe, serão criadas produções usando imagem e escrita que podem ficar expostas no pátio da escola para que todos tenham a oportunidade de conhecer os trabalhos. (confecção de cartazes sobre temas diversos) sabemos que não adianta despejar todas as novas regras sobre o aluno de uma só vez. Então serão trabalhadas as mudanças pouco a pouco. Em alguns casos, é improdutivo ensinar a regra nova sem recapitular alguns conceitos trabalhados no passado. Pois não adianta dizer que cai o acento nas paroxítonas com ditongos abertos se o aluno não sabe o que é paroxítona e o que é ditongo. Com isso serão retomados esses e outros conceitos. Sabemos que o período de transição entre as duas formas de grafia é de 4 anos, e nos professores não podemos considerar erro a opção do aluno por uma ou outra. Mas há algo que podemos fazer: Nos textos produzidos pelo estudante, podemos destacar os termos redigidos na regra antiga, explicitando a nova regra. Quando o aluno usar uma palavra que mudou, é possível sublinhá-la e inserir a margem um comentário sobre a nova regra, para ajudar o estudante a fixá-la. Como toda a turma esta trabalhando livros didáticos ou textos ainda com a grafia antiga, os alunos serão alertados a sempre que surgir uma palavra que teve a grafia alterada, para ele adicionar uma observação ao texto quando copiado no caderno ou a lápis no próprio livro. Sabemos da importância de conversar com os alunos sobre o porquê das mudanças, bem como explicar que estas mudanças têm um objetivo, para que eles possam compreender e assimilar mais facilmente. quot;As crianças questionam o 'porque' das coisas, das mudanças, mas em compensação aceitam com mais facilidadequot;. Produção de livro sobre as produções de textos desenvolvidas durante o projeto e sua publicação.
  • 7. RECURSOS HUMANOS Todo o trabalho com os textos, nesse período experimental, será conduzido pelos professores. RECURSOS MATERIAIS Os recursos materiais serão os mesmos usados na sala de aula normalmente, além dos recursos da sala de multimídia. CONCLUSÃO Com o envolvimento dos participantes (professor e alunos), o resultado será, sem dúvida, muito promissor. Esse projeto será mais um passo dado em prol do aluno, evitando principalmente que ele perca o estímulo na sala de aula. Dessa forma, acredita- se que haverá uma melhora substancial nas produções de textos e, conseqüentemente, melhor resultados nos estudos, de modo geral. Produção de livro sobre as produções de textos desenvolvidas durante o projeto e sua publicação. Avaliação: A avaliação é constante, levando em conta os registros e relatórios de cada etapa do projeto feitos pelas organizadoras do mesmo. As reflexões sobre os relatórios levarão em conta o interesse da turma, seus resultados e relevância para a aprendizagem das crianças quanto ao desenvolvimento da linguagem, produção e aprimoramento dos textos, conteúdos e a relevância social para a comunidade a que se destina. Bibliografia: CITELLI, Beatriz. Produção e leitura de textos no ensino fundamental - 3 ed. Editora Cortez, São Paulo, 2003. FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. 32 ed., São Paulo, Cortez, 1996. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997, p. 67. GERALDI, João Vanderley (org). O texto na sala de aula. São Paulo, Ática, 1997.
  • 8. NETO, Antônio Gil. A produção de textos na escola. Edições Loyola. São Paulo, 1996. GADOTTI, Moacir -Boniteza de um sonho: ensinar e aprender com sentido – Novo Hamburgo: Feevale, 2003. P.1